FMO - Processo Seletivo 2024

Odebrecht segue J&F e também pede a Toffoli suspensão da multa de R$ 6,8 bilhões

A Odebrecht (atual Novonor) pediu ao ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), a suspensão do pagamento das parcelas do seu acordo de leniência. A construtora quer ter acesso ao material da Operação Spoofing, que prendeu os hackers da Lava Jato, e pediu que os compromissos firmados no acordo sejam congelados enquanto analisa os documentos. Procurada pelo Estadão, a empresa não comentou a iniciativa. O processo é sigiloso.

Tanto o acesso ao material da investigação sobre os hackers quanto o cronograma de pagamentos da multa estão nas mãos de Toffoli. Ele já atendeu a um pedido semelhante feito pelo grupo J&F. O que a Odebrecht pede é a extensão da decisão. As informações são do blog do Fausto Macedo, do Estadão.

O STF está de recesso até o final do mês. Nesse período, apenas casos considerados urgentes são analisados. O presidente e o vice-presidente do tribunal se revezam no plantão. Os demais ministros podem ficar sob aviso, desde que comuniquem com antecedência que vão abrir mão do recesso.

Toffoli avisou, em dezembro, que ficaria em atividade apenas para despachar na ação, movida pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que levou à anulação das provas obtidas a partir da leniência da Odebrecht. Se considerar que há conexão entre o pedido da construtora e a ação, o ministro pode decidir antes do final do recesso. Caso contrário, a decisão só deve ser tomada após 1º de fevereiro.

O acordo de leniência da Odebrecht foi assinado em 2016. O grupo se comprometeu a pagar R$ 2,72 bilhões ao longo de 20 anos para encerrar investigações da Operação Lava Jato. As autoridades responsáveis pela negociação projetaram que o valor corrigido chegaria a R$ 6,8 bilhões ao final do período.

O Estadão apurou que a empresa estuda pedir a revisão da multa. O argumento é que o valor foi pactuado tomando como base um faturamento que não é mais realidade para o grupo.

Parte das provas do acordo foram anuladas pelo ministro aposentado do STF Ricardo Lewandowski, que assumiu nesta semana o Ministério da Justiça, com base em mensagens da Operação Spoofing. Ele levou em consideração o julgamento que declarou a suspeição do ex-juiz Sergio Moro e considerou que havia “vícios” nas provas. Inicialmente, a decisão beneficiou apenas o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), mas o ministro Dias Toffoli, que herdou o processo, estendeu os efeitos ao ex-governador do Rio Sergio Cabral.

A 2ª Vara Cível da Comarca do Crato, município distante 502 km de Fortaleza, acatou Ação Civil Pública do Ministério Público do Ceará, que solicitou a suspensão da posse da candidata eleita Vanessa Lima Santos para uma das vagas do Conselho Tutelar do Município no último pleito, realizado em 2023.

Conforme denúncia feita junto ao Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), a candidata teria chamado de “macaco” um menino, durante conversa de aplicativo com o pai da criança. O caso se enquadra como crime de injúria racial. As informações são do O POVO.

Na ação, o Ministério Público fundamenta que a candidata não apresentou idoneidade moral, como prevê o artigo 33 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Para comprovar os argumentos, o Ministério Público analisou a íntegra das conversas de aplicativo de mensagens , que foram extraídas do celular da candidata, o que, segundo o juízo, acabou comprovando a prática do crime de injúria racial, conforme denunciado pelos responsáveis pela criança.

A decisão da Justiça suspende a posse da candidata em caráter de urgência. No entanto, ela ainda pode recorrer da decisão no prazo de 15 dias após a publicação do julgamento.

Jaboatão dos Guararapes - Dengue 2024

A Prefeitura de Itapetim celebrou, na última quinta-feira (11),  a assinatura de ordens de serviço e anunciou ações no município totalizando um investimento de mais de R$ 30 milhões. As iniciativas visam proporcionar avanços e melhorias substanciais para a população itapetinense.

Dentre as ordens de serviço destacam-se a Escola Padrão FNDE do Bairro Santo Antônio, a Escola Padrão FNDE de Piedade, a pavimentação de 6 ruas na sede, a requalificação do prédio da Secretaria de Educação, a reforma do prédio do Conselho Tutelar e a reforma e ampliação do Centro de Fisioterapia. As informações são do blog do Nill Júnior.

Também foram anunciadas diversas licitações, incluindo a aquisição de um tomógrafo para o hospital, a aquisição de uma torre de videolaparoscopia, horas máquinas para reforma de açudes e aração de terra, perfuração de 100 poços artesianos, construção de 8 passagens molhadas, construção de sistemas de abastecimento na zona rural, reforma da Academia da Saúde, construção da Clínica Veterinária em parceria com a Universidade da Paraíba, e a compra de lâmpadas de LED para Itapetim, Piedade e São Vicente.

Os investimentos incluem ainda a chegada de equipamentos como duas retroescavadeiras, um trator com grade aradora, ensiladeira e colheitadeira, um caminhão compactador de lixo, e vários módulos sanitários.

Recentemente, o município recebeu dez computadores para a Escola Municipal Antônio Piancó Sobrinho. É relevante destacar que cerca de R$ 25 milhões desse montante são provenientes de emendas parlamentares destinadas pelo deputado federal Felipe Carreras (PSB).

Petrolina - Bora cuidar mais

Após resistir à cobiça do Centrão pelo seu cargo e ser mantida na Esplanada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a ministra da Saúde, Nísia Trindade, inicia o segundo ano no comando da pasta sob pressão da base do governo, mas também na mira do bolsonarismo e de setores da esquerda. A queda de braço entre Nísia e o Congresso ganhou um novo capítulo com a edição de uma portaria, em dezembro, que impôs, na visão de deputados e senadores, travas para a indicação de recursos extras oriundos do antigo orçamento secreto a estados e municípios.

