Sebrae - Estamos ai

Delação premiada, aborto e cigarro eletrônico movimentam Congresso

A urgência do projeto que equipara o aborto ao homicídio e a urgência da proposta que proíbe a delação premiada de pessoas presas devem entrar na pauta da Câmara dos Deputados desta semana. A anistia para dívidas de produtores rurais do Rio Grande do Sul (RS) também pode entrar na pauta.

Já os projetos que regulamentam os cigarros eletrônicos e o que autoriza os jogos de azar no Brasil – como bingos, cassinos e jogo do bicho – podem ser votados nas comissões do Senado Federal.

Além disso, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara pode incluir na Constituição a criminalização do porte ou posse de drogas. O parecer dessa proposta foi lido na última terça-feira (4) e o tema conta com amplo apoio dos parlamentares. 

Como a Câmara suspendeu a última sessão do plenário após a deputada federal Luiza Erundina passar mal, a expectativa é que os deputados retomem os projetos não analisados. 

Entre os projetos, está o que cria o Cadastro Nacional de Pessoas Condenadas por Violência contra a Mulher, que prevê a criação de lista com o nome de todas as pessoas já condenadas por violência contra a mulher com a sentença transitada em julgado, ou seja, quando não haja mais possibilidade de recursos contra a decisão. 

Também estava na pauta da semana passada o projeto de lei que concede anistia para dívidas de custeio adquiridas em 2024 pelos produtores rurais gaúchos, como forma de compensar as perdas pelas chuvas. O texto ainda suspende por 2 anos o pagamento mensal de dívidas de investimento e comercialização contraídas neste ano.

O projeto que equipara o aborto ao homicídio simples, com o regime de urgência pautado no plenário, aumenta a pena máxima para o crime de aborto de 10 para 20 anos quando cometido a partir da 22 semana de gestação. O texto também proíbe o aborto legal – em casos de estupro, de risco de vida à mulher e de anencefalia fetal (quando não há formação do cérebro do feto) – para gestações acima de 22 semanas. 

O plenário pode ainda analisar a urgência do projeto que acaba com a possibilidade de delação premiada para pessoas que estão presas. Esse texto foi incluído de última hora no plenário da Câmara na última sessão.

Senado

No Senado, a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) pode votar na terça-feira (11) o projeto de lei que estabelece regras para os cigarros eletrônicos. No Brasil, a regulamentação dos produtos fumígenos está sob responsabilidade da Anvisa, que desde 2009 proíbe a comercialização, a importação e a propaganda desses produtos.

Há ainda expectativa da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado votar o projeto que regulamenta os jogos de azar e as apostas em todo o Brasil. De autoria do senador Irajá (PSD-TO), o texto autoriza o funcionamento de cassinos, bingos, jogo do bicho e permite apostas em corridas de cavalos.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se solidarizou com a primeira-ministra da Dinamarca, Mette Frederiksen, atacada por um homem em Copenhague, capital do país, na sexta-feira (7). Em publicação no X (antigo Twitter) neste sábado (8), o petista disse que comportamentos como este não podem virar regra no mundo.

“Não podemos permitir que comportamentos criminosos como este, que colocam em risco a vida das pessoas por mera discordância política, sejam a regra no mundo. Do Brasil, estendo minha solidariedade à Mette Frederiksen e todo povo dinamarquês”, disse o presidente.

Na sexta, o gabinete da premiê disse em comunicado que Frederiksen ficou chocada com o incidente, mas não deu mais detalhes sobre seu estado de saúde.

O ataque sofrido pela premiê não é um evento isolado no cenário político europeu. Em maio, o primeiro-ministro da Eslováquia, Robert Fico, sobreviveu a uma tentativa de assassinato, sinalizando um aumento da violência contra líderes políticos no continente.

O empresário Rubens Ometto, 74 anos, presidente do Conselho da Cosan (conglomerado brasileiro com negócios nas áreas de açúcar, álcool, energia, lubrificantes e logística), fez uma duríssima crítica ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante evento neste fim de semana. Afirmou que o Palácio do Planalto e toda a equipe petista adotam uma estratégia que “desrespeita” o espírito das leis aprovadas pelo Congresso. Declarou também que o sistema de controle de gastos conhecido como arcabouço fiscal leva a equipe econômica a “aumentar furiosamente a receita” para gastar mais. “Do jeito que está, com o governo querendo meter a mão, querendo taxar tudo”, declarou, “não dá”.

Ao participar do Fórum Anual do Grupo Esfera, realizado no sábado (8), no Guarujá (cidade litorânea do Estado de São Paulo), Ometto reclamou que o governo deseja sempre arrecadar mais ferindo o espírito das leis. Segundo ele, o governo Lula acaba criando uma reação em cadeia ruim na sociedade. “O exemplo tem de vir de cima, e quando o exemplo é ruim, contamina a organização toda”, disse o empresário, um dos mais ricos do país. E perguntou: “Como a gente vai melhorar o nosso país se a autoridade máxima faz tudo para não obedecer às leis?”.

Ometto é um aliado do governo Lula. É integrante do Conselho de Desenvolvimento Econômico Social Sustentável, conhecido como Conselhão. Foi também o maior doador para campanhas nas eleições de 2022, segundo dados do TSE.

Ao dizer que o governo Lula vai contra o que determinam as leis, Ometto citou alterações de regras recentes que afetam as empresas: “Aconteceu com a mudança na regra do Carf, com a mudança do crédito presumido dos créditos do PIS/Cofins nesta semana e com a desoneração da folha [de pagamentos]. Eles nunca estão preocupados em interpretar a ideia do legislador. Eles estão preocupados em morder, morder e estão fazendo isso”.

A medida provisória 1.227, chamada MP da compensação, foi baixada em 4 de junho de 2024 e deve render uma arrecadação extra de R$ 29,2 bilhões por ano para o governo. Especialistas já apontaram trechos inconstitucionais no texto. Vários setores da economia soltaram notas citando os efeitos que consideram negativos da decisão baixada por Lula e pelo ministro da Fazenda, Fernando Haddad.

