FMO - Processo Seletivo 2024

Prefeito nega apadrinhamento de FBC em emenda para Paudalho

Em contato, há pouco, com o blog, o prefeito de Paudalho, Marcelo Gouveia (Podemos), negou que a emenda de R$ 12,1 milhão, liberada e objeto de uma assinatura de ordem serviço pela governadora Raquel Lyra (PSDB), ontem, no município, num projeto para incrementar o turismo religioso, tenha sido apadrinhada pelo ex-senador Fernando Bezerra Coelho (MDB).

“A emenda é de bancada e teve como grande articulador o ex-deputado Ricardo Teobaldo. Fernando não tem nada a ver com isso”, afirmou, adiantando que a emenda foi parar nos empenhos da Codevasf por ser liberada com mais rapidez e menos burocracia. “Trata-se de uma emenda que foi para a Codevasf, é verdade, mas impositiva, de bancada, carimbada pelo Governo Federal”, afirmou. 

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) negou, hoje, que Carlos Bolsonaro (Republicanos), vereador do Rio de Janeiro, e os outros filhos políticos, tenham pedido informações para Alexandre Ramagem (PL), ex-chefe da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Em entrevista à CNN Brasil, o ex-chefe do Executivo disse que não recebeu qualquer informação ou relatório da agência e falou em “perseguição claríssima” contra ele e os filhos. “Jamais meu filho pediria algo que não é legal para o Ramagem”, afirmou o ex-presidente.

O ex-presidente disse ainda que nunca buscou informações “de quem quer que seja”. “Eu gostaria de saber o que foi informado pelo Ramagem de volta. Obviamente, nos órgãos do governo, é comum as pessoas fazerem questionamentos. O que foi perguntado? Se é o andamento de um processo, não tem problema nenhum. Se é interferência, é outra questão. O que foi informado pelo delegado Ramagem? O que estava sendo investigado nesse processo, parece que é de 2020 essa mensagem? Que processo é esse? O que estava sendo investigado? Eu nunca busquei colher dados de quem quer que seja para me defender”, disse.

Mensagens enviadas por uma assessora de Carlos Bolsonaro o colocaram no centro da investigação da PF sobre o esquema de espionagem ilegal que teria sido montado na Abin durante o governo Bolsonaro. Luciana Almeida pediu a uma assessora de Ramagem, na época diretor da Abin, informações sobre dois inquéritos de interesse da família Bolsonaro.

“Estou precisando muito de uma ajuda”, escreve Luciana à auxiliar de Ramagem ao informar o número das investigações e indicar que elas envolveriam o “PR (presidente da República) e 3 filhos”.

Segundo a PF, o filho do ex-presidente e o então diretor da Abin conversavam por meio das assessoras para evitar deixar “vestígios”. Carlos ainda não se manifestou sobre a investigação.

O ex-presidente negou que tenha recebido “qualquer informação ou relatório da agência de inteligência”. “Eu raramente tinha contato com a Abin. Nunca recebi informação, localização geográfica, de quem quer que seja. Nunca precisei disso. Não pedi e não tive qualquer relatório da Abin”, afirmou.

Ao pedir autorização do Supremo Tribunal Federal (STF) para fazer buscas em endereços ligados ao vereador carioca, a PF afirmou que ele fez parte do “núcleo político” do grupo que teria se instalado na Abin no governo do ex-presidente. A polícia chama os investigados de “organização criminosa” e vê indícios de espionagem ilegal e aparelhamento dos sistemas de inteligência.

Para a PF, as mensagens entre a assessora de Carlos Bolsonaro e a auxiliar de Ramagem confirmam que aliados de Bolsonaro tinham acesso direito ao ex-diretor da Abin e usavam o canal para conseguir informações sigilosas e sobre “ações não totalmente esclarecidas”.

A Polícia Federal acredita que o aparato da Abin tenha sido usado para monitorar políticos de oposição ao governo do ex-presidente e para auxiliar a defesa de filhos de Bolsonaro em investigações criminais. A agência também teria sido usada para atacar as urnas e para tentar associar ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) ao Primeiro Comando da Capital (PCC).

A governadora Raquel Lyra (PSDB) fez uma festa em Paudalho, ontem, para assinar uma ordem de serviço, no valor de R$ 12,1 milhão, destinada a tirar do papel um sonho da população, um projeto antigo do prefeito Marcelo Gouveia (Podemos). Bateram palmas para a tucana várias lideranças do município e até o ministro dos Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho.

