Sebrae - Estamos ai

Olinda: a cidade que era “dormitório”, hoje, é cenário de oportunidades

Por Mirella Almeida*

Olinda é uma cidade que encanta os olhos de todos e que possui grande potencial para várias áreas. Uma delas é o desenvolvimento econômico, que possibilita o impulsionamento para a geração de empregos e o empreendedorismo. Sobre esse assunto, a Marim dos Caetés tem representativos números para apresentar e destacar que, a cada dia, a fama de “Cidade-Dormitório” é coisa do passado.

Mais de 10 mil novos empregos foram criados entre os anos de 2021 e 2023, conforme aponta o levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Cerca de 16 mil pequenos, médios e grandes empreendimentos se instalaram no município desde o ano de 2017, segundo o Ministério da Fazenda.

No entanto, um passado não muito distante apontava dificuldade para a Marim dos Caetés garantir maior empregabilidade para a população. A baixa probabilidade do município sediar indústrias era um dos motivos para esse contexto. Mas ela não poderia ser vista apenas como empecilho. Havia a necessidade de ser adotada uma nova perspectiva para a garantia da geração de novas oportunidades.

O baixo investimento em infraestrutura também era uma das causas da escassez de oportunidades no município. Empresas estavam fechando as portas por terem se instalado em áreas que ficaram impraticáveis para o comércio, devido às más condições de acesso. Um exemplo disso foi a Av. Presidente Kennedy, antigamente conhecida como a “avenida da morte”.

Com a gestão do Professor Lupércio, infraestrutura se tornou uma das grandes prioridades. A tão esperada obra da Nova Kennedy saiu e mudou o cenário da avenida, garantindo melhores condições de acesso e mais qualidade de vida para a população. Essa nova perspectiva também foi positiva para a economia.

O investimento em infraestrutura trouxe bons resultados. Antes mesmo das obras da Nova Kennedy terem sido finalizadas, a avenida já registrava a abertura de aproximadamente 100 novos empreendimentos. Fazem parte da lista, inclusive, unidades dos Grupos Mateus e Assaí, grandes supermercados atacadistas.  

Essa experiência de sucesso com a Kennedy agora está sendo aplicada em um outro grande polo econômico: as Avenidas Getúlio Vargas, José Augusto Moreira e a Rua Cândido Pessoa. As obras do Programa Novo Caminho vêm garantindo a reestruturação na infraestrutura para trazer maior dinamismo não apenas para a mobilidade, mas também na movimentação diária no comércio, melhorando a economia e a qualidade de vida. É com determinação e planejamento que Olinda segue rumo ao futuro.

*Secretária de Desenvolvimento Econômico, Inovação, Tecnologia e Turismo de Olinda

O deputado federal Pastor Eurico (PL) formalizou o seu apoio, hoje, ao administrador e ex-vereador Milton Micuiba, como pré-candidato pelo União Brasil na disputa pela Prefeitura de São Lourenço da Mata, nas eleições municipais deste ano.

Segundo o deputado, o nome de Milton é o mais indicado para promover as mudanças necessárias na cidade. Além do apoio do Partido Liberal, Milton Micuiba conta também com o aval do Democrata Cristã (DC), presidido em Pernambuco por Edmar de Oliveira.

Almocei, há pouco, com minha equipe no Armênio, do Shopping Plaza, para definir a estrutura da cobertura da festa dos 18 anos deste blog, marcada para a próxima quinta-feira, a partir das 20 horas, no Mirante do Paço. A equipe escalada será coordenada pela editora Ítala Alves e contará com a participação de Jameson Ramos, Edward Pena e Waleska Cambrainha.

Do G1/PE

Manifestantes ocuparam a entrada da prefeitura do Recife e bloquearam a Avenida Cais do Apolo, na manhã de hoje, cobrando a doação de um terreno para a construção de um conjunto habitacional. O grupo é formado por famílias que vivem na Ocupação Ranúsia Alves, no bairro do Engenho do Meio, na Zona Oeste da capital pernambucana.

Segundo a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), o protesto interditou os dois sentidos da Avenida Cais do Apolo, em frente à sede da prefeitura. A via foi liberada por volta das 11h.

O protesto é coordenado pelo Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB). Segundo a organização, a Ocupação Ranúsia Alves abriga mais de 500 famílias em um terreno que pertence à Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Elas esperam a doação de outro local prometido pela prefeitura do Recife para construir um conjunto habitacional.

“A gente, nesse ano, pelo programa Minha Casa Minha Vida Entidades, aprovou a construção desse habitacional com 128 unidades. Só que agora a prefeitura está se recusando a doar o terreno, a não ser que a gente deixe 45 vagas para pessoas indicadas pela prefeitura”, afirmou o coordenador nacional do MLB, Matheus Araújo.

“A gente não concorda porque a demanda da ocupação já é maior que 128. O programa Minha Casa Minha Vida Entidades faz com que quem construa decida quem vai morar. O movimento quer sua autonomia e quer que esse terreno seja doado para a gente construir a habitação”, disse o militante.

Ainda de acordo com ele, as negociações com a Secretaria de Habitação do Recife não resolveram o impasse.

Em nota, a prefeitura disse que:

·      Vai receber uma comissão do MLB nesta terça-feira (21), para avaliar as demandas da Ocupação Ranúsia Alves;

·      O MLB foi beneficiado, através do Minha Casa Minha Vida Entidades, com a doação de um terreno na comunidade do Bariloche, no bairro da Guabiraba, na Zona Norte do Recife, para a construção do habitacional;

·      Disponibilizou equipes para acompanhar o cadastramento social que seria feito pela UFPE;

·      Reitera o compromisso de manter o diálogo com todas entidades e movimentos sociais da cidade.

Procurada pelo G1, a UFPE afirmou que:

·      “Atuou, desde o início, buscando diálogo e atendendo todas as solicitações que foram formalizadas pelos movimentos à frente das ocupações”;

·      “Também buscou apresentar e explicar os usos ativos feitos em ambos os terrenos”;

·      “Entretanto, não houve um comprimento das contrapartidas que haviam sido acordadas, tendo a Justiça Federal definido pela reintegração de posse dos terrenos”;

·      “Aguarda uma manifestação das instituições do governo que devem atuar no caso sobre um encaminhamento;

·      “Também tentou, por diversas vezes, fazer o cadastramento das famílias que ocupam a área onde funciona o Núcleo de Apoio a Eventos, que precisou ser temporariamente desativado”;

·      “Mesmo após intermediação de um oficial de Justiça, o acesso ao local foi impedido por representantes do MLB, o que foi registrado junto ao processo”.

Na noite de ontem, o presidente estadual do partido Progressistas e deputado federal, Eduardo da Fonte, e o seu vice, deputado federal Lula da Fonte, receberam, na sede do partido, o prefeito de Lagoa do Ouro, Edson Quebra Santo, e o secretário de governo Júnior Félix. Na reunião, discutiram a importância econômica da região, a maior produtora de milho de Pernambuco, os investimentos na saúde, educação e a necessidade do recapeamento asfáltico da PE-203, que liga o município à cidade de Garanhuns, sendo fundamental para a mobilidade da população e o escoamento da produção.

“É com muita alegria que recebemos o nosso prefeito Edson Quebra Santo. Lagoa do Ouro é uma cidade importantíssima e a que mais produz milho no estado de Pernambuco. Vamos lutar muito por essa estrada de 14 km que irá assegurar o direito de ir e vir do povo de Lagoa do Ouro”, ressaltou Lula da Fonte. “Quero agradecer ao nosso companheiro Lula da Fonte pelo seu empenho. E, se Deus quiser, tenho certeza de que vamos conseguir asfaltar essa estrada. Somos o município com uma produção de mais de 8 mil hectares de milho. E nada melhor e mais importante que dar esse presente ao povo lagoense”, finalizou o prefeito Édson Quebra Santo.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) participou, hoje, da abertura da 25ª edição da Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios. Os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e o vice-presidente, Geraldo Alckmin (PSB), também estiveram na cerimônia. As informações são do portal G1.

Conhecido como “Marcha dos Prefeitos”, o evento é organizado pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), que tem expectativa de receber mais de 10 mil gestores até quinta-feira (23). A edição de 2024 ocorre em meio à catástrofe ambiental provocada por fortes chuvas e cheias de rios no Rio Grande do Sul, e que já matou 157 pessoas, alagou cidades. O desastre voltou a colocar em debate os sistemas de prevenção de desastres naturais dos municípios.

Vaias e aplausos

Lula não participou da abertura da marcha em 2023, quando foi representado por Alckmin. O petista faria uma viagem à China na ocasião, porém adiou o compromisso por orientação médica ao ser diagnosticado com broncopneumonia bacteriana e viral.

Nesta quinta, o presidente foi recebido com vaias e aplausos, e pareceu incomodado (veja no vídeo acima). Em discurso, o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, criticou as vaias a Lula.

“Eu já desde logo chamo muito atenção do plenário, que nesse plenário nos temos que primar pelo respeito as nossas autoridades. Não estamos aqui para disputa de direita, de centro, de esquerda, aqui estão os municípios do Brasil representado pelos prefeitos e prefeitas”, afirmou.

“Peço encarecidamente ao plenário que aqui não haja vaia, aqui haja nada, nós estamos recebendo convidados e como tal eu tenho feito em todas as marchas quem acompanha sabe disso”, continuou.

Desoneração

Um dos principais temas tratados na véspera da marcha foi a contribuição previdenciária dos pequenos municípios. Na semana passada, o ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), anunciaram um acordo para manter, até o fim deste ano, a alíquota reduzida da contribuição previdenciária, de 8%, paga pelos pequenos municípios.

Haverá aumento gradual do imposto a partir de 2025. O Congresso votará um projeto de lei para que implementar o acordo. Antes, a legislação determinava para as prefeituras a cobrança de 20% sobre os salários dos funcionários. No ano passado, o Congresso aprovou a redução para 8%, o que virou lei. Isso vale para cidades com até 156 mil habitantes.

No discurso nesta quinta, Ziulkoski defendeu a alíquota previdenciária reduzida no salário dos funcionários das prefeituras e citou outros setores, como clubes de futebol e igrejas, com tributação inferior. “Por que nós, que prestamos serviço à sociedade, temos que pagar 22%?”, disse.

Os municípios já começaram a pagar neste ano um valor menor do imposto. Mas, uma decisão de abril do ministro Cristiano Zanin, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu a validade da lei. Após o acordo da última semana, Zanin atendeu pedido do governo e do Congresso e manteve a desoneração da folha de pagamentos dos municípios e de 17 setores intensivos de mão de obra. O presidente do Senado divulgou estimativa da equipe econômica de que a União deixará de arrecadar R$ 7,2 bilhões em 2024 com a medida.

O atual defensor público-geral do Estado, Henrique Seixas, foi reeleito pelos membros da Defensoria Pública de Pernambuco (DPE-PE) para o biênio 2024-2026. Com chapa única, a eleição ocorreu ontem. Após a eleição, Seixas foi à Câmara dos Vereadores, onde recebeu a maior honraria da casa, a medalha de Mérito José Mariano, em homenagem ao Dia da Defensora e Defensor Público, comemorado em 19 de maio.

Em seu discurso de agradecimento, Seixas destacou a importância da homenagem na Câmara Municipal do Recife. “Receber a medalha do Mérito José Mariano não apenas honra e engrandece a Defensoria Pública, mas também traz ainda mais responsabilidade a cada um de nós, defensores e defensoras, em mantermos acesa a chama dos sentimentos e ideais de Justiça”, afirmou.

O senador pernambucano Fernando Dueire (MDB) e o líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT), alinharam, hoje, os principais pontos do projeto de lei da desoneração, previsto para ser votado ainda nessa semana. A matéria garante o percentual de 8% de encargos na folha de pagamentos dos municípios até o final deste ano, com um sistema gradual de reoneração a partir de 2025. Dueire participou, ao lado do presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (PSD), e o autor do projeto, senador Efraim Filho (União), da resistência junto à equipe econômica que queria ampliar o recolhimento desses tributos para 20% já a partir deste mês.

André Avelar, presidente do diretório municipal do partido Mobiliza! 33 em Olinda, entrou na disputa pela Prefeitura da Marim dos Caetés. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) emitiu a certidão da composição do diretório da legenda na tarde da última sexta feira, possibilitando a candidatura de André. O pré-candidato já foi vereador de Olinda por duas vezes e presidente da Câmara Municipal.

O ápice das comemorações dos 18 anos do blog será na próxima quinta-feira, depois de amanhã. O baile dançante ao som da Super Oara começa de 20h, no Mirante do Paço, com a participação de 12 artistas, todos meus amigos, que se disponibilizaram para dar uma canjinha.

São eles: Alcymar Monteiro, André Rio, Almir Rouche, J. Michillis, Josildo Sá, Novinho da Paraíba, Cristina Amaral, Daniel Bueno, João Lacerda, Geraldo Maia, Walquiria Mendes e Fabiana, a Pimentinha do Nordeste.

Tem muita gente perguntando o traje: será esporte fino. Outro detalhe: não haverá venda de ingressos no local do evento, somente antecipadamente. O pix segue no final do texto.

O valor inclui bebida e jantar. Vamos oferecer o que há de melhor na culinária de todas as regiões do Estado, através do bufê Fiordes.

Doces de sobremesa virão da Tambaú, em Custódia, e os licores caseiros dos mais variados sabores, incluindo até rapadura, de Afogados da Ingazeira. Mangas e uvas, de Petrolina, a Califórnia brasileira.

Já o bolo foi encomendado por Branca e minha Nayla à doceira Ana Sophia Siqueira, do Recife, enquanto a ornamentação tem o toque especial e caprichado de Erica Neves.

Uma festa preparada nos mínimos detalhes também não poderia esquecer o translado. A Teletaxi Recife, parceira do evento, será responsável pelo transporte de convidados especiais, garantindo serviço confiável e de qualidade.

Ao longo da festa, o blog irá sortear diárias nos hotéis Marulhos e Nui by MAI, em Porto de Galinhas, Portal de Gravatá, em Gravatá, e Pousada da Paixão, em Nova Jerusalém.

Em tempo: a festa é de adesão.

Mais informações no telefone e WhatsApp: (81) 9.8222-4888.

Compra somente antecipada e no pix abaixo.

87999579702

Considerado o favorito do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para a disputa pela presidência da Câmara, o líder do PSD, Antônio Brito (BA), ganhou a simpatia de aliados do ex-presidente Jair Bolsonaro nas últimas semanas. O parlamentar baiano estreitou o diálogo com o PL, maior partido da Casa, enquanto seu adversário na corrida, Marcos Pereira (Republicanos-SP), foi novamente rejeitado por Bolsonaro, como revelou a Coluna do Estadão.

Brito apresentou um projeto de resolução para dar o nome de Amália Barros ao prêmio de inclusão da Câmara. A proposta aconteceu após ele conhecer pessoalmente ex-primeira-dama Michele Bolsonaro no sepultamento da deputada do PL, que faleceu no dia 12 de maio. O gesto foi bem recebido pelo grupo.

O deputado baiano também atendeu a um pedido da bancada do PL pelo adiamento da votação do projeto que regulamenta o streaming no Brasil, que seria votado na semana passada. Sabendo da posição da direita contra a proposta, Brito chegou a levar a ala bolsonarista do seu partido para uma visita à liderança do PL. O líder do PSD ainda sinalizou que liberaria sua bancada quando o texto fosse votado no plenário.

Na avaliação desses bolsonaristas, os gestos contrastaram com o movimento feito por Marcos Pereira, que é presidente do Republicanos e declarou apoio à regulamentação das redes sociais, outra proposta que encontra forte resistência entre os conservadores. A declaração levou Bolsonaro a sepultar qualquer chance de apoiar ou liberar a adesão de aliados à candidatura de Pereira.

Nos bastidores, deputados interpretam que a estratégia de Brito é tentar vencer como “candidato de todos, mas contra ninguém”. Quer apoio do Planalto, mas afirma aos pares que não será subserviente ao presidente Lula. Quer apoio da oposição, mas não há chances de atrapalhar a vida do governo, principalmente em temas econômicos, pois seu partido tem três ministérios: de Minas e Energia, da Pesca e da Agricultura. O desafio dele será garantir o apoio do Centrão, grupo que tem Elmar Nascimento (União-BA) como candidato natural.

O Tribunal Superior Eleitoral deve retomar, hoje, o julgamento dos recursos contra a decisão que absolveu o senador Sergio Moro (União Brasil-PR). A Corte Eleitoral avalia pedidos apresentados pelo PL e a Federação Brasil da Esperança (que reúne PT, PCdoB e PV) para rever a decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná, que rejeitou as acusações de abuso de poder econômico, caixa dois e uso indevido dos meios de comunicação.

Na prática, o tribunal regional manteve o mandato de Moro como senador. O caso começou a ser julgado na última quinta-feira (16). Na ocasião, o relator, ministro Floriano de Azevedo Marques, apresentou um resumo do andamento do caso. Na sessão desta terça, advogados dos envolvidos do processo e o Ministério Público Eleitoral devem apresentar seus argumentos. Na sequência, os ministros devem apresentar seus votos.

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), foi poupado pelos entrevistadores do programa “Roda Viva”, da TV Cultura, na noite de ontem. Em alguns momentos o debate foi direcionado para temas ligados ao meio ambiente, como algumas normas estaduais flexibilizadas pela administração do tucano – como se isso tivesse sido o motivo principal das enchentes recentes.

Sobre a reforma do código ambiental estadual, o governador gaúcho respondeu que não houve flexibilização, mas uma atualização das normas para que fossem condizentes com as leis federais. Mas não houve questionamentos diretos sobre falhas objetivas no sistema de prevenção de alagamentos que estava defeituoso na região de Porto Alegre e permitiu o desastre. As informações são do portal Poder360.

A capital gaúcha tem um sistema com 14 comportas (grandes portas de aço) e 23 bombas de sucção de água que permitem que a cidade resista até a chamada cota 6 (até 6 metros acima do nível do mar). Em nenhum momento houve água nesse nível na enchente recente.

O que aconteceu foi uma série de defeitos nas comportas, como falta de vedação e o fato de vários motores para movimentar as portas terem sido roubados e nunca repostos. Também houve falhas nas bombas de sucção, pois só 4 conseguiram operar durante as chuvas. Clique aqui e confira a matéria na íntegra.

Por Magno Martins – exclusivo para a Folha de Pernambuco

Tão logo tomou posse, ontem, em Brasília, para mais um mandato à frente da Confederação Nacional dos Municípios, o presidente Paulo Ziulkoski fez uma ampla avaliação das dívidas previdenciárias, a desoneração da folha de pagamento e o impacto dos desastres naturais nos municípios. “Os problemas, as mazelas das prefeituras do Brasil têm espectro muito mais amplo do que a mídia tem abordado”, alertou.

Sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 66/2023, em tramitação no Senado, além de tratar do endividamento dos municípios do regime geral prevê, segundo ele, a desoneração permanente da folha de pagamento, mudanças no regime de pagamento dos precatórios, dentre outros pontos. “O valor das dívidas de 4,2 mil prefeituras com o sistema regime geral é de R$ 248 bilhões. Está em negociação, o chamado refis, e o volume de recursos não implica em nenhum tipo de recurso da União”, disse.

Pelos dados da CNM, além da situação das prefeituras com a previdência geral, 81% dos 2.180 municípios com Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) têm débitos; e o valor da dívida está em mais de R$ 312 bilhões. No entanto, segundo Ziulkoski, a questão mais grave é o impacto do aumento da folha, assim como o cálculo atuarial dos Fundos Próprios de Previdência. “Esses 2.180 municípios devem R$ 1,1 trilhão de passivo atuarial”, denunciou, acrescentando que o pagamento do valor atrasado supera 100% da folha dos municípios.

“O funcionalismo público cresceu 12,5% entre 2010 e 2022, aumentou de 11 milhões para 12,4 milhões. Contudo, enquanto a União e os Estados tiveram contingente de 2,4% e 10,2% maior, respectivamente, as prefeituras precisaram contratar 31% a mais, passando de 5,8 milhões para 7,6 milhões. A maior expansão de servidores foi nas atividades sociais, pois os municípios tiveram de aumentar a quantidade de servidores, de 2,5 milhões para 3,8 milhões, para atender às demandas e executar os programas federais”, informou.

O presidente da CNM tratou também da Emenda Constitucional (EC) 20/1998. Informou que capitais e grandes cidades possuem o fundo próprio, mas a definição das alíquotas, ao longo das duas últimas décadas, foi desvirtuada, tornando o fundo inconstitucional. “Quando se criou o fundo e se colocou a alíquota de 12% para a prefeitura e 5% para o servidor, o fundo ficou insustentável e desobedece à Constituição, que diz que para ter fundo próprio tem que ter equilíbrio atuarial”, afirmou.

Ele também comentou sobre a inclusão de quem não paga a dívida previdenciária no Cauc. O Rio Grande do Sul tem a maior quantidade de municípios com fundo próprio e dívida de R$ 2,3 bilhões e, na Bahia, a maioria dos municípios têm a previdência geral e é por isso que a ”Bahia concentra 22% da dívida dos municípios – R$ 44 bilhões”. Em relação aos problemas dos municípios com RGPS, Ziulkoski defendeu estender a Reforma da Previdência de 2019 aos municípios e disse que o governo se mostrou favorável a isso.

Inserções provocam crise no PL e vira galhofa

Candidato mais competitivo do bloco das oposições no Recife, tendo aparecido com 22% das intenções de voto na pesquisa do Atlas Intel sem nem ter posto o bloco na rua, o ex-ministro Gilson Machado continua tendo que se sujeitar aos caprichos da família Ferreira no PL, seu partido.

Tudo isso, mesmo sendo hoje a maior liderança e tendo o apoio incondicional do ex-presidente Jair Bolsonaro. Exemplo mais recente desta situação pode se tirar da leitura das inserções de 30 segundos na propaganda eleitoral na TV, que serão veiculadas ao longo desta semana.

Segundo o blog tomou conhecimento, ao invés de o presidente do partido, Anderson Ferreira, propagar a imagem de Gilson, o dirigente se escalou como papagaio de pirata, usando o tempo significativo das inserções para uma campanha de filiação partidária. O que chama atenção ainda é a decisão de Anderson de fazer Gilson dividir o tempo com outros candidatos, ao invés de priorizar a disputa na Capital e Jaboatão.

As inserções, claro, já geraram um novo conflito interno no PL, que continua sendo comandado de forma isolada pela família Ferreira. Nos próximos dias, serão 40 inserções de 30 segundos divididas entre todos os pré-candidatos. Se isso não fosse mais que uma trapalhada, o cômico é ver Anderson, que nem está na disputa municipal, encerrar todos os comerciais pedindo filiação ao partido.

Segundo as bancadas do PL na Câmara Federal e na Alepe, as inserções deveriam priorizar os candidatos a prefeito de peso e não pedidos de filiação partidária. Há inserções com até três pré-candidatos, “uma verdadeira lambança”, conforme definiu um dos liberais.

Os aliados de Gilson acham que Anderson está prejudicando fortemente o processo natural do ex-ministro de conquistar o eleitorado recifense além da fronteira bolsonarista. O mais lógico, evidentemente, seria Gilson ser a vitrine dessas inserções nos horários nobres da televisão. Mas a família Ferreira, sobretudo Anderson, insiste em tocar o partido como se fosse propriedade patriarcal, uma extensão dos seus interesses domésticos.

Mas o que já é evidente é que ele não lidera nem mesmo Mano Medeiros em Jaboatão, que já entendeu que para se reeleger precisa ser ele próprio.

Maior partido do Brasil, o PL parece ser provinciano em Pernambuco.

Novas urnas – O Tribunal Regional Eleitoral iniciou, ontem, a distribuição dos modelos mais atuais de urnas eletrônicas para os colégios eleitorais do Interior. O novo modelo vai substituir as que foram usadas nas eleições de 2010, já no ciclo final de uso. Serão recolhidas para descarte. Petrolina foi a primeira cidade a receber um total de 980. A troca vai contemplar 10 dos 18 polos eleitorais do Estado.

Salve-se quem puder!  – O plano de segurança que a governadora Raquel Mandacaru Lyra lançou, prometendo reduzir em 30% os homicídios no Estado, não serve para absolutamente nada. Sem proteção policial nas ruas, as pessoas vão escapando da morte por milagres, como é o caso de um entregador que reagiu a uma tentativa de assalto em Abreu e Lima e foi “salvo” pela mochila que carregava nas costas. Segundo testemunhas, os bandidos atiraram contra a vítima, mas o tiro atingiu a mochila. O crime foi filmado por uma câmera de segurança e enviado para a TV-Globo.

Duplo feminicídio – Em menos de 24 horas, duas mulheres foram assassinadas no Grande Recife. No domingo, a Polícia Civil registrou a ocorrência em que uma mulher, de nome e idade desconhecidos, foi morta a tiros em via pública, na Comunidade de Cabo Verde, no bairro de Sapucaia, em Olinda. Já em Jaboatão, uma mulher de 25 anos foi encontrada morta dentro de casa, com diversos sinais de ferimentos causados por arma branca. A ocorrência foi registrada pela Força-Tarefa de Homicídios da Região Metropolitana Sul como feminicídio. O corpo da vítima foi encontrado no quarto da residência onde ela morava, na Rua Frei Caneca, no bairro de Cajueiro Seco,

E aí, Governo Lula? – Os números da dengue não param de crescer. O Brasil alcançou, ontem, a marca de 5.100.766 de casos prováveis de dengue em 2024. A informação consta na mais recente atualização do Painel de Monitoramento das Arboviroses, abastecido com base em dados do Ministério da Saúde. No total, são 2.827 mortos pela doença. Esta é a maior quantidade de óbitos confirmados desde o início da série histórica no país, em 2000. O número supera, inclusive, o recorde registrado em todo o ano de 2023 (1.094 mortes).

Fim da era socialista – O reinado do PSB em São José do Egito, no Sertão do Pajeú, terra sagrada da poesia, pode terminar nas eleições deste ano, com a chegada ao poder pela oposição. Já liderando todas as pesquisas, o terror do prefeito Evandro Valadares, que lançou um dentista sócio do seu genro por não poder mais concorrer, atende pelo nome de Fredson Brito, empresário bem-sucedido na área da construção civil e hotelaria. Terá como vice o ex-deputado José Marcos, uma lenda na política do faraó do mote Rogaciano Leite.

Curtas

DÍVIDA – Em entrevista logo após tomar posse, ontem, em Brasília, para mais um mandato à frente da CNM, Paulo Ziulkoski disse que o valor das dívidas de 4,2 mil prefeituras com o sistema regime geral é de R$ 248 bilhões. Segundo ele, está em negociação o chamado refis, cujo volume de recursos não implica em nenhum tipo de recurso da União.

IMPACTO – Pelos dados da CNM, além da situação das prefeituras com a previdência geral, 81% dos 2.180 municípios com Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) têm débitos; e o valor da dívida está em mais de R$ 312 bilhões. No entanto, segundo Ziulkoski, a questão mais grave é o impacto do aumento da folha, assim como o cálculo atuarial dos Fundos Próprios de Previdência.

