Sebrae - Estamos ai

Secretários tiram dúvidas de deputados sobre projetos da convocação extraordinária

Na manhã desta terça-feira, a Assembleia Legislativa de Pernambuco realizou uma reunião extraordinária conjunta das comissões de Constituição, Legislação e Justiça; Administração Pública; Finanças, Orçamento e Tributação; e Meio Ambiente, Sustentabilidade e Proteção Animal. O encontro teve como objetivo discutir cinco projetos de lei enviados pela governadora Raquel Lyra (PSDB) no mês passado, que não foram votados antes do recesso.

Apesar do convite ter sido feito aos secretários de Planejamento, Fabrício Marques, Fazenda, Wilson de Paula, e Administração, Ana Maraíza, apenas os dois primeiros compareceram. A reunião começou com os representantes do Poder Executivo respondendo a dúvidas sobre as matérias mais controversas.

O Projeto de Lei 2089/2024 prevê uma operação de crédito de R$ 652 milhões junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), destinando R$ 252 milhões ao Programa Sertão Vivo e R$ 400 milhões à infraestrutura. Deputados questionaram a especificidade do uso dos recursos, ao que Fabrício Marques respondeu que o Estado possui uma carteira de obras com estudos concluídos, necessitando apenas do investimento para iniciar as licitações.

Já o PL 2090/2024 autoriza o Estado a contrair um empréstimo de US$ 275 milhões junto ao Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD), com aval do Governo Federal, para refinanciar dívidas públicas. Para isso, Pernambuco, atualmente na categoria “C” do Capag, precisa ingressar no Plano de Promoção do Equilíbrio Fiscal (PEF) e atender a diversas condições para pagar passivos anteriores.

Esses projetos geraram preocupação entre os servidores, pois o PEF exige a adoção de medidas que podem afetar direitos garantidos. Para participar do programa, é necessário aderir a três dos oito itens da legislação federal. O secretário de Planejamento garantiu que não haverá prejuízos para servidores ou contribuintes, afirmando que Pernambuco já cumpre dois itens relacionados à previdência complementar e unificação das contas, e pretende aderir aos leilões de passivos financeiros.

Entretanto, essas questões não estão especificadas no texto enviado à Alepe, o que preocupa representantes sindicais, temendo futuras reformas administrativa ou previdenciária e possíveis concessões/privatizações de empresas públicas, como Compesa e Copergás. Eles demandam que o governo assegure por escrito que tais medidas não ocorrerão, mas Fabrício Marques explicou que será necessário consultar o Governo Federal sobre possíveis alterações no texto do PEF.

O secretário apontou preocupação com o prazo de adesão ao PEF, porque a avaliação do novo Capag pode sair antes de outubro, fazendo com que o Estado suba para a categoria B, ficando inapto para o programa.

A reunião, que durou pouco mais de uma hora, permitiu cobranças e explicações, sem encaminhamentos novos. Os projetos seguirão o período regimental para emendas, que termina no dia 26 deste mês. Após isso, as comissões se reunirão para decidir a data de votação das matérias.

Com informações do Blog Cenário.

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado adiou mais uma vez a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que concede autonomia orçamentária e financeira ao Banco Central. Na semana passada, o líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA), afirmou que o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, estava preocupado com o modelo jurídico proposto no projeto, que transformaria o BC de autarquia em empresa pública. Segundo Jaques, há receio de impacto primário caso a autoridade monetária registre prejuízo.

Após uma semana, contudo, não se chegou a um acordo. O governo enviou uma proposta que mantinha o BC como autarquia (leia mais abaixo), mas não teve aval do autor da PEC, senador Vanderlan Cardoso (PSD-GO), e do relator, senador Plínio Valério (PSDB-AM). O Senado entra em recesso a partir da semana que vem e retorna na primeira semana de agosto.

Segundo Valério, a proposta do governo chegou apenas nesta quarta-feira: “As reivindicações são muitas do governo, algumas pertinentes, outras não. Não posso acatar ou não acatar”.

O presidente da CCJ, Davi Alcolumbre (União-AP), destacou que a PEC vai precisar de 69 votos no plenário do Senado para ser aprovada e ainda terá de passar pela Câmara. Por isso, é importante tentar encontrar o “caminho do centro” no tema. “Se nós ficarmos com intransigência ou de um lado ou de outro, acaba não alcançando o cerne da proposta, que é institucional”.

