FMO - Processo Seletivo 2024

Valdemar procura bolsonaristas para medir estrago de elogio a Lula

O presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, procurou bolsonaristas nas últimas horas para medir o estrago de uma entrevista que concedeu recentemente elogiando Lula. Embora a entrevista tenha sido dada em dezembro, um vídeo editado com as falas de Valdemar passou a repercutir na semana passada, gerando reação de bolsonaristas nas redes sociais.

Hoje, o próprio Jair Bolsonaro comentou o tema. Sem citar Valdemar, o ex-presidente falou na possibilidade de “implosão” do PL em razão de “declarações absurdas”. “Essa semana tive um problema sério, não vou falar com quem. Se continuar assim, vai implodir o partido. Pessoa do partido dando declaração absurda, como ‘o Lula é extremamente popular’. Manda ele tomar um (cachaça) 51 ali na esquina ali. (Lula) Não vem”, disse Bolsonaro em conversa com apoiadores em sua casa de veraneio em Angra dos Reis (RJ).

Após a repercussão negativa, Valdemar conversou por telefone com ao menos dois parlamentares da ala bolsonarista do PL: o senador Magno Malta e o deputado federal Sóstenes Cavalcante. Segundo apurou a coluna do Igor Gadelha, no portal Metrópoles, ambos avaliaram que o dirigente não errou propositadamente, mas, sim, em razão do “histórico” da legenda de ser governista em gestões do PT. “O Valdemar errou por conta do histórico dele, de ser governista, não foi intencionalmente. Ele precisa entender que hoje ele tem lado e que, quando você tem lado, não elogia o adversário”, disse à coluna, sob reserva, um aliado de Bolsonaro.

Os parlamentares também minimizaram a reação de Bolsonaro. A Valdemar, avaliaram que a fala do ex-presidente da República seria mais uma resposta à militância do que irritação com o cacique. Nesse cenário, Valdemar foi aconselhado por parlamentares bolsonaristas a submergir nos próximos dias, para que o assunto seja esquecido e a crise arrefeça.

Jaboatão dos Guararapes - Dengue 2024

O presidente Lula e o ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, sancionaram, hoje, as regras para a atividade de praticagem no país. Profissão antiga e bastante requisitada nos tempos de hoje, a praticagem é a atividade de condução de grandes embarcações durante as manobras de atracação e desatracação dos portos. Com a assinatura do Projeto de Lei (PL), o Governo Federal reconhece a importância dos profissionais para o setor e reforça a segurança das estruturas portuárias, favorecendo a competitividade dos portos brasileiros.

A sanção do PL 757/2022 ocorreu durante cerimônia realizada no Palácio do Planalto. Na ocasião, Costa Filho comemorou a regulamentação da atividade e reforçou a importância que os profissionais representam para o modal marítimo brasileiro. Atualmente, os portos no país são responsáveis por mais de 95% de nossa balança comercial.

“O PL sancionado hoje pelo presidente Lula representa um grande marco para o setor portuário e é uma medida essencial para garantir segurança jurídica e estabilidade regulatória aos serviços e profissionais que se dedicam integralmente para atender às demandas que existem nos nossos portos. Temos a absoluta certeza de que essa lei representará mais um grande avanço no desenvolvimento do nosso sistema portuário, pois tornará o modal mais seguro e competitivo, de modo a favorecer o setor produtivo e a economia brasileira, atraindo mais investimentos e a geração de novos empregos”, indicou Costa Filho.

Vice-presidente da Associação Internacional de Práticos Marítimos e diretor do Conselho Nacional de Praticagem (Conapra), Ricardo Falcão ressalta que as novas regras assinadas pelo presidente Lula estão alinhadas às práticas vigentes nos principais mercados mundiais, como França, EUA, Alemanha, China, Coreia do Sul. “Existe um padrão mundial de funcionamento da atividade, com isso o profissional ganha uma estabilidade de funcionamento, um arcabouço jurídico muito mais forte. É o padrão que o mundo todo opera”, afirmou Falcão.

O serviço de praticagem tem como objetivo a preservação do meio ambiente, a segurança da navegação, a salvaguarda da vida humana e a proteção dos portos. Entre os pontos essenciais que o PL garante está o fomento à navegação de cabotagem, pois traz de forma mais objetiva e concreta a possibilidade da autoridade marítima de habilitar comandantes brasileiros de navios de bandeira brasileira a executarem manobras sem a necessidade de práticos.