No meio político, ela também é criticada pela gestão dos hospitais federais. E a oposição abriu um outro flanco de artilharia ao tentar vincular a nomeação de um filho da ministra para um cargo na prefeitura de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, à liberação de recursos para a cidade pela pasta, o que a ministra nega. As informações são do O GLOBO.

A pressão sobre a pasta ocorre mesmo com o aumento, registrado nos últimos anos, do peso das emendas no Orçamento da Saúde, área que concentra obrigatoriamente quase metade das indicações de deputados e senadores.

Dados do Planejamento, reunidos pelo GLOBO, mostram que houve um salto a partir de 2020, durante o governo Bolsonaro, e que o valor se manteve praticamente estável no primeiro ano do governo Lula, em R$ 14,7 bilhões. Em 2018, foram empenhados apenas R$ 5,5 bilhões em emendas. Em paralelo, o montante destinado a investimentos da Saúde pouco variou nos últimos seis anos e somou R$ 5,3 bilhões em 2023.

Trava

A insatisfação dos parlamentares aumentou com a publicação, em 19 de dezembro, de norma que condiciona transferências de valores voltados para o custeio de serviços de saúde de atenção especializada à aprovação das propostas pela chamada Comissão Intergestores Bipartite (CIB). O colegiado é formado por gestores estaduais e municipais do Sistema Único de Saúde (SUS) em cada estado. Portaria anterior, de maio do ano passado, indicava que seriam priorizadas as propostas aprovadas pela CIB, sem apontar sua exigência.

No fim do ano, a necessidade de se adequar à nova portaria gerou insatisfação entre parlamentares da base. A avaliação foi a de que a regra criou, no apagar das luzes de 2023, complexidade adicional para estados e prefeituras receberem os valores. Eles alegam que as comissões não costumam se reunir com frequência e que não houve clareza sobre os critérios adotados para as liberações, já que parte dos recursos para cidades com apadrinhados da base foi contemplada e outras não.

Em nota, o Ministério da Saúde negou que o texto tenha dificultado as transferências. Na visão da pasta, os gestores “ganharam mais tempo” para mostrar que as propostas atendiam aos critérios de priorização apontados na diretriz anterior. “Não houve qualquer prejuízo aos proponentes, ficando asseguradas as tramitações de todas as propostas tecnicamente adequadas”, declarou.

Na avaliação de um parlamentar que integra a base do governo, porém, o episódio gerou uma crise “sem precedente”, maior que as reclamações no ano passado sobre o ritmo de liberação de emendas parlamentares. Na época, o Centrão pressionou para ampliar seu espaço na Esplanada, em meio às negociações para a entrada de PP e Republicanos no governo, e passou a exigir o cargo de Nísia. A ministra, no entanto, recebeu apoio público de Lula.

Em outra frente, a ministra tem recebido críticas no campo da esquerda pela gestão dos hospitais federais no Rio. Ao GLOBO, o deputado federal Washington Quaquá (PT-RJ), vice-presidente nacional do partido, afirmou que há demora na reabertura de leitos nas unidades, que vivem um sucateamento, segundo ele, e classificou a gestão de Nísia como “inoperante e frágil”. Ele defendeu sua saída do cargo.

“É uma ministra que dialoga muito pouco com o mundo da administração pública, não só da política. Para um governo da importância do governo Lula, a ministra é inoperante. Ela não tem o tamanho que o governo Lula precisa”, disse.

Já a possível transferência de um hospital da rede federal para a gestão da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) levou sindicatos e entidades a organizarem uma paralisação de 24 horas. A crítica é que se trata de um processo de “privatização”.

O primeiro ano de gestão de Nísia, por outro lado, tem sido elogiado por especialistas e associações do setor pelos avanços nas taxas de vacinação do país, retomada de programas como o Farmácia Popular e Mais Médicos, além dos esforços de coordenação nacional do SUS. Secretário Municipal de Saúde do Rio, Daniel Soranz (PSD) elogia a aproximação e diálogo da ministra com os estados e municípios e aponta que a pasta tem um plano de recuperação dos hospitais federais e já aumentou sua produtividade.

“A ministra é técnica e tem apresentado resultados. Os ataques não são direcionados a ela, mas buscam atingir o presidente Lula”, declara.

Ao GLOBO, a Saúde informou que mais de 300 leitos que estavam fechados nos últimos anos nos hospitais federais do Rio foram reabertos no ano passado e que houve crescimento dos atendimentos. A pasta diz ainda que trabalha na recuperação e reestruturação, após anos de “abandono e precarização”.

Ofensiva da oposição

Além de não agradar a base, Nísia também entrou na mira da oposição nos últimos dias. Nas redes sociais, bolsonaristas impulsionaram a vinculação da nomeação do seu filho, o músico Márcio Sampaio, como secretário de Cultura de Cabo Frio, a um repasse da pasta à cidade na Região dos Lagos do Rio, comandada por Magdala Furtado (PL), no valor de R$ 55 milhões, no fim do ano passado. A nomeação ocorreu um mês depois da destinação dos recursos.

A pasta afirma se tratar de uma “falsa ilação” e apontou que as demandas atendidas têm origem em solicitações da gestão anterior de Cabo Frio. Ainda segundo o ministério, os repasses não destoam dos feitos para os demais municípios. A Saúde também afirma que são adotados critérios técnicos para definir os valores.