CONTRATAÇÕES – O funcionalismo público, segundo o presidente da CNN, cresceu 12,5% entre 2010 e 2022, aumentou de 11 milhões para 12,4 milhões. Contudo, enquanto a União e os Estados tiveram contingente de 2,4% e 10,2% maior, respectivamente, as prefeituras precisaram contratar 31% a mais, passando de 5,8 milhões para 7,6 milhões.

Perguntar não ofende: Quantos prefeitos do PSB estão na lista das creches que Raquel Mandacaru mandou licitar?

Apoiado pelo prefeito Antônio Cassiano, o empresário Albino Silva (PP) lidera a primeira pesquisa do Instituto Opinião, em parceria com este blog, para prefeito de Condado, na Zona da Mata, a 58 km do Recife. Se as eleições fossem hoje, ele seria eleito com 43,7% dos votos, enquanto o ex-prefeito Edberto Quental (Republicanos) teria 28º%.

Em terceiro lugar aparece Lucas de Paulinho (União Brasil), com 4,9%, e por último Antônio Carlos, com apenas 1,4%. Brancos e nulos somam 7,1% e indecisos chegam a 14,9%. Na espontânea, modelo pelo qual o entrevistado é forçado a lembrar seu candidato preferido sem o auxílio da lista com todos os nomes, Albino também lidera com 31,7%, Quental vem em seguida com 13,4% e os demais pré-candidatos aparecem com menos de 1%.

No quesito rejeição, Quental lidera. Entre os entrevistados, 20,9% disseram que não votariam nele de jeito nenhum, seguido de Antônio Carlos, com 19,4% e Lucas de Paulinho, que tem 14,3% dos entrevistados que não votariam nele de jeito nenhum. Albino é o menos rejeitado. Apenas 10,9% dos entrevistados afirmaram que não votariam nele de jeito nenhum.

O Opinião fez também os confrontos entre o candidato da situação com os da oposição. Albino bate todos eles facilmente. Frente a Edberto Quental, Albino teria 47,4% dos votos contra 34%. Se o adversário isolado fosse Antônio Carlos, a dianteira seria maior ainda: 66% contra 8,6%. Já diante de Lucas, Albino teria 60.6% dos votos contra 16,9%.

Estratificando o levantamento, as maiores taxas de intenção de voto de Albino aparecem entre os eleitores jovens, na faixa de 16 a 24 anos (65,5%), entre os eleitores com grau de instrução superior (56,7%) e entre os eleitores com renda familiar acima de cinco salários (48,4%). Por sexo, 43,8% dos seus eleitores são homens e 43,6% são mulheres.

Já Edberto Quental aparece mais bem situado entre os eleitores na faixa etária acima de 60 anos (41,7%), entre os eleitores com grau de instrução até o 9º ano (36,1%) e entre os eleitores com renda familiar entre dois e cinco salários (30,4%). Por sexo, 29,3% dos seus eleitores são mulheres e 26,5% são homens.

Em Condado, o Opinião aplicou 350 questionários entre os dias 16 e 17 deste mês. O intervalo de confiança estimado é de 95,0% e a margem de erro máxima estimada é de 5,2 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação. A pesquisa foi registrada na justiça eleitoral sob o protocolo de número PE-06130/2024.

AVALIAÇÃO DE GESTÃO

O Opinião mediu também o grau de satisfação da população do Condado com os três níveis de poder – federal, estadual e municipal. O Governo Lula é aprovado por 64,3% e reprovado por 23,.7%. Já a gestão de Raquel é o inverso. Tem 51,4% de desaprovação e apenas 33.7% de aprovação. Por fim, o Governo do prefeito Cassiano tem 62,6% de aprovação e 28,6% de desaprovação.

Se ontem Belo Jardim, no Agreste, dormiu mais tarde para aguardar a pesquisa para prefeito, exclusiva do Opinião em parceria com este blog, hoje quem vai ficar acordada é a população de Condado, na Zona da Mata, a 58 km do Recife. Exatamente à meia-noite, saem os primeiros números da corrida eleitoral para prefeito do município. Vale a pena esperar!