Jaboatão - Espaço vida marinha

Prefeitura de Olinda oferece serviços de assistência jurídica em ação com o TJPE

Ampliar o acesso da população à Justiça e promover a pacificação social como forma de melhorar ainda mais a qualidade de vida das pessoas. Esses são objetivos da Semana Nacional de Conciliação, promovida na cidade pela Prefeitura de Olinda em parceria com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). A atividade será realizada no Fórum de Olinda, na Avenida Pan Nordestina, Vila Popular. Vários serviços estarão disponíveis para a população amanhã, das 8h às 12h.

Além da assistência jurídica, a ação servirá para encaminhamento de segunda via de certidão de nascimento e casamento. Também serão oferecidos serviços do CRAS e CadÚnico, como emissão de carteiras para pessoas com Transtorno do Espectro Autista, entre outros.

A Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos está à frente desses serviços. Por outro lado, a Secretaria de Saúde também tem programação da Semana Nacional de Conciliação, com testes rápidos de sífilis e HIV, vacinação de covid e influenza, testes HGT e Odontomóvel. Os interessados têm de levar comprovante de residência e documentos pessoais.

Paulista - Boa praça

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou, hoje, um recurso do Ministério Público Federal (MPF) contra o encerramento da investigação do ex-presidente Michel Temer pelo suposto recebimento de propina do grupo J&F.

A investigação ficou conhecida como o caso da “corridinha da mala”. O ex-assessor de Temer e ex-deputado Rodrigo Rocha Loures foi flagrado recebendo uma mala com R$ 500 mil de Ricardo Saud, ex-executivo da J&F, e deixando o local de forma apressada.

Temer chegou a virar réu por corrupção passiva, mas a 4ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) decidiu encerrar o caso por falta de provas, e sem julgamento, em 2021.

O Ministério Público Federal recorreu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), que manteve o caso arquivado. Depois, o MPF acionou o STF pedindo a anulação do julgamento do TRF-1, sob o argumento de que há elementos suficientes para o prosseguimento da ação penal contra Temer.

Segundo o MPF, a “denúncia traça contexto fático-probatório indicativo de pagamento de suborno pelo empresário Joesley Batista ao então presidente da República Michel Temer, mediante a utilização do intermediário Rodrigo Rocha Loures”.

“Cumpre ressaltar que a inicial acusatória aponta, inclusive, o exato momento em que realizada a entregada quantia de R$ 500.000,00 a Rodrigo Loures por indivíduo ligado à J&F. Dessa forma, mesmo se desconsiderando a gravação ambiental realizada no dia 07/03/20171 e as declarações prestadas pelos colaboradores premiados, ainda assim remanescem elementos, para além de razoáveis, caracterizadores de indícios suficientes, aptos a embasar a legalidade do constrangimento sofrido pelo denunciado/paciente, em razão do prosseguimento da ação penal contra si”, diz o órgão.

No entanto, o ministro Edson Fachin, relator do caso, entendeu que o recurso não é cabível. Isso porque não compete ao Supremo rever provas, sendo que os desembargadores justificaram o encerramento da investigação contra Temer.

“Como se observa, o acórdão [julgamento TRF1] combatido declina argumentação alinhada à conclusão que perfilha, em clara observância ao princípio da motivação das decisões judiciais, conforme orientação assentada pelo Supremo Tribunal Federal. Como também se observa, a exauriente análise da falta de justa causa para a instauração da ação penal, à luz dos fatos e das provas constantes dos autos, não possibilita o exame da controvérsia, em sede de recurso extraordinário [recuso ao STF]”.

Petrolina - Viva a nossa arte

O Comando de Operações Táticas (COT) da Polícia Federal assumiu, hoje, a segurança do Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, também inundado em meio às enchentes que afligem o Rio Grande do Sul. As informações são do portal Estadão.

O COT é especializado em situações de risco elevado e alta complexidade. O comando chegou à capital gaúcha na noite desta terça, 7, e também vai realizar ações de patrulhamento nas ruas alagadas de Porto Alegre, fazendo a segurança dos procedimentos de resgate.