Petrolina - Bora cuidar mais

Com a posse marcada para o início de fevereiro, o escolhido para comandar o Ministério da Justiça, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski, deve ser convidado para ir à Câmara dos Deputados no mesmo mês que inicia seu trabalho no governo federal. Por se tratar de um convite, a presença não seria obrigatória.

Antes mesmo de assumir a pasta, Lewandowski desperta curiosidade entre deputados da oposição que integram a Comissão de Segurança Pública. A iniciativa que deve ser protocolada por Sanderson (PL-RS) visa questionar o ministro sobre quais estratégias serão aplicadas no ministério para combater o crime organizado. O encontro deve ocorrer na volta das atividades legislativas na Câmara dos Deputados.

Tido como mais moderado e articulador, o iminente ministro é visto com bons olhos pela oposição que espera ter mais diálogo e receptividade em comparação com Flávio Dino. Apenas no ano passado, Dino foi alvo de ao menos 71 requerimentos de convocação e, nas reuniões que esteve presente, protagonizou embates com parlamentares da base do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

A expectativa com Lewandowski é diferente. Por este motivo, deputados da bancada da bala já vem pleiteando aproximação. É o caso de Sargento Portugal (Podemos-RJ) e Sargento Gonçalves (PL-RN), que defendem um “diálogo permanente” com o ex-ministro do STF.

“Tivemos uma péssima experiência no último ano com Flávio Dino à frente do ministério. Esperamos que o novo ministro tenha um comportamento oposto ao de seu antecessor. Queremos dialogar e esperamos que sejamos ouvidos pelo novo ministro da Justiça e Segurança Pública”, diz Sargento Gonçalves.

Ipojuca - App 153

Integrantes do Partido dos Trabalhadores e aliados de Marta Suplicy avaliam onde realizar o ato de filiação da ex-prefeita e ex-secretária de Relações Internacionais de São Paulo ao partido. Entre as possibilidades estudadas, estão o Tuca, teatro da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo que já foi palco de atos pela democracia e é um dos símbolos da resistência à ditadura no estado, e a quadra de alguma escola de samba.

A ideia é que não seja um lugar muito elitista, nas palavras de um aliado. O assunto tem sido debatido em um grupo do WhatsApp do qual fazem parte Marta e pessoas próximas, onde têm trocado sugestões. Nesta terça, eles se reúnem na hora do almoço para debater o tema.

A data do evento dependerá da agenda do presidente Lula. Fontes do PT não confirmam a data oficialmente, mas uma das possibilidades é de que seja no dia 3 de fevereiro. Um integrante do partido destaca que dia 10 de fevereiro é aniversário do PT e que em seguida vem o Carnaval, então o ideal é que seja antes disso, para não ficar muito distante. As informações são do portal G1.

Uma reunião da Executiva Municipal do PT, marcada para a tarde de amanhã, deve discutir os detalhes sobre o ato de filiação. Cerca de 10 integrantes do partido devem participar. Na mesma reunião, devem tratar sobre a realização ou não de prévias no partido para definir o candidato, ideia defendida pelo deputado estadual Eduardo Suplicy (PT), ex-marido de Marta.

Marta aceitou o convite do presidente Lula para ser a vice na chapa de Guilherme Boulos (PSOL). Foi exonerada da gestão Ricardo Nunes (MDB), que deve ser o principal oponente de Boulos, na semana passada, após encontro com o presidente.

Neste sábado, Marta participou de um almoço com deputado federa Guilherme Boulos (PSOL) e divulgou um manifesto por uma frente ampla em São Paulo, onde fala em “convocar a todos para o esforço de uma grande mobilização pela democracia”.

Citi Hoteis

Um dos maiores atrativos no concorrido balneário de Porto de Galinhas, no litoral sul de Pernambuco, ainda são os passeios de buggy, de ponta a ponta, saindo da vila até o Pontal de Maracaípe. Mas caro, como tudo por lá. Duas horas, R$ 300. Passou disso, sobe para R$ 400. Mesmo assim, tem sido difícil arranjar um buggy.

Os gringos invadiram as belas praias de Porto. Os hotéis estão apinhados de turistas. E haja exploração! No passeio com meus filhos, há pouco, tentei dar uma paradinha num restaurante na praia de Cupe. Queria beber algo e petiscar, mas me proibiram entrar se não pagasse R$ 20 por pessoa, independente de idade.

Meus filhos são de menores, 15 e 10 anos, respectivamente. Mas me barraram, a entrada só mediante o pagamento da taxa. Lá, uma cerveja na praia varia de R$ 10 a R$ 12. Uma água mineral, R$ 6. Próximo a Maracaipe, tomei duas cervejas pequenas, meus filhos duas águas de coco, comemos um filé com fritas e pagamos R$ 240. 