A princípio, a impressão que passou é que a governadora começou a abrir o cofre do Estado, que está cheio feito uma botija, segundo propagam seus asseclas. Mas a história não é bem assim. Os R$ 12 milhões, na verdade, também não caíram do céu. Só chegou ao município por interesse do ex-senador Fernando Bezerra Coelho (MDB).

Mas, estranhamente, ninguém citou o pai da emenda, o próprio FBC. Foi proposital ou alguém proibiu? Nem o prefeito, que era aliado do ex-senador, fez justiça, citando que conseguiu a emenda quando estava alinhado ao grupo Coelho.

A política tem dessas coisas. Omissão é crime! Se apropriar do alheio, também!

Petrolina - Bora cuidar mais

O fomento da bioeconomia do Nordeste aplicada à saúde é o principal objetivo da mais nova rede colaborativa construída pela Sudene. A Rede Impacta Bioeconomia foi lançada, hoje, numa parceria da instituição com as universidades federais de Pernambuco (UFPE) e Vale do São Francisco (Univasf). A iniciativa prevê a produção de medicamentos a partir da pesquisa e inovação, centrada nos agricultores familiares agroecológicos, da fauna e da flora dos biomas existentes na região – caatinga, mata atlântica e cerrado. 

“Essa iniciativa fala para a inovação, a sustentabilidade, o meio ambiente e a nova política industrial brasileira. Nós queremos apoiar a geração de bioeconomia, enxergando o território, a biodiversidade e o desenvolvimento sustentável do Nordeste”, afirmou o superintendente da Sudene, Danilo Cabral. Ele destacou que a identificação de produtos e cadeias de valor para o aumento da produção, beneficiamentos diversos e geração de renda para a população dialoga diretamente com o Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE). 

Presente ao evento, o pró-reitor de Pesquisa e Inovação da UFPE, Pedro Carelli, frisou que a Rede é uma ação estratégica por se propor a uma visão do ciclo completo, desde a pesquisa, atuação nas pequenas comunidades, orientação, geração das cadeias de valor, a pesquisa para geração de produtos a partir da biodiversidade. “Acho que se fala muito na Amazônia, mas a gente também tem que olhar a Caatinga, porque é um bioma muito diverso, de uma riqueza enorme. A gente fala em biodiversidade há muito tempo no Brasil, mas estamos ainda muito aquém em termos de pesquisa, de como usar isso para geração de valor e agregação de valor econômico mesmo para o desenvolvimento do país”, disse. 

A professora Mônica Felts, uma das coordenadoras do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Positiva do Complexo Industrial da Saúde 4.0 (INCT TEC CIS 4.0) e também da Rede Impacta Bioeconomia, explicou que, a partir do olhar para a biodiversidade, haverá uma busca de bioativos e bioinsumos que possam ser extraídos de forma sustentável do território, gerando renda, industrialização, desenvolvimento socioeconômico e proteção ambiental. 

Para chegar à produção de medicamentos, haverá um movimento de transição, de acordo com a professora. “Começaremos a produzir suplementos funcionais e alimentares, defensivos agrícolas, cosméticos inteligentes, bioinsumos funcionais e farmacêuticos ativos e, posteriormente, medicamentos. Não queremos só extrair os insumos, queremos criar tecnologias e aperfeiçoar as existentes, além de agregar valor à produção”, reforçou Mônica Felts. 

Com um investimento de R$ 553,7 mil da Sudene, a Rede Impacta Bioeconomia conta com seis metas. A primeira trabalhará os derivados do umbu; a segunda do maracujá-da-caatinga; a terceira, da pitanga, da acerola e do melão-de-são-caetano. Já a quarta meta terá como foco a criação de defensivos agrícolas; a quinta será voltada para o mapeamento das cadeias de valor e a sexta atuará a partir da produção de mel de abelhas. 

A estruturação da Rede Impacta Bioeconomia terá início com identificação das organizações socioprodutivas (associações e cooperativas, principalmente) com maior nível de solidez para a realização de estudos com espécies vegetais e animais. Inicialmente, o projeto terá foco na área de influência da Região Integrada de Desenvolvimento Petrolina-Juazeiro e na Mata Atlântica, mas com estratégia de ser articulada para todo o Nordeste. A ideia é expandir a iniciativa para toda Região, firmando novas parcerias ao longo dos próximos anos. 

