Sebrae - Estamos ai

Prefeito de Araçoiaba anuncia programação da festa de emancipação política do município

O prefeito de Araçoiaba, Jogli Uchôa, realizou uma live especial ontem para anunciar a programação completa da festa de emancipação política da cidade, que comemora 29 anos. A celebração, que ocorrerá em julho, trará uma série de shows de artistas renomados e talentos locais, prometendo ser um evento inesquecível para os moradores e visitantes de Araçoiaba. 

Confira a programação

10 de julho:

Cultos de gratidão com Dalete Hungria

11 de Julho:

– MC Elvis

– Gleydson Gavião

– João Gomes

12 de Julho:

– Noara Marques

– Capital do Sol

– Priscila Senna

13 de Julho:

– Luany Vital

– Wallas Arrais

– Raphaela Santos

14 de Julho:

– Valquíria Santana

– Anjo Azul

– Seu Desejo

+ Atrações Locais

Do Blog do Ney Lopes

O “New York Times” teve permissão para observar sessões da Suprema Corte dos Estados Unidos (equivalente ao nosso STF), cujo trabalho é realizado longe dos olhos do público e sem câmeras de TV. Os juízes americanos desfrutam de garantias constitucionais, como a vitaliciedade e a irredutibilidade de salários enquanto estiverem no cargo. Atualmente, cada membro da Suprema Corte recebe um salário de $298,500 anuais, ou seja, $24,875 por mês (cerca de R$ 137,310), além de outras condições para o exercício de suas funções.

Os nove juízes da Suprema Corte se posicionam atrás de um banco de mogno em forma de asa, com lugares designados de acordo com a antiguidade. Os juízes juniores ocupam as extremidades, enquanto o presidente do tribunal fica na cadeira central. A disposição dos assentos é ajustada quando um novo juiz entra ou um antigo se retira. Além disso, todas as cadeiras combinam entre si.

A cerimônia no tribunal é meticulosa. Às 10h, um “marechal” (correspondente a um policial federal americano) inicia as sessões com o tradicional grito “Oyez, oyez, oyez”. Os advogados se sentam às mesas em cada lado de um púlpito de madeira para suas apresentações. As luzes no púlpito indicam o tempo restante para suas argumentações. Canetas de pena branca são colocadas nas mesas durante as sessões, um costume desde os primeiros dias do tribunal.

Os juízes entram juntos na sala do tribunal através das pesadas cortinas de veludo vermelho atrás da bancada. As sessões do tribunal, que começam todos os anos na primeira segunda-feira de outubro, incluem sustentações orais, admissão de novos membros na Ordem dos Advogados e, posteriormente, o anúncio das decisões.

Somente a pandemia do coronavírus rompeu a tradição, levando o tribunal a transmitir ao vivo áudios das argumentações, mas as opiniões ainda são ritualisticamente preservadas e só podem ser ouvidas presencialmente.

Membros da mídia selecionados sentam-se em bancos encostados nas colunas de mármore, a certa distância do plenário.

Os frisos de mármore na sala do tribunal, que medem 12 metros de altura, têm sido motivo de controvérsia. Entre as figuras esculpidas ao longo da história está o profeta Maomé, um tema sensível que causou discordância com líderes islâmicos nos anos 1990, uma vez que o Islã desencoraja fortemente representações do profeta.

Os argumentos orais e anúncios de decisões são abertos ao público, que ocupa bancos e cadeiras vermelhas. Os assentos são limitados, levando os espectadores interessados a formar filas do lado de fora da corte.

A Suprema Corte dos Estados Unidos mantém um tecido institucional marcado pelo sigilo, permitindo que poucos testemunhem suas deliberações internas ou seu trabalho cotidiano.

Em tempo: qualquer semelhança com o STF brasileiro é pura coincidência.

O deputado federal André Janones (Avante-MG) provocou o também deputado Zé Trovão (PL-SC), na noite desta sexta-feira (28), após a Justiça decretar a prisão do parlamentar por Santa Catarina devido à falta de pagamento de pensão alimentícia.