Conversei com alguns turistas por lá e a grande maioria indignada com os preços praticados em qualquer equipamento turístico ou barzinho. A moda agora, exclusiva para quem anda com montanhas de dinheiro, como os gringos, são os passeios de helicóptero. Preço: R$ 400 por pessoa. 

Porto de Galinhas virou um paraíso, só para os abastados e estrangeiros pagando em dólar.

Cabo de Santo Agostinho - Refis 2023

O ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, e o deputado federal Eduardo Da Fonte, se reuniram, hoje, para tratar do fortalecimento das parcerias entre a Infraero e a Justiça Federal de Pernambuco. Na audiência, que contou com as presenças dos desembargadores e juízes Cláudio Ktiner, Frederico Azevedo e Hélio Siqueira, Costa Filho e Da Fonte debateram a prorrogação do termo aditivo de cessão de uso do prédio da Infraero para a continuidade do atendimento da Justiça Federal do Estado.

Atualmente, uma parte da Justiça Federal de Pernambuco e o atendimento ao público ficam na avenida Mascarenhas de Morais, prédio pertencente a Infraero. Pela minuta discutida hoje por Costa Filho, Da Fonte juntamente com representantes da Justiça Federal, fica prorrogada a cessão de uso do espaço até 2033, com isenção de pagamento. 

“Essa é uma importante parceria entre o Ministério de Portos e Aeroportos, por meio da Infraero, com a Justiça Federal de Pernambuco para assegurar um melhor atendimento a todos pernambucanos e pernambucanas. É um prédio que já atende a Justiça Federal. É bem localizado e com a isenção do pagamento de uso, a Justiça Federal irá realizar mais benfeitorias para garantir cada vez mais o melhor atendimento à população”, disse Costa Filho. A minuta da prorrogação do termo aditivo de uso aguarda parecer do setor jurídico da Infraero para ser assinada.

Caruaru - Geracao de emprego

O ministro da Defesa, José Múcio Monteiro, recebeu, hoje, em seu gabinete no Recife, o engenheiro Fernando Emerenciano, que, por solicitação do Centro de Estudos para o Desenvolvimento do Nordeste, sediado em Fortaleza, solicitou especial atenção aos estudos de “problemas brasileiros”, junto ao Ministério, através do IBRE/FGV.

Belo Jardim - Patrulha noturna

O juiz Luiz Rocha é o novo filiado ao PP. Ele tem atuação relevante em Camaragibe no setor social e também da comunicação, como o programa Justiça para Todos, na Rádio Camará FM, no qual esclarece questões jurídicas nas comunidades. Ele, que assinou sua ficha de filiação na sede do Partido junto com o presidente estadual do PP, deputado federal Eduardo da Fonte, assume também a presidência da legenda no município. 

“O PP hoje representa uma porta sempre aberta ao diálogo. Vejo as lideranças que valorizam a construção por meio conversa. Eu escolhi com muito critério a casa onde eu queria ficar. O presidente Eduardo é reconhecido por ser cumpridor de sua palavra. E para ajudar Camaragibe, que é uma cidade devastada, é disso que eu preciso”, disse o pré-candidato.

Vitória Reconstrução da Praça

Leitores em contato com o Blog informaram que, na manhã de hoje, no Parque da Jaqueira, área central do Recife, um senhor passou muito mal e precisou ser deitado no piso do espaço coberto, porque o posto de atendimento de primeiros socorros estava fechado.

Foram informados pelos guardas que, em casos de necessidade, deve-se levar a vítima para o posto Albert Sabin, que fica na esquina próxima. No entanto, não havia condições para remover a pessoa no momento. Todo o apoio foi prestado pelos guardas locais, que muito se empenharam no apoio para conduzir o senhor para um carro particular, que o levou ao hospital.

O administrador do Parque foi acionado e informou já ter solicitado, anteriormente, um profissional de saúde para o posto desse Parque, a fim de prestar primeiros socorros, no entanto ainda não houve atendimento.

Com um projeto inovador e humanizado, a Defensoria Pública de Pernambuco abre inscrições para uma seleção simplificada de 06 (seis) profissionais, preferencialmente do sexo feminino (art. 10-A da Lei Maria da Penha), de nível superior de diversas áreas para atuarem no NUDEM (Núcleo de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar) da instituição. Estão abertas vagas para assistente social (2), psicólogo (2), pedagogo (2), sendo 10% das vagas reservadas para pessoa com deficiência (PcD). Para todas as funções a carga horária de trabalho é 30 horas semanais. 

