Sebrae - Estamos ai

Governo Lula desiste de fazer leilão de arroz importado

O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) suspendeu o leilão do arroz por tempo indeterminado e negocia com o agronegócio um acordo para controlar os preços do produto. “Estamos com o edital pronto, mas os preços cederam e acho prudente monitorar [a situação] antes de qualquer ação de compra”, afirmou à reportagem o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Mais cedo nesta terça-feira (3), Fávaro anunciou à Globonews a suspensão do leilão. A ideia é retomar a ideia apenas caso o preço aumente. Agora, os ministérios da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário, junto com a Conab (Companhia Brasileira de Abastecimento), negociam a assinatura de um termo de compromisso para que, em locais onde aconteça um eventual desabastecimento, o setor se comprometa com o envio de mais produto, para evitar que o preço suba.

Internamente, membros do governo já tinham se posicionado contra o leilão, mesmo antes de sua realização, sob o argumento de que não havia indícios de que as chuvas no Rio Grande do Sul causariam falta de arroz.

Pelo contrário, os indicadores apontavam que, com a colheita já realizada naquele momento, a oferta do produto estava garantida, segundo um integrante da Agricultura.

Também nesta terça, estava prevista a participação do ministro Paulo Pimenta (Reconstrução do RS) e do ex-diretor da Conab, Thiago José dos Santos, na Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados.

Ambos, no entanto, cancelaram sua participação. Agora, o grupo estuda convocar Pimenta, antes apenas convidado, para prestar explicações sobre o caso.

O leilão foi uma iniciativa do governo Lula após a tragédia socioclimática das chuvas no Sul do país, que concentra a maior parte de produção do arroz no Brasil.

Como mostrou a Folha de S.Paulo, das quatro empresas vencedoras, uma era uma loja de laticínios e outra tinha como sócio um empresário que já havia confessado o pagamento de propina para conseguir licitações públicas.

O leilão foi duramente criticado pela oposição ao governo e pelo agronegócio, e depois, anulado pelo governo. O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller, foi demitido, junto com outros membros da pasta e da Conab ligados ao leilão.

Geller diz que o leilão foi um erro político – mas não dele. Em sua visão, as denúncias tomaram uma grande proporção justamente para atingi-lo. Após sua demissão, Geller afirmou que não teve responsabilidade sobre o leilão, porque não atuou em sua elaboração.

Ao contrário do que alegou o ministro Carlos Fávaro à época, ele afirma que não pediu demissão do cargo e que, na verdade, seu ex-superior não lhe atendeu quando tentou corrigir a informação sobre a saída da pasta.

Também foi divulgado que que um ex-assessor de Geller havia intermediado quase metade da venda do arroz importado no leilão promovido pela Conab. Ele nega qualquer irregularidade. No total, o governo havia comprado 263,3 mil toneladas de arroz importado, por R$ 1,3 bilhão.

A maior arrematante do leilão foi uma empresa de nome Wisley A de Souza, que adquiriu 147,3 mil toneladas de arroz, tem como único sócio uma pessoa com esse nome e capital social de R$ 5 milhões. Seu nome fantasia é Queijo Minas, e o endereço registrado na Receita Federal fica no centro de Macapá, capital do Amapá. Segundo imagens do Google, no local funciona o estabelecimento com este mesmo nome.

A deputada federal Carla Zambelli (PL-SP) chamou a também deputada Benedita da Silva (PT-RJ) de “Chica da Silva” durante uma transmissão ao vivo nas redes sociais. As informações são da Agência O Globo.

Zambelli se queixou de não ter sido autorizada a discursar na primeira reunião de mulheres parlamentares dos países que integram o G-20, evento realizado ontem em Maceió (AL).

“Eu não vou ter poder de fala. Eu não vou falar porque provavelmente… não sei por que que eu não vou falar. Parece que já foi montada pela Secretaria da Mulher, que é a Chica da Silva que vai falar”, disse a parlamentar do PL.

Francisca da Silva foi uma escrava alforriada que se tornou uma das mulheres mais poderosas do Arraial do Tijuco, atual município de Diamantina (MG), no século XVIII. Benedita da Silva é coordenadora-geral da bancada feminina da Câmara e foi escolhida para discursar na abertura do evento.

Benedita da Silva (PT-SP) disse que vai notificar Zambelli judicialmente. “Estava ali como coordenadora geral do encontro, preocupada com o encontro. Quando eu soube, já tinham tomado providências na Câmara, o PT já tinha se manifestado com uma nota de repúdio, e as mulheres (do evento) já estavam também se posicionando nos seus núcleos” disse Benedita.

“Eu acredito que ela terá a correção necessária, se jurídica, se política, mas já tomaram providência. Eu acho que isso ela vai ter que responder, porque já tem gente entrando com ações” completa a deputada.

Carla Zambelli (PL-SP) disse que se “equivocou”. Em nota, a parlamentar bolsonarista alegou que confundiu os nomes e que se desculpou com a petista ainda durante a Reunião de Mulheres Parlamentares do P20.

A agenda da governadora Raquel Lyra (PSDB) na manhã desta quarta-feira, no Agreste, de assinatura da ordem de serviço para a retomada da restauração da PE-083, que liga os municípios de Surubim e Cumaru, se transformou em um palco de manifestações populares que refletem o atual cenário político do Estado.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram populares gritando o nome do prefeito do Recife, João Campos (PSB) em meio a vaias direcionadas à governadora. O evento, que contou com a presença do deputado estadual e pré-candidato à Prefeitura de Surubim, Cleber Chaparral, acabou por destacar tanto a popularidade crescente de Campos quanto a grande rejeição e desafios enfrentados por Lyra em sua gestão.

A governadora. em uma tentativa de sair dos muros do Palácio do Campo das Princesas e alavancar sua popularidade, além de fortalecer a candidatura de Chaparral em Surubim, viu-se em uma posição desconfortável, recebendo críticas e vaias que indicam uma crescente insatisfação com sua administração.

Esta não é a primeira vez nesta semana que Raquel enfrenta resistência pública: na tarde de ontem, durante evento no Recife para a entrega dos Conjuntos Habitacionais Vila Brasil I e II, sua fala foi quase abafada por vaias, exigindo a intervenção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para tentar conter os protestos.

Mesmo não estando presente na agenda do Governo do Estado em Surubim, João Campos foi ovacionado pelos presentes, o que demonstra sua imagem positiva e sua influência no cenário político pernambucano. Campos, que tem sido elogiado e reconhecido por sua gestão no Recife, sendo o prefeito mais bem avaliado entre as capitais brasileiras, segue conquistando espaço e simpatia também no interior.

No evento de entrega das 448 unidades habitacionais do Minha Casa Minha Vida na tarde de ontem, o presidente Lula não poupou elogios ao prefeito do Recife, ressaltando a qualidade de seu trabalho e o potencial de sua liderança. “É uma alegria trabalhar com um prefeito da qualidade de João Campos. Eu fui amigo do pai dele. Possivelmente nunca um presidente da República e um governador tiveram uma relação tão sólida. Eu sei que Eduardo Campos está lá no céu se mexendo, pois esse moleque vai ser melhor do que ele”, declarou o presidente na ocasião.

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) fez, nesta quarta-feira, uma postagem em suas redes sociais na qual ataca o presidente Lula (PT) e cita o que considera uma série de feitos de sua gestão no governo federal.

“Qualquer inocente sabe que o filho do sistema não está com suas faculdades mentais normais. Um indivíduo dominado pelo ódio, pela mentira e pela traição”, afirmou Bolsonaro na postagem.

“Desejamos a ele, como ser humano, que melhore o mais rápido possível para o bem do Brasil. Enquanto isso a picanha que virou abóbora agora se transformou em pé de galinha. O chefe da organização então taca imposto na cervejinha e na picanha, os principais produtos que fez campanha enganando o eleitor”.

Bolsonaro em seguida lista o que considera feitos de seu governo e conclui: “Hoje, o sistema voltou”.

Um dia antes, Lula disse que o ex-presidente nunca mais voltará à Presidência da República. “[Bolsonaro] perdeu. Perdeu as eleições e eu vou contar uma coisa para vocês: não volta mais”, disse Lula em entrevista à rádio baiana Sociedade.

“Porque esse povo vai ter que aprender a gostar da democracia, vai ter que aprender a conviver de forma civilizada, de forma educada, um respeitar o outro”, completou o presidente.

Bolsonaro foi condenado pela Justiça Eleitoral em duas ações, ambas em 2023: a primeira pela reunião feita no Palácio da Alvorada com embaixadores para deslegitimar o sistema eleitoral. A segunda, sobre uso da comemoração do 7 de setembro de 2022 para fazer campanha eleitoral.

Sua condenação pela Lei da Ficha Limpa durará até 2030. A defesa de Bolsonaro recorreu ao Supremo nos dois casos. Ela tem até 2026 para esgotar os recursos na corte.

Na semana passada, quando questionado em entrevista sobre a possibilidade de o ex-presidente voltar a disputar o cargo em 2026, Lula havia dito que não iria “vetar” uma candidatura adversária.

Com informações do Estado de Minas.

Amigo Magno,

Aí você excedeu. A criança e o adolescente interiorano falaram mais alto, bem mais alto. A Matriz, o prédio dos Correios, o ponto comercial do seu Gastão, da família. Lembro bem da Matriz e do prédio dos Correios, onde meu irmão mais velho, Marcos Magela, morou.

Na casa de Seu Machado e Dona Hilda, o próprio Correio, fui apresentado a uma linda radiola e a um LP todo preto, que achei muito bonito e mágico, pois rodou e tocou Moxotó, antológica canção que diz:

Tem fazendeiro que morre e não sabe
Quantas reses tem
E tem morena de fala doce e amena
Que outra terra não tem (isso também tem)
”.

Salve, Jacksson do Pandeiro! Diante de tanta modernidade, me senti um habitante de Macondo, maravilhado com tanta modernidade. Não sabia que o mundo tinha tanta beleza. Gabriel Garcia Marquez e o seu “Cem Anos de Solidão” é quem melhor nos traduz, aprisionados que somos em nossas crenças, mitos e lendas.

Na Matriz, muito dormi encostado no ombro de minha mãe. Lá em casa não teve colo. Afetivamente, somos uns bichos duros ou brutos, meu amigo.

Para mim, e para você, sem dúvida, outro símbolo poderoso é o Cine São José. Lá, assisti ao primeiro filme de minha vida: “Tarzan e a Expedição Perdida”, com Gordon Scott e a linda atriz Betta St. John, que, na ausência de Jane, fez uma mulher casada explosiva e tentadora para o nosso herói Tarzan.

Jane, possivelmente, estava em Londres ajudando nos esforços da guerra. A coitada quase leva um chifre do puríssimo e imaculado Tarzan.
Suas reminiscências são muito minhas. E universais, pois tocam no coração de todos os homens, meu amigo.

Termino com João Guimarães Rosa, que, sobre a vida, diz: “Viver é um ragar-se e remendar-se”. Este é ou não é o nosso exercício diário?

Por Zé da Coruja

O novo e controverso livro do jornalista Luís Costa Pinto conta a história, até então, secreta, de como o Procurador Geral da República, Augusto Aras, desmontou a Operação Lava Jato, expôs a Ong Transparência Internacional e deixou de denunciar o então presidente Jair Bolsonaro durante a gestão da pandemia. Aras também atuou para desarticular três conspirações golpistas entre 2021 e 2022.

O livro promete revelar os motivos de Aras para não denunciar Bolsonaro e como ele trabalhou discretamente para conter as duas tentativas de golpe. Entre as revelações, o relato de que o ministro do Supremo, Luiz Fux, avisou o general Braga Neto sobre a contratação de “snipers” para receber a tiros qualquer um que tentasse invadir o STF.

Nascido em Recife e formado pela Universidade Federal de Pernambuco, Luís Costa Pinto atuou nas principais redações de jornais e revistas do Brasil, incluindo Veja, O Globo e Época. Vencedor dos prêmios Esso e Líbero Badaró de Jornalismo e do Jabuti de Livro-Reportagem, é autor de “Os Fantasmas da Casa da Dinda”, “As Duas Mortes de PC Farias ” e “O Vendedor de Futuros”.

O lançamento acontece amanhã na Livraria Drummond, em São Paulo.

Um pequeno caranguejo avermelhado, o chié (Goniopsis cruentata), está se tornando símbolo de resistência nos manguezais de Maracaípe. Após anos de declínio populacional devido à degradação ambiental, uma iniciativa de cercamento e contenção na região do Pontal dos Fragoso está promovendo o seu retorno.

O chié é uma espécie vital para o equilíbrio dos manguezais. Medindo cerca de dois centímetros, esses crustáceos desempenham um papel crucial na manutenção da saúde dos manguezais, alimentando-se de matéria orgânica e promovendo a reciclagem de nutrientes. “Ver o chié de volta é como ver um velho amigo retornando para casa”, declarou uma moradora.

Os irmãos João e Marcílio Fragoso, ativistas na defesa do meio ambiente de Maracaípe, lideraram a implementação de cercamentos para proteger o mangue e estimular a regeneração natural. Os resultados surgiram rapidamente. A contenção ajudou a acumular areia, formando novas áreas de restinga. Com isso, o habitat ideal para esses crustáceos foi restaurado. “É emocionante ver como a natureza responde quando damos uma chance. O chié é a prova viva de que a restauração é possível”, afirmou João Fragoso.

Os irmãos Fragoso promovem ações de conscientização e envolvimento comunitário, convidando jovens e escolas da região a participarem de projetos de reflorestamento e preservação. “Queremos que as futuras gerações cresçam com essa consciência, valorizando e protegendo o que temos de mais precioso”, finalizou João Fragoso.

Tenho quatro filhos, dois já desgarrados, com voos de águia nos Estados Unidos, e dois ainda debaixo das minhas asas. Deus não me deu o privilégio de filhas, mas ganhei, ao arrebatar o coração da minha Nayla, duas enteadas lindas, minhas duas Marias – Beatriz e Heloísa.

A caçula Maria Heloísa, a nossa Helô, está apagando hoje as nove velinhas do seu aniversário. Ela é um amor de menina! Precoce, raciocínio relâmpago, barulhenta feito trovões de invernada. Carinhosa, doce, um anjo que Deus mandou para fazer a vida da minha Nayla mais colorida e cheia de graça.

Não conhecia amor de filha, mas descobri o amor de padrasto, tão sublime quanto o de pai. Amor de padrasto, sendo menina, é descobrir uma ternura sem limites., um tesouro de ouro, felicidade plena para o resto da vida.

Minha Nayla amanheceu hoje com um sorriso mais largo e belo ainda do que já tem. Também pudera, Helô enche a vida dela, expande seu peito de mãe, transborda seu coração de felicidade. Helô chegou em sua vida para convertê-la numa pessoa melhor a cada dia. Trouxe luz, sabedoria, amadurecimento.

Se o amor de minha Nayla por Helô estivesse estampado em uma paleta de cores, ele refletiria todo o espectro do arco-íris!

O deputado Coronel Meira requisitou que o Ministro da Fazenda, Fernando Haddad, esclareça a apreensão de 30 quilos de cocaína em um carro oficial da Receita Federal, ocorrida em 27 de junho, em Guarulhos.

De acordo com a Polícia Militar de São Paulo, o motorista, Washington da Silva Nascimento afirmou estar a serviço do órgão, com destino ao Aeroporto Internacional de Guarulhos.

“É um fato gravíssimo, estamos falando de uma grande quantidade de droga apreendida em veículo oficial a serviço de um órgão federal. E sendo encaminhada para um aeroporto internacional, o que pode se revelar um possível envolvimento com o crime organizado e o tráfico internacional de drogas, crime de alta complexidade e severo impacto social, econômico e de saúde pública”, declarou o deputado.

Meira também questiona a Medida Provisória nº 1.227/2024, que altera a legislação tributária federal, destacando que parte do texto foi devolvido pelo Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, devido ao descumprimento do prazo constitucional.

A Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência aprovou o Projeto de Lei nº 443/2024, de autoria do deputado Eduardo da Fonte, que torna obrigatório o Teste M-CHAT pelo SUS. Destinado à identificação precoce do Transtorno do Espectro Autista (TEA) em crianças de até 30 meses, o projeto modifica o Estatuto da Criança e do Adolescente para incluir este protocolo nas consultas pediátricas. A proposição agora segue para análise nas Comissões de Saúde, Finanças e Tributação, e Constituição e Justiça.

O deputado Eduardo da Fonte destaca a importância do diagnóstico precoce para garantir o tratamento adequado desde os primeiros anos de vida. “A detecção precoce do autismo pode proporcionar melhorias significativas no desenvolvimento cognitivo e comportamental das crianças, resultando em uma melhor qualidade de vida para elas e suas famílias”, afirma o parlamentar. Ele acrescenta que a inclusão desta prática no ECA promove a equidade no sistema de saúde brasileiro, democratizando o acesso ao rastreamento do TEA.

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) de Pernambuco tem um novo superintendente: Gilberto Sobral Magalhães. A nomeação, publicada no Diário Oficial da União nesta quarta-feira, resultou de uma articulação política entre a senadora Teresa Leitão (PT) e o deputado federal Clodoaldo Magalhães (PV).

Gilberto Sobral Magalhães é pedagogo e possui especializações em gestão educacional, pedagogia empresarial, gestão estratégica de pessoas em ambientes de mudanças, auditoria dos sistemas públicos e privados de saúde; acessibilidade, diversidade e inclusão. Tem certificações pela Escola Nacional de Administração Pública Enap, em Educação Patrimonial, Diversidade e Meio Ambiente e Fundamentos da Auditoria Governamental.

