empetur

03/12


2016

Temer conspira contra Temer

Jorge Bastos Moreno - O Globo

O governo Temer começou com um núcleo político questionável e a equipe econômica com a qual Lula sonhou para salvar a claudicante gestão Dilma. O núcleo político foi se esfarinhando: caíram Henrique Alves, Jucá e Geddel. Do que sobrou dele, Padilha, abatido por sucessivas crises de hipertensão, praticamente afastou-se, em boa hora, de Brasília, e, agora, o presidente tem apenas Moreira Franco. Se isso é bom ou ruim, não sou eu que irei dizer.

Quanto à equipe econômica, ela ainda é o único trunfo que sustenta o apoio do PIB ao governo. Mas, agora, Temer corre o risco de, por pressões políticas, perder também Meirelles, o “pau do circo”, segundo Delfim Netto. E o que faz o presidente para conter essas pressões? Anuncia que vai “conversar mais” com Armínio Fraga, o candidato dos tucanos para o cargo, alimentando ainda mais a nova crise.

É Temer conspirando contra Temer.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Empetur [2] Recife Antigo

03/12


2016

Nordeste enfrenta a maior seca de sua história

VEJA

Dados do volume de chuvas mostram que a região foi assolada pelo menos 84 vezes por períodos de estiagem prolongada

O Nordeste brasileiro enfrenta a seca mais longa desde que começaram as medições pluviométricas. Desde 2010, a região está com chuvas abaixo da média. A região é naturalmente vulnerável às variações pluviométricas. Os registros históricos e, mais recentemente, os dados do volume de chuvas mostram que o Nordeste foi assolado pelo menos 84 vezes por períodos de estiagem prolongada.

VEJA viajou por 1 200 quilômetros para descrever como a seca que está sendo considerada como a maior da história está afetando os mais de 23 milhões de brasileiros que vivem no semiárido nordestino – a região seca mais densamente povoada do planeta. A reportagem que está publicada na edição da revista desta semana, descreve o impacto econômico e os efeitos ecológicos do fenômeno. Além disso mostra como os sertanejos se fortaleceram para enfrentar a seca que, apesar de ser a mais duradoura, não tem sido capaz de flagelar a região como no passado.

Um dos efeitos inéditos da seca atual é a ameaça sobre os grandes centros urbanos. Cidades como médias como Campina Grande, na Paraíba, estão sob risco de colapso de abastecimento. A região metropolitana de Fortaleza, no Ceará, está ameaçada de racionamento. O açude Castanhão, de onde sai a água que abastece os quase 4 milhões de habitantes da capital cearense se seu entorno, está com pouco mais de 5% de sua capacidade. Com o atual ritmo de consumo, o reservatório só é capaz de prover a população até março.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Governo PE

03/12


2016

Em jato da FAB, Moraes vai passar o feriado em casa

Nas asas do poder - Alexandre de Moraes usou um avião da FAB para passar o feriado do dia 12 de outubro em casa. Como sabe que só deveria usá-lo a serviço, sua excelência agendou compromissos na capital paulista no dia 13, mas viajou no dia 11, na véspera da folga.

Já o mercado financeiro parece ter recebido bem o noticiário sobre a assinatura do acordo de leniência da Odebrecht e o pedido de desculpas do grupo baiano. Os bonds da Odebrecht Engenharia & Construção subiram 10% hoje e atingiram o melhor patamar em 2016.

Além disso, as ações da Braskem, braço petroquímico do conglomerado e que participa do acordo, apresentavam a maior alta do Ibovespa nesta tarde, subindo mais de 12%. Ao final do dia, ação fechou com uma valorização de 12,43%, a maior cotação de sua história. (Radar – Veja)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Sopranor 1

03/12


2016

Temer no velório: comunico agora para facilitar

Temer está em Chapecó para cerimônia em aeroporto (Foto: Reprodução/TV Globo)

Presidente e ministros participam de cerimônia com honras militares

Do G1 SC

O avião com o presidente Michel Temer pousou no Aeroporto de Chapecó pouco depois das 8h45 deste sábado (3). Antes dele, chegaram autoridades como Leonardo Picciani, ministro do Esporte, e Walter Feldman, da CBF. Michel Temer decidiu ir ao velório coletivo na Arena Condá, segundo o cerimonial da presidência.

