FMO - Processo Seletivo 2024

Bolsonaro articula estratégia de alto risco para contornar inelegibilidade

Da revista Veja

Nas eleições de 2018, Luiz Inácio Lula da Silva, inelegível com base na Lei da Ficha Limpa e preso em Curitiba, lançou a sua candidatura à Presidência. Mesmo com poucas chances de sucesso, o petista esticou a corda, mantendo o seu nome no páreo até o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tirá-­lo da corrida a menos de quarenta dias do primeiro turno. A estratégia quase deu certo. Lula transferiu boa parte dos votos ao vice, Fernando Had­dad, que foi para o segundo turno. Oito anos depois, a história poderá se repetir, mas agora com o vencedor daquele pleito, Jair Bolsonaro. Também inelegível, ele dá mostras de que vai levar a discussão sobre a sua candidatura até 2026 — o que poderá impactar não só o processo eleitoral, mas todo o ambiente político do país.

A principal frente para recuperar o direito eletivo até agora é a da Justiça. Condenado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) à inelegibilidade por oito anos em dois processos, ele já recorre ao Supremo Tribunal Federal de uma das decisões: o caso em que foi punido por usar a estrutura do Palácio do Planalto para uma reunião com embaixadores, em 2022, na qual atacou as urnas eletrônicas. A sua equipe jurídica é chefiada por um ex-ministro do TSE, Tarcisio Vieira de Carvalho Neto, e contratada pelo seu partido, o PL, que tem amplo interesse em travar a disputa pela candidatura nos tribunais.

A sorte, ao menos nesse início da estratégia, não parece estar ao lado de Bolsonaro. O ministro escolhido para relatar o caso é Cristiano Zanin, por ironia, ex-advogado de Lula e da campanha do PT ao Planalto em 2022 — o que deixa no ar a hipótese de ele se declarar suspeito. Se isso não ocorrer, tudo indica que as chances de Bolsonaro são pequenas. O ministro é “linha-dura” nesse tipo de processo: todos os recursos eleitorais que passaram pela sua relatoria em 2023 tiveram decisões negativas. O voto dele, de qualquer forma, precisaria ser submetido à Primeira Turma do STF e, se houver recurso, ao plenário. Mesmo assim, a chance de Bolsonaro pouco muda: a taxa de provimento de recursos no Supremo no ano passado foi de apenas 4,6%. “A chance dele é reduzidíssima”, diz Walber Agra, advogado do PDT, responsável pela ação que levou à inelegibilidade do ex-capitão.

A defesa não tem nenhuma pressa em acelerar os julgamentos do ex-presidente no STF por um bom motivo. Enquanto não existir trânsito em julgado (o fim de todas as hipóteses de recurso), há a possibilidade de Bolsonaro tocar uma candidatura sub judice, igual à de Lula em 2018. Ele poderá pedir o registro no TSE, o que dará origem a um processo judicial — o deferimento ou não só ocorrerá perto do primeiro turno (no caso de Lula, foi no dia 31 de agosto). Enquanto o tribunal não tomar uma decisão, Bolsonaro vai usufruir de todas as prerrogativas dos candidatos: terá tempo de TV, poderá ir aos debates e fazer campanha na rua. Um ponto a favor do ex-presidente é que a Corte eleitoral em 2026 estará sob a presidência de Kassio Nunes Marques, que foi indicado a ministro do STF por Bolsonaro e que votou contra a sua inelegibilidade nos dois processos. Na chefia do TSE, ele terá poderes para conceder liminares que podem ajudar o ex-presidente, como permitir que ele dispute a eleição enquanto tiver recurso em tramitação.

Mesmo que fadada ao fracasso, uma candidatura sub judice poderá trazer vários ganhos políticos. O “plano A” é capitalizar a popularidade de Bolsonaro como candidato e, se houver um revés judicial, transferir os votos ao vice. Nesse caso, será preciso saber qual é o potencial de transferência de eleitores do ex-presidente — o que também vai depender, claro, de quem será o vice e da ligação que ele tem com Bolsonaro. O feito de Haddad, que herdou rapidamente o eleitorado de Lula, foi fora da curva — a média de transposição de votos é em torno de 30%. O potencial eleitoral do ex-presidente ainda é alto. Pesquisa feita pelo Datafolha em dezembro apontou que 91% dos que votaram em Bolsonaro em 2022 não se arrependem da sua escolha e que 82% têm agora confiança nele igual ou maior do que tinham na eleição passada.

Mesmo que não consiga repetir 2018, a estratégia pode trazer ganhos ao bolsonarismo e ao PL. A perspectiva de voltar ao poder, mesmo que ilusória, ajuda a manter o capital político de Bolsonaro, a sua capacidade de atrair aliados e o seu peso para eleger correligionários. Com ele nas ruas fazendo campanha, deve manter-se o ambiente de polarização com o PT, ocorrido nas duas últimas eleições, o que ajuda o bolsonarismo. “A candidatura dá munição aos apoiadores mais radicais”, afirma o cientista político Eduardo Grin, professor da FGV.

Há, no entanto, também muitos efeitos colaterais. Um deles será dar combustível à animosidade dos apoiadores de Bolsonaro contra o Judiciário, em especial a Justiça Eleitoral, um dos principais alvos nos últimos anos. Como ocorreu com Lula, a militância deve pressionar o TSE antes do julgamento. Um Bolsonaro impedido às vésperas da votação de concorrer por causa da Corte eleitoral ou do Supremo poderia ser a faísca perfeita para uma nova onda incendiária contra o sistema eleitoral. “Existe uma aposta de investir no ataque ao Judiciário”, avalia Carlos Nascimento Santos, docente da Universidade Federal Fluminense e doutor em teoria do Estado.

Outro efeito colateral, igualmente preocupante, é o sufocamento de candidaturas do centro à direita, que poderiam ser uma alternativa até melhor para enfrentar Lula. Bolsonaro sempre foi resistente em passar o bastão e, desde que ficou inelegível, em junho de 2023, não avaliza o nome de ninguém enquanto ele próprio puder ser o rosto e a voz do conservadorismo no Brasil. 

Se for candidato em 2026, ele vai reduzir sensivelmente o espaço para candidaturas como as dos governadores Tarcísio de Freitas (SP), Romeu Zema (MG), Ratinho Junior (PR) e Ronaldo Caiado (GO) ou da senadora Tereza Cristina (MS), todos já especulados como presidenciáveis. 

O risco para essa turma é naufragar eleitoralmente se tentarem se descolar do ex-­presi­dente caso ele seja candidato. Em 2018, a pretensão de Ciro Gomes minguou depois da intervenção de Lula, que da cadeia atraiu partidos que o pedetista esperava ter ao seu lado. “Além disso, enquanto for o candidato, Bolsonaro terá o voto anti-Lula”, diz Murilo Hidalgo, diretor do instituto Paraná Pesquisas.

Nas últimas semanas, Bolsonaro tem dado mostras de que ainda sonha com a volta à Presidência. Desde que deixou o Planalto, viaja pelo país em agendas com pré-candidatos e encontros com apoiadores em locais públicos. Nas redes, gasta parte do tempo com posts sobre feitos da sua gestão e comparações com o governo Lula — além, claro, de vídeos e fotos com eleitores em cidades como São Miguel dos Milagres (AL) ou Angra dos Reis (RJ). Entre os aliados mais próximos, todos o tratam como candidato. “Não passa na cabeça de nenhum de nós uma segunda opção. Não tem outro nome”, afirma o ex-ministro do Turismo Gilson Machado Neto. “O horizonte mais próximo é 2026. A força do presidente Bolsonaro no Brasil é indiscutível”, diz Altineu Côrtes (PL-­RJ), líder do partido na Câmara.

Quem mais está interessado em esticar a corda é o PL, que aposta no prestígio de Bolsonaro para alavancar seus candidatos no Senado e na Câmara e repetir o sucesso de 2022, quando elegeu a maior bancada de deputados (99) e levou oito das 27 cadeiras em disputa no Senado. Além disso, nenhum dos outros presidenciáveis do centro à direita especulados até agora é do PL. O presidente do partido, Valdemar Costa Neto, é otimista com relação à reversão da inelegibilidade. “Quem diria que Lula, preso todo aquele tempo, ia ser candidato? As coisas no Brasil podem mudar. Temos quase certeza de que Bolsonaro vai ser candidato”, exagera. 

Para o cacique, mesmo que o ex-presidente seja preso, em razão das investigações das quais é alvo (incitação ao 8 de Janeiro, venda de joias da Presidência e ataques às urnas, entre outras), o plano de tê-lo na disputa continuará mantido, já que ele acredita que o ex-presidente poderia se tornar um mártir, vitimado por um suposto autoritarismo do Judiciário. Ele diz que a melhora da popularidade já ocorreu quando o ex-presidente foi julgado inelegível. “Imagine se ele for preso então. Vão levar Bolsonaro para o céu”, acredita. “Pessoalmente, seria uma tragédia para Bolsonaro. Eleitoralmente, seria muito positivo”, diz Murilo Hidalgo.

Embora Bolsonaro não possa ser impedido de buscar seus direitos, uma estratégia baseada no princípio de esticar a corda com o Judiciário pode gerar instabilidade política, um processo eleitoral envolto na incerteza e um clima de animosidade institucional indesejado, ainda mais depois do 8 de Janeiro. Além disso, a insistência de Bolsonaro dará sobrevida a uma estratégia batida de polarizar a disputa eleitoral, reduzindo a qualidade do debate público e minando novos nomes do seu próprio espectro político. O país precisa de mais serenidade e racionalidade para discutir o seu futuro.

Todos os funcionários penitenciários detidos por presidiários no Equador, em meio a um forte aumento da violência, foram libertados na noite de sábado (13), disse a agência penitenciária SNAI.

Os reféns, que o SNAI disse anteriormente serem 158 guardas e 20 funcionários administrativos, foram mantidos desde segunda-feira (8) em pelo menos sete prisões, à medida que a crise de segurança aumenta no país sul-americano. As informações são da CNN.

O Presidente Daniel Noboa, na plataforma de mídia social X (antigo Twitter), parabenizou o SNAI, a polícia e as forças armadas pela libertação bem-sucedida dos funcionários penitenciários. Haverá uma investigação para determinar os responsáveis ​​pela tomada de reféns, disse o SNAI em seu comunicado.

O SNAI relatou incidentes em várias prisões no sábado (13), incluindo um confronto armado com presidiários na prisão na província de El Oro que resultou na morte de um guarda.

O Equador enfrenta uma crise de segurança que se agravou esta semana com o ataque a uma estação de televisão, explosões inexplicáveis ​​em várias cidades e o sequestro de agentes da polícia. Os grupos armados parecem estar reagindo aos planos de Noboa para enfrentar a terrível situação de segurança, segundo o governo.

A polícia e as forças armadas continuaram realizando operações em todo o país. Mais de 1.000 pessoas foram presas desde que o estado de emergência começou na segunda-feira (8), disse o governo.

Jaboatão dos Guararapes - Dengue 2024

Uma entusiasmada e numerosa plateia lotou o Teatro Luiz Mendonça, na noite de ontem (13), para acompanhar as eliminatórias do Concurso de Rei e Rainha do Carnaval, que inauguraram o calendário de mais de 40 prévias carnavalescas promovidas pelo poder público municipal para abrir alas para a folia na cidade da música e das festas de rua.

Em coloridas e brilhosas fantasias, os candidatos se apresentaram ao som da Orquestra Popular do Recife, comandada pelo maestro Ademir Araújo. Entre saltos e sorrisos, todos tiveram que confirmar desenvoltura no passo e também no papo para conquistar jurados e público. Entre os critérios de seleção, foram avaliados: desenvoltura, apresentação e conhecimentos gerais.

Dos 43 candidatos que se apresentaram, 21 postulantes a Rainha e 22 a Rei, 30 foram classificados para a final, que acontece no próximo dia 27, no Pátio de São Pedro, para definir o trono momesco de 2024. As realezas eleitas cumprirão uma extensa agenda de compromissos durante toda a festa. Cada monarca de Momo receberá uma premiação de R$ 30 mil. 

Prévias 

Neste domingo (14), a festa continua. A partir das 13h30, será realizada a buscada do novo estandarte do Paço do Frevo, na casa do tradicional artista plástico Fernando Moraes, em Olinda, com Orquestra Paranampuká. A condução da nova peça será feita pelo Mestre Fernando Zacarias, intitulado Patrimônio Vivo do Recife na semana passada e que faz a função no Galo da Madrugada há mais de quatro décadas.

Às 15h30, tem Arrastão do Frevo especial 10 anos, no Bairro do Recife, com a presença de nove agremiações: Bloco da Saudade, Troça Carnavalesca Mista Tá Maluco, Clube de Boneco Linguarudo de Ouro Preto, Clube Carnavalesco Misto Lenhadores do Paudalho, Pife Floyde, Clube de Boneco Seu Malaquias, Troça Carnavalesca Mista Formiga Sabe que Roça Come, Trupe Carnavalesca Mascarada Mexe com Tudo e Clube das Pás.

Ao longo da semana, a cultura popular tem vários outros encontros marcados com o Recife, como os ensaios do Tumaraca. O primeiro dos 15 ensaios das nações de maracatu que participarão da liturgia percussiva, na noite de abertura do Carnaval 2024, será na sede do Encanto da Alegria, amanhã (segunda, 15). O evento, aberto ao público, está previsto para começar às 19h. O Encanto da Alegria fica na rua Coremas, 40, na Mangabeira. 

Confira a relação de finalistas do Concurso de Rei e Rainha:

Blandon Aravanis da Silva

Breno Diogo Barbosa

Cleyton Freitas de Lima

Davi Araújo Leite

Henrique Gabriel Gomes

Iran Jorge de Andrade

Jean Carlo da Silva

Luam Claudio Silva

Paulo Vitor dos Santos

Renato Arthur Luiz

Risonaldo Gomes da Silva

Tiago Vasconcelos dos Santos

Thalison Gomes Martins

Tharcizio Gomes Ferreira

Wanderley Aires dos Santos

Adrielly Carla da Silva

Amanda Lira de Araújo

Bruna Renata Barbosa

Emmanuelly Santana da Silva

Kamille Mariah Alves

Liliane Silva Freitas

Maria Clara Costa

Mariana Angélica da Silva

Miqueline Batista do Nascimento

Ranessa Rodrigues Laranjeiras

Ruana Pedrosa Andrade

Taina Karolayne Oliveira

Thayane Gomes Alheiros

Vanessa Soares Suruagy

Victoria Maria de Moraes

Petrolina - Bora cuidar mais

As chuvas estão provocando sérios transtornos na cidade e no estado do Rio de Janeiro desde a madrugada deste domingo (14). O Corpo de Bombeiros confirmou nesta manhã quatro mortes até o momento na Zona Norte da capital e na Baixada Fluminense. Há uma pessoa desaparecida ainda em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. A Avenida Brasil está interditada, e o subsolo do Hospital Ronaldo Gazolla, em Acari, está alagado. Já o metrô funciona parcialmente na Linha 2, por conta do transbordamento do Rio Acari.

Em Ricardo de Albuquerque, na Zona Norte do Rio, foram usados cães farejadores nas buscas pelo homem encontrado morto, soterrado num deslizamento de terra na Rua Moraes Pinheiro. Próximo dali, em Acari, segundo os bombeiros, uma senhora foi achada morta dentro de casa na Rua Matura, provavelmente vítima de afogamento. Na Baixada, uma mulher foi encontrada sem vida na Rua General Rondon, em Nova Iguaçu, vítima de afogamento. Em São João de Meriti, um homem foi a óbito na Rua Neuza ao ser atingido por uma descarga elétrica. As informações são do O GLOBO.

Já em Rocha Miranda, na Zona Norte, o pátio do 9º BPM ficou inundado. O Centro de Operações da prefeitura informa que o município entrou no estágio 4 (quarto nível numa escala de 5) às 02h45, devido aos elevados pluviométricos acumulados em 24 horas. Além disso, diversas ocorrências estão em andamento e provocam impactos na rotina da cidade, principalmente na Zona Norte.

Em suas redes sociais no início da manhã, o prefeito Eduardo Paes pede que as pessoas evitem passar pela Avenida Brasil e que a prefeitura tentava restabelecer a energia no Hospital Ronaldo Gazolla. Segundo o monitoramento do município, algumas regiões da cidade registraram acumulados de chuva acima dos 200mm nas últimas 24 horas. 

Em Niterói, a prefeitura informa que foi atingido o recorde histórico de chuvas em uma hora: 120,2 milímetros.

O governador Cláudio Castro disse, através do X, que conversou com prefeitos das áreas mais atingidas, como na Baixada Fluminense e São Gonçalo. Ele determinou reforço nas emergências de hospitais, assim como informou sobre envio de maquinário para limpar ruas.

Metrô tem estações fechadas

A concessionária MetrôRio informou que, devido ao temporal que atingiu a cidade, o entorno das estações da Linha 2 foi afetado. O alto volume de água, principalmente no bairro de Acari, impossibilitou a abertura completa do sistema, fazendo com que a Linha 2 opere provisoriamente entre as estações Colégio e General Osório/Ipanema. As estações Pavuna, Engenheiro Rubens Paiva, Acari Fazenda Botafogo e Coelho Neto estão temporariamente fechadas.

“As equipes de manutenção estão mobilizadas para atuar, após o escoamento da água, e restabelecer o mais breve possível o sistema metroviário”, informa a concessionária.

Linhas de ônibus interrompidas

O temporal também atrapalha a circulação de ônibus na capital. Segundo o RioÔnibus, sindicato das empresas do setor, cerca de onze linhas estão entre as mais prejudicadas devido ao transbordamento do Rio Acari.

O RioÔnibus informa que os consórcios, em conjunto com a Secretaria Municipal de Transportes, estão trabalhando para buscar soluções que viabilizem a operação das linhas, até que tudo retorne à normalidade.

Pelo Twitter, o prefeito Eduardo Paes informou que foi montada uma base de comando da prefeitura na Pavuna e pede às pessoas que evitem se deslocar, especialmente na Zona Norte da cidade.

O Centro Estadual de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden-RJ) está acompanhando as condições meteorológicas e os níveis pluviométricos em todo o território fluminense, enviando alertas para os municípios quando necessário.

O risco hidrológico é alto ou muito alto na capital, nas Regiões Metropolitana, Serrana, Sul, Noroeste, Costa Verde e na Baixada Fluminense, com propensão a alagamentos e inundações. No restante do Estado, o risco é baixo a moderado.

O risco geológico é alto ou muito alto na capital, nas Regiões Metropolitana, Serrana, Sul, Costa Verde e na Baixada Fluminense, com possibilidade de deslizamentos de terra.

Segundo o Alerta Rio, neste domingo uma frente estacionária no oceano ainda influencia o tempo no município do Rio. Assim, o céu estará predominantemente nublado e há previsão de chuva fraca a qualquer momento. Os ventos estarão fracos a moderados e as temperaturas permanecerão estáveis, com mínima de 23°C e máxima de 31ºC.

Ipojuca - App 153

O Ministério Público Federal no Distrito Federal (MPF-DF) abriu inquérito para investigar as denúncias de um suposto esquema de “rachadinha” do deputado federal André Janones (Avante-MG).

A pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), o Supremo Tribunal Federal (STF) apura o caso desde dezembro de 2023. No MPF, foi aberto um inquérito civil para averiguar se houve improbidade administrativa pelo deputado. As informações são do G1.

Em suas redes sociais, Janones afirmou que, segundo seu advogado, todos os assessores e ex- assessores envolvidos nas denúncias concluíram os seus depoimentos. “Todos eles, absolutamente todos, disseram nunca terem praticado ou presenciado a prática da rachadinha em meu gabinete”, escreveu o deputado.

O despacho com o pedido de investigação foi assinado pelo procurador Daniel Cesar Azeredo Avelino, em 6 de dezembro do ano passado. No mesmo mês, o Conselho de Ética da Câmara também instaurou procedimento para apurar a conduta de Janones em seu gabinete.

A rachadinha é uma prática ilegal na qual o gabinete de um parlamentar contrata funcionários, mas impõe a condição de que eles “devolvam” parte dos salários. Muitas vezes, são funcionários fantasmas, que nem vão aos gabinetes.

Assessores e ex-assessores de André Janones afirmam que o parlamentar operou um esquema de “rachadinha” no gabinete a partir de 2019, quando assumiu o primeiro mandato. Segundo esses denunciantes, a prática foi adotada, pelo menos, durante todo o primeiro mandato de Janones (2019-2022).

A rachadinha teria, também, sido adotada pela ex-assessora de André Janones, Leandra Guedes, na prefeitura de Ituiutaba (MG) – ela foi eleita prefeita do município em 2020 e levou parte dos assessores para compor sua equipe no novo posto.

A primeira denúncia foi feita por Fabricio Ferreira de Oliveira, que integrava o grupo político de Janones e trabalhou no gabinete entre fevereiro de 2019 e novembro de 2021.

O agora ex-assessor anexou à denúncia uma gravação com outro assessor de Janones, Alisson Alves Camargos. No áudio, Alisson diz que recebia cerca de R$ 10 mil e que repassava, mensalmente, quase R$ 5 mil para “eles” – em referência a André Janones e Leandra Guedes.

Citi Hoteis

O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, usou suas redes sociais na tarde deste sábado (13) para comentar as críticas que recebeu após a divulgação de uma entrevista recente em que fazia elogios a Lula, em comparação com o ex-presidente Jair Bolsonaro, principal nome de sua legenda.

“Estão me atacando usando uma fala minha sobre o Lula que está fora de contexto. A esses, deixo um recado: quem não tem lealdade e fidelidade, tem vida curta na política. Sou leal ao Bolsonaro e fiel aos meus princípios. Quem me conhece sabe que minha palavra não faz curva”, compartilhou Costa Neto em seu perfil no X (antigo Twitter). As informações são do O GLOBO.

Em entrevista recente ao jornal O Diário, veículo regional da Zona Leste de São Paulo, o dirigente teceu elogios a gestões anteriores de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e também fez comparações entre os perfis do atual presidente e de Bolsonaro.

“O Lula é um camarada do povo, é completamente diferente do Bolsonaro. E é um fenômeno ele chegar onde chegou. O José Alencar era vice-presidente, nós fizemos parte do governo… E Lula foi bem no governo também, elegeu a Dilma depois”, discorreu Valdemar, cujo PL compunha a base situacionista no Congresso à época.

 “Não tem comparação com Bolsonaro. Primeiro que o Lula tem muito prestígio, ele não tem o carisma que Bolsonaro tem, mas tem popularidade, é conhecido por todos os brasileiros. O Bolsonaro não, tem um mandato só”, complementou.

Na ocasião, Valdemar também encampou críticas ao ex-juiz federal e hoje senador Sérgio Moro pela forma como conduziu processos da Operação Lava-Jato nos quais Lula foi condenado. O presidente do PL avaliou que o líder petista “está machucado” por conta desse cenário.

“Se ele errou em alguma coisa, ele tinha que ser condenado dentro da lei. O Moro errou, superou os limites da lei. Quando eu falo isso, o pessoal da direita fica bravo comigo. Ele passou dos limites da lei para aparecer, para ser candidato a presidente. Ele vai pagar caro por isso”, disse Valdemar, que apostou na cassação do mandato de Moro, que responde a uma ação eleitoral no TRE-PR.

A entrevista deixou o nome do presidente do PL entre os assuntos mais comentados nas redes sociais. 

Cabo de Santo Agostinho - Refis 2023

Segundo informado por uma fonte ao blog, sob sigilo, todas as clínicas médicas e laboratórios, prestadores de serviço e contratadas por licitação e chamamento público pelo município de Jaboatão dos Guararapes, estão sem receber os empenhos e produções desde o mês de agosto de 2023. Por conta da falta do repasse, segundo a fonte, alguns serviços já começam a colapsar no município, com exames restritos e cirurgias canceladas.

“O agravante é que a maior parte dos recursos destinados a tais serviços são federais do Ministério da Saúde e exclusivos para tal finalidade, sendo a prefeitura apenas reguladora (distribuidora) dos recursos que são destinados. O não repasse de tais pagamentos regidos pela tabela SUS configura infração da lei de improbidade administrativa. Por fim, a população mais carente já sofre com falta de acesso aos serviços que começam a ser suspensos e contingenciados em todo o município”, revelou a fonte ao blog.

Caruaru - Geracao de emprego

Em uma entrevista concedida ao jornalista Dárcio Rabelo, na Rádio Independente FM, o delegado titular da Delegacia de Monteiro (PB), mas arcoverdense de carteirinha, Gilson Duarte Filho, conhecido por Gilsinho, revelou que a ex-prefeita Madalena Britto, pré-candidata à prefeitura de Arcoverde no pleito deste ano, já abriu conversas sobre um plano de segurança para o município e o teria convocado para essa “missão”.

“Sempre tivemos lado, acompanhando a ex-prefeita Madalena e estamos prontos para dar a colaboração que for necessária, inclusive ela já nos solicitou sugestões para a implantação de um plano de segurança para Arcoverde. Como diz a Constituição, a segurança é dever do estado, mas também responsabilidade de todos e o município precisa fazer a sua parte. D. Madalena já está planejando isso e tenha a certeza de que não ficará somente no papel, será executado”, revelou.

Uma Guarda Municipal preparada e altamente qualificada também foi destacada por Gilsinho. Para ele, não basta fazer concurso, é preciso ter profissionais altamente capacitados, já que eles vão lidar com a vida das pessoas, dos direitos humanos e individuais. Em 2020, Gilsinho chegou a ser cotado para ser candidato a prefeito de Arcoverde, como o nome ligado ao governo municipal. Filho da defensora pública Vera Duarte e do advogado e ex-presidente da OAB, Gilson Duarte, ele atualmente não é filiado a nenhum partido.

Belo Jardim - Patrulha noturna

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, realizou neste sábado (13) exames de rotina no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. De acordo com o boletim médico divulgado à imprensa, os resultados não mostraram alterações no estado de saúde do chefe do Executivo. Ele foi acompanhado pelos médicos Roberto Kalil Filho e Ana Helena Germoglio.

Havia a expectativa de que Lula participasse ontem do almoço entre Marta Suplicy e o deputado federal Guilherme Boulos (PSOL-SP) para definir sobre a candidatura da ex-prefeita como vice na chapa do psolista para as eleições municipais em São Paulo neste ano. A assessoria de imprensa do presidente, no entanto, confirmou que Lula não estaria presente. As informações são do Estadão.

Marta voltará ao PT justamente para participar da eleição na chapa do PSOL. O Partido dos Trabalhadores, no entanto, passa por um momento em que tenta diminuir a resistência da militância e de alguns dirigentes que são contrários à volta de Marta à legenda.

O retorno da ex-prefeita para se tornar vice na chapa de Boulos foi costurado por Lula, e a levou a deixar o cargo que ocupava na gestão do atual prefeito, Ricardo Nunes (MDB), que disputará a reeleição.

Vitória Reconstrução da Praça

A Justiça de São Paulo anulou uma multa aplicada contra o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) por deixar de usar máscara durante a pandemia da Covid-19. Ele é alvo de uma série de processos no tribunal por descumprimento de regras sanitárias no estado, somando mais de R$ 1 milhão em pagamentos devidos.

A decisão, expedida nesta quinta-feira (11), atendeu a pedido apresentado pela defesa de Bolsonaro pela extinção da ação após a Fazenda de São Paulo cancelar os débitos do ex-presidente. Os advogados estenderam o pedido a outros casos similares que correm no TJ-SP, mas ainda não foram acolhidos. As informações são do O GLOBO.

A anulação foi possível após lei sancionada pelo governador do estado, Tarcísio de Freitas (Republicanos), que anistia multas aplicadas a quem tivesse descumprido medidas sanitárias durante a pandemia, publicada em novembro passado.

Entenda as multas

Ao todo, Bolsonaro soma R$ 936.839,70 em multas por não usar máscara de proteção em atos públicos em São Paulo. Os casos foram levados à Justiça pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) diante da não efetuação dos pagamentos.

Em junho passado, o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) bloqueou R$ 164.860,38 nas contas do ex-presidente no âmbito de duas dessas ações. Todos os cinco processos tramitam na primeira instância e são referentes a momentos em que Bolsonaro foi flagrado ignorando os protocolos ao longo de 2021.

Já foram executados os bloqueios de R$ 88.938,96, no dia 12 de junho, e de R$ 75.921,42, no dia 13 de junho. Três ações instauradas no dia 11 de janeiro pedem que Bolsonaro pague R$ 370.008,00, R$ 55.501,20 e R$ 77.427,60 ao Estado de São Paulo. Há também um processo distribuído em 24 de abril, pedindo que o ex-presidente quite R$ 57.042,90; e outro, de 23 de maio, que cobra o pagamento de R$ 376.860,00.

Em um dos processos, em que foi aplicado o bloqueio de R$ 88,9 mil, a defesa de Bolsonaro chegou a pedir que a restrição fosse imposta a um imóvel do ex-presidente, alegando que a limitação na conta bancária “atingiu todas as suas reservas financeiras”. Os advogados argumentaram na ocasião que a decisão pelo bloqueio “abarcou verbas impenhoráveis”.

Por José Maria Nóbrega*

A História mostra como a esquerda nasceu para o conluio com a criminalidade. A começar pelos jacobinos na Revolução Francesa (século XVIII), que foram responsáveis pelo terror, o assassinato em massa de opositores ao regime jacobinista instalado por Robespierre. Com os maiores assassinos da esquerda revolucionária na Rússia (início do século XX), nomes tenebrosos como os de Lênin e Stálin tocaram o terror no campesinato russo entre os anos vinte e trinta do século passado. A esquerda tem em sua genética a violência, o link com o crime, com a criminalidade.

Os bolcheviques eram criminosos terroristas. Eliminavam os opositores do regime socialista soviético violentamente, muitas das vezes através do fuzilamento sem o devido julgamento. Revoltas de camponeses que tinham as suas colheitas totalmente confiscadas pelos comunistas do partido único foram violentamente suprimidas. Lênin, em 1920, ordenou a supressão completa da revolta campesina e o fuzilamento, em grupos, de camponeses que fossem suspeitos de dar apoio à rebelião, desprezando qualquer forma legal (dentro dos parâmetros da democracia liberal, tão rechaçada pela esquerda contemporânea) de julgamento justo.

Vilarejos inteiros foram queimados enquanto a autoridade de Moscou era reafirmada. Suspeitos não tiveram acesso aos instrumentos “burgueses” de ampla defesa. A maioria não queria o bolchevismo, foi forçada a ele. A “ditadura do proletariado”. Um crime humanitário.

A criminalidade levou Stálin ao poder como Secretário-Geral do Partido Comunista na antiga União Soviética (um conglomerado de países invadidos criminosamente sob a esfera de controle de Moscou). A criminalidade é um modus operandi da esquerda desde os seus primórdios.

No mundo atual, a esquerda usa o método criminoso em suas diversas facetas. Usa a criminalidade para enriquecer e se perpetuar no poder. Despreza as regras do jogo democrático, deturpando a lei e inserindo lacaios nos poderes da República. Ver o que acontece hoje nos tribunais de justiça, com a introdução de magistrados progressistas que tomam decisões fora da Constituição.

As operações policiais revelaram vários esquemas criminosos com dinheiro público que enquadraram atores políticos da esquerda em suas direções. A Operação Lava-Jato foi a revelação do principal esquema de corrupção e de organização criminosa que se tem notícia no mundo civilizado. O principal operador do esquema foi o principal partido de esquerda do país, o Partido dos Trabalhadores (PT).

O Brasil foi governado em sua maior parte na história da Nova República pela esquerda. Desde a redemocratização – que instalou no país uma semidemocracia – a criminalidade explodiu. De 1980 até hoje, o crime organizado avançou na vida política e social do país, com a explosão da violência – mais de quarenta mil assassinatos ao ano, mais de 120 mortes ao dia, uma média de 54 mil homicídios nos últimos dez anos – com quase uma centena de organizações criminosas prisionais; com destaque ao Primeiro Comando da Capital (PCC) e o Comando Vermelho (CV), que se tornaram hegemônicos em todo o território brasileiro e fora das nossas fronteiras – com frequentes ligações dessas organizações com a política. A esquerda é conhecida pela sua parcimônia com o crime e o criminoso.

A corrupção é um fenômeno inerente à atividade política. O seu controle é fundamental nas democracias modernas. Geralmente, o seu descontrole é fator preponderante em regimes híbridos, não em democracias sólidas O Brasil é um país no qual o descontrole da corrupção é acentuado e isto não é exclusividade da esfera esquerda da política nacional. No entanto, é prática corriqueira da esquerda a sua aproximação à técnicas criminosas.

A esquerda é desonesta. Prega na maioria das vezes valores liberais como estratégia quando não é maioria. Mas, é só frequentar reuniões dos partidos e associações de esquerda para ver a sua genética. O leninismo-trotskismo-stalinismo-jacobinismo está sempre presente nos discursos de seus líderes quando “a portas fechadas”. Os inimigos são sempre os mesmos: o liberalismo, “a burguesia”, Israel, o capitalismo e, claro, a democracia eleitoral/liberal (a democracia real). Com defesa aberta a grupos terroristas, como o Hamas.

Se infiltram nas organizações do Estado para fomentar essas ideias e elas se refletem em leis “progressistas” e lavagem cerebral em sala de aula. Saídas temporárias para criminosos dos presídios, Estatuto da Criança e do Adolescente, leis que partem de premissas falsas nas quais o criminoso é uma “vítima social” resultado das “contradições” do capitalismo ianque e coisas do tipo. Uma verdadeira aula de cafajestagem.

O ideal progressista é a versão “light” do esquerdismo contemporâneo. Em defesa de pautas de minorias, a esquerda se disfarça de democrática para impor a sua agenda destrutiva. Compromissada com essas pautas, a esquerda adota uma prática conflituosa, dividindo a sociedade, pregando a violência como método de resistência. É só ver o comportamento dos Black Blocs e dos grupos radicais identitários. O negrismo, o elegêbetismo, o antissemitismo, a revolução social, são todos movimentos chamados de sociais pela esquerda, mas que trazem em seu bojo a violência contra quem discorda de suas pautas.

Mas, o mais preocupante do progressismo é a sua tolerância para com a criminalidade, com o tráfico de drogas e o crime comum. Não foram poucas as falas de esquerdistas que apoiaram o assalto como forma de resistência à “tirania do capital” e a desigualdade social. O atual Presidente da República, Lula, quando era candidato nas eleições de 2022, justificou o crime de roubo de celular no qual um pobre jovem o faz “para tomar uma cervejinha” e que isso não configurava crime, mesmo num país em que há mais de um milhão de roubos de celulares ao ano, roubos que vitimam os mais pobres nas vias e ônibus das cidades brasileiras.

O crime e a criminalidade organizada não crescem apartada do Estado. É em aliança com ele que o crime prolifera, se desenvolve e chega a gerar terror na sociedade, como o que estamos presenciando no Equador esta semana e que já foi visto no Rio de Janeiro e em outros estados do Brasil. A esquerda contribui muito para esse estado de coisas.

*Cientista Político e Historiador – para o Jornal do Commercio

A partir de fevereiro deste ano, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) irá mudar o sistema de filiação partidária visando reforçar a segurança e reduzir o risco de fraudes. Essa mudança acontece após ser identificada uma suposta fraude em que o presidente Lula foi desfiliado do PT e filiado ao PL, partido de oposição ao governo.

Com isso, a partir do próximo mês, uma nova etapa de atualização do Sistema de Filiação Partidária, o Filia, estará disponível com a utilização do chamado segundo fator de autenticação, por meio do e-Título, aplicativo já usado pelos eleitores.

Como vai funcionar?

Todas as pessoas que operam o Filia com uso de senha passarão a utilizar também o e-Titulo para confirmar o acesso ao sistema. Para isso, esses usuários precisarão estar com a biometria cadastrada na Justiça Eleitoral.

A autenticação de dois fatores é uma camada extra de proteção utilizada nos sistemas mais modernos atualmente. Assim, quando acessar o Filia para inserir dados de um novo filiado, o representante do partido, além de utilizar a senha de acesso, deverá preencher uma informação que será solicitada na tela do sistema e deverá ser confirmada por meio do aplicativo da Justiça Eleitoral.

Segundo o TSE, para que essa novidade seja implantada, o sistema está indisponível desde sábado (13), tendo previsão de conclusão no início de fevereiro.

“O objetivo é aperfeiçoar os mecanismos de segurança já existentes e tornar cada vez mais protegidos os dados de eleitores filiados a partidos políticos no Brasil”, conclui o TSE.

Carros e trânsito: o que muda em 2024 

Desde o dia 1º de janeiro de 2024, todos os veículos leves fabricados no Brasil ou importados deverão aderir às novas normas de segurança estabelecidas pelo Conselho Nacional de Trânsito, o Contran. Elas obrigam, por exemplo, todos os modelos a terem controle de estabilidade (ESC), luzes diurnas de condução (DRL), luzes repetidoras laterais (no retrovisor ou para-lama), alerta do não afivelamento dos cintos de segurança e aviso de frenagem de emergência (ESS). Essas medidas, na verdade, vêm tarde: deveriam ter sido adotadas em 2022, mas o lobby das montadoras venceu. Vale lembrar que os modelos ainda em estoque da produção de 2023 não estão sujeitos a essa obrigatoriedade. O Controle de Estabilidade (ESC) é a iniciativa mais importante. Ele monitora constantemente a velocidade de cada roda, a direção do volante e outros parâmetros e, quando detecta a iminência de derrapagem ou perda de controle, intervém automaticamente, ajustando individualmente os freios em cada roda e, em alguns casos, reduzindo a potência do motor. A intervenção rápida e precisa do ESC ajuda a manter o veículo em trajetória ‘normal’, evitando derrapagens e acidentes. 

As Luzes Diurnas de Condução (DRL), por sua vez, trata-se de um sistema de iluminação que fica na parte de frente do veículo, projetado para ficarem ligados automaticamente quando o motor está em funcionamento e desativam-se quando as luzes de farol são ligadas. O propósito principal do DRL é tornar os veículos mais visíveis para outros motoristas (não precisam ser em LEDs). As Luzes Repetidoras Laterais, as chamadas luzes de seta ou pisca-pisca, são instaladas nos lados externos dos veículos, geralmente nos retrovisores, e servem para indicar a intenção de mudança de direção do veículo. Já o Alerta do Uso do Cinto de Segurança emite avisos sonoros e/ou visuais para alertar os ocupantes quando não estão utilizando os cintos de segurança enquanto o veículo está em movimento. O Alerta de Frenagem de Emergência (ESS) age quando detecta uma uma pisada forte no freio: nesse caso, ele aciona automaticamente as luzes do pisca-alerta, avisando os motoristas atrás sobre a parada repentina do veículo e reduzindo o risco de colisões traseiras.

Preços de carros em queda – Os valores médios de carros 0km, seminovos e usados terminaram o ano de 2023 em queda, segundo a última edição do Monitor de Variação de Preços – MVP da KBB Brasil, a maior empresa de precificação de veículos do mundo. De acordo com o estudo, os preços médios dos automóveis 0km de ano/modelo 2024 caíram -0,10% após registrarem uma discreta alta de 0,56% em novembro. Os carros de ano/modelo 2023 mantiveram a tendência de queda no último mês do ano passado: -0,29%.

O Honda City Hatch foi o modelo zero quilômetro que apontou a maior tendência de alta no preço médio em dezembro (2,12%), enquanto o Volkswagen Virtus teve a queda mais relevante de preços entre os carros novos (-1,22%). Entretanto, o mesmo Virtus foi o modelo que apresentou a maior variação de preços entre os carros seminovos (até 3 anos de uso) em dezembro de 2023: 3,24%, em média. O segmento de seminovos também manteve os preços em queda em dezembro, com os veículos ano/modelo 2022 se destacando com uma variação média de -0,68%

Os caminhões mais vendidos em 2023 – O Volvo FH 540 foi, pelo quinto ano seguido, vale ressaltar, o caminhão mais vendido no Brasil no ano passado. Dados da Fenabrave mostram que ele somou 7,2 mil unidades emplacadas, chegando aos 7% das vendas totais de caminhões (104,1 mil). O vice-líder do mercado foi o Volkswagen Delivery 11.180. O DAF  XF 530 foi, por sua vez, o terceiro mais vendido. 

ModeloUnidades
Volvo FH 5407.200
VW Delivery 11.1804.518
DAF XF 5304.136
Volvo FH 4603.783
DAF XF 4803.210
Scania R4602.851
Scania R4502.328
Mercedes-Benz Atego 17192.022
Volvo VM 2901.917
10ºVW 24.2801.847

Venda financiada de veículos – O comércio financiado de carro em 2023 somou 5,9 milhões de unidades, entre novos e usados, de acordo com dados da B3. O número, que inclui autos leves, motos e pesados em todo o país, representa um crescimento de 10% na comparação com 2022. No segmento de autos leves, a alta foi de 7,6% no ano. Na categoria de veículos pesados, houve um recuo de 0,2%. As motos registraram o maior crescimento, com 20,9% unidades financiadas a mais do que no ano anterior.

Comércio de eletrificados – O mercado de veículos leves eletrificados seguirá em forte crescimento no Brasil, com as vendas podendo passar de 150 mil unidades em 2024, prevê a Associação Brasileira de Veículos Elétricos, a ABVE. O presidente da entidade, Ricardo Bastos, projeta um aumento de 60% nos emplacamentos deste ano sobre os já excelentes números de 2023 – que chegaram a 93.927 unidades, batendo todos os recordes e superando as previsões mais otimistas. “O veículo elétrico já caiu no gosto do consumidor brasileiro, e essa tendência se confirma ano após ano”, disse Bastos. “Continuaremos a crescer em 2024”, reforça. Em sua avaliação, o mercado de eletrificados seguirá num ritmo intenso mesmo com o aumento do Imposto de Importação de veículos elétricos e híbridos anunciado pelo governo federal a partir de janeiro.

E no Nordeste? – As vendas de veículos leves eletrificados (elétricos e híbridos) cresceram em todas as regiões. Apenas quatro estados tiveram aumento de emplacamentos inferior a 50% em relação a 2022. Todas as regiões cresceram acima de 50% sobre o ano anterior. O Sudeste continuou liderando o crescimento das vendas (+101%), mas o Nordeste também teve desempenho expressivo (+91%), seguido pelo Sul (+82%), Centro-Oeste (+73%) e Norte (+67%). Em oito estados os emplacamentos aumentaram mais de 100%. Os destaques foram Espírito Santo (+169%), Distrito Federal (+161%) e Alagoas (+146%), seguidos por Ceará (+113%), Sergipe (+107%), São Paulo (+105%), Rio Grande do Norte (+103%) e Santa Catarina (+101%). O crescimento de 91% no Nordeste, com 11.788 emplacamentos em 2023 (contra 6.175 em 2022), indica que a eletromobilidade deixa de ser um fenômeno dos estados do Sudeste e começa a se espalhar por todo o país. A evolução das vendas de eletrificados no Nordeste foi puxada pelo forte aumento em cidades como Maceió (+192%), Fortaleza + (173%) e Recife (+134%). Outras cidades também se destacaram em 2023, com crescimento na faixa de 200%. Exemplos: Campinas (+247%), Vitória (+195%), Maceió (+192,2%) e Brasília (+192,1%).

Chevrolet confirma seis lançamentos – A montadora General Motors, patrocinadora do reality Big Brother Brasil, vai aproveitar o programa para revelar alguns dos novos modelos ao público. A primeira estreia será o Novo Spin, referência do segmento de sete lugares no país e que ganhará evoluções de design, conteúdo e performance. Além do Novo Spin, que chega às lojas até o fim do primeiro trimestre, outros lançamentos terão suas revelações antecipadas no programa, que vai ao ar de 8 de janeiro a 16 de abril. Detalhes a respeito das demais estreias da Chevrolet serão divulgados ao longo desse período.

Gasto com carro é a segunda maior despesa familiar – Para avaliar o peso dos veículos dentro do orçamento familiar, a Serasa realizou a segunda edição da pesquisa “A relação do brasileiro com o automóvel”. Produzido em parceria com o Instituto Opinion Box, o estudo constatou que somente os gastos com a alimentação (69%) superam o impacto dos veículos no bolso do motorista e das famílias.Segundo a pesquisa, que ouviu 2.023 pessoas em dezembro, 67% dos lares brasileiros têm os custos com o automóvel entre os três maiores gastos anuais. Os custos com os veículos ficam atrás apenas da alimentação (69%) e figuram à frente das despesas com as contas básicas, como água, luz e gás (62%).

Entre as funções mais usuais do automóvel para os brasileiros estão as compras e tarefas diárias (77%), passeios em fins de semana (76%) e locomoção para trabalho ou local de estudo (64%). Em relação à primeira edição, chama atenção o crescimento de 7 pontos percentuais no uso do carro para viagens de turismo (49%). Entretanto, a organização financeira relacionada aos custos do carro ainda aparece como uma questão de conflito aos motoristas: 31% admitem gastar mais com o veículo do que o planejado inicialmente. E pelo menos 92% já sofreram com algum custo inesperado relacionado ao uso do automóvel, sendo que 62% têm uma reserva de emergência – entre as despesas emergenciais mais comuns são relacionadas à troca ou conserto de pneu (51%), consertos mecânicos (48%) e revisão por quilometragem (35%).

“Estabelecer um acompanhamento de gastos e manter uma reserva de emergência são hábitos essenciais para lidar com contratempos”, avisa Ana Carolina Ribeiro, coordenadora da Serasa. “Uma dica é anotar todos os custos fixos, definindo um orçamento específico para o carro ao longo do ano, e guardar uma parte para os imprevistos. Além de economizar para planos futuros, ainda é possível ter mais tranquilidade para cobrir gastos emergenciais”. Cobrado anualmente, o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) corresponde ao valor que deve ser pago por todos os proprietários de veículos. Mesmo sendo uma despesa tradicional do período, o estudo revela que 11% dos proprietários ainda não haviam se planejado, em dezembro, para pagar o IPVA 2024.  

Agentes de trânsito e armas – A Comissão de Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados aprovou um projeto de lei que permite porte de armas para agentes de trânsito. Para tanto, incluiu a categoria nas carreiras do sistema de segurança pública, especificamente na segurança viária. A autoria do deputado Nicoletti (União Brasil- RR) é defendida pelo relator na Comissão de Administração, o deputado federal André Figueiredo (PDT). Para ele, “nada mais justo” que os agentes também tenham “direito ao uso de armas”.

ChatGPT em carros? – Pois é. O fenômeno da Inteligência Artificial (IA) acaba de chegar aos automóveis. A Volkswagen acaba de anunciar que o ChatGPT será adicionado ao sistema de voz de seus modelos. No início, para se ter o robô o proprietário deve atualizar o sistema, mas só a partir do segundo trimestre na Europa e Estados Unidos. Além de controlar as funções de entretenimento do carro, o chatbot responderá a perguntas de qualquer natureza. No futuro, ele poderá ‘conversar’ com os motoristas e interagir ainda mais e de outras maneiras. Primeiro, a tecnologia será oferecida para os modelos elétricos ID 3, 4, 5 e 7,  SUV Tiguan, Passat e a próxima geração do Golf.

5 sinais de problemas nas bobinas de ignição – O mau desempenho desses componentes pode resultar em falhas no motor ou até mesmo na impossibilidade de seu funcionamento adequado. Por isso, a Niterra, multinacional japonesa detentora das marcas NGK e NTK, destaca cinco indicadores de possíveis problemas nas bobinas de ignição. Confira: 

1 – Dificuldade da partida no motor;

2 – Falhas na aceleração e marcha lenta irregular;

3 – Aumento de consumo de combustível e emissão de gases poluentes;

4- Danos ao catalisador;

5 – Contaminação do óleo lubrificante. 

“Esses sinais têm o potencial de prejudicar a durabilidade dos componentes do motor, uma vez que o combustível não queimado é liberado no sistema de escapamento, no qual está o catalisador. Esse componente opera em temperaturas acima de 300 graus, o que eleva a probabilidade de inflamação do combustível não queimado e, consequentemente, gera danos”, explica Hiromori Mori, consultor de assistência técnica da Niterra. 

“A presença de combustível não queimado representa uma ameaça à integridade do óleo lubrificante por conta de uma contaminação que pode comprometer significativamente a durabilidade do motor”, acrescenta Mori.

Por que aparecem os sinais – Os fatores mencionados acima podem aparecer por uma série de razões, tais como:

  • O desgaste nas velas de ignição aumenta a tensão de centelhamento, colocando pressão adicional sobre as bobinas;
  • Temperaturas elevadas no motor podem reduzir sua vida útil;
  • Falhas no alternador têm o potencial de elevar a tensão de alimentação, resultando em danos às bobinas;
  • Alterações no carregamento causadas por problemas no módulo de injeção ou danos no chicote elétrico podem prejudicar as bobinas;
  • A lavagem inadequada do motor com produtos químicos incorretos pode levar à oxidação das bobinas. 

“As bobinas de ignição não possuem uma durabilidade definida pelas montadoras – ela depende das condições de manutenção do veículo”, diz Mori.

Correção dos problemas – A rápida identificação e correção desses problemas é essencial para garantir o pleno funcionamento do sistema de ignição. Um aspecto que contribui para essa performance é que o motorista esteja ciente do momento ideal para efetuar a sua manutenção. Recomenda-se realizar uma inspeção no sistema a cada 10 mil quilômetros ou, no mínimo, anualmente. “A abordagem mais eficaz para esse momento consiste em executar um teste funcional, no qual um mecânico avalia a tensão de disparo da bobina e o formato da onda do sinal. Também é possível conduzir uma inspeção visual, identificando problemas como oxidação e trincas”, afirma Mori. “Ressalto ainda a importância de avaliar o funcionamento do motor, especialmente durante acelerações com carga, quando é necessária uma maior tensão.”

Renato Ferraz, ex-Correio Braziliense, tem especialidade em jornalismo automobilístico

O deputado federal e pré-candidato à Prefeitura de São Paulo Guilherme Boulos (PSOL) disse, neste sábado (13), que Marta Suplicy (sem partido) “agrega profundamente” em seu projeto para a cidade. A fala aconteceu em uma entrevista coletiva após os dois almoçarem na casa da ex-prefeita, no bairro dos Jardins. 

“A Marta agrega profundamente para o projeto que nós estamos construindo na cidade de São Paulo. A Marta agrega experiência administrativa para esse projeto que nós estamos construindo, ela agrega uma amplitude, essa ideia de uma frente democrática na cidade”, afirmou Boulos. As informações são da CNN.

De acordo com o pré-candidato do PSOL, Marta “está muito animada para organizar e fazer campanha”. Boulos ainda disse que fez um convite para que a ex-prefeita se reúna com os movimentos sociais da cidade, uma vez confirmada sua refiliação ao Partido dos Trabalhadores (PT).

Prévias

De acordo com o deputado federal Rui Falcão (PT-SP), não há candidatos para a realização de prévias para o posto de vice. O parlamentar está conduzindo conversas para que Marta esteja na chapa de Boulos. Na terça-feira (9), ele esteve junto da ex-prefeita numa reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“Nós vamos fazer prévia entre quem? Não tem candidato, não tem candidata. O próprio histórico do PT, eu estou no PT há mais de 40 anos, que eu me recorde, nunca houve prévia de vice. Já houve prévia para candidato a vereador, a prefeito, mas vice nunca existiu”, afirmou Falcão.

O deputado estadual Eduardo Suplicy lançou o nome da vereadora da capital, Luna Zarattini, para uma eventual disputa. “Propus a ela que pudesse ser uma mulher e pudesse inclusive participar de uma prévia para que a decisão para que a candidata a vice-prefeita seja feita da forma mais clara possível, de acordo com a tradição do PT”, afirmou Eduardo Suplicy à CNN.

Luna, por sua vez, disse que a decisão cabe ao partido e que permanece como pré-candidata à vereadora. Na próxima terça-feira (23) haverá uma reunião no Diretório Municipal do PT para definições sobre a campanha.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma manifestação em que defende a manutenção da condenação do deputado Marco Feliciano (PL-SP) por incentivar a discriminacao da comunidade LGBTQIA+. O parlamentar foi condenado pela Justiça de São Paulo a pagar uma multa de R$ 100 mil por danos morais coletivos à ONG Ação Brotar pela Cidadania e Diversidade Sexual.

O processo foi movido pela organização Ação Brotar, por declarações de Feliciano em relação à uma performance da artista Viviany Beleboni, mulher transgênero que simulou Jesus Cristo na cruz durante a Parada do Orgulho LGBT de São Paulo de 2015. Na ocasião, Feliciano classificou o momento em publicações nas redes sociais como “blasfêmia”. As informações são do Correio Braziliense.

Em maio do ano passado, a Justiça bloqueou R$ 254 mil do deputado para que a indenização pudesse ser paga e ele recorreu ao STF para anular a decisão. Segundo Feliciano, a Justiça de São Paulo não levou em consideração o entendimento do Supremo sobre o direito ao proselitismo religioso e à liberdade de expressão.

A PGR rejeitou a justificativa e afirmou que as publicações que levaram à condenação do parlamentar podem induzir a discriminacao contra pessoas LGBTQIA+, uma vez que tratam da “responsabilidade decorrente da veiculação de informações capazes de incentivar o discurso de ódio e a intolerância sem a diligência necessária por aquele que delas faz uso”.

“A liberdade religiosa não ostenta caráter absoluto e deve ser exercitada de acordo com a delimitação constitucional, segundo o princípio da convivência das liberdades públicas”, destacou o subprocurador-geral Luiz Augusto Santos Lima em sua recomendação ao ministro relator do caso, Nunes Marques.

Em nota, Marco Feliciano avaliou o parecer da PGR como “uma peça meramente opinativa, que não enfrentou o mérito do processo e, além disso, que não vincula o julgamento da questão pelo STF”.

Integrante da Executiva nacional do PT, Camila Moreno defendeu a decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de não escolher o secretário-executivo do Ministério da Justiça, Ricardo Cappelli, para suceder Flávio Dino (PSB-MA) e comandar a pasta.

A dirigente partidária elogiou o trabalho feito por Cappelli, mas disse que há menos de cinco anos ele era um “militante antipetista e anti-Lula inveterado” e que o cargo de ministro da Justiça exige confiança. O escolhido pelo presidente para ocupar o posto foi o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski. As informações são do Estadão.

Cappelli foi procurado pelo jornal O Estado de S. Paulo, mas não havia se posicionado até a publicação desta matéria. Como mostrou a Coluna do Estadão, ele tem um convite de Eduardo Paes (PSD-RJ) para se tornar secretário de Ordem Pública da Prefeitura do Rio de Janeiro.

“Cappelli apagou suas postagens desrespeitosas c/ o PT e Lula, mas se vocês derem um Google dedicado, vão encontrar em outras fontes. Lula não é rancoroso, tanto que ele pôde ter um espaço de tanta visibilidade e poder”, escreveu Camila em sua conta no X (antigo Twitter).

Lula deu autonomia a Lewandowski para montar sua equipe no Ministério da Justiça e, como revelado na coluna da Eliane Cantanhêde, pelo Estadão, Cappelli deixará o cargo. O secretário executivo tirou férias, mas anunciou que voltará ao trabalho até o fim do mês para ajudar na transição entre a gestão de Dino e a nova chefia.

O favorito para substituir Cappelli é o advogado Manoel Carlos de Almeida Neto. Ele fez parte da equipe de Lewandowski no STF e era o preferido do ex-ministro para substituí-lo no tribunal. Lula, porém, indicou seu advogado pessoal, Cristiano Zanin, para a Corte.

A Prefeitura de Arcoverde, por meio da Secretaria de Agricultura, promoveu nesta semana uma capacitação para agricultores que serão contemplados com a doação de 60 cisternas ao município, através de uma parceria entre a gestão pública com o Serviço de Tecnologia Alternativa (SERTA).

A ação tem por base incentivar com o armazenamento e a utilização correta de água, um melhor desenvolvimento da agricultura familiar na zona rural do município. “Com a parceria do SERTA, a gestão municipal de Arcoverde irá gerar mais essa transformação em diversas comunidades, elevando o potencial de produtividade especialmente para moradores e trabalhadores rurais”, destacou o prefeito Wellington Maciel.