Defesa de Bolsonaro repete estratégia e usa PP para tentar anular investigação sobre ofensiva golpista

Os advogados do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) apresentaram um pedido ao Supremo Tribunal Federal (STF) para anular a Operação Tempus Veritatis, que investiga uma suposta tentativa de golpe de Estado. A ação foi apresentada por meio do PP, mesma estratégia utilizada contra outras duas apurações que atingem Bolsonaro: da fraude no cartão de vacina e da venda de joias.

O pedido foi apresentado por meio de uma arguição de descumprimento de preceito fundamental (ADPF), tipo de ação que só pode ser apresentada por determinadas autoridades ou organizações, entre elas partidos políticos. Ou seja, sem o PP a defesa de Bolsonaro não conseguiria ingressar com a solicitação. As informações são do portal O Globo.

solicitação. As informações são do portal O Globo.

O texto é escrito pela equipe de advogados do ex-presidente, entre eles Daniel Tesser e Paulo Cunha Bueno, e questiona pontos da decisão do ministro Alexandre de Moraes que deu início à apuração sobre a suposta tentativa de golpe. Em fevereiro, a investigação resultou em uma operação que cumpriu quatro mandados de prisão preventiva e 33 mandados de busca e apreensão, além de medidas cautelares, como a apreensão do passaporte de Bolsonaro.

Os advogados alegam que a investigação não deveria tramitar no STF, que deveria ser formalmente um inquérito (e não uma “petição”, classe processual utilizada) e que Moraes não poderia ser o relator. Por isso, pedem que todos os atos sejam anulados.

A partir dessa investigação, os ex-comandantes Marco Antônio Freire Gomes (Exército) e Carlos Almeida Baptista Junior (Aeronáutica) prestaram depoimentos à Polícia Federal (PF) e afirmaram que Bolsonaro apresentou uma proposta para reverter o resultado das eleições presidenciais.

Um pedido semelhante apresentado sobre a investigação de um suposto esquema de venda de joias e presentes recebidos pela Presidência já foi rejeitado pela ministra Cármen Lúcia. Outra solicitação, sobre a apuração de fraude de cartão de vacina, ainda não foi analisada pelo ministro Dias Toffoli.

Paulista - Boa praça

O presidente Lula (PT) decidiu se encontrar com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), na próxima semana. A definição aconteceu após reunião emergencial com os principais nomes da área política, em almoço hoje.

Na reunião, Lula ouviu dos ministros e líderes do Congresso quais vetos o governo sairá derrotado. Ele também ouviu uma ponderação: a crise com Lira é superestimada e Pacheco não é tão aliado do governo como faz parecer ser. As informações são do blog da Julia Duailibi.

Questionado sobre a posição crítica em relação a Pacheco, uma pessoa que participou da reunião fez uma analogia com o futebol. Disse que Lira é aquele tipo de zagueiro que grita muito, e que Pacheco é aquele que leva a mão ao calcanhar e, quando você pergunta se aconteceu alguma coisa, ele finge que não foi nada.

As críticas a Pacheco vieram dos dois interlocutores mais próximos a Lira: Rui Costa e Zé Guimarães. A história que foi contada é a de que Pacheco é tido sempre como bom moço, enquanto o Lira é tratado como vilão da história.

Lula demonstrou incômodo com a atuação apagada das bancadas aliadas no Congresso, sobretudo do PT. Vai ser feita uma reunião com a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, provavelmente na semana que vem, pra tratar do assunto. O presidente quer uma bancada mais atuante e combativa na defesa do Governo. Um episódio que incomodou Lula foi a discussão do “PL das Saidinhas”.

O presidente avalia que as bancadas aliadas são muito passivas, esperam pelo aval do governo para agir e que, para ele, precisam ter mais autonomia e serem mais propositivas.

O encontro foi convocado pelo presidente e um encontro com Lira foi uma das pautas. A reunião foi encarada como emergencial. Tanto que o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, que estava nos Estados Unidos, antecipou a volta para o Brasil.

Lira vem reclamando da articulação política do governo e chamou Padilha de incompetente durante uma entrevista coletiva. O presidente da Câmara também chegou a falar sobre a instalação de CPIs, embora tenha descartado a CPI do Judiciário.

Petrolina - Viva a nossa arte

Com o objetivo de combater ações violentas durante invasões e protestos do MST em Pernambuco, a Frente Parlamentar Mista Invasão Zero passa a contar, a partir de hoje, com o deputado Coronel Alberto Feitosa como coordenador estadual. O convite foi feito pelos deputados federais Zucco, coordenador nacional da Frente Parlamentar, e Coronel Meira.

“No governo Bolsonaro, as invasões do MST estavam pacificadas. No governo da esquerda, onde o presidente justifica roubo de celularzinho e veste boné do MST, a baderna se sente em casa. Em 4 anos, foram 62 invasões contra 98 invasões em pouco mais de um ano do Governo do PT. Desde que a esquerda assumiu novamente, voltaram as ações violentas e a desordem. Protestos fecham as estradas comprometendo a área de saúde no transporte de pacientes para atendimento, comprometendo o setor econômico e de serviços com o bloqueio das rodovias que impedem a passagem dos caminhões com mercadorias e insumos. Isso precisa de um basta”, disparou Feitosa.