Por meio do X (antigo Twitter), Janones postou uma foto de Trovão com três carreiras de uma substância branca que faz alusão à cocaína. Na mensagem, o deputado por Minas Gerais lembra uma confusão entre os dois. As informações são do Metrópoles

“O parlamentar, que tentou me agredir no julgamento do Conselho de Ética, e que nessa foto cheira uma carreira de pó, é considerado foragido pela Justiça”, disse Janones na rede social.

A confusão entre os dois ocorreu no último dia 5. Zé Trovão partiu para cima de Janones durante uma sessão no Conselho de Ética da Câmara, que livrou o deputado mineiro de cassação. Ele era acusado da prática de rachadinha.

Imagens registraram quando Zé Trovão deixou a sala e foi atrás de Janones no corredor. Ele acabou contido por aliados e policiais legislativos.

A Justiça decretou a prisão de Zé Trovão nesta sexta-feira pelo não pagamento de pensão alimentícia. A defesa do deputado, no entanto, afirma que houve um erro da Câmara no desconto, o que levou a uma diferença de valor. Ainda conforme o advogado de Trovão, Fabio Joel Covalon Daüm, o débito foi pago e uma petição protocolada informando a quitação.

O ex-presidente Michel Temer (MDB) voltou a defender a implantação do modelo semipresidencialista no Brasil. O comentário foi feito por Temer em entrevista concedida ao final de sua palestra no Fórum de Lisboa, em Portugal, nesta sexta-feira (28).

“Há coisas que vão ganhando uma tal valorização que, em dado momento, se transformam em norma. Eu acho que paulatinamente nós podemos caminhar para um modelo semipresidencialista no País”, defendeu Temer. As informações são da Carta Capital

Para o emedebista, a prática, iniciada ainda no seu governo, já tem empurrado o Brasil para o modelo defendido.

“O Legislativo já tem, praticamente, o controle do orçamento e tem chamado muitos setores para fazer acordo. Isso são coisas típicas do Executivo. Então, pouco a pouco, o Legislativo vai assumindo esse papel. É quase um semipresidencialismo na prática”, justificou o ex-presidente.

“Eu não tenho dúvidas que estamos caminhando para um sistema em que o Parlamento passa a controlar o orçamento e, portanto, deve ser o responsável pela execução do orçamento e isso se dá pelo semipresidencialismo”, insistiu.

No entanto, Temer ponderou que – na sua visão -, o modelo, oficialmente, deveria ser aplicado apenas a partir de 2030. “Quem foi eleito hoje tem o direito adquirido, digamos assim, à reeleição”.

Outro a tratar do tema ontem foi Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal e organizador do Fórum de Lisboa.

“O [ex-]presidente Temer sustentou na tribuna que ele praticou, até por necessidade, um semipresidencialismo. E de alguma forma ainda estamos vivendo essa realidade. Os parlamentares estão tomando decisões e alocando verbas sem a devida responsabilidade administrativa. Então, nesse sentido, seria desejável fazer uma mudança”, comentou Mendes.

Para ele, para ser posto em prática, o modelo exigiria mudanças significativas na organização da política brasileira. A principal, defende, é a redução do número de partidos.

O deputado federal Zé Trovão (PL) teve a prisão decretada pela Justiça de Joinville (SC) por falta de pagamento de pensão alimentícia. Na decisão divulgada nessa sexta-feira (28), o juiz deu prazo de cinco dias para a ex-esposa do deputado atualizar o valor da dívida, para que seja expedido o mandado de prisão pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC).

A defesa de Zé Trovão informou que o parlamentar efetuou o pagamento da dívida de cerca de R$ 5 mil na noite de ontem. O advogado Fábio Daüm disse ao jornal O Globo que houve um erro por parte da Câmara dos Deputados ao descontar da folha de pagamento parte do salário do político para a pensão. Ele diz ainda que foi o próprio parlamentar que pediu revisão do valor da pensão. As informações são da Itatiaia.

O parlamentar se defendeu em um vídeo publicado na noite desta sexta-feira (29), em uma rede social. De acordo com ele, as informações são falsas e ainda sugeriu que a ex-mulher, com quem tem um filho, se vale dos recursos da pensão alimentícia.

“Não existe dúvida nenhuma deste parlamentar porque, se o juiz determinou que a pensão tivesse algum tipo de aumento, ele comunica a Câmara dos Deputados, que desconta a pensão alimentícia do meu filho todos os meses”, afirmou.

No mesmo vídeo, Zé Trovão mostrou documentos que seriam comprovações de que ele também paga valores relativos a condomínio e aluguel de um apartamento de “alto padrão” onde a ex-mulher viveria com o filho.

“Esse é um valor que eu pago a mais, todos os meses. Minha ex-mulher mora em um apartamento de alto padrão custeado pelo pai do seu filho. Quem está se beneficiando desses valores, talvez não seja ele. A outra parte não tem a moral de sequer se pronunciar e dizer: ‘recebo tudo e sempre recebi e inclusive moro no apartamento que ele paga’”, afirmou.

O empresário Antônio Souza denuncia a situação precária da PE-700, que liga Pernambuco ao Ceará. Segundo Antônio, enquanto a parte que cabe ao Ceará foi devidamente cuidada, o trecho que é de responsabilidade de Pernambuco continua sem solução há mais de 50 anos.

Confira o vídeo abaixo

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou, nesta sexta-feira (28), maioria de votos para reconhecer que escolas públicas e particulares devem coibir discriminações de gênero e sexual. 

A Corte analisa a questão no julgamento virtual de uma ação protocolada em 2014 para reconhecer que a obrigação consta no Plano Nacional de Educação. No processo, o PSOL alegou que o combate à discriminação está previsto no plano, mas de forma genérica.

Até o momento, seis dos 11 ministros votaram para reconhecer que escolas públicas e privadas devem coibir discriminações por gênero, orientação sexual, além de bullying e discriminações de cunho machista e transfóbicas.

Os votos foram proferidos pelo relator, Edson Fachin, além dos ministros Dias Toffoli, Alexandre de Moraes, Luiz Fux, Cristiano Zanin e Flávio Dino. 

No voto condutor do julgamento, Fachin concordou com o PSOL e entendeu que é preciso explicitar o reconhecimento da proteção. “Uma restrição a direitos fundamentais desta natureza não apenas deveria estar posta expressamente, senão também haveria de ser acompanhada de argumentos dotados de extraordinário peso que a justificassem”, afirmou o ministro.

O julgamento virtual do caso foi encerrado às 23h59 de ontem.

Da Agência Brasil

A governadora Raquel Lyra entregou, nesta sexta-feira (28), em Brejinho, no Sertão do Pajeú, um sistema simplificado de abastecimento d’água que vai atender famílias, moradoras das comunidades de Gregório, Logradouro e Tamboril. A gestora também assinou um convênio com a prefeitura para a implantação de uma rede de abastecimento para o loteamento Mané Zuada.

“Aqui nós reafirmamos o compromisso com o Sertão do Pajeú, em trazer água e dignidade para essas famílias que por muitos anos não tinham água encanada para beber, banho e fazer comida. O povo dessa região pode ter certeza que esse é um Governo que já está chegando a cada recanto do nosso Estado”, afirmou a governadora Raquel Lyra.

O sistema rural de abastecimento de água, com um investimento de aproximadamente R$ 2 milhões, vai atender 208 famílias das três comunidades. Nesse sistema, a água é captada do Rio Pajeú, a partir de uma adutora de água bruta, com extensão de 504,80 m. Em seguida, passa por uma estação de tratamento, com um reservatório apoiado com capacidade de 10 m³ e dois reservatórios elevados, com capacidade de 21 m³ cada. A rede de distribuição possui 21.548 m de extensão, atendendo 100% das famílias das três comunidades. 

Por Magno Martins – exclusivo para a Folha de Pernambuco

Há um sentimento em Brasília e, por extensão, no resto do País, de que a postura do Supremo Tribunal Federal nas investidas que dá no Governo Lula são bem diferentes do que ocorria na gestão Bolsonaro. Mas parece que há também uma desconfiança de que a lua de mel do STF com Lula acabou. Os indicativos são bem claros.

Ontem, o ministro Alexandre de Moraes, do STF, disse “não ter ouvido” as declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre a atuação da Corte. Depois de na terça-feira o Supremo ter liberado o porte de maconha, Lula vem fazendo diversas críticas à atuação da Corte.

Disse, por exemplo, que o STF não devia “se meter em tudo” e que a discussão deveria ter ficado no Congresso. “Eu não ouvi as declarações do presidente”, disse Moraes a jornalistas no terceiro dia do 12º Fórum de Lisboa. “Eu não posso comentar o que eu não ouvi”, acrescentou.

Na última quinta-feira, Lula falou sobre uma possível anistia para os acusados do 8 de Janeiro. “Eu sou favorável a ter anistia. Eu briguei muito tempo para ter anistia no Brasil. Mas, neste caso, a gente nem puniu todo mundo. A gente nem descobriu todo mundo. Nós estamos procurando gente ainda, financiador”, declarou o presidente à Rádio Itatiaia.

Moraes disse também não ter ouvido essas declarações. Mas afirmou ser preciso “aguardar” para determinar se haverá a anistia. “Quem admite ou não a anistia é a Constituição Federal. E quem interpreta a Constituição Federal é o Supremo Tribunal Federal”. 

Segundo o magistrado, essa defesa foi feita. “O Supremo Tribunal Federal se utilizou de todos os instrumentos constitucionais existentes numa democracia –ações diretas, habeas corpus, mandados de segurança, investigações– para garantir que as eleições fossem realizadas, para garantir que a desinformação, as notícias fraudulentas, o novo populismo extremista digital não capturassem a vontade do eleitorado”, afirmou Moraes. 

Por Marcelo Tognozzi*

Depois do debate da última quinta-feira (27) contra Donald Trump, Joe Biden tem 2 frentes de luta: a 1ª, claro, é contra o próprio Trump e os republicanos; e a 2ª, dentro do seu Partido Democrata, onde cresce a certeza de que ele não terá condições de vencer a eleição em novembro. 

A reportagem mais importante do Político, maior audiência nos Estados Unidos quando o assunto é poder, mostrou os bastidores de articulações dentro do partido para substituir Biden. “O movimento é real”, escreveu o colunista Jonathan Martin.

O presidente tomou uma surra de Trump, transmitida ao vivo para o mundo todo pela CNN. Pesquisa feita imediatamente após esse 1º duelo mostrou que 67% dos norte-americanos consideraram Trump vencedor, contra 33% que acharam Biden o melhor da noite. Impossível não notar que a senilidade do atual presidente passou do ponto e que ele tem dificuldades reais, como perda da agilidade de raciocínio e de mobilidade.

Foi de dar pena, porque o presidente perdeu para ele mesmo. Poucos políticos conseguiram forçar a mão e continuar no poder depois dos 80 anos. O maior símbolo de virilidade senil foi Enrico Dandolo. Aos 90 anos, então doge de Veneza, liderou suas tropas em 1204 durante a 5ª Cruzada, ocupou Constantinopla e passou a controlar o comércio com o Oriente. Ele ainda encontrou energia para comandar uma campanha contra os búlgaros antes de morrer de causas naturais em 1205.

Biden dá mostras de que não vai aguentar o tranco de uma eleição tensa, estressante, com um adversário que, mais do que vencer, quer vingança pela derrota de 2020. Pobre Joe. Virou uma espécie de tio Paulo, o idoso cadeirante e sem vida levado pela sobrinha ao banco para pedir empréstimo como se vivo estivesse. 

No dia seguinte ao debate, o site 538 publicou pesquisa do Instituto Ipsos feita pouco antes do embate televisionado em que elencou as principais preocupações do eleitorado dos EUA. 

A inflação e o aumento do custo de vida estão em 1º lugar, com 53% das menções. Em seguida vem a imigração (37%) e a polarização na política (26%). Abaixo dos 20%, estão assuntos como clima, aborto, violência, impostos, saúde e conflitos externos ou terrorismo. E o que Trump e Biden discutiram no debate? Justamente os temas que menos preocupam os norte-americanos, mas que são o combustível da polarização da campanha, como a derrubada da jurisprudência Roe vs Wade e a crise migratória. 

Vendo os 2 debatendo na TV, não há quem não se pergunte como a democracia dos Estados Unidos chegou a esse ponto de não produzir renovação política, dando looping e voltando ao passado de 2020 com os mesmos personagens de agora disputando a eleição. Não é possível que os partidos Democrata e Republicano não invistam na formação de novos quadros capazes de disputar o poder com chances reais de vitória.

Na Europa, essa renovação política está em pleno curso –especialmente na França, onde o presidente Emmanuel Macron, 46 anos, está ameaçado de perder as rédeas do governo para Jordan Bardella, 28 anos, pupilo da líder da direita Marine Le Pen, com perspectiva iminente de se tornar o primeiro-ministro mais jovem da história da França. 

Na Espanha, os líderes dos principais partidos políticos têm menos de 65 anos. Lá, como nos Estados Unidos, a polarização come solta, com a diferença de que os personagens são menos rodados na administração pública. 

Ainda temos muita água para passar debaixo da ponte até 5 de novembro, dia da eleição norte-americana. Em 4 meses, tudo pode acontecer, inclusive nada. Vamos ver se prospera a operação que começa a ser montada dentro da cúpula Democrata para substituir Joe Biden, porque, pelo que sabemos até aqui, ainda não combinaram com ele a renúncia. Será uma corrida contra o relógio. Algo inédito nos últimos 100 anos. 

O mais incrível foi ler a reportagem do espanhol El Mundo sobre os chineses se divertindo com o debate na rede social Weibo, versão chinesa do X. Um dos comentários mais populares foi o seguinte: “Há um ancião que tenta convencer as pessoas de que não está louco e outro ancião que tenta convencer o público de que não está senil”. 

O post campeão de audiência no Weibo lembrava da piada dos 2 velhinhos no bordel, ambos apaixonados pela mesma profissional e competindo para provar quem é o mais bonitão e forte. Se na China virou comédia, imagine o que não rolou na Rússia e na Coreia do Norte.

*Jornalista

Um nome que vem sendo bastante especulado para compor a chapa do pré-candidato a prefeito do Recife pelo PL, Gilson Machado, é o do executivo André Bolota, chefe de gabinete do deputado Alberto Feitosa. Além de agregar o público jovem, Bolota é articulado e experiente na vida pública, tendo ocupado vários cargos.

O que a presidente do PT fez pelo Recife?

Na entrega do título de Cidadã do Recife à presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, quinta-feira passada, na Câmara do Recife, só havia mesmo público no plenário. As galerias ficaram às moscas. Bem-feito! O que esta senhora já fez em favor da capital pernambucana?

Cidadania é um reconhecimento a quem presta relevantes serviços a um Estado ou município. Tenho impressão de que, além de não ter trazido nada que venha acrescentar à melhoria de qualidade de vida do recifense, essa senhora não conhece sequer a Avenida Agamenon Magalhães, símbolo do Recife. Imagine Dois Unidos!

Cidadão é toda e qualquer pessoa que atue na vida da cidade e de alguma maneira tenha contribuído ou contribua com a história do município. Mesmo não sendo um cidadão civil, ser um cidadão honorário não é para qualquer um. Para receber esse título, é preciso que a pessoa tenha realizado algum ato relevante sem visar lucros, interesses pessoais ou profissionais.

Infelizmente, essa honraria se vulgarizou com o passar dos anos. Não sou contra a honraria, até porque já sou cidadão de mais de 70 municípios de Pernambuco, mas tudo em função de bandeiras que defendo com o jornalismo do combate ao bom combate. Neste momento, por exemplo, abrimos uma frente em defesa da Missa do Vaqueiro.

Tem algo mais valioso? Só gostaria de saber, sinceramente, uma causa que esta“nobre” presidente nacional do PT abraçou em favor do Recife, da sua população pobre e esquecida dos morros, dos bairros que se confundem com a história libertária de 487 anos de lutas.

Tenho certeza de que a mandachuva do PT não sabe nem que Recife é a mais antiga entre as capitais estaduais brasileiras, surgida como “Ribeira de Mar dos Arrecifes dos Navios”, no ano de 1537, sendo a principal área portuária da Capitania de Pernambuco, a mais rica capitania do Brasil Colônia, conhecida em todo o mundo comercial da época graças à cultura da cana-de-açúcar e ao pau-brasil.

Não sabe Gleisi que, no século XVII, Recife foi por 24 anos a sede da colônia de Nova Holanda, que teve como um dos administradores o conde Maurício de Nassau. Após a expulsão dos neerlandeses, feita na Insurreição Pernambucana, o Recife emerge como a cidade mais importante de Pernambuco, tendo uma grande vocação comercial influenciada principalmente pelos comerciantes portugueses, os chamados “mascates”.

Foi palco de muitos dos primeiros fatos históricos do Novo Mundo: no Cabo de Santo Agostinho ocorreu o descobrimento do Brasil pelo navegador espanhol Vicente Yáñez Pinzón no dia 26 de janeiro de 1500; na Ilha de Itamaracá estabeleceu-se, em 1516, o primeiro “Governador das Partes do Brasil”, Pero Capico, que ali construiu o primeiro engenho de açúcar de que se tem notícia na América portuguesa.

Dentre as suas muitas alcunhas atribuídas, “Veneza Brasileira” é a mais conhecida. O romancista francês Albert Camus esteve no Recife em 1949 e comparou a capital pernambucana a outra cidade italiana ao descrevê-la, em seu livro Diário de Viagem, como a “Florença dos Trópicos”. O Centro Histórico do Recife — em que pesem as demolições e descaracterizações — representa em conjunto com os sítios históricos de Olinda, Igarassu e dos Guararapes um dos mais valiosos patrimônios barrocos do Brasil.

QUE EXTRAORDINÁRIO ARGUMENTO! – Veja que notável e profundo argumento da autora da proposta, a vereadora Liana Cirne (PT), para justificar o título de Cidadã do Recife à presidente nacional do seu partido, Gleisi Hoffmann: “Quando a gente olha para você, Gleisi, a gente entende que não vamos aceitar ser um milímetro a menos do que sabemos que somos. Você enfrentou o lavajatismo numa época em que queriam caçar o registro do nosso partido. Foi presidente do PT enquanto nosso maior líder (Lula) estava preso”.

Que discurso, dá inveja! – Na síntese do seu “profundo” discurso em agradecimento ao título de Cidadão do Recife, a presidente nacional do PT disse: “É muito significativo para esta paranaense, que vem lá da outra ponta do Brasil, ser acolhida de forma tão generosa pela capital de Pernambuco, terra marcada por sua tradição libertária, cidade sempre rebelde contra injustiça, de gente corajosa, criativa e solidária”.

PT insiste na vice – Na passagem pelo Recife, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, oficializou o nome do ex-vereador Mozart Sales como indicado do partido para ocupar a vaga de vice na chapa liderada pelo prefeito João Campos, que busca a reeleição. “Política é uma construção. Aqui não tem imposição, aqui não tem nenhum método diferente que não seja o da conversa”, disse, ao justificar seu respaldo à tese encampada pelo PT para emplacar a vice de João, que tem amplas chances de ser reeleito e se transformar em candidato natural da Frente Popular a governador nas eleições de 2026.

Ainda há prazo – Ainda sobre o respaldo da direção nacional do PT à indicação do vice de João, Gleisi foi mais além: “A gente teve recentemente essa definição. Então, ficou difícil uma definição do PSB sem uma definição do PT. Acho que, a partir de agora, tendo apresentado os nomes, a gente tem que compor, conversar com essa frente. Então, tem que ter o tempo, agora, para a gente conversar. É natural do processo. Ainda temos um prazo até as convenções para isso”.

E agora, Raquel? – Diante da divisão do PDT em Araripina, só restou ao prefeito Raimundo Pimentel jogar o abacaxi que administra no colo da governadora Raquel Lyra (PSDB). Pelo que deixou a entender, ontem, numa entrevista a uma emissora de rádio, se não conseguir emplacar a sua candidata a culpada será a governadora. “Estamos com o PDT porque a governadora disse que tinha o seu controle e o respaldo do presidente nacional, Carlos Lupi. Esta não é uma questão minha, mas da governadora Raquel Lyra”, disse.

Curtas

POLUIÇÃO – Uma pesquisa do Instituto Avançado de Tecnologia e Inovação (IATI) mostrou que a praia do Paiva, no Cabo de Santo Agostinho, apresentou a maior quantidade de microplásticos (695 fragmentos no total), superando até mesmo praias com maior atividade turística, como Porto de Galinhas (320 fragmentos).

PEGOU MAL 1- Na passagem, ontem, pelo Sertão do Pajeú, a governadora Raquel Lyra (PSDB) deu uma tremenda pisada de bola ao querer passar a impressão que está atraindo prefeitos do PSB: posou ao lado de Evandro Valadares, de São José do Egito, o gestor campeão em rejeição no Sertão.

PEGOU MAL 2 – Já em Afogados da Ingazeira, a tucana esteve presente no ato de lançamento do pré-candidato Danilo de Gisa, do seu partido, que sequer pontua nas pesquisas. Ali, o favorito é o prefeito Sandrinho Palmeira (PSB), fiel aliado do deputado e ex-prefeito José Patriota (PSB).

Perguntar não ofende: Gleisi Hoffmann sabe onde fica os Torrões?


Após vistoriar o andamento das intervenções no Aeroporto de Patos, na Paraíba, o ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, seguiu para o município de Brejinho, no Sertão do Pajeú pernambucano, para inaugurar, nesta sexta-feira (28), a pavimentação asfáltica da Rodovia PE-413, na saída para a cidade de Santa Terezinha. Ao lado prefeito Gilson Bento, Silvio Costa, que enviou emendas parlamentares no valor de quase R$ 5 milhões para a obra, destacou “a importância dessa estrada para o desenvolvimento da região”.

Mais cedo, em entrevista à Pajeú FM, Silvio Costa Filho tratou de investimentos para a região. “Estamos trabalhando no Aeroporto de Serra Talhada. Estamos fazendo investimentos de quase R$ 20 milhões; as obras estão em andamento.”, comentou. “Tenho trabalhado permanentemente para a gente discutir a situação dos aeroportos de Salgueiro e Arcoverde”, concluiu Silvio Costa Filho.

Lideranças políticas da região como o deputado estadual Nino de Enoque (PL), o seu filho, pré-candidato a prefeito de Moreno, Heitor de Enoque (PL), o ex-prefeito do município Edvard Bernardo e o vereador de Jaboatão Neneca do Piston ( PL), entre outros, prestigiaram, na quinta-feira (27) o São João da Casa Azul, onde funciona o Instituto Maria de Fátima, em Moreno. “Foi uma festa linda, animada e muito prestigiada, que celebrou o nosso São João, valorizando a nossa cultura e tradição”, disse Nino de Enoque.


São Paulo será a primeira cidade a receber o lançamento do livro “Ninguém Segura Este Monstro – Manipular, Mentir & Polarizar”, do jornalista Marcelo Tognozzi. O evento vai acontecer em 10 de julho, na Livraria da Vila. Com olhar perspicaz e uma capacidade analítica inigualável, neste livro Tognozzi mergulha profundamente na política contemporânea e na polarização que domina o cenário global.

A obra é uma coletânea de 100 artigos escritos pelo jornalista nos últimos cinco anos e publicador no jornal eletrônico Poder 360. São textos que tratam de cenários e fatos políticos marcantes no Brasil e no mundo, desde a ascensão de Bolsonaro, o ressurgimento de Lula e a eleição de Milei na Argentina; até o Governo Trump, a guerra da Ucrânia, os objetivos de Putin e o eterno conflito entre Israel e o mundo árabe, incluindo até mesmo as inescrupulosas ações do marqueteiro da direita internacional Steve Bannon.

Marcelo Tognozzi é um jornalista reconhecido por sua clareza e objetividade, profundo observador das pessoas e dos acontecimentos, oferecendo um antídoto contra a ignorância arrogante e o desprezo pela verdade que permeiam os tempos atuais.

“Em um momento em que o ódio à imprensa e ao conhecimento prolifera, Tognozzi proporciona lucidez e razão, brindando o leitor com a verdade, com o conhecimento que traz as luzes necessárias para entendermos a fase tormentosa pela qual passa a humanidade”, diz o também escritor e jornalista Nei Lima Figueiredo, autor do prefácio.

Depois de São Paulo, o livro será lançado em Brasília, Recife e Rio de Janeiro.

A festinha pelos 11 anos de João Pedro foi com seus colegas na escola, mas, há pouco, antes de jantar comigo e seu irmão Magno Filho, ele apagou as velinhas e partiu seu bolo.

Se o leitor não conseguiu acompanhar o Sextou do programa Frente a Frente, ancorado por este blogueiro e exibido pela Rede Nordeste de Rádio, não se preocupe. O programa de hoje foi uma homenagem à carreira do sanfoneiro Novinho da Paraíba, que está lançando disco novo. Clique aqui e confira