FMO - Processo Seletivo 2024

Secretária de Saúde do Jaboatão nega fechamento de maternidade

Por Juliana Albuquerque – repórter do Blog

O vereador de Jaboatão dos Guararapes Marlus Costa (PL), da bancada de oposição na Câmara, usou a Tribuna da Casa para denunciar que a Prefeitura acumula uma dívida de mais de R$ 8 milhões com o Hospital Memorial Guararapes. Segundo ele, devido ao tamanho da dívida, o único equipamento que funciona como maternidade na cidade corre o risco de fechar. Confira no vídeo abaixo.

A secretária de Saúde do município, Zelma Pessoa, refuta a afirmação. Em nota enviada ao Blog, ela garante ser equivocada a informação sobre um suposto o débito. De acordo com ela, o município vem cumprindo os compromissos assumidos junto aos serviços de maternidade.

Zelma afirmou, ainda, que mesmo com queda das receitas oriundas dos repasses do Fundo de Participação dos Municípios e do ICMS, que atingiram as finanças de quase todas as prefeituras, Jaboatão não poupou esforços para manter a qualidade dos serviços em toda a rede municipal de saúde.

“Existe um passivo no valor de R$ 775 mil (já empenhados) e outro no valor de R$ 693 mil que serão quitados em breve. Para a manutenção do serviço de maternidade do HMG, o município aportou este ano o valor de R$ 4.652,642,16, representando 44% dos recursos recebidos pelo HMG para a realização de 2.187 partos no exercício de 2023”, afirma a nota, assinada por Zelma.

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom, disse, hoje, que o surto de dengue no Brasil faz parte “de um grande aumento em escala global” da doença e que, “a exemplo de muitos países, também enfrenta desafios significativos”.

Neste ano, o país já registrou mais de 360 mil casos (prováveis e confirmados) de dengue, com 40 mortes confirmadas. Isso representa um aumento de 291% em relação ao mesmo período de 2023, quando foram registrados pouco mais de 93 mil casos nas primeiras cinco semanas do ano.

Em visita ao Brasil, ele participou do lançamento de um plano do Ministério da Saúde para eliminação de doenças e infecções que acometem, de forma mais intensa, as populações em situação de maior vulnerabilidade social, como malária, doença de Chagas, sífilis, hepatite B e HIV.

“Este surto de dengue atual faz parte de um grande aumento em escala global da dengue, com mais de 500 milhões de casos e mais de cinco mil óbitos relatados ano passados em 80 países de todas as regiões do mundo”, disse Tedros.

A visita dele ao Brasil acontece em meio ao aumento de casos de dengue no país. O total registrado em janeiro já ultrapassou todos os casos de 2017, quando foram contabilizadas 239.389 notificações.

O governo federal instalou um Centro de Operações de Emergência (COE) contra a dengue e outras arboviroses para coordenar as ações de combate e monitorar o avanço da epidemia.

A cidade do Rio de Janeiro decretou estado de emergência em saúde pública por causa da dengue. A primeira morte no ano foi confirmada.

O governo do Distrito Federal também já tinha tomado decisão semelhante no fim de janeiro por causa do surto da doença: já foram registradas 11 mortes neste ano e foi aberto um hospital de campanha para tratar os doentes.

A ministra da Saúde, Nísia Trindade, descartou, porém, decretar emergência nacional. “Neste momento, não faz sentido uma emergência nacional, o que não quer dizer que não estejamos num estado de alerta e atenção nacional”, afirmou a ministra.

Jaboatão dos Guararapes - Dengue 2024

A Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes firmou parceria com as cidades de Recife e Olinda para permitir a circulação livre de táxis entre os municípios durante o período de carnaval. O convênio, que entra em vigor às 12h desta quinta-feira (8) e se estenderá até as 13h do dia 14 de fevereiro, Quarta-feira de Cinzas, vai simplificar o transporte para os foliões ao longo de todo o período festivo, incluindo a semana pré-carnavalesca.