Em perfil no X (antigo Twitter), Nísia enfatizou que não teve nenhuma relação com o convite para seu filho assumir o cargo. “Márcio, além de músico reconhecido, é graduado em ciências sociais e políticas culturais. Será uma excelente experiência para ele e para a gestão cultural da cidade”, escreveu.

A ministra já havia entrado na mira de bolsonaristas nas plataformas digitais no ano passado, após viralizar nas redes uma apresentação de dança em um evento do ministério com uma versão de “Batcu”, de Aretuza Lovi. O caso levou Nísia a pedir desculpas.

Ipojuca - App 153

A Agência Pernambucana de Água e Clima (Apac) emitiu, no fim da manhã deste sábado (13), um alerta de Estado de Observação para a Região Metropolitana do Recife (RMR) e as Zonas da Mata Sul e Norte.

Com chuvas moderadas e “pontualmente fortes” desde a madrugada deste sábado (13), a RMR foi onde teve maior volume de água. Os maiores acumulados foram nos municípios de Abreu e Lima (63 mm), Cabo de Santo Agostinho (50 mm) e Jaboatão dos Guararapes (40 mm). As informações são da Folha de Pernambuco.

Segundo a Apac, um “Vórtice ciclônico de Altos Níveis (VCAN) continua desestabilizando a atmosfera sobre Pernambuco, ocasionando precipitações isoladas”.

A previsão é de que as chuvas diminuam ao longo deste sábado, mas ainda ocorrerão na madrugada do domingo (14) tanto na RMR quanto nas Zonas da Mata. A previsão da agência é de que, na segunda (15), o dia “tende a ser ensolarado”.

Citi Hoteis

Para garantir a segurança dos foliões durante as prévias carnavalescas, o Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria de Defesa Social (SDS), montou um plano operacional para todo o Estado. Ao todo, 7.372 policiais militares estarão nas ruas no período pré-Carnaval. Além deles, 1.250 policiais civis e ainda delegacias móveis estarão em pontos estratégicos, sobretudo no Grande Recife. Assim como a Polícia Científica, que conta com profissionais de plantão 24h no Instituto de Medicina Legal (IML) e no Instituto de Criminalística (IC).

Por sua vez, o Corpo de Bombeiros Militar, vai colocar 926 servidores e ainda 22 viaturas à disposição do folião. A Corregedoria da SDS, o Centro Integrado de Inteligência de Defesa Social (Ciids), o Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciods), o Grupamento Tático Aéreo (GTA) e a Ouvidoria estarão disponíveis 24h por dia para prestar um melhor suporte ao cidadão em caso de necessidade. Segundo a SDS, os efetivos empregados durante todo esse período não comprometem o policiamento rotineiro realizado pelas polícias. O cidadão também pode acionar a polícia pelo 190. As informações são da CBN Recife.

A SDS reforça ainda que blocos e agremiações têm até 31 de janeiro para solicitar policiamento para os eventos carnavalescos deste ano. Os pedidos das atividades de segurança pública nos locais onde serão realizados os festejos de Momo devem ser feitos por meio do preenchimento de um formulário on-line, disponibilizado no site da SDS. Ao ser realizada, a solicitação emitirá automaticamente um processo on-line comunicando às operativas da SDS para adoção das providências necessárias. Já as solicitações de vistorias de trios elétricos, palcos e demais estruturas de apoio devem ser feitas ao Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco, pelo site www.bombeiros.pe.gov.br.

Cabo de Santo Agostinho - Refis 2023

A cidade de São Luiz, em Roraima, recebeu em 2023 o pagamento de R$ 60 milhões em emendas parlamentares. A pequena cidade de 7.000 habitantes é a campeã de recebimento de emendas per capita no ano passado. Foram R$ 8.244 por habitante.

O valor contrasta com o da maioria das cidades brasileiras. Na outra ponta há municípios como Salvador, que recebeu R$ 6,33 por habitante. Com 2,4 milhões de cidadãos, a capital baiana recebeu R$ 15 milhões de emendas. É 1/4 do valor que a cidade de Roraima recebeu. As informações são do Poder360.

A desigualdade nos valores per capita ocorre em todo o Brasil. Enquanto há outras cidades pequenas que receberam mais de R$ 1.000 em emendas por cada habitante, a maioria dos municípios brasileiros recebeu um valor per capita inferior a R$ 180.

Há ainda 54 cidades para as quais não houve registro de recebimento de emendas. A maior delas é Santana do Parnaíba (SP), com 150 mil habitantes.

O Poder360 entrou em contato com a prefeitura de São Luiz (RR) para saber como foram aplicados os recursos. Vera Lúcia Mendes, chefe de gabinete, enviou à reportagem o telefone do prefeito, James Batista. Depois disso, durante 3 dias, nem o prefeito, nem Vera atenderam às ligações do jornal digital para falar sobre as emendas.

Os valores à cidade foram repassados via emendas Pix, menos transparentes, que permitem que o prefeito decida onde alocar os recursos.

Representação maior na Câmara

A disparidade no valor per capita das emendas ocorre, entre outros fatores, porque Estados com baixa população e poucos municípios têm maior representatividade no Congresso.

Por exemplo, Roraima tem 15 municípios e 636 mil habitantes. Seus 3 senadores têm direito a direcionar anualmente a mesma quantidade de emendas (R$ 177 milhões) que os 3 senadores de São Paulo (44 milhões de habitantes).

Esse tipo de maior representação no Congresso faz com que a distribuição de emendas, além de seguir critérios políticos, também siga uma lógica própria: municípios de Estados pouco populosos levam vantagem em relação a outras cidades.

Por conta disso, os cidadãos de Roraima receberam R$ 684 pagos em emendas municipais para cada um dos seus habitantes. Os cidadãos do Acre e do Amapá aparecem em seguida no ranking.

Economistas entrevistados pelo Poder360 afirmam que o levantamento evidencia questões importantes relacionadas às emendas:

  • engessamento do Orçamento – a obrigatoriedade de mais emendas e de calendário de pagamentos, ainda em discussão, trará dificuldades para qualquer governo. Isso porque a maior parte do Orçamento da União, hoje, é engessado. São muitas despesas obrigatórias e pouco recurso para despesas discricionárias, como a de obras e investimentos. O aumento, ano após ano, na obrigatoriedade de emendas, deve reduzir ainda mais o que sobra para esse tipo de despesa. Felipe Salto, da Warren Reina, já fala em “possível shutdown“. Ou seja: a “sobra” tem ficado tão curta que problemas de arrecadação podem acabar fazendo com que o governo não tenha dinheiro nem para pagar o que manda a lei;
  • menos grandes obras – a parte discricionária do Orçamento vai cada vez mais para obras locais, creches, quadras de futebol e escolas, ligadas à atribuição municipal. Políticas intermunicipais e estruturantes, como melhoria da rede do SUS e grandes obras, passam a ficar desguarnecidas de recursos, diz Marcos Mendes, pesquisador do Insper;
  • custo político – “O custo político é zero para o Congresso. Para o Executivo, é alto. Se tiver qualquer problema em uma transferência de uma das milhares de emendas, é problema do governo. Além disso, como é que um deputado, com R$ 160 milhões para gastar em 4 anos de um mandato, vai perder uma eleição?“, questiona João Bernardo Bringel, da FGV.
Caruaru - Geracao de emprego

Por Cláudio Soares*

No cenário político local, surge uma trama intrigante: o genro do prefeito de São José do Egito, Paulo Jucá, aparentemente, expressa sua resistência à possível candidatura de Augusto Valadares à prefeitura.   

Essa oposição na base do prefeito, que vai além do seu genro, mesmo que seja motivada por divergências ideológicas, disputas pessoais ou jogos de interesse, adiciona um elemento de tensão ao horizonte político da cidade.

À medida que os bastidores se movem, a dinâmica entre esses personagens promete moldar o curso das próximas eleições e influenciar o destino político da comunidade.

Há quem diga que é difícil determinar sem mais contexto. A inveja, ciúme e jogos de interesse são emoções e comportamentos complexos, muitas vezes influenciados por diversas situações. 

Certamente, a disputa interna entre o genro do prefeito e Augusto Valadares cria uma oportunidade para a oposição se fortalecer. Se a oposição conseguir manter a união e apresentar uma proposta coesa, poderá capitalizar a divisão no grupo governista, aumentando suas chances de ganhar o pleito.  

Nesse contexto, a coesão e estratégia da oposição desempenharão um papel crucial no desenrolar das eleições, enquanto os protagonistas no poder local continuam a se envolver em suas rivalidades políticas.

Zé Marcos de Lima, Fredson Brito e Romério Guimarães são três nomes fortes que compõem as oposições. Mas se não existir unidade, a vaca vai para o brejo. Fica a questão de como os envolvidos conseguirão lidar com os desafios iminentes para evitar que a oposição se esfacele e tenha um palanque forte. 

Um palanque forte é essencial para qualquer candidato político. Refere-se à base de apoio sólida que um candidato consegue construir ao seu redor durante uma campanha eleitoral. Isso envolve conquistar o suporte de diferentes setores da sociedade, partidos políticos, líderes comunitários e eleitores em geral.  Ter um palanque forte contribui significativamente para o sucesso eleitoral, proporcionando respaldo e influência ao candidato.

*Advogado e jornalista

Belo Jardim - Patrulha noturna

Do blog do Nill Júnior

O pré-candidato a prefeito de Afogados da Ingazeira, Danilo Simões, compartilhou nas suas redes sociais sua filiação ao PSD. O partido, sob a liderança do ministro da Pesca e Aquicultura, André de Paula, representa uma escolha estratégica para Danilo em sua busca pela gestão do município.

Com entusiasmo, Danilo destacou as razões por trás da sua decisão: “É com alegria e motivação que anuncio a minha filiação ao PSD, um partido forte, com expressiva representação no Congresso Nacional, liderado em Pernambuco pelo ministro André de Paula, e que participa dos governos Lula e Raquel Lyra.”

O pré-candidato enfatizou seu compromisso com um modelo de gestão que combina diálogo e determinação para impulsionar o futuro de Afogados da Ingazeira. Ele expressou sua intenção de manter os aspectos positivos da administração municipal, ao mesmo tempo em que busca novas conquistas para impulsionar o desenvolvimento da cidade.

Em suas declarações, Danilo Simões ressaltou a necessidade de uma gestão moderna e eficiente, almejando acelerar o progresso do município em direção a um futuro repleto de oportunidades para todos os cidadãos.

A movimentação política de Danilo Simões no contexto do PSD fortalece as expectativas para as próximas eleições municipais, adicionando uma nova dinâmica ao cenário político local.

Vitória Reconstrução da Praça

Da Folha de S. Paulo

Enquanto o número de rotas internacionais em boa parte dos aeroportos do centro-sul brasileiro se aproxima ou até ultrapassa o patamar pré-pandemia, os principais terminais do Nordeste ainda sofrem para recuperar a demanda de trajetos para fora do país.

É o que mostra levantamento feito pela Folha com base em dados disponibilizados pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) com informações até o mês de novembro de 2023.

O caso mais drástico é observado no aeroporto internacional do Recife, que já chegou a oferecer 16 rotas internacionais em 2018. Nos anos seguintes, o número entrou em queda —e, sob efeito das restrições impostas pela pandemia, o patamar despencou para somente um trajeto em 2021, o que liga a capital pernambucana a Lisboa.

Em leve recuperação, o terminal pernambucano somou, em 2023, cinco destinos internacionais, sendo eles Lisboa, Buenos Aires, Montevidéu, Orlando e Fort Lauderdale, na Flórida (EUA).

O levantamento considera somente rotas com mais de 400 passageiros anuais, para evitar distorções. Viajantes em voos que fazem escala no Brasil sem imigrar não foram incluídos.

Além disso, a reportagem considerou apenas voos regulares com passageiros pagos (ou seja, aqueles que geram receita para as companhias aéreas) realizados entre janeiro e novembro de cada ano.

Outros aeroportos que funcionam como porta de entrada do Nordeste também registraram queda. É o caso do terminal de Fortaleza, que chegou ao pico de destinos em 2018, quando tinha 12 rotas internacionais, mas viu o patamar ser reduzido a dois trajetos em 2021 e, em 2023, somou quatro rotas para fora do país —Miami, Lisboa, Paris e Buenos Aires.

Em Salvador, esse número saiu de nove destinos internacionais, em 2019, para quatro, em 2023 —Madri, Lisboa, Buenos Aires e Montevidéu.

No total, o Brasil também perdeu rotas a partir de 2018, quando teve 181 destinos internacionais, recorde neste século. Até 2020, começo da pandemia, esse número flutuou para 165.

Em 2021, com aeroportos do mundo todo fechados, houve 73 rotas. No ano seguinte o país começou a se recuperar e fechou os onze primeiros meses de 2023 com 142 trajetos, mas ainda longe do patamar recorde de 2018.

A Abear (associação do setor que reúne empresas como Gol, Latam e Voepass) afirma que o enfraquecimento dos terminais nordestinos é reflexo de um efeito da pandemia, que concentrou o tráfego internacional em Guarulhos.

Segundo a associação, a malha doméstica ficou responsável por distribuir os passageiros para outros destinos brasileiros durante esse período.

“As rotas internacionais partindo de outros aeroportos estão voltando a crescer conforme a demanda de cada localidade”, diz Ruy Amparo, diretor de operações e segurança de voos da Abear.

De acordo com os dados da Anac, o número de passageiros no aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo, vem crescendo desde o baque sofrido em 2020 por causa do distanciamento social.

A pouca oferta de voos do Nordeste faz o médico Aurélio Leal Silva, 29, reservar um dia para ir e outro para voltar de São Paulo em todas as viagens internacionais que costuma fazer, partindo de Teresina, onde mora.

“É sempre uma novela, porque, além do custo a mais de voo, você gasta com hospedagem, deslocamento para sair e voltar do aeroporto, tem que planejar bem para não perder o trecho seguinte”, afirma.

Isso mesmo quando o destino é a Europa, como a Itália, para onde vai em abril, quase 2.000 quilômetros mais perto de Teresina do que de SP. Ele até procura rotas saindo de aeroportos como Recife ou Fortaleza, “mas não vale a pena”, diz. “Você pode até economizar algumas horas saindo daqui, mas os voos são muito mais caros”, afirma.

Em 2023, de janeiro a novembro, quase 12,2 milhões de viajantes internacionais passaram pelo terminal —patamar próximo dos 13,1 milhões registrados em 2019.

Segundo maior terminal do país em fluxo internacional, o Galeão, zona norte do Rio de Janeiro, registrou pouco mais de 3 milhões de passageiros internacionais de janeiro a novembro de 2023. Antes da pandemia, em 2019, o número era de 3,9 milhões no mesmo período.

O terminal carioca amargou esvaziamento em anos recentes. O governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT) iniciou há alguns meses um plano para transferir passageiros do Santos Dumont para o Galeão e reaquecer o aeroporto internacional.

Apesar de manterem um baixo número de destinos internacionais após o baque da pandemia, os principais aeroportos do Nordeste vêm recuperando gradualmente os passageiros internacionais.

De janeiro a novembro de 2023, Recife registrou quase 271 mil passageiros internacionais, o que tornou o terminal da capital pernambucana o maior em movimentação para fora do país no Nordeste.

O resultado representa um crescimento acima de 80% na comparação com o número observado no mesmo período do ano passado, mas ainda está longe de alcançar o patamar observado no pré-pandemia (479,2 mil passageiros internacionais, em 2019).

O aeroporto de Fortaleza, que tinha 498,7 mil viajantes internacionais nos 11 primeiros meses de 2019, acumulou 245,7 mil no mesmo período de 2023. Na mesma base de comparação, Salvador viu o número cair de 374,7 mil, antes da pandemia, para 249,5 mil passageiros internacionais. Os dois terminais tiveram recuperação em relação a 2022.

Rafael Castro, professor do Cefet-RJ (Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca) e especialista em aeroportos, diz que o Brasil tem uma forte concentração de voos internacionais em Guarulhos.

Segundo ele, o cenário se agrava com o enfraquecimento do volume de passageiros no Galeão, no Rio de Janeiro, nos últimos anos.

“A gente está falando de um país com dimensões continentais. Fazer com que alguém do Recife tenha de vir a São Paulo para pegar um voo para fora do país é absurdo. Mas as companhias aéreas vão aonde tem demanda”, diz Castro.

O economista Claudio Frischtak, da Inter.B Consultoria, afirma que a pandemia pode ter acelerado a racionalização do sistema aeroportuário brasileiro. Os aeroportos do Nordeste, segundo ele, podem ter perdido voos ponta a ponta, que ligam um destino a outro sem conexões e escalas.

Dessa forma, companhias aéreas teriam passado a concentrar os voos em Guarulhos, por exemplo, para depois distribuir os passageiros para o resto do país.

“O Nordeste não deixou de ser atraente, continuou sendo uma região que atrai turismo doméstico e internacional. A pandemia afetou, obviamente. Talvez houvesse um excesso de rotas. E essa racionalização pode ter sido acelerada pela pandemia”, explica Frischtak.

Procurada, a Azul afirmou que “a demanda do mercado internacional tem uma forte relação com as questões cambiais e do preço do combustível”, mas que tem ampliado a malha internacional.

A companhia afirma que o Recife é um de seus principais hubs e destaca voos da capital pernambucana para a Flórida e o Uruguai.

Já a Gol destacou que “lidera a oferta internacional do Nordeste para a Argentina, voando o ano inteiro entre seis capitais dessa região e Buenos Aires” —a saber, Salvador, Maceió, Recife, Fortaleza, Natal e João Pessoa.

“Para a alta temporada de verão, a oferta de voos cresce 138% e abrange até 21 voos semanais entre o litoral nordestino e Buenos Aires”, diz a companhia.

“Durante a alta temporada de verão 2023/2024, são duas frequências semanais entre a capital argentina e os aeroportos de Fortaleza, Recife, Natal e Maceió, enquanto Salvador ganha três frequências semanais.”

A companhia ainda destaca ter operação semanal entre Fortaleza e Miami.

A Latam projetou um crescimento de 54% em seu número de passageiros internacionais em 2023, com 5,5 milhões de viajantes em voos com destino ou origem no Brasil —acima dos 3,5 milhões registrados pela companhia em 2022.

Portugal é destaque entre destinos internacionais

O Brasil vem recuperando aos poucos o volume de passageiros em destinos internacionais, mas rotas importantes, como aquelas que ligam o país aos Estados Unidos e à Argentina, por exemplo, ainda não alcançaram o acumulado que registraram em 2019.

Na contramão, Portugal se destaca e já ultrapassou os números pré-pandêmicos.

De acordo com os dados da Anac, foram registrados mais de 2,2 milhões de passageiros em voos que conectam o Brasil ao país ibérico nos primeiros onze meses de 2023 —cerca de 225,7 mil passageiros a mais do que em 2019.

A cantora Aparecida Silvino, 58, costuma separar algumas semanas do ano para ir a Lisboa visitar sua filha. Lá, também faz viagens a outros países da Europa. Ela está prestes a voltar a Portugal, mas reclama do preço da passagem.

Inicialmente, ela tinha pagado R$ 5.000 pelo trajeto de ida e volta que liga Fortaleza a Lisboa. Após um adiamento, desembolsou mais R$ 1.200. Foi o bilhete mais caro que já comprou para o trecho, conta. Silvino afirma que poderia ter economizado mais de R$ 1.000 se fizesse uma escala em São Paulo, onde a oferta de voos é maior, mas diz não valer a pena.

“Na volta, por exemplo, teria que ir para São Paulo, pegar as malas, andar o aeroporto inteiro para pegar o voo doméstico. É muito desagradável, desgastante. Eu acho que é um sofrimento, a gente paga para sofrer”, diz a cantora.

A companhia aérea portuguesa TAP anunciou recentemente um aumento da oferta no Brasil em 2024.

Serão, neste ano, 91 voos semanais (atualmente são 80 por semana) que ligarão onze pontos do Brasil à Europa —um recorde para a empresa. Todos os voos fazem parada em Lisboa, mesmo que sigam para outros destinos.

Segundo Carlos Antunes, diretor da TAP para as Américas, o Brasil é um mercado estratégico e um dos mais importantes para a empresa. Ele diz que a presença em cidades do Nordeste é uma característica da companhia.

“Temos voos diários em Fortaleza, Natal, Salvador, etc. Nós fazemos parte do ecossistema turístico e investimos localmente. Faz todo o sentido continuarmos lá. Portugal é um destino muito conveniente, com custo-benefício e facilidades de idioma e com receptividade para o turista brasileiro”, afirma.

O Pastor Everaldo não teve alterações nos seus vencimentos de R$ 25 mil no Podemos, após a fusão da legenda com o PSC, partido que presidia. O pastor, aliado de Bolsonaro e responsável pela bênção que o ex-presidente recebeu no Rio Jordão, em Israel, é réu por corrupção na Justiça Federal.

A quantia era a mesma que o PSC desembolsava com o seu líder nacional. Hoje, Everaldo é identificado como primeiro vice-presidente do Podemos. As informações são da coluna de Guilherme Amado, do Metrópoles.

Everaldo e dois de seus filhos foram presos em agosto de 2020, na operação que determinou o afastamento do então governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. O pastor era acusado de chefiar uma organização criminosa que desviava recursos públicos da Saúde e de estatais fluminenses. Ele deixou a cadeia em julho de 2021, mas só foi autorizado a retomar as atividades políticas em julho de 2022.

A ação criminal oriunda da Operação “Tris in Idem” tramita na 4ª Vara Federal do Rio de Janeiro. O processo não teve o mérito julgado.

Ironicamente, o Podemos era considerado o “partido da Lava Jato” e teve entre os seus filiados o ex-juiz Sergio Moro, hoje senador pelo União Brasil do Paraná, e o deputado cassado Deltan Dallagnol, que migrou para o Novo.

O TSE autorizou a incorporação do PSC pelo Podemos em junho de 2023. A sigla de Everaldo optou pela fusão após não atingir a cláusula de barreira.

Por unanimidade, o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) reafirmou entendimento de que Tribunais de Contas podem impor condenação administrativa a governadores e prefeitos quando identificada sua responsabilidade pessoal em irregularidades no cumprimento de convênios de repasse de verbas entre estados e municípios. De acordo com a decisão, o ato não precisa ser julgado ou aprovado posteriormente pelo Legislativo. 

Em seu voto pela reafirmação da jurisprudência, o relator, ministro Luiz Fux, observou que, no julgamento do RE 848826 (Tema 835), o Supremo se limitou a vedar a utilização do parecer do Tribunal de Contas como fundamento suficiente para rejeição das contas anuais dos prefeitos e do consequente reconhecimento de inelegibilidade.

Segundo ele, essa decisão não impede o natural exercício da atividade fiscalizatória nem das demais competências dos Tribunais de Contas em toda sua plenitude, tendo em vista a autonomia atribuída constitucionalmente a esses órgãos.

O relator frisou que, em precedentes, o STF faz essa distinção, reconhecendo a possibilidade de apreciação administrativa e de imposição de sanções pelos Tribunais de Contas, independentemente de aprovação posterior pela Câmara de Vereadores. Segundo Fux, uma das competências dos Tribunais de Contas é a definição da responsabilidade das autoridades controladas, com aplicação das punições previstas em lei ao final do procedimento administrativo.

O relator ressaltou, ainda, que a imposição de débito e multa decorrente da constatação de irregularidades na execução de convênio, após o julgamento em tomada de contas especial, não se confunde com a análise ordinária das contas anuais.

Na origem, o ex-prefeito do Município de Alto Paraíso (RO), Charles Luis Pinheiro Gomes, pediu a anulação da decisão do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia (TCE-RO) que o condenou ao pagamento de débito e multa por irregularidades na execução de convênio firmado com o governo estadual.

Chegar em de Porto de Galinhas, no Litoral Sul, virou um teste de paciência. Os engarrafamentos se observam em todas as áreas, principalmente na via pedagiada, localizada na PE-009. Clique no vídeo e confira.

A imagem que mostrou, em Brasília, a vice-prefeita do Recife, Isabella de Roldão (PDT), o ministro da Previdência e presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, e a governadora Raquel Lyra (PSDB) trouxe à tona uma série de especulações e fortaleceu outras durante toda a semana. Com o silêncio dos três, as conjecturas se intensificaram.

Era a sétima vez que a gestora estadual se reunia com Lupi. Há tempos corteja o PDT e teria aproveitado a crise entre a legenda e o PSB no Ceará para reforçar o pedido de o partido integrar a base do Governo. As informações são da coluna Folha Política, da Folha de Pernambuco.

Nas negociações, os pedetistas teriam uma secretaria que, em tese, seria ocupada por Isabella de Roldão. A vice-prefeita, contrariando os caminhos do PDT e do prefeito, declarou apoio a Raquel Lyra no segundo turno da campanha, em 2022.

Agora, em ano de disputa pela reeleição à Prefeitura do Recife, a vaga de vice está em xeque. O PT já chegou a dizer que não trabalha com outra hipótese a não ser a de ter o posto.

O PDT também está no páreo, mas seus atores teriam descartado indicar novamente o nome de Isabella, que nos últimos dias foi ainda mais apontada como traidora, por estreitar os laços com Raquel Lyra, adversária de João Campos.

Irritada com o zunzunzum, a vice-prefeita disse ontem, através de nota, que ninguém pode falar por ela. Não adiantou nem sinalizou seus planos políticos. Mas foi incisiva nas letras.

“Apesar de todos os rumores sobre as eleições deste ano, reforço que a vice-prefeita do Recife sou eu, Isabella de Roldão. Embora muitas pessoas estejam falando muitas coisas sobre mim e meu futuro, só quem pode falar sobre esses assuntos sou eu. A única pessoa que fala por Isabella de Roldão é Isabella de Roldão.”

Na última terça-feira ela deu entrevista à Rádio Folha FM 96,7 sobre o Protocolo Violeta, ferramenta para proteger mulheres da violência e do assédio, e disse que “no momento certo” falaria sobre política.

No dia da foto, as gestoras estavam em Brasília para o ato em favor da democracia. Isabella de Roldão, na condição de prefeita em exercício. Nenhuma divulgou a reunião.

O registro foi publicado apenas no Instagram do Ministério da Previdência. Na legenda, a informação de que o encontro seria “para viabilizar novos convênios, a compensação previdenciária estadual e a cessão do Parque da Jaqueira para a administração municipal”. 

Da Agência Brasil

A Controladoria-Geral da União (CGU) destituiu Luciano de Freitas Musse, que ocupava o cargo de gerente de projetos do Ministério da Educação (MEC), após o fim de um processo administrativo disciplinar que concluiu que o agente público atuou em conluio com os pastores evangélicos Gilmar Silva dos Santos e Arilton Moura Correia para facilitar a liberação de recursos da pasta para prefeituras, em troca de propina.

O caso foi revelado em 2022, por matérias na imprensa, e levou à exoneração do então ministro Milton Ribeiro, que chefiou a pasta da Educação durante parte do governo de Jair Bolsonaro.

Segundo o processo disciplinar da CGU, o indiciado recebeu R$ 20 mil por indicação de um dos pastores. Além da exoneração do cargo de confiança, Musse fica proibido de ser indicado, nomeado ou tomar posse em cargo efetivo ou funções de confiança no Poder Executivo federal pelo período de oito anos.

Em audiência pública na Comissão de Educação do Senado, em abril de 2022, prefeitos de três municípios confirmaram aos senadores que foram abordados por pastores que pediam o pagamento de propina em troca da liberação de verbas do MEC.

Conforme as denúncias, mesmo sem cargos formais, os pastores tinham livre trânsito no MEC e intermediavam os pleitos de prefeituras junto ao então ministro Milton Ribeiro. Ele deixou o comando da pasta após a divulgação de áudios em que afirma dar “prioridade” ao repasse de verbas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDC), uma autarquia vinculada ao MEC, aos “prefeitos que são amigos do pastor Gilmar Santos”.

Nos áudios, Ribeiro enfatizava que a prioridade atendia a um pedido do presidente Jair Bolsonaro. Em sua defesa, o ministro afirmou que não praticou atos ilícitos.

Do blog do Ney Lopes

Kim Keon Hee, 50 anos, é a esposa do atual presidente sul-coreano, Yoon Suk-yeol, de 64 anos. Ela está nas manchetes da mídia internacional. Vem causando impactos aos coreanos, os quais são conservadores em relação às primeiras-damas.

Nenhuma das antecessoras chamou tanta atenção do público quanto Kim, que vive nos holofotes. Nos Estados Unidos, as primeiras damas têm estilos diferentes de participação. Edith Wilson, por exemplo, serviu como o único canal para o presidente Woodrow Wilson, quando ele ficou incapacitado após derrame.

Durante a Grande Depressão, Eleanor Roosevelt tornou-se vice-diretora não assalariada do Escritório de Defesa Civil. Na Coréia do Sul, o símbolo tradicional no país era Yuk Young-soo, esposa do falecido ex-ditador Park Chung-hee, tida como modelo de primeira-dama e mulher coreana, na década de 1970.

Recente pesquisa da “Opinion Research Justice” mostrou que 61% dos entrevistados não aprovam as aparições públicas de Kim. Em algumas ocasiões, o protagonismo da primeira dama tem causado crises no governo. O esposo Yoon Suk-yeol agiu no Parlamento para “abafar” duas investigações contra ela.

A primeira sobre as alegações de que manipulava os preços das ações da empresa da Deutsch Motors. A segunda sobre um projeto de desenvolvimento no distrito ao sul de Seul, em meio a acusações de corrupção. Kim negou as acusações.

Rodeada de controvérsias, ela é realmente diferente de qualquer uma das mulheres que vieram antes e não tem medo de destacar-se no uso de “moda moderna e avançada”. Em viagem a Espanha, a mídia registra que ela ofuscou totalmente o marido pelo exotismo das roupas usadas.

Na chegada, foi uma saia verde royal de cintura alta combinada com blazer preto. Depois, no jantar, vestido branco bordado com uma corda de pérolas. Também usou uma blusa amarela canária com saia lápis azul ao visitar uma mercearia coreana no país. Alguns chamam Kim de “diplomata da moda”.  

Atualmente, ela se dedica a uma campanha contra a prática de comer cães. Há protestos da população. Cita a mídia que Kim Seon-ho, 86 anos, ficou desapontado com a proibição e disse: ”desde a idade média nós comemos isso. Por que nos impedir de comer nossa comida tradicional?”.

Completou:  “Proibir carne de cachorro deve proibir a carne bovina.” Atualmente, com a polêmica aumentando, Kim está ausente dos olhos do público.

Em cada país, a presença da primeira dama se vincula basicamente a ações educacionais e sociais. No Brasil, os exemplos são dona Darcy Vargas, esposa de Getúlio Vargas, que em 1942 criou a Legião Brasileira de Assistência. A senhora Ruth Cardoso, esposa de FHC, presidiu a Comunidade Solidária para combater a pobreza e idealizou o Bolsa Família.

Pelo que se observa, a forma de participação da primeira dama é uma questão hoje acompanhada pela opinião pública nas democracias. Uma primeira dama inquieta causa problemas e influi para o desempenho dos governos.

O prefeito de Paulista, Yves Ribeiro, assinou nesta sexta-feira (12) a ordem de serviço para a execução de obras de infraestrutura em Paratibe. Ao todo, serão 7,3 mil metros de asfalto ao longo das ruas Maria Ivete, Padre Noberto Verhoeven, José Mariano, e das avenidas Floresta, Lindolfo Collor, Castelo Branco, Presidente Vargas e Severino Lopes.

“A gente tem que se unir para que o povo tenha mais, busque mais e possa ter uma melhor qualidade de vida. É com grande satisfação que estamos aqui hoje dando essa ordem de serviço para um investimento de R$ 6 milhões em obras para melhorar a qualidade de vida das pessoas”, explicou o prefeito Yves.

Na ocasião, o prefeito aproveitou para destacar que a gestão municipal está mudando a cara da cidade. Yves Ribeiro listou a  recuperação de 30 praças, implantação das Academias da Saúde, o investimento de R$ 16 milhões na duplicação da PE-01, melhoria nos boxes das feiras, construção do Centro da Resistência e Centro da Mulher Empreendedora, revitalização de unidades de saúde, dentre outras obras. 

“Esse conjunto de ações melhoram a qualidade de vida do povo. Na minha história sempre trabalhei para os mais pobres. Todo real que entra na Prefeitura retorna em serviços. Tudo é feito com muita transparência. Em todo lugar eu entro pela porta da frente. São sete mandatos como prefeito e 31 contas aprovadas”, argumentou Yves.

As obras irão beneficiar diretamente os bairros de Paratibe e Arthur Lundgren I. A Secretaria de Infraestrutura será responsável pela coordenação dos serviços.