Sebrae - Estamos ai

Macron aceita renúncia de primeiro-ministro francês, mas diz que ele ficará como interino

O presidente da França, Emmanuel Macron, aceitou nesta terça-feira a renúncia do primeiro-ministro Gabriel Attal, embora tenha afirmado que o Executivo permanecerá à frente do país de maneira interina, segundo comunicado do Palácio do Eliseu. A nota diz que, para que um novo governo seja formado o quanto antes, “é dever das forças republicanas trabalharem juntas para construir uma união em torno de projetos e ações a serviço dos franceses e da França”.

Segundo a agência AFP, durante uma reunião do Conselho de Ministros, Macron deu a entender que o governo interino pode “durar algum tempo”, provavelmente até o final dos Jogos Olímpicos de Paris, que começam em 26 de julho e terminam em 11 de agosto.

Nas eleições legislativas do último dia 7, o bloco de esquerda recebeu o maior número de assentos no Parlamento, mas não obteve maioria para indicar o primeiro-ministro sozinho. O bloco centrista de Macron ficou em segundo lugar, seguido pela extrema direita. Gabriel Attal é aliado do atual presidente, Emmanuel Macron. Na França, presidente e primeiro-ministro governam em conjunto. Com informações do G1.

Pré-candidato a prefeito de Olinda pelo PRTB, o advogado Antônio Campos, irmão do ex-governador Eduardo Campos, teve, há pouco, uma longa conversa com o ex-presidente da Câmara de Olinda, André Avelar, do PMN. Da costura, pode sair a chapa com Antônio na cabeça e Avelar na vice.

Um dia após a reunião em que presidente Jair Bolsonaro (PL) sugeriu uma “conversa” com o chefe da Receita Federal para avaliação do caso envolvendo a possível prática de “rachadinha” no gabinete de Flávio Bolsonaro (PL-RJ), enquanto era deputado estadual no Rio, as advogadas Juliana Bierrenbach e Luciana Pires, defesoras do senador, se encontraram com José Tostes Neto, então secretário especial da Receita.

A reunião com a sugestão de Bolsonaro ocorreu em 25 de agosto de 2020. A transcrição do áudio encontrado pela Polícia Federal (PF) revela que, durante o encontro, o então presidente afirmou que a situação diante do inquérito contra Flávio poderia ser “o caso de conversar com o chefe da Receita”. As advogadas estavam na reunião e, no dia seguinte, participaram de agenda com José Tostes.

A advogada Juliana Bierrenbach, por sua vez, disse que uma reunião do gênero era “necessária” diante da situação do processo envolvendo Flávio, mas que não tinha conhecimento prévio de que o então presidente estaria na audiência.

“Eu não tinha a mais remota ideia, foi um susto para mim quando entrei na sala e encontrei o presidente e o Ramagem. Eu achei que fosse ter uma reunião com o general (Augusto) Heleno e com algum assessor dele, foi o que me foi dito”, disse Juliana em entrevista ao portal Metrópoles nesta terça-feira.

A informação sobre o encontro com o secretário consta em um relatório de agendas emitido pela Receita em junho de 2021, em resposta a um requerimento de informação da deputada federal Natália Bonavides (PT-RN). Segundo o registro enviado à Câmara, Juliana e Luciana estiveram com Tostes das 18h às 19h do dia 26 de agosto de 2020, para uma “visita de cortesia”.

Além disso, horas antes, Luciana esteve no Palácio do Planalto. É o que aponta um registro solicitado ao Gabinete de Segurança Institucional (GSI) via Lei de Acesso à Informação (LAI). De acordo com o documento, que não especifica quem Luciana encontrou no local, a advogada entrou no prédio às 11h05 e permaneceu lá até às 11h26. Apesar dos registros de entrada e de saída, o nome de Luciana não consta em nenhum compromisso da agenda pública da Presidência. Com informações do Estadão.

A atualização mais recente do Painel de Transparência dos Festejos Juninos do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), mostra que o show da dupla sertaneja Henrique e Juliano custou R$ 1,5 milhão, sendo o cachê mais caro da edição 2024 da festa realizada em Caruaru, Agreste do estado, que contou com 778 artistas.

A lista segue com o nome de outros artistas que se apresentaram na Capital do Forró, durante os festejos juninos, que este ano, duraram 72 dias. Entre eles, o DJ Alok, que custou R$ 700 mil e o sertanejo Luan Santana, que também recebeu o mesmo valor.

Os dados que constam nesta matéria foram atualizados com base na divulgação pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE) até a última atualização da reportagem. Vale lembrar, que o MPPE continua recebendo informações referentes aos festejos juninos dos municípios pernambucanos até o próximo dia 31 de julho.

Confira a lista com os cinco artistas mais caros desta edição:

1 – Henrique e Juliano R$ 1,5 milhão
2 – DJ Alok R$ 700.000,00
3 – Luan Santana R$ 700.000,00
4 – Zé Neto e Cristiano R$ 700.000,00
5 – Maiara e Maraisa R$ 600.000,00

Com informações do G1 Pernambuco.

Por Assíria Florêncio
Repórter do Blog

A Secretaria do Patrimônio da União (SPU) encaminhou ofício ao prefeito de Cairu (BA), Hildécio Meireles (DEM), mandando embargar, de imediato, demolir e remover um quiosque erguido na praia do Morro de São Paulo, no litoral baiano, sem autorização dos órgãos públicos. Tudo se deu após denúncia do do Blog no início do mês passado.

Na determinação, obtida com exclusividade pelo Blog, a SPU solicita à Prefeitura de Cairu que tome as “providências cabíveis” para proibir a “ocupação irregular em terreno da União e em área de uso comum do povo”.

O documento foi assinado e encaminhado à Prefeitura na última sexta-feira, 12. De acordo com novas denúncias, nesta terça-feira, a construção segue no mesmo lugar. “Eles estão trabalhando toda noite às escondidas, das 18h até às 2h, pintando, correndo para dar início ao funcionamento”, descreve um morador que não quis se identificar. É relatado, ainda, que a intenção é do espaço comportar, na verdade, um restaurante de alto padrão com pousada.

Para que o imóvel pudesse ser erguido, o Rio do Zimbo, que passava onde hoje é a construção, teve seu curso desviado. Um aterro foi feito, e com a maré cheia, nem moradores nem turistas conseguem se deslocar com facilidade pela região. “Ninguém consegue passar com a maré cheia. Se uma pessoa precisar de atendimento médico, é impossível atravessar por conta do desvio feito no rio”, detalha.

O ofício cita ainda que o “gerenciamento costeiro é de responsabilidade de todos os entes federados”, sendo autorizada a Prefeitura de, assim que constatada irregularidade ambiental e/ou urbanística, intervir nestas construções. Questionada sobre o assunto e sobre o planejamento de remoção do quiosque, a Prefeitura do Cairu não se manifestou.

O apresentador de televisão José Luiz Datena (PSDB) disse nesta terça-feira, que sua intenção é ir “até o final” na sua pré-candidatura a prefeito de São Paulo, mas expressou desconfiança em relação aos políticos brasileiros e não descartou desistir pela quinta vez de disputar uma eleição caso “encham seu saco” e o “sacaneiem”. O apresentador de tv e neótucano participou de sua primeira sabatina neste ciclo eleitoral, promovida pelo jornal Folha de São Paulo e pelo portal UOL.

O jornalista negou que esteja usando a política para renegociar seu contrato com a Band, evitou se classificar dentro de um espectro político, como direita ou esquerda. Em uma tentativa de fugir da polarização, criticou tanto o atual presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), assim como o atual prefeito Ricardo Nunes (MDB), a quem classificou como “pior prefeito da história de São Paulo”, e o deputado federal Guilherme Boulos (PSOL), seus oponentes que lideram as pesquisas eleitorais neste momento.

“A minha desconfiança com político é total. E até que eu faça parte do meio politico e passe a ter confiança nos políticos de forma geral, eu vou continuar na expectativa de ser ou não ser. Eis a questão”, afirmou Datena. “Se alguém me sacanear de hoje até o dia da eleição, vai ficar no meio do caminho também. […] A minha intenção dessa vez é ir até o fim, desde que alguém não me encha o saco”, continuou.

Ainda há incerteza no PSDB se o apresentador estará nas urnas. Marconi Perillo, presidente da sigla, quer antecipar a convenção municipal que confirmaria a candidatura de Datena. A avaliação nos bastidores da sigla é que a data inicial, 3 de agosto, daria pouco tempo para negociar uma aliança com outros pré-candidatos caso o apresentador desista. Com informações do Estadão.

Os servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) anunciaram hoje greve por tempo indeterminado. Entre as reivindicações da categoria estão recomposição de perdas salariais, valorização profissional e melhores condições de trabalho.

A paralisação foi aprovada em plenária nacional realizada no último sábado, convocada pela Federação Nacional de Sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps). A entidade já havia notificado o Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos sobre a possibilidade de paralisação. A pasta agendou uma nova rodada de negociação também nesta terça-feira.

No documento, a Fenasps informa que “após análise das propostas apresentadas pelo governo, entenderam que a negociação teve poucos avanços”. O texto diz ainda que, o governo, “em vez de apresentar proposta nova que fortaleça a carreira do Seguro Social, piora com o alongamento da carreira de 17 para 20 níveis e pela criação de gratificação de atividade”. A proposta, segundo a entidade, está muito aquém das perdas salariais da categoria, que superam os 53% no último período.

A pauta da Fenasps inclui a recomposição das perdas salariais; reestruturação das carreiras; cumprimento do acordo de greve de 2022; reconhecimento da carreira do Seguro Social como típica de Estado; nível superior para ingresso de Técnico do Seguro Social; incorporação de gratificações; jornada de trabalho de 30 horas para todos e cumprimento das jornadas de trabalho previstas em lei; revogação de normas que determinam o fim do teletrabalho e estabelecimento de programa de gestão de desempenho; condições de trabalho e direitos do trabalho para todos, independente da modalidade de trabalho; fim do assédio moral institucional; e reestruturação dos serviços previdenciários.

Serviços
O INSS informou que mais de 100 serviços do órgão podem ser realizados pela plataforma Meu INSS, disponível para download em celulares com conexão com a internet e para acesso via computador. A Central de Atendimento 135 também funciona de segunda-feira a sábado, das 7h às 22h.

Os segurados que necessitarem de algum serviço do INSS, como requerimento, cumprir exigência, solicitar auxílio-doença, por exemplo, podem usar esses meios.

Ainda assim, a paralisação pode afetar os processos de concessão de benefícios como aposentadoria, pensões, Benefício de Prestação Continuada (BPC), atendimento presencial e análise de recursos e revisões. A mobilização não atinge a perícia médica. Com informações da Agência Brasil.

Em reação ao que chamou de golpe, as mudanças nas regras da convenção do PDT, que favorecem o pré-candidato Evilásio Mateus, atual vice-prefeito, com o qual rompeu, o prefeito de Araripina, Raimundo Pimentel, acaba de anunciar que seu grupo não vai mais bater chapa na convenção com Ana Paula Ramos. Sua nova candidata é a vereadora Camila Modesto, filiada ao Podemos.

Confira o comunicado completo no vídeo abaixo:

A hegemonia do Partido dos Trabalhadores (PT) em Águas Belas, que se estende por 16 anos, está sob ameaça. O pré-candidato Dr. Elton Martins (Republicanos/MDB) uniu forças com Eniale de Godinho (Avante), atual vice-prefeita do município, com o objetivo de interromper a longa sequência de gestões petistas.

A administração do PT em Águas Belas teve início com Genivaldo Menezes, que governou por 8 anos. Seu sucessor, Luiz Aroldo, também completou 8 anos no cargo, totalizando 16 anos de domínio petista. Para dar continuidade, o partido apresentou Maurício de José como pré-candidato a prefeito.

No entanto, as pesquisas realizadas no município até o momento revelam a insatisfação da população com as gestões petistas. A falta de infraestrutura adequada, problemas na saúde e na educação, além da necessidade de políticas públicas mais eficazes, são apontadas pela população como áreas onde as administrações do PT teriam falhado.

No último dia 10, Wilian Pereira da Silva, de 35 anos, sofreu um atentado a tiros na BR-110, entre Floresta e Ibimirim, no Sertão do Moxotó. O florestano estava dirigindo seu veículo modelo Virtus quando, próximo ao povoado Campos, um Renault branco começou a segui-lo. Durante uma tentativa de ultrapassagem, um homem no banco traseiro do Renault efetuou vários disparos de espingarda calibre 12 contra a vítima.

A reportagem do Farol de Notícias apurou que Wilian foi atingido de raspão na perna e no braço esquerdo. Ele registrou o ocorrido na Delegacia de Polícia de Ibimirim, onde também identificou o possível mandante e o autor dos disparos.

“Quando foram dados os primeiros disparos, puxei meu carro para o acostamento e, de imediato, acelerei em direção a Ibimirim. Pelo fato de meu veículo ser mais potente, acredito que desistiram da perseguição”, disse Willian Pereira, pedindo providências contra os suspeitos.

Do Blog do Nill Júnior.

Reviravolta no cenário da sucessão municipal em Araripina: a direção nacional do PDT, partido para o qual o prefeito Raimundo Pimentel se transferiu de mala e cuia, abandonando o União e filiando sua pré-candidata Ana Paula Ramos, mudou as regras da convenção e ampliou o número de delegados com direito a voto.

Com isso, o vice-prefeito Evilásio Mateus, que Pimentel também filiou ao PDT, mas, em seguida, não o escolheu como candidato do seu grupo, passou a ter uma folgada maioria para vencer a convenção no bate-chapa com a candidata escolhida pelo prefeito.

Irado com a decisão da executiva nacional do PDT, o prefeito usou as redes sociais, há pouco, e acusou o golpe.

“O golpe que foi ardilosamente e covardemente tramado foi consumado, mas a história e a vida não perdoam os traidores e os canalhas. O povo de Araripina jamais permitirá que nossa cidade caia de novo nas mãos sujas dos corruptos e vendilhões!

A resposta virá nas urnas e, com certeza, os nossos oito anos de trabalho digno em benefício do nosso povo serão honrados. Nas próximas horas, me pronunciarei”, disse Pimentel.

Nos dias 5 e 6 de agosto, Caruaru sediará o “II Congresso Integrado de Direito Eleitoral: Os Desafios das Campanhas Municipais”. Promovido pelo Instituto de Direito Eleitoral e Público de Pernambuco (IDEPPE), o evento será realizado no Centro de Convenções SENAC e reunirá especialistas da área. Esta é a segunda edição do simpósio em Caruaru. A primeira aconteceu durante a campanha municipal de 2016, e teve um público de mais de 700 pessoas. Os interessados podem se inscrever no site www.ideppe.com.br.

O congresso abordará o impacto da tecnologia nas eleições e na cassação de mandatos, incluindo o uso de redes sociais e aplicativos de mensagens para disseminar notícias falsas e manipular o eleitorado com inteligência artificial. O objetivo é capacitar os envolvidos nas eleições municipais, como juízes eleitorais, promotores, advogados, assessores de partidos políticos e candidatos, fomentando o debate sobre práticas que afetam a integridade das eleições, a autonomia do eleitorado e a democracia.

“Teremos uma vasta programação, dinâmica e interativa, com palestra magna, debates, master classes, Teds-Alike e lançamentos de livros com a presença dos autores. Outro diferencial é a participação de Guilherme Gonçalves, que já tem uma grande bagagem na organização do Congresso Brasileiro de Direito Eleitoral, que é o maior do Brasil”, destacou Breno Carrilho, presidente do IDEPPE.

A coordenação acadêmica será conduzida pelo desembargador do Tribunal de Justiça de Pernambuco, Alexandre Pimentel, pelo desembargador do TRE-SP, Diogo Rais, e pela advogada eleitoralista Diana Câmara. O evento conta com a parceria da Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político (Abradep), da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) e da Prefeitura de Caruaru.

Por Maurilio Rodrigues*

Estive, anonimamente, em Limoeiro, no sábado, há 10 dias atrás. Visitei um parente, no Alto de São Sebastião. Estava chovendo. Parei em frente à Matriz de São Sebastião e fiquei encantado com a obra do Padre Luís.

Homem fantástico! Desci pela Rua da Alegria e cheguei na Praça da Bandeira. Fiquei chocado com a ausência do Cinema São Luiz. A sensação foi como se o palco da nossas melhores recordações tivesse desmontado para sempre.

Mas lembranças são eternas. A praça está bonita, bem conservada. Destoando do saudoso Cine São Luiz, a sede do Colombo está uma beleza. Como colombiano de sete costados, fiquei orgulhoso. Ali, comemoramos muitas vitórias futebolísticas e amorosas.

Vi, na minha imaginação, muitos amigos, alguns, inclusive, que, infelizmente, já não estão mais entre nós. Na minha viagem ao tempo, vi todos sentados nos seus bancos, contando proezas, nos fazendo rir, o melhor da vida.

Depois, outro choque profundo, que também doeu no fundo da alma: a sede do Centro Limoeirense em estado de quase abandono. Triste, para não dizer um golpe na alma.

Finalmente, cheguei bem em frente da Matriz, linda como sempre. Majestosa, imponente, soberana, foi assim que senti na alma e no coração a Padroeira Nossa Senhora da Apresentação. Rezei aos seus pés, e, prostrado à imagem do Senhor Morto, relembrei os velhos tempos em que acompanhava a procissão da Sexta-Feira Santa.

Ao final, olhei a Imagem do Cristo Redentor, bem ali no alto da minha Matriz que tanto frequentei menino e adolescente em meus anos dourados. Pedi a sua benção, e dexei minha cidade mais viva e impregnada dentro de mim.

O correr da vida embrulha tudo, já disse Guimarães Rosa. Segundo ele, a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem. O que Deus quer é ver a gente aprendendo a ser capaz de ficar alegre a mais, no meio da alegria, e ainda mais alegre ainda no meio da tristeza!

*Médico

Por Fábio Victor para a Folha de São Paulo*

Numa passagem no final de “Diários da Caserna: Dossiê Smart: A História que o Exército Quer Riscar”, o personagem Battaglia, alter ego do autor –o coronel da reserva Rubens Pierrotti Jr.– relata qual foi sua inspiração para o livro, recém-lançado pela editora Labrador.

“Vou fazer o que o [ex-PM] Rodrigo Pimentel fez no livro ‘Elite da Tropa’. Ele contou exatamente o que se passou, mas escreveu como ficção, não como memória ou biografia.”

Trata-se de um “roman à clef” (“romance com chave”, na tradução literal do francês), uma obra aparentemente ficcional que narra histórias reais trocando apenas os nomes dos personagens.

Pierrotti valeu-se do recurso para, em mais de 500 páginas, detalhar denúncias de corrupção contra o Exército e alguns oficiais, especialmente Hamilton Mourão, ex-vice-presidente e hoje senador (Republicanos-RS).

O autor, que hoje atua como advogado, acusa ex-colegas de farda de compactuarem com irregularidades na compra de um simulador de apoio de fogo da empresa espanhola Tecnobit, que custou € 13,98 milhões aos cofres públicos (cerca de R$ 32 milhões quando o contrato foi assinado, em 2010, quase R$ 83 milhões pelo câmbio atual).

O Exército e Mourão defendem o negócio e argumentam que ele trouxe economia para a corporação. O Ministério Público Militar arquivou as denúncias. Apesar de a área técnica do TCU (Tribunal de Contas da União), numa investigação de mais de três anos, ter apontado diversas irregularidades no processo, o plenário da corte arquivou o caso em 2021.

O equipamento em questão é uma espécie de videogame gigante que simula, em realidade virtual, combates com emprego de artilharia e tem por objetivo economizar munição real. O processo iniciado em 2010 foi concluído em 2016, com a inauguração dos dois simuladores da Tecnobit adquiridos pelo Exército.

Pierrotti foi por três anos supervisor operacional do projeto, do qual se desligou em 2014 apontando direcionamento para favorecer a empresa espanhola e várias irregularidades, como pagamentos antecipados antes de execuções previstas em contrato, tráfico de influência, entrega de um produto inadequado e desperdício de dinheiro público.

O equipamento foi reprovado oito vezes pelo corpo técnico do Exército. Mourão entrou com o processo já em curso e, pela versão de Pierrotti, foi o responsável por destravá-lo, ou seja, por concretizar a compra a despeito das reprovações da equipe técnica.

Em “Diários da Caserna”, na verdade quem o faz é Simão, o personagem que incorpora o general ex-vice presidente e atual senador. Pierroti não está preocupado em disfarçar que são a mesma pessoa —muito pelo contrário.

As denúncias sobre a compra do simulador vieram à tona em 2018, numa reportagem do jornal El País, que teve acesso a documentos do caso por meio de um dossiê apócrifo de 1.300 páginas enviado à plataforma BrasilLeaks. Na ocasião, Pierrotti foi entrevistado e corroborou as acusações do dossiê.

No livro, ao narrar o episódio, o protagonista de “Diários da Caserna” usa exatamente o mesmo título publicado pelo El País, mudando só o nome do acusado, resultando numa manchete algo cômica: “Coronel da reserva acusa general Simão de favorecer empresa em contrato do Exército”.

Noutra passagem, diz que Simão “havia sido escolhido como vice na chapa de um deputado federal, um ex-capitão do Exército, que disputaria a Presidência da República nas eleições” e, mais adiante, que ele “foi eleito na chapa do ex-capitão”.

Além de acrescentar muitos detalhes ao que já havia relatado —relações nada republicanas entre generais, a empresa contratada e o lobista que intermediou o negócio, incluindo histórias de alcova e camaradagem da maçonaria, mordomias a militares brasileiros bancados pelos espanhóis e vice-versa etc—, “Diários da Caserna” traz novas acusações.

Conta, por exemplo, que, durante um encontro com Simão/Mourão na Base Aérea de Santa Maria (RS), o general justificou ao coronel Pierrotti/Battaglia ter destravado a compra do simulador num acordo informal com os espanhóis para evitar um processo por espionagem, pois um oficial do Exército brasileiro havia espionado a empresa espanhola.

Questionado especificamente sobre isso, o Exército não respondeu. Mourão disse que é “fake”. Foi a única resposta assertiva do general, que não quis comentar sobre o livro. Em 2018, então candidato a vice, afirmou que Pierrotti era “ressentido”, “descompensado com mania de perseguição” e que iria processá-lo. Não o processou.

Os ex-ministros Gilson Machado (Turismo) e Osmar Terra (Cidadania), além do ex-presidente da Apex-Brasil, o contra-almirante Sergio Segovia, ainda não devolveram os relógios de luxo que ganharam de presente durante uma comitiva oficial ao Catar realizada em outubro de 2019.

Em março de 2023 o Tribunal de Contas da União (TCU) entendeu que o recebimento dos bens por sete autoridades do governo Bolsonaro “extrapolou os limites da razoabilidade”. Em seguida, a Comissão de Ética Pública (CEP) e a Casa Civil da Presidência da República enviaram ofícios determinando a devolução dos relógios. No entanto, somente quatro dos sete notificados devolveram os itens de luxo.

Gilson Machado, que, na época da viagem oficial, era presidente da Embratur, informou ter contestado o pedido da CEP para devolver o relógio, alegando que houve cerceamento do direito de defesa e um ataque à ampla defesa e ao contraditório. Ele também solicitou uma perícia técnica sobre o bem. Sergio Segovia explicou que está disposto a devolver o relógio, mas acrescentou que nunca soube como proceder. Osmar Terra não respondeu.

“Em suma, com base nos argumentos aqui esposados, o recebimento de presentes de uso pessoal com elevado valor comercial extrapola os limites de razoabilidade aplicáveis à hipótese de exceção prevista no art. 9º do Código de Conduta da Alta Administração Federal e no art. 2º, II, da Resolução CEP 3/2000 (troca protocolar e simbólica de presentes entre membros de missões diplomáticas), em desacordo com o princípio da moralidade pública, previsto no art. 37, caput, da Constituição Federal”, assinalou.

Contrariando a área técnica do TCU, Anastasia, contudo, não determinou a devolução dos bens. O ministro achou “mais adequado” informar seu entendimento à Comissão de Ética, “em reforço ao caráter pedagógico da presente ação de controle”, o que não impediu a adoção das providências administrativas cabíveis para a entrega dos bens à União.

Assim, a partir da decisão do Tribunal de Contas, a Casa Civil e a CEP notificaram as autoridades sobre o acórdão e solicitaram que os relógios fossem devolvidos. Com informações do Estadão.

Por Assíria Florêncio
Repórter do Blog

Em entrevista ontem ao Frente a Frente, programa pela Rede Nordeste de Rádio ancorado pelo titular deste blog, o prefeito de Garanhuns, Sivaldo Albino (PSB), afirmou que o Festival de Inverno de Garanhuns (FIG) do ano passado, no qual o Governo tentou tomar o controle e alijou o município, foi o pior da história, enquanto o deste ano, sem interferência do Estado, se revela o maior e melhor de todas as edições.

Com um custo de R$ 18 milhões, o Governo Raquel, segundo ele, deu uma ínfima contribuição, de apenas R$ 3 milhões. O tradicional FIG teve início na última quinta-feira. Em sua 32ª edição, encontrou um impasse para seu maior êxito: além do Governo de Pernambuco ter reduzido o patrocínio, criou seu próprio festival, com o início na mesma data, a última sexta-feira, em Taquaritinga do Norte.

Apesar disso, a presença de turistas ao FIG não foi foi reduzida. “A gente se surpreendeu com o grande público que esteve no
primeiro final de semana. Por ser período eleitoral, não podemos fazer uma grande campanha de divulgação, que tem sido, somente, através de redes sociais e das próprias pessoas”, disse o gestor.

Em 2024, o tamanho do festival aumentou de 10 para 18 dias. Realizado de 11 a 28 de julho, o prefeito acredita que esta será a “maior e melhor” edição do FIG — isto apesar do maior evento multicultural da América Latina ter recebido um investimento mais baixo do Governo de Pernambuco – no ano passado, o aporte foi de R$ 16 milhões. O próprio município, segundo Sivaldo, precisou completar o custeio do evento. “Desde que o FIG se tornou grandioso, o do ano passado foi o pior da história. Diante disso, tivemos que assumir tudo, para não repetir o fiasco anterior”, desabafou Sivaldo.

Nem a governadora Raquel Lyra nem sua vice Priscila Krause (Cidadania) estiveram presentes na abertura do 32º FIG. O convite, de acordo com Sivaldo, foi feito por ele e sua equipe, mas elas “não puderam ir”. Apenas presente, a secretária de Turismo, Cacau de Paula (PSD), que prestigiou o evento junto a outros membros do governo. Sivaldo, no entanto, diz que o convite continua reiterado para a governadora.

A advogada Hérica Nunes Brito, especialista em Direito Eleitoral, assumiu a coordenação jurídica da Oposição em Santa Terezinha e, consequentemente, da pré-campanha e futura campanha do grupo político.

Respaldada pelos presidentes locais dos partidos União Brasil e Avante, respectivamente José Martins Neto (Neguinho de Danda) e Adalberto Gonçalves de Brito Júnior (Dr. Júnior), a advogada irá liderar a equipe jurídica durante todo o pleito eleitoral.

Hérica ressaltou que “o convite foi prontamente aceito, pois seria uma forma de acompanhar de perto uma campanha onde um irmão – Dr. Júnior – deve fazer parte da chapa majoritária”.