Com informações do Jornal O Globo.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nesta quarta-feira que levou uma chamada da primeira-dama, Janja, e, por isso, decidiu ler um discurso elaborado pela sua assessoria em um evento com pessoas com deficiência. O petista disse ter tomado a decisão para não “criar um problema”.

Lula participou da 5ª edição da Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência. A conferência foi convocada em abril de 2023 e ocorre em Brasília após as etapas municipais, estaduais e livres.

“Janja me alertou de uma coisa. Ela falou: ‘Amor, tome cuidado com cada palavra que você vai falar porque essa gente tem a sensibilidade aguçada’. Então, eu decidi ler para não falar nenhuma palavra que possa me criar problema”, afirmou Lula.

“Também se eu falar alguma palavra, vocês sabem que nesse assunto vocês são os especialistas. Vocês sabem que eu sou um analfabeto e preciso aprender muito com vocês para a gente aprender a cuidar de vocês com o carinho e com o respeito que é necessário”, completou o petista.

A decisão de ler um discurso preparado pela assessoria ocorre um dia depois de o presidente dar uma declaração controversa sobre violência contra mulheres.

Durante uma reunião nesta terça-feira (16) no Palácio do Planalto, Lula afirmou que é “inacreditável” que a violência contra a mulher aumente depois de jogos de futebol, mas complementou a fala dizendo que “se o cara é corinthiano, tudo bem”.

Do G1.

O Festival Valdir Teles Vive retorna em sua terceira edição anual, homenageando o poeta-repentista falecido em 2020. O evento ocorre no dia 20 de julho, às 20h, no Beco das Artes Dona Tofinha, em Tuparetama.

Este ano, o festival terá a apresentação de cinco duplas de cantadores: Raulino Silva e Felipe Pereira; Zé Cardoso e Biu Dionísio; Jairo Silva e Jeferson Silva; Afonso Pequeno e Diomedes Mariano e Ismael Pereira e André Santos. Mariana Teles, poetisa e filha do homenageado da edição também se apresentará.

Organizado pelos filhos de Valdir, Glaubênio e Mariana, o festival conta com o apoio do Governo de Tuparetama e da Secretaria Municipal de Cultura.

Na manhã de ontem, a prefeita Ana Célia anunciou nas redes sociais o avanço do Minha Casa Minha Vida em Surubim. Serão construídas 144 unidades na Vila da Chã do Marinheiro, resultado de incentivos dos deputados estaduais Rodrigo Farias e Doriel Barros, e dos federais Pedro Campos e Carlos Veras. O superintendente da Sudene, Danilo Cabral, também articulou a implementação do programa no município.

“A portaria publicada autoriza a contratação da empresa para executar a obra. Fomos atrás em Brasília e, com trabalho, o sonho se tornou realidade” afirmou Ana Célia.

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) gravou uma mensagem, nesta quarta-feira, ao lado do pré-candidato à prefeitura do Rio, Alexandre Ramagem, na qual convida eleitores para atos na capital fluminense a partir de amanhã.

Trata-se da primeira aparição dos dois juntos, desde a divulgação de um áudio que mostra Ramagem, Bolsonaro, o general Augusto Heleno e duas advogadas discutindo a participação de auditores da Receita Federal na elaboração de um relatório de inteligência fiscal que originou justamente o inquérito das “rachadinhas” contra Flávio.

Ramagem afirma que o áudio foi feito com o conhecimento do ex-presidente para “registrar um crime”, que, segundo ele, acabou não acontecendo. Os aliados de Bolsonaro garantem que o ex-presidente não sabia que o arquivo seguia armazenado no celular de Ramagem que foi apreendido pela Polícia Federal.

O conteúdo, entretanto, reforçaria o discurso de “perseguição política” e, por isso, não põe fim à candidatura de Ramagem. Ao saber da existência da gravação, Bolsonaro teria se mostrado irritado e chegou-se a especular que Ramagem poderia ser rifado.

O ex-diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) vai prestar depoimento nesta quarta-feira à Polícia Federal (PF) sobre a investigação que apura um suposto esquema de espionagem ilegal praticada durante o governo Jair Bolsonaro. É a primeira vez que ele será ouvido pela PF no caso.