“Identificamos duas cooperativas – a Coopercuc (Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá) e a Cooates (Cooperativa de Trabalho Agrícola, Assistência Técnica e Serviços), em Pernambuco – para o início do projeto”, disse a professora Mônica Felts. Localizada na Bahia, a Coopercuc trabalha, especialmente, com produtos oriundos do extrativismo do umbu e do maracujá-da-caatinga. Já a Cooates, sediada em Barreiros, na zona da mata de Pernambuco, atua com a produção de mel e extrato de própolis. 

Em fevereiro, a Rede Impacta Bioeconomia será formalizada com a Univasf, em Petrolina (PE). O superintendente da Sudene, Danilo Cabral, enfatizou que a parceria com as universidades consolida a aproximação entre as instituições, recompondo os elos em prol do desenvolvimento regional. “Precisamos integrar as políticas públicas, aproveitando a janela de oportunidades que a pauta da sustentabilidade traz para a Região, com o olhar da equidade”, acrescentou, lembrando que essa é uma orientação do Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional, na perspectiva do Complexo Econômico Industrial da Saúde, estratégia do atual Ministério da Saúde incorporada à Nova Política Industrial recém-lançada pelo Governo Federal.

Ipojuca - App 153

O deputado federal José Guimarães (PT-CE), líder do governo na Câmara dos Deputados, defendeu, hoje, a reformulação total da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). O pronunciamento foi feito depois de a Polícia Federal (PF) deflagrar uma nova fase da operação que apura o funcionamento paralelo da Abin para monitoramento ilegal durante a gestão de Alexandre Ramagem.

“A mistura do público com o privado é uma agressão aos princípios da Administração Pública. Os fatos que foram revelados demonstram a necessidade urgente de reformulação total da ABIN. A Agência deve servir ao País e não aos interesses pessoais. É preciso um novo modelo!”, escreveu Guimarães no X, antigo Twitter.

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) também se manifestou de forma semelhante. “As democracias não convivem com estruturas paraestatais, paralelas e clandestinas. É imperioso reformular o modelo atual de ‘inteligência’, que é a tradução de crises e crimes”, argumentou.

Citi Hoteis

Na decisão que autorizou a operação da Polícia Federal de hoje, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou que as “provas indicam”, de forma “significativa”, a existência de uma “organização criminosa infiltrada na Abin”. As informações são do blog do Valdo Cruz.

“Desse modo, os elementos de prova colhidos até o momento indicam, de maneira significativa, que a organização criminosa infiltrada na ABIN também se valeu de métodos ilegais para a realização de ações clandestinas direcionadas contra pessoas ideologicamente qualificadas como opositoras”, escreveu o ministro.

Cabo de Santo Agostinho - Refis 2023

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse, hoje, que encaminhará um ofício ao Supremo Tribunal Federal (STF) solicitando a lista de nomes de deputados federais e senadores que possam ter sido monitorados “clandestinamente” pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin).”

‘Encaminharei ao Supremo Tribunal Federal ofício solicitando os possíveis nomes de parlamentares clandestinamente monitorados pela Agência Brasileira de Inteligência, dada a gravidade que um fato dessa natureza representa”, afirmou.

A Polícia Federal investiga se existia uma espécie de “Abin paralela” durante a gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro. Essa estrutura serviria, segundo a apuração, para monitorar ilegalmente autoridades e adversários políticos do núcleo bolsonarista.

Caruaru - Geracao de emprego

Renovei, há pouco, o contrato entre o Blog e o Instituto Opinião, de Campina Grande (PB), para produção e divulgação de pesquisas eleitorais ao longo da campanha municipal deste ano, em Pernambuco. Trata-se de uma parceria de 15 anos. O Opinião tem mais de 30 anos de mercado e é um dos institutos de maior credibilidade do Nordeste.

Joaquim Braga, seu diretor-presidente, veio ao Recife exclusivamente para assinar a renovação. Suas pesquisas, contratadas pelo blog, conseguem atingir uma margem histórica de 98% de acerto em Pernambuco. Somos pioneiros na antecipação do termômetro das eleições via sondagens eleitorais.