Ipojuca - Minha rua top

Vivi, ontem, em Afogados da Ingazeira, minha terra natal, mais uma emoção de filho apaixonado e muito saudoso da sua maior referência: em nome da família, meus oito irmãos, recebi a placa homenagem in memoriam ao meu pai Gastão Cerquinha, do grupo Cariri Cangaço.

Nenhum integrante do movimento de resgate da cultura de Lampião e seu bando, com exceção do meu amigo Luiz Ferraz Filho, de Serra Talhada, conheceu papai. Mas meu velho, que Deus chamou aos 100 anos e sete meses, em 15 de novembro de 2022, ganhou mais uma homenagem justa.

E por um simples motivo: além de político, tendo sido vereador por quatro mandatos e vice-prefeito de Afogados da Ingazeira, mesma trajetória do meu irmão Augusto Martins, hoje secretário de Cultura de Afogados, papai foi um escritor nato. Escreveu dois livros resgatando a história de uma centena de “heróis” afogadenses.

Gente guerreira, que contribuiu para o desenvolvimento do município nas mais diversas áreas, da gestão pública à área de saúde. Seu trabalho foi de memória, a partir dos rascunhos da sua mente caprichosa, da qual sempre tive uma invejinha saudável, fonte de inspiração.

Incluiu personagens valentes, verdadeiros mitos e revolucionários, além de cangaceiros, entre eles o lendário Antônio Silvino, que saiu da localidade da Colônia, em Carnaíba, já na divisa com a Paraíba, onde o Cariri Cangaço esteve hoje pela manhã, para entrar na história, tão famoso quanto Lampião.

Meu pai só amou uma mulher: minha mãe Margarida Martins, a quem tratava de “Minha flor”. Só amou uma cidade – Afogados da Ingazeira. Para ele, não era uma cidade qualquer, era sua princesinha, um reino encantado. Da sua terra seca, não desgrudava os pés. Nunca vi um homem tão apaixonado por uma cidade quanto meu pai!

Afogados da Ingazeira, para ele, era mais que plural, era uma diversidade de braços sempre abertos, um lugar impregnado no seu coração, um visgo na sua mente, encanto da sua alma. Sob um sol escaldante ou uma chuva fina, não interessa: Afogados era sempre encanto e alegria, um sonho eterno de paraíso. Era difícil convencê-lo a sair de Afogados para um simples passeio.

Ele quis deixar seus escritos para a posteridade – e hoje seus livros são fontes de pesquisa nas escolas do município. Que benção! “Como eu adoro o berço que me viu nascer e me fez crescer”, dizia ele, repetidamente, para os filhos. Na sua relação com sua terra, papai não era como Eça de Queiroz, que disse que os sentimentos mais genuinamente humanos logo se desumanizam na cidade. Ele acha justamente o contrário.

Era como Drummond de Andrade, que enxergou num mar uma cidade escrita, apaixonante e amada. A cidade não é a solidão, porque a cidade aniquila tudo o que povoa a solidão, escreveu Raquel de Queiroz, sobre a sua Quixadá.

Papai diria: Aqui é o meu lugar. E repetiria um verso de uma canção de Vinicius e Toquinho: “E depois de partir, poder voltar e dizer este aqui é o meu lugar. Poder assistir ao entardecer e saber que vai ver o sol raiar”.

Ipojuca - Minha rua top

Se o leitor não conseguiu acompanhar a entrevista com a cantora Michelle Menezes, ex-vocalista da banda Calcinha Preta, ao quadro “Sextou”, do programa Frente a Frente, ancorado por este blogueiro e exibido pela Rede Nordeste de Rádio, não se preocupe. Clique aqui e confira. Está incrível!

Serra Talhada - Saúde

Tiveram início, hoje, as inserções partidárias do partido Solidariedade na TV, no rádio e nas redes sociais. Em sua primeira peça divulgada na Capital do Forró, o professor e artista caruaruense Armandinho foi apresentado como pré-candidato a Prefeito de Caruaru. Confira!

Vitória Reconstrução da Praça

O prefeito de João Alfredo, Zé Martins (PSB), comemorou mais uma marca alcançada por sua gestão. Neste ano, sob sua administração, o município chegou à marca de 50 ruas finalizadas com calçamentos. Os transtornos causados pela poeira e pela lama já não fazem mais parte da rotina diária de centenas de famílias joãoalfredenses.

“Quem compara, sabe. Nunca se fez tanto em tão pouco tempo. O nosso município vem andando para a frente e depressa. Graças a parceria do meu vice-prefeito, Cabôco, dos nossos vereadores, secretários municipais, suplentes de vereadores e lideranças. Nosso time tem se dedicado muito para tirar nossa gente dos transtornos da poeira e da lama. Fiquem na certeza, que vamos avançar ainda mais. Porque quando se respeita o dinheiro público e se tem grandes parceiros na Câmara e no Senado Federal, as coisas saem do papel e transformam-se em realidade”, destacou o gestor.