A iniciativa abrange diversas facilidades para os táxis, incluindo parada e estacionamento, bem como o embarque e desembarque de passageiros em qualquer localidade, desde que observadas as normas reguladoras de trânsito vigentes. Além disso, durante o período de vigência do convênio, os mais de mil táxis cadastrados em Jaboatão estão autorizados a utilizar a Bandeira 2 entre as 22h desta sexta-feira (9) e as 6h do dia 14 de fevereiro. O valor fixo da bandeira continua R$ 5,12, e o custo por quilômetro rodado é de R$ 3,01.

Petrolina - Bora cuidar mais

Ex-vice-prefeito e pré-candidato à Prefeitura de Camaragibe, Bosco Silva se filiou ao Partido Social Democrático e entrou na disputa pelo Executivo Municipal. O ato foi realizado na sede do diretório estadual da legenda, no bairro de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. Bosco teve a ficha abonada pelo presidente do PSD em Pernambuco, o ministro de Pesca e Aquicultura, André de Paula.

“Estamos recebendo com muita alegria em nossos quadros o querido amigo Bosco, um dos políticos mais decentes que conheço, uma pessoa comprometida com a cidade de Camaragibe e que chega ao nosso partido para unir forças”, destacou André. “Bosco é meu amigo pessoal há mais de 30 anos, uma pessoa que admiro. O PSD em Camaragibe vai estar muito bem representado com a sua pré-candidatura. Agora iremos às ruas para ganhar as eleições e servir ao povo”, acrescentou.

“Nós vamos ganhar as eleições. Camaragibe não pode continuar como está, nem muito menos voltar ao passado. A nossa trajetória política foi construída para chegarmos a este momento único. Estamos com toda energia e disposição para subir e descer ladeiras. Iremos ouvir as pessoas que querem mudança, mas mudar com segurança e confiança. Vamos colocar Camaragibe no lugar que merece, no rumo do trabalho e do desenvolvimento”, pontuou Bosco ao agradecer ao ministro André de Paula pelo apoio e a confiança.

Ipojuca - App 153

A Câmara dos Deputados realizou, hoje, a solenidade de entrega da Medalha Mérito Legislativo de 2023. Criada em 1983, a premiação reconhece pessoas ou instituições que tenham prestado serviços relevantes ao Poder Legislativo ou ao Brasil. Pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), o deputado Felipe Carreras indicou o ex-prefeito do Recife Geraldo Júlio para receber a homenagem.

“Geraldo Júlio foi um dos maiores prefeitos da história da nossa capital. Criou programas que até hoje transformam a vida do recifense. Tive a oportunidade de ser seu secretário de turismo e juntos construímos projetos como a Academia Recife, Ciclofaixa, Recife Antigo de Coração e tantos outros. Geraldo é um patrimônio político do nosso partido e do nosso estado e é mais do que justo e merecido receber a maior condecoração da Câmara dos Deputados”, disse Carreras.

Citi Hoteis

Por Juliana Albuquerque – repórter do Blog

Na sessão plenária do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que acontece neste momento, por um placar de 5 votos a favor e 1 contra, os conselheiros decidiram por acatar a medida cautelar do relator Eduardo Porto, que deu a João Campos o direito de manter em seu quadro os servidores do Governo do Estado cedidos à PCR. O único voto contrário foi do conselheiro Carlos Neves.

Em praticamente todas as falas, os conselheiros enfatizaram o fato de que o decreto do Governo do Estado, formalizado no início deste ano, obrigando o retorno imediato ao Estado, além de ter pego todos de surpresa, colocaria em xeque o desempenho do funcionamento da máquina pública da gestão do prefeito do Recife.

Cabo de Santo Agostinho - Refis 2023

Por indicação do deputado federal André Ferreira (PL), a Câmara dos Deputados concedeu a Medalha de Mérito Legislativo ao empresário Jorge Cavalcanti de Petribu, em sessão solene hoje, realizada no plenário Ulisses Guimarães, em Brasília. A honraria é entregue para pessoas ou instituições que tenham prestado serviços relevantes ao Brasil e ao Poder Legislativo brasileiro. O presidente do PL Pernambuco, Anderson Ferreira também participou da cerimônia.