Em 2001 e 2002, foi Diretor de Cultura de Olinda; e em 2005 e 2006, foi Secretário de Governo, Administração e Planejamento em Sairé. Em seguida, assumiu a função de Assessor técnico de Cultura na Prefeitura de Camaragibe e depois a Secretaria de Comunicação, por 2 anos.

Em 2017 e início de 2018, foi secretário de Patrimônio e Cultura de Olinda, quando mais uma vez coordenou os dois carnavais. Teve um olhar especial voltado ao patrimônio, implantando um novo modelo de cuidado e preservação baseado na zeladoria. Promoveu a recomposição do quadro técnico da Secretaria, a valorização da atuação do Conselho de Preservação e implantou o projeto “Pinte o Seu Patrimônio”, que veio a ser vencedor do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade. Reabriu o Clube Atlântico, entregou o Teatro do Bonsucesso e restaurou a Casa 28. Iniciou as obras do PAC de restauros das Bicas de Olinda e da Igreja do Bonfim.

Em 2022, como secretário executivo de Articulação da Secretaria de Cultura do Recife, coordenou o processo eleitoral para o Conselho Municipal de Políticas Culturais.

Desde 2023, exerce o cargo de coordenador da Coordenação de Integração Institucional da Fundação Joaquim Nabuco.

A cidade de Sertânia, no Sertão do Moxotó, passará a ter abastecimento de água diário, sem rodízios na distribuição. O Governo de Pernambuco autorizou a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) a ampliar o sistema de abastecimento, beneficiando 21 mil pessoas. As obras, que devem ser concluídas até o final do ano, incluem a instalação de 17,4 km de novas redes de distribuição. Já foram assentados 8 km das tubulações, cerca de 50% da rede.

A Compesa também está construindo uma nova estação elevatória e um reservatório de 100 m³, além de implantar válvulas reguladoras de pressão. Será feita, ainda, a realocação da estação elevatória que bombeia água dos Poços do Moxotó para a Estação de Tratamento. O investimento na obra é de R$ 4,2 milhões.

“Os nossos técnicos não medem esforços para dar celeridade às obras em execução, assim como no planejamento de ações de vários portes com vistas à melhoria do abastecimento em todo o estado”, declarou o o presidente da Compesa, Alex Campos. Para Campos, a produção de água para atender o município de Sertânia está equalizada com os mananciais existentes e o reforço, quando necessário, da barragem Campos da Transposição do São Francisco. A Compesa agora investe na modernização da rede de distribuição, sistema de bombeamento, ampliação da capacidade de armazenamento de água e em equipamentos para que a operação do sistema tenha confiabilidade.

Nesta quarta-feira, às 19h, a Igreja de Santa Isabel, cartão postal de Paulista, inicia os festejos em comemoração aos seus 75 anos com uma missa celebrada por Dom Fernando Saburido, Arcebispo Emérito de Olinda e Recife.

Durante a celebração, o pároco Adriano das Chagas e o empresário Alberes Dias, dono do Armazém 10, receberão o título de sócio-honorário do Instituto Histórico do Paulista (IHGAAP), entregue pelo presidente do Instituto, Ricardo Andrade. Andrade foi o proponente do tombamento estadual da igreja, reconhecida em 2018 pelo CEPPC/Fundarpe.

Ainda em Afogados da Ingazeira, meu chão seco e amado de vidas secas, faço alusão hoje a três símbolos que marcaram minha infância e adolescência. O primeiro é a majestosa e imponente Catedral, uma das mais belas obras góticas do Sertão. Lembra muito as igrejas europeias.

Mamãe era católica ardorosa. Garoto, no mês de maio, o chamado mês Mariano, ela me arrastava todos os dias para assistir à missa com ela. Mas os sermões do padre eram longos e modorrentos. Caia no colo dela e dormia feito um anjo. Tempos bons, inesquecíveis.

O segundo retrato dolorido na parede, igual ao de Drumond em sua Itabira mineira, é o prédio dos Correios e Telégrafos, conservado até hoje com sua arquitetura colonial. Esta lembrança é também muito forte. Quando passo por lá, vejo meu pai Gastão Cerquinha, que Deus chamou aos 100 anos e sete meses, carimbando cartas e escrevendo missivas para a matutada dos sítios e lugarejos que não sabia ler e vinham em busca de notícias dos seus filhos que haviam trocado o aconchego da casa do mato e dos pais pela aventura desesperada de um emprego em São Paulo.

Papai era a Dora de calças, personagem vivida por Fernanda Montenegro em Central do Brasil. Foi vendo ele assim, o comunicador da gente simples do Sertão, que comecei a despertar para o jornalismo. Afinal, telegramas e cartas eram noticias, embora exclusivas para seus destinatários. Meu estalo para as comunicações foi dado dentro do prédio da ECT, em Afogados da Ingazeira, não tenho a menor dúvida.

Meu terceiro e último símbolo da minha jornada saudosa em Afogados da Ingazeira tem sofrimento em seu verniz. Está ainda intacto no prédio do antigo ponto comercial do meu pai, na Avenida Manoel Borba: a Casa Gastão, de armarinho e miudezas. A razão social era em nome de minha mãe Margarida Martins da Fonseca, porque papai era servidor público federal e por cima político – foi vereador e vice-prefeito. Nada podia estar em seu nome.

Tudo tinha que ter a assinatura dela. Mas, quando chateada com papai por um motivo ou outro, mamãe resistia. Não conto as vezes que papai me mandava como pombo correio em busca de uma assinatura dela. “Diga a ele que hoje não assino nada”, berrava mamãe. Mas depois, ao fim do estado colérico, assinava.

Mamãe era arriada os quatro pneus por papai, como se diz por aqui. Mas o sofrimento diz respeito a um trauma de outra natureza: abrir os caixotes de mercadorias que chegavam do Recife por trem, direto para a loja. Marcelo, meu irmão, me fazia companhia na empreitada. Não era fácil. Eram mais de 40 unidades. Minhas mãos sangravam, cortadas por uma prenda de metal lacrada nos caixotes.

A vida é a infância da mortalidade, já li isso em algum lugar. Lembro também de um provérbio chinês que diz que o grande homem é aquele que não perdeu a candura de sua infância. A vida humana não tem só um nascimento, só uma infância, é feita de vários renascimentos, de várias infâncias, me ensinou o passar dos tempos, a chegada dos cabelos brancos.

Caso Joe Biden desista da candidatura, Michelle Obama é o único nome democrata capaz de vencer Donald Trump nas eleições de novembro nos Estados Unidos, segundo pesquisa eleitoral da Reuters em parceria com o Ipsos, divulgada ontem.

O levantamento mostra que a ex-primeira-dama venceria Trump por 50% a 39%, caso disputasse a eleição. Michelle, no entanto, já declarou diversas vezes que não pretende concorrer ao cargo.

Segundo a pesquisa, nenhum dos outros nomes cotados para substituir Biden no pleito conseguiriam vencer o candidato republicano em um confronto hipotético.

A atual vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, ficou atrás de Donald Trump, com 42% a 43% das intenções de voto respectivamente.

Já o governador da Califórnia, Gavin Newsom, aparece três pontos percentuais atrás do republicano. Enquanto o democrata surge com 39%, o republicano aparece com 42%.

Outro nome ventilado para substituir Biden, a governadora do Michigan, Gretchen Whitmer, recebeu 36% de apoio contra 41% de Trump.

Além disso, o levantamento aponta que um em cada três democratas acreditam que Joe Biden deve desistir da eleição após o desempenho questionável no debate contra Trump.

Apesar das críticas, o atual presidente dos Estados Unidos afirma que não pretende desistir da disputa. Publicamente, o Partido Democrata tem expressado apoio a Biden. Contudo, existem rumores na mídia norte-americana de que a sigla discute substituir o atual candidato após a enxurrada de críticas após o embate com Trump.

Com informações do Metrópoles.

Entre os projetos anunciados, estão obras de recuperação do metrô e a construção de novo campus do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) no Centro da capital pernambucana e outros cinco no interior. Também foram feitos anúncios nas áreas de saúde e moradia.

Os investimentos foram anunciados durante a entrega de 448 apartamentos dos conjuntos Vila Brasil I e II, na Ilha Joana Bezerra, Centro do Recife. Eles foram construídos por meio de uma parceria entre a União e a prefeitura da capital pernambucana.

No mesmo evento, Lula fez o lançamento da pedra fundamental do novo campus Recife-Centro do IFPE. A instituição vai ficar nos terrenos do Edifício Trianon e do Cine Art-Palácio, localizados no bairro de Santo Antônio, no Centro da capital. Os prédios foram cedidos pela prefeitura e a doação foi assinada nesta terça, pelo prefeito João Campos (PSB).

Metrô

O investimento na recuperação do Metrô do Recife foi anunciado pelo ministro da Cidades, Jader Filho. Ele disse que o valor será liberado por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Cidades Sustentáveis e Resilientes.

“Vamos fazer melhorias no metrô aqui da região metropolitana. É um investimento, presidente, de uma ordem de R$ 136 milhões para dar segurança e melhorar o transporte público aqui. […] Vai ser feita uma recuperação em 35 quilômetros das linhas aqui da região metropolitana. O metrô, só para ter uma ideia, diariamente, atinge entre 180 a 200 mil pessoas a dia”, disse o ministro.

Educação

Também foram feitos diversos anúncios para a área de educação de Pernambuco. Entre eles, a criação de seis novos campi do IFPE e do Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IFSertãoPE), nas seguintes localidades:

  • Centro do Recife;
  • Águas Belas, no Agreste;
  • Araripina, no Sertão;
  • Bezerros, no Agreste;
  • Goiana, na Zona da Mata;
  • Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste.

Repasse de verbas para Suape

Para o Complexo Industrial Portuário de Suape, no Litoral Sul de Pernambuco, foram destinados R$ 147 milhões para a execução da quarta e última etapa das obras de recuperação do molhe (conjunto de pedras colocados na costa e no fundo do mar) e para a dragagem do canal interno do porto. O molhe serve como uma barreira de segurança para cais e píeres.

Construção de maternidades no interior

A ministra da Saúde, Nísia Trindade, anunciou a construção de duas maternidades em Ouricuri, no Sertão, e Garanhuns, no Agreste. Elas serão construídas com recursos do PAC Seleções, que são os projetos escolhidos pelas prefeituras e governos estaduais.

Regularização fundiária e habitação

Foi anunciada ainda a criação do programa Periferia Viva, que faz regularização fundiária, com entrega de títulos de posse a famílias que vivem em terrenos em situação irregular, e destina recursos para reforma de moradias em comunidades e favelas por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O investimento, em todo o país, é de R$ 5,2 bilhões.

Pagamentos a donos de apartamentos em prédios-caixão

Após a inauguração dos conjuntos Vila Brasil 1 e 2, Lula seguiu para a Caixa Cultural, no Bairro do Recife, onde entregou os primeiros “cheques esperança” a proprietários de apartamentos em prédios-caixão com risco de desabamento na Região Metropolitana.

Com informações do G1.

Raquel num baile de fome

O ex-governador Joaquim Francisco, de quem fui secretário de Imprensa, regia sua vida pública por uma filosofia criada por um primo bem matutão e grosseiro de Macaparana, que a ele ensinou muitos procedimentos práticos. Para evitar vexames, por exemplo, dizia que não se deve ir a um baile de fome fantasiado de coxinha de galinha, para não ser comido por todos.

Mais uma vez, a governadora Raquel Lyra (PSDB) foi a um baile de fome fantasiada de coxinha de galinha – a entrega, ontem, dos conjuntos habitacionais Vila Brasil I e II, na Zona Sul do Recife. As casas têm o DNA de João Campos, a festa foi preparada por ele para receber o presidente da República e aliado político.

Raquel sabia disso e, certamente, foi para se apropriar da obra alheia. Levou a pior. Como das outras vezes em que Lula esteve no Estado, levou uma estrondosa vaia. Poderia ter evitado o vexame, porque na agenda do presidente havia outro compromisso que dizia respeito exclusivamente ao Estado e não ao Governo Municipal.

A vaia foi tão grande que Lula teve que se levantar e ficar ao lado dela, como se sua presença fosse inibir os inconformados com a gestão grotesca que Raquel empreende no Estado. O Governo dela é uma obra-prima dantesca. Na visita ao Sertão do Pajeú, na semana passada, entregou uma estrada de 9 km viabilizada com emendas de deputados federais.

Isso é surfar em obra alheia. Nos últimos dois meses, a governadora se transferiu de mala e cuia, literalmente, para os rincões do Estado, para anunciar obras nanicas numa tentativa de reverter, do Sertão para o Litoral, os índices de expectativas de poder positivos que tinha antes de assumir e realizar um dos governos mais desastrosos da história de Pernambuco.

Rabo da gata em avaliação entre os 27 governadores, segundo levantamento do Atlas Intel, Raquel acha que, agradando aos cidadãos distantes da Região Metropolitana, onde se concentra quase metade do eleitorado do Estado, com um toque de mágica, vai virar pop star.

Agamenon Magalhães dizia que a ilusão da política é pior do que a do amor.

VEXAME – Se não tivesse ido ao baile de fome fantasiada de coxinha, a governadora não teria, igualmente, de ter passado pelo constrangimento de assistir, de cara feia, o público saudar João Campos, seu provável adversário em 2026, como o “melhor prefeito do Brasil”. Aliados de João, como o ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho (Republicanos), fizeram questão de mostrar satisfação com o ocorrido. Silvinho replicou a “titularidade” durante a saudação, dizendo que o gestor recifense é um dos melhores prefeitos do País.

A reação de Anderson – Numa conversa, ontem, com este blogueiro, o presidente estadual do PL, Anderson Ferreira, rompeu o silêncio em relação à limpa que a governadora promoveu em sua equipe, demitindo liberais indicados por ele. “Nunca pedimos cargos. Fomos convocados a ajudar Pernambuco e nunca nos negamos a isso. As mudanças são sempre naturais e isso não nos preocupa. Vamos continuar ajudando Pernambuco, mesmo dentro de um ambiente plural no partido”, afirmou.

Decisões só após as eleições – Anderson disse, também, que há um consenso interno de que o PL só fará um debate sobre o futuro em Pernambuco após as eleições municipais. Segundo ele, a sigla é a única que terá candidato nas principais cidades nas próximas eleições, e essa estratégia passa por consolidar o crescimento, mas sobretudo pensando em 2026, onde o liberal não tem dúvidas de que o grupo será protagonista novamente nos cenários nacional e estadual. “Queremos crescer, mas também levar a nossa mensagem a todos os cantos do Estado. Estamos construindo candidaturas competitivas”, assinalou. Acrescentou que o partido hoje tem expressivas lideranças, entre elas Gilson Machado, Mano Medeiros, Izabel Urquiza e Fernando Rodolfo, além de novos nomes que vêm se formando, entre os quais Joel da Harpa, Alessandra Vieira e Lara Cavalcanti e muitos outros. “Somos um partido plural, o que vai fazer com que sejamos cada dia mais fortes”, destacou.

Maternidades – Presente na delegação de Lula, ontem, no Recife, a ministra da Saúde, Nísia Trindade, que está extremamente desgastada por causa da falta de políticas e ações efetivas para controlar o avanço da dengue, anunciou a liberação a construção de duas maternidades em parceria com o Estado, em Ouricuri, no Sertão, e Garanhuns, no Agreste. “Fazem parte do nosso PAC para garantir condições seguras e adequadas e os cuidados que as mulheres devem ter, para reduzir a mortalidade materna”, disse.

Alta do dólar provoca reunião – Depois do bombardeio ao presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, cujo mandato vence em dezembro, o presidente Lula que fará uma reunião, hoje, com auxiliares, para elaborar uma solução contra as altas do dólar frente ao real nos últimos dias. Ele rejeita a ideia de que as subidas têm relação com as falas dele em entrevistas. “Obviamente, me preocupa essa subida do dólar, é uma especulação. Há um jogo especulativo contra o real no País”, avaliou em entrevista à Rádio Sociedade, em Salvador (BA). “Tenho conversado com as pessoas, temos uma reunião para avaliar isso, que não é normal”, afirmou.

Curtas

REAÇÃO – Questionado sobre possíveis soluções para conter a valorização do dólar, Lula respondeu: “Temos de fazer alguma coisa. Não posso falar, senão estou alertando meus adversários. Mas, se pegar dados da economia, vai perceber que o PIB [Produto Interno Bruto] está crescendo mais do que a previsão do mercado, o desemprego cai mais do que a previsão do mercado, a massa salarial cresce mais do que a previsão do mercado”.

FISCAL – O ministro Fernando Haddad, da Fazenda, disse ter uma agenda “exclusivamente” fiscal com Lula nesta quarta-feira. “Não sei de onde saiu esse rumor. Aqui na Fazenda, estamos trabalhando uma agenda eminentemente fiscal para apresentar ao presidente propostas para cumprimento do arcabouço 2024, 2025 e 2026”, relatou.

MELHOR QUE O PAI – No discurso que fez no Recife, Lula constrangeu Raquel ao se derramar em elogios a João Campos: “Eu sei que Eduardo Campos está lá no céu se mexendo, pois esse moleque vai ser melhor do que ele”, disse o presidente, diante de um João visivelmente emocionado e uma governadora constrangida.

Perguntar não ofende: Onde e quando será a nova vaia?