O Sextou de logo mais, às 18h, traz de volta o forró das antigas com Michelle Menezes, ex-vocalista da banda cearense Calcinha Preta. Em nova fase em carreira solo, ela fala de grandes sucessos dos seus shows, como “Batom vermelho”, “Cena de novela” e “Não sou amante”.

Michelle começou a cantar ainda criança na banda do pai. Além de Calcinha Preta, passou pelas bandas Moleca sem Vergonha, Mulheres Perdidas, Calypso, Amor perfeito, Forrozão, Talismã e Caviar com Rapadura. Ganhou destaque e foi responsável pela interpretação de canções que se tornaram hits em todo o Brasil, como: “Cena de Novela”, “Não tem segredo”, “Salve o Nosso Amor” e “Só Não Diga Bye Bye”.

O Sextou vai ao ar hoje, das 18 às 19 horas, pela Rede Nordeste de Rádio, formada por 48 emissoras em Pernambuco, Paraíba, Alagoas e Bahia, tendo como cabeça de rede a Rádio Folha 96,7 FM, no Recife. Se você deseja ouvir pela internet, clique no link do Frente a Frente acima ou baixe o aplicativo da Rede Nordeste de Rádio na play store.

A ex-prefeita de Arcoverde Madalena Britto (PSB) e o advogado Gilsinho Duarte lançarão, hoje, as suas pré-candidaturas à prefeita e a vice-prefeito do município no pleito deste ano. O evento acontece a partir das 19h e terá as presenças de deputados estaduais, federais, senadores, prefeitos e os pré-candidatos e candidatas a vereadores.

Ex-gestora da cidade sertaneja por dois mandatos (2012 a 2020), Madalena Britto anunciou pré-candidatura ao município em dezembro do ano passado. À época, ela não contava com apoio algum de vereadores. Passados quatro meses, as coisas mudaram e atualmente tem quatro vereadores apoiando sua candidatura: Luiza Margarida, João Marcos, Sg. Brito e João Taxista, além de contar com uma coligação proporcional com mais de 33 pré-candidatos, que envolve seis partidos, entre eles a Federação Brasil Esperança.

“Este é o momento de largada da nossa caminhada para que possamos recolocar Arcoverde no caminho do desenvolvimento, retomando o legado de obras e ações que deixamos. E esse encontro da nossa experiência com a juventude de Gilsinho, chega para que possamos ir além, construindo a cidade do futuro que tanto desejamos, com oportunidades para todos e com a autoestima do nosso povo de Arcoverde retomada”, disse Madalena.

Petrolina, cidade do Sertão pernambucano, lançou, hoje, um programa de ações com mais de 200 obras para as áreas urbana e rural do município. Intitulado “Bora Crescer Mais”, o pacote contempla pavimentações, recapeamento, iluminação, investimentos em praças, drenagem e grandes obras. Somente em pavimentação, serão contempladas 97 ruas em 16 localidades como Nova Descoberta, Pedrinhas, Porto da Ilha, Serrote do Urubu, Terras do Sul, Dom Avelar e João de Deus. Os investimentos chegam a R$ 204 milhões. No evento, o prefeito Simão Durando revelou aportes e suas respectivas intervenções.

A primeira delas garante uma injeção da ordem dos R$ 18 milhões para recapear mais de 100 ruas em diversos bairros. Em seguida vem a “Operação Drenagem”, que recebe R$ 20 milhões em obras e manutenção, a exemplo da drenagem do bairro Dom Avelar e a limpeza dos 15 canais do município.

A duplicação BR- 407, obra estruturante que pretende melhorar a mobilidade da cidade é a conclusão da Transnordestina, cuja primeira etapa encerra em agosto e dá início imediato à segunda fase, com R$ 122 milhões garantidos. O gestor ainda deu destaque para a conclusão do Centro de Convenções do município, que custará R$ 44 milhões aos cofres públicos, e contará ainda com o Teatro Municipal.

“Com esse pacote de ações, nós estamos garantindo um novo momento para Petrolina. Nossa cidade vem em um ritmo intenso de crescimento desde 2017 e agora dará mais um salto de desenvolvimento. É um grande investimento que vai impactar, principalmente, a vida das famílias mais humildes e os bairros periféricos. Investir em infraestrutura é também investir em qualidade de vida. Somente com essas ações, garantiremos quatro mil empregos diretos e indiretos na cidade”, destacou o prefeito.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), avisou ao Palácio do Planalto que tentará ajudar no freio à chamada “pauta-bomba”. A primeira medida será desacelerar a votação da PEC do Quinquênio, que pode ser a “pá de cal” no ajuste fiscal. Em outra frente, o senador aguarda o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, para acelerar as tratativas sobre a renegociação das dívidas dos Estados. Minas Gerais, domicílio eleitoral do senador, é um dos mais afetados.

Pacheco resiste a tirar a PEC do Quinquênio da pauta do plenário, mas não terá pressa para concluir a votação. A sinalização foi repassada ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva na tarde desta quinta-feira, 18, pelo ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha. Ainda assim, Lula convocou uma reunião de emergência na tarde desta sexta-feira, 19, para decidir como responder à ofensiva do Congresso sobre o ajuste fiscal. As informações são do portal Estadão.

De acordo com interlocutores, o presidente do Congresso prometeu trabalhar para retomar as bases da PEC do Quinquênio, que é de sua autoria, e tinha impacto financeiro menor para os cofres da União.

A proposta original de Pacheco criava um novo benefício indenizatório apenas para juízes: adicional de 5% do salário a cada cinco anos de serviços prestados, até o limite de 35%. Mas o relatório do senador Eduardo Gomes (PL-TO), aprovado na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, incluiu procuradores, defensores públicos e outras carreiras. A Fazenda estima um impacto fiscal de R$42 bilhões.

Hoje, o limite de pagamento do funcionalismo público federal é de R$ 44.008,52, que corresponde ao salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Como o adicional é uma verba indenizatória, será acrescido à remuneração sem entrar no abate-teto e incidir imposto de renda.

Enquanto a PEC do Quinquênio fica em banho-maria, Pacheco tenta correr com a renegociação da dívida dos Estados. Uma determinação judicial obriga Minas a retomar, a partir deste sábado, 20, o pagamento da dívida com a União, hoje acima de R$ 160 bilhões. O governador Romeu Zema (Novo) tenta, no Supremo Tribunal Federal (STF), uma extensão de prazo.

A negociação entre Pacheco e Haddad não mudaria o calendário, mas seria um gesto político importante para o presidente do Congresso, ventilado como pré-candidato ao governo mineiro em 2026. O presidente do Senado apoia o pleito dos governadores do Sudeste e do Sul, para ampliar as compensações em educação e infraestrutura, mudar o indexador e reduzir os juros cobrados. Agora, tenta elaborar uma proposta para apresentar a Haddad, após ter recebido, na última segunda-feira, 15, os governadores dos Estados mais endividados. São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas Gerais respondem por 90% do estoque da dívida, avaliada em R$ 740 bilhões.

A pré-candidata à Prefeitura de Olinda pelo PSD, Mirella Almeida, conseguiu a adesão de mais um partido para fortalecer a busca pela sucessão do atual prefeito, Professor Lupércio. A postulante recebeu o apoio do Partido Avante. O ato aconteceu ontem, em Bairro Novo, no auditório do Hotel Costeiro.

O evento teve a presença do prefeito de Olinda, Professor Lupércio, do presidente estadual do Avante, Sebastião Oliveira, e dos vereadores Biai, Bruno D’Melo, Ricardo Souza e Tostão, que vão disputar a reeleição pela legenda. O partido também conta com ex-parlamentares, além de líderes comunitários e de movimentos sociais.

Mirella agradeceu a adesão do partido. “Me sinto muito honrada em ter o apoio do Avante. Esse partido que vai estar comigo lado a lado, dialogando com a população. Vamos dar continuidade ao ótimo trabalho do prefeito. Vamos entregar mais ruas, mais escolas, estimular a geração de novos empregos para a população e fazer Olinda seguir em frente e crescer ainda mais rumo ao futuro”, afirmou a pré-candidata.

O presidente estadual do Avante, Sebastião Oliveira, destacou que Mirella é preparada para ser gestora da Marim dos Caetés. “Mirella sabe bem quais são as prioridades para garantir avanços para aqueles que mais precisam. Vamos estar juntos e misturados para que Mirella dê continuidade ao trabalho do Professor Lupércio e que a gente não retroceda a um passado que não foi bom para Olinda”, declarou.

Cerca de 300 membros de comissões da OAB-RJ pediram renúncia coletiva, esta semana, depois da exoneração do então presidente da Comissão de Direitos Humanos, Ítalo Pires Aguiar. Ele queria pedir a reabertura dos inquéritos da Delegacia de Homicídios presididos pelos delegados Rivaldo Barbosa e Giniton Lages, envolvidos no assassinato da vereadora Marielle Franco.

Ítalo Aguiar afirmou que uma das razões apontadas pelo presidente da OAB, Luciano Bandeira, foi o constrangimento causado pelo anúncio desse pedido de reabertura, mas, de acordo com o advogado, diversas exonerações aconteceram depois da sua saída, com a justificativa de que não estavam alinhados à candidatura oficial para sucessão de Bandeira, nas eleições de novembro. As informações são do portal CBN.

“Tem feito exonerações sucessivas e a exaustão de pessoas que não estão comprometidas com a candidata que ele aponta como sua sucessora. Então, na verdade, quem está adiantando o processo eleitoral é o próprio presidente, que fez um grande expurgo nos últimos dias de quem ele acredita que não está contando com ele a pré-candidatura que ele apoia”, explica.

A sucessora do presidente da OAB seria Ana Tereza Basílio, atual vice-presidente da Ordem. De acordo com o secretário-geral da OAB, Álvaro Quintão, que renunciou após a exoneração de Ítalo Aguiar, a candidata se apresenta como defensora do campo conservador da advocacia. Por isso, a reabertura do caso Marielle poderia entrar em conflito com a candidatura.

“A vice-presidente que está se lançando candidata, ela se associou à Associação de Juristas Conservadoras, que é ligado ao Flávio Bolsonaro, ao Ives Gandra, que fizeram aquele parecer, dizendo que o artigo 142 da Constituição permitiu uma intervenção militar. Essa semana, por exemplo, ela estava num evento com duas chapas que concorreram, nas últimas eleições, ligadas ao bolsonarismo. Isso, de fato, vem acontecendo. Hoje, eu posso dizer, sem dúvida alguma, que ela está caminhando junto com esse posicionamento. Se isso foi exatamente o motivo que levou o presidente a tomar essa decisão, eu não posso afirmar”, diz.

Além do ato de renúncia coletiva, os integrantes da Comissão de Direitos Humanos pretendem criar uma comissão popular de Direitos Humanos. Ítalo Aguiar disse que o objetivo é continuar com uma atuação forte e se colocar à disposição para manter o trabalho que era feito na OAB.

“Nessa oportunidade, vai ser anunciado que nos organizaremos a partir de uma comissão popular que possa continuar acompanhando e interferindo na agenda de direitos humanos. O Rio de Janeiro é um caos, em termos de violação de direitos humanos. Vai ser um momento solene de anúncio público e, a partir de então, vamos nos organizar”, destaca.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) almoça, hoje, com líderes, no Palácio do Planalto, para discutir formas de melhorar a relação do Executivo com o Congresso Nacional. Convocado por Lula em caráter de emergência, o encontro ocorre em meio à escalada de uma crise entre a Câmara dos Deputados e a articulação política do governo, chefiada pelo ministro Alexandre Padilha (Relações Institucionais). As informações são do portal G1.

Na semana passada, Arthur Lira (PP-AL) fez críticas a Padilha, a quem chamou de “desafeto pessoal” e “incompetente”. Em resposta, o ministro disse que não desceria “a esse nível”. Já o presidente Lula afirmou que, “só por teimosia”, manteria Padilha no cargo. Depois, Lira disse a aliados que colocaria em votação projetos da pauta de costumes e abriria comissões parlamentares de inquérito, o que poderia gastar a imagem do governo.

No Senado, o governo também tem encontrado dificuldades na articulação. Nesta semana, avançou na Casa uma proposta que turbina o salário de juízes e promotores – de impacto bilionário nas contas públicas. O texto foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), na última quarta-feira (17), e o governo, agora, atua para evitar a votação no plenário principal da Casa. Devem participar do almoço com Lula:

  • Jaques Wagner (PT-BA), líder do governo no Senado;
  • José Guimarães (PT-CE), líder do governo na Câmara;
  • Randolfe Rodrigues (sem partido-AP), líder do governo no Congresso Nacional;
  • Alexandre Padilha, ministro das Relações Institucionais;
  • Paulo Pimenta, ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social;
  • Rui Costa, ministro da Casa Civil.

Diário de Pernambuco

Denunciado pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE) em um dos três inquéritos policiais que investigaram crimes sexuais, o empresário Rodrigo Carvalheira foi preso, no dia 11 de abril, a partir de um fato bem determinante: a interceptação de uma ligação telefônica. Para a Justiça pernambucana, a comunicação entre Carvalheira e uma amiga dele, a delegada Natasha Dolci, mostrou que “o empresário estava tentando atrapalhar as investigações”.

Menos de uma semana depois de ser levado ao Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife, Carvalheira foi solto, na quarta (17/4). Para permanecer fora da cadeia, no entanto, o empresário terá que ser monitorado por tornozeleira eletrônica. Enquanto isso, o MPPE ainda analisa dois inquéritos encerrados pela polícia e enviados na segunda-feira (15/4).

No dia da libertação de Rodrigo Carvalheira, a delegada Natasha Dolci concedeu uma entrevista exclusiva ao Diário de Pernambuco e falou sobre a importância da interceptação telefônica para a prisão do amigo. Na entrevista, ela afirmou que era apenas uma conversa informal de amigos e que estava tentando ajudar o empresário. Afirmou também que pediu uma ajuda para conseguir uma transferência de delegacia, “já que Rodrigo tem conhecimento dentro do governo”.

“Há uma tentativa de prejudicar Rodrigo politicamente. Eles grampearam o telefone e também existe a questão de me punir mais uma vez, já que, há anos, sofro perseguição dentro da polícia”, declarou. No documento assinado pelo juiz José Claudionor da Silva Filho, que determinou a prisão de Carvalheira, existe uma ligação direta entre o mandado de captura e a interceptação telefônica.

“Compulsando os autos, verifico que este Juízo deferiu as medidas cautelares de quebra de sigilo de dados e interceptação de comunicações telefônicas do investigado Rodrigo Dib Carvalheira, bem como expedição de mandado de busca e apreensão, diante da existência de indícios robustos da prática dos delitos de estupro de vulnerável pelo investigado contra diversas vítimas, presentes os requisitos legais para tanto. Com o resultado das referidas medidas, restou comprovado que o investigado Rodrigo Dib Carvalheira está tentando atrapalhar as investigações, conforme diálogo entre o investigado e a Delegada Natasha Dolci”, escreveu o magistrado. Veja o diálogo entre Rodrigo Carvalheira e Natasha Dolci, no dia 3 de abril, pouco mais de uma semana antes da prisão:

RODRIGO: OI..

NATASHA: OI BEBÊ..

RODRIGO: TUDO BOM?

NATASHA: TOU BEM, E TU?