Há quatro anos, nas eleições municipais de 2020, a parceria rendeu mais de 100 pesquisas exclusivas em mais de 60 municípios do Estado. Para as eleições deste ano, a meta é crescer em torno de 40% a área territorial pesquisada, do Litoral ao Sertão, já a partir de março.

Belo Jardim - Patrulha noturna

A Polícia Federal (PF) convidou o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (Republicanos) a prestar depoimento na investigação que apura o monitoramento ilegal de autoridades, por parte da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), durante a gestão do ex-diretor-geral Alexandre Ramagem, que comandou o órgão no governo Bolsonaro. O vereador ainda não respondeu se vai aceitar o convite da PF.

Mais cedo, agentes da PF cumpriram mandados de busca e apreensão no gabinete do parlamentar na Câmara Municipal do Rio, em sua residência na Barra da Tijuca e na casa da família em Angra dos Reis, litoral fluminense. A defesa de Carlos Bolsonaro, representada por Antonio Carlos Fonseca, declarou que só irá se manifestar quando tiver acesso ao processo.

Vitória Reconstrução da Praça

As contas do governo central, que engloba Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência Social, registraram déficit primário de R$ 230,5 bilhões em 2023, o segundo pior da história.

O número, divulgado hoje, pela Secretaria do Tesouro Nacional representa 2,1% do Produto Interno Bruto (PIB).

Segundo a pasta, o resultado foi majorado devido, principalmente, ao pagamento do estoque de precatórios em dezembro, que não estava previsto, no valor de R$ 92,4 bilhões.

O déficit primário ocorre quando as despesas do governo superam as receitas. Esta conta, porém, não inclui os custos com o pagamento dos juros da dívida pública.

O saldo final do ano passado é o segundo pior da série histórica iniciada em 1997, melhor apenas que o dado de 2020, quando o governo teve rombo de 940 bilhões de reais em valores corrigidos em meio a enfrentamento da pandemia de Covid-19.

Poucas semanas depois de entregar a reforma e ampliação do aeroporto dos Guararapes, a concessionária Aena, empresa espanhola que há cinco anos administra o terminal de passageiros, anunciou o início das obras de “requalificação do entorno do sítio aeroportuário, da praça Salgado Filho e do antigo terminal de passageiros”. As informações são do portal Marco Zero Conteúdo.

No release distribuído à imprensa na sexta-feira, 19 de janeiro, a empresa informa que a primeira etapa da requalificação acontecerá na “calçada da avenida Mascarenhas de Morais, no trecho que vai do antigo terminal à avenida Centenário Alberto Santos Dumont”.

Quase no final do texto, uma informação aparentemente sem muita importância: “algumas árvores situadas na calçada, no trecho que vai passar pelas intervenções, serão removidas e substituídas por outras espécies”. A realidade é que, em 24 horas, as motosserras da Aena cortaram nada menos que 27 árvores de grande porte saudáveis na calçada da Mascarenhas de Morais.

A justificativa dada pela empresa e aceita pela secretaria municipal de Meio Ambiente do Recife, que autorizou a erradicação das plantas, é que as árvores cortadas impediam “a requalificação do passeio público, quanto afetam a integridade do pavimento e do muro, devido ao tipo de crescimento de suas raízes”.

De acordo com a prefeitura do Recife, a autorização para a concessionária fazer o abate das árvores foi dada licença foi concedida, “sob condicionante do plantio compensatório, também de responsabilidade da concessionária, de 58 novas árvores nativas de grande porte – o dobro do que existia anteriormente”. De acordo com a gestão municipal, teriam sido cortadas 29 árvores, mas a equipe de reportagem contou 27 restos de troncos serrados ao longo da calçada.

Sem detalhar como e onde será feito a compensação ambiental, a empresa informou que novas árvores de espécies diferentes serão replantadas, além de prometer que “as intervenções vão melhorar ainda mais a experiência do passageiro no aeródromo da capital pernambucana, e da população de seu entorno”.

Na Espanha, a Aena fez pior

Em novembro de 2021, o jornal Diário de Sevilla publicou denúncia que a Aena cortou árvores centenárias de um parque vizinho ao aeroporto San Pablo, em Sevilha. A justificativa foi parecida com usada em Recife “as árvores impossibilitam a execução do referido recinto tal como se encontram no traçado do referido recinto”. Nos dois casos, as plantas sequer estavam dentro do aeroporto, mas junto ao muro. Antes disso, em 2004, a empresa foi acusada de derrubar 191 árvores nas margens do rio Jarama, junto ao aeroporto internacional de Barajas, em Madri.