Segundo a Polícia Federal no Rio Grande do Sul, outros 350 agentes da corporação foram mobilizados para atender sobreviventes e fazer a segurança de voluntários. A PF informou que já encaminhou para locais seguros mais de 2 mil desabrigados e 600 animais nas regiões de Porto Alegre, Canoas e Eldorado do Sul na Operação Esperança. A corporação usa botes e embarcações, helicóptero, drones, equipamentos de visão noturna e jet skis para realizar os salvamentos.

Ipojuca - Minha rua top

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou, hoje, um projeto que cria um programa de auxílio financeiro para a reconstrução de imóveis atingidos por desastres. O texto prevê que o benefício – batizado de Cartão Reconstruir – deverá ser utilizado para a compra de materiais de construção.

O auxílio é semelhante ao Cartão Reforma, lançado pelo governo do presidente Michel Temer (MDB) em 2016. A medida aprovada pela CCJ foi apresentada em 2023, mas ganhou força depois da catástrofe climática no Rio Grande do Sul, que já registrou 100 mortes. As informações são do portal G1.

Pela proposta, que seguirá para análise definitiva na Comissão de Assuntos Econômicos da Casa, o benefício será pago a famílias inseridas no Cadastro Único (CadÚnico), com imóveis atingidos por desastres ou em locais com reconhecimento de situação de emergência ou calamidade pública.

Durante a análise na CCJ, os senadores chegaram a pedir a aprovação de um requerimento que recomenda urgência para análise da proposta diretamente em plenário, retirando a passagem pela CAE. O presidente do colegiado, senador Davi Alcolumbre (União-AP), disse, no entanto, que, por questões regimentais, não seria possível utilizar esse caminho.

Ele sugeriu que os apoiadores da proposta procurem o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), para incluir o texto em outro projeto já na pauta do plenário. Também sinalizou que seria possível articular a convocação extraordinária de uma reunião da CAE ainda nesta quarta para concluir a discussão da proposta. O autor do projeto, senador Sérgio Petecão (PSD-AC), ainda consultará Pacheco e o presidente da CAE, Vanderlan Cardoso (PSD-GO).

Ipojuca - Minha rua top

O consultor jurídico e ex-deputado federal Gonzaga Patriota procurou, ontem, na Casa Civil, uma saída urgente para o retorno dos serviços dos perímetros irrigados no Sertão do São Francisco, em Pernambucano. Gonzaga informou ao ministro Ruy Costa que recebeu de vereadores de Santa Maria da Boa Vista e de Belém do São Francisco, além de lideranças políticas de Orocó, o alerta para o risco de falta de água para a população dessas agrovilas de Irrigação.

Segundo o ex-parlamentar pernambucano, esta interrupção de água afeta cerda de 50 mil agricultores familiares. Patriota reconhece os esforços do Governo Federal em busca de alternativas de viabilidade aos perímetros irrigados do São Francisco, mas sem uma decisão segura.

Serra Talhada - Saúde

O governo do Rio Grande do Sul diminuiu em 8% os gastos com defesa civil em 2023 na comparação com 2022. A Prefeitura de Porto Alegre reduziu em 68%. Chuvas que atingem 401 das 497 cidades do Estado desde 28 de abril de 2024 já causaram pelo menos 95 mortes.

Os gastos totais dos governos do Estado e das cidades com defesa civil em 2023 foram de R$ 598 milhões. Ficaram 0,6% acima de 2022. A variação foi abaixo da inflação de 5,8% do ano. As informações são do portal Poder360.

Ações de defesa civil têm foco na prevenção de catástrofe e atendimento de emergências. Os dados são do Siconfi (Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro) do Tesouro Nacional.

TOTAL ABAIXO DA INFLAÇÃO

Houve alta dos gastos com defesa civil em 2023 em 35% das cidades gaúchas. Houve queda em 15,3% das cidades. Deixaram de informar 48,7%. É uma irregularidade administrativa. O governo do Rio Grande do Sul e a Prefeitura de Porto Alegre foram procurados para se manifestar sobre os dados. Não houve resposta. O espaço segue disponível.

Vitória Reconstrução da Praça

A Câmara dos Deputados aprovou, ontem, o projeto de lei do deputado federal André Ferreira (PL/PE) que inclui a equoterapia entre as modalidades de prática terapêutica complementar do Sistema Único de Saúde (SUS). A matéria será enviada ao Senado.