RODRIGO: TOU INDO, A DELEGADA MARCOU MEU DEPOIMENTO, VEIO ATRÁS DA MINHA ADVOGADA, GRAÇAS A DEUS.

NATASHA: AHHH, QUE BOM

RODRIGO: MARCOU PRA DIA 25 DE ABRIL.

NATASHA: 25 DE ABRIL? NOSSA, MAIS LONGE, NÉ?

RODRIGO: TÁ BOM, TÁ BOM. É O TEMPO QUE ME PREPARO. PSICOLOGICAMENTE.

NATASHA: BELEZA (FONÉTICA), CONSEGUIU TIRAR DE LÁ NÃO?

RODRIGO: EU NEM MEXI AINDA, TÁ?

NATASHA: OXI..

RODRIGO: EU NÃO MEXI.

NATASHA: CÊ TÁ ESPERANDO DEMAIS, VIU?

RODRIGO: EU NEM MEXI, TO NA VERDADE TOU.. EU TOU.. EU TOU.. TOU VENDO.. EU TOU VENDO NA VERDADE, ESPERANDO O NEGÓCIO DA FILIAÇÃO DA TURMA, TUDO.. O PRAZO DA GALERA PRA ACALMAR A POLÍTICA, NÉ.

NATASHA: ENTENDI.

RODRIGO: ENTENDESSE.

NATASHA: TU VAI SE CANDIDATAR?

RODRIGO: DESISTI.

NATASHA: HUM?

RODRIGO: DESISTI. ELA CONSEGUIU TIRAR ISSO DE MIM.

NATASHA: QUEM… HEIN?

RODRIGO: (INAUDÍVEL)

RODRIGO: É ISSO MERMO, FAZ PARTE… (INAUDÍVEL) DEUS FECHA UMA PORTA, ABRE TRÊS.

NATASHA: É… TEM RAZÃO.

RODRIGO: ERA PRA SER.

NATASHA: ERA PRA SER NÉ… MAS… ASSIM, ERA SÓ TER CORRIDO ATRÁS, CÊ FICOU MUITO.

RODRIGO: NÃO… NÃO CORRI ATRÁS NÃO, EU TENTEI, POW. MAS A GALERA… DANIEL NÃO QUIS SE METER, (INAUDÍVEL) NÃO QUIS METER. AÍ SÓ TÚLIO (INAUDÍVEL)… DEIXA EU TE LIGAR NO ZAP, PERAÍ, PERAÍ.

RODRIGO: TÔ SEM INTERNET.

NATASHA: POIS É, EU TAMBÉM.

RODRIGO: E AÍ, BEBÊ?

NATASHA: TÁ POR ONDE?

RODRIGO: TÔ NO ESCRITÓRIO E VOCÊ?

NATASHA: DELEGACIA.

RODRIGO: TU TÁ SEM INTERNET TAMBÉM?

NATASHA: TÔ.

RODRIGO: EU TÔ SEM INTERNET, SEM WHATSAPP E SEM INSTAGRAM.

NATASHA: É EU TÔ SEM WHATSAPP TAMBÉM E SEM INSTAGRAM, (INAUDÍVEL)

RODRIGO: SERÁ QUE ME HACKEARAM E TE HACKEARAM, DELEGADA?

NATASHA: (RISOS) NÉ POSSÍVEL, VÉI

RODRIGO: (RISOS) É MUITA MARCAÇÃO NA GENTE, POW.

NATASHA: MUITA MARCAÇÃO MESMO, PELO AMOR DE DEUS. TU VAI SAIR DAÍ QUE HORAS?

RODRIGO: HANN.. VOU SAIR, POW, TEN..VOU SAIR SEIS E MEIA.

NATASHA: EU VOU TÁ POR AÍ. QUE HORAS QUE É SUA REUNIÃO?

RODRIGO: QUATRO. E VAI ATÉ….

NATASHA: EITA, VAI DEMORAR.

RODRIGO: QUATRO ATÉ SEIS E MEIA, SETE.

NATASHA: ENFIM… VOU PRA AÍ UMAS QUATRO E MEIA, SE TIVESSE IDO (FONÉTICA) TE VIA ANTES

RODRIGO: DÁ PRA DESCER NO ESTACIONAMENTO…

NATASHA: (RISOS) RIDÍCULO.

RODRIGO: DÁ, POW

NATASHA: ME AVISA A HORA QUE CÊ TIVER LIVRE. DEIXA EU TE FALAR UMA COISA… TÔ PRECISANDO DE UM FAVOR.

RODRIGO: HUM…

NATASHA: DE UM GRANDE FAVOR…

RODRIGO: HUM.

NATASHA: É… TÃO QUERENDO MEXER COMIGO AQUI.

RODRIGO: HUM.

NATASHA: TÃO QUERENDO ME TIRAR E JÁ VIERAM COM HISTORINHA: NATASHA, ACEITA O IBURA? NATASHA, ACEITA ISSO? E EU TÔ CORRENDO DA GALERA SABE.

RODRIGO: HUM.

NATASHA: E VAGOU NORONHA.

RODRIGO: QUER IR PRA NORONHA (INAUDÍVEL)?

NATASHA: QUERO, QUERO. VAGOU LÁ, NÃO VOU MEXER COM NINGUÉM. É SÓ COLOCAR MEU NOME LÁ.

RODRIGO: TÁ, VÔ… VÔ LIGAR PRA EPAMINONDAS AGORA.

NATASHA: (INAUDÍVEL) PELO AMOR DE DEUS.

RODRIGO: RESOLVE (FONÉTICA) MINHA MISSÃO É… NÃO… P…. DE MINHA MISSÃO, EU VOU… EU TÔ AFIM… SABE O QUE EU ACHO QUE ACONTECEU? MINHA ADVOGADA FOI MUITO MALA, NÉ. QUE ELA É, ELA É EXPERTISE NISSO, NÉ.

NATASHA: HUM.

RODRIGO: QUE QUE ELA FEZ… A MULHER NÃO QUIS ME RECEBER, NÉ..

NATASHA: UMHUM

RODRIGO: AÍ O QUE É QUE ELA FEZ.. ELA FEZ.. AHH, TUDO BEM, SE NÃO QUER RECEBER ELE VAI SER O ÚLTIMO. POSSO SÓ COLOCAR UMA JUNTADA AQUI E DIZER QUE RODRIGO ESTEVE À DISPOSIÇÃO DA JUSTIÇA, DA POLÍCIA (FONÉTICA), QUE VEIO, TAL… A MULHER: CLARO, PODE VIR. E AÍ, ELA BOTOU AS DUAS PRIMEIRAS PÁGINAS JUNTADAS E O RESTO ERA MEU DEPOIMENTO.

NATASHA: TENDI

RODRIGO: ENTÃO ELAS TIVERAM QUE ASSINAR, VIRAM MEU DEPOIMENTO E AGORA ESTÃO VINDO ATRÁS PRA ME RECOLHER, PRA SABER DO MEU.

NATASHA: DE QUALQUER FORMA ELES IRIAM TE OUVIR, NÉ?

RODRIGO: EU SEI, MAS NÃO OUVIU NINGUÉM AINDA.

NATASHA: AH, NÃO OUVIU NÃO?

RODRIGO: NÃO…

NATASHA: OUXI…

 RODRIGO: NÃO SEI SE JÁ TEM, NÃO SE PODE OUVIR DAQUI ATÉ LÁ. TEM TEMPO PRA CARALHO, NÉ.

NATASHA: UMHUM. EU ACHO QUE ELA FICOU COM MEDO DE MEXER. FOI INVESTIGAR QUEM É, SEU NOME É GRANDE, SEU NOME É FORTE, FICOU COM MEDO E…

RODRIGO: EU ACHO QUE NA VERDADE, NATASHA, ELA VIU AS PROVAS. (INAUDÍVEL) ESSE CARA NÃO ESTÁ ERRADO NÃO.

NATASHA: TAMBÉM. MAS ASSIM, VOCÊ VÊ AS PROVAS, JÁ NÃO ESTÁ MUITO LEGAL. É UMA PESSOA INFLUENTE. TODO MUNDO QUANDO É UMA PESSOA INFLUENTE A GENTE TEM MEDO DE MEXER. INDEPENDENTE DE QUEM SEJA, ASSIM SABE… É UMA PESSOA INFLUENTE, TEM ALGUMA INFLUÊNCIA… VAI NO SEU INSTAGRAM CÊ TEM FOTO COM A GOVERNADORA E COM A VICE-GOVERNADORA.

RODRIGO: TEM UM.

NATASHA: NINGUÉM VAI MEXER… POIS É, A GENTE TEM MEDO DE MEXER, A GENTE SABE QUE ROLA NOSSA CABEÇA, ENTÃO ASSIM… É ISSO QUE PODE TER ROLADO. ISSO AÍ… JÁ ACONTECEU DE EU… CHEGAREM LÁ NA VEÍCULOS PRA MIM, ERA AMIGO DO GOVERNADOR. EU JÁ JOGUEI A BRONCA PRO TITULAR E FALEI: EU NÃO FAÇO FLAGRANTE. O TITULAR TAMBÉM: EU TAMBÉM NÃO FAÇO… SE VIRA… QUE QUE A GENTE FAZ? ABRE UMA PORTARIA AÍ, NINGUÉM INVESTIGA. A GENTE CAGA DE MEDO. A GENTE NÃO TEM INAMOVIBILIDADE.

RODRIGO: É…

NATASHA: ENTÃO ASSIM… É ISSO QUE ACONTECE, POR ISSO QUE TOU TE FALANDO. ENTÃO TALVEZ ELA QUEIRA JÁ ANDAR LOGO COM ISSO. ENFIM…

RODRIGO: DEUS LHE OUÇA…

NATASHA: VAMO LÁ… POIS É, VAMO VER. O QUE EU PUDER AJUDAR TAMBÉM, TOU AÍ, VEI.

RODRIGO: EU SEI. TÁ, VOU LIGAR PRA EPAMINONDAS AGORA E…

NATASHA: LIGA…

RODRIGO: DEIXA VOLTAR WHATSAPP QUE EU TE LIGO. ME AVISA QUANDO CHEGAR AQUI, TÁ?

NATASHA: TÁ BOM, AVISO.

RODRIGO: BJO.

NATASHA: BJOS.

Ainda no documento, o magistrado sintetiza o que o levou a determinar a prisão de Carvalheira. “Conforme diálogo acima, verifico que o investigado tentou, através dos seus contatos políticos, retirar o inquérito policial que originou o presente processo da Delegacia da Mulher. Restou comprovado, ainda, que a Delegada Natasha Dolci orientou o investigado a agilizar a sua tentativa de interferência política para retirada do inquérito policial da Delegacia da Mulher, a fim de encerrar a presente investigação, solicitando, inclusive sua ajuda para ser removida para a Delegacia de Fernando de Noronha, colocando-se à disposição para ajudá-lo no presente caso, caracterizando-se uma troca de favores”.

Por Juliana Albuquerque – repórter do Blog

O empresário José Artur de Barros Lima, dono de uma distribuidora de bebidas da cervejaria Império, localizada no bairro de Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes, foi identificado como o autor da tentativa de suborno ao secretário da Fazenda estadual, Wilson de Paula, na última quarta. Preso em flagrante, ontem, pela Polícia Civil, o empresário está à disposição da Justiça e passará por audiência de custódia.

De acordo com relato do secretário da Fazenda, autor da denúncia que levou a prisão do empresário, na tarde da última quarta-feira (17), ele recebeu, em sua residência, uma caixa de cerveja contendo em seu interior um pacote com várias cédulas, no valor total de R$ 49.996.

Um dia antes da entrega do pacote com o valor em dinheiro, segundo investigações, detalhadas há pouco, pela SDS, o empresário havia se reunido com o secretário da Fazenda. Na ocasião, tratou de uma possível abertura de uma indústria da Império em Pernambuco.

O fato levou a Polícia a entender que o montante seria para que o secretário da Fazenda beneficiasse a concessão de benefícios fiscais para a instalação da cervejaria em solo pernambucano, o que é considerado crime de corrupção ativa.

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), em parceria com o Senado Federal e o Instituto Legislativo Brasileiro (ILB), oferecerá gratuitamente um curso de capacitação técnica com as câmaras municipais do estado. Dessa vez as regiões contempladas serão o Sertão do Pajeú e o Sertão de Itaparica, respectivamente. O primeiro evento acontecerá em Serra Talhada, nos dias 22 e 23, e o segundo ocorrerá em Floresta, nos dias 24 e 25 de abril.

O programa é coordenado pela Escola do Legislativo (Elepe) e funcionará no formato de minicursos e oficinas temáticas. As inscrições podem ser feitas por meio do link www.interlegis.leg.br e pelo telefone (61) 3303.3221. Mais informações podem ser obtidas também pela Escola do Legislativo (Elepe) (81) 3183.2469

Em Serra Talhada, as aulas acontecerão na Câmara Municipal, das das 9h às 12h e das 14h às 17h, no primeiro dia do evento. No segundo dia (23/04) as palestras serão das 14h às 17h. Já em Floresta, as aulas serão ministradas na Câmara de Vereadores, das 9h às 12h e das 14h às 17h, no primeiro dia (24/04), e das 9h às 13h no segundo dia (25/04).

O curso tem como objetivo fortalecer Legislativos e Executivos municipais por meio das capacitações técnicas, visando sempre maior eficiência na prestação dos serviços públicos. A meta, segundo os organizadores do evento, é capacitar as câmaras de vereadores e prefeituras do estado, contemplando as 12 regiões de Desenvolvimento (Agreste Central, Meridional, Setentrional; Matas Norte e Sul; Região Metropolitana; Sertões do Araripe, Central, Itaparica, Moxotó, Pajeú e São Francisco). 

O programa é voltado para vereadores e servidores municipais, porém o público em geral que tenha interesse nos temas da capacitação podem participar gratuitamente. A formação terá duas temáticas. Uma delas abordará sobre ‘Gestão Pública Sustentável’ e a outra a respeito do ‘Fortalecimento das Ouvidorias’.

Durante as aulas os participantes vão aprender os seguintes conteúdos: sustentabilidade: legislação, contexto e agenda 2030 (ONU); Contextualização dos Acórdãos do TCE; Plano de Logística Sustentável como Ferramenta de Gestão; Como Elaborar Plano de Logística Sustentável (PLs); Matriz de Referência para o Legislativo Municipal; Construção de Indicadores; Monitoramento de Dados; Boas prorrogado de gestão; Desafios e Oportunidades; Criação e Desenvolvimento de Ouvidorias

O curso será ministrado pela doutora em gestão para sustentabilidade do Senado/ILB, Danielle Abud e pelo ouvidor executivo da Alepe, Douglas Moreno. Para o superintendente da Escola do Legislativo, José Humberto, os cursos promovidos pela Alepe em parceria Senado Federal têm o objetivo de capacitar os servidores públicos para que possam atender da melhor maneira o cidadão e dar agilidade nos serviços prestados.

“Esperamos que os vereadores, os assessores legislativos e a população em geral possam aproveitar ao máximo o conhecimento ensinado e disseminar informações e adotar boas práticas no serviço público”, enfatizou José Humberto.