Dia do amor em plena caatinga

O dia do amor, ou a noite dos namorados, num lugar bem especial com minha Nayla Valença: no restaurante Sabor do Campo, no meio do mato, sentindo o cheiro de flor de jetirana. Cenário romântico, pé no chão de vidas secas. Meu amigo Kelsen Ferreira caprichou no cardápio e na música.

O empresário Bruno Veloso tomará posse como presidente da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe), no próximo dia 17, em cerimônia no Armazém Blu’nelle, em Santo Amaro. O evento vai reunir empresários, políticos e representantes de instituições do setor produtivo, para celebrar a nova diretoria que representará o segmento no próximo quadriênio 2024-2028. Veloso é empresário do ramo de fabricação de pré-moldados de cimento e faz parte do Sistema Fiepe há 15 anos.

Para os próximos quatro anos, o presidente eleito ressalta três pilares: Transformação Digital, ESG e Interiorização das ações e projetos do Sistema, por meio da Fiepe, Sesi, Senai e IEL. “Como legítimos representantes das indústrias de todos os portes e segmentos, estamos empenhados em difundir a cultura de inovação e ter foco nas entregas”, disse.

De acordo com Veloso, o incentivo às práticas de ESG terá atenção especial em sua gestão, cujo foco será auxiliar as indústrias que buscam reduzir sua pegada de carbono e implementar práticas para minimizar seu impacto no meio ambiente. Outro ponto defendido por Veloso será a interiorização das iniciativas do Sistema Fiepe, que contempla ainda a instalação de uma unidade em Serra Talhada, no Serão do Pajeú.

Nascido no Recife em 1959, Bruno Veloso é formado em engenharia civil pela Universidade Católica. Sócio-fundador de uma indústria de concreto chamada Goiana Pré-moldados, ele fundou a empresa em 1998 depois de ter passado por grandes empresas do ramo da construção civil.

A Compesa aposta em projetos de reuso de efluentes de esgoto, através de um projeto-piloto para o reaproveitamento do material tratado na Estação de Tratamento de Esgoto-ETE Parnamirim, no Sertão de Pernambuco. A reutilização da água será na agricultura local, em parceria com a Universidade Federal Rural de Pernambuco (URFPE). O volume produzido na unidade está sendo utilizado na irrigação, na produção de forrageiras (palma, sorgo, gliricídia e moringa) para alimentação de caprinos.

O projeto está sendo desenvolvido em um hectare de área de plantação da Fazenda Primavera. A Compesa disponibiliza o esgoto tratado, realiza análises nos efluentes e empenha recursos para pesquisas enquanto que a prefeitura prospectou os produtores rurais e terreno a para pesquisa. A UFRPE realiza pesquisas no solo, nas plantas para investigar as vantagens e segurança do reuso de efluente e utiliza técnicas conservacionistas na agricultura.

O projeto conta também com o apoio do Instituto Nacional do Semiárido (INSA) e recursos do Ministério de Desenvolvimento Regional. “Reutilizar os efluentes de esgoto é um grande passo para a Compesa porque há o aproveitamento desse insumo que pode ser utilizado por diversos segmentos”, afirma o diretor Regional do Sertão da Compesa, Guilherme Freie.

O município foi escolhido devido a sua localização no Semiárido e a produção de caprinos, além de possuir uma unidade de pesquisa da UFRPE. A ETE Parnamirim possui uma capacidade de reuso de nove mil litros ao dia. Foram investidos R$ 150 mil na instalação dos sistemas.

Atualmente, a Companhia conta com 13 projetos em estudo de reuso do esgoto tratado nas Estações de Tratamento. A água também vem sendo utilizada no paisagismo (cinturão verde), desobstrução de redes e ramais e agora na agricultura no plantio de pastos para alimentação de caprinos. Existem outras 17 Estações de Tratamento de Esgoto em Pernambuco com possibilidades de implantação de projeto de reuso.

O Governo de Pernambuco publicou, nesta quarta-feira (12), data em que se comemora o Dia dos Namorados, uma nova contratação sem licitação com serviço de saúde privado de propriedade de Jorge Branco, marido da vice-governadora Priscila Krause.

A publicação no Diário Oficial de Pernambuco formaliza a ratificação de inexigibilidade de licitação para a contratação do Centro Diagnóstico Perpétuo Socorro Ltda., unidade de saúde de Garanhuns, no valor de R$ 200.502,84 por ano para atender as necessidades assistenciais do Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores do Estado de Pernambuco (Sassepe).