"Não poderia dizer ontem que iria ao estádio porque a segurança colocaria pórticos e revistaria as pessoas que entram. Só comuniquei agora para facilitar a vida de todos", disse Temer para justificar porque confirmou apenas hoje que iria à Arena Condá e não apenas ao aeroporto.

Temer recepcionou, ao lado de ministros e do governador Raimundo Colombo, a chegada dos dois aviões da Força Aérea Brasileira com 50 corpos das vítimas do acidente aéreo com a delegação da Chapecoense.

O primeiro avião da FAB, com 23 caixões, chegou aeroporto de Chapecó por volta 9h30. O segundo, com 27 caixões, pouco antes das 9h45.

Houve seguida uma cerimônia com honras militares com participação de Temer.

Durante a cerimônia, o presidente iria entregar às famílias a Medalha da Ordem do Mérito Desportivo como reconhecimento do governo federal e do povo brasileiro pelos serviços prestados ao país por todos os que estavam no voo que caiu na Colômbia na madrugada de terça (29), mas este momento foi adiado.

"Foi um trágico acontecimento que abalou o país, abalou o mundo. Quando vejo essa chuva que está caindo aqui acho que é São Pedro chorando pela mortes desses jogadores", declarou o presidente.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner - Hapvida

03/12


2016

Ameaça de Deltan repercute mal entre a turma de Janot

A ameaça de largar a Lava Jato, feito por Deltan Dallagnol e sua turma, continua reverberando entre os procuradores que atuam na PGR, em Brasília.

A avaliação na capital é de que o recado dado pela força-tarefa no Paraná tinha como alvo a população, não o Congresso.

Os procuradores adorariam, lógico, que a entrevista empurrasse o país às ruas para evitar as mudanças no projeto das Dez Medidas de Combate à Corrupção e a votação da proposta que endurece as penalidades contra abusos de autoridade.

Isso não aconteceu. E, agora, o campo da disputa entre parlamentares e investigadores não é o fórum, mas o plenário. Ou seja, as excelências jogam em casa.

Na PGR, acredita-se que os torpedos vindos de Curitiba durante a entrevista dos procuradores só fez aumentar a temperatura, dando a Renan Calheiros mais um estímulo para tentar aprovar o que for possível no Senado para bombardear o Ministério Público. (Radar – Folha de .Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


03/12


2016

No Rio, até bandido reclama da segurança pública

Preso pela PM na última quarta-feira, o traficante Carlos José da Silva Fernandes, o Arafat, contou uma história, já dentro da carceragem, que ilustra bem a situação de total descontrole da segurança pública do estado.

 Meses atrás o bandido  mandou um emissário levar seu carro, um HB20, para vender em uma concessionária. Na altura da Fazenda Botafogo, na zona Norte, seu cúmplice foi assaltado! E roubaram o carro do ‘patrão’. Detalhe: o ataque foi feito pela mesma quadrilha da qual Arafat é um dos chefões. E assim, claro, conseguiu recuperar seu veículo.

Desde agosto, o Rio de Janeiro já quebrou o recorde de assaltos da história em três meses consecutivos. De acordo com dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), outubro registrou a incrível e inédita marca de mais de 20 000 roubos (especificamente 20.242 assaltos), um aumento considerável em relação ao outubro de 2015, que totalizou 12.017 roubos.  (Radar – Veja)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

FMO

03/12


2016

Ai de quem mexer com a Lava-Jato!

Ricardo Noblat

O apoio dos brasileiros à Lava-Jato é cada vez mais esmagador. Foi o que ficou demonstrado na mais recente pesquisa aplicada pela Ipsos, empresa presente em 88 países e respeitada por sua independência. Margem de erro: três pontos percentuais.

A Ipsos fez entrevistas presenciais com 1.200 pessoas em 72 cidades entre 1 e 13 de novembro. Para 96% delas, as investigações da Lava-Jato “devem ir até o fim, custe o que custar”. Em pesquisa de janeiro último, os que assim pensavam eram 90%.

Naquele mês, 81% dos pesquisados acreditavam que a operação deveria seguir mesmo com riscos de instabilidade política, e 79% declararam que a Lava-Jato deveria continuar mesmo com impacto na estabilidade econômica.

