Sebrae - Estamos ai

Comitiva de Raquel fecha estrada e provoca revolta

Leitores deste blog que tentavam seguir de Bezerros até Riacho das Almas pela BR-232, informaram, há pouco, que não conseguiram chegar ao seu destino por conta do engarrafamento causado pela comitiva da governadora Raquel Lyra, que cumpre agenda no município de Bezerros, incluindo festejos juninos em Serra Negra.

“Pararam tudo pra ela subir. Tive que ir por Caruaru e o pessoal de Recife e Gravatá voltando porque está tudo trancado”, disse uma leitora. Com isso, a governadora impede o ir e vir dos cidadãos”, protestou.

A Defesa Civil do Jaboatão dos Guararapes atualizou, no final da manhã deste sábado (15), os números das ocorrências registradas nas últimas 24h no município. Foram 79 ocorrências, sendo a maior parte referentes a colocação de lonas (42). Houve dez deslizamentos, todos sem vítimas. O monitoramento da situação está sendo acompanhado em tempo real, na Sala Integrada de Monitoramento da Defesa Civil.

Na comunidade Brasil Novo (Sapolândia), com a subida das águas, 30 pessoas desalojadas (16 adultos e 14 crianças) foram retiradas de suas casas pelo Corpo de Bombeiros, com apoio da Defesa Civil, e transportadas pela Prefeitura do Jaboatão ao abrigo localizado em Cajueiro Seco. No local, as pessoas receberão todo o suporte necessário durante o período em que estiverem sob os cuidados da Secretaria de Assistência Social. O prefeito Mano Medeiros acompanha a operação pessoalmente, junto com a primeira-dama, Andrea Medeiros.

Segundo a Defesa Civil, o volume acumulado de chuvas chegou a 146,2 milímetros. As equipes permanecem em prontidão, com equipamentos, barcos e veículos de apoio, podendo fazer o deslocamento rápido para qualquer ponto da cidade. Equipes da Secretaria de Infraestrutura também estão nas ruas trabalhando para que entulhos arrastados pelas águas não bloqueiem seu escoamento.

Em caso de necessidade, moradores podem acionar a Defesa Civil do Jaboatão dos Guararapes pelo telefone 0800 281 2099 ou pelo Whatzapp (81) 99185.6655.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou neste sábado (15) que considera uma “insanidade” punir uma mulher estuprada que comete aborto com uma pena maior do que a do estuprador.

O presidente deu a declaração ao ser questionado sobre sua posição a respeito do projeto em análise na Câmara dos Deputados que estabelece a aplicação de pena de homicídio simples nos casos de aborto em fetos com mais de 22 semanas. As informações são do g1.

“Eu sou contra o aborto. Entretando, como o aborto é a realidade, a gente precisa tratar o aborto como questão de saúde pública. Eu acho que é insanidade alguém querer punir uma mulher numa pena maior do que o criminoso que fez o estupro. É no mínimo uma insanidade isso”, disse Lula.

Lula concedeu entrevista à imprensa após encerrar os compromissos na Itália, onde participou da reunião do G7, grupo que reúne nações democráticas mais ricas do mundo: Estados Unidos (EUA), Canadá, Reino Unido, França, Alemanha, Itália e Japão. O presidente também esteve na conferência da Organização Internacional do Trabalho (OIT), realizada na Suíça.

Foi a primeira manifestação do presidente a respeito do mérito do projeto. Nesta semana, os deputados aprovaram um regime de urgência para o projeto, o que coloca a proposta diretamente na pauta do plenário da Câmara sem análise pelas comissões, acelerando a tramitação.

Caso a lei seja aprovada, o aborto seria equiparado ao homicídio simples, do artigo 121 do Código Penal. A pena, nesse caso, varia entre 6 e 20 anos de prisão. No caso do estupro, citado no artigo 213 do Código Penal, a pena mínima é de 6 anos quando a vítima é adulta, mas pode chegar a 10 anos.

Para virar lei, o texto ainda precisa ser aprovado pelos deputados e, também, pelo Senado; e, posteriormente, sancionado pela Presidência da República. Rodrigo Pacheco (PSD-MG) já disse que, se o tema chegar ao Senado, não será tratado com pressa.

Lula declarou que, por estar na Europa, não acompanhou os debates no Congresso, mas que pretende receber mais informações sobre o tema. O presidente defendeu a legislação atual, que assegura à vítima de estupro o direito de interromper a gravidez. O aborto é crime no Brasil, mas há situações em que a prática é permitida.

“Tenho certeza de que o que tem na lei já garante que a gente aja de forma civilizada para tratar com rigor o estuprador e para tratar com respeito a vítima. É isso que precisa ser feito”, afirmou Lula.

Do g1

Após a Justiça proibir o governo de Pernambuco de retirar o muro que dificulta o acesso à praia no Pontal de Maracaípe, no Litoral Sul do estado, a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) notificou, pela segunda vez, o proprietário do terreno sobre o cancelamento da autorização para manter a estrutura.

A notificação foi entregue na sexta-feira (14) por três servidores do órgão ambiental ao advogado e empresário João Fragoso, em seu escritório, no bairro do Rosarinho, na Zona Norte do Recife.

O documento, assinado pelos cinco diretores da CPRH, notifica extrajudicialmente o proprietário, listando como justificativas argumentos contidos no relatório do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), divulgado na audiência pública da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), realizada em 23 de maio, e detalhado pelo g1.

Na “decisão de diretoria plena”, a CPRH cita “questões de fato, técnicas e jurídicas apontadas no relatório de vistoria do Ibama”, incluindo trechos do relatório do órgão ambiental federal:

  • “Inexiste erosão costeira que justifique a construção e permanência do muro de contenção instalado no pontal de Maracaípe”;
  • O muro está em área em que não é possível construir por questão de segurança (non aedificandi), “impedindo desova de tartarugas e causando poluição ambiental”;
  • E “impedindo o livre acesso à praia e agravando o risco de intensificação de processos erosivos em áreas adjacentes”.

A decisão encaminhada ao advogado João Fragoso refere-se à autorização para a manutenção do muro e permanência da construção, que vale até setembro deste ano.

No mesmo documento, a CPRH reconhece que, apesar da nova determinação para retirar a barreira, a autorização anterior é válida até que haja uma decisão judicial sobre o assunto, ou até que acabe o prazo da licença ambiental.

Após receber a segunda notificação da CPRH, o empresário questionou a iniciativa do órgão ambiental e disse que vai aguardar a decisão da justiça sobre o caso.

“A Justiça cancelou o cancelamento. Eu pedi para fazer o muro de contenção, a CPRH autorizou, eu paguei as taxas todinhas, a CPRH determinou como ia ser feito. Gastei quase R$ 1 milhão e agora diz que tem que derrubar? Não é assim não”, afirmou João Fragoso, que justifica a necessidade da construção com um estudo da agência ambiental, publicado em 1998, sobre a região de Maracaípe.

O empresário diz que utilizou estudos da CPRH para mostrar o assoreamento da foz do Rio Maracaípe e que cumpriu todas as exigências da agência, incluindo todos os monitoramentos exigidos que, segundo ele, custaram R$ 40 mil, cada.

“Fiz três relatórios de monitoramento detalhados sobre a situação da área do Pontal de Maracaípe desde que o muro de contenção foi instalado. O muro de contenção tem 250 metros, como foi exigido pela CPRH. O resto do terreno tem um cercamento com coqueiros e eu tive autorização da Justiça para realizar esse cercamento, que tem em toda a praia de Maracaípe”, afirmou Fragoso.

Agência exigiu uso de sacos

Em entrevista concedida ao g1, em seu escritório na Zona Norte do Recife, também na tarde de sexta (14), o proprietário do terreno no Pontal de Maracaípe, João Fragoso, apresentou os documentos de autorização da Agência Ambiental de Pernambuco (CPRH) para a construção do muro.

No documento que autorizou a implementação do muro de troncos, de 15 de julho de 2022, a CPRH atestou que o projeto “enquadra-se na atividade ‘.8.1 (F) Muro de Contenção, da Lei Estadual nº 14.249/2010 e suas alterações”.

“O objetivo é a implantação de obra de contenção marítima no Pontal da Praia de Maracaípe, especificamente de fronte a propriedade do Sr. João Vita Fragoso de Medeiros, com execução de muros sem a utilização de pedras ou alvenaria, os únicos materiais autorizados são troncos de coqueiro e sacos de ráfia com areia, numa extensão total de 250 metros lineares ou menor, visto que o mesmo só poderá ser realizado até o limite da área que visualmente está sob efeito da erosão”, diz o texto da autorização.

Confira

Em outro ponto do documento de autorização, em que trata das exigências, o órgão ambiental fala explicitamente sobre:

  • “Executar a obra utilizando apenas troncos de coqueiro, e sacos de ráfia preenchidos com areia, não sendo permitida a alteração ou expansão sem autorização prévia da CPRH”;
  • “Apresentar monitoramento trimestral do balanço sedimentar (positivo e/ou negativo) do local das intervenções, durante os 12 primeiros meses após a conclusão da obra, confrontando com a situação original e contendo levantamento topográfico com seu respectivo relatório”;
  • “Qualquer poluição causada pela intervenção, como por exemplo resquícios de sacos de areia na praia, devem ser imediatamente sanados pelo requerente”;
  • “Manter a área sinalizada durante toda a execução da obra, a fim de evitar acidentes”, entre outras exigências, como localização de banheiros químicos durante a instalação do muro, proibição de intervenções na faixa de areia e fixação da autorização ambiental em local visível.

Já na autorização para a manutenção da construção, emitida em 29 de setembro de 2023 e válida até 28 de setembro de 2024, além de permitir o trabalho, a CPRH descreve os materiais que devem ser utilizados:

  • “Executar a manutenção do muro de contenção utilizando apenas troncos de coqueiro, sacos de ráfia preenchidos com areia e malha de bidim, não sendo permitida a alteração ou expansão sem prévia anuência da CPRH”;
  • “Caso necessário o uso de materiais provenientes de jazidas minerais, como descrito no projeto e memorial descritivo, faz-se necessária a prévia autorização da CPRH, bem como a comprovação da empresa de origem do material utilizado”;

Da mesma forma que na autorização para a construção, o documento que autoriza a manutenção aborda a proibição de ocupar a praia, a obrigação de sinalização, a exibição da licença e a apresentação de monitoramento trimestral sobre a situação do Pontal de Maracaípe.

Muro e questão ambiental

  • O muro de troncos de coqueiro foi construído em maio de 2023, com autorização da CPRH, sob argumento de que ele conteria o avanço do mar;
  • Na época, barraqueiros e comerciantes que trabalham na orla criticaram a barreira, dizendo que ela dificultava o acesso das pessoas à praia;
  • Em maio de 2023, um incêndio atingiu barracas na praia, e os comerciantes cobraram uma investigação, por acreditarem que as chamas tiveram origem criminosa;
  • Em maio de 2024, após uma audiência pública, a CPRH voltou atrás na autorização e determinou que os proprietários derrubassem o muro;
  • No dia 6 de junho, a juíza Nahiane Ramalho de Mattos, do Tribunal de Justiça de Pernambuco, proibiu a demolição, afirmando que a CPRH não deixou claro como os donos do terreno haviam descumprido a autorização;
  • Depois disso, o g1 mostrou que um relatório do Ibama apontava que o muro estava provocando erosão e que tinha mais que o dobro do tamanho autorizado pela agência estadual de meio ambiente;
  • O advogado, empresário e agropecuarista João Fragoso, dono do terreno, disse à TV Globo que construiu o muro para assegurar que a área da propriedade não fosse reduzida e para “preservar o meio ambiente”, já que o local acumulava lixo.

O que disse a CPRH

O g1 questionou a Agência Ambiental de Pernambuco (CPRH) sobre os detalhes para a aprovação da construção do muro de contenção com troncos de coqueiro no Pontal de Maracaípe e também se o muro foi aprovado a partir de laudo feito pelo proprietário do terreno.

A CPRH respondeu apenas que recebeu a citação da ação de proibição para derrubar o muro no dia 3 de junho, com a decisão liminar que determina que “se abstenha de realizar qualquer ato tendente à retirada do muro de contenção de coqueiros, bem como do cercamento da propriedade”, e que juntamente com a Procuradoria Geral do Estado (PGE-PE) “está adotando as providências necessárias à contestação da ação proposta pelo empreendedor/proprietário” e mediação do recurso.

Desde ontem que o Recife enfrenta as fortes chuvas que caem na capital pernambucana de forma quase ininterrupta. Por conta disso, a cidade entrou em estágio de alerta e o prefeito João Campos pediu para que as pessoas evitem sair de casa ou procurem um local seguro. 

O pré-candidato a prefeito do Recife, Gilson Machado, afirmou que, enquanto a cidade sofre com as consequências das chuvas, o gestor está mais preocupado com o palanque para 2026.

“O Recife debaixo d’água e o cara vai pra Petrolina fazer política. O povo sofrendo e ele já articulando o palanque do governo em 2026. O lance é que o cara vai botar um poste [como vice], e se ganhar a eleição – que acho que a coisa está mudando – será prefeito por apenas 15 meses. Colocará um fantoche de vice para concorrer a governador, e o pior: para completar no Recife choveu e o prefeito pede para o povo ficar em casa. É o atestado da sua incompetência, dado por ele mesmo”, disse Machado.

A Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac), emitiu comunicado no início da tarde deste sábado (16), acerca de notícias falsas que têm circulado sobre a abertura de comportas de barragens em razão das últimas chuvas que assolam o Estado.

Em vídeo publicado no Instagram da Agência, o gerente de Monitoramento de Recursos Hídricos da Apac, Kássio Kramer, explica que não houve abertura de nenhuma comporta da barragem. As informações são da Folha de Pernambuco.

Ele confirma que foram emitidos 15 alertas nas últimas 24h em Pernambuco, para rios da Região Metropolitana, Zona da Mata e Agreste – sendo três destes avisos, de inundação (Sirinhaém, Barra de Guabiraba e Rio Ipojuca).

“Nenhuma comporta foi aberta, não ocorreu nenhuma operação de barragem durante o período”, frisou o gerente, complementando que “a elevação ocorreu simplesmente pela elevação significativa das chuvas”. 

Confira o vídeo abaixo

Rio Sirinhaém

Também através da rede social, a Apac emitiu aviso sobre o Rio Sirinhaém, no município de Joaquim Nabuco, sobre a cota atingida de inundação.

Além de Joaquim Nabuco, por conta do extravasamento do rio, a cidade de Gameleira também está sendo afetada pelo fato.

O presidente da Associação de Empresários do Brasil (AEBR), Fernando Mendonça, visitou nesta semana a rua da Imperatriz, localizada na área central do Recife, que enfrenta um preocupante estado de abandono, com dezenas de lojas fechadas por conta da falta de público. 

Fernando destaca a urgência do poder público buscar soluções para revitalizar o centro da cidade e devolver a vitalidade econômica e social que um dia existiu no local.

“Como empresário, a gente paga imposto. A gente vê essa tristeza aqui, com várias lojas fechadas, de pessoas que trabalharam toda a sua vida, se esforçaram, e de quem é a culpa? A culpa é de quem gasta mal, e quem gasta mal? É o governo. A gente que é trabalhador, que mata a fome de muita gente, a gente tem que exigir”, destacou Fernando.

Ainda nesta semana, por iniciativa da AEBR, alguns importantes empresários se reuniram para falar sobre a questão do Centro do Recife. Durante o encontro, foram discutidos investimentos e ações da iniciativa privada voltadas para a região.

Por volta das 23h de ontem, o segundo andar da sede do Centro de Reabilitação e Valorização da Criança e do Adolescente (CERVAC), no Morro da Conceição, Zona Norte do Recife, pegou fogo. Segundo informações da CERVAC, no local onde aconteceu o incêndio fica o almoxarifado e salas onde acontecem as práticas integrativas da organização.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e controlou as chamas. Ninguém ficou ferido. “A CERVAC agradece a solidariedade dos moradores da comunidade, voluntários, familiares, amigos e funcionários que se mobilizaram no momento para ajudar. Neste sábado, a CERVAC vai acionar a Defesa Civil, seguindo as orientações do Corpo de Bombeiros”, disse a assessoria do centro de reabilitação.

Veja o momento do incêndio:

O deputado federal Fernando Monteiro foi um dos painelistas da abertura do concorrido Fórum de Lideranças do Mercado Segurador, promovido pela Confederação Nacional das Seguradoras (CNSeg) de hoje até domingo na Praia do Forte, na Bahia.

O Fórum de Lideranças do Mercado de Seguros constitui uma plataforma de diálogo e relacionamento dedicada à agenda estratégica do Setor no âmbito dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, reunindo autoridades públicas e lideranças empresariais. O objetivo do evento é debater as prioridades da indústria, pensando no aperfeiçoamento do ambiente de negócios do país e as contribuições para o seu desenvolvimento econômico e social.

O aplicativo COLAB, que foi desenvolvido pela empresa pernambucana QuickSite, ganhou fama internacional após vencer o prêmio “AppMyCity” de melhor aplicativo urbano do mundo pela New Cities Foundation, em 2013.

Após essa conquista, o aplicativo tornou-se uma empresa independente da QuickSite, atendendo várias prefeituras e órgãos estaduais e federais em todo o Brasil.

Dentro do COLAB, o cidadão pode fazer denúncias, participar de consultas públicas e ter acesso a serviços digitais da sua prefeitura.

Acontece que dois ex-sócios da QuickSite (Tiago dos Santos e Bruno Carneiro Leão) ainda lutam por seus direitos sobre o aplicativo, que já recebeu milhões de reais em investimento.

A novidade é que, na última terça-feira (11), a justiça de Pernambuco aceitou por unanimidade o pedido de perícia contábil para apurar os valores corretos a serem aplicados quanto à contribuição de Tiago e Bruno.

Essa decisão cabe recurso na terceira instância, porém não tem poder impeditivo, pois a perícia é um direito constitucional.

Em paralelo, o COLAB também processou Tiago dos Santos por danos morais, alegando que o mesmo estava propagando fake news na imprensa e para os investidores do aplicativo. Este caso também teve posição favorável a Tiago em primeira e segunda instância.

As fortes chuvas que atingem o Grande Recife e a Zona da Mata de Pernambuco neste sábado (15) deixaram ruas e avenidas alagadas. O Corpo de Bombeiros resgatou uma família que ficou ilhada no bairro de Areias, na Zona Oeste da capital. Também foram feitos resgates em outras três localidades da Região Metropolitana, segundo a corporação.

Na sexta-feira (14), a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) emitiu aviso meteorológico com alerta de precipitações moderadas a fortes. A prefeitura do Recife entrou em “estágio de mobilização” e pediu que as pessoas evitem sair de casa ou busquem locais seguros. As informações são do G1.

Entre os resgatados, está uma família formada por dois adultos e quatro crianças que ficou ilhada na Rua Santa Joana, no bairro de Areias.

Imagens que circulam nas redes sociais mostram os bombeiros levando as vítimas num bote. A operação aconteceu por volta das 6h45, segundo o Corpo de Bombeiros.

A corporação informou que fez outros três resgates nos bairros de Coqueiral e do Ipsep, na Zona Sul do Recife, e Muribeca, em Jaboatão dos Guararapes. Não há informações sobre as vítimas retiradas desses locais.

A chuva também causou diversos transtornos em ruas e avenidas da capital. Três árvores caíram nas avenidas João de Barros, no Centro, e Recife, na Zona Sul, e no Alto da Sé, no Sítio Histórico de Olinda. Além disso, houve alagamentos no Loteamento Agamenon, em Igarassu, e no bairro do Ipsep, na Zona Sul da capital.

O presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, criticou o governo e afirmou que não quer conversar com o presidente Lula (PT) sobre a Medida Provisória (MP) do PIS/Cofins.

Em almoço na Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), para tratar sobre a medida, Martins chamou o governo Lula de “desgoverno”. “Eu não quero falar com o presidente Lula. Me recuso a falar com o presidente, porque estamos vivendo um desgoverno. Vocês que fazem o Congresso, que fazem com que no Congresso as coisas aconteçam, está na hora de a gente dizer que o país precisa de um plano para poder se desenvolver. O país não pode ficar à mercê do momento que o agro vai bem, o país vai bem”, criticou João Martins. As informações são do Diário do Poder.

Ainda no encontro, a senadora e ex-ministra da Agricultura, Teresa Cristina (PP-MS), também criticou o governo e classificou que a medida “é o fim do mundo mesmo”, fazendo alusão ao nome pelo qual a MP ficou conhecida.

“Imagine que as empresas precisam recolher agora, no dia 20, o PIS/Cofins. Muitas não têm dinheiro em caixa e precisarão pegar dinheiro emprestado. Nós deveríamos devolvê-la”, afirmou a parlamentar.

Sobre a medida

A Medida Provisória, apelidada de ‘MP do Fim do Mundo’, restringe o uso de créditos tributários em relação aos impostos Pis e Cofins, na intenção de compensar o que a receita ‘perde’ com a desoneração da folha de pagamentos.

Mais uma derrota de Lula

Na terça-feira (11), o presidente do Congresso, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), anunciou a devolução da parte da MP. A parte devolvida trata da limitação dos créditos do PIS/Cofins. Com a decisão, o trecho perde a validade imediatamente.

“Com absoluto respeito à prerrogativa do Poder Executivo, de sua Excelência, o presidente da República, na edição de medidas provisórias, o que se observa em relação a essa medida provisória, no que toca a parte das compensações de ressarcimento de regras relativas a isso, é o descumprimento dessa regra do artigo 195, do parágrafo sexto da Constituição Federal. O que impõe a esta presidência do Congresso Nacional impugnar esta matéria, com a devolução desses dispositivos à presidência da República”, disse Pacheco, no plenário.

Na noite deste sábado (15), o cenário político em Bonito ganhará um novo capítulo com o lançamento oficial da pré-candidatura de Dr. Ademir Alves à Prefeitura do município. O evento será realizado no Bonito Plaza Hotel, reunindo centenas de apoiadores, líderes comunitários e diversas figuras políticas importantes, demonstrando a força e a popularidade do candidato.

Durante o evento, Ademir Alves apresentará suas principais propostas e destacará os valores que pretende defender ao longo da campanha. A pré-candidatura de Dr. Ademir já vinha sendo articulada há algum tempo. O senador Fernando Dueire chegou a afirmar que o Dr. Ademir será uma das prioridades do MDB. “Estamos diante de um líder comprometido e preparado. Alguém que já provou sua competência e sua capacidade de transformar a realidade ao seu redor”. 

A Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) emitiu, na manhã deste sábado (15), aviso de inundação para o rio Sirinhaém, na cidade de Barra de Guabiraba, na Mata Sul do Estado. Fortes chuvas caem em várias cidades do Estado desde a sexta-feira (14).

Segundo a agência, o curso d’água atingiu a cota de extravasamento. Moradores devem ficar atentos e acionar a Defesa Civil caso necessário. A Apac permanece em monitoramento. As informações são da Folha de Pernambuco.

Além do aviso de inundação na bacia do Sirinhaém, em Barra de Guabiraba, foram emitidos 12 alertas para os seguintes pontos de rios, segundo a Apac: rio Ipojuca, nos municípios de Ipojuca e Primavera, Sirinhaém; em Barra de Guabiraba e Joaquim Nabuco, Jacuípe, Capibaribe, Duas Unas, Jaboatão, Sirigi, Amaraji, nos municípios de Ribeirão e Amaraji e Pirangi.

Em destaque, o alerta para o rio Capibaribe, em São Lourenço da Mata. De acordo com a agência, o leito atingiu cota de alerta na cidade.

A Defesa Civil da cidade de Barra de Guabiraba informou que o rio já está no nível máximo e a água cobre uma das pontes. “Moradores das áreas ribeirinhas devem ficar atentos aos comunicados oficiais da prefeitura”, informou o órgão.

Chuvas são causadas por DOL

A Apac elevou para laranja, o nível intermediário, o alerta de chuvas para a Região Metropolitana do Recife e Zonas da Mata Norte e Sul. No Agreste, o alerta é amarelo, de nível inicial. 

Segundo a agência, as fortes chuvas são causadas pela ação do sistema meteorológico conhecido como Distúrbio Ondulatório de Leste (DOL), que deve persistir ao longo deste sábado.

O deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG) disse nesta sexta-feira (14) não ser preciso “matar bebê” para se vingar do estuprador. O congressista é um dos coautores do PL (projeto de lei) “antiaborto”.

“Eu não tenho que matar uma criança para poder me vingar do estuprador, o que a gente precisa é endurecer as penas para o estuprador”, disse em seu perfil no X (ex-Twitter). “Crianças não tem nada a ver com o que aconteceu terrivelmente aqui fora”. As informações são do Poder360.

“O que impede uma mulher de mentir sobre isso [abuso sexual] e cometer aborto?”, disse. Para ele, as discussões estão sendo realizadas porque algumas pessoas querem “a pequenos passos” aprovar o aborto no país. Afirmou que o tema é sensível e que a esquerda se utiliza disso para criar “narrativas mentirosas”.

Por fim, o deputado disse que o debate sobre o aborto tem que ser técnico e real e “não fazer como algumas pessoas que quando vão debater outros temas falam ‘sem útero, sem opinião’”. Com uma imagem borrada da deputada Erika Hilton (Psol-SP) no vídeo, ele declarou: “Imagina se eu usasse o mesmo critério para essas questões agora, muita gente não poderia estar falando”.

Erika Hilton é a 1ª deputada federal negra e trans eleita na história do Brasil. O gênero da deputada já foi tema de embate entre ela e Nikolas. Na quarta-feira (12), Erika acionou o MPF (Ministério Público Federal) contra o deputado por homotransfobia.

Entenda o caso

O projeto equipara o aborto acima das 22 semanas ao crime de homicídio. Foi aprovado na Câmara dos Deputados o requerimento de urgência do PL em votação relâmpago. Com a urgência, a análise do projeto “antiaborto” é acelerada para ser realizada diretamente em plenário, sem passar por comissões temáticas.

Na quinta-feira (13), o deputado federal Sóstenes Cavalcante (PL-RJ), autor do texto, disse que irá incluir o aumento de pena para o crime de estupro para 30 anos.

Arcoverde, onde tenho uma choupana com minha Nayla Valença, tem sido refrigério para minha alma. Tem também me proporcionado a experiência de viver a rotina tranquila de cidades interioranas, de onde vim, dando meu berro de nascença em Afogados da Ingazeira.

Arcoverde vai abrindo janelas do conhecimento humano. Uma delas me veio como um raio esta semana: minha Nayla contratou seu Naldo da Oficina para limpar a nossa máquina de lavar roupas. Mas não me avisou de quem se tratava e não estava em casa para recebê-lo.

Ele chegou sendo puxado por um motoqueiro. Falante, cheio de gracinhas, feliz com seu trabalho e de bem com a vida. Vi que era cego, mas quis saber se enxergava alguma coisa. De pronto, me disse: ”Nem o vulto”. Fiquei matutando: como Nayla contrata um cego? Será que ele não bateu na porta errada?

Que nada! Seu Naldo foi a segunda bela experiência de superação que conheci em Arcoverde. A primeira foi seu João, um senhor que armazenou na sua memória privilegiada todos os telefones fixos da cidade numa época em que não havia telefonia móvel. 

Seu Naldo perdeu a visão com 20 anos, num acidente de trabalho em Arcoverde, no qual seu irmão também foi vítima, mas, diferente dele, ficou com 40% da visão. Foi uma explosão de dinamite numa obra, que atingiu ele e o irmão em cheio dentro de um buraco. Escaparam por um milagre. 

Naldo não se rendeu às limitações da vida por ter ficado cego. Descobriu sua vocação e seu tirocínio para eletricista. Com o tempo, virou o melhor da cidade. E montou uma oficina com 11 funcionários. Dá jeito em tudo e monta até pequenos motores de carro. Um gênio!

Seu exemplo de superação me tocou muito. Nunca deixe que alguém diga o que você não pode fazer. Descubra por conta própria do que você é realmente capaz. A vida é assim: as piores tempestades querem só ter certeza de que somos fortes o suficiente para esperarmos pelo sol que logo vai aparecer.

Seu Naldo, não tenho a menor dúvida, é a receita de bolo para superar obstáculos. Nele, há dois ingredientes fortes: paciência e perseverança.

Afinal, a receita para uma superação de vida exige uma pitada de fé, uma colher de coragem e um barril de força. Ele tem tudo isso.