A inspiração para o projeto vem de Renato Marinho, filho da jornalista Kiki Marinho. Renato, hoje adolescente, tem uma doença rara e foi beneficiado com a equoterapia na infância. Foi com os estímulos dessa importante ferramenta terapêutica que ele veio a andar e falar. “A nossa ideia é que todas as pessoas que necessitam da equoterapia tenham acesso garantido pelo sistema de saúde pública. Tenho convicção que os senadores vão entender a importância do nosso projeto e aprová-lo”, comemorou André.

Desde a última segunda-feira, casais com residência fixa em qualquer bairro do Recife podem se inscrever para participar gratuitamente de casamento comunitário promovido pelo Tribunal de Justiça, através o Núcleo de Conciliação (Nupeme/TJPE), em conjunto com a Defensoria Pública do Estado (DPPE).

A inscrição, com a entrega de documentos de noiva(s) e noivo(s), tem de ser realizada até 10 de maio, das 8h às 17h, no 9º andar do Empresarial Progresso, sede da Defensoria, localizado na Avenida Manoel Borba, 7.787, bairro da Boa Vista, no Recife. A cerimônia será realizada em 11 de junho, no Ginásio de Esportes Geraldo Magalhães – Geraldão.

Para a inscrição, é preciso que a(s) noiva(s) e o(s) noivo(s) apresentem Certidão de Nascimento atualizada em até 90 dias; ou Certidão de Casamento com Averbação de Divórcio, se pessoa divorciada; ou Certidão de Casamento e de Óbito, se viúvo(a). Se pessoa divorciada, é preciso apresentar Termo de Audiência e Cópia da Sentença que decretou o divórcio, informando se há bens ou não a partilhar. Também é necessário estar com originais de Identidade/CPF ou Carteira de Habilitação, além de comprovante de residência do Recife.

Caso alguém não tenha alguma das certidões exigidas, é possível retirar o encaminhamento de solicitação na própria Defensoria Pública, para garantir a gratuidade da 2ª via das certidões exigidas. Outro detalhe, sobre as certidões, é que elas não podem estar plastificadas. Para o momento de inscrição, não é preciso levar as testemunhas para a Defensoria, bastando apenas a presença de noiva(s) e noivo(s).

Serviço

  • Inscrições no período: de 6 a 10 de maio de 2024
  • Horário de atendimento: das 8h às 17h
  • Local: 9º andar da Defensoria Pública do Estado de Pernambuco
  • Endereço: Empresarial Progresso – Avenida Manoel Borba, 640, bairro da Boa Vista, no Recife

Cerimônia

  • Data do casamento: 11 de junho de 2024
  • Horário: 15h
  • Local: Ginásio de Esportes Geraldo Magalhães – Geraldão
  • Endereço: Avenida Marechal Mascarenhas de Morais, 7787, bairro da Imbiribeira, no Recife.

Conhecida como a ‘Capital Nacional da Seresta’, Recife será palco da 28ª edição do tradicional Festival Nacional da Seresta. O encontro de românticos e seresteiros, que se realiza no bairro do Recife Antigo, sempre culmina na semana do Dia das Mães. Na verdade, já é conhecido como um acontecimento dedicado a elas, um presente para as mães.

O Festival da Seresta é um evento que gera renda diretamente para cerca de 200 pessoas durante os quatro dias de realização: cantores, músicos, produtores, auxiliares de produção, seguranças, carregadores (palco), técnicos de som, vigilantes, pessoal do abastecimento (camarim, gelo, água, lanche), técnicos da mídia (fotografia, áudio, vídeo) e, principalmente, as centenas de barraqueiros e ambulantes que vendem seus produtos para milhares de pessoas que prestigiam o evento, a maioria desde a primeira edição.

O bairro turístico do Recife ganha som, luz e vida com o Festival da Seresta, que, além de tudo, dá uma oportunidade ímpar de lazer e diversão ao público acima dos 50 anos de idade, justamente aquele mais carente de diversão quando se trata de evento público. O evento é consolidado por lei no calendário festivo-cultural de Pernambuco.

28° FESTIVAL NACIONAL DA SERESTA

09 a 11 de maio

Praça do Arsenal – Recife Antigo

Quinta, 09 de maio:

  • 20h – Mozart
  • 21h – Wanderléa
  • 22h – Adilson Ramos
  • 23h30 – Almir ex-Fevers

Sexta, 10 de maio:

  • 20h – Igor Alves
  • 21h – Elas Cantam Reginaldo Rossi
  • 22h – Leonardo Sullivan
  • 23h30 – Odair José

Sábado, 11 de maio:

  • 20h – Mevinha Queiroga
  • 21h- Josenaldo The Voice
  • 22h – Gilliard
  • 23h30 – Joanna

Na manhã de hoje, o prefeito de Caruaru, Rodrigo Pinheiro, foi recebido pelo prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, na sede da prefeitura paulistana. No encontro, Pinheiro entregou a Nunes o convite para o São João de Caruaru.

O encontro também foi marcado por uma conversa sobre a rica cultura nordestina presente na capital paulista. Durante a reunião, ambos os prefeitos destacaram a importância da comunidade nordestina em São Paulo e reafirmaram o compromisso de promover e preservar suas tradições culturais e os artistas que, hoje, moram em São Paulo, como o artista e produtor cultural, Zé da Lua, que esteve presente na conversa.

Pinheiro agradeceu a recepção e ressaltou a importância de fortalecer os laços entre Caruaru e São Paulo. “É uma honra poder compartilhar um pouco da nossa cultura e tradição com os paulistanos. Esperamos todos que fazem a prefeitura de São Paulo no maior e melhor São João do mundo”, disse o prefeito de Caruaru.

A avaliação do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) oscilou negativamente dentro da margem de erro, segundo pesquisa Genial/Quaest, divulgada hoje. O levantamento mostra que a população está dividida: 33% dos entrevistados consideram a administração petista positiva, enquanto 33% avaliam o trabalho como negativo. Na última rodada da pesquisa, em fevereiro, os índices eram de 35% e 34%, respectivamente.

Os que julgam a gestão como regular eram 28% há dois meses e, agora, são 31%. Foram realizadas 2.045 entrevistas presenciais, em 120 municípios, entre os dias 2 e 6 de maio. A margem de erro é 2,2 pontos percentuais (p.p) e o nível de confiança, 95%.

É a terceira pesquisa de avaliação de governo divulgada nesta semana. A CNT/MDA apontou que a avaliação positiva do governo caiu 5,3 pontos percentuais na comparação com janeiro, última vez que o levantamento havia sido feito, enquanto o instituto AtlasIntel mostra que a avaliação melhorou 5 p.p. em relação ao mês de março. As pesquisas não são diretamente comparáveis pois tem métodos distintos e períodos diferentes.

Na Quaest, aprovação do governo Lula também oscilou para baixo e chegou a 50%, enquanto a desaprovação foi a 47%. Em fevereiro, os que aprovavam a gestão federal eram 51% e os que desaprovavam, 46%. Não souberam ou não responderam 3%.

Ao mesmo tempo, a Quaest afirma que o humor do eleitorado piorou. Pela primeira vez desde que a pergunta começou a ser feita em junho do ano passado e após um crescimento de 6 p.p., a maior parte da população, 49% consideram que o Brasil está na direção errada. Enquanto isso, 41% afirmam que o rumo do país está correto, ante 45% há dois meses.

O percentual dos que consideram que Lula não tem conseguido cumprir o que prometeu na campanha aumentou de 56% para 63%, enquanto a parcela que pensa o contrário caiu de 38% para 32%. Para os entrevistados, os principais problemas do Brasil atualmente são economia (23%), saúde (19%), violência (17%), questões sociais (14%), corrupção (9%) e educação (8%).

A Quaest também pediu exemplos de notícias positivas e negativas sobre o governo Lula. No primeiro caso, o Bolsa Família de R$ 600 com R$ 150 adicionais por cada criança (7%), a ajuda ao Rio Grande do Sul que sofre com as chuvas (4%) e a melhora na economia (4%) foram os mais citados. Já entre as principais menções negativas estão a avaliação que o governo Lula não faz o que promete ou é corrupto (9%), a postura negativa do presidente (8%) e o aumento dos preços e da inflação (6%).

A primeira-dama Janja da Silva vai, hoje, ao Rio Grande do Sul, acompanhar a entrega de donativos e visitar abrigos. Ao todo, ela vai passar por quatro cidades, Canoas, São Leopoldo, Guaíba e Porto Alegre.

Ela já esteve no estado ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e volta agora, quando estará na presença dos ministros Paulo Pimenta (Comunicação Social), Simone Tebet (Planejamento) e Waldez Góes (Integração e Desenvolvimento Regional).

Lula definiu como prioridade socorrer o Rio Grande do Sul, devastado pelas chuvas e enchentes nas últimas semanas, gerando um cenário de guerra e destruição no estado.

Nesta quarta, o presidente deve anunciar novas medidas de socorro ao RS na área econômica, como suspensão do pagamento da dívida estadual e socorro para empresas e empreendedores.

O governo já enviou, e o Congresso aprovou, um decreto legislativo decretando calamidade pública no estado, permitindo gastos extras fora da meta fiscal deste ano.

Em breve, será editada uma medida provisória abrindo crédito extraordinário para socorrer o Rio Grande do Sul. O valor ainda está sendo calculado pelo governo. Só na recuperação de rodovias federais o gasto deve ser, segundo o ministro Renan Filho (Transportes), acima de R$ 1 bilhão.

Vitória de Pirro 

A princípio, para quem não acompanha de perto o processo político no Estado, a aprovação do projeto versando sobre o fim das faixas salariais pode ter sido uma bela vitória da governadora Raquel Lyra (PSDB). Mas não foi. A votação final por 41 votos se deu com a colaboração dos 16 deputados que se curvaram à realidade depois das emendas ao projeto serem rejeitadas por 26 votos a 16.

Elas mudavam o reescalonamento do fim das faixas previstas em 2026, para os anos de 2024 e 2025. Se o Governo precisava de 25 votos e obteve 26 na derrubada das emendas, na verdade a vitória foi representada por apenas um voto. Traduzindo, Raquel Mandacaru (não dá sombra nem encosto para ninguém) teve uma vitória de Pirro.

Trata-se de uma expressão utilizada para justificar uma batalha ganha a alto custo, potencialmente acarretadora de prejuízos irreparáveis. Prejuízos, diga-se de passagem, para a gestora e os policiais. Para a governadora, porque, em consequência do projeto aprovado, ganhará a fama de malvada entre os militares.

Pernambuco continuará sendo o Estado a pagar o pior salário ao PM e ao bombeiro no País. E isso é desalentador. Em termos de aumento salarial à categoria, o projeto que passou ontem na Alepe concede 3,5% de reajuste este ano e iguais percentuais nos dois anos seguintes – 25 e 26.

Entre os militares, a correção da inflação fará com que os terceiros-sargentos, que são maioria da tropa de rua, sofram uma defasagem dos seus salários em torno de 6,5%, enquanto o soldado perderá 3,5% e o coronel 5,9%. Com salários tão baixos, a tropa continuará desestimulada para ajudar o Governo em qualquer cruzada pela redução da violência no Estado.

Sendo assim, dificilmente a governadora irá encontrar os meios adequados e satisfatórios para evitar que o Estado volte a repetir o abril mais triste e sangrento da sua história, registrando 324 assassinatos. Esse número choca e preocupa. Representa uma guerra civil não declarada e silenciosa.

Sem maioria – A governadora sai desgastada também por outros motivos. Nunca um projeto enviado à Alepe em caráter de urgência, que pelo regimento só pode durar 45 dias, demorou tanto em tramitar: 63 dias. Entre as quatro comissões técnicas em que passou, foi reprovado em três, inclusive na de Justiça, colégio que a governadora já perdeu a maioria e pode se complicar em outras matérias polêmicas, como projetos que versem sobre aumento para profissionais da área de saúde e professores.

O jogo de João Paulo – Sob a orientação do deputado João Paulo, o mais governista da bancada de Raquel na Alepe, a bancada do PT votou fechada pelo projeto que acaba as faixas salariais entre os policiais militares e bombeiros. O que se ouve nos bastidores da Casa é que João sonha acordado em ser candidato a prefeito do Recife com o apoio de Raquel, mesmo em nível nacional o PSDB, partido da governadora, fazer oposição ao Governo Lula. João também aposta na possibilidade de Daniel Coelho, nome apoiado pela governadora, não decolar. E ele surgir como tábua de salvação para Raquel Mandacaru no enfrentamento a João Campos.

Não pagou nem a metade – João Paulo, o roxo governista, já vinha votando favorável ao Governo em comissões estratégicas e no plenário, contrariando a orientação do seu partido. Virou assíduo frequentador do Palácio das Princesas e diz que o cafezinho que se serve por lá é uma maravilha. A surpresa ficou por conta da radical Rosa Amorim, que, recentemente, saiu do Palácio elogiando a Raquel Mandacaru depois de ser recebida com um grupo do MST. Rosa está bem afinada com o vice-líder do Governo na Alepe, Joãozinho Tenório (PRD). Os tempos mudam. Quem era o PT, hein?

Cronograma até 2026 – Pelo texto original do governo aprovado, ontem, o cronograma para a extinção das faixas salariais será o seguinte: 1º de junho de 2024: todos os ocupantes da faixa A passam a se enquadrar na faixa B do seu respectivo posto ou graduação; 1º de junho de 2025: os ocupantes da faixa B passam para a faixa C; 1º de junho de 2026: os policiais que se encontram nas faixas C e D serão enquadrados na faixa E, que passará a ser a faixa única de soldo.

Governo lento e desastroso – Dois anos após a tragédia que matou mais de 130 pessoas em Pernambuco, em decorrência das chuvas, a governadora Mandacaru sequer finalizou a licitação que deve recuperar o local mais afetado pelo desastre natural em 2022, que é o bairro de Jardim Monte Verde, limite entre o Recife e Jaboatão dos Guararapes. Integrantes do governo se reuniram, ontem, com representantes de 44 municípios para tratar da Operação Inverno, que reúne ações de prevenção e redução de riscos causados pela chuva.

CURTAS

RESGATADA – A deputada federal gaúcha Franciane Bayer, do Republicanos, e familiares dela foram resgatados de barco na casa da parlamentar, na última segunda-feira, em Porto Alegre. Moradora de Canoas, na Região Metropolitana da capital gaúcha, Franciane havia se refugiado na casa da mãe depois de ter deixado a sua na sexta-feira passada quando a Defesa Civil emitiu um alerta de risco de inundação.

IMPEDIDO – O ministro Cristiano Zanin, do STF, declarou, ontem, seu impedimento para julgar o recurso do ex-presidente Jair Bolsonaro contra sua inelegibilidade, declarada pelo Tribunal Superior Eleitoral em 2023. A decisão de Zanin atende a um pedido da defesa de Bolsonaro.

TRAPALHÃO – Sem votos sequer para se eleger vereador em Ingazeira, sua terra natal, Mário Viana Filho ganhou uma boquinha do Governo Raquel e se apresenta na região do Pajeú como gerente de articulação do Governo. E foi, ontem, para a rádio Pajeú xingar o pré-candidato a prefeito de Afogados da Ingazeira apoiado pela governadora, Danilo Simões, herdeiro político da ex-prefeita Giza Simões.

Perguntar não ofende: Por que João Paulo não assume logo a liderança do Governo Mandacaru na Alepe?

Os primeiros outdoors da mídia dos 18 anos do blog, estes em parceria com a Bandeirantes Outdoor, já estão espalhados em várias áreas estratégicas e de grande visibilidade do Recife e Região Metropolitana. Nos próximos dias, também serão fixados nos principais corredores de BRs do Estado, como a 232 e a 101.

Por Iuri Pitta*

Surgem sinais no horizonte do governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de que a queda na aprovação do presidente, registrada nos primeiros meses de 2024, começou a refluir em abril e maio.

Uma série de pesquisas de opinião pública publicadas nesta semana captou, cada uma com metodologias e timings próprios, a reversão de tendência. A dúvida é a intensidade e a duração dessa retomada de fôlego na imagem do presidente.

O mais recente levantamento foi feito pela Atlas e divulgado na tarde de hoje, horas depois de pesquisa CNT/MDA ter sido publicada. Um dia antes, a Febraban/Ipespe também trouxe dados sobre a percepção dos brasileiros sobre o governo Lula.