Agora, para 94%, a operação deve continuar mesmo com o impeachment de Dilma e com a prisão do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha. O mesmo percentual acredita que ainda restam muitos nomes a serem investigados.

O partido mais associado à operação da Lava-Jato é o PT (66%). Em segundo lugar, o PMDB (7%). Em terceiro, o PSDB (3%).  Para 64% dos entrevistados, a Lava-Jato está investigando todos os partidos. Para 94%, ela deveria, sim, investigar todos os partidos.

83% dos pesquisados acreditam que Lula será mencionado na delação da Odebrecht. Isso ocorrerá também com Dilma (66%) e Temer (54%). Quando perguntados se acreditam na participação de Lula em casos de corrupção, 84% responderam que sim.

Mais da metade (51%) não acredita que Lula será preso, contra 47% que acredita. Para 95%, as investigações da Lava-Jato devem continuar mesmo que Lula seja julgado culpado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Pereira da Silva

O partido mais associado à operação da Lava-Jato é o PT (66%)... E ai petralhada vagabunda e corrupta algum comentário?



03/12


2016

Velório: agradecimentos à Colômbia e Atlético Nacional

Cerimônia acontece na manhã deste sábado, na Arena Condá, em Chapecó

VEJA - Luiz Felipe Castro, de Chapecó

As demonstrações de afeto do povo colombiano, especialmente por parte dos torcedores do Atlético Nacional de Medellín, foram muito valorizadas pelos moradores de Chapecó e também pelos organizadores do velório coletivo marcado para a manhã deste sábado na Arena Condá.

Durante a montagem das estruturas ocorrida na noite desta sexta-feira, foram vistos uma bandeira da Colômbia e um grande cartaz com o logo, em preto, do Atlético Nacional – que seria o adversário da equipe catarinense na final da Copa Sul-Americana e lotou o estádio Atanasio Girardot, na última quarta-feira, para homenagear os adversários mortos.

Nas arquibancadas, também foram vistas bandeiras da Colômbia e mensagens de agradecimento ao país. A organização do evento, formada por muitos voluntários, também espalhou flores em volta de um símbolo gigante da Chapecoense.

Os aviões com os corpos das vítimas deve chegar à Chapecó por volta das 8h da manhã deste sábado. Na sequência,a eles serão levados à Arena Condá para a cerimônia. São esperadas mais de 100.000 pessoas no evento – haverá espaço para 19.000 pessoas nas arquibancadas da Arena Condá, além de 2.000 lugares no gramado para familiares e autoridades. O restante do público deve permanecer na área externa, onde telões serão instalados.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Odonto Personalité

03/12


2016

Coluna do sabadão

    Fim da reeleição volta à pauta 

Lideranças partidárias acertaram para votar, na próxima semana, a Proposta de Emenda à Constituição que acaba com a reeleição para cargos do Poder Executivo. A proposta tramita em conjunto com a PEC 36/2016, dos senadores do PSDB Aécio Neves (MG) e Ricardo Ferraço (ES), que dá fim às coligações nas eleições proporcionais (vereadores e deputados) e cria uma cláusula de barreira para a atuação dos partidos políticos – medida que repercute no acesso ao fundo partidário e ao tempo de propaganda e impõe maior rigor para a criação de novas legendas.

Segundo o calendário negociado pelos líderes partidários no Senado, o segundo turno de votação da PEC do fim da reeleição está marcado para o dia 13 de dezembro próximo. Como há um consenso entre as lideranças pela aprovação da PEC, a proposta já tem até data de promulgação pelo Congresso Nacional: 15 de dezembro deste ano, em sessão solene.

De acordo com o texto, ficarão inelegíveis presidente, governadores e prefeitos no período eleitoral seguinte, com exceção dos que já estão no cargo e ainda não foram reeleitos, a exemplo do governador Paulo Câmara (PSB). Inicialmente, acreditou-se que prefeitos e governadores eleitos, respectivamente, em 2012 e 2014, não poderiam concorrer à reeleição com a aprovação da PEC, porém a própria proposta e parecer do senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), relator da PEC, apontam para o contrário.