A Polícia Federal teria apreendido, na manhã de hoje, um computador da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) com o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ). O blog da Daniela Lima apurou a informação com uma fonte ligada à operação, mas a PF nega oficialmente.

Um segundo computador da agência foi apreendido na casa de um dos assessores de Carlos Bolsonaro que é casado com uma funcionária da Abin. Formalmente, a Polícia Federal não confirma e nem comenta a apreensão. A agência abriu uma investigação sobre computadores apreendidos durante a operação Vigilância Aproximada.

O filho do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) foi alvo de operação de busca e apreensão, com mira em possíveis destinatários de informações coletadas ilegalmente pela Abin.

O ministro Alexandre de Moraes, relator do caso, é quem assina a autorização para os mandados. A Polícia Federal suspeita que, sob o mandato de Jair Bolsonaro, a Abin atuou como um braço de coleta de informações ilegais, sem autorização judicial, e também como fonte de informações falsas, depois disseminadas por perfis de extrema direita para difamar instituições e autoridades. Foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão:

  • Rio de Janeiro (RJ): 5
  • Angra dos Reis (RJ): 1
  • Brasília (DF): 1
  • Formosa (GO): 1
  • Salvador (BA): 1

A busca em Angra dos Reis ocorreu onde Jair Bolsonaro realizou uma live nas redes sociais no domingo (28). O ex-presidente e os filhos estavam no local durante esta manhã, e deixaram a casa de barco.

Carlos Bolsonaro é vereador desde 2001 e está em seu sexto mandato consecutivo na Câmara Municipal do Rio. Ele foi apontado pelo ex-braço-direito de Jair Bolsonaro, Mauro Cid, como chefe do chamado gabinete do ódio, uma estrutura paralela montada no Palácio do Planalto para atacar adversários e instituições – como o sistema eleitoral brasileiro.

Por Rudolfo Lago – Correio da Manhã

Ao longo dos 50 anos em que exerceu o fotojornalismo, ganhando o reconhecimento de muitos como o melhor repórter fotográfico de política de todos os tempos, houve uma ferramenta que Orlando Brito jamais abandonava. Sua câmera fotográfica. De preferência, da marca alemã Leica, a mesma que foi a preferida de grandes mestres da fotografia, como o francês Cartier-Bresson.

Ao Correio da Manhã, a filha de Orlando Brito, Carolina, conta que a Leica não se separava do fotógrafo nem nos seus momentos de lazer mais prosaicos, como levar um dos seus netos para chupar um picolé. E, assim, com a câmera ao lado, Brito ia observando tudo ao seu redor. Registrando e tornando imortais cada cena que a grande maioria dos olhos comuns nem perceberia.

Uma vez, por exemplo, em uma viagem ao Maranhão, Brito viu uma dessas cenas que ninguém mais percebeu. Era um campo literalmente de várzea. Na maré baixa, servia para a pelada dos meninos. Quando a maré subia, era o espaço da pesca e da sobrevivência das famílias. Assim, ao longo da sua carreira, Brito foi fazendo registros que mostram como o futebol, esporte preferido não apenas do brasileiro, mas da maior parte do mundo, tinha imensa importância sócio-cultural. Para além dos ambientes engravatados do poder em Brasília, espaço principal da atividade jornalística de Orlando Brito, nos campos de futebol, fossem os de grama, fossem os de lama, fosse com elegantes bolas sofisticadas, fosse com bolas de mais, com chuteiras feitas sob medidas ou com pés descalços, ali também se fazia política.

“Em meio a tantas coberturas de acontecimentos políticos, tema ao qual se dedicou por toda sua carreira, notou que futebol era muito mais que apenas uma brincadeira ou um esporte”, diz Carolina. “Sua percepção possibilitou um aprofundado olhar do esporte que está entranhado na alma brasileira. Da sofisticação dos maracanãs à singeleza dos cafundós, do encontro de ídolos e atletas famosos com brasileirinhos simples e desconhecidos do interior”.

Brito deixou a Esplanada dos Ministérios e os outros espaços terrenos em que fotograva no dia 11 de março de 2022. Foi fotografar em outro plano. No próximo dia 8 de fevereiro, quando ele completaria 74 anos, a Editora Almedina Brasil lança, na Livraria da Travessa, em Brasília, o livro “Futebol do Brasil: Sonho e Realidade”. O livro tem o apoio da Reag Investimentos.

“Futebol do Brasil: Sonho e Realidade” é o resultado da reunião de fotos de Brito sobre futebol. Para além dos ambientes da Esplanada dos Ministérios, Brito fez também diversas coberturas esportivas. Cobriu Copas do Mundo e Olimpíadas. Retratou diversos mitos e ídolos do futebol, como Pelé, Ronaldo Fenômeno, Romário, Rivellino. Conquistas e derrotas. Mas também diversos desses momentos do povo e da sua paixão, na terra, na areia, no asfalto, em qualquer lugar onde duas latinhas ou dois chinelos podem demarcar o espaço de um gol e substituir as traves.

O livro, então, contrapõe esses momentos. De um lado, os grandes craques profissionais. De outro, suas facetas do povo. Misturando, então, os sonhos e realidades que ficam entranhados por essa paixão esportiva brasileira.

Vascaíno roxo, bom de bola, segundo a memória de Carolina, Brito era craque mesmo atrás das objetivas. No livro, 155 páginas de rara sensibilidade, segundo Carolina, “editadas com muito esmero”. O preço sugerido é R$ 399.

Orlando Péricles Brito de Oliveira nasceu em 8 de fevereiro de 1950, na cidade de Janaúba, em Minas Gerais. Ao longo de sua carreira, reuniu trabalhos que abrangem os temas da política e da economia, questões sociais, da vida urbana e do interior, terras, povos indígenas, esportes, e diversos outros temas. Fez inúmeras viagens por mais de 60 países, em coberturas presidenciais, papais e esportivas. Acompanhou e fotografou de perto a ditadura militar, presenciou o fechamento do Congresso, registrou torturas, treinamentos militares e, até a sua morte, o dia a dia da política em Brasília, sede do Governo Federal. Fotografou todos os presidentes brasileiros, de Castello Branco e Jair Bolsonaro.

Foi o primeiro brasileiro a ganhar o prêmio World Press Photo do Museu Van Gogh, de Amsterdã e é considerado “hors concours” por ter ganho onze vezes o Prêmio Abril de Fotografia. Mereceu a distinta Bolsa de Fotografia da Fundação Vitae, de São Paulo e prêmios de Aquisição da I Bienal de Fotografia do Museu de Arte de São Paulo-MASP e da Bienal Internacional de Fotografia de Curitiba. Ao morrer, deixou projetos e fotos ainda inéditas, que ficaram sob os cuidados de sua filha Carolina.

Após este blog noticiar, ontem, que um enxame de abelhas migratórias causou um acidente na PB-214, que liga os municípios de Congo e Sumé, na Paraíba, o advogado Cláudio Soares, contratado pela família, informou que, infelizmente, três pessoas morreram devido ao acidente.

As vítimas, que viajavam em uma motocicleta, colidiram com um veículo de passeio que perdeu o controle após ser atacado pelo enxame. O carro atingiu a moto e depois caiu em uma ribanceira.

O enxame atacou a família, deixando-os imobilizados na rodovia após a colisão. O acidente resultou na morte do homem, da mulher e de um menino. Duas pessoas que estavam no carro de passeio sobreviveram ao acidente. Elas foram levadas para um hospital na região.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Álvaro Porto, participou, ontem, da procissão de São Sebastião, em Altinho, no Agreste. O evento foi o ponto alto de umas mais importantes celebrações religiosas do município, cujos festejos foram iniciados na sexta (26) e encerrados ontem. Acompanhando da esposa, prefeita de Canhotinho, Sandra Paes, o deputado foi recebido pelo prefeito Orlando José e pelo pré-candidato a prefeito de Altinho Dr. Júlio Tiago, entre outras lideranças políticas.

De acordo com Porto, pela sua grandiosidade, a festa de São Sebastião se consolidou como uma das manifestações religiosas de maior expressão de todo o Agreste. “Além de ser momento de renovação da fé do povo, trata-se de um evento que incentiva a cultura e o turismo, movimentando a economia do município. O prefeito Orlando José e a população de Altinho estão de parabéns pela bonita festa promovida ao longo de três dias”, disse.