Segundo as investigações, Ramagem era o responsável por comandar uma “estrutura paralela” montada dentro da Abin para monitorar e produzir dossiês contra adversários do governo Bolsonaro, entre eles ministros do Supremo Tribunal Federal, parlamentares, jornalistas e servidores públicos.

O interrogatório foi marcado para as 15 horas desta quarta-feira na superintendência da PF no Rio de Janeiro. Ele está na capital promovendo a sua pré-candidatura à prefeitura do Rio de Janeiro.

Da Agência O Globo.

Com popularidade em alta, o prefeito do Recife, João Campos, está dando uma força aos seus aliados, como o pré-candidato do PSB a prefeito de Vitória de Santo Antão, Aglailson Victor, da sua mesma geração política.

O ministro do Esporte, André Fufuca, diz que haverá consenso na escolha do nome que sucederá Arthur Lira (PP-AL) no comando da Câmara em fevereiro de 2025. As movimentações dos candidatos ao posto de presidente da Casa dos deputados têm gerado burburinhos e especulações em Brasília. Lira disse que deve definir em agosto quem contará com o seu apoio.

“Governo e o Legislativo vão se unir em relação a apoiar apenas um nome. Não vejo clima nem porque esse tipo de cisão na relação entre os dois. Acho que o candidato de um vai ser do outro”, afirma Fufuca, integrante do mesmo partido de Lira e que deixou o mandato de deputado para integrar o governo Lula.

Há dez meses no comando do ministério do Esporte, com a bênção de Lira e do senador Ciro Nogueira (PP-PI), Fufuca reconhece a dificuldade de o seu partido em entregar votos favoráveis ao governo em pautas de costumes e atribui as vitórias do Planalto no Congresso à articulação do presidente da Câmara.

Com informações da Agência O Globo.

Por Assíria Florêncio
Repórter do Blog

O prefeito de Capoeiras, no Agreste, Joaquim Costa Teixeira (PSB), mais conhecido como Nego do Mercado, revelou, há pouco, que sofreu uma tentativa de homicídio na noite da última terça-feira, enquanto cumpria agenda na zona rural. O suspeito foi preso em flagrante pela Polícia Militar.

O gestor assistia a um treino de vaquejada no Parque Gurjão acompanhado de seus filhos quando um homem, de 58 anos, tentou feri-lo na região do pescoço com um golpe de faca. Segundo o prefeito, o suspeito, que “estava aparentemente embriagado”, não é conhecido nem por ele ou por sua equipe nem pelos moradores da região.

Nego estava de costas no momento do ocorrido e não percebeu a chegada do homem. A equipe de segurança do prefeito impediu o ataque imobilizando o agressor.

Em nota, a Polícia Civil de Pernambuco informou que “após os procedimentos administrativos, o suspeito foi encaminhado para a audiência de custódia, ficando à disposição da justiça”.

Também, por meio de nota, a direção do Partido Social Democrático (PSB) informou que prestou solidariedade ao prefeito e passará, a partir de agora, a acompanhar o processo eleitoral no município com mais atenção. No próximo domingo está marcada a convenção que homologará a candidatura do prefeito à reeleição.

Solidariedade

O presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, deputado Álvaro Porto, também expressou a sua solidariedade ao prefeito Nego do Mercado através de nota divulgada à imprensa.

“Registro o meu repúdio a todo e qualquer ato movido pela violência, ódio e intolerância. É inadmissível e inaceitável um episódio desta natureza cometido contra um gestor público ou contra qualquer cidadão ou cidadã. Qualquer tentativa de agressão deve ser rechaçada e punida. Caso contrário, estaremos pondo em risco direitos e, principalmente, a democracia. A escalada de violência observada ainda nesta pré-campanha preocupa e precisa ser combatida com rigor. Que os órgãos responsáveis entrem em ação para coibir e punir os agressores”, escreveu Porto.

O governo anunciou nesta quarta-feira a criação do Sistema Nacional de Cadastro da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (SisTEA). A medida visa facilitar a emissão padronizada da Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (Ciptea). O sistema é gerido pelo Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania.

Lula participou da 5ª edição da Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência. A conferência foi convocada em abril de 2023 e ocorre em Brasília após as etapas municipais, estaduais e livres.

O ex-presidente Donald Trump e o presidente Joe Biden aparecem empatados dentro da margem de erro em pesquisa presidencial da Ipsos/Reuters divulgada ontem. O republicano tem 43%, enquanto o democrata aparece com 41%.