Os salários variam de R$ 2.163,10 e R$ 2.341,11. É exigido ter experiência no mínimo de 03 (três) anos. Os contratos serão temporários, com prazo de 12 meses, podendo ser prorrogados por igual período. As inscrições para a Seleção Pública Simplificada vão até o dia 19 de janeiro. Vale ressaltar que são gratuitas e serão recebidas via postal (sedex) ou entregues de forma presencial no prédio da Defensoria Pública de Pernambuco localizado na Avenida Manoel Borba, nº 640, Boa Vista, Recife/PE.

Após quatro décadas de existência, a transferência via Documento de Ordem de Crédito (DOC) acabará hoje, às 22h. Os bancos deixarão de oferecer o serviço de emissão e de agendamento, tanto para pessoas físicas como jurídicas, para transferência entre instituições financeiras distintas.

No ano passado, as instituições bancárias haviam anunciado o fim da modalidade de transferência. A data máxima de agendamento do DOC vai até 29 de fevereiro, quando os bancos terminam de processar os pagamentos, encerrando o sistema definitivamente.

Além do DOC, deixará de ser oferecida, também as 22h de segunda-feira, a Transferência Especial de Crédito (TEC), modalidade por meio da qual empresas podem pagar benefícios a funcionários e que também está em desuso.

Nos últimos anos, o DOC e a TEC perderam espaço para o Pix, sistema de transferência instantânea do Banco Central sem custo para pessoas físicas. Criado em 1985, o DOC permite o repasse de recursos até as 22h, com a transação sendo quitada no dia útil seguinte à ordem. Caso seja feito após esse horário, a transferência só é concluída dois dias úteis depois.

Atualmente, o valor máximo permitido para qualquer transação via DOC ou TEC é de R$ 4.999,99. No DOC, as operações são efetivadas um dia após o recebimento da ordem de transferência pelo banco.

Segundo a Febraban, as operações via DOC, sistema criado em 1985 pelo Banco Central do Brasil, vinham sendo cada vez menos utilizadas nos últimos anos, principalmente depois do lançamento do PIX, em novembro de 2020. Veja o ranking de modelos mais utilizados:

  • PIX
  • Cartão de crédito
  • Cartão de débito
  • Boleto
  • TED (Transferência Eletrônica Direta)
  • Cheque
  • DOC (Documento de Ordem de Crédito)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) recebeu, hoje, no Palácio do Itamaraty, o presidente do Paraguai, Santiago Peña. A reunião, o primeiro encontro de Lula com um presidente em Brasília em 2024, ocorreu em meio ao impasse a respeito da tarifa cobrada pela energia produzida pela usina hidrelétrica de Itaipu, administrada por Brasil e Paraguai.

Filiado ao partido Colorado, Peña está no comando rotativo do Mercosul. Ele tomou posse em agosto do ano passado e defende o uso da usina para impulsionar investimentos no país. As divergências sobre o valor da tarifa fizeram o Paraguai bloquear o orçamento de Itaipu, o que compromete pagamentos de funcionários e fornecedores, conforme o jornal “Valor Econômico”.

O governo brasileiro anunciou no ano passado que a tarifa seria fixada em US$ 16,71 por quilowatt (kW) por mês. Em outubro, o diretor-geral brasileiro de Itaipu, Enio Verri, disse que o Paraguai buscava aumentar a tarifa de serviços em cerca de 24%. Os paraguaios querem que a tarifa volte a US$ 20,75, valor cobrado em 2022.

Em dezembro, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou a tarifa provisória para 2024 em US$ 17,66, abaixo dos US$ 20,23 cobrados em 2023. O valor definido para 2024 ficou menor principalmente porque a dívida de construção da usina foi quitada em fevereiro de 2023, ou seja, o custo do empréstimo parou de impactar na tarifa.

Com a conclusão do pagamento dos custos relativos à construção da usina, Brasil e Paraguai também negociam os termos financeiros da parceria. O anexo C do acordo que viabilizou a obra, firmado em 1973, prevê essa revisão.

Por Roseann Kennedy – Estadão

A ex-procuradora-geral da República Raquel Dodge se movimenta nos bastidores para assumir uma cadeira no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Apesar do recesso do Judiciário, Dodge tem mantido conversas com ministros da Corte, em busca de votos para integrar a lista tríplice que será entregue até maio ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva – com quem a ex-PGR deseja marcar uma audiência. Procurada, Raquel Dodge não se manifestou.

O processo funciona da seguinte maneira: os Ministérios Públicos vão encaminhar ao STJ, até maio, nomes de procuradores para a vaga deixada pela agora ministra aposentada Laurita Vaz. Os 33 magistrados, então, se posicionam e os três mais votados vão à análise do presidente da República, que indica um deles ao Senado. A Casa dá a palavra final.

A preço de hoje, Raquel Dodge, com bom trânsito no STJ por sua passagem na PGR, é vista como favoritíssima para integrar a lista tríplice – a dificuldade maior será quando a sua eventual indicação chegar à mesa de Lula. Quem conversou com a ex-PGR nos últimos dias afirma que ela tem dois pontos a seu favor. O primeiro deles é já ter sido aprovada pelo Senado para o comando do Ministério Público, o que facilitaria o beija-mão entre parlamentares.

O segundo é ser persona non grata entre os procuradores da extinta Operação Lava Jato, sempre criticados por Lula e seu entorno. Em 2019, a equipe da força-tarefa fez um pedido de demissão coletiva em protesto à atuação da então procuradora-geral.

Raquel Dodge, no entanto, tem um calcanhar de Aquiles para conseguir a indicação de Lula: ela foi indicada ao cargo pelo ex-presidente Michel Temer (MDB), a quem o petista chama de “golpista” por ter participado da articulação que cassou a ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

O Seminário Veritas Liberat é um evento organizado por patriotas no mundo todo. A 4ª edição aconteceu em Lisboa, Portugal. O tema desta edição foi “Realidades e desafios da sociedade ocidental mediante pautas impositivas eurasianas, globalistas e sócio-comunistas”. As informações são do Blog da Folha.

O deputado Coronel Alberto Feitosa foi um dos palestrantes que fizeram uma análise sobre a Direita no país. Entre os demais palestrantes estiveram: Onyx Lorenzon, ex-ministro do Governo Bolsonaro; Carlos Dias, analista político; José Carlos Sepúlved, analista político; e como moderadores: Maicon Sulivan e Marcelo Rabello, fundador do Institutum Veritas Liberat.

EXCLUSIVO

Um dos mais bem informados colunistas sociais do País, o meu amigo João Alberto, depois de mais de meio século assinando a sua coluna no Diário de Pernambuco, foi convidado para assumir a coluna social do Jornal do Commércio.

Mirela Martins, atual colunista, está sendo remanejada para a gerência de marketing. Há muito, João Carlos Paes Mendonça desejava ver João Alberto no JC.

O convite foi feito. Agora, só depende dele.

Por Alex Solnik*

A frase pode parecer dura demais, mas a realidade é que Lula precisava tirar Flávio Dino do governo, sem demiti-lo. Ele começou bem, foi firme e competente no 08/01, mas se tornou, no decorrer do tempo, no ministro que mais atrapalha do que ajuda.

Transformou a sua gestão num eterno confronto com deputados e senadores do centrão. Raramente houve um dia sem uma treta qualquer entre eles. Raramente houve um dia em que o ministro não deu uma resposta mordaz, irônica, que recebia tréplica de seus alvos.

E era convocado diariamente para dar explicações. A imprensa adorava suas tiradas sagazes, suas frases ferinas davam belos títulos; o Planalto, nem tanto. Quando um ministro se torna alvo de ataques políticos constantes, ainda mais o titular de uma pasta tão importante quanto a da Justiça e Segurança Pública, isso atinge todo o governo. Atinge Lula. E emperra as negociações.

Em meio a conversas delicadas e complicadas para garantir votos para seus projetos, farpas do ministro com seus oponentes não trazem nada de bom ao Planalto. Dificultam tudo. “Com esse ministro, não dá”. A negociação sai mais caro.

Flávio Dino virou um ministro belicoso demais. Na contramão da pacificação pregada pelo governo. Mas esse não foi o único problema. Flávio Dino também tornou-se midiático demais, muitas entrevistas, overdose de postagens, o que aumentou o seu cacife para suceder Lula.

Ao colocá-lo no Supremo, Lula o tirou da linha da sua sucessão. Deixou o caminho livre para Haddad. Derrubou Flávio Dino para cima.

Por tudo isso, é evidente que tudo o que Lula não queria era um Flávio Dino 2, ou Ricardo Capelli. O estilo “vamos pra cima deles” está em baixa no Planalto. Ocupar espaço demais na mídia, também.

Além de sua competência e vivência na área jurídica, Lewandowski foi o escolhido por seu perfil conciliador e low profile, mais afeito a conversas entre quatro paredes do que a postagens e confrontos nas redes sociais. Sobretudo com o centrão.

E, é óbvio, sem pretensão alguma de suceder Lula.

*Jornalista no Portal 247