Como analisar e interpretar corretamente tantos dados disponíveis?

O sociólogo e cientista político Antonio Lavareda recomenda olhar para a questão primeira que os institutos fazem aos entrevistados: você aprova ou desaprova o governo? É uma pergunta dicotômica, que permite extrair um saldo, positivo ou negativo, quando se subtrai do percentual que aprova os que desaprovam.

Esse cálculo perde precisão quando se olha a avaliação por uma escala de ótimo/bom a ruim/péssimo. Com essas três pesquisas, a compilação feita por Lavareda chega a 43 levantamentos feitos desde o início do mandato de Lula.

Dessas, apenas uma registrou saldo numericamente negativo (Paraná Pesquisas, de 18 a 22 de março). Pelo menos outras sete apontaram empate técnico: isto é, embora o percentual de aprovação fosse maior que a desaprovação, estavam dentro da margem de erro e, portanto, não se pode afirmar estatisticamente que uma é maior que a outra.

Restam, assim, mais de 30 levantamentos em que o saldo é significativamente positivo para o governo. Em outras palavras, são retratos de momentos em que os institutos identificaram, com significância estatística, que há mais brasileiros que aprovam o trabalho de Lula do que desaprovam.

Lula 3, o filme

Nesse caso, vale recuperar o clichê de que pesquisa é retrato de momento, e é preciso sempre olhar o filme quando se trata de opinião pública. Por isso a metodologia sugerida por Lavareda, para se olhar a trajetória dos saldos ao longo do tempo, pelos mais variados institutos, torna-se mais eficaz.

Isso porque, quando há um intervalo de tempo maior entre dois levantamentos de um mesmo instituto, como o CNT/MDA, que foi a campo em janeiro e em maio, pode faltar um retrato da sequência, que foi justamente março, mês em que Genial/Quaest, Atlas, IPEC, Paraná e PoderData detectaram uma sequência de saldos inferiores ao que o governo registrava ao longo de 2023.

No caso da Atlas, com levantamentos em janeiro, março e maio, fica visível a queda nos primeiros meses do ano e a retomada de abril para cá: o saldo cai de 9 pontos para 1 e, agora, está em 6.

Ao se olhar todo o compilado de dados de Lavareda, surgem três informações que ajudam a compreender melhor as variações das curvas e vislumbrar para onde sopram os ventos da opinião pública:

  1. O ritmo de alta da desaprovação foi maior do que o da queda da aprovação entre janeiro de 2023 e maio de 2024;
  2. A desaprovação se consolidou acima dos 40% ainda em meados de 2023;
  3. Desde o início de 2024 a aprovação de Lula tende a ficar em torno dos 50%.

Para reforçar essa percepção, vamos aos saldos das três pesquisas divulgadas nesta semana:

  • Febraban/Ipespe: + 6 pontos (49% aprovam e 43% desaprovam);
  • CNT/MDA: + 7 pontos (50,3% aprovam e 43,7% desaprovam);
  • Atlas: + 6 pontos (51% aprovam e 45% desaprovam).

Parece haver uma tendência de recuperação da imagem perdida. O que as próximas pesquisas podem ajudar a compreender é a intensidade e a duração dessa retomada de espaço.

É baixa a probabilidade de que Lula volte a registram saldos muito acima dos dois dígitos, como chegou a se observar no primeiro semestre de 2023. E parece de fato que o momento mais difícil coincidiu com uma percepção maior de preços altos – em especial a inflação dos alimentos, de componente sazonal.

Não por acaso, ao falar das diversas ações necessárias para ajudar o Rio Grande do Sul após a histórica enchente deste ano, Lula também olhou para o preço do arroz e do feijão em todo o Brasil e colocou à mesa a hipótese de importação desses produtos.

Mesmo com polarização em alta e convicções que parecem cada vez mais cristalizadas, os rumos da economia ainda fazem diferença.

A exemplo do cidadão que quer terminar o mês antes do saldo positivo da conta corrente, no Brasil atual, percorrer quatro anos de mandato com aprovação maior do que a desaprovação, acima da margem de erro dos institutos, não é tão pouco quanto parece. Para Lula, o desafio é sustentar esse saldo até 2026.

* Jornalista, mestre em administração pública e governo e professor universitário