O levantamento da Ipsos ouviu 1.202 adultos, incluindo 992 eleitores registrados, entre os dias 14 e 16 de julho. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Esse foi o primeiro levantamento do instituto após o atentado contra Trump. A pesquisa anterior do instituto, realizada entre os dias 1º e 2 de julho, havia apontado ambos os candidatos com 40% das intenções de voto cada.

Trump, portanto, oscilou dois pontos percentuais para cima, dentro da margem de erro, enquanto Biden oscilou um ponto percentual para cima.

Segundo a agência Reuters, os números sugerem que a tentativa de assassinato contra o ex-presidente “não causaram grande mudança no sentimento do eleitor”.

O sistema eleitoral americano, porém, é indireto: diferentemente do sistema brasileiro, os votos são apurados por estado, e o vencedor de cada unidade da federação leva todos os delegados desta para um colégio eleitoral.

A pesquisa apontou ainda que quatro em cada cinco norte-americanos temem que os Estados Unidos estejam saindo do controle após o atentado contra Trump. Segundo o levantamento:

  • 84% dos eleitores disseram que estão preocupados com atos de violência após a eleição;
  • 5% disseram ser aceitável alguém cometer violência para conseguir um objetivo político;
  • 65% dos republicanos registrados para votar disseram que Trump era favorecido pelo poder divino. O índice é de 11% entre os democratas.

Outros dois levantamentos feitos após o atentado também mostram uma pequena vantagem para Trump. Na pesquisa da Morning Consult, o republicano tem 46% contra 45% de Biden. Já na da 3W Insights, encomendada pelo Partido Democrata, Trump tem vantagem de 47% a 43%.

Uma média feita pelo jornal “The New York Times” com as pesquisas mais recentes aponta que Trump tem 47% contra 45% de Biden.

Com informações do G1.

O vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Geraldo Alckmin, afirmou ontem que a carga tributária no atual governo não aumentou. A declaração foi dada em meio à disseminação, via redes sociais, de memes e outros materiais com desinformação sobre o trabalho do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, impulsionados por opositores do governo.

“Em 2023, a carga tributária bruta foi 32,4% do PIB [Produto Interno Bruto]. Ela era 33,7% até 2022. A carga tributária não só não aumentou no governo do presidente Lula como caiu. Caiu para 32,4%. Então, não teve aumento de carga tributária, até reduziu em 0,6%”, afirmou Alckmin a jornalistas, após se reunir com representantes da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia), que anunciaram investimentos de R$ 120 bilhões ao longo dos próximos anos no país. O vice-presidente reconheceu que a carga tributária nesse patamar é alta para um país em desenvolvimento, mas que o Brasil avançou com a reforma tributária.

“Tem um fato importantíssimo que é a reforma tributária. Simplifica, substitui cinco impostos de consumo, IPI, PIS, Cofins, ISS e ICMS, por um IVA dual. Desonera completamente exportação, desonera completamente investimento. Agora, alguns querem enganar. Não tem aumento nenhum, estamos é simplificando”, reforçou o vice-presidente.

Sobre a lei que estabelece a taxação de compras internacionais de até US$ 50 (cerca de R$ 250), aprovada pelo Congresso e sancionada pelo presidente da República, Alckmin explicou que a medida buscou garantir “lealdade concorrencial” entre empresas estrangeiras e fábricas instaladas no país, que produzem os produtos no território nacional. “O que está se buscando é ter uma lealdade concorrencial. Não é criar nada. Simplesmente aquele tributo que o estrangeiro paga, o importador paga, não ser o dobro ou o triplo que o produtor no Brasil, que está gerando emprego aqui, agregando valor aqui”, disse. O novo texto inclui uma cobrança de 20% sobre o valor de compras dentro desse limite, muito comuns em sites internacionais como Shopee, AliExpress e Shein.

Com informações da Agência Brasil.

Foto: Reprodução

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) virou réu após a denúncia do Ministério Público do Ceará (MP-CE) por violência de gênero contra a senadora Janaína Carla Farias (PT) ser aceita pela Justiça Eleitoral. O anúncio foi feito ontem pelo MP-CE por meio de nota, mas o recebimento da denúncia aconteceu na última quinta-feira. No entendimento do MP, Ciro Gomes desmereceu a senadora “em razão do gênero dela, com insinuações de cunho sexista e misógino”.