Jorge Petribu é presidente do conselho da Usina Petribu, a mais antiga usina de cana-de-açúcar em funcionamento contínuo no mundo. Fundada em 1729 em Lagoa de Itaenga, interior de Pernambuco, a empresa tem destacada atuação na produção industrial de açúcar, etanol, energia e dióxido de carbono. A empresa ainda se distingue pelo compromisso com a sustentabilidade, com produção de energia limpa para funcionamento próprio e destinação correta de subprodutos da indústria.

“Jorge é a sexta geração de uma família que investiu e investe em Pernambuco, gerando empregos e renda para o nosso estado. Ele representa homens e mulheres que, com muito trabalho e dedicação, constroem verdadeiramente o nosso país”, afirmou André.

Caruaru - Geracao de emprego

Por Juliana Albuquerque – repórter do Blog

Na tentativa de buscar diálogo antes do início do movimento paredista, que tem início na madrugada da sexta-feira gorda, o Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco, liderado por Áureo Cisneiros, buscou, na manhã de hoje, a intermediação do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) como último recurso antes da paralisação.

Há informações de que o Governo do Estado, fechado a qualquer tentativa de diálogo e negociação, já haveria acionado o TJPE para que seja expedido um mandado de segurança para impedir o movimento paredista em pleno Carnaval.

Belo Jardim - Patrulha noturna

Miguel Coelho lamentou o anúncio feito pelos Policiais Civis de Pernambuco, ontem, sobre a paralisação das atividades a partir da próxima sexta-feira (9), véspera do carnaval oficial. A informação foi divulgada após insatisfação gerada em uma reunião entre o Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol-PE) e representantes do atual Governo do Estado. Além disso, o político critica também os resultados dos dados divulgados pela Secretaria de Defesa Social (SDS) de Pernambuco referentes ao primeiro mês de 2024, os quais revelaram um aumento alarmante no número de mortes violentas letais intencionais.

Diante do caos instaurado na Segurança Pública de Pernambuco, Miguel Coelho enfatiza a urgente necessidade de enfrentar esse problema de frente. “O estado precisa encarar de frente esse problema da segurança. As vidas das pessoas dependem da ação do governo, mas nada está sendo feito. Prova disso é a real insatisfação da Polícia Civil ao realizar essa paralisação”, pontua.

“Como sempre tenho falado, é preciso tomar decisões sérias, estruturar as forças policiais, reajustar salários, melhorar o efetivo, cuidar da saúde mental e física. Dar estas condições de trabalho é necessário para que haja um serviço qualificado pelos profissionais tanto da Polícia Civil quanto a Militar”, complementa.

Além da preocupação com a Polícia Civil, Miguel destaca o aumento da violência em janeiro em Pernambuco. Foram registrados 359 casos no primeiro mês do ano, um crescimento de 24,22% em comparação ao mesmo período do ano anterior, marcando o mês com o maior índice de mortalidade desde o início da atual gestão estadual.

“A criminalidade, o tráfico de drogas, o feminicídio, os assaltos em todo o estado precisam de uma resposta através de ações eficazes, mas o que vemos é a ineficácia das medidas adotadas pelo Governo Estadual, que não têm surtido efeitos significativos”, ressaltou Miguel.

Segundo a SDS, 3.637 pessoas foram assassinadas em Pernambuco ao longo de 2023, destacando uma disparidade em relação à tendência nacional, que registrou uma queda de 4% nos índices de violência, segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública. Para Miguel Coelho, o atual governo precisa reconhecer a gravidade da situação e tomar medidas urgentes para fortalecer as forças de segurança e inteligência do estado.

“A população não pode ser refém da violência e nem pagar o preço da incompetência dos governantes. Não adianta ficar de braços cruzados.”, finaliza Miguel Coelho.

Vitória Reconstrução da Praça

Por Rudolfo Lago – Coluna Correio Político do Correio da Manhã

Há, sim, por trás da declaração de guerra do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), ao governo a questão do poder orçamentário. Esse, porém, é um problema que já havia e que já se sabia que provocaria reação. Um fato adicional, porém, no primeiro dia de retomada dos trabalhos do Congresso parece ter sido o estopim da irritação maior de Lira: a decisão do PSB de sair do bloco liderado pelo presidente da Câmara.

No fundo, tudo gira em torno da mesma questão fundamental: poder. Lira briga pelo orçamento porque esse aumento de poder é uma conquista do Legislativo muito debitada a ele. Lira quer continuar dando as cartas mesmo depois que deixar de presidir a Câmara. E é nesse ponto que a saída do PSB do bloco pode virar um início de problema para ele.

Para manter o poder que tem, é fundamental para Lira fazer seu sucessor. E isso passa evidentemente muito pelo comando da maior bancada possível de deputados. É o que Lira obteve com o bloco que formou. Com o PSB, ele somava 176 deputados.

A saída do PSB do bloco coincide com a notícia de que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria começado a se movimentar para inflar dois nomes na sucessão de Lira: o vice-presidente da Câmara, Marcos Pereira (Republicanos-SP), e o líder do PSD, Antonio Brito (BA).

O nome preferido de Lira é o líder do União Brasil, Elmar Nascimento (BA). Ao ver a movimentação coincidir com a saída do PSB, partido do vice-presidente Geraldo Alckmin, Arthur Lira enxergou a possibilidade de uma articulação para atropelá-lo. E reagiu. Vêm daí os recados mais duros do seu discurso na abertura: “Não subestimem esta Mesa Diretora!” Ou: “Errará, insisto, errará grosseiramente qualquer um que aposte numa suposta inércia desta Câmara dos Deputados neste ano de 2024. Seja em razão das eleições municipais (…), seja, ainda, em razão de especulações sobre eleições para a próxima Mesa Diretora”. A briga pelo maior bloco já tinha acontecido no ano passado.

No início do ano passado, articulou-se a criação de um bloco que uniu MDB, PSD, Podemos e PSC. Com 142 deputados, parecia ser um racha no Centrão a desafiar o poder de lira. Que logo uniu o Centrão que ficou com ele ao PDT e ao PSB.

Lira, então, passou a comandar o maior bloco, e manteve o controle da maior parte da Câmara. Com a saída do PSB, seu bloco continuará a ser o maior, com 158 deputados. A não ser que o PSB agora se una ao bloco do MDB/PSD.

Se o PSB passar para o outro bloco, de 142 ele pula para 160. E fica maior que o bloco de Lira por dois deputados. E a perda poderia ser maior. Como noticiou no Correio Bastidores Fernando Molica, também se cogitou a saída do PDT do blocão.

Em princípio, Lira parece agora ter conseguido segurar o PDT. Pelo menos foi o que assegurou ao Correio Político o líder do partido, André Figueiredo (CE). Ele garantiu que os 17 deputados do PDT não sairão do blocão de Lira. A briga terá mais capítulos.

Apesar do tom classificado como “agressivo” do discurso de Arthur Lira (PP-AL) na reabertura dos trabalhos do Legislativo, a equipe de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) acertou que não vai contribuir para o clima piorar entre os dois lados, e deseja reabrir as negociações com o presidente da Câmara dos Deputados. As informações são do blog do Valdo Cruz.

Porém, se ele insistir no tom de guerra, assessores de Lula afirmam que o governo vai negociar diretamente com os líderes da base aliada na Câmara. Na hipótese de Arthur Lira conseguir convencer os líderes a não negociarem com o Palácio do Planalto, o governo conta com a pressão de empresários para que a agenda da pauta econômica não fique paralisada entre os deputados.

Publicamente, líderes da base aliada não criticaram e elogiaram a fala do presidente da Câmara, mas reservadamente, alguns deles reconheceram para assessores de Lula que Lira errou no tom do discurso, gerando um mal-estar além do recomendável com o Palácio do Planalto.

Assessores do presidente da República disseram que Arthur Lira contribuiu mais para fechar portas do que abrir. E que o Palácio do Planalto não vai jogar lenha na fogueira. Vai esperar sinais do presidente da Câmara para baixar as armas, a fim de que sejam retomadas as negociações entre os dois lados.

Lula não acompanhou o discurso de Arthur Lira, mas foi informado por sua equipe do tom e não gostou nem um pouco. A ponto de afirmar à sua equipe que não deseja marcar tão cedo um encontro com o presidente da Câmara, solicitado por Lira na semana passada e que estava sendo negociado para acontecer nesta sexta-feira (9).

