FMO - Processo Seletivo 2024

Todos os caminhos são descontrolados

Por Márcio Accioly

Um escândalo de graves proporções está se desenrolando nos EUA, com a gravação de conversa entre o presidente do Partido Republicano no Arizona, Jeff Dewitt, e a candidata ao Senado por aquele estado, Kari Lake. Dewitt perguntou a Lake quanto ela desejaria ter em dinheiro para desistir de sua popularíssima candidatura. Foi Kari Lake quem gravou e divulgou a conversa. Jeff Dewitt já renunciou. Kari Lake é firme apoiadora de Donald Trump e atuou como jornalista por vários anos no estado do Arizona.

A candidata é pessoa preparadíssima, respeitada e íntegra. Está sendo cotada, inclusive, como candidata a vice-presidente de Donald Trump, mas resiste à ideia. O fato é que não há melhor nome, pois Kari Lake, ao longo de curtíssima carreira política, tem demonstrado ser correta e leal, coerente com o que prega. No último pleito, foi candidata a governadora do Arizona e teve a eleição roubada. É pessoa valorosa de excelente caráter, coisa rara entre os humanos.

Tudo isso nos leva a refletir acerca do pesado momento de crise que o mundo atravessa. Os EUA transmitem a impressão de margear possível guerra civil. A (des) administração Joe Biden abriu a fronteira sul do país e milhões de migrantes já ingressaram no território norte-americano, disparando índices de criminalidade. A esquerda, no comando administrativo, está disposta a tudo para permanecer. Os opositores correm sério risco.

Se Donald Trump assumir a Presidência dos Estados Unidos, no próximo ano, o sistema político mundial será submetido a transformação impensável. A esquerda sabe disso e luta ferozmente para a manutenção de cenário que solapa as bases da civilização ocidental. Estamos num impasse. A chamada elite mundial (Bill Gates, Jeff Bezos, Klaus Schwab, George Soros, Mark Zuckerberg e outros), pretende comandar a população mundial com vacinas, chips, imposições e manipulação pela mídia. A imprensa mente.

Quando a tentativa de aterrorizar e impor medo crescente não conseguir funcionar, eliminar-se-ão milhões de pessoas (como está sendo feito, agora, com a “vacina”), para que tudo seja encaminhado de volta à “normalidade”. É ciclo do qual só será possível escapar pela conscientização e mobilização de todos, em violenta reação. Não existe meio termo: é questão de vida ou morte. Os que se submeterem, aceitando as imposições, serão escravizados e eliminados na primeira falha. Simples assim. O mundo sempre foi louco.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), afirmou, hoje, que Valdemar Costa Neto, presidente do PL, utiliza-se da política com foco exclusivo para “ampliar e obter ganhos com o fundo eleitoral” e ainda “iludir” seus seguidores por defender publicamente impeachment de ministro do Supremo, mas, no privado, não assumir seu posicionamento quando é instado a tratar do tema.

O senador respondeu a ataques desferidos por Costa Neto em relação à operação da Polícia Federal que envolve o deputado federal Alexandre Ramagem, deflagrada nesta quinta-feira. Pacheco ainda afirmou que Costa Neto é incapaz de organizar “minimamente” a oposição para aprovar, por exemplo, a limitação de decisões democráticas do STF.

“Difícil manter algum tipo de diálogo com quem faz da política um exercício único para ampliar e obter ganhos com o fundo eleitoral e não é capaz de organizar minimamente a oposição para aprovar sequer a limitação de decisões monocráticas do STF. E ainda defende publicamente impeachment de ministro do Supremo para iludir seus adeptos, mas, nos bastidores, passa pano quando trata do tema”, afirmou, em nota, Rodrigo Pacheco.

O senador afirmou ainda que entre as suas prerrogativas, como presidente do Congresso Nacional, sempre figurou a de defender a atuação parlamentar de todos os congressistas, desde que esteja em consonância com a Constituição Federal e com o regramento do Congresso.

Jaboatão dos Guararapes - Dengue 2024

Por Cláudio Soares*

É lamentável que os pacientes em Tratamento Fora de Domicílio(TFD) estejam sendo transportados em ônibus escolares e desconfortáveis pela Prefeitura de São José Do Egito. Isso pode impactar negativamente o bem-estar dos pacientes, que são pessoas vulneráveis. Seria importante que a comunidade e o Ministério Público busquem melhorias nesse serviço e combatam esse transtorno. A denúncia foi elaborada pelo vereador Vicente de Vevéi

O TFD foi instituído pela Portaria SAS Nº 55/1999 e consiste em assegurar o encaminhamento do paciente atendido na rede pública, conveniada ou contratada do SUS para tratamento médico a ser prestado em outra localidade, quando esgotados todos os meios de atendimento no local.

A qualidade e o conforto dos ônibus utilizados para transportar pacientes pelo Tratamento Fora de Domicílio (TFD) são essenciais para garantir o bem-estar durante o trajeto. Isso contribui para uma experiência mais adequada, especialmente considerando as condições de saúde dos pacientes.

É preocupante que a Prefeitura utilize ônibus desconfortáveis, duros e sem ar-condicionado para transportar esses pacientes. Essas condições desumanas impactam negativamente o bem-estar dos pacientes, especialmente aqueles com necessidades de saúde especiais. É relevante buscar formas de sensibilizar as autoridades sobre a importância de oferecer condições mais adequadas e humanizadas para o transporte dessas pessoas.

*Advogado e jornalista

Petrolina - Bora cuidar mais

A partir da próxima segunda-feira, o Frente a Frente, programa político que ancoro pela Rede Nordeste de Rádio, das 18 às 19 horas, de segunda à sexta-feira, volta a ter a Rádio Folha 96,7 FM, no Recife, como cabeça de rede no lugar da 102,1 FM, que ainda retransmite hoje e amanhã.

A Rádio Folha integra o sistema de comunicação do Grupo EQM, do meu amigo, o empresário Eduardo Monteiro, diretor-presidente da Folha de Pernambuco, jornal que voltei a atuar, há mais de um ano, diretamente de Brasília, com matérias e entrevistas exclusivas no plano nacional.

A Eduardo, o meu abraço fraterno e agradecimento por mais essa parceria de sucesso, não tenho a menor dúvida!

Ipojuca - App 153

Na última terça-feira, a Prefeitura de Brejo da Madre de Deus deu um passo significativo na área da saúde, com o início das cirurgias faciais no novo Bloco Cirúrgico do Hospital José Carlos de Santana. Com esta nova conquista, agora existe a possibilidade de realizar cirurgias faciais que abrangem uma variedade de procedimentos, desde a retirada de sinais, tumores até intervenções em lesões de pele. O foco inicial está em pequenas cirurgias e, em particular, nas que envolvem a cirurgia buco maxilo.

Profissionais capacitados e dedicados estão à frente dessas intervenções, assegurando que os pacientes recebam cuidados com qualidade e segurança. O prefeito do município, Roberto Asfora, expressou sua satisfação ao falar sobre o bloco cirúrgico, destacando a importância e a alegria em iniciar cirurgias tão necessárias no município. “Esse avanço representa um compromisso firme com a saúde do nosso Brejo da Madre de Deus, proporcionando acesso a procedimentos essenciais em nossa cidade. Esta conquista é resultado de um trabalho conjunto e dedicado, visando o bem-estar e a qualidade de vida dos nossos munícipes”, destacou o prefeito.

Citi Hoteis

Em entrevista gravada para o Frente a Frente, há pouco, o presidente da Compesa, Alex Campos, negou que a estatal venha a ser leiloada e, consequentemente, privatizada, conforme o Jornal do Commercio trouxe em manchete na sua edição desta quinta-feira.

“Reafirmo que não há intenção nem projeto do Estado de privatizar a Compesa. Tomei um susto com a manchete do JC. A Compesa não irá à leilão. O que existe, na verdade, é um estudo de concessão dos serviços de distribuição e de saneamento”, afirmou.

A entrevista vai ao ar às 18 horas pela Rede Nordeste de Rádio, que retransmite o Frente para 48 emissoras em Pernambuco, Paraíba, Alagoas e Bahia. Se você quer ouvir pela internet, clique no link acima do Frente a Frente ou baixe o aplicativo da Rede Nordeste de Rádio na play store.

Cabo de Santo Agostinho - Refis 2023

A Prefeitura de Araripina inicia o ano reforçando o seu compromisso em desenvolver a economia local através do apoio à participação de microempresas, empresas de pequeno porte, agricultores familiares, produtores rurais pessoa física, microempreendedores individuais e sociedades cooperativas de consumo nas contratações públicas de bens, serviços e obras do município.

Para promover o desenvolvimento da economia da cidade, o prefeito Raimundo Pimentel sancionou, há dois anos, o Decreto nº 008 de 09/02/2022 que tem transformado positivamente a relação comercial entre as empresas locais e as mais diversas secretarias e órgãos vinculados à administração municipal. O objetivo principal deste Decreto Lei é fomentar as microempresas e empresas de pequeno porte ao facilitar o acesso aos mercados e promover uma maior competitividade frente às empresas de grande porte.

Na prática, isto significa que, nos processos licitatórios para aquisição de bens, serviços e obras, deve ser concedido tratamento favorecido, diferenciado e simplificado para as microempresas e empresas de pequeno porte, agricultor familiar, produtor rural pessoa física, microempreendedor individual – MEI e sociedades cooperativas de consumo sediadas na cidade.

No ano passado, por exemplo, dos 190 contratos assinados pela sede da Prefeitura de Araripina, 50 deles foram formalizados com empresas locais dos mais diversos segmentos como prestação de serviços de abastecimento de caminhão pipa, serviços de saúde como exames, fisioterapia, aquisição de gêneros alimentícios, material de construção, material gráfico, material de expediente entre outros. Outras secretarias como Saúde, Educação e Desenvolvimento Social e Habitação, também priorizaram a contração de empresas locais.

De acordo com o prefeito Raimundo Pimentel, além do pagamento rigorosamente em dia dos salários de todos os servidores públicos desde o início da sua gestão que favorece diretamente o setor de comércio e serviços, a contratação de empresas locais também causa um efeito positivo na economia local.

São grandes exemplos desta política pública, a formalização dos motoristas do transporte escolar em Micro Empreendedores Individuais (MEIs), a compra dos produtos oriundos da agricultura familiar para inserção na alimentação escolar da rede municipal e, mais recentemente, o apoio a um grupo de 50 costureiras que estão confeccionando o fardamento dos mais de 13 mil alunos das escolas municipais.

“Por conta dos calotes da péssima gestão que nos antecedeu, os empresários da cidade não acreditavam mais que era um bom negócio fornecer produtos e serviços para a prefeitura. Aos poucos fomos imprimindo nossa marca de honestidade, pagando rigorosamente em dia, e dando apoio às micro e pequenas empresas, aos agricultores e agricultoras e associações e aos profissionais liberais. Passados sete anos, podemos comemorar estes resultados como uma resposta dos empreendedores de Araripina que encontram na prefeitura um grande parceiro para desenvolver seus negócios”, afirmou Pimentel.

Caruaru - Geracao de emprego

Por Ângelo Castelo Branco*

O advento do mundo digital, e também das tecnologias de informação instantânea disponibilizadas pelas redes sociais, afetaram drasticamente o modelo secular do jornalismo.

A fuga da propaganda para o mundo digital causou danos econômicos irreparáveis nas empresas jornalísticas e no segmento das agências de publicidade. A tecnologia digital substituiu o papel e mudou o conceito no processo de oferta da informação.

A adaptação à nova realidade global de produção e entrega de notícias tornou-se um enorme desafio para a maioria dos jornais impressos. Sobretudo para os periódicos de regiões economicamente vulneráveis onde sumiram as verbas de propaganda que mantinham o equilíbrio da despesa operacional.

Parte do dinheiro de propaganda migrou para a mídia digital e essa fuga empobreceu e quebrou a grande maioria dos jornais regionais. Isso explica porque muitas empresas foram obrigadas a dispensar profissionais de peso. As adaptações ao novo ciclo das tecnologias da informação estão em curso.

Os grandes jornais investiram em assinaturas de versões digitais e muitos cancelaram suas edições impressas eliminando assim os gastos com o processo industrial mecânico. O sumiço dos jornais impressos traz vantagens ambientais na medida em que dispensa o papel fabricado a partir do sacrifício de árvores (as grandes empresas fabricantes de papel mantêm áreas de replantio).

O jornal digital elimina também os custos de logística na distribuição aos pontos de venda e na entrega de assinaturas. A edição digital flexibiliza o número de páginas que pode ser alterado a cada dia sem problemas técnicos de encadernação.

Esse cenário, que há poucos anos mais se ajustaria a uma ficção científica, causou alguns desconfortos a leitores. Muitos reagem à leitura de jornais em telinhas de celulares ou notebooks. Não se adaptam. Preferem o velho e bom jornal no papel que depois de lido pode ser usado para embrulhar peixes e sapatos velhos como dizia um pensador espanhol. 

Em maior ou menor escala a mídia eletrônica igualmente se depara com novos desafios. A TV viu escoar pelo ralo o seu poderoso trunfo de ofertar imagens em edições eletivas de telejornalismo ou em inserções extraordinárias. Atualmente qualquer imagem de fato relevante de qualquer parte do mundo chega na palma da mão das pessoas em menos de 45 segundos após a primeira postagem. Sem repórter e sem diretor de edição.

Essa Instantaneidade ao alcance de todos subtraiu as chances do “furo”, antigo sonho de consumo de jornais e repórteres que vendiam milhares de exemplares a mais nas bancas quando estampavam uma informação com exclusividade na frente dos concorrentes. Hoje em dia, salvo as colunas e artigos de opinião, cem por cento das notícias veiculadas em jornais já são consumidas muito antes pelas telinhas de celulares.

De mais a mais resta-nos avaliar, em pesquisa acadêmica, qual o real tamanho atual do universo de leitores de jornais e de telespectadores de telejornais, sua faixa etária e sua posição socioeconômica. As observações informais parecem dizer que a população abaixo dos 50 anos raramente leu um jornal nos últimos anos.

O mundo mudou. De novo. Felizmente a minha geração convive com impactos e inaugura caminhos desde que nasceu.

*Advogado e jornalista

Belo Jardim - Patrulha noturna

O parlamentar Charles Lustosa, após a posse de Couro de Zuca Preto como presidente interino da Câmara de Vereadores de Santa Terezinha, ontem, a seu contragosto, pediu afastamento temporário da casa legislativa e se esquivou de ter trocado as fechaduras da sede daquele poder, terceirizando a culpa para o vereador Carlos Policial.

Há dias – após o afastamento judicial de vereadores integrantes da mesa diretora – a Câmara Municipal de Santa Terezinha vivia um impasse acerca da presidência interina. Diante da situação, a assessoria jurídica do Legislativo formalizou parecer tratando sobre como se dariam os próximos passos, indicando que, conforme o Regimento Interno, o presidente interino seria Couro de Zuca Preto, por ser o parlamentar mais velho em exercício.

Como tornou-se público, o vereador Charles Lustosa não se conformou com o posicionamento da assessoria jurídica e, à revelia dos demais legisladores, trocou as fechaduras da Câmara Municipal, ficando somente ele com acesso, impedindo a entrada de funcionários, da população e dos demais vereadores. Lustosa, ao invés de ter buscado os meios legais para requerer o direito alegado, tentou usurpar o poder.

Diante da situação, uma funcionária da Câmara registrou boletim de ocorrência, onde afirma que, em conversa com o chaveiro, este indicou que o vereador Charles Lustosa foi quem solicitou o serviço. Fato corroborado por áudio vazado, onde demonstrou uma conversa entre o Charles e um advogado integrante do escritório que assessora a Câmara. Na conversa, Charles admite que as chaves estariam com ele.

Várias atitudes foram tomadas diante deste fato inédito e que mostra um claro destempero do parlamentar. O caso causou revolta na cidade, pois contribuiu para prejudicar os trabalhos da Câmara – até mesmo para velar o corpo de um ex-vereador no plenário da casa, na última segunda (22), foi preciso solicitar ao vereador o acesso à casa do povo.

Na sucessão dos fatos, ontem, o vereador Couro de Zuca Preto assumiu a presidência, conforme indicação da assessoria jurídica. 

Diante da grande repercussão negativa, inclusive noticiada por vários blogs, da atitude tomada pelo vereador Charles Lustosa, para além das medidas judiciais tomadas, o parlamentar pediu afastamento de 30 dias da Câmara alegando problemas de saúde.

Em sua nota explicando o afastamento, no sentido de se esquivar de complicações jurídicas e políticas da atitude tomada, por fechar o parlamento municipal, passou a dizer que quem trocou as fechaduras da Câmara Municipal de Santa Terezinha foi o vereador Carlos Policial, e não ele. Charles Lustosa, conforme veiculado pelo Blog do Pereira, disse que “com relação as trocas das chaves, não foi a minha pessoa que realizou a troca, foi o colega vereador Carlinhos Policial”.

Essas atitudes acabam por macular a figura de Charles como testemunha no processo em desfavor dos vereadores afastados, uma vez que se mostrou cada vez mais como pessoa diretamente interessada no afastamento de parlamentares da Câmara de Santa Terezinha. Talvez por isso ele tenha terceirizado a culpa para o vereador Carlinhos Policial.

Será que Carlinhos assume esse B.O. para responder judicialmente?

Toda essa celeuma causada nos últimos dias pelo vereador Charles Lustosa teve ainda outro episódio desconhecido pela população e imprensa. Dessa vez o parlamentar tentou tumultuar até mesmo determinação do judiciário que envolve os vereadores afastados pelas operações Conluio 1 e 2.

Charles Lustosa, mesmo sabendo da medida cautelar em que Neguinho de Danda e os demais vereadores afastados devem guardar distância de 200 metros dos parlamentares em exercício no mandato, foi até a porta da residência dos Martins em atitude provocativa na tentativa de desestabilizar familiares e o vereador presidente afastado. Um claro desprezo e afronta às determinações judiciais.

Imediatamente após tal investida, o vereador afastado Neguinho de Danda compareceu à delegacia e registrou boletim de ocorrência em desfavor de Lustosa.

Este é mais um capítulo que vem atestando a saga nada democrática da tentativa de escalada ao poder que tanto obceca o parlamentar terezinhense Charles Lustosa.

Vitória Reconstrução da Praça

Jornal do Commercio

O governo de Pernambuco vai realizar, no mês de abril, uma consulta pública para discutir a concessão da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) à iniciativa privada. A consulta é um instrumento que incentiva a população a participar da discussão sobre os rumos da Compesa. Após a consulta, a expectativa é que o leilão de concessão aconteça em dezembro deste ano, reunindo empresas privadas interessadas em operar parte dos serviços da Compesa. 

A governadora Raquel Lyra e o presidente da Compesa Alex Campos têm reforçado que a Compesa não será privatizada. A companhia continua sendo pública e apenas uma parte dos serviços será concedida à iniciativa privada: a distribuição de água e a coleta e tratamento de esgoto. 

Com a aprovação do Novo Marco do Saneamento Básico, em 2020, as companhias de água e saneamento vão precisar fazer pesados investimentos em infraestrutura para garantir a universalização do acesso até 2033.

No caso da Compesa, a estimativa é de que os recursos necessários cheguem a R$ 20 bilhões. Atualmente, a companhia mantém uma PPP em andamento junto com a BRK, mas a área atendida é a Região Metropolitana do Recife, além do município de Goiana. O Estado conta com 184 municípios para serem atendidos com infraestrutura de água e esgoto.   

INTERESSE DA INICIATIVA PRIVADA 

Em entrevista recente à RádioJornal, o presidente da Compesa comentou que a hipótese de privatização está descartada, porque a própria iniciativa privada não teria interesse no pacote completo de serviços realizados pela Compesa. 

A companhia é responsável pela produção, pelo tratamento e pela distribuição da água em Pernambuco. Isso inclui todo o percurso da água desde a captação nos mananciais e o barramento, além de atravessar as adutoras ao longo do Estado até chegar às estações de tratamento e depois distribuí-la para a casa das pessoas, indústrias, comércio e outros. Hoje a companhia atende uma população de 7,6 milhões de pessoas.

“Pernambuco tem o pior balanço hídrico do Brasil, isso quer dizer que há pouca disponibilidade de água nos nossos reservatórios e isso faz com que em razão do número de pernambucanos, a gente tenha o pior balanço do Brasil. Nós temos a pior situação de racionamento do País. Tudo isso quer dizer que produzir água em Pernambuco é uma operação muito onerosa economicamente e que não atrai a iniciativa privada”, afirmou na entrevista.  

BNDES VAI APRESENTAR A MODELAGEM

Para garantir um modelo eficiente, a gestão Raquel Lyra pagou R$ 16,5 milhões ao BNDES para fazer um estudo de concessão administrativa da empresa. 

O BNDES está na fase inicial dos estudos para desenvolver o estudo apresentado como “Projeto de desestatização, mediante participação privada, na prestação dos serviços públicos de abastecimento de água e de esgotamento sanitário, bem como serviços de gestão operacional, em todos os 185 municípios do Estado de Pernambuco, atendendo cerca de 9,7 milhões de pessoas”.

Buscas feitas em computadores e celulares da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), ainda em outubro do ano passado, levaram a Polícia Federal a indícios suficientes para embasar as buscas de hoje contra o deputado Alexandre Ramagem (PL-RJ), ex-diretor da Abin.

Naquele momento, segundo investigadores que acompanham o inquérito, a PF recolheu dados dos telefones funcionais de servidores e de computadores da agência. Essas informações apontam Ramagem como o responsável por autorizar a espionagem ilegal de autoridades.

Os dados também indicam que o ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia (União-RJ) estaria entre as autoridades espionadas ilegalmente.

As buscas em outubro levaram também à prisão de dois servidores que, por terem conhecimento do suposto esquema, coagiram colegas para evitar uma possível demissão: Rodrigo Colli e Eduardo Arthur Yzycky.

Na operação, a PF também recuperou os acessos ilegais no First Mile – sistema israelense comprado pela gestão Michel Temer e usado pelo governo Jair Bolsonaro – da localização de autoridades, sem aval da Justiça.

Segundo investigadores, havia uma espécie de “sistema paralelo” na Abin na gestão de Ramagem – em que parte da estrutura da agência era usada para fazer dossiês e monitorar pessoas e desafetos políticos de forma ilegal.

Segundo as investigações, a “necessidade” de monitorar essas pessoas era criada sem qualquer lastro técnico e sem autorização judicial.

Chapa puro sangue atrapalha João

O prefeito do Recife, João Campos (PSB), virou o ano diante de um cenário favorável para buscar a sua reeleição nas eleições de outubro. A elevada taxa de aprovação da gestão, superando os 70%, abre as portas para carimbar o segundo mandato. O que se observa, entretanto, nesta fase da quase pré-campanha, é a inexistência de apoios formais por parte de novas lideranças ou partidos.

Parte disso pode estar numa visão de que a articulação política do jovem gestor comete falhas. Os recentes rumores, por exemplo, de que o PSB poderia formar uma chapa puro sangue, colocando o presidente da Câmara de Vereadores, Romerinho Jatobá, ou o ex-prefeito Geraldo Júlio na vice, têm pesado negativamente.

Já é certo que o PDT deixará a majoritária, o que cria melindres com um aliado histórico, enquanto o Republicanos e a federação comandada pelo PT não têm pressa para as definições. Adverte um graduado aliado do prefeito: “Com uma chapa definida, por que outras siglas chegarão juntas?”

O desalinhamento do prefeito com a governadora Raquel Lyra (PSDB) é outro ponto observado. A tucana tem acumulado uma montanha de dinheiro no cofre e, se souber usar e não cometer trapalhadas, como está fazendo, o ano promete ser de grandes adesões de lideranças políticas em todas as regiões do Estado. Essas articulações invariavelmente terão consequências no Recife, espelho que se reflete para todo o Estado.

Além disso, o PSB vive um momento de vulnerabilidade, com o qual não se acostumou em 16 anos de poder estadual e que algumas lideranças parecem ignorar: tem apenas 14 deputados federais, uma das menores bancadas da base se Lula. Sozinha, a sigla não terá estrutura favorável de campanha, como tempo de televisão e fundo partidário.

Claro que o capital político e econômico da Prefeitura tem peso gigantesco, mas a estrutura partidária é fundamental para botar a tropa de candidatos a vereador nas ruas. Ressalte-se que será muito difícil para os socialistas manterem a atual bancada de 12 vereadores, com uma eventual debandada na iminência de ocorrer em abril. Sendo assim, João terá menos de três meses para segurar a sua tropa no PSB ou em siglas aliadas, as quais ainda não tem a mínima noção.

Olho no Recife e em São Paulo – O prefeito João Campos também tem outra preocupação que vai além do território recifense e da sua reeleição: a deputada federal Tabata Amaral (PSB-SP), sua namorada, lança, hoje, a sua pré-candidatura à Prefeitura de São Paulo. A data é muito simbólica: o aniversário de 470 anos da cidade. O palco da cerimônia será a laje da casa onde a parlamentar cresceu, e que ainda é o lar de sua mãe, na Vila Missionária, Zona Sul paulistana.

Alckmin via vídeo – O vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, principal liderança do PSB em São Paulo e envolvente cabo eleitoral de Tabata, não estará presente. Fará uma participação em vídeo no ato. Ele e o presidente Lula (PT) estarão em palanques opostos na eleição municipal paulistana. Na sexta-feira da próxima semana, o petista viaja a São Paulo para o ato de filiação da ex-prefeita Marta Suplicy, que será a vice do deputado federal Guilherme Boulos (PSOL-SP), após articulação liderada pelo próprio presidente da República.

Sem nacionalizar debate – Durante a cerimônia, Tabata lançará o manifesto intitulado “Uma só cidade”, que destaca o combate à desigualdade social. Diferentemente de Boulos, a deputada não planeja nacionalizar a campanha municipal, mas sim propor um debate centrado na cidade, com críticas à gestão do prefeito Ricardo Nunes (MDB), pré-candidato à reeleição.

O drama do IPVA atrasado – Tudo bem que a governadora baixou o IPVA, mas nem tudo está às mil maravilhas para quem procura o Detran em busca de regularizar o veículo. Os que fazem a opção pelo parcelamento do imposto atrasado reclamam que não há servidores suficientes no Detran para notificar os proprietários com até cinco anos de atraso no IPVA. Bronca pesada!

Podridão em Arcoverde – Em Arcoverde, janela do Sertão, a 250 km do Recife, quem faz compras no principal centro comercial, a Avenida Antônio Japiassu, tem que tapar o nariz por causa da fedentina exalada de um esgoto com uma tampa inapropriada nas imediações da Ótica Arcoverde, que repercute em toda extensão da avenida. Apesar das reclamações, o prefeito Wellington Maciel (MDB) torce o nariz. A solução é muito simples. Segundo um engenheiro, há uma tampa específica para esses casos. O prefeito não resolve porque não quer.

CURTAS

EQUÍVOCO OU FUGA? – O ex-deputado Gonzaga Patriota (PSB) disse, ontem, que não será candidato a prefeito em Sertânia, sua terra natal, porque não transferiu seu domicílio eleitoral, que é de Petrolina. Mas ele se equivocou: pela lei eleitoral, a mudança de domicílio ficou com o prazo de apenas seis meses. Se ele topar, ainda está em tempo!

MAMÓGRAFO ABANDONADO – O vereador Rodrigo Roa, da bancada do Avante na Câmara de Arcoverde, denunciou, ontem, que encontrou um mamógrafo abandonado, que teria sido doado pela Philips no final da gestão do ex-prefeito Zeca Cavalcanti, mas nunca usado pelos prefeitos que sucederam a Zeca. Está avaliado em R$ 800 mil.

VICE IDEAL – O empresário Álvaro Torres, mais conhecido como Alvinho Cara de Codorna, em razão de ter um trabalho de grande alcance social, virou alvo de cobiça como o vice ideal por parte dos dois grupos que disputam o poder em Agrestina. Josué Mendes, o prefeito, estará na iminência de romper com o ex-prefeito Thiago Nunes, o que pode provocar uma reviravolta no cenário político do município.

Perguntar não ofende: O Governo vai ceder à pressão da Polícia Civil ou deixar o Carnaval sem segurança?

Hoje, o deputado federal Fernando Monteiro (PP) recebeu, em seu gabinete no Recife, o prefeito de Exu, Raimundinho Saraiva, e a prefeita de Serra Talhada e presidente da Associação Municipalista de Pernambuco, Márcia Conrado. Na pauta, os gestores expuseram as suas reivindicações ao parlamentar, que também trocou experiências sobre as peculiaridades e o potencial dos municípios sertanejos com eles.

Acontece no Cabo de Santo Agostinho, neste sábado, o lançamento, do movimento “Unidos Pra Mudar”, que é um coletivo composto por movimentos sociais, entidades, associações e partidos, com o objetivo de construir um programa popular, priorizando o desenvolvimento humano, social, econômico e com foco no turismo. O evento será realizado na subida do Britão, em Ponte dos Carvalhos.

O Cabo de Santo Agostinho, localizado na Região Metropolitana do Recife (RMR), amarga a 5ª colocação como a cidade mais violenta do Brasil, conforme aponta o Anuário Brasileiro de Segurança Pública com 8,1 média de assassinatos por 100 mil habitantes. “A falta de planejamento estratégico na educação, saúde, na infraestrutura, nos programas sociais, no lazer, dentre outros problemas tem causado a miserabilidade da nossa população, afetando a dignidade e equidade. Basta verificarmos a situação da educação municipal, nossos filhos sofrem com a falta de material escolar, merenda de péssima qualidade e reformas intermináveis nas unidades escolares. Enfim, precisamos de uma cidade que atenda as reais necessidades da população”, afirma a nota do movimento.

Por Dirac Cordeiro

Em 2007, publicamos o artigo “Model of Combined Prevision: “An Application of the Monthly Series of Dengue Notifications in the State of Pernambuco” na revista “Internacional Communications in Statistics – Simulation and Computation” sobre a incidência da dengue em Pernambuco e simulações de sua trajetória em função da população variável do mosquito transmissor Aedes Aegypti. Na época o cenário traçado pelo modelo apoiou-se numa extrapolação dos resultados das previsões obtidas. A resposta das previsões aceita pelos testes estatísticos adequados foi a baixa possibilidade (quase zero) de erradicar a doença nos próximos 10 anos.

Sabe-se que a dengue é transmitida pela fêmea do mosquito Aedes Aegypti, que também é o vetor transmissor da febre amarela. Qualquer uma dessas epidemias está diretamente ligada à concentração do mosquito transmissor, ou seja, quanto mais desses insetos, mais doenças far-se-ão presentes.

A primeira grande epidemia se deu em 1920 no Rio de Janeiro atingindo, posteriormente, todo o território nacional. Numa grande campanha realizada no ano de 1955 pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) conseguiu-se erradicar o Aedes Aegypti não somente no Brasil, mas na maioria dos países do continente americano. Entretanto, por falta de recursos, a referida campanha não foi completa; sendo assim, o mosquito continuou presente nas ilhas caribenhas, especialmente, nas Guianas e na Venezuela, voltando a se espalhar para o Brasil, a Bolívia e Colômbia.

Na década de 1970, o Brasil figurava com um surto de dengue em suas principais cidades, provavelmente vindo do Caribe em pneus contrabandeados. No ano de 2002, o Rio de Janeiro e Pernambuco foram notificados como os Estados líderes da doença, tendo o primeiro o maior índice de ocorrências e óbitos. Já em Pernambuco, o número de casos notificados em 1998 foi espantoso, representando cerca de 1,5% da população dos 14 municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR).

Vale ressaltar que essa região possui uma alta densidade populacional, além de um grande percentual de domicílios sem rede de esgoto e água encanada, restando à população usar reservatórios e pequenos recipientes no seu dia a dia. A única garantia para o fim da dengue é a total ausência do vetor transmissor.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) preconiza que há maior probabilidade de ser deflagrada uma epidemia quando os índices de infestação predial – número de imóveis amostrados com focos positivos de Aedes Aegypti sobre o total de imóveis inspecionados – estiverem acima de 5%. No entanto, não existe um limite inferior no qual se possa afirmar que não ocorrerão surtos de dengue. 

Para explicar o comportamento da série das notificações da dengue no Estado de Pernambuco, elaboramos um modelo matemático, representado pela combinação de outros três modelos clássicos de séries temporais. A decomposição da série temporal das notificações da dengue no período de 1995 a 2001 sugeriu que entre as componentes relevantes e explicadoras do comportamento da série destaca-se a componente sazonal.  Após análise dos resultados das estimativas das notificações feita pelo modelo obteve-se à seguinte conclusão: no futuro havendo um desequilíbrio entre as componentes estacionais e sazonais da série, a probabilidade de uma nova explosão das notificações seria grande, gerando provavelmente uma epidemia mais grave que as anteriores.

Neste ano 2024 estamos convivendo com alguns casos de microcefalia de recém-nascidos. Alguns cientistas médicos sugerem que essas ocorrências são decorrentes de infecções provocadas pelo mosquito.  É urgente que os sanitaristas brasileiros proponham um plano “Dengue” para erradicar essa doença de todo o território nacional.

Estamos há mais de 50 anos convivendo como um “bando de gente” sem saber o que fazer e tentando não ser o próximo notificado.  Não resta dúvida de que as instituições públicas necessitam informar e esclarecer a população que existe um risco de epidemia desse agravo, uma vez que demandará muito tempo para que essa doença possa ser erradicada totalmente do Brasil.

Segundo o Portal Folha de Pernambuco, com base nos dados divulgados pelo Ministério da Saúde, por meio do Sistema de Informações de agravos de Notificações (Sinan online), o Brasil bateu recorde de mortes por dengue no ano de 2023 (Agência Brasil 27/12/23). Vale salientar, que em todos os estados da federação, a taxa de variação das notificações é positiva. Esta tendência é preocupante, em virtude do alerta da OMS: “o Brasil é o país com mais casos de dengue no mundo, com 2,9 milhões registrados em 2023”. Mudanças climáticas (efeito sazonal) podem levar à proliferação de vetores, convergindo novamente, para um estado epidêmico. (Agência Brasil 2023).

O Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (TRT6) realiza, amanhã, às 13h30, uma audiência pública para discutir uma proposta de solução para a crise financeira enfrentada pelo Diário de Pernambuco. Atualmente sob o comando do empresário Carlos Frederico Vital, o jornal está com atraso na folha salarial, com alguns jornalistas tendo mais de um ano e meio de salário em aberto, além de não quitar as contribuições do FGTS e do INSS dos trabalhadores a cerca de cinco anos.

O que será discutido nesta quinta-feira é o Plano Especial de Pagamento Trabalhista (PEPT) protocolado pela empresa junto ao TRT6 e que se encontra sob análise do corregedor do tribunal, Fábio André Farias. O plano prevê, por exemplo, o pagamento dos créditos trabalhistas em um prazo superior a cinco anos, assim como propõe a dedução (o deságio) dos valores trabalhistas dos empregados e terceirizados que possuem ações contra o Diário de Pernambuco e algumas empresas do grupo econômico.

Na próxima quinta-feira, o corregedor deve detalhar o PEPT e ouvir representantes dos sindicatos dos Jornalistas Profissionais do Estado de Pernambuco (Sinjope), dos Trabalhadores nas Indústrias Gráficas de Pernambuco (Sindgraf-PE) e dos Radialistas de Pernambuco (Radialista-PE), bem como advogados e ex-empregados da empresa que tenham créditos trabalhistas a receber. 

“Estamos analisando todo o conteúdo do PEPT, mas alguns pontos, pelo que vimos, são prejudicais aos trabalhadores e outros precisam ser melhores detalhados. A audiência será uma oportunidade para mostrarmos o real quadro de crise do Diário e principalmente dos seus empregados e ex-empregados”, afirma Jailson da Paz, presidente do Sinjope.

Do G1 Caruaru

Imagens divulgadas nas redes sociais mostram torcedores do Central e do Náutico praticando vandalismo, hoje, durante a chegada ao Estádio Lacerdão, em Caruaru, no Agreste.

No vídeo, é possível ver torcedores se agredindo e jogando pedras e objetos em veículos. Pode se ver também a chegada de policiais militares intervindo na situação. Os envolvidos foram encaminhados para o juizado do futebol. Não foi divulgado o número de pessoas levadas para a unidade. Aproximadamente 4 mil pessoas estiveram presentes no estádio para acompanhar a partida.