Na avaliação de Ometto, o cenário atual também prejudica o país por causa de uma relação imprópria entre os Três Poderes da República. “E aí temos um problema ainda maior, que é essa disputa por espaço entre os Três Poderes. O Executivo faz ‘embargos auriculares’ no Poder Judiciário [influi os juízes nos bastidores] falando: ‘Olha, se não decidir assim, o país está quebrado’. E o Judiciário às vezes se deixa influenciar por isso e começa a autuar em cima as empresas. Daí, o Judiciário invade a área do Legislativo, que reage contra os 2 [Executivo e Judiciário]. Fica um se metendo na área do outro”.

Para o empresário, há uma incompreensão do governo sobre a pouca eficácia de aumentar impostos. “Temos de bater nessa tecla: o dinheiro na mão da iniciativa privada rende muito mais para o país do que na mão do governo. Quando eles fazem esse aumento de arrecadação eles estão tirando o dinheiro de quem trabalha com eficiência, de quem gera emprego, de quem produz, e passando para o Poder Executivo, que não tem essa habilidade”.

Ometto fez uma ressalva, dizendo ser “a favor de programas sociais, como o Bolsa Família e outros” porque “fazem muito bem ao país e às pessoas menos favorecidas”. Aí, completou com uma frase na forma adversativa: “Mas não dá para o governo pegar o dinheiro da iniciativa privada para querer administrar um Estado que nunca diminui de tamanho, só cresce”.

Na sequência, Ometto deu sua opinião sobre a razão de os juros serem altos no Brasil (a taxa básica está em 10,5% ao ano).

“Quando se fala do problema dos juros altos, todo mundo fala dos problemas internacionais, dos juros nos Estados Unidos [que estão na faixa de 5,25% a 5,50% por ano], que realmente atrapalham. Mas tem uma questão importante, que pouca gente fala, que é a nossa insegurança jurídica, que também encarece o dinheiro no Brasil. O custo de todas essas incertezas está ali na taxa de juros. Se o governo organizasse tudo isso e controlasse a questão fiscal, os juros cairiam pelos motivos certos e aí este país voltaria a crescer, voltaria a se desenvolver. Como vimos, aliás, no governo Lula 1 [2003-2006]”.

FÓRUM ESFERA

Esta é a 3ª edição do Fórum Anual do Grupo Esfera. O grupo foi fundado em 2021 pelo empresário João Camargo, atual chairman da CNN Brasil. A CEO é Camila Funaro Camargo, sua filha. Ela organizou a 1ª edição, em novembro de 2022, a 2ª, em agosto de 2023, e a 3ª, em junho de 2024.

Por Lucas Sales 

Caro Magno,

Há alguns anos, recebi uma missão do superintendente dos Associados, Guilherme Machado: elaborar um estudo sobre a viabilidade dos jornais impressos. Como seria um novo modelo de negócio — e jornal— no tempo da internet? 

Antes de iniciar o trabalho, presenteei ao Guilherme uma foto de 40 X 60 – com vídeo e moldura – para ser colocada na porta do Diário de Pernambuco e sugeri que o mesmo fosse feito em outras unidades dos jornais associados.

A foto trazia Assis Chateaubriand e abaixo dela estava escrito: o maior empreendedor da comunicação brasileira.

Qual era o meu objetivo? Resgatar a cultura vencedora de Chatô. O espírito inquieto e que sempre andou à sua frente. O cara que anteviu oportunidades, trouxe a TV para o Brasil em 1950, por exemplo. 

O homem que Instalou a TV Tupy no Recife e outra emissora em Campina Grande (minha querida terra), antes de outras capitais. 

Pois bem, o prédio do DP e a história dos Diários Associados precisam ser recontadas a partir da visão de Chatô. Infelizmente, só lembram e destacam a face excêntrica quase irrelevante dele, como se deu no filme O Rei do Brasil. E esqueceram o melhor: o brasileiro visionário e vencedor. 

Uma pena sermos testemunhas do sucateamento de uma memória tão importante para cada um de nós. Aceite as minhas solidárias lágrimas. 

Grande abraço 

Do seu amigo 

Publicitário em Brasília

Diversos representantes do judiciário estiveram prestigiando mais uma noite de apresentações no Pátio de Eventos Luiz Lua Gonzaga, entre eles, o presidente do TJPE, Ricardo Paes Barreto, que exaltou a importância do São João de Caruaru. Ele detalhou as ações do tribunal não só nas celebrações juninas, mas também em outras festas e períodos sazonais em Pernambuco.

“Nossa gestão é pautada pela transparência. Nós fizemos o juizado do folião, fizemos o juizado do forró aqui em Caruaru, para dar garantia de segurança para a população, tanto aos carnavalescos como ao pessoal do forró. Vamos fazer em Garanhuns também o juizado do município e vamos fazer também nas praias. Então, o judiciário está presente como forma de dar garantia para que seja essa alegria como está aqui hoje. Uma festa linda, que me deixou muito emocionado, estou muito feliz de estar aqui em Caruaru. Aqui parece que a gente está em casa! O pessoal sorridente, alegre, cantando com os cantores, é uma alegria muito grande. E o judiciário não pode estar distante dessa sociedade, desse povo tão bom que é o povo pernambucano”, afirmou. As informações são do blog Cenário.

Frequentador de carteirinha da festa, Ricardo destacou a grandiosidade da celebração de 2024 em relação aos anos anteriores. “Eu sempre venho, mas esse ano está grandioso, lindo. O prefeito caprichou mesmo no São João. Estou muito feliz e convido todo mundo para vir, porque é uma coisa maravilhosa, é muito bonito. Está todo mundo cantando com os cantores aqui, é impressionante, a gente se arrepia de felicidade de estar aqui. Venham para o São João de Caruaru, é a coisa mais linda do mundo”, disse o presidente. Ele também falou que pretende visitar a festa mais vezes. 