“Estamos de acordo com a regra transitória que garante aos prefeitos eleitos em 2012 e aos governadores eleitos em 2014, o direito de concorrer à reeleição, desde que não tenham sido reeleitos naquelas eleições. Entendemos que essa ressalva é coerente com os princípios da segurança jurídica e do direito adquirido, constantes da Constituição Federal (v.g. art. 5º, caput e inciso XXXVI)”, diz o trecho do parecer.

A vedação da reeleição para os cargos do chefe do Poder Executivo tem sido articulada no Senado, principalmente pelo senador Aécio Neves, que trabalha ainda, em paralelo, para ser o candidato do PSDB à Presidência da República em 2018. Com a iminente impossibilidade de o presidente Michel Temer (PMDB-RJ) em concorrer à reeleição, o tucano vê caminho aberto para o Palácio do Planalto.

SEM PERDA– O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), é considerado por ex-presidentes da República como o melhor aliado, mas também um temível adversário. Nos três mandatos que exerceu como presidente do Senado mostrou sua força no plenário e também ousadia para tomar decisões que, ora ajudavam muito o governo, ora atrapalhavam os planos do Palácio do Planalto, dependendo de sua conveniência política no momento. Mesmo na condição de réu, por decisão tomada, ontem pelo Supremo Tribunal Federal, Renan não vai perder o cargo que mais gostou de ocupar em sua vida pública.

No Sul está piorEnquanto no Recife o prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), já garantiu o pagamento do 13º salário para o próximo dia 20, em Porto Alegre o prefeito José Fortunati (PDT) não conseguirá pagar o benefício dos funcionários públicos do município até o fim de seu mandato, em dezembro. Em entrevista, ontem, à Rádio Gaúcha, ele disse que não terá recursos para pagar os servidores. Garantiu, porém, o salário do último mês do ano em dia. No fim de novembro, Fortunati buscou antecipar a cobrança do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) para dezembro. A população teria 15% de desconto caso pagasse neste período.

Sem pagamentos – Em nota, a Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho esclareceu, ontem, que no último dia 30 de novembro o Tribunal Regional Federal da 5ª Região liberou para pagamento os precatórios relativos ao extinto Fundef.  Antes dos recursos ingressarem nos cofres, a juíza da Vara da Fazenda Pública da Comarca do Cabo deferiu o pedido de bloqueio dos valores formulado pelo Sindicato dos Professores do município. De acordo com o secretário municipal de Gestão Pública, Lusivan Oliveira, a decisão, hoje favorável ao Sindicato dos Professores, prejudica o pagamento do 13º salário dos todos os servidores da Educação e fornecedores da rede municipal de ensino, bem como os comerciantes e empresários da cidade, pois deixará de movimentar a economia local.

Mais voos para Petrolina – A partir de ontem, os passageiros que utilizam o aeroporto Senador Nilo Coelho, em Petrolina, terão à disposição mais uma opção de voo com destino a Guarulhos, em São Paulo, operado pela companhia aérea Avianca. O voo inaugural aterrissou, ontem, por volta das 22h horas, recebendo o batismo. O prefeito Julio Lóssio (PMDB) disse que a nova opção aérea é resultado de várias reuniões que teve com a Aviação Civil pleiteando a ampliação de destinos saindo da cidade.

Hospital de cara novaO administrador de Fernando de Noronha, Luís Eduardo Antunes, inaugura, na próxima segunda-feira, a reforma do Hospital São Lucas – HSL, que passou por reestruturação e a consulta pública para a implantação da casa de parto da ilha. As ações estão inseridas no balanço da gestão à frente da Administração do arquipélago há um ano. A unidade de saúde passou por remodelação em toda a estrutura física, ampliação da área para os serviços administrativos, acesso de pacientes para a sala vermelha, de estabilização com corredor exclusivo para facilitar a remoção da vítima da ambulância até o atendimento.

 

 

CURTAS

CARNAVAL- O prefeito eleito de Olinda, Professor Lupércio (SD), definiu, ontem, a comissão encarregada de organizar o Carnaval. Formada por 15 membros, a equipe vai ser coordenada pelo radialista Gilberto Sobral, o empresário Flávio Urquisa e a vereadora do município Mônica Ribeiro. O anúncio dos nomes foi feito durante uma reunião que aconteceu em um hotel localizado no bairro do Carmo.

ATO– Integrantes do Ministério Público do Trabalho (MPT) em Pernambuco se reuniram, ontem, com colegas de outros ramos do Ministério Público (MP) e da magistratura em ato em defesa da justiça. Na ocasião, divulgaram carta contra a corrupção e a impunidade. O evento foi organizado pela Frente Associativo da Magistratura e do Ministério Público, no Fórum Rodolfo Aureliano (Joana Bezerra). A procuradora-chefe substituta, Lívia Viana de Arruda, representou o MPT em Pernambuco.

Perguntar não ofende: Quando Lula vai ser preso? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Alberto Costa Santos

Odebrecht diz que caixa dois para Serra foi pago em conta na Suíça. E um da\'lua coxinha falando babaquice.

Alberto Costa Santos

Odebrecht diz que caixa dois para Serra foi pago em conta na Suíça. E um da\'lua coxinha falando babaquice.

Alberto Costa Santos

Odebrecht diz que caixa dois para Serra foi pago em conta na Suíça. E um da\'lua coxinha falando babaquice.

José Pereira da Silva

LULA vai ser nosso presidiário em 2018, na pesquisa sobre a lava jato:Quando perguntados se acreditam na participação de Lula em casos de corrupção, 84% responderam que sim, então petralhada vagabunda e corrupta algum comentário? hahahahahahahahahahahaha

Alberto Costa Santos

Pergunta não ofende: Então pergunta! Quando o Eduardo Azeredo vai pro xilindró, quando a roubalheira do PSDB vai ser questionada neste blog. Ora bolas!


Naipes

03/12


2016

Senadores: “constrangimento" com Renan réu no STF

Alguns parlamentares ouvidos pelo G1 dizem que situação 'afeta credibilidade' da Casa; outros, porém, avaliam que assunto é 'privado'.

Por Gustavo Garcia, G1, Brasília

Após o Supremo Tribunal Federal (STF) tornar réu o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), alguns parlamentares ouvidos pelo G1 citaram "constrangimento" com a situação. Outros, porém, afirmaram que o assunto é "privado".

Na quinta (1º), por 8 votos a 3, os ministros do STF aceitaram parte da denúncia oferecida pelo Ministério Público e decidiram abrir uma ação penal contra o presidente do Senado pelo crime de peculato, ou seja, por desvio de dinheiro público (veja mais detalhes sobre o caso no vídeo abaixo).

Presidente do Senado Renan Calheiros se torna réu

Renan é acusado de destinar, em 2005, parte da verba indenizatória do Senado para uma locadora que, segundo o Ministério Público, não prestou os serviços.

O senador, por sua vez, diz que a denúncia é "recheada de falhas" e vai provar a inocência dele no caso.

O que dizem os senadores
Para Lasier Martins (PDT-RS), o episódio envolvendo Renan Calheiros "agrava o constrangimento" do Legislativo.

"Passamos a ser presididos por um senador réu em um processo criminal. Não há muito o que fazer porque Renan está no final do mandato de presidente. Então, acho que essa situação constrangedora será aceita por serem poucos dias", afirmou o parlamentar ao G1.

Na mesma linha, o líder do PPS, Cristovam Buarque (DF), disse que a confiança da população no Senado ficou "abalada" após a decisão do Supremo, ainda que o processo ainda não tenha sido concluído – Renan ainda será julgado.

"[O fato de Renan ser réu] afeta a credibilidade da Casa. Não é um assunto pessoal. Uma pessoa que é presidente do Congresso, o segundo na linha de sucessão [da Presidência]. [...] Não se trata de um assunto pessoal, pois, nesses casos, os assuntos repercutem na República inteira", declarou.

Ao G1, a assessoria do líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), informou que a bancada discutirá a situação de Renan Calheiros nesta segunda (5). Na reunião, os petistas deverão decidir se pedem ou não a renúncia do peemedebista do cargo de presidente do Senado.

'Questão pessoal'
O líder do governo no Senado, Aloysio Nunes (PSDB-SP), por sua vez, avaliou que a situação de Renan no Supremo Tribunal Federal não atinge os demais senadores.