O Centro Diagnóstico fica no mesmo terreno da Casa de Saúde Perpétuo Socorro, que também tem Jorge Branco como proprietário e que, em abril, assinou um contrato por inexigibilidade com o Governo no valor anual de R$ 17,3 milhões.

Nas vezes em que assumiu interinamente o Governo, Krause direcionou milhões de reais à Casa de Saúde e Maternidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Em 24 de fevereiro de 2023, no comando da máquina pública estadual, Priscila Krause assinou o Decreto nº 54.447, que abriu um crédito suplementar de R$ 7.646.600,00 ao orçamento do Fundo Estadual de Saúde. Um ano depois, em 11 de abril de 2024, foi a vez do Decreto nº 56.384, que destinou mais R$ 22.311.317,36 ao fundo. Esses atos administrativos foram justificados pela necessidade de reforço de dotações insuficientes, mas causam sérios questionamentos quando analisado o destino específico dos recursos.

Logo após a abertura desses créditos, valores consideráveis foram repassados à Casa de Saúde e Maternidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Em 02 de março de 2023, poucos dias após Priscila assumir o governo e liberar os créditos, a instituição recebeu R$ 13.459,97 para terapia renal substitutiva, seguido de mais R$ 9.665,10 para assistência oncológica no dia 7 de março. Na sequência, em 10 de março, foram pagos R$ 115.134,29 referentes à contratação de leitos de UTI, e em 15 de março, um repasse adicional de R$ 64.436,66 foi destinado a diárias de UTI, hemodiálise e assistência oncológica. Apenas um dia depois, em 16 de março, mais R$ 11.317,62 foram pagos para assistência oncológica.

Este padrão de transferência de recursos continuou em 2024, após a vice-governadora novamente assumir interinamente o comando do governo. No dia 11 de abril, a Casa de Saúde recebeu R$ 107.059,58 para serviços de imagem e complemento de diária de UTI. Em 17 de abril, foram repassados R$ 158.040,48 para assistência oncológica e contratação de leitos de UTI, e dois dias depois, em 19 de abril, mais R$ 185.133,34 foram destinados para assistência oncológica. Em 29 de abril, a instituição recebeu um vultoso pagamento de R$ 813.955,33 para tratamento dialítico, seguido por outros R$ 844.200,00 em 8 de maio para o mesmo fim. Finalizando a série de repasses, em 17 de maio foram pagos R$ 341.972,40 para complemento de diária de UTI, serviços de imagem e piso salarial da enfermagem.

Durante seu período à frente do governo, Krause também fez nomeações estratégicas na Secretaria de Saúde, colocando pessoas de confiança em cargos chave que controlam a liberação de recursos para unidades de saúde, incluindo a de sua família. Em abril de 2024, ela nomeou o Coordenador de Programação Financeira e a Coordenadora de Orçamento, ambos diretamente responsáveis pela gestão orçamentária e a liberação de fundos para serviços de saúde.

Além disso, os processos de prestação de contas da Casa de Saúde foram colocados sob sigilo pela Secretaria de Saúde, dificultando a consulta pública e gerando suspeitas sobre a transparência e a legalidade das operações financeiras envolvendo a unidade.

INVESTIGAÇÃO – Por solicitação da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), o Tribunal de Contas do Estado (TCE) está realizando uma auditoria especial para investigar as contratações e repasses feitos à Casa de Saúde Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Em abril de 2024, o Governo de Pernambuco firmou um contrato de R$ 17,3 milhões com a Casa de Saúde para a disponibilização de leitos de UTI e enfermaria à rede estadual de saúde. Entre 2023 e os primeiros meses de 2024, a unidade recebeu R$ 43 milhões do tesouro estadual.

A situação ganha mais estranhamento com a comparação dos recursos destinados à unidade privada da família Krause e os escassos repasses recebidos por outras instituições públicas de saúde, como o Hospital Dom Moura, também em Garanhuns, que enfrenta graves problemas estruturais.

Coronel Meira aprovou, na Comissão de Segurança pública e Combate ao Crime Organizado, três requerimentos na Câmara dos Deputados: uma moção de Louvor a jornalistas e comunicadores “exilados políticos”, outro que trata da solicitação de informação ao TCU sobre a designação do delegado Thiago Severo para exercer cargo na Europol e mais um que garante a realização de seminário destinado a debater a Segurança Pública no Nordeste e comemorar o aniversário de 199 anos da Polícia Militar de Pernambuco.

“Estamos firmes na luta por dias melhores para a família militar e todos os brasileiros sem descuidar da fiscalização do desgoverno Lula”, disse o deputado.

A moção de louvor aos jornalistas e comentaristas Rodrigo Constantino, Paulo Figueiredo, Oswaldo Eustáquio e Allan dos Santos foi o que mais chamou a atenção. Todos estão incluídos no inquérito das Fake News, do Supremo Tribunal Federal. Contra Allan dos Santos há, inclusive, um mandato de prisão.

Eles moram nos Estados Unidos. Também foram homenageados os jornalistas Augusto Nunes, Alexandre Garcia e Luís Ernesto Lacombe

O Núcleo de Conciliação (Nupemec), do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), comemorou o acordo firmado entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o Governo de Pernambuco, na terça-feira (11), para que as famílias vitimadas dos prédios-caixão, modelos habitacionais sem vigas, com risco de desabamento, na Região Metropolitana de Recife, conquistarem o direito à indenização.

Os proprietários desses imóveis vão receber R$ 120 mil cada, valor pago pelo Fundo de Compensação de Variações Salariais, comandado pelo Ministério da Fazenda, informou a Agência Brasil. O Governo Federal promete destinar um total de R$ 1,7 bilhão para essas indenizações.

As tratativas com o objetivo de demolir os prédios-caixão e indenizar as famílias que vivem nessa situação começaram bem antes, no Tribunal de Justiça de Pernambuco, por meio do Nupemec, em junho de 2023, quando foi realizada a primeira reunião com Promotoras de Justiça, representantes do jurídico da Caixa Econômica Federal e do Município de Olinda.

“Chocou-nos a informação de que havia prédios interditados judicialmente há mais de vinte anos e que permaneciam sem ser demolidos, e o que é pior, reocupados por outras pessoas que não tinham onde morar. Contudo, poucos dias depois, ocorreu novo desmoronamento, que vitimou mais 14 pessoas,no Município de Paulista”, afirmou o coordenador do Nupemec, desembargador Erik Simões.

A previsível tragédia levou o coordenador do Nupemec a ampliar as negociações e novas reuniões foram realizadas, coordenadas pelos Núcleos de Conciliação do TJPE e do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), além do Núcleo 4.0, que abrangem representantes dos dois Tribunais.

Participaram representantes dos Ministérios Públicos do Estado e Federal, dos municípios de Olinda, Jaboatão, Recife e Paulista, do Estado de Pernambuco, do Fundo de Compensação de Variações Salariais, do Instituto de Tecnologia de Pernambuco, da União Federal, da Caixa Econômica, do Tribunal de Contas do Estado, da Secretaria do Patrimônio da União, da SulAmérica Seguradora, Caixa Seguradora e escritórios de advocacia que cuidam da matéria, entre outros envolvidos. No total, foram realizadas oito reuniões, sendo a última no dia 20 de dezembro de 2023.

Até agora, o Governo Federal avaliou 431 prédios em situação de alto risco, nas cidades de Paulista, Camaragibe, Jaboatão de Guararapes, Olinda e Recife. Ao longo de três décadas, foram registrados 20 acidentes na região. No ano passado, 20 pessoas morreram em dois desabamentos de prédios-caixão.

O projeto lançado na terça-feira prevê a desocupação de 133 empreendimentos que estão em risco iminente de desabamento até o final do ano. Os prédios serão demolidos, e os terrenos entregues pela União ao governo do estado, que dará uma destinação de interesse social aos locais, prioritariamente moradias populares ou mesmo creches e outras estruturas.

EXCLUSIVO

Não foi apenas a Secretaria Estadual da Educação que se mobilizou para que fosse feito o pagamento sem licitação para a Associação do Nordeste de Distribuidores e Editoras de Livros (Andelivros). O secretário estadual da Fazenda, Wilson José de Paula, também autorizou o gasto. O blog teve acesso exclusivo a um ofício assinado pelo secretário de Fazenda do Estado autorizando a despesa financeira, após ser provocado pela Secretaria Estadual de Educação.

A gestão Raquel Lyra (PSDB) já está sendo investigada no Tribunal de Contas do Estado pela contratação da Andelivros sem licitação. O blog revelou anteriormente uma nova decisão do TCE que complica ainda mais a gestão da governadora no caso Andelivros, contratada para realizar o “Projeto Clipe– Circuito Literário de Pernambuco”. O TCE mandou abrir um novo processo, de auditoria especial, para investigar a contratação da gestão.

O TCE expediu uma medida cautelar, em 29 de maio deste ano, suspendendo os pagamentos milionários para a Andelivros, contratada sem licitação. O pedido de cautelar partiu da comissão de Educação da Assembleia Legislativa. No entanto, como o blog revelou, a gestão Raquel já tinha adiantado para a entidade o valor de R$ 2,5 milhões, com ordem bancária depositada em 21 de maio. O dinheiro foi liberado para a Andelivros antes mesmo do “Projeto Clipe” ter sido concluído, o que só aconteceu em 3 de junho, no Recife.

A relação entre Raquel Lyra e a Andelivros é antiga. A entidade privada também foi contratada várias vezes, sempre sem licitação, pela gestão de Raquel Lyra quando prefeita de Caruaru. Segundo o site do TCE, TomeConta, entre 2017 e 2022, exatamente os anos de gestão municipal de Raquel, foram dez empenhos da Prefeitura de Caruaru com a Andelivros, sempre por inexigibilidade de licitação, como feito agora com o Governo do Estado. Na Prefeitura de Caruaru, durante a gestão Raquel, a Andelivros recebeu mais de R$ 6 milhões.

Em uma reunião significativa realizada na sede do Ministério da Educação (MEC) em Brasília, representantes de prestigiadas entidades médicas de Pernambuco discutiram estratégias para o restauro do Memorial da Medicina do estado. A delegação, composta por líderes de várias organizações médicas e acadêmicas, incluindo o presidente do Simepe, Walber Steffano, e o reitor da UFPE, Alfredo Macedo Gomes, foi recebida pelo ministro Camilo Santana e outros dignitários para dialogar sobre o futuro do patrimônio histórico.

O presidente do Simepe, Walber Steffano, expressou otimismo após o encontro, anunciando que o MEC comprometeu-se a liberar fundos para iniciar o processo de restauração do Memorial. Este gesto é um reconhecimento da relevância histórica e cultural do Memorial para a medicina no estado de Pernambuco e no Brasil.

Por sua vez, Hildo Azevedo, presidente da Academia Pernambucana de Medicina, enfatizou a colaboração entre as entidades médicas locais, que têm trabalhado juntas para preservar o espaço. Azevedo agradeceu especialmente ao Simepe e ao Cremepe pelo apoio contínuo, que permitiu que as atividades acadêmicas prosseguissem mesmo após a interdição do prédio.

O Memorial da Medicina de Pernambuco, um edifício histórico da década de 20, foi fechado em abril após um colapso parcial do telhado. A propriedade, doada à Universidade Federal de Pernambuco, serve como um marco para a história da medicina no estado. Após o incidente, todas as entidades e o Museu da História da Medicina de Pernambuco tiveram que suspender suas atividades, aguardando a restauração.

O secretário de administração do município de riacho das almas, Helder Gonçalves Alcântara, foi acusado por uma morada da cidade de Caruaru, por importuna-la sexualmente. A mulher, que não teve sua identidade revelada, compareceu à 4ª Delegacia da Mulher onde registrou um boletim de ocorrência contra o secretário.

Em relato à polícia, Helder vem observando as mulheres, das proximidades de seu prédio desde setembro do ano passado, enquanto elas trocavam de roupa e tomavam banho, dentro do seu carro. Observando a estranha movimentação do veículo, um policial militar, que observou toda a cena tirou uma foto da placa do veículo utilizado pelo secretário, e verificou que o carro realmente era de seu nome.

Não é a primeira vez que Helder recebe queixas de importunação sexual. Outras pessoas, como amigos e familiares também confirmam a versão da mulher.

O secretário e também advogado, não se pronunciou publicamente sobre as acusações até o momento desta publicação. As autoridades policiais estão conduzindo uma investigação sobre o assunto, buscando esclarecer os fatos e determinar as medidas apropriadas a serem tomadas.

O músico e compositor, Marcelo Cavalcanti, recebeu na tarde de ontem a Medalha Pernambucana do Mérito Policial Militar – MPMPM, em reconhecimento aos serviços prestados ao povo pernambucano e à polícia militar do estado.

A condecoração foi uma iniciativa do comandante-geral da PM, Cel. Ivanildo César Torres de Medeiros. Confira algumas foto do recebimento da comenda pelo músico: