Jaboatão - Espaço vida marinha

Chuvas afetam 781 mil pessoas no RS; mortes sobem para 75

Da Agência Brasil

As fortes chuvas que atingem o Rio Grande do Sul desde a semana passada já afetaram mais de 780,7 mil pessoas. Até o momento, 75 pessoas morreram, de acordo com o último boletim da Defesa Civil, divulgado às 12h deste domingo (5). Outros seis óbitos ainda estão em investigação e 155 pessoas ficaram feridas. Há ainda 103 pessoas desaparecidas.

O número de óbitos superou a última catástrofe ambiental do estado em setembro de 2023, quando 54 pessoas perderam a vida devido a passagem de um ciclone extratropical. As autoridades afirmam que este é o pior desastre climático da história gaúcha.

As chuvas também obrigaram 95,7 mil pessoas a abandonarem suas casas, entre 104,6 mil desalojados e 16,6 mil desabrigados. Dos 497 municípios gaúchos, 334 foram afetados pelas fortes chuvas, o que representa 67,2% das cidades do estado.

Ainda de acordo com o balanço mais recente das infraestruturas estaduais, mais de 420 mil pontos no estado seguem sem energia elétrica e 839 mil residências (27%) sem abastecimento de água.

As chuvas também provocam danos e alterações no tráfego nas rodovias estaduais gaúchas. Neste domingo (5), são registrados 113 trechos em 61 rodovias com bloqueios totais e parciais, entre estradas e pontes.

No fim da manhã de hoje, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva; os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira; do Senado, Rodrigo Pacheco, e do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas, desembarcaram na Base Aérea de Canoas (RS). A comitiva também é composta por 13 ministros; pelo comandante do Exército, general Tomás Paiva; pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin; e pela primeira-dama Janja Lula da Silva.

Paulista - Boa praça

Da Agência Brasil

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira; do Senado, Rodrigo Pacheco; e do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas, desembarcaram na Base Aérea de Canoas (RS) neste domingo (5). Eles acompanham as operações de resgate e de assistência às vítimas da enchente no Rio Grande do Sul.

O governador do estado, Eduardo Leite, recebeu a comitiva, também composta por 13 ministros, pelo comandante do Exército, general Tomás Paiva; pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin; e pela primeira-dama Janja Lula da Silva.

“Chegamos no Rio Grande do Sul para fortalecer o trabalho de apoio ao povo gaúcho que vem sendo feito pelo governo federal, estadual e pelas prefeituras”, postou Lula nas redes sociais, acompanhado de vídeo em que conversa com o governador após descer do avião.

Os ministros que desembarcaram com Lula são os seguintes: Rui Costa (Casa Civil), José Mucio (Defesa), Fernando Haddad (Fazenda), Renan Filho (Transportes), Silvio Costa Filho (Portos e Aeroportos), Camilo Santana (Educação), Nísia Trindade (Saúde), Luiz Marinho (Trabalho e Emprego), Wellington Dias (Desenvolvimento Social e Combate à Fome), Marina Silva (Meio Ambiente e Mudança do Clima), Jader Filho (Cidades), Márcio Macêdo (Secretaria-Geral) e Alexandre Padilha (Secretaria de Relações Institucionais).

Logo após saírem da base aérea, Lula, Lira, Pacheco e Leite, sobrevoaram de helicóptero o centro de Porto Alegre. Em vídeo postado nas redes sociais de Lula, o governador Eduardo Leite mostra as redondezas do mercado municipal da capital gaúcha coberto pela água.

A comitiva se juntará aos ministros Paulo Pimenta (Secretaria de Comunicação Social) e Waldez Góes (Integração e Desenvolvimento Regional), que já estão no estado e acompanham de perto as ações de socorro e assistência do governo federal à população gaúcha.

Balanço

O Ministério da Defesa atualizou o balanço das operações de socorro e assistência nesta manhã. Segundo a pasta, os militares resgataram pessoas isoladas em 11 municípios: Lajeado, Encantado, Taquari, Estrela, Nova Santa Rita, Montenegro, Sinimbu, Canoas, Bento Gonçalves, Campo Bom e São Sebastião do Caí.

Em outras quatro cidades – São Gabriel, Bagé, Alegrete e Cristal – foram realizadas operações de apoio à reestruturação de imóveis destruídos e realocação de pessoas desabrigadas.

Em Candelária e São Valentim do Sul, os militares desobstruíram pistas. Em Restinga Seca, trabalharam no lançamento de uma ponte e na restituição de acessos. Em Porto Alegre e Cachoeira do Sul, apoiaram a organização e a distribuição de doações a  desabrigados.

Segundo o Ministério da Defesa, foram realizados 9.749 resgates nos últimos dias, dos quais 402 aéreos, 2.340 fluviais e 7.007 terrestres. E 69 pessoas foram resgatadas por meio de aeronaves com equipamentos médicos. De acordo com a pasta, 647 militares das Forças Armadas estão envolvidos nas operações: 426 do Exército, 155 da Marinha e 66 da Força Aérea Brasileira (FAB).

A FAB também divulgou um balanço atualizado. Na madrugada deste domingo, a aeronave KC-390 Millennium transportou mais de 18 toneladas de materiais do Grupamento de Apoio Logístico de Campanha (GALC) da Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro (RJ) com destino à Base Aérea de Canoas (RS).

O avião transportou geradores, banheiros químicos, barracas operacionais, colchões, materiais de apoio elétrico e hidráulico. Segundo a FAB, o material dará suporte à alimentação, alojamento, higienização (banho e sanitários) e manutenção da assistência à população gaúcha.

A aeronave também transportou 14 militares do GALC, que montarão a estrutura em Canoas. A atuação desse efetivo tem a finalidade de apoiar logisticamente as operações na calamidade pública.

Polícia Rodoviária Federal

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) anunciou o reforço de 75 agentes nas operações, além dos 99 que estão atuando na região atingida por fortes temporais nos últimos dias.

Segundo a corporação, o efetivo enfrenta extrema dificuldade de movimentação por causa dos pontos bloqueados em razão das chuvas dos últimos dias. Com 20 viaturas e três aeronaves empregadas na operação, a PRF fez 150 resgates terrestres e resgatou, por meio aéreo, 54 pessoas e três animais.

Petrolina - Viva a nossa arte

De volta de mais um giro pelo Sertão, cheio de emoções, chego em casa, no Recife, com uma bela surpresa: o biógrafo proibido de Roberto Carlos, Paulo César de Araújo, me enviou seu mais recente livro sobre o Rei: Roberto Carlos – Outra vez. 

Paulo César já havia me dado outro presente: uma belíssima entrevista para o Sextou especial de RC, que foi sensacional. Como fã do rei e dele também, me emocionei. Escritor, pesquisador e historiador, Paulo mora em Niterói, no Rio de Janeiro.

Ganhou notabilidade nacional quando lançou seu primeiro livro sobre a trajetória de RC, sendo proibido pelo cantor. Virou uma pendenga judicial, resolvida muito tempo depois pelo Supremo Tribunal Federal. 

O errado foi o rei. O livro é maravilhoso, fantástico e emocionante. Li de um fôlego só. Como vou fazer com este Roberto Carlos – Outra vez. 

Obrigado, grande Paulo!

Ipojuca - Minha rua top

Do ES360

A Brasscom, Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e de Tecnologias Digitais, conta com mais de 80 empresas associadas com sede no Brasil e em vários países do mundo, com diferentes modelos de negócios. 

Neste mês de abril a Brasscom lançou o Plano Brasil Digital 2030+ com diagnóstico e proposição de ações. Aqui vão listados alguns dos itens do diagnóstico que poderão servir de base também para uma política estadual para o setor:

  • Tecnologias de dados & Banda Larga, Cloud, IoT, IA (especialmente IA Generativa) e Cibersegurança possuem fortes tendências de crescimento no mundo nos próximos anos (12% a.a.)
  • Mecanismos de incentivo previstos, p.ex. para IoT, podem ser expandidos também para as outras tecnologias estratégicas selecionadas
  • Apenas 1% do PIB investido em P&D: 49ª posição global
  • Apenas 52ª posição em número de pesquisadores por milhão de habitantes e apenas o 16º em divulgação de artigos relacionados a temas digitais
  • O sistema de incentivos à inovação brasileiro enfrenta desafios em sua implementação, embora possua um arcabouço composto por mais de 25 mecanismos de facilitação ao investimento
  • O Brasil ocupa a 78ª posição no ranking de colaboração entre universidade e indústria
  • A Lei do Bem, que apoiou mais de 3 mil empresas e mais de 13 mil projetos em 2022, é um dos principais instrumentos de incentivo à inovação no Brasil e sua expansão pode gerar um impacto significativo no desenvolvimento do país
  • O Brasil está apenas na 49ª posição no ranking de desenvolvimento de ecossistemas
  • Representatividade do setor digital no Brasil é muito baixa: apenas 2,8% de participação em relação à economia nacional
  • Número de formandos em cursos superiores é inferior à demanda de contratação até 2025, acumulando 600 mil vagas não preenchidas
  • Escassez de profissionais especializados: Brasil na 75ª posição no ranking de facilidade em encontrar profissionais capacitados
  • Dificuldades de digitalização da Educação Básica: mais de 50% das escolas municipais com falta de projetos de implementação digital
  • Lacuna na capacitação digital de professores: apenas 57% dos professores da rede estadual e 40% dos da rede municipal são capazes de selecionar materiais digitais para preparação de aulas
  • Apenas 26% das vagas nos cursos superiores relacionados à área tiveram matrículas realizadas
  • Avanços significativos do Brasil em governo digital na esfera federal
  • Estados: apenas 46% dos serviços oferecidos são inteiramente pela internet. Municípios: apenas 22% das prefeituras têm plano de implementação digital
  • Baixo letramento digital. Da população que não utiliza serviços digitais, 56% é devido à falta de letramento
  • Somente 38% da população das classes D/E possuem acesso à internet em seus domicílios
  • Falta de acesso a dispositivos digitais: representam cerca de 26% da renda total das famílias com menor poder aquisitivo
  • Acessibilidade: menos de 1% dos sites do país estão em conformidade com as regras de acessibilidade
  • Carga tributária com impacto médio de 20% para o setor de TIC
  • O país possui uma das maiores cargas tributárias do mundo sobre a folha de pagamento: mais de 55% de impostos
  • O Brasil tem menos de 1% dos unicórnios globais e apenas 60% das startups afirmam ter recebido investimento
  • Mais de 55% dos empreendedores abriram seus negócios sem qualquer tipo de capacitação
  • Processo de abertura de empresas ainda burocrático: até 180 horas para ser concluído
  • A balança comercial do país no setor de TIC é desfavorável: exportações representam apenas 16% da produção nacional e volume de importação 4 vezes maior
  • Significativa participação de fontes de energia renovável: oportunidade atrativa para investimentos estrangeiros
  • Baixa inserção das empresas de tecnologia na cadeia global de valor, com rigidez regulatória e excesso de burocracia
  • Altos custos logísticos, monetários e de transação no comércio exterior: baixa competitividade nos produtos nacionais no mercado global
  • O Brasil possui quase meio milhão de postos de trabalho em aberto no setor de TIC, por baixa capacitação e atração de salários condizentes

Esses são alguns dos problemas e algumas das oportunidades. O Espírito Santo tem evoluído no seu ecossistema de inovação, mas tem muito espaço ainda para chegar perto dos centros que despontam neste setor, que tem crescimento exponencial no mundo. Pode ser um importante eixo para o crescimento do estado.

Ipojuca - Minha rua top

Do Poder360

O Brasil devolveu 58% da produção nacional de gás natural aos poços em março. Foi o maior percentual de reinjeção da história. No mês, foram produzidos 143,8 milhões de m³/dia (metros cúbicos por dia) de gás natural. E voltaram aos poços 83,8 milhões de m³/dia.

Em volume, o total reinjetado foi o 3º maior. Ficou abaixo dos registrados em novembro e dezembro de 2023. Mas o percentual de março foi recorde porque a produção de gás natural caiu, reduzindo a diferença. Na média do 1º trimestre de 2024, a reinjeção foi de 54%.

Os dados são da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) e foram compilados pelo Poder360. Os números da série histórica mostram que a reinjeção disparou no país a partir de 2015, com o início da operação das grandes plataformas do pré-sal.

No Brasil, cerca de 85% do gás natural produzido está associado ao petróleo. É o caso do pré-sal. Ou seja, ambos estão presentes nos reservatórios. Para produzir óleo, as empresas têm que extrair gás natural. Restam às petroleiras duas opções: comercializar o gás ou reinjetá-lo.