"É uma questão pessoal. Cabe a ele [Renan, apresentar] a defesa, e não ao Senado. Evidente que não é uma coisa boa, mas os senadores não se sentem atingidos porque a denúncia se dirige a Renan", disse.

Na avaliação do líder do PSDB, Paulo Bauer (SC), disse que o assunto é "privado" e, além disso, o partido só se manifestará sobre uma eventual saída do peemedebista do comando do Senado quando o Supremo decidir se réus podem ocupar cargos na linha sucessória da Presidência da República (saiba mais sobre este assunto).

Da mesma forma, o presidente do DEM, senador Agripino Maia (RN), afirmou que o episódio "não desmoraliza" o Senado. Além disso, acrescenta, Renan está no fim do mandato de presidente da Casa (um novo presidente será eleito em 1º de fevereiro).

"Não há nenhuma regra que o obrigue a deixar a presidência do Senado, e ele está no fim do mandato. Cabe a ele decidir se sai ou não, se ele se sente confortável para continuar", disse.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


03/12


2016

Moro condena ex-tesoureiro do PP a 8 anos de prisão

O Globo - Cleide Carvalho e Dimitrius Dantas

O juiz Sérgio Moro condenou João Cláudio de Carvalho Genu, ex-tesoureiro do PP e ex-assessor do deputado José Janene (já falecido), a oito anos e oito meses de prisão por corrupção e associação criminosa no esquema de corrupção na Petrobras. Segundo a denúncia do Ministério Público Federal, Genu recebia 5% da propina da diretoria de Abastecimento da estatal até 2010, quando Janene morreu.

Depois, passou a dividir a propina com o doleiro Alberto Youssef. Genu teria recebido R$ 4,3 milhões entre 2007 a 2013, além de valores em euros e dólar (125 mil euros e USD 390 mil). Parte dos valores ele recebeu em espécie no Posto da Torre, em Brasília, que deu o nome à Operação Lava-Jato.

Genu já havia sido flagrado e condenado no mensalão. Moro classificou como "pertubador" o fato de ele ter sido julgado no Mensalão e, mesmo assim, ter continuado a receber proponas até julho de 2013. "Nem o julgamento condenatório pela mais Alta Corte do País representou fator inibidor da reiteração criminosa, embora em outro esquema ilícito. Agiu, portanto, com culpabilidade extremada", afirmou o juiz. O ex-assessor do PP foi inocentado do crime de lavagem de dinheiro e os bens da mulher dele foram desbloqueados.

Continue lendo: Moro condena ex-tesoureiro do PP a oito anos de prisão


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Pereira da Silva

Tá faltando o chefe de todas as quadrilhas o LULADRÃO.

ivan rodrigues

Mais um tesoureiro de Partido bi-condenado e bi-preso para fazer companhia a Vaccari e Delúbio. A promiscuidade com seus cúmplices/empresários vai lhes fazer bem! Podem até fazer rodas de porrinha e dominó na cadeia.



03/12


2016

Temer tropeça em sucessão de erros, até Chapecó

Andrei Meireles – Blog Os dvergentes

Michel Temer parece fora do prumo. Tem cometido seguidos erros desabonadores a sua reconhecida experiência política. Errou ao meter o bedelho no espigão de Geddel; erra no jogo dúbio em relação aos monstrengos criados no Congresso para tentar salvar a pele dos políticos na Lava Jato; erra ao repetir Dilma Rousseff e aceitar a fritura do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

Talvez o maior erro seja em relação à tragédia que matou o time, técnico, dirigentes de Chapecó e jornalistas. O plano dos gênios palacianos é de Michel Temer apenas participar de uma cerimônia no aeroporto da cidade. Com receio de hostilidades, ele não iria a Arena de Condá, ponto alto de belas homenagens, iniciadas em uma linda e emocionante cerimônia no estádio do Atlético de Medellín.

Se está com receio de vaia, talvez o melhor é nem ir lá.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

bm4 Marketing 8

03/12


2016

Planalto: Geddel não explicou acusações de Calero

Integrantes da Comissão de Ética da Presidência dizem que, mesmo após a entrega de sua defesa, Geddel Vieira Lima ainda não conseguiu “fazer um enfrentamento detalhado” de todos os pontos da acusação de que pressionou Marcelo Calero a liberar uma obra na Bahia.