“Se a pauta na Câmara ficar travada por causa do Arthur Lira, ele terá de dar satisfação à turma da Faria Lima (mercado financeiro em São Paulo), com quem ele tem excelente relação e não vai gostar de medidas econômicas ficarem paradas no Congresso”, afirmou um assessor de Lula.

Por Juliana Albuquerque – repórter do Blog

Às vésperas do Carnaval, aprovados da Polícia Penal de Pernambuco no certame de 2021 que, até o momento, apesar da urgente necessidade de reforçar a segurança nos presídios do Estado, não foram convocados, realizam, durante todo o dia de hoje, uma campanha de doação de sangue no Hemope. A intenção é chamar a atenção e pressionar o Governo do Estado por novas nomeações. 

Até o momento, apenas 338 policiais penais foram nomeados pelo Governo Raquel Lyra, além de 69 policiais penais mulheres, nomeadas em cumprimento de ordem judicial, foram devidamente empossados. Restam, ainda, cerca de 864 agentes que estão aptos para assumirem e reduzir o déficit existente na segurança penitenciária, alvo de constante de fugas e que virou reduto para o livre comércio de drogas pelos muros das unidades prisionais, e morada de onde o crime organizado comanda sem qualquer represália o crime do lado de fora.

Por Magno Martins – exclusivo para a Folha de Pernambuco

O novo líder do PSB na Câmara dos Deputados, Gervásio Maia (PB), não embarcou no discurso nem na onda do presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), de pressionar e até usar de barganha para convencer o presidente Lula a recuar na decisão de vetar as emendas parlamentares de comissão.

Para ele, compete ao Executivo Federal a responsabilidade de cuidar dos temas da gestão e que se houve o veto, é mais uma oportunidade de sentar e conversar. “É um tempo a mais para amadurecer questões que têm relevância e impactos na economia do País”, disse, ontem, em entrevista à Rede Nordeste de Rádio.

E acrescentou: “Eu imagino que isso precisa ser analisado com maior profundidade para que a gente possa entender os dois lados – o do Executivo e do Congresso. Qualquer medida de força causa prejuízo para o país, e pode arranhar a harmonia entre os poderes. Temos que ir pelo caminho do diálogo. Entendendo, flexibilizando quando necessário, prorrogando prazos se o tema a ser discutido envolver a questão de prazos.  Acho que todo tema que seja eivado de complexidade, ele não pode ser tratado de forma açodada. Tem que existir serenidade no trato, lucidez, bom senso e muito diálogo”.

Na última segunda-feira, Maia deixou o Blocão de partidos liderado pelo presidente da Câmara, Arthur Lira. Sobre o assunto, afirmou que a decisão se deu em sintonia com os demais integrantes da sigla na Câmara. “Me dou muito bem com Arthur Lira e com os líderes dos partidos na Câmara, mas é preciso entender que cada partido tem suas peculiaridades e que isso não pode se misturar. Vamos procurar construir a caminhada em harmonia com todos os partidos da Casa, mas respeitando as peculiaridades internas de cada partido”, explicou o líder do PSB.

“Como nós saímos do bloco antes da instalação da segunda sessão legislativa, a partir de hoje nós estamos aptos, de acordo com o regimento, de participar, de formar o bloco que quisermos e, a melhor parte, sem prazo, para a tomada de decisão”, afirmou o deputado, referindo-se a nova fase que vai liderar o partido sem bloco.

Em complemento, disse que qualquer decisão sobre novas composições só será tomada após o Carnaval. “Vamos nos sentar de forma presencial com todos que integram a bancada do PSB, fazer uma leitura sobre o ano de 2023 e definir o nosso futuro, a nossa caminhada em relação à participação ou não de bloco para o ano de 2024”.

Um incêndio atingiu, na madrugada de hoje, o teatro Valdemar de Oliveira, localizado no bairro da Boa Vista, área central do Recife. De acordo com o Corpo de Bombeiros de Pernambuco, não houve vítimas. 

Em nota, os bombeiros afirmaram não saber o motivo do incêndio. Entretanto, a corporação detalhou que a primeira equipe a chegar no local, por volta das 5h, não encontrou dificuldades para conter as chamas. Ainda segundo os Bombeiros, o teatro encontrava-se em estado de abandono, sem teto. O fogo atingiu as cadeiras remanescentes, além de entulhos que haviam sido jogados no local. Veja o vídeo abaixo:

Verdades de Ives Gandra sobre o STF

Ives Gandra Martins, professor emérito da Faculdade de Direito do Mackenzie, é um dos advogados mais qualificados e respeitados do País. Em entrevista ao Estadão, ele vislumbrou um 2024 mergulhado em ceticismos e desconfianças, especialmente quando espreita tendências do Supremo Tribunal Federal, que ele qualifica cada vez mais ‘politizado’.

“Receio que o Supremo continue invadindo a competência legislativa do Congresso, gerando tensão nas relações com o Parlamento”, disse ele, que está completando 89 anos no próximo dia 12, mas com uma visão bastante lúcida sobre os problemas da justiça brasileira. Segundo o Estadão, não agrada ao lendário jurista de tantas jornadas e embates o fato de que ministros estão chegando à Corte pelo critério ‘amigo do presidente da República’.

Ele se refere a Flávio Dino, o mais recente indicado, que assume dia 24. “Espero que prevaleça o magistrado e não o político, mas também tenho receio que não”, observou. Para o jurista, o STF tem invadido a competência legislativa, tanto do Congresso como do Executivo.

Assume que é contra a fixação de mandato dos ministros, como sugerido por parlamentares insatisfeitos com o que chamam de ‘intromissão’ do Poder vizinho em questões inerentes ao Legislativo, mas tem sugestão a dar.

“Não sou favorável a mandatos, pois traria maior instabilidade, mas gostaria que os ministros não fossem escolhidos com o livre arbítrio de um homem só, e sim de uma lista de 18 nomes indicados 6 pelo Conselho Federal da OAB, 6 pelo Ministério Público (3 Estadual e 3 Federal) e 6 pelos Tribunais Superiores (2 STF, 2 STJ e 2 TST)”, assinalou.

Não houve golpe – Entre uma e outra emenda à conduta da Corte maior, o professor carrega uma certeza: 8 de janeiro não foi golpe de Estado. “Sem armas e sem as Forças Armadas seria impossível um golpe”, avalia. Aos seus olhos, a marcha daquela turba sobre a praça dos poderes ‘foi uma baderna semelhante ao que o PT e MST fizeram na Câmara dos Deputados na Presidência de Michel Temer, com destruição de suas dependências e com punições próprias de uma baderna e não de um golpe’.

A nevada de João – Embora homem público, o prefeito do Recife, João Campos (PSB), é muito jovem e como tal, segundo analistas da cena estadual, tem direito até de “nevar” o cabelo, ou seja, pintar a cabeleira de branco para cair na folia do carnaval. Ele já escolheu até o barbeiro: Rosinaldo Bezerra Mendes, o Mágico Menezes, que trabalha na comunidade de Roda de Fogo, nos Torrões, zona norte da cidade.

Olho no TCE – Por falar no gestor recifense, as atenções se voltam hoje para o Tribunal de Contas do Estado, cujo Pleno julga a medida cautelar do conselheiro Eduardo Porto, favorável ao recurso de João Campos contra a decisão da governadora Raquel Lyra (PSDB) de exigir a volta ao Estado de servidores cedidos aos governos municipais. A sugestão, do conselheiro Rodrigo Novaes, foi acatada pelos demais integrantes do colegiado. Após a decisão do Pleno, ainda caberá recurso. Três conselheiros iriam votar ontem, mas com o adiamento todos os seis conselheiros irão se manifestar.

Política é uma podridão – Muita estranha a notícia de que o ex-deputado federal Wolney Queiroz, atualmente ministro-adjunto da Previdência, tenha indicado Ismênio Bezerra para a Secretaria de Infância e Juventude no Governo Raquel Lyra. Até porque tanto ele como o pai falam horrores da gestora, coisas impublicáveis. Mas como em política os adversários de hoje amanhã são aliados, cartilha podre do oportunismo, a explicação pode estar por aí. É o salve-se quem puder! Melhor tampar o nariz.

Reage, Caruaru! – No caso da sucessão municipal em Caruaru, imagine como se dará a reação do eleitorado a um palanque unindo José Queiroz e Raquel? O caminho parece ser natural, se não o PDT não teria emplacado uma pasta mixuruca na gestão da tucana, tão duramente criticada por Queiroz e o filho quando expelem fogo pela boca feito os dragões.

CURTAS

ESPAÇO DO MDB – Na política de aliciamento de adversários de ontem e aliados de hoje, dizem que o próximo a virar secretário de Raquel é o deputado estadual Jarbas Filho, pela cota do MDB. A governadora virou adepta de São Francisco, do é dando que se recebe.

MAIS UMA VÍTIMA – Há mais de 40 anos como garçom na cozinha do Palácio das Princesas, tendo servido a uma penca de governadores, sendo leve no trato e cozinheiro também de mão cheia, Carlos, o “seu” Carlinhos, não trabalha mais na Copa do poder estadual. Foi demitido pela governadora.

VIVA ITAPETIM! – O prefeito de Itapetim, Adelmo Moura (PSB), levou o município a conquistar o primeiro lugar no Programa Atenção Básica no Pajeú, alcançando também a quarta posição no ranking do Estado e o 75º lugar no plano nacional. Quando se quer, se faz em favor dos mais necessitados.

Perguntar não ofende: Como fica na fita da sucessão o prefeito de Caruaru com a inusitada aliança dos Queiroz com Raquel?

Recebidos por um auxiliar do segundo escalão do Governo Raquel, policiais civis saíram insatisfeitos do encontro e resolveram entrar greve no carnaval, já a partir da meia noite da sexta-feira gorda. A paralisação será por tempo indeterminado.

“Que governo ruim de política. Meu Deus do céu. Primeira vez na vida que eu faço greve para ter início uma negociação. Nem diálogo, nada. Meu Deus do céu! Rapaz, esse povo é muito ruim. Meu Deus do céu. Eu não sei nem explicar. Que povo ruim de política. Ave Maria!”, comentou, indignado, o presidente do Sinpol, Áureo Cisneiros.

Pelas redes sociais, o presidente da Adeppe, delegado Diogo Victor, afirmou que diante da não evolução da mesa de negociação com o Governo do Estado, os delegados reduzam suas metas, entrando, desta forma, em regime de operação padrão.

” Saímos de uma reunião agora, onde nada foi evoluído.  Em que não tivemos uma data para início de uma mesa de negociação. Diante disso, peço que reduzam pela metade suas metas para que o Governo se sensibilize que estamos diante de uma guerra contra o crime organizado no Estado”, recomendou.

O ministro Alexandre Padilha (PT-SP), da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, minimizou, hoje, os atritos do governo Lula com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) sobre o controle do orçamento federal.

Padilha afirmou que Planalto e Congresso foi uma dupla bem-sucedida em 2023 e vai continuar assim em 2024. “Quem apostar em briga, rompimento, falta de parceria governo federal executivo e congresso nacional vai errar de novo”, disse em Santo Antônio de Posse (SP), durante entrega de moradias do Minha Casa, Minha Vida.

A afirmação vai de encontro às declarações de Lira. Ontem, ao discursar na abertura do ano legislativo, o presidente da Câmara disse que o orçamento é de todos os brasileiros, não só do Executivo, e não pode ficar engessado por “burocracia técnica” e por quem não foi eleito.

O mal-estar entre Executivo e Legislativo teve consequências nesta terça. Uma reunião entre o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e líderes partidários da Câmara dos Deputados foi cancelada. Interlocutores das partes disseram ao portal G1 que não havia clima para a discussão da pauta econômica.

“O presidente está muito tranquilo, é muito experiente. Já governou o país outras vezes e eu já fui ministro da articulação política outras vezes. Não tem marinheiro de primeira viagem. Ano passado também faziam críticas parecidas e a dupla (Executivo e Congresso) fez muitos gols”, disse o ministro.