A devolução acaba sendo uma estratégia comercial de petroleiras, como a Petrobras, para aumentar a produção de petróleo. Ocorre que a injeção de gás natural, gás carbônico, água e outros fluidos aumenta a pressão dos reservatórios, ajudando a extrair o óleo. E o petróleo é mais lucrativo do que o gás.

Em países com um perfil similar de produção brasileiro, com predomínio de gás associado, as taxas de reinjeção de gás são naturalmente mais altas para ajudar na extração do petróleo. Variam de 20% a 35%. Contudo, o percentual no Brasil está acima de seus pares. Isso por causa da falta de infraestrutura.

Enquanto o país correu para construir plataformas para extrair o óleo do pré-sal, não investiu o suficiente e a tempo para escoar o gás. Com isso, atualmente faltam gasodutos para levar a produção para o mercado e maior parte do que é extraído acaba voltando aos poços.

Há apenas duas rotas de escoamento da produção de gás natural do pré-sal: os gasodutos Rota 1 e Rota 2, que interligam os campos às UPGNs (unidades de processamento de gás natural) em Caraguatatuba (SP) e em Cabiúnas (RJ). Essas estruturas exercem papel semelhante às refinarias de petróleo.

No caso de março especificamente, também contribuiu para o recorde a paralisação parcial e programada da plataforma de Mexilhão para manutenção preventiva. Isso provocou restrição no fornecimento de gás na Rota 1.

Desde 2014, a Petrobras planeja o gasoduto marítimo Rota 3 para ampliar o escoamento da produção de gás, acompanhando o aumento da oferta do insumo. Os atrasos na construção provocaram vários adiamentos na expectativa de conclusão.

O 3º duto do pré-sal desembocará no Polo Gaslub –antigo Comperj (Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro), que foi redimensionado depois da Operação Lava Jato. A infraestrutura deve entrar em operação até o final deste ano e terá capacidade de transportar até 18 milhões de m³/dia.

Importação cresce

Enquanto a produção de gás natural caiu em março e o percentual de reinjeção bateu recorde, o Brasil aumentou a importação do insumo para suprir o mercado interno. O volume adquirido do exterior foi o maior em 22 meses.

Chegaram ao país 728,6 milhões de m³ de gás natural em março. Em fevereiro, o volume importado foi de 538,1 milhões de m³. O incremento se deu pelo aumento nos desembarques de GNL (Gás Natural Liquefeito), que é transportado de forma líquida em navios e depois é regaseificado em terminais no país.

O Brasil sempre foi um grande importador de gás por causa da dificuldade de escoar sua própria produção. Os volumes mensais comprados do exterior caíram desde 2022, quando foi reduzido em 30% do contrato de fornecimento da Bolívia com a Petrobras.

Até 2022, as importações de gás boliviano pelo Gasbol (Gasoduto Bolívia-Brasil) representavam cerca de 70% do total. Com a redução nas entregas pelo país vizinho, o Brasil tem aumentado a compra de GNL do exterior.

Grandes empresas têm ampliado os investimentos em terminais portuários para importação e regaseificação. O número de terminais operantes, que era de 5 até o final de 2022, deve chegar a 10 até o final de 2024.

Serra Talhada - Saúde

O terceiro dia de festividades dos 431 anos do Jaboatão dos Guararapes foi marcado por missa de Ação de Graças e a segunda noite do 1° Festival de Seresta, neste sábado (04), data oficial do aniversário da cidade. A celebração religiosa teve início às 16h, na Matriz de Santo Amaro, em Jaboatão Centro, e foi presidida pelo padre Rogério Silva e concelebrada pelo padre Iran Junior, da Paróquia de Nossa Senhora de Lourdes, em Cavaleiro, diante de uma igreja lotada. O prefeito Mano Medeiros e a primeira-dama Andrea Medeiros assistiram com atenção à missa. 

Em seguida, o prefeito  cortou o bolo de aniversário em frente à igreja matriz de Santo Amaro, em Jaboatão  Centro, em comemoração aos 431 anos da cidade. Na ocasião, ele recebeu elogios dos moradores pela organização da festa e também pelas obras que têm sido entregues no município. À noite, Mano e a primeira-dama prestigiaram a última noite do 1º Festival de Seresta, no Jaboatão Centro. Além  do palco principal, o evento contou com espaço  acessível para pessoas com deficiência.

“Hoje é um dia especial e de muita alegria já que estamos celebrando os 431 anos de Jaboatão, uma cidade com muita tradição, cultura, história, conquistas, mas também de muitos desafios. Esta é uma data marcante para todos os jaboatonenses, por isso, organizamos várias atividades culturais e de lazer esta semana. Fizemos ainda entrega de serviços e equipamentos para a população. O trabalho não  para no município. Lembrando que a programação de aniversário segue até este domingo. Sigam as redes sociais da Prefeitura e divirtam-se”, falou o prefeito.

Vitória Reconstrução da Praça

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Luís Roberto Barroso, determinou neste sábado (4) a suspensão, no período de 2 a 10 de maio, dos prazos processuais de todas as ações em andamento no STF que envolvam o estado do Rio Grande do Sul ou seus municípios, que sejam oriundos de tribunais do estado ou cujas partes sejam representadas exclusivamente por advogados inscritos na OAB do RS.

O pedido foi feito pelo Conselho Federal da OAB em razão do estado de calamidade pública por conta das enchentes. Pela resolução, os prazos voltam a correr no dia 11 de maio.

A Defesa Civil emitiu um alerta de inundação para a região metropolitana de Porto Alegre por causa da elevação do Guaíba. Alerta de inundações da Defesa Civil vale para ao menos 16 municípios da região metropolitana de Porto Alegre. Além da capital gaúcha, estão na lista: Barra do Ribeiro, Canoas, Cachoeirinha, Charqueadas, Eldorado do Sul, Gravataí, Guaíba, Montenegro, Nova Santa Rita, Novo Hamburgo, Pareci Novo, Sapucaia do Sul, São Leopoldo, Taquara, Triunfo.

A Defesa Civil também alerta para chuvas e ventos fortes na região metropolitana e no Norte e Noroeste do Rio Grande do Sul. Há risco de queda de granizo, alagamentos e descargas elétricas. O alerta vale até as 14h de hoje. As informações são do UOL.

Também podem ocorrer inundações em áreas do entorno do rio Uruguai, na fronteira com a Argentina. São dois trechos em risco: um vai da tríplice fronteira entre Brasil, Uruguai e Argentina até São Borja; já o outro vai de Garruchos até Porto Mauá.

O nível do Guaíba chegou a 5,30 metros de altura às 7h de hoje. Os dados são da régua da Agência Nacional de Águas (ANA) e Secretaria Estadual do Meio Ambiente (SEMA).

Nem todos os bairros serão atingidos da mesma forma, explica a Defesa Civil. “Áreas mais altas não serão afetadas com a mesma intensidade. Quem mora em áreas mais baixas deve buscar abrigo em locais seguros”.

Na região metropolitana, a cidade de Canoas é uma das mais atingidas. A elevação rápida do Rio dos Sinos deixou famílias ilhadas e fechou hospitais. Autoridades pedem que moradores dos bairros Harmonia, Cinco Colônias, Mathias Velho, Central Park e Fátima deixem suas casas e busquem abrigo em áreas altas da cidade.

Cerca de 707.190 pessoas em 332 municípios foram afetados pelas chuvas no Rio Grande do Sul, segundo a Defesa Civil. No centro histórico de Porto Alegre, comércios e casas continuam alagados. No sábado (4), os acessos ao Aeroporto Internacional Salgado Filho foram bloqueados pela água.

O número de mortos subiu para 66, segundo boletim da Defesa Civil. São 101 desaparecidos e 155 feridos até a manhã deste domingo (5).

Guaíba deve ficar acima dos 4 metros de altura por 5 a 10 dias, estima a Defesa Civil. Na cheia de 1941, o Guaíba ficou com o nível acima dos 3 metros durante 25 dias e, segundo o órgão, “como essa cheia [de 2024] foi maior, a gente tem a perspectiva de ter esses valores também”.

Porto Alegre é protegida por muros e comportas. Contudo, apesar das barreiras, na região central da cidade, o muro Mauá já está sofrendo rupturas —a estrutura suporta uma enchente de até 6 metros.

Por Paulo Abou Hana* 

Ele é amado e odiado. Chamado de Maligno por alguns (geralmente os que não gostam das críticas) e amigo dos amigos, muitas vezes até de forma passional.

Este é o nosso Magno, amizade que herdei do meu Pai Samir Abou Hana, que sempre prestigiou ele e foi prestigiado também.  

Parabéns, Magno, pela coragem, profissionalismo e pioneirismo nos 18 anos do Blog.

*Advogado

A Defesa Civil Estadual atualizou na manhã deste domingo os números da tragédia em decorrência das chuvas no Rio Grande do Sul. A pasta informa ainda que tem atuado para atender a população afetada e garantir a segurança da população. Segundo a instituição, subiu para 66 o número de mortes confirmadas e para 101 os desaparecidos.

Há também outras seis vítimas fatais que estão em investigação se as mortes têm relação com os eventos meteorológicos ocorridos no RS. Além disso, já são 332 municípios atingidos, com 707.190 gaúchos afetados pelos transtornos causados pelas chuvas no RS. Até o momento, a Defesa Civil Estadual contabiliza 80.573 pessoas desalojadas, 15.192 pessoas em abrigos e outras 155 feridas. As informações são do Correio do Povo.

Da Agência Brasil

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e os ministros Paulo Pimenta (Secretaria de Comunicação Social da Presidência) e Waldez Góes (Integração e Desenvolvimento Regional) afirmaram que esforços conjuntos dos governos se concentram, no momento, em resgatar o maior número de pessoas. 

Ao menos desde a última segunda-feira (29), o Rio Grande do Sul tem sido atingido por fortes chuvas, que provocaram deslizamentos, enchentes e outras ocorrências em ao menos 317 municípios.

Segundo balanço mais recente do governo gaúcho, 55 mortes foram confirmadas em decorrência dos temporais. Outras 107 pessoas ficaram feridas e mais 74 encontram-se desaparecidas. Ao todo, há 13.324 pessoas em abrigos e ainda 69.242 desalojados.

“Isso é o que está registrado. Como há situações ainda sendo investigadas, esse número [de mortos] pode crescer exponencialmente”, disse Leite em entrevista coletiva. “Esse momento é ainda de resgates, de chegar nos locais”, acrescentou o governador.

Resgates

As estradas do estado registram mais de 120 pontos de bloqueio, o que dificulta as operações. De acordo com o ministro Paulo Pimenta, há 32 aeronaves operando nos trabalhos de resgate da população e mais de 10 mil resgates foram realizados até o momento.

“Amanhã vai ser um dia ainda fundamental para salvar vidas”, disse Pimenta, ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência.

“Vamos buscar até o último momento salvar todo mundo que puder ser salvo”, acrescentou. “Depois juntos vamos pensar no trabalho de reconstrução, de restabelecimento”.

Segundo as autoridades, os principais pontos de atenção se concentram na região metropolitana de Porto Alegre, que enfrenta a maior cheia já registrada do lago Guaíba, que vem recebendo volumes significativos de água vinda do interior do estado.

Neste sábado, o Guaíba chegou a cinco metros, dois metros acima da cota de inundação. A região central de Porto Alegre e outros bairros registram inundações e, em algumas localidades, milhares de pessoas precisaram ser retiradas.

Reconstrução

O ministro da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, disse que a pasta já tem uma série de reuniões marcadas para os próximos dias com equipes do governo estadual, para que se inicie o trabalho de planejamento da reconstrução e recuperação das regiões atingidas.

Questionado sobre o quanto o governo federal pretende empregar nos esforços de reconstrução, o ministro Paulo Pimenta não citou uma cifra, mas reafirmou “que não há um limite orçamentário, não há um limite de pessoal, não há um limite de equipamento”.

O governador Eduardo Leite lembrou que o nível dos rios gaúchos deve demorar para baixar e que, por isso, “vão ser muitos dias de muitos problemas ainda”. Ele frisou a necessidade de que seja elaborado um plano excepcional de reconstruções, com procedimentos mais fáceis para a liberação de recursos.

Ele ainda agradeceu o apoio das Forças Armadas e do governo federal no socorro à população atingida. 

“Todos nós devemos estar a altura do que a história exige de nós neste momento, como autoridades públicas, colocando de lado todas as diferenças [políticas]”, afirmou o governador gaúcho. “Quem já foi vítima da tragédia não pode ser vítima depois da desassistência, da demora e da burocracia”.

O fim de semana foi de dupla emoção. Na sexta-feira, ao lado da minha Nayla, conheci a fazenda São Miguel, berço do forrozeiro Assisão. Na extensão das suas terras secas, em torno da Serra Vermelha, as fazendas Pedreira e Passagem de Pedra, onde nasceram Zé Saturnino e Lampião, respectivamente. Saturnino matou o pai do Capitão Virgulino, provocando seu ingresso no Cangaço. 

Ontem, em Arcoverde, a emoção se prolongou com um encontro familiar inesquecível para a família de minha Nayla: por sugestão e desejo de sua mãe Ivete e da sua irmã Robervânia,  cinco dos 18 irmãos se reuniram pela primeira vez. Por incrível que pareça, alguns sequer se conheciam.

É que Sebastião Raimundo da Silva, oficial de Justiça em Sertânia, conhecido como Sebastião de Isaías, pai da minha sogra, tinha vocação para povoar o mundo. É claro que seus 18 filhos não são de uma mesma esposa. Daí a razão para alguns só terem se conhecido ontem. 

Os filhos de Sebastião estão espalhados pelo Sertão, Recife e Minas Gerais. A ideia das irmãs, que transformou em realidade pela disposição de minha Nayla, que tomou à frente, era reunir todos. 

Mas, não foi possível. Só estavam presentes cinco, quatro mulheres e um homem: Paulo, Ivete, Ivone, Norma e Robervânia. Mas isso não tirou o brilho, o entusiasmo e a emoção da festa, que foi realizada no restaurante Sabor do Campo, do meu amigo Kelsen Ferreira, ex-secretário de Agricultura de Arcoverde e agora pré-candidato a vereador. 

Os cinco irmãos não vieram sós. Trouxeram filhos, genros, netos e até bisnetos. Kelsen caprichou na feijoada, serviu também bode e galinha de capoeira. 

A animação musical ficou por conta do cantor Juninho Saigon, com seu insubstituível violão, acompanhado pelo grande sanfoneiro Zezinho, que tocou por 18 anos na banda de Maciel Melo.

Construída na gestão de Jarbas Vasconcelos, a PE-585 se transformou no verdadeiro teste de paciência para os motoristas e de força para os carros que passam pela estrada, devido a quantidade de buracos. Sendo uma importante via para quem precisa seguir de Araripina, Sertão pernambucano, para o Crato, município do Ceará, desde que foi construída, a PE-585 nunca passou por uma requalificação decente.

As fortes chuvas que atingem o Estado do Rio Grande do Sul já afetaram mais de meio milhão de pessoas, de acordo com informações divulgadas pela Defesa Civil estadual. Até o momento, 55 mortes foram confirmadas e sete ainda estão sob investigação. Além disso, 107 pessoas ficaram feridas e 74 estão desaparecidas. Os temporais que atingem a região desde o início da semana já impactaram pelo menos 317 das 497 cidades gaúchas. Os municípios mais afetados em termos de óbitos são Gramado e Santa Maria, cada um com seis mortes registradas. Além disso, há 69 mil desalojados e 13 mil pessoas desabrigadas em todo o Estado.

A situação também afetou os serviços básicos, com mais de 418 mil pontos sem energia elétrica e cerca de 1 milhão de domicílios sem abastecimento de água, o que representa 34% do total. A Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) é responsável por monitorar a situação e buscar soluções para restabelecer o fornecimento de água.

A dificuldade de acesso a serviços de telefonia e dados móveis também é um problema enfrentado pelos municípios atingidos. Segundo as operadoras, 90 cidades estão sem serviços da TIM, 43 sem os serviços da Vivo e 53 municípios não conseguem acesso pela Claro. A Defesa Civil segue monitorando a situação e prestando assistência às vítimas das chuvas. O aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, está com os voos suspensos desde ontem.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) embarcou na manhã deste domingo (5) para o Rio Grande do Sul com uma comitiva de representantes dos três poderes. Em Porto Alegre, o grupo se reunirá com autoridades locais para discutir as ações de resposta à tragédia causada pelas fortes chuvas e enchentes que atingem a região.

Lula decolou da base aérea de Brasília acompanhado da primeira-dama, Janja Lula da Silva, de 13 ministros e dos presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). O ministro Luiz Edson Fachin, vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), também está na comitiva. As informações são do G1.

A comitiva federal tem previsão de se reunir com o governador Eduardo Leite (PSDB). Os ministros Paulo Pimenta (Secom) e Waldez Goés (Integração Regional) já estão na capital gaúcha.

Segundo a assessoria da Presidência, 18 autoridades embarcaram com Lula:

  • Rodrigo Pacheco, presidente do Senado
  • Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados
  • Rui Costa, ministro da Casa Civil
  • Jose Múcio, ministro da Defesa
  • Fernando Haddad, ministro da Fazenda
  • Renan Filho, ministro dos Transportes
  • Silvio Costa Filho, ministro de Portos e Aeroportos
  • Camilo Santana, ministro da Educação
  • Nísia Trindade, ministra da Saúde
  • Luiz Marinho, ministro do Trabalho
  • Wellington Dias, ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome
  • Marina Silva, ministra do Meio Ambiente
  • Jader Filho, ministro das Cidades
  • Márcio Macêdo, ministro da Secretaria-Geral da Presidência
  • Alexandre Padilha, ministro da Secretaria de Relações Institucionais
  • Edson Fachin, ministro do STF
  • General Tomás Ribeiro Paiva, comandante do Exército
  • Bruno Dantas, presidente do Tribunal de Contas da União (TCU)

RS registra 55 mortes até sábado

Até a noite do sábado (4), a Defesa Civil do RS registrava 55 mortes em razão das enchentes. Além disso, mais de 82 mil pessoas estavam fora de suas casas – desalojadas ou desabrigadas – e cerca de 350 mil estavam sem energia elétrica.

Lula foi ao estado na quinta-feira (2) e se reuniu com Leite. No encontro, na cidade de Santa Maria, o presidente disse que não faltarão recursos nem esforços do governo federal para ajudar a população atingida pelas chuvas.

O governo gaúcho declarou estado de calamidade, reconhecido pelo governo federal, que criou um escritório para monitorar as ações no estado.

O Rio Grande do Sul enfrenta o quarto desastre climático em menos de um ano. Em 2023, três eventos ocorreram em junho, setembro e novembro, deixando, somados, 75 mortos.

No momento, após mais de uma semana de chuvas, o esforço de resgate está concentrado em Porto Alegre e na região metropolitana, nas cidades de Eldorado do Sul, Canoas e Guaíba.

Em Porto Alegre, o Guaíba transbordou e avançou sobre ruas e avenidas. A estação rodoviária da cidade foi inundada e as viagens foram suspensas. Já o Aeroporto Salgado Filho foi fechado “devido ao elevado volume de chuvas”.

O nível do Guaíba superou 5 metros de altura, acima da marca de 4,76m registrada na enchente histórica de 1941.

Dentro da campanha de mídia alusiva aos 18 anos do blog, o outdoor exposto na traseira dos ônibus já começou a rodar, literalmente, pelas ruas do Recife e Região Metropolitana. Agradeço a parceria com meu amigo Júnior de Cleto, que se dispôs a exibir na frota de veículos controlada pela sua empresa. 

A peça foi criada pela RXZ, agência de publicidade do meu amigo Renê Bensoussan. Ele envolveu os melhores profissionais da sua equipe, entre eles Betinho Montenegro, Bernardo Brayner, Alexandre Mariz e Ivson Sampaio.

Na contagem regressiva para o maior evento de comunicação do ano, a festa dos 18 anos deste blog, estão faltando apenas 18 dias. Tudo está sendo preparado com muito carinho. Será no dia 23 de maio, a partir das 20 horas, no Mirante do Paço, no Paço Alfândega, no charmoso e boêmio bairro do Recife.

A animação ficará por conta da Super Oara, uma das melhores orquestras do País, do meu amigo Beto, hoje sob o comando do filho Elaque. Vários artistas vão homenagear o blog, cantando seus principais sucessos, como os forrozeiros Alcymar Monteiro, Josildo Sá, Irah Caldeira, João Lacerda, Daniel Bueno, Novinho da Paraíba, Cristina Amaral, Fabiana, a Pimentinha do Nordeste, e Walquiria Mendes.

Para deixar o dance mais eletrizante ainda, três ícones do frevo: André Rio, Almir Rouche e J. Michiles. O bufê também já está reservado e confirmado: Fiordes, de Mariana Lucena, um dos mais concorridos, que está preparando belas surpresas para os convidados.

A festa é de adesão. Se você ainda não adquiriu o seu ingresso, entre em contato agora pelo telefone e WhatsApp: (81) 9.8222-4888.