O juiz Victor Nunes Barroso, da 115ª Zona Eleitoral, deu um prazo de 10 dias para que Ciro Gomes se manifeste após ser citado. Caso o ex-presidenciável não apresente uma resposta no prazo determinado ele terá um defensor nomeado.

Na denúncia, a promotora eleitoral Sandra Viana Pinheiro, da 114ª Zona Eleitoral de Fortaleza, afirmou que Ciro fez declarações que violam princípios básicos de uma pessoa para “satisfazer a vontade de se impor de forma incontrastável ante a figura feminina e para colher dividendos políticos às custas de sua objetificação”. Ela ainda defende que não há “sombra de dúvidas” de que houve intenção do ex-ministro em atingir a parlamentar.

“Percebe-se, sem sombra de dúvidas, que o denunciado dolosamente almejou constranger e humilhar a senadora da República, Janaína Carla Farias, menosprezando-a por sua condição de mulher, com o indiscutível propósito de dificultar o desempenho de seu mandato junto ao Senado Federal, resultando em agressões à vítima com ofensas sexistas e misóginas”, escreveu a promotora.

A Promotoria Eleitoral baseou sua argumentação no artigo 326-B, do Código Eleitoral, que define como crime de violência política de gênero o ato de “assediar, constranger, humilhar, perseguir ou ameaçar, por qualquer meio, candidata a cargo eletivo ou detentora de mandato eletivo, utilizando-se de menosprezo ou discriminação à condição de mulher ou à sua cor, raça ou etnia, com a finalidade de impedir ou de dificultar a sua campanha eleitoral ou o desempenho de seu mandato eletivo”.

Após a denúncia ser apresentada pelo MP, Ciro Gomes reafirmou os ataques feitos à senadora em entrevista ao GLOBO. Questionado se não era machismo se referir à parlamentar como “cortesã” e assessora para “assuntos de cama”, o ex-ministro respondeu:

“Eu disse isso depois, porque é exatamente o que ela é. Falei que ela era incompetente e despreparada. Nessa entrevista, eu disse que não se faz uma obra pública no Ceará sem cobrança de propina. Falei do patrimonialismo do Camilo Santana. Por isso, veio a derivação para o sexismo. Então, a mulher entra na política e é imune? Ela é, hoje, uma cortesã portando um mandato de senadora. Ela está lá por um capricho do Camilo Santana ou porque ele está sendo chantageado. Não estou falando dela. Estou falando do Camilo”, afirmou.

Com informações do Jornal O Globo.

O presidente Lula (PT) disse acreditar que Donald Trump “vai tentar tirar proveito” do atentado que sofreu durante um comício nos Estados Unidos, no último sábado. O ex-presidente republicano sofreu um ferimento na orelha e precisou ser levado para o hospital.

Em uma entrevista à TV Record, ontem, Lula voltou a condenar o atentado e disse que é necessário ter civilidade na política. O presidente defendeu que as pessoas mantenham o respeito diante das diferenças.

“É abominável qualquer tipo de violência. Não é só com com presidente Trump, é a morte de prefeito numa cidadezinha do interior, morte de um vereador numa cidadezinha de interior. É preciso que a gente volte a ter tolerância”, disse.

Em seguida, Lula afirmou que o atentado pode ter reflexo na eleição presidencial dos Estados Unidos, marcada para novembro, devido à comoção que o episódio provocou na sociedade. Segundo o presidente, tudo dependerá do jeito como Trump “explorar isso”.

“Eu, sinceramente, acho que o Trump vai tentar tirar proveito disso. Aquela foto dele com o braço erguido, aquilo se fosse encomendado não saía melhor. Mas de qualquer forma ele vai explorar isso.”

Para o petista, caberá ao Partido Democrata encontrar um jeito de tentar impedir que Trump consiga votos.

Com informações do G1.

O deputado Chiquinho Brazão (sem partido-RJ) e o conselheiro do Tribunal de Contas do Rio de Janeiro (TCE-RJ) Domingos Brazão negaram qualquer envolvimento com as milícias do Rio de Janeiro. Os dois são acusados de serem os mandantes do assassinato da vereadora Marielle Franco (Psol) e do motorista Anderson Gomes e estão presos desde o dia 24 de março.

Em depoimento por videoconferência no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados, Chiquinho Brazão negou envolvimento nos crimes. “Sou vítima, assim como foi a vereadora Marielle. Não estou envolvido em nada, somos vítimas de uma acusação de um réu confesso para obter benefícios na justiça. Nem imagino porque esse indivíduo, que não conhecemos, está provavelmente protegendo alguém”, disse o deputado.

O nome dos dois irmãos foi apontado pelo ex-policial militar Ronnie Lessa, réu confesso dos crimes, em delação premiada.

O deputado negou que tenha feito reuniões e homenagens a milicianos do Rio de Janeiro e disse que tinha uma boa relação com Marielle. “A minha relação com Marielle era maravilhosa, sempre foi perfeita. Ela ia lá para a gente bater papo, conversar, sempre pedia um chicletinho”, disse Chiquinho Brazão.

Os depoimentos dos dois irmãos fazem parte do processo de cassação do mandato do deputado Chiquinho Brazão, acusado de quebra de decoro parlamentar pela suposta participação no crime.

Domingos Brazão também negou envolvimento com milicianos e disse que não conhece o delegado Rivaldo Barbosa, também acusado de envolvimento no crime. “Sou conselheiro do estado do Rio de Janeiro, mas jamais recebi esse tipo de agenda. Jamais recebi milicianos no Tribunal de Contas”.

Ele se emocionou durante a audiência e disse que confia na absolvição. “Confio na justiça de Deus, confio no Supremo, na seriedade dos ministros e confio que nós seremos absolvidos. Vai ficar essa sequela desse sofrimento”. Com informações da Agência Brasil.

Foto: Reprodução

Pimentel, a nova vítima de Raquel  

Ao tentar se manter no poder em Araripina, a capital do Araripe, a 682 km do Recife, depois de oito anos como prefeito, na tentativa de dar as regras do jogo eleitoral nas eleições de outubro, Raimundo Pimentel, hoje sem partido, depois de abandonar o União Brasil e se filiar ao PDT, só sentiu o baque, ontem, ao perceber que entrou numa grande fria apostando na governadora Raquel Lyra (PSDB) como fiel depositária dos seus interesses.

Raquel deixou o aliado Pimentel sem lenço e sem documento, como diz a canção de Caetano Veloso. Numa entrevista recente em Araripina, o prefeito disse que as questões relacionadas ao PDT, rachado literalmente ao meio em seu município, não eram da alçada dele. “Isso é um problema da governadora, não é meu”, disse Pimentel. O desabafo se deu quando o vice-prefeito Evilásio Mateus, descartado por Pimentel, abriu uma dissidência no PDT e criou as condições para um bate-chapa na convenção com a então candidata oficial, a ex-secretária de Educação, Ana Paula Ramos.

Naquele momento, Pimentel tinha certeza de que ganharia a convenção porque a governadora havia dito a ele que tinha pleno controle do PDT. Tudo mentira! Tudo história de trancoso. Pimentel só caiu na real ontem, quando tomou conhecimento de que o seu algoz Evilásio Mateus havia dado a volta por cima e conseguido mudar as regras do jogo da convenção do PDT, via a executiva nacional.

Ao acusar o golpe, o prefeito riscou Ana Paulo Ramos do seu caderno e anunciou como candidata do seu grupo a vereadora Camila Modesto, filiada ao Podemos. Em português claro, Pimentel virou, na prática, a mais nova vítima da governadora Raquel Lyra. Achou que por ela ser a chefe do Estado, a superpoderosa, o PDT não escaparia das suas mãos. Deu-se mal e teve que pedir arrego ao ex-deputado Ricardo Teobaldo, presidente estadual licenciado do Podemos, mas que continua com o poder nas mãos, a palavra final com relação ao controle do partido em todos os municípios.

Embora seja um gestor bem aprovado e casado com uma deputada estadual, Pimentel sai deste episódio como um anão, perdendo a batalha para o seu vice, porque confiou numa governadora sem liderança. Existe uma deformação lastimável na consciência política dos líderes em geral: adoram ser enganados.

Pimentel foi mais um!

INDEPENDÊNCIA NA ALEPE – Depois do grande desapontamento com a governadora Raquel Lyra, o que se comenta em Araripina é que a deputada Socorro Pimentel (UB), esposa do prefeito, passará a ter uma postura de independência na Assembleia Legislativa. Seria uma forma de dar o troco à tucana por tudo que aconteceu em seu município, onde não teve força nem disposição para deixar o PDT nas mãos de Pimentel. A Pimentel, Raquel garantiu que tinha o aval do presidente nacional, Carlos Lupi, a quem entregou de mãos beijadas uma secretaria em sua gestão.

Evilásio x Roberta – Se Camila Modesto, a pré-candidata de Raimundo Pimentel em Araripina filiada ao Podemos, não decolar, a eleição para prefeito no município tende a ser polarizada entre o pré-candidato do PDT, Evilásio Mateus, preterido pelo prefeito, e a pré-candidata do PP, deputada Roberta Arraes, esposa do ex-prefeito Alexandre Arraes. Se isso ocorrer de fato, seria a primeira vez que um prefeito com o domínio absoluto da máquina estaria fora do jogo em Araripina.

Acusou o golpe – Ao acusar o golpe pela perda do controle do PDT em Araripina para o seu vice Evilásio Mateus, o prefeito Raimundo Pimentel, soltando labaredas pelas ventas, foi às redes sociais e acusou o golpe afirmando: “O golpe que foi ardilosamente e covardemente tramado foi consumado, mas a história e a vida não perdoam os traidores e os canalhas. O povo de Araripina jamais permitirá que nossa cidade caia de novo nas mãos sujas dos corruptos e vendilhões! A resposta virá nas urnas e, com certeza, os nossos oito anos de trabalho digno em benefício do nosso povo serão honrados”.

Fora da chapa – Vereador por três mandatos e principal nome do PSB em Camaragibe, Paulo Andre (PSB) não aceitou ser o vice na chapa do pré-candidato a prefeito do município pelo Republicanos, Diego Cabral. “Não há chance alguma para que eu seja vice em qualquer chapa. Meu compromisso segue sendo com a população. Vou continuar trabalhando arduamente para representar cada um dos cidadãos de Camaragibe. Meu compromisso com a cidade e com nosso povo é inabalável”, afirmou, ao se pronunciar sobre as especulações que apontavam como certo na chapa de Cabral.

Anderson, o vice de Rodrigo – Em Caruaru, o desfecho do fechamento da chapa do prefeito Rodrigo Pinheiro (PSDB) está por um triz. Como no Recife, onde João Campos deve anunciar uma pessoa bem próxima e da sua confiança, na capital do Agreste, Pinheiro vai no mesmo rumo, porque estaria com projeto de disputar um mandato de deputado federal nas eleições de 2026. O nome mais cotado é o do assessor especial Anderson Luiz.

CURTAS

EM GREVE – Os servidores do INSS entraram em greve, ontem, por tempo indeterminado. Entre as reivindicações da categoria, a recomposição de perdas salariais, valorização profissional e melhores condições de trabalho. A paralisação foi aprovada em plenária convocada pela Federação Nacional de Sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps).

SEBÁ BANCOU– Conforme a prefeita e candidata à reeleição em Serra Talhada, Márcia Conrado, já tinha adiantado, o seu vice Faeca Melo, do Avante, foi uma indicação do presidente estadual da legenda, ex-deputado federal Sebastião Oliveira, mais conhecido por Sebá.

CANDIDATO – O ex-presidente da Câmara de Vereadores de Olinda, André Avelar, confirmou que teve, ontem, uma longa conversa com o pré-candidato do PRTB a prefeito de Olinda, Antônio Campos, mas em nenhum momento bateu o martelo de que seria o vice dele. “Sou candidato a prefeito pelo PMN”, garantiu.

Perguntar não ofende: Os deputados votam de imediato os projetos da convocação extraordinária ou só em agosto?

Na tarde desta terça-feira, o prefeito de Caruaru, Rodrigo Pinheiro, participou da cerimônia de abertura das inscrições para o curso de Medicina do Centro Universitário Tabosa de Almeida (Asces-Unita). Em seu discurso, Pinheiro falou sobre a relevância do curso para a cidade e a região, destacando o impacto positivo na formação de novos profissionais de saúde para o desenvolvimento local.

“Caruaru vive um momento de geração de emprego e renda. A chegada desse curso, especialmente no ano em que a Asces comemora 65 anos, trará mais desenvolvimento e credibilidade para nossa cidade. A parceria entre a prefeitura e a Asces-Unita fortalece a capacidade de Caruaru oferecer uma educação de qualidade,” afirmou o prefeito.