No próximo dia quatro de março, o deputado federal Lula da Fonte, convoca convenção partidária para eleição do diretório do PP no Recife. O momento será marcado pela homologação do mandato do deputado federal Lula da Fonte como presidente do diretório constituído, em apresentação de chapa única e consensual. O evento irá reunir diversas lideranças políticas de todo o estado, em especial, da capital pernambucana.

“Agradeço profundamente pelo reconhecimento e confiança depositados em mim pelos meus companheiros do Partido Progressistas. Assumir a presidência do diretório na nossa capital é um compromisso de fortalecer a nossa atuação partidária no município do Recife, cidade a qual nasci e cresci durante toda minha vida. Estou determinado a liderar com dedicação, promovendo a unidade e o crescimento contínuo do PP”, disse o deputado federal.

Por José Adalbertovsky Ribeiro*

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Primeira Guerra Mundial… Segunda Guerra Mundial… estas são expressões erradíssimas. Já aconteceram milionésimas guerras neste vale de lágrimas e de sangue, a começar pela guerra atômica entre Caim e Abel no paraíso. Ressoa a sentença misteriosa do Salvador da Humanidade, segundo o apóstolo Mateus: “Eu não vim para trazer a paz, eu vim para trazer a espada!”.

As guerras foram inventadas por Lúcifer e seus discípulos, os Anjos Caídos. A primeiríssima guerra universal aconteceu nas esferas celestiais, entre as legiões do Arcanjo Miguel e os dragões da maldade. Anjo formoso e invejoso, Lúcifer, aquele que transporta luz, rebelou-se contra os poderes do Criador, queria arrebatar os luzeiros do céu.

O Arcanjo Miguel e os anjos fiéis pelejaram contra os dragões da maldade. Lúcifer e os Anjos Caídos foram arremessados nas trevas. Ainda hoje vagueiam entre as trevas e a terra para arregimentar partidários do mal.

Helena, esposa do Rei Menelau, de Esparta, era filha de Zeus e tinha a beleza das deusas. O Príncipe Páris, um cara pregador, sequestrou a bela Helena e levou-a para seu reino de Tróia. Helena apaixonou-se pelo príncipe Páris. Assim começou a Guerra Mundial dos Gregos e Troianos.

Os exércitos do Rei Menelau e do seu irmão Agamenon, Rei de Micenas, uniram-se para enfrentar o inimigo. O cerco a Tróia durou 10 anos. Mas, as muralhas de Tróia eram muito fortificadas. O conselheiro Odisseu teve uma ideia genial: fingir rendição e ofertar um presente aos gregos. Foi construído um grande cavalo de madeira, oco por dentro, para abrigar guerreiros e adentrar as muralhas de Tróia. O Cavalo de Tróia cruzou a cidadela. Os guerreiros levados pelo cavalo exterminaram os troianos e venceram a guerra. Helena, a bela, foi resgatada e o Rei Menelau voltou a gemer sem sentir dor.

O imperador Gengis Khan, nascido na Mongólia em 1162 e devolvido às trevas em 1227, foi uma das almas mais sebosas da terra. Era um comunista-nazista autêntico e faz parelha com os genocidas Hitler, Stálin e Pol Pot. Foi o chefe guerreiro que mais conquistou impérios na humanidade, na China, na Pérsia, na Rússia. Matou mais de 30 milhões de humanos no século 13. “Eu sou um flagelo de Deus”, é sua autoconfissão histórica.

O Império Romano durou cinco séculos, de antes de Cristo até os anos 470. O principal hobby dos romanos era fazer guerras, saquear cidades e esfolar os inimigos. Naquele tempo a terra era plana, por isso não havia divulgação na Internet. Eu digo e provo. Taí o pianista ultramarino José Paulo Cavalcanti Filho, a quem rendo todos meus louvores, que não me deixa mentir:

“…O mar com fim será grego ou romano. O mar sem fim é português”, revelou o bem-aventurado poeta Fernando Pessoa. Galileu Galilei inventou a lenda de que a terra é redonda e gira solta ao redor do sol. Desde então o mundo piorou bastante. Culpa de Galileu Galilei. O projeto do Criador do Universo de lançar a espécie humana neste planeta Terra até hoje ainda não deu certo.

*Periodista, escritor e quase poeta