Segundo eles, há lacunas nas versões apresentadas pelo antigo chefe da articulação política de Michel Temer. Há risco, inclusive, de que esses supostos buracos arrastem outros integrantes do governo para o caso.

A confusão em que a classe política se meteu nas últimas semanas — caso Geddel, dez medidas e abuso de autoridade — fez embaixadores sediados no Brasil questionarem se não havia mesmo sentido na tese petista de golpe para estancar a Lava Jato.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


03/12


2016

Quem não pode ir a velório vive o próprio funeral

Blog do Josias de Souza

Michel Temer decidiu render homenagens aos mortos de Chapecó. Bom! Acompanhado de Marcela, sua mulher, o presidente voará para a cidade catarinense neste sábado. Ótimo!! Após determinar o transporte dos mortos pela FAB, Temer deseja confortar os parentes. Extraordinário!!!

A coisa parecia caminhar bem. Até que… O setor de inteligência do governo farejou o risco de protestos. Temer foi aconselhado a evitar o velório. Com medo de vaias, concordou. Deve cumprimentar os parentes no aeroporto, em cerimônia a ser realizada após o desembarque dos corpos. Se é assim, melhor ficar em casa.

O aeroporto esvazia a morte do seu sentido dramático. Os defuntos estarão fora do seu ambiente natural. Prevê-se uma solenidade de distribuição póstuma de medalhas. Os parentes serão constrangidos a trocar a espontaneidade da dor por uma máscara cerimoniosa. Um desastre!

Pai do zagueiro Filipe, Osmar Machado declarou: “Eu não preciso do cumprimento dele no aeroporto. Se ele tem dignidade e vergonha na cara, que venha aqui [no velório a ser realizado no estádio municipal] cumprimentar as pessoas.''

Temer talvez devesse ouvir menos seus assessores. Há risco de protestos em Chapecó? Pior para os organizadores, que desrespeitam o luto alheio. No mais, resta constatar: um presidente da República que não pode frequentar um velório talvez esteja vivendo seu próprio funeral. Em política, quando o vivo é pouco militante muitos têm vontade de lhe enviar coroas de flores.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


03/12


2016

Renan, um réu destemido

Leandro Colon - Folha de S.Paulo

É remota a possibilidade de Renan Calheiros (PMDB-AL) ser julgado no curto prazo na ação penal que o STF (Supremo Tribunal Federal) acaba de abrir contra ele.

A lentidão dos trabalhos da suprema corte, que acatou só na quinta (1º) a denúncia feita em janeiro de 2013, joga a favor do presidente do Senado.

Dentro do tribunal, ministros avaliam ser bem provável que o crime de peculato, pelo qual Renan responde, esteja prescrito até a conclusão do processo, o que impediria a aplicação de uma punição ao senador.

Ou seja, Renan pode tornar-se um "réu decorativo" do caso em que foi acusado de ter recebido ajuda de empreiteira para pagar pensão a uma filha. O escândalo levou à renúncia dele da presidência do Senado em 2007.

Após a queda, ele passou por um rápido ostracismo e retornou ao comando da Casa em fevereiro de 2013.

Seu mandato de presidente termina em fevereiro e poderia ser abreviado se o STF tivesse concluído a votação que proíbe réus de assumirem a cadeira de presidente da República.

Há maioria formada no STF para o entendimento de que um réu não pode ocupar as presidências da Câmara ou do Senado, ambas na linha de sucessão do Palácio do Planalto.

Um pedido de vista de Dias Toffoli em novembro adiou a votação sobre o tema. Toffoli, que votou pela rejeição da denúncia contra Renan na quinta (1º), não deu previsão de quando devolverá o caso ao plenário.

Bom para o réu, que deve deixar a presidência do Senado sem grandes embaraços, até porque também caminham como tartaruga até aqui os 12 inquéritos em tramitação no STF contra ele — alguns da Lava Jato.

É constrangedor para qualquer país que seu presidente do Congresso seja réu e tenha uma avalanche de investigações de desvios nas costas.

E que esse político ainda tenha tentado, mesmo que em vão, votar a toque de caixa, sem debate e com transmissão ao vivo pela TV Senado, uma medida que inclui formas de punição a juízes e procuradores.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores