FMO - Processo Seletivo 2024

Dieese: incremento do novo mínimo na economia será de R$ 69,9 bilhões

Da Agência Brasil

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) avaliou o impacto do reajuste do salário mínimo na economia. A entidade estima que 59,3 milhões de pessoas têm rendimento referenciado no salário mínimo, o que resultará em um incremento da renda anual no montante de R$ 69,9 bilhões.

Além disso, o Dieese estimou R$ 37,7 bilhões de aumento na arrecadação tributária anual sobre o consumo, como impacto também desse reajuste do mínimo.

A partir de 1º de janeiro de 2024, o salário mínimo oficial do Brasil será de R$ 1.412. Considerando a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) para o período de maio – mês em que houve o último reajuste – a dezembro de 2023, o ganho real chegou a 5,77%, conforme calculou o Dieese.

O aumento nominal de R$ 1.320 para 1.412 é de 6,97%, enquanto o INPC está estimado em 1,14%, de maio a dezembro.

Se usado como referência o mês de janeiro de 2023, quando o salário mínimo era de R$ 1.302, o ganho real seria de 4,69%, em razão do reajuste (de 1,38%) abaixo da inflação ocorrido entre janeiro e maio. A variação do INPC foi de 2,42% no quadrimestre janeiro-abril. Diante disso, houve uma perda real de 1,01% no reajuste realizado em maio deste ano.

“Entretanto, o reajuste fixado para janeiro de 2024 mais do que compensa essa perda ocasional, resultando, como já dito, em ganho real de 5,77% em relação a maio de 2023”, avalia o Dieese.

Política de valorização

No ano de 2002, o salário mínimo ficou definido em R$ 200. Em relação à sua política de valorização, que trouxe aumento real em todos os anos de 2003 a 2016, o Dieese avalia que ela constitui um dos fatores mais importantes para o aumento da renda da população mais pobre e marca o sucesso de uma luta que promoveu um grande acordo salarial na história do país.

“A política estabeleceu, ao mesmo tempo, uma regra estável, permanente e previsível, promovendo a recuperação gradativa e diferida no tempo, com referência para os aumentos reais e estímulo ao crescimento da economia. A valorização do salário mínimo induz à ampliação do mercado consumidor interno e, em consequência, fortalece a economia brasileira”, divulgou a entidade em nota técnica.

O Dieese avalia ainda que, ao elevar o piso nacional, a política contribuiu para reduzir as desigualdades salariais entre homens e mulheres, negros e não negros, entre regiões do país. Além disso, teve impacto positivo sobre os reajustes dos pisos salariais das diversas categorias de trabalhadores e trabalhadoras.

Em janeiro de 2017, o reajuste ficou abaixo da inflação, acumulando perda real de 0,10% no período de um ano, com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Em janeiro de 2018, a perda real acumulada foi de 0,25%.

Em 2019, o ganho real foi de 1,14%; em 2020, a perda real foi de 0,36. Em 2021, o Dieese destaca que não houve incorporação de qualquer ganho real, exceto por reflexo do pequeno arredondamento para o valor de R$ 1.100, que representou ganho de 0,01%. Para 2022, o ocorrido no ano anterior se repetiu, já que que o salário mínimo teve ganho real de apenas 0,02%. Em janeiro de 2023, o aumento real foi de 1,41%.

O Recife agora conta com a Secretaria de Ciência e Tecnologia. O prefeito do Recife João Campos assinou a nomeação de Rafael Figueiredo Bezerra como secretário da pasta, na manhã desta sexta-feira (29), no edifício-sede da Prefeitura do Recife. Rafael Figueiredo até então era Chief Transformation Officer (CTO) na gestão municipal desde janeiro de 2021. A primeira meta da nova secretaria será levar internet gratuita a 500 praças do Recife até o final do próximo ano.

“A gente hoje dá um passo histórico para a cidade, estamos formalizando a criação da Secretaria de Ciência e Tecnologia. Fizemos o convite a Rafael Figueiredo, esse craque, uma figura única, para assumir a secretaria. A gente agora tem a meta de colocar internet gratuita em 500 praças do Recife até o fim de 2024”, disse João Campos.

De acordo com o novo secretário, o seu trabalho e o da sua equipe vão contribuir para que as entregas da Prefeitura do Recife sejam feitas de forma mais rápida e eficiente. “A gente ganhou um reforço à estratégia SPC, que é de simplificar, promover e cuidar das pessoas. Agora nós vamos entrar num ano de muitas entregas, e esse reforço que o prefeito João Campos deu, vai fazer com que essas entregas sejam feitas muito mais rapidamente, é o que a gente chama de distorção do tempo. É fazer pelo menos sete anos em um – é isso que a gente vai fazer aqui nessa nova missão”, destacou Rafael Figueiredo. 

“Uma ação importante, que a gente já começa agora, no início do ano, é colocar wi-fi nas praças. E não é só internet pela internet, é uma internet, com conteúdo, para promover educação e aprendizagem para as pessoas, que elas possam aumentar a produtividade e ganhar dinheiro. Esse é o nosso desejo e a gente vai começar com tudo já em janeiro”, concluiu.

Na Prefeitura do Recife, Rafael Figueiredo esteve à frente do trabalho que possibilitou o agendamento 100% digital da vacinação contra a covid-19 no início da pandemia. A medida garantiu não apenas a eficiência do processo de imunização do recifense, como também aumentou significativamente o número de pessoas cadastradas no Recife Vacina (o sistema de agendamento eletrônico Recife Vacina está hospedado no Conecta Recife). Com isso, o Conecta Recife tinha 8 mil pessoas cadastradas antes da vacinação, passou para mais de 1,8 milhão de recifenses cadastrados. Dessa forma, a Prefeitura passou a ter um banco de dados atualizado referente aos munícipes, o que facilita a implementação de políticas públicas eficientes.

Além de CTO do Município do Recife, Rafael Figueiredo é também Conselheiro do Porto Digital e Procurador do Estado. Já ocupou os cargos de Controlador-geral e procurador-geral da Prefeitura do Recife. É considerado um empreendedor público. 

Jaboatão dos Guararapes - Dengue 2024

O deputado federal e presidente do PP em Pernambuco, Eduardo da Fonte, se reuniu com a governadora Raquel Lyra (PSDB) no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo, para tratar sobre as eleições do próximo ano e as prioridades para os seus partidos.

Segundo informações do Jornal do Commercio, Garanhuns foi a primeira cidade onde ficou acertado os apoios. O ex-prefeito do município, Izaias Régis, que atualmente é deputado estadual, foi o nome escolhido para a disputa e deve ser oficializado para o público em breve.

Em Petrolina, Caruaru e Recife, o PSDB e o PP também caminharão juntos, mas ainda não há uma definição de quem será oficializado para a disputa em cada cidade. Na capital pernambucana, Eduardo da Fonte aponta que não há pressa para a escolha e que – mesmo com o favoritismo de João Campos para continuar no comando da Prefeitura do Recife, ele reforça que “não tem eleição ganha antes do dia” e que essa sensação de vitória antecipada pode fragilizar João.

Ainda na Região Metropolitana do Recife, o PP elegeu como prioridade os municípios de Jaboatão, Cabo e Ipojuca. Eduardo da Fonte pontua que essas cidades são primordiais e que a construção para a definição dos nomes que vão disputar as eleições no próximo ano se dará de forma “natural”. 

Petrolina - Bora cuidar mais

Pesquisa do Instituto Opinião aponta que a prefeita de Serra Talhada, Márcia Conrado (PT) bate todos os pré-candidatos da oposição, com exceção do ex-prefeito e deputado Luciano Duque (SD). Na simulação de um confronto com Duque, com quem rompeu e que foi responsável pela sua vitória em 2020, a petista leva uma desvantagem de 11 pontos percentuais. 

Se as eleições fossem hoje e o candidato da oposição fosse Luciano Duque, este teria 44,1% e a prefeita 33,3%. Quando o nome do ex-prefeito é substituído pelo do vereador Ronaldo de Deja, atual pré-candidato do grupo de oposição liderado por Duque, a prefeita assume a ponta com 45,4%, enquanto Ronaldo de Deja  aparece com 31,5%.

Já na espontânea, modelo no qual os eleitores são forçados a indicar o nome da sua preferência sem a cartela contendo todos os pré-candidatos, Márcia lidera com 23,5% e Duque vem em seguida com 9,8% da preferência do eleitorado, enquanto os demais se situam abaixo dos 3%. 

A surpresa foi a inclusão do nome do filho de Luciano, Miguel Duque, que até então não tinha seu nome posto na disputa eleitoral. Ele aparece com 18,3%. Se fosse ele o candidato, a prefeita venceria com 51,9% dos votos. 

Já o nome do vereador André Maio, ligado ao grupo do deputado federal Dema Oliveira, irmão do ex-deputado Sebastião Oliveira, quando incluído num cenário de candidato da oposição, aparece com 16,8% contra 53,4% de Márcia. 

No quesito rejeição, a prefeita aparece empatada com André Maio. Entre os entrevistados, 15% disseram que não votariam nela de jeito nenhum e 14,8% disseram a mesma coisa em relação a André Maio. Em seguida aparecem Miguel Duque, com 12,8%, e Ronaldo de Deja com 10,8%. O menos rejeitado é Luciano Duque. Dos entrevistados, apenas 5,3% disseram que não votariam nele de jeito nenhum. 

Em relação ao desempenho do governo da prefeita Márcia Conrado, a gestão atual obteve 57,4% de aprovação e 29,8% desaprovação. 

A pesquisa foi realizada entre os dias 22 e 23 de dezembro, sendo aplicados 400 questionários. O nível de confiança é de 90,0% e a margem de erro estimada é de 4,1 pontos percentuais para mais ou para menos.

Ipojuca - App 153

Causa e efeito

Por Juliana Albuquerque – repórter do Blog

A decisão da governadora Raquel Lyra de não revogar a lei que vai, daqui a dois dias, tornar Pernambuco o Estado dono da segunda maior alíquota de ICMS do País, de 20,5%, pode ter efeito contrário ao pretendido pela tucana, que almeja com a majoração do tributo turbinar os cofres públicos.

Além da queda na arrecadação provocada diretamente pela redução do consumo, outro efeito da manutenção do aumento do tributo poderá se dar no mercado de trabalho. Vale ressaltar que Pernambuco figura como um dos Estados com a maior taxa de desocupação do Brasil, de 13,2%, de acordo com os números do terceiro trimestre, encerrado em setembro, divulgados no mês passado pelo IBGE.

“É como um efeito dominó: para compensar a diminuição nas vendas, as empresas serão forçadas a reduzir custos, mediante demissões de funcionários, redução de horas de trabalho e, até mesmo, fechamento de algumas lojas”, avalia Bernardo Peixoto, presidente da Fecomércio – PE.

Ele estima que para manter as margens de lucro, as empresas tendem a aumentar os preços dos produtos. “Pode provocar uma pressão inflacionária nos produtos alimentícios, que afetaria diretamente os consumidores e, indiretamente, a própria arrecadação tributária”.

Pesquisa – A Fecomércio-PE divulgou, nesta semana, uma pesquisa que avalia os impactos negativos da medida equivocada adotada pela governadora mesmo diante da promulgação da Reforma Tributária. O estudo estima que a majoração de 20,5% na alíquota modal no estado de Pernambuco, em 2024, afetará principalmente o segmento de bens não duráveis (alimentos e bebidas) e semiduráveis (vestuários e calçados), com redução de 8,4% no volume de vendas dos hipermercados, supermercados e gêneros alimentícios.

Segmentos impactados – De acordo com o estudo da Fecomércio-PE, no segmento de móveis e eletrodomésticos, a estimativa é de que o aumento do tributo ocasionará na diminuição de 6% no volume de vendas. Já para o segmento de vestuário, o incremento na arrecadação do ICMS terá como desdobramento uma redução de 5,4% no volume de vendas.

Redistribuição – O vice-presidente da Amupe, Marcelo Gouveia, saiu em defesa da manutenção do ICMS em 20,5%. No seu entendimento, se a alíquota for reduzida, pode terminar impactando o projeto de redistribuição do ICMS que vai beneficiar os municípios com menor arrecadação. Não considera, nessa equação, a provável queda da arrecadação que o aumento do tributo deve promover em detrimento da redução do consumo.

Segunda etapa – O Congresso Nacional se prepara para se debruçar, no próximo ano, nas mudanças sobre o Imposto de Renda. Pela PEC, promulgada no último dia 20, foi estabelecido um prazo de 90 dias para que as propostas de mudanças na taxação sobre a renda sejam enviadas para análise dos parlamentares. Diferente da reforma tributária sobre o consumo, no caso da renda não será necessário o envio de uma PEC e deve ser feita via PL.

Apoio? – Quando questionada sobre possíveis apoios nas eleições municipais de 2024, a governadora Raquel Lyra prega que “é candidata apenas a ser a melhor governadora de Pernambuco no próximo ano”. Mas, pela segunda vez durante agenda pelo interior, posou ao lado do deputado federal Fernando Rodolfo (PL), pré-candidato à Prefeitura de Caruaru.

CURTAS

FRUSTRAÇÃO – Sem reajuste salarial neste ano, o funcionalismo público pernambucano saiu da última mesa de negociação de 2023 com o Governo de Pernambuco, quinta-feira passada, com mais uma frustração. Possivelmente, só no segundo semestre do próximo ano deve ser encaminhado a Alepe um projeto de lei para reajustar os vencimentos para todas as categorias de servidores do Estado.

NÃO É NÃO – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou, ontem, a Lei 14.786. A nova legislação cria o protocolo Não é Não, mecanismo de combate ao constrangimento e à violência praticada contra mulheres em ambientes como casas noturnas, boates, bares, restaurantes, espetáculos musicais e demais locais fechados ou shows onde haja venda de bebidas alcoólicas.

Perguntar não ofende: A governadora Raquel Lyra tem um plano para lidar com as consequências perversas que o aumento do ICMS trará para economia pernambucana?

Citi Hoteis

Portal MaisPB

Pesquisa estimulada do Instituto Opinião, contratada pela Rede Mais, mostra que o prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (PP), lidera com 33,3% as intenções de voto. Na sequência, o deputado federal Ruy Carneiro (Pode) tem 14,5%, o radialista Nilvan Ferreira (PL) aparece com 13,6% e o deputado estadual Luciano Cartaxo (PT) soma 12,3%. Os três estão tecnicamente empatados, considerando a margem de erro de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos. Os dados foram divulgados na noite desta sexta-feira (29) no Programa de Rádio “Hora H”, na Rádio POP FM 89,3 e pelo Portal MaisPB.

O médico Marcelo Queiroga (PL) aparece na última colocação, com 3,1% da preferência do eleitorado da capital paraibana. Brancos, nulos e nenhum somam 11,9%, enquanto indecisos ou não sabem são 11,3% dos entrevistados.

No levantamento espontâneo (quando os nomes não são apresentados no questionário), Cícero Lucena também lidera. O prefeito é lembrado por 20% dos eleitores, Nilvan Ferreira por 2,9%, Ruy Carneiro por 2,8% e Luciano Cartaxo por 2,6%.

Ainda são citados o ex-governador Ricardo Coutinho (PT) tem 0,9% das citações, Marcelo Queiroga (0,6%), a petista Cida Ramos (0,5%), Cabo Gilberto (0,4%), Wallber Virgolino (0,4%), Cássio Cunha Lima (0,1%), Estela Bezerra (0,1%), Pastor Sérgio Queiroz (0,1%), Tibério Limeira (0,1%). Brancos, nulos e nenhum são 10,9% e 57,3% dos eleitores estão indecisos ou não souberam responder.

Dados técnicos – A pesquisa do Instituto Opinião foi realizada em João Pessoa, nos dias 26 e 27 desta semana de dezembro e ouviu 800 eleitores. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiança estimado é de 95%.

As entrevistas foram realizadas nos bairros Altiplano Cabo Branco, Alto do Céu, Alto do Mateus, Bairro dos Estados, Bancários, Bessa, Brisamar, Cabo Branco, Castelo Branco, Centro, Cidade dos Colibris, Cristo Redentor, Cruz das Armas, Ernesto Geisel, Expedicionários, Funcionários, Grotão, Ilha do Bispo, Ipês, Jaguaribe, Jardim Cidade Universitária, Jardim Oceania, Jardim Veneza, João Agripino, João Paulo II, José Américo, Manaíra, Mandacaru, Mangabeira, Miramar, Oitizeiro, Padre Zé, Paratibe, Roger, Tambaú, Tambauzinho, Torre, Treze de Maio, Valentina Figueiredo e Varjão.

Cabo de Santo Agostinho - Refis 2023

O Globo

Governadores alinhados ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) não devem comparecer ao evento organizado pelo Palácio de Planalto no dia 8 de janeiro, um ano após os ataques golpistas aos prédios dos Três Poderes em Brasília. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) anunciou no começo do mês que convidaria todos os governadores para o ato. O evento, segundo ele, tem o objetivo de “lembrar o povo que houve uma tentativa de golpe, que foi debelado pela democracia deste país”.

Com férias, viagens e “compromissos já agendados”, os bolsonaristas devem evitar o ato. Governadores alinhados ao ex-presidente têm sido atacados frequentemente pela base ao participarem de eventos comandados por petistas.

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), não comparecerá ao evento. Tarcísio está na Europa e só deve retornar ao Brasil no dia 9 de janeiro, um dia após o ato. O vice-governador, Felício Ramuth (PSD), também não comparecerá, pois já tem viagem marcada para a China. Com os dois fora do país, o governador em exercício no dia 8, por lei, será o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, André do Prado (PL). O deputado não confirmou se vai participar do ato em Brasília.

O governador de São Paulo foi alvo de críticas, em janeiro, quando foi a Brasília se encontrar com Lula e os demais governadores após os ataques golpistas. Em julho, voltou a ser alvo da base bolsonarista, ao dar entrevista coletiva ao lado do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, para defender a reforma tributária.

Nas últimas semanas, a relação de Tarcísio com Lula foi marcada por acenos em Brasília e saia-justa em São Paulo. Principal herdeiro político de Bolsonaro, de quem foi ministro da Infraestrutura, ele protagonizou uma troca de afagos com o presidente em evento no Palácio do Planalto, em 12 de dezembro. Na ocasião, o governo federal anunciou financiamento de R$ 10 bilhões para melhorias no estado. Tarcísio foi escalado pelo petista para falar na solenidade e aproveitou para agradecer e elogiar o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), uma das principais apostas da gestão Lula.

Figura central na invasão da Esplanada dos Ministérios, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), também não poderá comparecer. O governador estará em Miami, aproveitando as férias nos Estados Unidos, onde fica até o dia 15 de janeiro, de acordo com o g1. Em 9 de janeiro do ano passado, dia seguinte às ações golpista, o Supremo Tribunal Federal (STF) afastou Ibaneis do cargo por conduta “dolosamente omissiva” em relação ao ataque. Na ocasião, o ministro Alexandre de Moraes afirmou, em sua determinação, que os atos de vandalismo só poderiam ter acontecido com a anuência do governo do Distrito Federal. Ibaneis retornou ao posto dois meses depois, em 15 de março.

O governador de Santa Catarina, Jorginho Mello (PL), também deve seguir os colegas. Oficialmente, sua assessoria diz não ter sido informada sobre o convite e, portanto, não há posicionamento formal sobre a agenda. Mas o mandatário, avisa, deve ficar no estado para compromissos “previamente marcados” para essa data.

Também do PL, o governador do Rio, Cláudio Castro, é presença incerta. O Palácio Guanabara informa que o governador tem uma reunião com seu secretariado marcada justamente para o dia 8, mas que o martelo sobre a presença no ato em Brasília só será batido após a virada do ano. Nas últimas semanas, depois de um período afastado ao longo do ano, Castro voltou a aparecer em fotos ao lado de Bolsonaro para lançar a candidatura do deputado federal Alexandre Ramagem (PL-RJ) para a prefeitura do Rio.

Em Minas Gerais, a Secretaria de Comunicação afirma que a agenda do governador Romeu Zema (Novo) “ainda não está definida”. Em meio a negociações envolvendo o pagamento de parcelas da dívida pública de Minas Gerais, Zema trocou farpas com Lula recentemente.

Em Goiás, o governo “ainda não consegue confirmar”, já que Ronaldo Caiado (União Brasil) está em viagem de férias. O governo de Roraima não respondeu ao questionamento da reportagem sobre a presença do governador Antonio Denarium (PP), que teve seu mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) por abuso de poder político. Ele recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). No Paraná, a assessoria de Ratinho Júnior (PSD) diz que não chegou nenhum convite oficial solicitando a presença do governador.

Caruaru - Geracao de emprego

A Codevasf regularizou, hoje, as pendências dos contratos de energia e operação e manutenção dos perímetros irrigados de Itaparica, no Sertão. A confirmação do empenho, no valor de R$ 7 milhões, que garante a continuidade do contrato de operação e manutenção para 2024, foi dada ao deputado federal Fernando Monteiro (PP). Atualmente, cerca de 45 mil pessoas vivem na região do Sistema Itaparica.

“Quero agradecer o presidente da Codevasf, Marcelo Moreira; o diretor de Irrigação, Napoleão Casado, e a toda equipe da diretoria, assim como à 3ª Superintendência Regional, pelo incansável esforço nestas tratativas”, disse o parlamentar.

Belo Jardim - Patrulha noturna

Partido do vice-presidente Geraldo Alckmin, o PSB deve ser a nova sigla do senador Cid Gomes a partir de janeiro do ano que vem. Atualmente no PDT, Cid busca um novo partido após brigar com o irmão e ex-candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT). De acordo com um integrante da cúpula do PSB, a filiação de Cid à legenda está “praticamente acertada”, devendo ser oficializada ainda no primeiro mês de 2024. As informações são do Estadão.

O grupo de Cid deve anunciar até o início de janeiro a filiação em massa para o PSB. Procurada pela reportagem, a assessoria do senador disse que a filiação ao novo partido ainda não está definida e que o senador ainda está discute com a sigla questões que envolvem as eleições municipais de 2024. A reportagem apurou tratar-se justamente de negociações com relação à migração de aliados de Cid Gomes ao partido.

Em outubro deste ano, Cid Gomes ameaçou que iria deixar o PDT após uma reunião acalorada que contou com bate-boca e troca de ofensas entre ele e o irmão Ciro. Depois do encontro, foi realizada uma intervenção do comando nacional do partido no diretório estadual da legenda no Ceará, tirando o senador do comando. Em novembro, a Justiça suspendeu a ação.

Após a briga com ex-presidenciável, Cid deixou claro a sua intenção de deixar o PDT, mas sem anunciar qual seria a sua próxima legenda. Foi ventilada a possibilidade do senador ir para o PT, mas a cúpula petista resistiu à ideia.

Caso Cid realmente deixe o PDT para ir ao PSB, o partido de Ciro, que tem atualmente três senadores, passará a ter apenas dois: Leila Barros (DF) e Weverton (MA). Já a sigla de Alckmin aumentará a sua bancada de quatro para cinco senadores. Atualmente, os integrantes da da legenda no Senado são Ana Paula Lobato (MA), Chico Rodrigues (RR), Flávio Arns (PR) e Jorge Kajuru (GO).

A ida de Cid para o PSB não será inédita, já que o senador esteve na sigla por oito anos. Foi pela legenda que ele foi eleito governador do Ceará em 2006 e reeleito em 2010. Em ambas as eleições, o PT fazia parte da coligação cidista. Em 2013, ele deixou o partido junto com o irmão para ingressar no PROS e em 2015, novamente ao lado de Ciro, foi para o PDT.

Vitória Reconstrução da Praça

Há muito, não vou a Brasília, rotina incessante da minha profissão em razão da minha agenda de lançamentos da biografia de Marco Maciel pelo País. Lá, sempre reúno amigos na confra do blog, sob a liderança do inquieto ladrão de afetos Aristeu Plácido Júnior, embaixador da colônia de Pernambuco em Brasília.

Fiquei feliz, no entanto, ao saber que Aristeu fez uma mini confra em Brasília num restaurante da Asa Norte. Lamento não estar presente, mas mando um abraço ao embaixador e aos amigos que brindam à vida: José Meriderval, Abeguar Machado, Murilo Santa Cruz, Carlos Moura, Alexis Souza, Roberto Marinho e José Carlos.

Como dizia Joaquim Francisco, a vida é um sutiã: metam os peitos, companheiros!

Se o leitor não conseguiu acompanhar a entrevista com o padre, cantor e compositor Padre Zezinho ao quadro “Sextou”, do programa Frente a Frente, ancorado por este blogueiro e exibido pela Rede Nordeste de Rádio, não se preocupe. Clique aqui e confira. Está incrível!

O prefeito do Recife, João Campos (PSB), decidiu criar a Secretaria de Ciência e Tecnologia e nomeará Rafael Figueiredo (ex-procurador-geral do Município na gestão passada) para a função. Rafa, como é conhecido, tem como meta principal desenvolver um projeto de instalação de Wi-Fi gratuita em 500 praças da cidade.

Considerado um dos maiores nomes da música cristã, pioneiro no gênero, o padre Zezinho é a atração do Sextou de logo mais, às 18h. Ele começou a compor suas canções em 1964, hoje coleciona mais de três mil músicas. 

Algumas canções das suas mais famosas são “Um Certo Galileu”, “Maria de Nazaré”, “Amar Como Jesus Amou (gravada em Portugal por José Cid)”, “Oração pela Família (versão para Portugal de Star Light e a dupla Nelo Silva e Cristiana)”, “És Água Viva”, “Maria da Minha Infância”, dentre outras.

O Sextou vai ao ar das 18 às 19 horas pela Rede Nordeste de Rádio, formada por mais de 40 emissoras, tendo como cabeça de rede a 102.1 FM, no Recife. Se você deseja ouvir pela internet, clique no link do Frente a Frente acima em destaque ou baixe o aplicativo da Rede Nordeste de Rádio na play store.

Filho do presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, Álvaro Porto, o prefeito de Quipapá, no Agreste, a 180 km do Recife, Alvinho Porto, acabou de renunciar ao mandato. Alegou problemas de natureza pessoal. Assume o vice, Genivaldo Temoteo Bezerra, conhecido como Pité (Podemos). Veja a íntegra da carta de despedida do cargo.

Minhas amigas e meus amigos de Quipapá,

Hoje, dia 29 de dezembro de 2023, após três anos à frente da administração de Quipapá, venho, por motivos pessoais, comunicar minha renúncia ao cargo de prefeito de Quipapá.

Após uma dura campanha eleitoral no ano de 2020, vencemos as eleições com o objetivo de implantar uma mudança muito desejada pela população de Quipapá. Em janeiro de 2021, iniciamos o trabalho tão esperado pelo nosso povo e imprimimos uma marca jamais vista na história da cidade.

Nossas primeiras ações foram na área da saúde, uma vez que tínhamos, à disposição, apenas um médico plantonista no hospital para atender a todo o município. Hoje temos médicos todos os dias no hospital, além de 10 equipes de saúde da família em pleno funcionamento, com atendimento médico, odontológico, entre outros. Na Policlínica, contamos com diversas especialidades médicas, entre elas: ultrassonografia, pediatria, ginecologia, dermatologia, psiquiatria, e várias outras. Firmamos também parceria com outros hospitais para realizar cirurgias. Reformamos o nosso hospital, adquirimos diversos equipamentos, além de climatizar todas as enfermarias. Investimos em equipe e equipamentos, para nossa sala de parto, fazendo com que as mães quipapaenses, possam ter seus filhos na nossa cidade, sem mais precisar se deslocar para outros municípios.

A população de Quipapá, não aguentava mais o sofrimento de fazer tratamento de saúde em Recife e não ter um lugar para descansar, fazer suas refeições e ficar hospedado em tratamentos mais longos. Pensando nisso, implementamos a nossa casa de apoio com toda a estrutura para acolhimento dos pacientes e acompanhantes. Essa casa, se tornou referência no estado e é vitrine para outras prefeituras que desejam criar casas de apoio. Além de acolhimento, asseguramos transporte de qualidade para os usuários da casa.

Instalamos a Secretaria de Saúde em um novo prédio, com mais espaço e condições para atender nossa população e reestruturamos a farmácia municipal, com a aquisição de móveis, equipamentos, insumos e medicamentos.

Reativamos o serviço do SAMU, com contratação de nova equipe, nova ambulância e inauguramos uma base.

Recebemos o município com apenas uma e estamos entregando com sete ambulâncias. Disponibilizamos transporte para tratamento de quimioterapia, hemodiálise entre outros, para as cidades de Recife, Caruaru, Palmares e Garanhuns.

Colocamos em funcionamento os postos de saúde da Vila do Cruzeiro e inauguramos o Posto de Saúde do Bar do Bode.

Infraestrutura também foi prioridade no nosso mandato. Tiramos do papel uma das obras mais sonhadas do povo de Quipapá, principalmente, da Vila do Cruzeiro, que era o calçamento da estrada de acesso ao distrito. Foram concluídos mais de três quilômetros do calçamento e estamos deixando R$ 2 milhões em emendas dos deputados Álvaro Porto, André Ferreira e Clarissa Tércio, para o início da nova etapa da obra. Realizamos as obras de esgotamento sanitário da Vila do Cruzeiro, pleito antigo da população.

Dois desejos da comunidade da Nova Vila também foram realizados: calçamos as duas ladeiras de acesso, tirando o povo da lama e da poeira; e melhoramos o sistema de abastecimento de água.

Construímos novas praças de eventos na nossa cidade e no distrito de Vila Nova e realizamos as maiores festas já vistas em Quipapá com grandes atrações nacionais e sempre valorizando os artistas da terra. Quipapá recebeu a melhor decoração de Natal da nossa história, atraindo turistas, fomentando o comércio e alegrando nossa população.

A comunidade do Novo Milênio também foi beneficiada com o calçamento de todo o bairro.

Reformamos diversas escolas da sede e da zona rural, ofertamos merenda de qualidade e entregamos fardamento para os alunos da rede municipal.

Fortalecemos a agricultura familiar com a compra da produção para a merenda escolar e para a entrega juntos às famílias carentes.

A segurança alimentar foi uma das nossas preocupações. Implementamos a cozinha comunitária, ofertando diariamente refeições gratuitas e de qualidade para várias famílias. Fizemos entregas de cestas com peixe na Semana Santa e com frango no Natal, além da distribuição contínua de cestas básicas.

Criamos o programa Nascer Bem, que faz o acompanhamento social das nossas gestantes, e entregamos o enxoval completo para que os bebês quipapaenses venham ao mundo com mais conforto.

Com a abertura da sala do empreendedor, facilitamos a vida dos comerciantes e de quem deseja abrir seus negócios, com mais acesso a linhas de crédito com bancos, cursos e capacitações, parceria com entidades como Sebrae, Senar, entre outras. Entre os cursos ministrados, destaco o de manejo de carne bovina, possibilitando o ingresso como funcionários da Masterboi.

Adquirimos, para assistência ao homem do campo e manutenção de estradas rurais: máquinas pesadas como PC, retroescavadeira e pá carregadeira, além de disponibilizar tratores para aração de terra e serviço de terraplanagem e piçarramento das estradas.

Perfuramos diversos poços artesianos por toda zona rural.

Para ajudar na proteção das nossas crianças e adolescentes, adquirimos um carro zero quilômetro e diversos equipamentos para o Conselho Tutelar.

Com o pagamento de dívidas de gestões passadas, firmei parceria com a Celpe, e recebemos no dia de hoje, mais de quatrocentos pontos de lâmpadas de Led, para a troca do parque de iluminação.

Aprovamos, junto ao Governo Federal, convênio para construção do Mirante do Alto do Cruzeiro. A nossa academia da cidade está com projeto aprovado, licitado e com dinheiro em conta para o início das obras. Além de várias emendas parlamentares que estão em tramitação e que ajudarão bastante, a nossa cidade.

Chego nesse momento, com a cabeça erguida e a certeza de que nossa cidade avançou muito nos últimos três anos. Por questões pessoais, encerro meu mandato com a consciência que Quipapá será administrada, nos próximos anos, por um homem de bem, honrado, honesto, disposto e comprometido com a população. Pité, meu vice-prefeito, que foi leal na campanha e durante todo meu mandato, assumirá a administração de Quipapá, e sei que vai fazer um grande trabalho por nossa cidade. Nosso futuro prefeito é um empresário respeitado, veio de baixo e com a força do seu trabalho e do seu suor, venceu na vida, sem precisar se envolver em esquemas fraudulentos e nenhuma maracutaia para ganhar dinheiro. Ele é ficha limpa, nunca se envolveu em escândalos e acordos obscuros, não está junto com grupos envolvidos em esquemas de desvio de dinheiro público para financiar campanhas eleitorais e enriquecer às custas do povo. Confio nele e sei que será um grande prefeito.

Agradeço a Deus pela oportunidade de administrar Quipapá durante os últimos três anos. Agradeço ao povo de Quipapá pela confiança e demonstração de carinho e amizade que recebo todos os dias. Agradeço aos secretários e todos os funcionários e colaboradores da prefeitura. Agradeço aos vereadores da nossa base. Agradeço aos deputados Álvaro Porto e André Ferreira pela parceria e recursos encaminhados que ajudaram nossa administração. Agradeço a minha família e meus amigos que sempre me apoiaram em todos os momentos.

Obrigado a todos, e que tenhamos um 2024 de muita paz, sucesso e alegria para nossa Quipapá. Que Deus nos abençoe.

Álvaro Porto de Barros Filho

O projeto “Quinta do Galo” da próxima quinta-feira (4) vai ganhar o agito da banda Som da Terra que, ao lado de convidados, comanda a noite na sede do Galo da Madrugada, no Palácio Enéas Freire (área central do Recife), a partir das 19h. Vai ser a primeira edição do ano do projeto. A apresentação vai contar com a participação especial da cantora baiana Sarajane.

A banda, que tem 48 anos de estrada, vai levar para o público um show prá lá de animado em homenagem a festa de momo, como também uma coletânea com os seus maiores hits de frevos, entre eles “Xô, Xô Mané”, que fala sobre a volta do Galo da Madrugada e do combate ao assédio no carnaval. Em ritmo de frevo, a canção foi a aposta do grupo para o carnaval 2023 e, devido ao sucesso, continua sendo para o de 2024. Os ingressos variam entre R$ 50 (individual) e R$ 250 (mesa para quatro pessoas) e podem ser adquiridos na sede do bloco ou no site Bilheteria Digital.

Por Dora Kramer*

O ano que agora termina foi ruim na avaliação de alguns e bom na opinião de outros. Tudo depende da comparação. Exemplo: os desacertos verbais de Luiz Inácio da Silva ficaram deglutíveis face as vulgaridades do antecessor. No entanto, apesar da expectativa de um “efeito alívio” duradouro, a avaliação positiva do novo governo oscilou entre a estabilidade e a queda.

As pesquisas indicaram insatisfação com a ausência do presidente devido a prioridade dada à reinserção internacional do Brasil. Também apontaram visão negativa quanto aos problemas na segurança pública.

Na economia houve perdas e ganhos. O saldo foi positivo nas questões relativas ao Congresso. Embora insuficientes para assegurar a meta do déficit zero por meio do aumento da arrecadação, ocorreu crescimento acima do esperado, inflação controlada, balança comercial positiva e reforma tributária aprovada.

Já no campo político nada deu muito certo. A coisa foi aos trancos e barrancos. A ideia do ministro Alexandre Padilha (PT) de que a incorporação de PP e Republicanos lhe daria vida fácil não se concretizou.

Os parlamentares continuaram atuando conforme suas conveniências. Vetos foram derrubados com votos da base formal, medidas provisórias caducaram, decretos e projetos tiveram tramitação recusada.

Na teoria a maioria apoia o Planalto, mas na prática suas altezas só fazem o que lhes interessa: avançam no Orçamento, aumentam exponencialmente o valor do fundo eleitoral e não se constrangem em cortar recursos do PAC. Algo impensável nos dois primeiros governos de Lula.

Tanto que o presidente se voltou a uma inusitada – e eticamente questionável – aliança com o Supremo Tribunal Federal para escapar da armadilha que lhe armou o Parlamento e da qual não apresentou ainda uma forma criativa de se desviar.

O ano que se inicia dirá como o governo resolverá, ou não, esse difícil dilema.

*Jornalista e comentarista de política

A Adutora do Pajeú já chegou em Triunfo, mas água que é bom, nem sinal. Tudo porque a Neoenergia, antiga Celpe, não cumpriu com a sua parte no que diz respeito ao sistema de energização da adutora. As obras foram concluídas há seis meses e até o momento a Neoenergia não dá um pio sobre o assunto.

Com isso, a cidade, que é turística, está penalizada. Falta água até nos hotéis e pousadas. O prefeito Luciano Bonfim (Avante) disse que já levou o assunto ao conhecimento da governadora Raquel Lyra (PSDB), que nada fez. A adutora do Pajeú, no trecho até Triunfo, era um sonho de mais de 50 anos.

Trata-se do Ramal de Triunfo/Santa Cruz da Baixa Verde, que faz parte da implantação da fase II da segunda etapa do Sistema Adutor do Pajeú. Com a conclusão dos serviços, 20 mil pessoas estão à espera da água. Destas, cerca de 10, 7 mil no município de Triunfo e mais de 9 mil na cidade de Santa Cruz da Baixa Verde.

O Ramal de Triunfo/Santa Cruz da Baixa Verde é um empreendimento voltado para o abastecimento humano, resultando na construção de estações de bombeamento, reservatórios e tubulações. Uma importante obra, haja vista que na cidade de Santa Cruz da Baixa Verde não há o abastecimento de água adequado a toda população.

O valor total da obra ficou em R$ 263 milhões, com R$ 62 milhões destinados para atender Pernambuco e R$ 161 milhões para atender a Paraíba. A segunda fase da 2ª etapa do Sistema Adutor do Pajeú, quando plenamente concluída, beneficiará, além de Santa Cruz da Baixa Verde e Triunfo, outras cidades como Iguarací, Ingazeira e Santa Terezinha, em Pernambuco.

Com a conclusão de toda a adutora, também serão atendidos os municípios de Imaculada, Desterro, Livramento, São José dos Cordeiros, Taperoá, Teixeira e Cacimbas, na Paraíba.

A água da Adutora do Pajeú é captada no Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco, em Sertânia, e distribuída para os distritos e sedes de Pernambuco e da Paraíba. A Adutora do Pajeú é um empreendimento voltado para o abastecimento de municípios nordestinos, abarcando a construção de sistema adutor, composto por captações no Eixo Leste do PISF, estações de bombeamento, reservatórios e tubulações, atingindo 255,7 km de adução.

A 1ª Etapa do Sistema Adutor do Pajeú foi concluída em 2014. Essa etapa trouxe a garantia de abastecimento para mais de 200 mil habitantes e também abasteceu, de forma emergencial, algumas cidades contempladas na 1 ª Fase da 2ª Etapa, por meio de rodízios entre as cidades sob operação da concessionária de saneamento estadual, a Compesa.