FMO - Processo Seletivo 2024

Vamos resgatar a esperança de São José do Egito, não o apito do prefeito

Por Fredson Brito*

Resgatar a esperança do povo de São José do Egito é o maior desafio que temos diante de nós. A esperança em tudo o que é possível ser feito para conquistarmos novos investimentos, atrairmos empresas, animarmos e fortalecermos o comércio, darmos força aos serviços, à agricultura familiar e à agroindústria, qualificarmos os jovens e os adultos, tudo isso para gerar emprego e renda. Precisamos recuperar a nossa capacidade de sonhar grande, de ir à luta, de enfrentar as dificuldades e construir oportunidades para as pessoas. Portanto, meu caro Cláudio Soares, não foi o apito do prefeito que se perdeu pelo caminho, como você disse em seu artigo. (clique aqui e confira)

O que está em jogo na nossa amada São José não é um projeto de poder ou o rumo de um grupo político. O essencial é o futuro das pessoas da nossa terra, é um projeto de cidade, de uma cidade que pode muito mais do que tem sido feito nesses anos todos sob o comando do mesmo grupo político. O que está em jogo não é a família do prefeito. São as famílias de quem trabalha e produz para fazer de São José do Egito a força econômica que todos nós sabemos que ela pode ter.

O que importa de verdade é garantir uma formação e uma qualificação profissional aos jovens. É permitir que os filhos da população possam estudar em escolas de qualidade, em escolas que não sejam apenas prédios. É garantir atendimento de saúde humanizado, com medicamentos, com insumos básicos e sem tantas filas, garantir cirurgias e TFD em veículos adequados. É reduzir a carga de impostos para que o comércio cresça, é apoiar as 66 associações de produtores rurais, estimular os esportes, atrair indústria e tornar realidade um grande sonho que tenho que é transformar nossa cidade em um poderoso pólo de pequenas, médias e grandes produtoras de confecções. Ao mesmo tempo, garantir segurança alimentar às famílias que têm fome e moradias dignas a quem vive em condições precárias.

São José do Egito pode e merece ter uma administração eficiente, baseada em um modelo de gestão com objetivos e metas claras, com monitoramento e empenho para conquistar resultados. Uma gestão que assuma uma atitude técnica, focada em construir as oportunidades, porque estas não caem do céu. Tem que ir à Brasília, ir ao Recife, percorrer o Brasil, lutar por financiamentos e investimentos nacionais e no exterior. Chegou a hora de deixar de lado a política com “p” minúsculo e as disputas de poder pelo poder. São José espera mais.

*Empresário e pré-candidato a prefeito

O ex-ministro do Turismo e Cultura do Governo Bolsonaro, pré-candidato a prefeito do Recife, Gilson Machado, comentou a passagem de Lula por Pernambuco e destacou que o ex-presidente Jair Bolsonaro já havia colocado a duplicação da refinaria no plano estratégico da Petrobras, e anunciado que a Escola de Sargentos seria em Pernambuco. 

Segundo Gilson, Lula anunciou medidas já  programadas e provocou o presidente petista: “o que todos esperam é que essa duplicação da obra da refinaria também não se transforme em novos escândalos de corrupção, como no passado recente“.

Gilson ainda registrou que é estarrecedor ver o prefeito do Recife disputando a atenção de Lula com a governadora Raquel Lyra, e lembrou: “para esse povo, política pode tudo mesmo. Há pouco tempo, na última eleição para prefeito, o jovem não poupou críticas ao PT no campo da honestidade, assim como seu partido votou fechado pela cassação de Dilma. Hoje, parece estar tudo bem e acordado. O partido dele, o PSB e dos seus vassalos, segundo o Ministério Público, investigações da PF e a justiça, está longe de possuir o monopólio da honestidade“, disse.

O ex-ministro aponta que o povo do Recife vai conhecer a cidade que João Campos esconde “com alto índice de violência, trânsito caótico, moradores de rua e uma periferia esquecida. Não à toa que o chamam ‘O Príncipe’, título do livro de Maquiavel”.

E complementa: “será uma eleição esclarecedora, pois vamos mostrar a verdade. João Campos é filho de Eduardo, mas politicamente é cria de Lula e da esquerda pernambucana e brasileira. É um jovem velho – cara de novo, mas com as velhas práticas do PSB de sempre”, finalizou Gilson Machado.

Jaboatão dos Guararapes - Dengue 2024

A presença do prefeito de Petrolina, Simão Durando (o segundo da direita para a esquerda na foto acima) – que está filiado ao União Brasil – ontem, no almoço com o prefeito do Recife, João Campos (PSB), na casa de praia do ex-senador Fernando Bezerra Coelho, em Porto de Galinhas, teve uma só motivação: a sua possível desfiliação do UB.

É que ele não tem segurança – nem tampouco os Coelho – de que o União Brasil fique no campo da esquerda. Há suspeitas de que o partido apoie no Recife o candidato da governadora Raquel Lyra, em razão da relação próxima dela com o partido via o deputado federal Mendonça Filho.

Diante desse terreno movediço, Simão Durando, que é candidato à reeleição em Petrolina, teria duas opções partidárias: o PSB, de João Campos, que já ofereceu a janela, ou o Republicanos, do ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, que também foi chamado para o encontro de ontem.

Petrolina - Bora cuidar mais

Rompido com a família logo após a morte do irmão, o ex-governador Eduardo Campos, em 2014, o advogado Antônio Campos fez, há pouco, pelas redes sociais, um gesto de reaproximação com Renata Campos, sua cunhada, mãe do prefeito do Recife, João Campos. Elogiou a gestão do herdeiro de Eduardo e disse que votaria nele, se não fosse eleitor em Olinda. 

“Se votasse em Recife (meu domicílio eleitoral é em Olinda), votaria em João Campos pelo seu trabalho na Prefeitura. Tem mudado o Recife. Meu gesto também é uma homenagem a Eduardo Campos, seu pai e meu irmão, um grande líder, que sempre estive junto e foi um grande amigo meu, um grande político”, escreveu Antônio.

“Esse gesto é um reconhecimento, sem esperar reciprocidades. Da minha parte, ele tem um gesto amigo”, pontuou.

Ipojuca - App 153

Enfim, depois de ficar a madrugada inteira e parte desta manhã fora do ar, o blog está reconectado, graças ao empenho da nossa equipe técnica, que está investigando as causas.

Citi Hoteis

Chevrolet fará 6 lançamentos este ano

A General Motors (GM) acaba de anunciar um cronograma com seis lançamentos – inéditos ou apenas renovações – da marca Chevrolet no Brasil para este ano. Todos deverão aparecer, de alguma forma, no programa BBB, da Globo. Um desses seis, porém, ainda é uma incógnita. Bem, o primeiro modelo a ganhar reestilização, ainda no primeiro trimestre, é a minivan Spin. Além de mudanças no design externo, vai adotar alguns componentes do Tracker, como bancos dianteiros e volante, e novo quadro de instrumentos digital. O motor 1.8 aspirado de 111cv de potência e 17,7 kgfm de torque será mantido. 

Em seguida, virá outro facelift: o da popular S10. A picape vai ficar semelhante à norte-americana Colorado, que inspira faróis (de LED), grade, para-choque e capô. Como sempre acontece, o SUV grande Trailblazer também passará por mudanças visuais semelhantes. Em relação aos modelos elétricos, a Chevrolet trará primeiro o Equinox EV, SUV médio preparado do zero sobre uma nova plataforma. Ele deverá ter motorização capaz de gerar 288cv e 48kgfm de torque, com tração integral.  Outro SUV, a Blazer elétrica, terá dois motores que, somados, produzirão 565cv de potência e 89,5 kgfm de torque.

Mitsubishi L200: configuração para o trabalho – A Mitsubishi acaba de lançar uma versão da L200 Triton dedicada exclusivamente ao trabalho. As duas versões, GL e GLS AT, que estão disponíveis sob encomenda, têm chassi-cabina implementada na própria fábrica, com uma caçamba confeccionada em aço para cargas secas. Com 1,63 m de comprimento e 1,67 m de largura, tem capacidade de carga idêntica a da caçamba convencional do modelo: 1 tonelada. A nova configuração é resultado de parceria entre a Mitsubishi e a Facchini, tradicional fabricante de implementos rodoviários.

Duster ganha duas versões – A Renault decidiu ampliar a oferta do SUV Duster em duas novas versões e em quatro opções de acabamento: Intense Plus 1.6 manual, Intense Plus 1.6 CVT, Iconic Plus 1.6 CVT e Iconic Plus 1.3 TCe CVT. Os preços variam de R$ 122.290 a R$ 153.890. O modelo também ganhou uma pequena reestilização visual e mais itens de série, principalmente na segurança – com a oferta de seis airbags. A grade dianteira agora tem acabamento em preto brilhante e todo o conjunto de faróis e lanternas passa a ser de LED. Internamente, itens de conveniência e conforto, como um novo console elevado para substituir o descanso de braço convencional e duas entradas USB adicionais na traseira. A depender da versão, as opções se diferenciam por rodas de liga, pintura de retrovisores e das barras de teto, além de conveniências com sensores de chuva e carregamento por indução.

SQ8 Sportback e-tron chega ao Brasil – A Audi brasileira anunciou o lançamento do Audi SQ8 Sportback e-tron no país. O modelo vem para ampliar a família Q8 e-tron, que estreou por aqui em agosto com maior capacidade de armazenamento elétrico, nova nomenclatura e identidade visual renovada. O veículo representa a variante esportiva do Audi Q8 e-tron e está disponível a partir de dezembro na rede de 42 concessionárias autorizadas da marca por R$ 834.990 (venda direta). O modelo será o primeiro da série de lançamentos neste ano em celebração ao seu aniversário de 30 anos no Brasil. Equipado com três motores elétricos – dois traseiros e um dianteiro – o novo Audi SQ8 Sportback e-tron oferece 503 cavalos de potência e 97,3kgfm de torque. Isso garante um 0 a 100 km/h em apenas 4,5 segundos, atingindo a velocidade máxima de 210 km/h. O utilitário esportivo ganhou uma nova bateria de alta tensão com célula química avançada, tendo a sua capacidade elevada em 20% em relação à bateria anterior, indo de 95 kWh para 114 kWh. A capacidade de carregamento aumentou +20 kW, para 170 kW, fornecendo uma recarga elétrica de 10% a 80% em apenas 31 minutos. A autonomia do modelo é de 296 quilômetros, segundo o Inmetro. 

Produção de motos cresceu 11% em 2023 – As fábricas de motocicletas instaladas em Manaus (PIM) produziram no ano passado 1,57 milhão de unidades, registrando um volume 11,3% superior ao de 2022. Foi o melhor resultado desde 2014 e superou a projeção da Abraciclo para o ano de 1,56 milhão. Marcos Bento, presidente Abraciclo, que representa os fabricantes, disse que o resultado foi surpreendente, em razão da maior seca da história na região amazônica. “Fabricantes chegaram a interromper a produção devido ao desabastecimento provocado pelas dificuldades logísticas”, comentou ele. No varejo, as vendas de 2023 somaram 1,58 milhão de motocicletas – alta de 16,2% em relação ao mesmo período de 2022, quando os emplacamentos chegaram a 1,36 milhão. Do total, a região Sudeste absorveu a maior parte, 590,3 mil unidades, uma participação de 37,3%. O Nordeste ficou com 31,1% ou 492,5 mil motos, seguido pelo Norte (13,1%), Centro-Oeste (9,7%) e Sul (8,8%). No varejo, a entidade espera fechar 2024 com 1,7 milhão de emplacamentos, alta de 7,5%. 

Cores automotivas: branco é a rainha – O último relatório de cores da Basf mostra que a tendência de escolha tem passado por alguma uma transformação. As cores acromáticas, que sempre foram a base da cor automotiva, mudaram. Embora o branco mantenha sua posição como a cor mais popular para veículos leves, houve redução significativa em sua participação de mercado por conta do aumento da popularidade da cor preta. Já as escolhas dos consumidores variam em todo o globo. Em alguns locais, a preferência por tons claros de prata em vez de cinzas mais escuros aumentou. Em outras regiões, a mudança é para os tons mais escuros. Enquanto isso, cores cromáticas permaneceram relativamente estáveis. A participação total no mercado, incluindo os tons azuis, vermelho, marrom, bege, por exemplo, permaneceu inalterada. A América do Sul, historicamente uma região muito conservadora em relação às cores, teve grande parcela de cores acromáticas em 2023. Pelo menos 86% dos veículos novos saíram brancas, pretas, prateadas ou cinzas – sendo essa a maior proporção entre todas as regiões. A proporção de prata também é maior na América do Sul. Com essa fatia de mercado, cada vez mais montadoras estão optando por pigmentos de efeito para fazer com que as cores acromáticas se destaquem. Mais veículos foram entregues com pigmentos de efeito, em comparação com 2022.

Gasolina inicia 2024 mais barata – De acordo com a mais recente análise do Índice de Preços Edenred Ticket Log (IPTL), levantamento que consolida o comportamento de preços das transações nos postos de combustível, o valor médio nacional do litro da gasolina fechou a primeira quinzena do ano a R$ 5,77, com queda de 0,35%, ante dezembro. “E fatores externos, como o aumento do consumo do etanol e a queda no preço do petróleo, podem contribuir para que o preço do combustível recue um pouco mais nos próximos dias”, analisa Douglas Pina, diretor-geral de Mobilidade da Edenred Brasil. Todas as regiões registraram redução no valor do litro da gasolina, com destaque para o Norte, que teve a mais expressiva, em relação ao mês anterior, de 1,27%. Já a média mais baixa foi identificada nas bombas de abastecimento do Sudeste, por R$ 5,67. O Amazonas concentrou o recuo mais expressivo para a gasolina, de 5,49%, que fechou a R$ 6,03. Ainda assim, a gasolina mais barata foi comercializada no Distrito Federal, a R$ 5,54. Apenas dois estados apresentaram alta no preço do combustível, com destaque para o Pernambuco, onde o litro fechou a R$ 5,71, com aumento de 2,88%. O etanol também ficou mais barato para os motoristas brasileiros e a média nacional fechou os primeiros dias de janeiro a R$ 3,61, recuo de 2,43%. Entre os estados, Alagoas registrou a redução mais significativa para o etanol de 4,11%, vendido à média de R$ 4,20. 

Carros usados: SUVs bons de negócio – Os SUVs lideraram o ranking dos melhores negócios em seminovos do mês de dezembro, segundo o Estudo Megadealer de Performance Veículos Usados da Auto Avaliar, que analisou a base de dados de vendas realizadas por meio da plataforma, que com 2.492 concessionárias, de 23 marcas, cadastradas em todo o Brasil. Na primeira posição, destaca-se o Honda HR-V, com um preço médio de venda de R$ 130.355, margem bruta de 9,8% e prazo médio de venda de 28 dias. Em segundo lugar, está o Hyundai Creta, que registrou preço médio de venda de R$ 105.750, margem bruta de 9,2% e giro de estoque de 26 dias. A terceira posição ficou com o Caoa Chery Tiggo 5x. Seu ticket médio foi de R$ 98.915, margem de 9,7% e giro de 29 dias. O estudo destacou ainda que o último mês do ano de 2023 foi marcado pela aceleração das vendas de veículos usados, com um giro de estoque recorde anual de 35 dias (período de compra e venda). O número ficou bem abaixo do registrado no mesmo intervalo de 2022 (43 dias) e do mês de novembro (40 dias). O ticket médio atingiu R$ 79.257, pouco acima de novembro (R$ 79.230) e de dezembro de 2022 (R$ 78.796). 

Eletrificados: mercado mundial deve crescer 10% – Os fabricantes de veículos elétricos e híbridos em todo o mundo devem vender este ano perto das 12 milhões de unidades, com alta de 10% sobre 2023. A receita gerada será da ordem de US$ 623 bilhões. Mesmo sendo esses modelos, vale frisar, mais caros do que os a combustão, com preço médio na faixa de US$ 52,8 mil. A China responderá por 57% do total de vendas de veículos elétricos em 2024.

Férias e manutenção: tudo a ver – Levantamento inédito da Webmotors, maior portal de negócios e soluções para o segmento automotivo, mostra que 65% dos brasileiros sempre realizam manutenção antes de colocar o carro na estrada, enquanto 26% costumam recorrer a essa prática periodicamente. Os dados do Webmotors Autoinsights revelam também que 74% dos usuários da plataforma optam por viajar de carro nas férias de verão. Para 85% dos entrevistados, o check-up geral do veículo é o serviço mais importante a ser feito antes da viagem de férias, seguido de reparos automotivos (40%) e troca de óleo (34%). Entre os participantes da pesquisa, 67% afirmam que seriam motivados a agendar um serviço se tivessem em troca o benefício do desconto. Como curiosidade, o levantamento ainda aponta que 82% reconhecem o termo “revisão”, mas apenas 18% estão familiarizados com a palavra “check-up”. 

Professor pode usar transporte escolar? – Se depender da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados, sim. Ela acaba de aprovar projeto que autoriza os professores da rede pública a utilizar assentos vagos nos veículos de transporte escolar em estados e municípios e no Distrito Federal. A proposta aprovada altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB). Além disso, revoga a Lei do Passe Livre Estudantil, que concedeu o benefício aos alunos, mas deixou de fora os professores no transporte escolar. O projeto foi analisado em caráter conclusivo e deverá seguir para sanção presidencial.

Viagem com o pet: o que fazer – Com as férias de verão, o número de famílias que planejam viagens cresce e, além da preparação e escolha do melhor destino, muitas pessoas têm buscado preferencialmente por locais que aceitem a presença de pets. Mas, ao escolher o carro para a viagem, é preciso garantir que a experiência seja segura e agradável. Pensando nisso, Luca Cafici, CEO da InstaCarro, destaca 10 dicas de como levar seu melhor amigo com tranquilidade para viagens em família.

1 – Planejamento antecipado – Verificar se o destino é pet-friendly, com acomodações, restaurantes e atrações que aceitam animais de estimação, é a primeira dica indispensável – bem como a verificação de que as vacinas e os cuidados veterinários estejam em dia. 

2 – Identificação – Além da diversão, a segurança do seu pet também deve ser priorizada. Portanto, coloque uma plaquinha de identificação, contendo informações de contato atualizadas, caso ele se perca. 

3 – Kit de viagem – Monte um kit com os itens essenciais do seu companheiro de viagem, incluindo comida, água, brinquedos, cobertor, medicamentos e utensílios de higiene. 

4 – Segurança no carro – A utilização de cintos de segurança ou caixas de transporte específicas para pets também é imprescindível. Evite também que o animal fique solto no carro, pois isso pode ser perigoso tanto para ele quanto para os ocupantes.

5 – Paradas frequentes – Planeje paradas regulares para que seu pet possa fazer exercícios, beber água e fazer suas necessidades. Lembre-se também de nunca deixar o animal sozinho no carro, principalmente em dias quentes.

6 – Treinamento prévio – Se o pet não está acostumado a viagens de carro, faça pequenos trajetos antes da viagem principal para acostumá-lo. 

7 – Cuidados com a alimentação – Mantenha a rotina de alimentação do seu pet. Evite alimentá-lo antes da viagem para evitar enjoos. 

8 – Respeite limites de temperatura – Evite viajar em horários de muito calor e, se necessário, use protetores solares e mantenha o carro bem ventilado.

9 – Documentação – Leve os documentos do pet, incluindo carteira de vacinação e atestado de saúde emitido pelo veterinário.

10 – Atenção à ansiedade – Se o seu pet é propenso à ansiedade, considere o uso de brinquedos interativos e mantenha um ambiente tranquilo durante a viagem.

Renato Ferraz, ex-Correio Braziliense, tem especialidade em jornalismo automobilístico

Cabo de Santo Agostinho - Refis 2023

O prefeito do Recife, João Campos (PSB), fez um gesto, hoje, com o grupo Coelho e o ministro de Portos e Aeroportos, Sílvio Costa Filho. Almoçou com o ex-senador Fernando Bezerra Coelho, o prefeito de Petrolina, Simão Durando, o ex-prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, e o secretário de Turismo do Recife, Antônio Coelho, além de Sílvio Filho.

A conversa foi na casa de praia dos Coelho, em Porto de Galinhas. Na pauta, a sucessão no Recife, com desdobramentos para 2026.

Caruaru - Geracao de emprego

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) divulgará na próxima quinta-feira (25) um relatório completo sobre os casos de violência contra jornalistas e de ataques à liberdade de imprensa no Brasil, em 2023.

De acordo com dados preliminares divulgados pela entidade, os registros de violência contra os profissionais de imprensa no ano passado tiveram queda significativa. Em 2023, foram 181 casos, contra 376 registrados em 2022. A diminuição foi de 51,86%.

No entanto, o número registrado no ano passado foi 34,07% maior em relação aos 135 casos contabilizados em 2018, antes do governo do ex-presidente Jair Bolsonaro.

Na avaliação da presidente da Fenaj, Samira de Castro, a queda dos episódios de violência contra os profissionais de imprensa em 2023 tem relação com a diminuição das ações de descredibilização da imprensa pelo ex-presidente.

“Podemos comemorar a queda nos números da violência em 2023. Mas temos de continuar em alerta e mobilizados, porque as cifras continuam muito elevadas”, comentou Samira.

O relatório completo dos casos de violência contra jornalistas conterá dados sobre as categorias profissionais, gênero, estado e tipo de mídia.

Belo Jardim - Patrulha noturna

O governo de Javier Milei anunciou neste sábado (20) que cancelou benefícios sociais de mais de 27 mil pessoas por irregularidades em programas relacionados à empregabilidade. Segundo anunciou o Ministério do Capital Humano, foram detectados 27.208 planos do “Potenciar Trabajo” e 12 planos do “Potenciar Empleo” com “incompatibilidades”.

Houve verificação de todos os titulares dos programas, analisando se cumpriam os requisitos necessários para receberem os benefícios. Ainda de acordo com a pasta, serão economizados mais de 2 bilhões de pesos. As informações são da CNN.

Algumas das incompatibilidades detectadas foram relacionadas a trabalhadores autônomos, residentes no exterior e falecidos.

Mais de 31 mil pessoas perderam benefícios desde o início do novo governo, segundo informou o jornal Lá Nación. Outros 150 mil beneficiários que viajaram ao exterior serão analisados, de acordo com o periódico.

Segundo o governo, o “Potenciar Trabajo” tem como objetivo “contribuir para a melhoria do emprego e a geração de novas propostas produtivas através do desenvolvimento de projetos socioprodutivos, sociocomunitários, sociolaborais e de conclusão educacional”.

Vitória Reconstrução da Praça

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi submetido a uma cirurgia, na manhã deste sábado (20), para corrigir duas hérnias na região do abdômen. O procedimento ocorreu no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo.

Segundo o boletim médico, a cirurgia robótica foi feita para a “correção de uma hérnia inguinal direta, além de hérnia umbilical”. De acordo com a nota, o procedimento foi um “sucesso”. As informações são da CNN.

Ainda não há previsão de alta, segundo a equipe médica. A analista Thais Arbex, da CNN, porém, apurou que o ministro deve deixar o hospital neste domingo (21).

“O Hospital Vila Nova Star informa que o ministro do Supremo Tribunal Federal, José Antonio Dias Toffoli, passou na manhã de hoje por uma cirurgia robótica para correção de uma hérnia inguinal direta, além de hérnia umbilical. O procedimento foi um sucesso. O paciente permanece em observação pós-operatória, ainda sem previsão de alta”, diz o boletim.

Levantamento do Comitê Nacional de Secretários Estaduais da Fazenda (Comsefaz) revela que apenas nove Estados e o Distrito Federal elevaram o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em 2024. Pernambuco foi o campeão. Teve o maior incremento – de 2,5 pontos percentuais –, o que faz da gestão de Raquel Lyra (PSDB) a que mais aumentou a carga tributária na história recente do Estado. 

Além de afetar a competitividade, a medida isolou Pernambuco em relação à falta de justiça fiscal, já que outros 17 estados mantiveram ou diminuíram o ICMS. No mês passado, o Espírito Santo revogou o aumento do tributo que havia conseguido aprovar na Assembleia Legislativa. No Rio Grande do Sul, o projeto foi retirado de pauta depois da sinalização de que os deputados estaduais rejeitariam o texto.

Em São Paulo, também houve desistência do Poder Executivo. Esses movimentos ocorreram porque a Reforma Tributária, aprovada em dezembro pelo Congresso Nacional, deixou de prever a média de arrecadação dos estados nos próximos cinco anos como base para a partilha de receitas até 2077, o que derrubou o principal argumento dos governos estaduais para elevar o ICMS em 2024.

Em Pernambuco, estudo da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio) prevê uma redução de 8,4% nas vendas de hipermercados, supermercados e gêneros alimentícios com a entrada em vigor da nova alíquota do ICMS, de 20,5%, desde o primeiro dia útil do ano, afetando, sobretudo, bens não duráveis (alimentos e bebidas) e semiduráveis (vestuários e calçados). 

A entidade tem feito apelos pela revogação do aumento, juntamente com a Federação das Indústrias de Pernambuco (Fiepe), a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Pernambuco (FCDL), o Grupo Atitude, políticos e outras instituições.

Para o deputado Sileno Guedes (PSB), que, em dezembro, enviou ofício à governadora Raquel Lyra (PSDB) pedindo a revogação do aumento do ICMS, o governo tem que ser mais sensível ao cenário que se apresenta. “O ranking mostra Pernambuco isolado na dianteira, como o Estado que praticou o maior aumento em um imposto universal, que impacta o consumo de todas as pessoas, sobretudo as que têm renda menor. Há estudo estimando queda nas vendas do comércio. Vários estados recuaram nessa medida. Ou seja, quem está governando Pernambuco precisa ter a grandeza de observar esse cenário e tomar uma atitude, que é um pleito das entidades e da sociedade de forma geral”, avalia Sileno.

Estados que aumentaram o ICMS em 2024 (em pontos percentuais)

PE: +2,5 (de 18% para 20,5%) – maior aumento do imposto no Brasil

MA: +2,0 (de 20% para 22%)

CE: +2,0 (de 18% para 20%)

DF: +2,0 (de 18% para 20%)

PB: +2,0 (de 18% para 20%)

RJ: +2,0 (de 18% para 20%)

RO: +2,0 (de 17,5% para 19,5%)

GO: +2,0 (de 17% para 19%)

BA: +1,5 (de 19% para 20,5%)

PR: +0,5 (de 19% para 19,5%)

Fonte: Comsefaz

O procurador-geral da República, Paulo Gonet, afirmou nesta sexta-feira (19) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que a investigação envolvendo o ex-deputado Roberto Jefferson pode ter “elo relevante” com os atos golpistas de 8 de janeiro.

A conclusão está no parecer enviado ao ministro Alexandre de Moraes em que o procurador se manifesta contrariamente ao pedido da defesa de Jefferson para retirar do Supremo o processo a que o ex-parlamentar responde por ataques às instituições. As informações são da Folha de Pernambuco.

Ao defender que o processo continue em tramitação na Corte, Gonet disse que as acusações contra Jefferson estão relacionadas com os crimes cometidos durante o 8 de janeiro, que também estão em andamento na Corte.

Em 2022, Jefferson virou réu no STF sob a acusação de incentivar a invasão do Senado e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

“Os fatos imputados ao réu Roberto Jefferson podem ser vistos como elo relevante nessa engrenagem que resultou nos atos violentos de 8 de janeiro de 2023. Essa perspectiva se fortalece na consideração de que se atribui ao réu, além de haver utilizado parte da estrutura partidária financiada pelo erário para fragilizar as instituições da República, ter formulado publicamente túrpidos ataques verbais contra instituições centrais da República democrática, num esforço que a visão deste momento permite situar como estratégia dirigida a fomentar movimento de rompimento condenável da ordem política”, escreveu o procurador.

No ano passado, às vésperas das eleições, Roberto Jefferson foi preso após publicar um vídeo na internet no qual ofendeu a ministra Cármen Lúcia com palavras de baixo calão.

Durante o cumprimento do mandado de prisão pela Polícia Federal, o ex-deputado deu tiros de fuzil e lançou granadas contra os policiais que foram ao local. Em função do episódio, ele foi indiciado por quatro tentativas de homicídio e virou réu na Justiça Federal.

Em nota enviada ao blog, a assessoria de Sandro Arandas, ex-prefeito de Ibirajuba que teve as contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco, afirmou que o mesmo não está inelegível. 

“Nos processos referentes às contas de 2016 e 2017 do ex-prefeito Arandas, não houve imputação de débito, nem mesmo aplicação de multa. É importante ressaltar que, de acordo com a recente Lei Complementar Nº 184/2021, que inseriu o 4º-A ao artigo 1º da Lei Complementar nº 64/1990, a inelegibilidade prevista na Lei da Ficha Limpa não se aplica quando não há imputação de devolução aos cofres públicos”, informa a assessoria.

“Dessa forma, esclarecemos que, com base na legislação vigente, o ex-prefeito Sandro Arandas não se encontra inelegível em decorrência da rejeição das contas de 2016 e 2017”, complementa.

O partido Novo classificou como “inaceitáveis” as buscas realizadas pela Polícia Federal em endereços ligados ao deputado federal Carlos Jordy (PL-RJ). Em nota divulgada nas redes sociais, a legenda defendeu na sexta-feira (19), a instalação de uma CPI contra o suposto abuso de autoridade do Supremo Tribunal Federal e do Tribunal Superior Eleitoral.

“A decisão de Moraes, recheada de verbetes e frases de efeito, não oferece nenhuma prova ou indícios robustos para essa alegação grave”, diz a nota do Novo. As informações são do O Antagonista.

“É inaceitável que um deputado tenha seu gabinete revirado a mando de um ministro do STF sem que haja um bom fundamento jurídico para isso. As investigações da Polícia Federal devem acontecer, mas não a invasão do Poder Legislativo por outro.”

Líderes de oposição ao governo Lula no Senado criticaram a operação que mirou Carlos Jordy e defenderam a suspeição do ministro Alexandre de Moraes na condução dos casos correlatos aos atos de 8 de janeiro de 2023.

Segundo os parlamentares, a nomeação de Moraes para a relatoria dos processos “desviou-se do procedimento padrão de livre distribuição, denotando um vício de origem em sua designação”.

Para o Novo, a instalação da CPI do Abuso de Autoridade do STF e do TSE “é o primeiro passo para restabelecer o equilíbrio entre os Poderes na democracia brasileira”.

“A sociedade não ficará calada diante da politização e dos excessos do Supremo Tribunal Federal. Resta, agora, que o presidente da Câmara instale a CPI no início dos trabalhos legislativos”, diz a legenda.

Operação Lesa Pátria

O deputado federal Carlos Jordy (PL-RJ) foi um dos alvos da 24ª fase da Operação Lesa Pátria, deflagrada na quinta-feira (18) pela Polícia Federal.

A ação visa identificar pessoas que planejaram, financiaram e incitaram atos ocorridos entre outubro de 2022 e o início de 2023, no interior do estado do Rio de Janeiro.

Jordy está sendo investigado porque manteve contato com algumas pessoas que planejaram os atos de 8 de janeiro de 2023. A PF identificou mensagens escritas pelo parlamentar a algumas das pessoas que já cumprem pena por participar da invasão às sedes dos três Poderes, em Brasília.

O governo Lula avalia a possibilidade de usar um decreto de Jair Bolsonaro que autorizou a renegociação de multas aplicadas pela Controladoria-Geral da União (CGU) em acordos de leniência celebrados entre o poder público e empresas brasileiras. Assinado em junho de 2022, o decreto de Bolsonaro abriu uma brecha para as empreiteiras punidas pela Lava Jato. 

Esse acordo permitiu à BRF, gigante das carnes, aliviar o pagamento de multas relacionadas a esquemas de corrupção investigados em operações da Polícia Federal. As informações são do O Antagonista.

O acordo da BRF foi fechado em dezembro de 2022 e não está relacionado à Operação Lava Jato. Desde então, outras empresas começaram a solicitar a possibilidade de usar um “prejuízo fiscal” para compensar o que devem ao governo federal. Ou seja, querem usar um crédito tributário que possuem para quitar as multas.

Os acordos feitos pela Lava Jato incluem o pagamento parcelado ao longo de anos. Seis empreiteiras envolvidas em esquema de corrupção investigados na Lava Jato ainda estão em processo de pagamento das multas.

Odebrecht – R$ 2,7 bilhões em 22 parcelas; OAS – R$ 1,9 bilhão em 27 parcelas; Andrade Gutierrez – R$ 1,4 bilhão em 16 parcelas; Camargo Corrêa – R$ 1,3 bilhão em 24 parcelas; UTC – R$ 574 milhões em 22 parcelas; Engevix – R$ 516 milhões em 28 parcelas.

A revisão das condições dos acordos de leniência firmados por empreiteiras envolvidas em esquema de corrupção desvendados pela Lava Jato é um tema tratado com prioridade no governo de Lula. 

A possibilidade de renegociar as dívidas com as empreiteiras é apenas mais uma medida em favor do revisionismo da Lava Jato, que tem provocado uma série de anulação de sentenças e invalidação de delações premiadas.

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia será a relatora da ação direta de inconstitucionalidade (ADI), que foi protocolada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), contra a decisão do Ministério da Fazenda de conceder isenção do imposto federal de importação para compras online de até US$ 50 para pessoas físicas, por meio do programa Remessa Conforme. 

Na ação, protocolada na noite de quarta-feira (17), as entidades alegam que a iniciativa do Ministério da Fazenda provoca distorção no mercado e cria uma concorrência desleal, e pedem a declaração de inconstitucionalidade das normas que criaram o programa. As informações são da Itatiaia.

Segundo dados da CNI, no período entre 2013 e 2022, as importações de até US$ 50 saltaram de US$800 milhões para US$13,1 bilhões, o equivalente a R$67,8 bilhões, montante que representou 4,4% do total de bens importados em 2022. “Essa isenção fiscal para bens de até US$ 50, no ambiente comercial e com habitualidade, provoca distorção no mercado e cria uma concorrência desleal. Além disso, desprotege o mercado interno, que tem uma proteção constitucional”, declarou o diretor Jurídico da CNI, Cassio Borges.

A CNI divulgou um levantamento, feito a partir de dados da Receita Federal e do Banco Central, que mostra que a isenção do imposto de importação até US$ 50 provocou, em 2022, a redução do Produto Interno Bruto (PIB) em 0,7%, perda de 466 mil empresas, além da baixa de R$ 6,4 bilhões em arrecadação de tributos.

Na ação, a CNI e a CNC alegam que a medida do governo federal apresenta vício de constitucionalidade, por entender que “a desoneração tributária das importações de bens de pequeno valor em remessas postais internacionais não possui equivalência para as transações inteiramente nacionais”. As entidades afirmam que a medida do governo configura violações aos princípios da isonomia, da livre concorrência, do mercado interno como patrimônio nacional e do desenvolvimento nacional.

Da Agência Brasil

O estado de São Paulo registrou mais três mortes em decorrência das fortes chuvas que atingiram a região nas últimas 24 horas. Segundo a Defesa Civil, o acumulado de chuvas chegou a 150 milímetros em algumas áreas e causou desmoronamentos e alagamentos em ao menos seis municípios.  

Na madrugada deste sábado (20), em Sorocaba (SP), uma chuva de forte intensidade com rajadas de vento causou a morte de uma pessoa. De acordo com a Defesa Civil, um veículo com dois ocupantes foi arrastado pela força das águas e apenas um deles conseguiu sair e permaneceu sobre o carro. O outro ocupante acabou ficando preso no interior do veículo. O Corpo de Bombeiros chegou a resgatar a vítima, mas ela não resistiu.

O Hospital Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil (GPACI), de Sorocaba, teve parte do piso do térreo alagada. Pacientes que estavam ali tiveram que ser remanejados para os andares superiores do hospital. Na cidade, houve ainda registro da queda de um muro do Hospital Evangélico.

Mulheres

Na cidade de Limeira (SP), duas mulheres foram arrastadas pela enxurrada na tarde desta sexta-feira (19). Elas ficaram presas sob um veículo, foram resgatadas, mas não sobreviveram.

Houve, ainda, alagamentos nos municípios de Lins, Getulina, Joanópolis e Votorantim. A Defesa Civil mantém o alerta de fortes chuvas que devem continuar a atingir todo o território paulista até domingo (21), com maior possibilidade de grandes volumes acumulados nas regiões da Baixada Santista, Litoral Norte, Vale do Paraíba e Grande São Paulo.

Na Baixada Santista, a chuva acumulada nos três dias pode chegar a 200 milímetros (mm). No Litoral Norte e Vale do Paraíba, os registros devem ser de até 180 mm. Na Grande São Paulo e na região de Campinas, a previsão é de até 150 mm.

Riscos

A Defesa Civil orienta que, durante tempestades, é importante evitar áreas arborizadas devido ao risco de quedas de árvores. Caso haja queda de raios, devem ser procurados abrigos em edificações. Nas áreas alagadas com enxurradas, uma lâmina de água com 15 centímetros (cm) de profundidade pode arrastar pessoas e, a partir de 30 cm, é capaz de levar um automóvel.

Em locais atingidos por fortes rajadas de vento, as pessoas devem procurar um abrigo seguro, evitando árvores ou coberturas metálicas frágeis; elas devem ficar longe de janelas, vidros e objetos perfurantes, cabos elétricos, torres de transmissão, outdoors, andaimes e outras estruturas frágeis.

Moradores de áreas de encosta precisam observar sinais de movimentação do solo. Antes de grandes deslizamentos, devem ficar atentos a rachaduras nas paredes, portas e janelas emperradas, postes e árvores inclinados e água lamacenta escorrendo pelo morro. Diante de qualquer um desses sinais, o local deve ser abandonado imediatamente.