“O desembargador Paulo Augusto, que é de Caruaru, sempre nos convida e a gente vai estar junto. Vamos voltar, eu fico sempre perto aqui em Gravatá e a gente vem para prestigiar o São João Maravilhoso”, completou.

Já o anfitrião da noite, prefeito Rodrigo Pinheiro (PSDB), reforçou a parceria entre o município e o Judiciário.

“A gente tem aqui o Juizado do Forró, que este ano completou 18 anos, e a presença do Tribunal de Justiça junto com todos que fazem o São João, é importantíssimo para que a gente tenha uma festa segura, tranquila e grandiosa como essa. É um trabalho em conjunto, ninguém faz nada sozinho, e a gente fica feliz em receber o presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco, representando o Poder Judiciário no maior São João do mundo, que é aqui em Caruaru”, disse o prefeito.

Por Fernando Rêgo Barros*

Caro Magno, 

Li seu texto sobre o antigo prédio do Diario de Pernambuco. Venho me somar ao seu lamento diante do abandono em que ele se encontra hoje. 

Aquele prédio, mesmo que indiretamente, também faz parte da minha história. Foi muito frequentado pelo meu pai, o poeta Homero do Rêgo Barros.

O DP era seu jornal preferido e tinha grande satisfação quando publicava nele qualquer colaboração, fosse um poema, fosse uma carta reclamando de algum problema da nossa capital. 

Hoje, vendo o estado em que se encontra a velha sede do Diario, fico pensando em como meu pai ficaria triste por ver assim, aos pedaços, um lugar que ele tanto admirava e queria bem.

Muito triste e lamentável!

*Jornalista

Da Folha de São Paulo

Os governadores de Minas Gerais, Maranhão e Pernambuco aprovaram aumentos de seus próprios salários que já ultrapassam 100% desde 2022, de acordo com dados das Assembleias Legislativas estaduais e de portais de transparência.

Segundo reportagem publicada na terça-feira (4), pelo jornal Folha de S.Paulo, o governador do Maranhão, Carlos Brandão (PSB), aprovou, neste mês, um aumento salarial de 107% – seu salário saltará de R$ 15.915 para R$ 33.006,39 a partir deste mês de junho.

Antes disso, o governador de Minas, Romeu Zema (Novo), já havia aprovado um aumento salarial de 278%, em maio do ano passado. O caso chegou ao Supremo Tribunal Federal (STF), que, em dezembro, rejeitou um pedido para anular o reajuste. Os vencimentos de Zema subiram de R$ 10,5 mil para R$ 39,7 mil – e chegarão a R$ 41,8 mil em 2025.

A governadora de Pernambuco, Raquel Lyra (PSDB), também conseguiu aprovar, em dezembro de 2022, um aumento salarial de 129%. Seu salário passou de R$ 9,6 mil para R$ 22 mil.

Entretanto, a governadora pernambucana recebe um valor mensal bem maior: R$ 42.145, por ter decidido continuar recebendo como procuradora do estado, cargo que ocupava antes de ingressar na política.

É justamente de Raquel Lyra o maior salário entre todos os governadores no Brasil. Ela também aparece à frente na comparação com a renda média do estado. Os vencimentos da tucana são quase 38 vezes superiores à renda per capita média da população pernambucana (que foi de de R$ 1.113 em 2023, de acordo com o IBGE).

Veja o ranking salarial dos governadores brasileiros:

  • Pernambuco — Raquel Lyra (PSDB): R$ 42.145,88.
  • Sergipe — Fábio Mitidieri (PSD): R$ 41.650,92.
  • Acre — Gladson Cameli (PP): R$ 40.137,69.
  • Minas Gerais — Romeu Zema (Novo): R$ 39.717,69.
  • Mato Grosso do Sul — Eduardo Riedel (PSDB): R$ 35.462,27.
  • Rondônia — Marcos Rocha (União): R$ 35.462,22.
  • Rio Grande do Sul — Eduardo Leite (PSDB): R$ 35.462,22.
  • Bahia — Jerônimo Rodrigues (PT): R$ 35.462,22.
  • Pará — Helder Barbalho (MDB): R$ 35.363,55.
  • São Paulo — Tarcisio de Freitas (Republicanos): R$ 34.572,89.
  • Roraima — Antonio Denarium (PP): R$ 34.299,00.
  • Amazonas — Wilson Lima (União): R$ 34.070,00.
  • Piauí — Rafael Fonteles (PT): R$ 33.806,39.
  • Paraná — Ratinho Junior (PSD): R$ 33.763,00.
  • Maranhão — Carlos Brandão (PSB): R$ 33.006,39.
  • Amapá — Clecio Luis (Solidariedade): R$ 33.000,00.
  • Paraíba — João Azevedo (PSB): R$ 32.434,82.
  • Espírito Santo — Renato Casagrande (PSB): R$ 30.971,84.
  • Mato Grosso — Mauro Mendes (União): R$ 30.862,79.
  • Distrito Federal (Brasília) — Ibaneis Rocha (MDB): R$ 29.951,94.
  • Alagoas — Paulo Dantas (MDB): R$ 29.365,63.
  • Goiás — Ronaldo Caiado (União): R$ 29.234,38.
  • Tocantins — Wanderlei Barbosa (Republicanos): R$ 28.070,00.
  • Santa Catarina — Jorginho Mello (PL): R$ 25.322,25.
  • Rio Grande do Norte — Fátima Bezerra (PT): R$ 21.914,76.
  • Rio de Janeiro — Claudio Castro (PL): R$ 21.868,14.
  • Ceará — Elmano de Freitas (PT): R$ 20.629,59.

Do Portal de Prefeitura

Pernambuco já registrou 1.577 homicídios neste ano de 2024, é o que aponta os dados oficiais da Secretaria de Defesa Social (SDS), sobre a violência.

Na informação publicada na sexta-feira, 7 de junho, através de site oficial da SDS, os números apontam que maio somou 266 assassinatos, se tornando o mês com menor registro de Mortes Violentas Intencionais (MVI), neste ano em Pernambuco.

O interior do Estado continua sendo o local mais violento entre as regiões, foram 149 homicídios, já na Região Metropolitana foram 83 e a capital Recife teve 34. Na estatística oficial da Secretaria de Defesa Social (SDS), em janeiro foram registrados 355 Mortes Violentas Intencionais, em fevereiro 310, em março 324 e em abril 322.

A marca total de 1.577 homicídios se deu da seguinte forma:

  • Interior: 771
  • Região Metropolitana: 439
  • Recife: 313

Governadora celebra redução de MVI em Pernambuco

Em reunião do Juntos pela Segurança na segunda-feira (3), a governadora Raquel Lyra (PSDB) e sua vice, Priscila Krause (Cidadania), acompanharam os indicadores mais recentes da segurança em Pernambuco, que mostram queda nos números de Mortes Violentas Intencionais (MVI).

A redução foi de 11,6% neste indicador no Estado, apontando o último mês de maio como o melhor de toda a série histórica do levantamento, iniciada em 2004, com 266 MVIs.

Na capital pernambucana, a Secretaria de Defesa Social (SDS) também observou redução de homicídios durante o mesmo mês, sendo o menor resultado dos últimos cinco anos, com 33 MVIs, número 34% menor do que o registrado no mesmo período do ano passado.

SINPOL contesta números da SDS

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol-PE), Áureo Cisneiros, contestou a comemoração do Governo do Estado sobre os números de MVI (Mortes Violentas Intencionais), divulgados na segunda-feira, 3 de junho, pela SDS.

Segundo Cisneiros, de janeiro a maio de 2024, foram 1584 MVI em Pernambuco. E no mesmo período, em 2023, ocorreram 1468 MVI.

Meu texto, ontem, com tom de lamento e choro, sobre o abandono do histórico prédio do Diário de Pernambuco, ganhou tanta ressonância que resolvi me aprofundar no assunto. Para não me estender, não apontei o principal responsável pela degradação: o Governo Jarbas Vasconcelos.

Em crise, o DP negociou a venda do prédio ao Governo e deixou o espaço em 2004, quando Jarbas bateu o martelo da negociação. Os decretos de desapropriação foram publicados no Diário Oficial em 24 de fevereiro e 4 de março daquele ano, informando que o prédio estava sendo incorporado ao patrimônio da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe).

Um dos artigos do segundo decreto explicava que “os imóveis inscritos serão destinados à instalação do Novo Arquivo Público do Estado de Pernambuco”. Em 13 de março de 2004, um despacho da Quarta Vara da Fazenda Pública da Comarca do Recife autorizou um pagamento no valor de R$ 2 milhões pelo imóvel, “em face da declaração de urgência, se de dar início à implantação do novo Arquivo Público, obra de indiscutível alcance social e cultural para o Estado.”

Em 21 de abril, a Fundarpe chegou a contratar uma empresa de engenharia para execução dos serviços no prédio, entre outros edifícios históricos, num valor de R$ 14.490. Apesar da “urgência” justificada na desapropriação, o projeto do arquivo público não avançou.

Proposta do escritório Estevan Barin Moreira-ME, do Rio Grande do Sul, foi a vencedora do Concurso Porto Digital de Arquitetura para restauração do prédio do Diário de Pernambuco.

Já na gestão de Eduardo Campos (PSB), em abril de 2011, houve uma sinalização de que o processo de instalação do Arquivo Público avançaria. “Até o final deste mês, as instalações do Arquivo Público serão transferidas para o antigo prédio do Diário de Pernambuco”, disse o então o diretor da entidade, Pedro Moura, na época. A transferência nunca ocorreu e o Arquivo Público segue em Santo Antônio.

No final de 2014, quando João Lyra Neto (PSDB) era o governador, segundo reportagem do JC, o Estado anunciou que iria repassar o prédio em uma concessão para o Porto Digital. Em 2016, o parque tecnológico lançou um concurso nacional para que escritórios de arquitetura enviassem projetos para uma restauração.

O vencedor foi o escritório Estevan Barin Moreira-ME, do Rio Grande do Sul. Além da reforma do casarão histórico, o projeto vencedor previa a construção de um edifício empresarial anexo. De acordo com informações da imprensa na época, a obra estaria orçada em R$ 28 milhões. Essa concessão, que finalmente parecia dar fim ao abandono do prédio, também nunca foi concluída.

O abandono do antigo prédio do Diário de Pernambuco é lamentado por autoridades urbanísticas. Ouvido pela reportagem do JC, Reinaldo Carneiro Leão, primeiro secretário do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano, disse que o prédio é um símbolo na história do Estado.

“Além de todos os acontecimentos políticos, esse edifício foi um marco da arquitetura eclética. Ele tinha aquele carrilhão, um relógio que tocava e que por muito tempo servia de orientação para as pessoas da área. É muito doloroso saber que aquele edifício está sendo invadido e destruído. É uma coisa terrível o que está acontecendo. É um descaso muito grande. Esse é um bem público”, afirmou.

O professor da UFPE Marcos Galindo, coordenador científico do Laboratório de Tecnologia do Conhecimento, onde desenvolve o projeto Rede Memorial de Pernambuco, também foi procurado pelo JC. Afirmou que o valor do prédio está além da arquitetura. “Não se trata apenas do abandono de uma construção, mas sim de uma memória. Isso passa para outra dimensão. Isso diz muito de como o Governo do Estado e a política tratam a memória e o que a memória representa dentro do aparelho do Estado. Contudo, também temos que lembrar que o Estado somos nós. Isso está acontecendo porque a sociedade está vendo aquilo todos os dias e não se manifesta”, disse.

Galindo ainda lançou uma reflexão acerca da preservação da memória. “A gente não guarda memória para a gente, mas para os nossos filhos, netos e quem vir adiante. Qual será o impacto disso tudo para o futuro?”, questiona. “Uma sociedade com síndrome de Alzheimer é como uma pessoa que perde conexões com o mundo que o rodeia. Uma sociedade sem memória perde identidade e fica à mercê da história.”

Procurado pela reportagem do JC na época, o Porto Digital informou que nunca chegou a receber o edifício em definitivo. “Diante da perspectiva de receber o prédio, o Porto Digital chegou a realizar um estudo de reabilitação do imóvel por meio de um concurso de arquitetura. Mas como a entrega do prédio não foi concluída, o projeto teve que ser interrompido. Em função disso, não foi iniciada qualquer recuperação ou requalificação do prédio por parte do Porto Digital.”

Dentre os motivos da descontinuidade do repasse, estaria a negativa da Diretoria de Preservação do Patrimônio Cultural da Prefeitura do Recife em relação ao projeto. Procurada pelo JC, a Prefeitura da Cidade do Recife esclareceu que “a proposta apresentada para a revitalização do edifício histórico que sediou o Diário de Pernambuco não atendia à legislação, tornando o estudo não-factível, uma vez que a verticalização proposta para a área não se enquadra nos parâmetros de volumetria exigida para o local, principalmente por levar em conta a construção de uma torre.”

Já a Fundarpe afirmou que o prédio agora estava sob responsabilidade da Secretaria de Administração (SAD). Em uma nota divulgada em 2019, a SAD ainda insistia que o prédio estaria com o Porto Digital. Agora, informa que “já foi iniciada a fase interna da contratação dos projetos de engenharia e arquitetura para a reforma do referido imóvel”.

“Em paralelo, o Governo está analisando os cenários para melhor utilização do patrimônio, sendo provável a instalação de órgão ou serviço público de relevância para a preservação da história de Pernambuco”, informou.

Fotos: Alexandre Gondim/JC

GWM terá carro fabricado no Brasil

E de novo os fabricantes chineses de automóveis se tornam notícia no Brasil. Desta vez, é a GWM, que anunciou o SUV Haval H6 como o primeiro veículo da marca a ganhar a nacionalidade brasileira. O utilitário esportivo vai inaugurar a linha de montagem da marca chinesa na fábrica de Iracemápolis, no interior de São Paulo. Ela entrará em operação no segundo semestre de 2024 em regime de pré-produção para ajustes de equipamentos e verificações no processo produtivo e no controle de qualidade, mas os veículos produzidos em série só chegarão às concessionárias no primeiro semestre do ano que vem. O Haval nacional terá motorização híbrida, a exemplo da versão importada vendida aqui desde o ano passado. Por falar nisso, virá ainda este mês a nova versão híbrida plug-in mais barata da marca e do modelo: serão R$ 229 mil no período de pré-venda, mas manterá o valor até 20 de junho para o lote inicial de 1.019 unidades. São apenas R$ 15 mil a mais em relação ao H6 HEV2, sendo que a novidade será um híbrido plug-in mais completo.

A GWM, aliás, está comemorando um ano de Brasil. E com algumas novidades, como a venda direta ao consumidor, com emissão de nota fiscal direta da montadora ao consumidor final. Com isso, a margem dos concessionários ficou menor. “O uso da venda direta é um dos motivos pela qual a GWM opera com preço único em todo o país, independente da localidade, frete ou demanda”, avalia Alexandre Oliveira, diretor de Vendas e Desenvolvimento de Rede da GWM do Brasil. A marca chinesa iniciou suas vendas no Brasil com a linha de SUVs híbridos e plug-in Haval H6 (HEV, PHEV e GT) e, desde dezembro, vende também o elétrico ORA 03 (Skin e GT). No ano passado, de abril a dezembro, a marca chinesa vendeu 10.703 unidades da linha Haval. No acumulado de 12 meses, atingiu a liderança tanto no segmento dos híbridos, com 14.407 emplacamentos, quanto no de carros premium, acima de R$ 300 mil (4.821 unidades). A meta para este ano é vender 31 mil unidades, com crescimento de 170% sobre 2023. O número de concessionárias vai passar de 70 para 120.

Perto do adeus, Ram Classic ganha série especial – Para celebrar o legado do icônico V8 HEMI – cujas câmaras de combustão hemisféricas têm mais de 70 anos de tradição -, a Ram anuncia 100 unidades de uma série especial, a versão R/T (Road/Track) para o modelo Classic. A sigla distingue a gama de carros de alto desempenho usada pela Dodge desde os anos 60. A série colecionável, que marca a despedida da Classic do mercado brasileiro, está à disposição com preço público sugerido de R$ 359.990. A Ram Classic R/T valoriza seu caráter esportivo com elementos exclusivos desta última safra, a começar pelos faróis e lanternas com máscara negra. Na dianteira, a exclusiva grade com formato em cruz, característica das picapes Dodge desde o lançamento da segunda geração da Ram 1500 e elemento marcante do design “big rig”, e que traz o carneiro montanhês ao centro, no lugar do nome da marca. Por trás, colmeias para alimentar o enorme motor e um logo R/T no canto inferior adiciona charme à frente da muscle truck. Adesivos foscos que remetem aos Dodges Chargers R/T fabricados pela Chrysler no Brasil nas laterais da caçamba e no capô completam o look da picape de DNA norte americano. Uma soleira em aço inoxidável evoca ainda mais a esportividade no interior da picape. Para sublinhar o caráter colecionável, serão comercializadas apenas 100 unidades – 50 na cor Preto Diamond e 50 no tom Vermelho Flame – que recebem um elegante logo no painel com a estampa do número 1/100, referente ao número limitado das quantidades comercializadas. Além disso, os proprietários dessas unidades ainda serão presenteados com um kit exclusivo, com uma caixa metálica de ferramentas e uma pasta de couro com certificado de aquisição com o número do chassi da unidade e uma carta escrita por Juliano Machado, vice-presidente da marca Ram para a América do Sul, parabenizando pela compra.

AMG S63 e AMG GT 63 S chegam ao Brasil – A Mercedes-Benz também acaba de anunciar a chegada ao Brasil dos modelos Mercedes-AMG S63 E Performance e Mercedes-AMG GT 63 S E Performance. Ambos têm conjunto híbrido formado por motor a combustão (construído artesanalmente), propulsor elétrico e bateria de alto desempenho desenvolvida pela própria AMG – e com tecnologia da Fórmula 1. Isso significa mais de 800cv, que garantem o título de mais potentes da história da marca. O propulsor a combustão adotado no conjunto é o 4.0 V8 biturbo de 612cv (S 63) ou 639cv (GT 63). Com eletrificação, a potência conjunta é de 802 cv no sedã e 843 cv de cupê, com torque de 145,8 kgfm e 149.8 kgfm. Dados de fábrica indicam aceleração de 0 a 100 km/h em apenas 3,3 e 2,9 segundos, respectivamente, com máximas limitadas de 250 km/h e 316 km/h. O powertrain integra ainda sistema de tração integral variável AMG Performance 4MATIC+. A bateria possui capacidade de 13,1 kWh no AMG S63 E Performance e 6,1 kWh no AMG GT 63 S E Performance. Nos dois casos, o carregamento externo é feito por meio do carregador de corrente alternada (AC) a bordo de até 3,7 kW, seja em uma estação de carregamento, wallbox ou tomada doméstica. Ao todo, são 8 modos de condução, que ajustam parâmetros importantes, incluindo resposta da unidade de propulsão e transmissão, características de direção, amortecimento do chassi e até mesmo o som. O impulso do motor elétrico também depende do modo de condução respectivo.

BMW Série 1 – Famoso pelo prazer de condução no segmento compacto premium, o BMW Série 1 entra na sua quarta geração com portfólio de motorização completamente renovado. Pela primeira vez equipado com sistema de tecnologia híbrida de 48 volts, o modelo aposta também na tecnologia para perpetuar sua história. Por dentro, o modelo adota o BMW Curved Display, já presente no BMW X1, com duas telas acopladas. Uma de 10,25 polegadas para funções do painel de instrumentos e outra de 10,7 polegadas para funções multimídia. A nova geração do modelo será produzida na fábrica do Grupo BMW em Leipzig, na Alemanha. Seu lançamento no mercado europeu está previsto para outubro de 2024. Não há previsão para o Brasil.

A volta do Kangoo – A Renault está lançando no Brasil a nova versão do Kangoo. O concorrente do Fiat Fiorino e do do Peugeot Partner Rapid tem motorização flex 1.6 flex de até 115cv e torque de 15,7kgfm. Ele vem da Argentina e chega em versão única por R$ 120,8 mil. A aposta é no motor mais potente, conectividade, porta na lateral do modelo e menor custo por km rodado. Segundo a Renault , o custo por km rodado é menor da concorrência, em torno dos R$ 0,93/km contra R$ 0,95/km dos rivais, considerando 60 mil km de uso. Um dos fatores que beneficiam a queda do custo é o consumo de 11,3 km/l em circuito urbano com gasolina.

Mais uma picape no mercado – A marca chinesa Foton vai lançar sua linha de picapes Tunland no Brasil até o final deste mês de junho, segundo o site Autoindústria. Ela se junta à BYD Shark, esperada para agosto ou setembro, e virá para concorrer com modelos médios tradicionais – e com pelo menos uma versão híbrida. O modelo Tunland V9 já foi apresentado em outros mercados sul-americanos e usa motor 2.0 a gasolina equipado com sistema de 48V, o chamado híbrido leve. A autonomia declarada é de 900 km. No sistema de transmissão, ainda conforme a marca chinesa, é da renomada ZF e inclui tração 4×4. Destaque para itens de segurança como 6 airbags, freios a disco nas quatro rodas e diversas assistências ao condutor, como frenagem automática de emergência e sistema de assistência de permanência na faixa. O utilitário também conta com sistema start-stop, que ajuda na economia de combustível e controle de cruzeiro adaptativo.

Strada volta a liderar mercado – E a picapezinha da Fiat voltou a ocupar o topo do ranking dos modelos mais vendidos no mercado brasileiro em maio, reassumindo a mesma posição no acumulado do ano. Antes, em abril e no quadrimestre, quem liderou foi o VW Polo. No geral, foram emplacadas 49.050 unidades da picape nos primeiros cinco meses do ano – o que lhe garantiu participação na venda de veículos leves da ordem de 5,6%. Em maio, suas vendas atingiram 10.973 unidades. O Polo, segundo colocado, acumulou 48.181 emplacamentos de janeiro a maio (participação de 5,5%), dos quais 8.484 no mês passado. Esse fato pode estar vinculado à paralisação que a VW foi forçada, por 10 dias, em maio, devido à falta de peças decorrente das chuvas no Sul. O terceiro colocado no ano e no mês é o Chevrolet Onix, com 34.754 e 7.901 licenciamentos, respectivamente. Completam a lista do Top 10 no ano o Hyundai HB20, Fiat Argo, Fiat Movi, VW T-Cross, Hyundai Creta, Nissan Kicks e Onix Plus.

Chuvas no Sul e venda de carros – Relatório divulgado pela Fenauto, a federação dos revendedores de seminovos e usados, mostra que, em maio, as vendas de veículos usados não tiveram nenhum registro entre os dias 7/05 e 26/05. Isso provocou uma queda significativa de 78% no resultado do estado. A queda nas vendas está diretamente relacionada às fortes chuvas e inundações. Em maio, no total, foram transferidas 21.184 unidades contra 97.584 em abril. Em termos nacionais, a variação por conta do resultado no Sul ficou negativa em 8,2%. Mas, mesmo assim, as vendas no Brasil fecharam com um resultado acumulado positivo de 6,6% em relação a 2023, chegando a um total de 6.048.587 veículos comercializados no período.

Produção de caminhões – Os cinco primeiros meses do ano foram bons para a produção de caminhões, que cresceu 29,9% no acumulado do mesmo período do ano passado. Em maio, o ritmo das atividades representou recuo de 4,2% na comparação com abril. No entatou, houve crescimento de 33,1% sobre as quase 8,4 mil unidades produzidas um ano antes. “A conjuntura é de estabilidade”, diz Eduardo Freitas, vice-presidente da Anfavea. Para ele, o resultado apresentado até o momento permite avaliar a volta à normalidade no segmento, bem como oferecer perspectivas otimistas. “Na medida que as estimativas do PIB melhoram e os juros em patamares menores avançam, também condições para crescer e até mesmo superar os patamares atuais se tornam ainda mais favoráveis.”

As feras italianas – A Ducati do Brasil apresentou três novidades no Festival Interlagos, que termina neste domingo em São Paulo. A marca italiana lançou, por exemplo, a nova Diavel V4, premiada pelo seu design exclusivo. Também mostrou a nova cor RR22 do modelo DesertX, que estará disponível a partir de julho. A marca italiana também fez o pré-lançamento da Scrambler Icon, agora com kits customizáveis (no mercado em outubro). A recém-lançada Ducati Multistrada V4 Rally Adventure foi uma das atrações do test-ride. A Diavel V4 já está disponível para venda no Brasil, com um preço sugerido de R$ 140 mil. Ela é equipada com um motor V4 Granturismo de 1.158 cc, capaz de gerar 168 cavalos de potência e 12,8 kgfm de torque. Esta é a mais recente adição à linha de modelos V4 da marca italiana, que inclui as Panigale e Multistrada V4. A nova Diavel V4 é notável por sua redução de peso em comparação com seu antecessor, graças à adoção de um motor mais compacto. Além disso, a motocicleta apresenta um sistema de desativação estendida, destinado a reduzir emissões e consumo de combustível.

Mobilidade segura e confortável – Vários estudos indicam que 80% dos acidentes de trânsito são causados por algum tipo de falha humana. Mas essa realidade poderia (ou pode) ser diferente com a aplicação de tecnologias que ajudam a salvar vidas. Uma pesquisa recente da Bosch sobre os Sistemas Avançados de Assistência ao Condutor (ADAS) mostra que até 85% dos entrevistados dizem sentir mais segurança na condução do veículo equipado com ao menos alguma dessas tecnologias. Entre as mais populares, representando até 35% das vendas no mercado brasileiro, estão o Aviso de Saída de Faixa, a Frenagem Automática de Emergência e o Piloto Automático Adaptativo (ACC), além do Assistentes de Permanência em Faixa. Conheça os benefícios das tecnologias ADAS. As soluções de assistência não são tão visíveis aos condutores, porém, fazem toda a diferença. Compostas principalmente por radares, câmeras e sensores, as tecnologias são modulares e atuam de forma independente ou integrada, conforme as funções disponíveis em cada veículo. Veja algumas:

LDW e LKA – ajudam a evitar acidentes causados por desvios não intencionais, por lapso de concentração ou fadiga, por exemplo. O LDW atua emitindo um alerta ao motorista em caso de saída involuntária de faixa, que pode ser um sinal visual, sonoro e/ou tátil (vibração do volante). Já o LKA intervém automaticamente para manter o veículo na faixa.

AEB – pode prevenir até 72% dos acidentes com colisões traseiras ou mesmo atenuar consideravelmente o impacto desses acidentes. Se o radar ou a câmera de vídeo detectar obstáculos à frente do veículo, o sistema é preparado para realizar uma frenagem de emergência e o motorista é notificado. Se o condutor não responder, o sistema realiza uma frenagem parcial e, logo que o motorista pisar no freio, o dispositivo irá aumentar a potência a fim de evitar um acidente. Caso o motorista não responda à manobra de frenagem parcial e o sistema detecte que a colisão é inevitável, a frenagem de emergência é executada.

ACC – responsável por manter a velocidade e a distância correta do veículo à frente de acordo com o fluxo do tráfego. O sistema funciona com alta eficiência mesmo em condições climáticas e de iluminação adversas, como neblina e à noite, garantindo a segurança do motorista e dos passageiros.

Há alguns anos, essas tecnologias eram aplicadas apenas em marcas premium, geralmente em veículos importados, representando menos de 1% dos carros vendidos no Brasil. Atualmente, elas já estão mais presentes em quase todos os segmentos, em um patamar de 22%.

Legislação – A discussão sobre a obrigatoriedade do sistema do AEB e do LDW em veículos produzidos no Brasil está em andamento e sua aprovação representará mais uma conquista para a segurança veicular. Além disso, para motocicletas de baixa cilindrada, a adoção do Sistema Antibloqueio de Frenagem (ABS) é outra medida que também está sendo discutida no país. Nos últimos 10 anos, é importante destacar que a legislação brasileira tem avançado: em 2014, airbag frontal e ABS passaram a ser exigidos por lei. Em 2019, foi a vez do ABS para motos acima de 300cc. E, desde o início de 2024, o Programa Eletrônico de Estabilidade (ESP) tornou-se obrigatório.

Renato Ferraz, ex-Correio Braziliense, tem especialidade em jornalismo automobilístico.

A Agência Pernambucana de Águas e Clima (APAC) emitiu alerta que indica a possibilidade de chuvas moderadas na Região Metropolitana do Recife. A previsão é válida para as próximas 24 horas.

A Defesa Civil do Recife mantém um plantão permanente, podendo ser acionada pelo telefone 0800.081.3400. A ligação é gratuita e o atendimento 24h. A orientação é que, em caso de necessidade, moradores de locais de risco procurem abrigos seguros e acionem o órgão.

Em um dia inteiro dedicado a entregas de obras pelo município, o prefeito Mano Medeiros celebrou, neste sábado (8), a inauguração da escadaria da Rua Macau, no bairro de Santo Aleixo, Regional 1. Totalmente requalificada, a escadaria recebeu reforma em seus 100 degraus, novos corrimãos e iluminação em LED por todos seus 60 metros de extensão.

Mano Medeiros disse que a gestão municipal tem estado atenta às demandas da população. “Estamos sempre andando pelas ruas e ouvindo as solicitações do povo. A entrega da escadaria da Rua Macau foi apenas uma das inúmeras ações que estamos fazendo pela Regional 1 nessas 24 horas de trabalho incessante. E vamos em frente, porque a melhora de vida dos jaboatonenses é nossa melhor recompensa”.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) visitou a deputada federal Luiza Erundina (PSol-SP), nesta sexta-feira (7), no Hospital Sírio Libanês, em Brasília. A parlamentar passou mal na última quarta-feira (5), durante uma participação na Comissão dos Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, e precisou ser internada na unidade de terapia intensiva (UTI).

Em publicação nas redes sociais, Lula compartilhou imagem com a deputada. “Visita de solidariedade e carinho a minha amiga”, escreveu. “O retorno do respeito à democracia e de um ambiente civilizado na política é fundamental para combatermos juntos o discurso e práticas de ódio de poucos”, completou o presidente. As informações são do Estado de Minas.

A fala do presidente é referente ao ambiente de hostilidade que se instaurou na Câmara dos Deputados na última semana, quando diversas brigas ocorreram, algumas até com ameaças de agressão física.

A própria Erundina esteve em alguns desses embates, o que fez deputadas do Psol, como Erika Hilton, relacionarem o mal estar da parlamentar com o ambiente de “puro caos causado pelos bolsonaristas na Comissão de Direitos Humanos”. Erika cobrou do presidente da Câmara um posicionamento firme para reduzir a violência na Casa.

Na sexta-feira, Erundina deixou a UTI e foi transferida para um quarto no Hospital Sírio Libanês. Segundo a assessoria da parlamentar, Luiza Erundina teve um edema pulmonar que levou ao quadro de falta de ar e demandou socorro médico imediato na última quarta-feira.

Pelas redes sociais, a equipe da parlamentar afirmou que Erundina tem recebido muitas mensagens de carinho. “São inúmeras as manifestações de amor e carinho. O afeto é uma ferramenta de luta política!”

O Polo Azulão foi o grande destaque do São João de Caruaru da última sexta-feira (7). Com um público recorde, o espaço, que este ano está com uma nova configuração, ficou lotado de espectadores que vieram prestigiar os shows de Edson Gomes, Paulo Miklos e Trajano. A diversidade de atrações agradou a todos os presentes, mostrando a versatilidade e o apelo popular do evento, que consegue atrair pessoas de diferentes gostos e idades.

Presente no local, o prefeito Rodrigo Pinheiro comemorou o sucesso da noite e ressaltou a importância de oferecer uma programação variada. “Estamos muito felizes com a lotação do Polo Azulão. Isso demonstra que há espaço para todo tipo de público em nosso São João. A aprovação do público é a nossa maior recompensa”, afirmou Pinheiro.

O prefeito também destacou o clima de tranquilidade e segurança que permeou a noite. “Ver o público aproveitando de maneira segura e pacífica é motivo de grande orgulho para nós. Continuaremos empenhados para que o São João de Caruaru siga sendo o maior e melhor do mundo, proporcionando momentos inesquecíveis para todos”, concluiu. 

O segundo maior equipamento de saúde construído pelo prefeito de São Lourenço da Mata, Vinícius Labanca, chamado de Centro de Especialidades Vereador Nelson Sátiro, foi entregue nesta sexta-feira (7). Localizado na Vila do Reinado, a nova unidade de saúde vai oferecer mais de 18 especialidades, dentista 24h e ambulância disponível para quem precisar. 

“Essa unidade estava em condições precárias quando recebemos a prefeitura. Era desumano oferecer aquilo para nosso povo. Por isso, desde o início da gestão, estive preocupado em resolver esse problema. Derrubamos o antigo posto e reconstruímos tudo. Agora, o Centro de Especialidades Médicas Vereador Nelson Sátiro vai ofertar 18 especialidades para a população, dentista 24h e ambulância, caso alguém precise. Desde o primeiro dia de gestão, a nossa preocupação é oferecer um serviço digno e de qualidade pro povo de São Lourenço da Mata”, destacou.

A professora e escritora Nelly Carvalho faleceu neste sábado (8), no Recife, aos 88 anos. Nelly Carvalho possuía uma vasta carreira na área da comunicação e linguística, com diversos livros publicados, além de integrar a Academia Pernambucana de Letras (APL).

Recifense, Nelly faleceu no início da madrugada, no Hospital Memorial Star, no bairro da Boa Vista, região central da capital pernambucana, devido a um choque séptico decorrente de broncopneumonia. Ela havia sido hospitalizada horas antes, na noite dessa sexta (7).

Iniciado às 16h deste sábado, o velório da professora será realizado até às 19h, no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife. Em seguida, haverá a cremação.

O cantor Lulu Santos cancelou a sua apresentação no festival João Rock, que será realizado em Ribeirão Preto, no interior de SP, neste sábado (8). Em nota, a assessoria do artista informou que ele sofreu um mal-estar na tarde desta sexta-feira (7), em sua casa, no Rio de Janeiro, e precisou ser internado em uma clínica na cidade carioca.

Ainda de acordo com a equipe, o cantor permanecerá em observação clínica nas próximas 48 horas. O quadro de saúde é estável. No entanto, por conta disso, as apresentações no João Rock e no festival Salve o Sul, marcadas para amanhã, precisaram ser canceladas. As informações são da ISTOÉ.