FMO - Processo Seletivo 2024

Alckmin na contramão da velha política

Por Magno Martins – exclusivo para a Folha de Pernambuco

O vice-presidente da República, Geraldo Alckmin (PSB), estabeleceu uma diretriz de corte de gastos em sua gestão, indo na contramão até mesmo do presidente Lula (PT), que elevou despesas em seu gabinete e estrutura. Em 2023, Alckmin reduziu 75,34% das despesas administrativas em relação ao ano passado, e 64,12% na comparação com a média dos quatro anos da gestão anterior (2019-2022), segundo um levantamento feito pelo jornal Folha de São Paulo.

As despesas administrativas incluem gastos com energia elétrica e fornecimento de água e esgoto ao Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente, que sofreram redução, em 2023, de 20,83% e 15,90%, respectivamente, em comparação a 2022, segundo dados do gabinete de Alckmin.

O vice-presidente também conseguiu diminuir as despesas com diárias de servidores, reduzidas em 84,58%, e passagens aéreas, reduzidas em 75,22% em relação a 2022. O corte de despesas aconteceu também por enxugamento em 37,2% do quadro de pessoal.

Em contrapartida, no fim do ano passado, as viagens de Lula e Janja drenaram R$ 96,2 milhões do orçamento do Ministério das Relações Exteriores (MRE). Em junho de 2023, sobrou até para a embaixada brasileira em Paris (França) bancar R$ 728 mil por 17 quartos no luxuoso Hotel Intercontinental Paris Le Grand, isso para fingir redução de gastos em cartões de crédito corporativos.

O petista usou o primeiro ano do seu terceiro mandato para viajar e “recuperar a imagem do Brasil no exterior”. Ele percorreu 24 países em 62 dias, mas o saldo de suas andanças é considerado nulo por muitos. As viagens só resultaram em uma elevação de 76% dos gastos com viagens para os cofres do País.

Governo marcha à ré

Ao suspender os efeitos da portaria do Detran, um arrumadinho da direção da instituição para beneficiar uma só empresa com uma arrecadação em torno de R$ 180 milhões por ano, a governadora Raquel Lyra (PSDB) mostrou que é uma ótima gestora, que dirige o Estado na marcha à ré.

Recuar em decisões equivocadas tem sido uma rotina à frente do Governo do Estado. Logo no início do seu Governo, deu um canetaço e exonerou centenas de servidores públicos. Quando a ficha caiu, depois dos efeitos na saúde e na interrupção no processo das matrículas na rede estadual de ensino, passou uma borracha na maluquice que fez.

Já em fevereiro de 2023, deu ordens para que os jogos da Copa Nordeste fossem com torcida única. Não aguentou a pressão dos cartolas e das torcidas e, mais uma vez, recuou. Fez uma dispensa de licitação, estranhíssima, para uma feira de livros, no valor de R$ 52 milhões. Diante do bombardeio da mídia, usou a borracha, outra vez.

Mais bobagens estavam por vir, como a nomeação de um dirigente da Junta Comercial (Jucepe), cancelada em seguida, ao arrepio de uma lei federal, que obrigava o escolhido ser eleito pelos vogais do plenário da instituição. Na perseguição aos prefeitos do PSB, cancelou convênios com várias prefeituras e obrigou a devolução dos recursos, mas recuou.

O programa Juntos pela Segurança, tão ineficaz quanto inapropriado, pois a violência já cresceu 38% na primeira semana do novo ano, foi prometido para maio, depois junho. Em julho, fez um ato circense para falar de diretrizes na segurança pública, mas as medidas, na verdade, retardaram e só foram anunciadas no final de setembro.

Todo sofrimento da população nasce de um governo incompetente e da incompetência de um gestor. O poder nasceu para tentar curar os males dos mais frágeis, mas nas mãos dos incompetentes só produz desgraça. A incompetência, acredite, já destruiu mais políticos que a desonestidade.

Quer ganhar tempo – No caso da marcha à ré no Detran, um alerta: ao suspender e não anular, a governadora está apenas ganhando tempo, porque se a medida fosse legal, não deveria ser “suspensa” e, em sendo, deveria ser revogada definitivamente. Ela optou pelo caminho do meio. Diminui as críticas e não resolve a questão no mérito. A criação do monopólio pelo Detran em favor de uma associação de cartórios é uma aberração legal. Nisso, até o próprio governo estadual concorda, na medida em que tirou os efeitos legais da medida.

Barreiras estranhas – Mas o remédio aplicado para o Detran não foi definitivo. Na portaria em que manda sustar, o presidente do órgão não “revoga” a decisão. O que manda é “suspender”. Suspensão pode ser temporária. Revogação é algo definitivo. A questão que fica para a governadora Raquel Lyra é: se a medida é ilegal, por que apenas suspender e não acabar de vez com ela? Como vê, o tema – de resolução simples pelo absurdo – continua esbarrando em barreiras estranhas.

PL lá e lô – A nova crise entre o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e o presidente do Partido Liberal, Valdemar Costa Neto, criou um cenário de incerteza em uma ala da sigla sobre qual será o desempenho do PL nas eleições de 2024. A meta é eleger 1.500 prefeitos neste ano. Em 2023, o partido tinha 371 prefeituras. Segundo o site Poder360, a divisão entre o “PL raiz”, com integrantes antigos do partido e mais alinhados ao centro, e o “PL bolsonarista”, com membros mais novos e próximos a Bolsonaro, aumenta o impasse sobre alianças municipais. A avaliação é de que Valdemar Costa Neto busca agradar os dois grupos.

Salário de R$ 20 mil no BC – O Banco Central do Brasil publicou, ontem, um edital de concurso público com 100 vagas imediatas para os cargos de analista na área de Economia e Finanças e na área de Tecnologia da Informação (50 vagas para cada área). O salário para as posições é de R$ 20.924,80 e a carga horária é de 40 horas semanais. O edital foi publicado no Diário Oficial da União e pode ser acessado no site do BC.

Caiado condena “saidinha” – O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (UB), tem posição contrária à liberação de detentos em datas específicas, como o indulto do Natal, para visitar parentes. Para ele, a “saidinha” é uma “aberração”. “É de uma irresponsabilidade ímpar permitir que criminosos, condenados por crimes graves, tenham direito ao benefício de sair do presídio por alguns dias, quando tiverem bom comportamento”, afirma, para acrescentar: “Ter bom comportamento é obrigação do detento. Deveria acontecer o contrário, isto é, punir aqueles que não obedecem às regras com, por exemplo, aumento da pena”.

CURTAS

NINGUÉM VIU, NINGUÉM VÊ – Em Ibitiranga, as máquinas da empresa que ganhou a licitação da estrada até Carnaíba, sede do município, sumiram das supostas obras depois que a governadora passou na região. Mais uma fake da gestão tucana.

SEM DEFINIÇÃO – Na passagem por Sertânia, o presidente estadual do PSB, Sileno Guedes, teve uma longa conversa com o prefeito Ângelo Ferreira, que ainda não definiu o candidato do grupo à sua sucessão. Fontes do blog do município garantem que o candidato está entre o secretário Paulo Henrique e o ex-deputado Gonzaga Patriota.

PATRIOTA, O MAIS FORTE – Há pesquisas que mostram, entretanto, que Patriota é o candidato mais competitivo entre os nomes da base do prefeito Ângelo Ferreira. Embora já tenha disputado a Prefeitura de Petrolina, Patriota é natural de Sertânia e sempre foi muito votado no município.

Perguntar não ofende: João Campos dá o start da discussão do seu vice após o Carnaval?

Jaboatão dos Guararapes - Dengue 2024

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), foi pego de surpresa, hoje, com a informação de que teria uma reunião com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), para tratar da Medida Provisória da reoneração da folha de pagamento, pois não tinha sido procurado por representantes da equipe econômica. Por meio de interlocutores, Lira enviou recados. As informações são da Coluna do Estadão.

O primeiro é que o presidente da Câmara quer conversar com Haddad, desde que o ministro apresente proposta concreta à Medida Provisória. O segundo recado é que ele vai medir a temperatura do colégio de líderes antes de se comprometer com alguma proposta e avançar no diálogo entre a Casa e a Fazenda.

Por enquanto, o gesto político do ministro Haddad de procurar o presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco, para evitar que o governo Lula sofra o vexame de ter a MP devolvida, não desanuviou o clima de tensão entre a Fazenda e o Legislativo.

O fim da desoneração da folha de pagamento, de maneira integral ou parcial, interessa à Fazenda para tentar entregar a meta de um déficit fiscal zero em 2024. O Congresso aprovou uma lei para prorrogar o benefício para 17 setores da economia, depois vetada pelo presidente, fato antecipado pela Coluna do Estadão. O veto, então, foi derrubado pelo Parlamento, e a lei voltou a valer. No apagar das luzes de 2023, Lula editou uma Medida Provisória para reonerar a folha, em um ato que irritou o Congresso.

Como revelou a Coluna, para evitar a devolução da MP, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), reuniu-se com Haddad em busca de um meio-termo. O governo deve editar uma nova MP com a reoneração gradual da folha de pagamento, e não mais imediata; e apresentar um projeto para manter a revogação do Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (Perse) e o limite da compensação de créditos para pagamento de impostos.

Nos bastidores da Fazenda, auxiliares de Haddad estudam que a extinção total do benefício pode até ficar para 2029, mas é preciso haver uma reoneração parcial desde já. O senado, porém, quer manter a desoneração até 2027.

Petrolina - Bora cuidar mais

O candidato que quiser concorrer a um cargo eletivo para o pleito deste ano deve ficar atento ao calendário eleitoral. De acordo com a Lei das Eleições, o político deve estar inscrito em um partido seis meses antes da votação. Neste caso, até o dia 6 de abril, pois o primeiro turno das eleições ocorrerá em 6 de outubro.

Para se filiar a uma legenda política, o candidato passa primeiramente por uma avaliação interna. Em seguida, a sigla deve inserir os dados do filiado no sistema eletrônico da Justiça Eleitoral, que automaticamente enviará aos juízes eleitorais, para arquivamento, publicação e cumprimento de prazos para efeito de candidatura. De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), um pouco mais de 15,8 milhões de pessoas, está filiado a um dos 30 partidos políticos existentes no País atualmente.

Vale lembrar que a Lei dos Partidos Políticos estabelece que, só pode se filiar a uma sigla, quem estiver em pleno gozo dos direitos políticos. Além de outras condições de elegibilidade, como a nacionalidade brasileira, o pleno exercício dos direitos políticos, o alistamento eleitoral, a idade mínima de 21 anos para se candidatar a prefeito ou a vice-prefeito, e a idade mínima de 18 anos para vereador. No caso da disputa pela Prefeitura, essa informação é conferida no dia da posse. Já para o cargo de vereador, é preciso ter alcançado a maioridade até a data-limite para o registro da candidatura.

Ipojuca - App 153

A Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes, por meio do Programa Jaboatão Aprendiz, firmou uma parceria com as empresas Renapsi e Alforge para contratação de 60 jovens de 14 a 21 anos, residentes no município, que vão trabalhar no Complexo Administrativo, a partir do dia 31 de janeiro. O contrato de trabalho terá duração de dois anos e foi assinado hoje, no Complexo. Participaram da cerimônia o prefeito Mano Medeiros, gestores municipais, vereadores, jovens e seus familiares.

Um dos critérios para contratação dos jovens foi a participação deles no projeto Jovem Mais da Prefeitura, além da situação de vulnerabilidade social. Os novos contratados irão realizar tarefas administrativas nas secretarias municipais, de segunda a sexta-feira, com carga horária de quatro horas diárias. A remuneração mensal será de meio salário mínimo mais auxílio transporte. Antes de iniciarem as atividades, os jovens vão receber uma capacitação.

O prefeito Mano Medeiros enfatizou a importância dos órgãos públicos e empresas darem oportunidade para que os jovens conquistem o seu primeiro emprego. “Sabemos que não é fácil conquistar uma vaga de emprego ainda mais para um jovem sem experiência profissional. A contratação que firmamos hoje mostra que a gestão municipal tem a preocupação e o compromisso de promover ações que estimulem a inserção desse público ao mercado de trabalho. Sejam todos bem-vindos”, afirmou o gestor.

Citi Hoteis

A Comissão de Previdência, Assistência Social, Infância, Adolescência e Família da Câmara dos Deputados aprovou em dezembro projeto de lei que inclui os jovens com idade entre 18 e 21 anos incompletos entre os beneficiários do Benefício Variável Familiar, previsto na Lei do Programa Bolsa Família.

Para receber o benefício, jovens que não tenham concluído a educação básica terão de comprovar frequência escolar de 75%. Atualmente, o Benefício Variável Familiar, no valor de R$ 50, é destinado às famílias beneficiárias do Bolsa Família que possuem em sua composição gestantes, nutrizes, crianças com idade entre 7 e 12 anos incompletos ou adolescentes com idade entre 12 e 18 anos incompletos.

Cabo de Santo Agostinho - Refis 2023

A exatos 264 dias das eleições municipais, as movimentações para construção de chapas competitivas estão a todo vapor em Brejo da Madre de Deus, no Agreste. O ex-prefeito Dr. Edson (PCdoB) vem testando sua popularidade em várias frentes.

Um dos termômetros foi a visita que fez à feira do município, ao lado de Gil Brasileiro (sem partido), Frailan Mota (PV) e o vereador Mané Bento (PCdoB). “Até as eleições, ainda temos uma caminhada longa. Mas é preciso que estejamos todos juntos e unidos para resgatar o papel de protagonismo que Brejo já teve em tempos passado”, afirmou o ex-prefeito.

Segundo Edson, o momento é de muita articulação e união. “Queremos construir uma proposta política que atenda aos anseios da população. Há muito o que ser feito e o nosso grupo não pretende ficar de braços cruzados”, complementou.

Em paralelo, o também ex-prefeito Hilário Paulo começou a visitar seus correligionários no distrito de São Domingos, reforçando sua liderança local. A decisão do candidato vai sair de uma conversa entre o próprio Hilário e Dr. Edson. No discurso, os dois já estão bem afinados. “Nossa preocupação de momento é chegar a um nome que empolgue não apenas o nosso grupo político, mas principalmente os eleitores”, reforçou Hilário.

Caruaru - Geracao de emprego

O jurista e professor Manoel Carlos de Almeida Neto deve ser o novo secretário-executivo do Ministério da Justiça. O futuro titular da pasta, o ministro aposentado do STF Ricardo Lewandowski, já comunicou o presidente Lula sobre a sua escolha.

Com isso, Manoel Carlos deve suceder Ricardo Cappelli no cargo. Capelli é homem de confiança do ministro Flávio Dino e foi interventor na Secretária de Segurança Pública do Distrito Federal logo depois dos atos golpistas de 8 de janeiro. As informações são do Blog do Camarotti.

Muito próximo a Lewandowski, Manoel Carlos já sinalizou para interlocutores que não teria como recusar uma nova missão ao lado do seu antigo chefe. Há oito anos, Manoel Carlos está na iniciativa privada e ocupa o cargo de diretor jurídico da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN).

Manoel Carlos chegou a ser cotado para a vaga do próprio Lewandowski no Supremo, mas o presidente Lula acabou indicando o ministro Cristiano Zanin. Manoel Carlos de Almeida Neto foi Secretário-Geral da Presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) durante a gestão de Lewandowski no comando das duas cortes.

Também fez doutorado e pós-doutorado em Direito Constitucional pela Universidade de São Paulo (USP), como aluno do ex-presidente do STF. Os dois têm uma convivência de mais de duas décadas. “Ele é uma espécie de filho para mim”, disse Lewandowski para dois interlocutores pouco antes de deixar o Supremo no primeiro semestre do ano passado.

Lewandowski não deve fazer outras grandes mudanças no Ministério da Justiça. A ideia é fazer apenas alguns ajustes pontuais. Já avisou que será uma gestão de continuidade. Outro nome que também deve integrar a nova equipe de Lewandowski é o de Ana Maria Neves, chefe de gabinete enquanto o ministro esteve no Supremo.

Belo Jardim - Patrulha noturna

Inviabilizada eleitoralmente, a vice-prefeita de Ipojuca, Patrícia de Leno (Podemos), não foi aceita pelo grupo que comanda a Prefeitura. Comenta-se que, em todas as sondagens em pesquisas, apareceu com baixos índices de intenção e uma enorme rejeição, herdada principalmente pelo pai, o atual secretário de Agricultura, José Heleno Alves.

Vice-prefeita por sete anos consecutivos, Patrícia não tem o que reclamar. Seu grupo sempre teve todos os interesses e demandas atendidos pela prefeita Célia Sales (PP). Mesmo assim, saiu atirando e criticando a prefeita, que defendeu por todos esses anos. Mágoa é uma coisa que em política não se acumula, mas a vice virou uma pessoa rancorosa. Para o grupo que está no poder, ela é ingrata e passou a fazer política com o fígado.

Pior: decidiu ser candidata de si mesma, sem partido e sem grupo. Está filiada ao Podemos como opção, mas desdenha do ex-deputado Ricardo Teobaldo, quando diz que o Podemos é um partido sem expressão.

Tentou se abraçar com o PSB, através do deputado Felipe Carreras, mas este foi desautorizado peremptoriamente pelo presidente da legenda, Sileno Guedes. Nesse périplo, já bateu na porta de mais dois caciques da política pernambucana, mas as tentativas foram infrutíferas. Só restará a ela fazer o caminho de Lázaro, fechar boca, tapar o nariz e se abraçar com Ricardo Teobaldo, o ainda todo poderoso mandatário do Podemos.

Vitória Reconstrução da Praça

Na manhã de hoje, leitores em contato com o Blog informaram que o site do Detran estava fora do ar, impossibilitando o acesso ao pagamento do IPVA, renovação de CNH e demais serviços que devem ser agendados no site. A nossa reportagem checou a informação e entrou em contato com a assessoria do órgão que nos enviou a seguinte nota:

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PE) informa: devido a uma pane elétrica, o site do órgão está fora de operação, como também, o acesso aos sistemas interligados, desde a manhã de hoje (16). As equipes de manutenção já estão trabalhando para normalizar os serviços.

Por José Nivaldo Junior*

Trabalho com propaganda, marketing político e, mais recentemente, consultoria em comunicação política desde 1978. A partir de então, nunca deixei de participar de nenhum pleito. Sem falsa modéstia, poucos profissionais têm um currículo tão diversificado.

Campanhas nem todas vitoriosas, claro. Mas inclui vitoriosas de candidatos em todos os níveis. Majoritárias para presidente, governador de grandes e pequenos Estados, senador, prefeitos de cidades minúsculas à maior cidade da América Latina. Vereadores, deputados senadores pelas mais diversas unidades da Federação.

Aprendendo sempre com as peculiaridades de cada pleito em todos os níveis. Tentando manter sintonia com as transformações da técnica, da sociedade, dos valores, dos perfis. E, principalmente, repetindo um sábio político pernambucano, Pelópidas da Silveira, tentando me manter sempre moderno.

Posso dizer que não tenho bola de cristal e futurologia não faz parte das minhas atribuições. Entretanto, desenhar cenários, sim. É dos principais fundamentos da boa estratégia. Por isso, tem me chamado a atenção, como observador da cena, os movimentos no tabuleiro do pre-pré-candidato a prefeito do Recife Gilson Machado.

Ele nunca foi nem é meu cliente. Já falei inúmeras vezes que não escolho clientes, eles me escolhem. Não discrimino ninguém por ideologia. Trabalhei e trabalho para candidatos de todos os matizes ideológicos. Para não ir mais longe, fizemos campanhas majoritárias vitoriosas do PT em São Paulo Estado e Capital. E trabalhei, junto com Marcelo Teixeira, em quatro campanhas de Paulo Maluf, duas vitoriosas. Registre-se que mantemos, ainda, uma excelente relação pessoal com Maluf. Devo-lhe uma visita.

No caso de Gilson, conheci-o no ministério, acompanhei os passos na campanha para o senado e trocamos palavras vez por outra. Sim, O PODER, dentro de sua linha editorial de acolher pensamentos de diversas tendências, abre sempre espaço para a diversidade e o confronto respeitoso e saudável das ideias. Gilson tem espaço aqui sempre que procura, como qualquer outro político de qualquer partido. A regra é clara, não usa quem não quer.

Assumindo, sem mi mi mi o seu papel à direita do espectro políticos com leveza e objetividade. Ele nos transmitiu, algumas semanas atrás, um raciocínio que O PODER divulgou. Uma pergunta de Gilson: qual o motivo que um eleitor bolsonarista do Recife tem para ter se bandeado para outras plagas? Na capital, Gilson perdeu para a senadora vitoriosa Tereza Leitão por poucos pontos, de memória e arredondando, 41 X 39. Ou seja, ele acha que está no páreo para ir ao segundo turno. Eu também acho.

Óbvio que estar no páreo não significa estar lá. Significa ter probabilidades. Os adeptos do prefeito João Campos acham isso bom demais para ser verdade. Gilson é, na ótica dos estrategistas do PSB, o adversário ideal. A esquerda toda se uniria em torno de João, seria tirar confeito de criança.

Em cada pleito o eleitor manda o seu recado. Exclua quem vota sob interesse estrito, compra ou coação. Exclua manipulações. O eleitor não submetido a esses controles, expressa na urna o sentimento da hora. Eleição não tem regra fixa. É engano pensar que o pleito municipal, principalmente nos grandes centros, segue com rigor a pauta local. Às vezes isso acontece, mas nem sempre. As questões políticas gerais, os sentimentos que vão além das questões paroquiais muitas vezes prevalecem. É nisso que aposta Gilson. É nisso que aposta a direita, bolsonarista ou não.

A direita brasileira está se preparando para transformar 2024 no terceiro turno de 2022. Isso fica claro na programação de Jair e Michelle Bolsonaro. Vai ficando claro nas articulações. Bem, vai depender do povo. E eu não acredito que o sentimento do povo possa ser manipulado, salvo quando as propostas correspondem aos sentimentos do próprio povo. Da direção dos ventos e dos desenhos das nuvens. Se for imposição, não vai funcionar. Se for interpretação correta, quem sabe?

Para mim não haverá nenhum espanto se o hoje invencível, imbatível e reeleito prefeito João Campos sequer esteja no segundo turno. Como pode ganhar no primeiro, se deixarem. Ninguém ganha ou perde com um ano de antecedência.

Está tudo aberto.

*Publicitário e escritor

Em visita a sede da Infraero, hoje, o ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, participou de uma reunião com o presidente, Rogério Barzellay. Na ocasião, foram discutidos o planejamento da Companhia para 2024 e as diretrizes do Ministério para o setor.

De acordo com o planejamento do Ministério, cerca de 120 aeroportos prioritários devem ser desenvolvidos nos próximos três anos e a Infraero é parte dessa estratégia. No Ministério, um plano nacional de aviação, que visa requalificar e construir novas unidades, já está em fase de finalização e será anunciado em breve pelo ministro.

“É a primeira visita que fazemos à Infraero para alinhar nossos esforços e superarmos os desafios. A Infraero é um ativo importante para o País e precisamos trabalhar cada vez mais juntos a fim de cumprirmos a agenda da aviação civil brasileira. A orientação do presidente Lula é trabalharmos em ações e iniciativas que visem o fortalecimento da estatal e do setor aeroportuário”, pontuou o ministro.

O presidente Barzellay destacou a importância de a Infraero somar com o Ministério. “Conte conosco, ministro, porque temos recursos humanos e expertise para aplicarmos no desenvolvimento da aviação regional”, afirmou o presidente.

O prefeito de Manari, Júnior de Audálio, anunciou a programação da Tradicional Festa de Janeiro 2024. A festa tem início hoje e segue até o dia 19, com uma programação para todos os gostos, seguindo uma tradição de 20 anos, que foi iniciada pelo ex-prefeito e atual secretário de Governo, Otaviano Martins, e mantida pelo ex-prefeito Van de Otaviano.

“Estaremos realizando mais uma grande festa em nossa cidade, e contaremos com várias atrações, no evento que promete mais uma vez lotar nossa cidade e movimentar nossa economia”, afirmou o atual gestor. Entres as atrações, estão os cantores Murilo Huff, Mano Walter, Priscila Senna, Henry Freitas, Toca do Vale e a banda Mastruz com Leite.

O presidente estadual do PSB de Pernambuco, deputado Sileno Guedes, e o deputado federal Pedro Campos (PSB) estiveram em Arcoverde, no Sertão do Estado, ontem, em um ato de apoio à pré-candidatura da ex-prefeita Madalena Britto (PSB) à Prefeitura do município. Na ocasião, foi reforçada a disposição do partido em trabalhar para que a socialista saia vitoriosa das urnas nas eleições de outubro, o que, se concretizado, marcará a volta dela ao Executivo municipal após quatro anos.

“Arcoverde é uma cidade que o PSB considera como prioridade em seu mapa eleitoral para 2024. A gente precisa que o PSB continue espalhado no Estado, sobretudo em cidades importantíssimas como Arcoverde. Tivemos uma feliz experiência quando Madalena foi prefeita de Arcoverde, e a gente tem a convicção de que ela vai voltar a governar essa cidade com a bandeira do PSB. A gente veio aqui para reafirmar esse nosso desejo e para lhe convocar para essa tarefa, Madalena”, afirmou Sileno. A pré-candidata agradeceu o apoio e mostrou disposição em recolocar Arcoverde no caminho do desenvolvimento.

A implementação do Restaurante Cidadão de Olinda, iniciativa inspirada no Programa Bom Prato, do Governo de São Paulo, é uma das metas de gestão do advogado Antônio Campos, pré-candidato à Prefeitura de Olinda. O restaurante trará para as pessoas em situação de vulnerabilidade social refeições dignas, com custo simbólico de um real.

Hoje, Antônio Campos esteve em São Paulo, em agenda de trabalho, quando visitou e comeu em uma das unidades do restaurante popular localizado na capital paulista. “Traremos iniciativa vencedora do Governo de São Paulo para Olinda, o Programa Bom Prato. Estou em São Paulo e fiz questão de visitar e comer em uma unidade. Programas como esse fazem a diferença, Olinda merece viver melhor”, enfatiza Antônio Campos.

Para implementação do Restaurante Cidadão de Olinda, serão utilizados recursos federais, estaduais e o municipal. O equipamento oferecerá as três refeições principais: café da manhã, almoço e jantar.

O presidente Lula praticamente desistiu de fazer uma nova reforma ministerial neste início de ano, como chegou a cogitar no fim de 2023.

Ele avalia que tem agendas mais urgentes neste começo de 2024, e uma reforma poderia paralisar algumas áreas do governo por semanas, o que o presidente considera improdutivo neste momento. Além disso, abriria uma guerra na base aliada por mais espaços. As informações são do blog do Valdo Cruz.

Por isso, a tendência é que a mudança na equipe fique mesmo restrita ao Ministério da Justiça, com a entrada de Ricardo Lewandowski, ou alguma mudança devido a saída de ministros para disputar a eleição municipal.

Por enquanto, apenas a ministra da Ciência e Tecnologia, Luciana Santos, cogita se candidatar.

Alguns assessores dizem, inclusive, que Lula nunca chegou a garantir que faria uma reforma ministerial, mas que apenas cogitava fazer trocas em pastas em que, na avaliação dele, os ministros não estariam entregando o que se esperava.

Na lista de especulações sobre trocas, estavam os ministérios do Desenvolvimento Social, Agricultura, Saúde, e Casa Civil.

Um assessor direto de Lula diz, porém, que o presidente pode fazer trocas pontuais, ao longo do ano, caso avalie que determinado ministério não esteja “dando conta do recado”, mesmo neste segundo ano de mandato.

A intenção de Lula era fazer uma reforma para equilibrar as forças dentro da base aliada. Alguns partidos têm três ministérios, como União Brasil, mas não entregam a maioria dos votos nas principais votações para o governo. No entanto, o presidente teme a disputa na base.

Num bate papo com o advogado Paulo Abou Hana, filho do saudoso jornalista Samir Abou Hana, o ex-ministro Gilson Machado confirma sua candidatura a prefeito do Recife e afirma que João Campos não é imbatível. Confira!