Poetisa petrolinense Arleide Carvalho lança hoje o seu livro “Primeiros Versos”

A poetisa petrolinense, Arleide Carvalho, lança hoje (24) seu livro de poemas “Primeiros versos”, durante um encontro literário no Espaço Cultural da Vila Sônia, em São Paulo. Sua estreia na literatura, em um momento de amadurecimento literário e intelectual pautado na sua trajetória de leitora e escritora em constante construção, também acontece simultaneamente de forma virtual.

Neste seu livro de estreia, a autora flerta com o modernismo, fugindo dos padrões  estabelecidos pela rigidez acadêmica.  Ela voa por um mundo imaginário em seus textos soltos, heterométricos e versos brancos, além de uma pitada de Romantismo. Mas o “eu” poético da autora fica mesmo no seu mundo bem mais íntimo, característica  herdada, talvez, da sua formação em psicologia. “Não me apego somente à ideia de inspiração, mas quando ela vem, procuro corresponder ao radar da linguagem poética com cuidado de dizer o melhor possível com verdade e precisão”, diz a autora.

Em cerimônia realizada em Recife ontem, a Prefeitura de Petrolina, através da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, assinou o termo de adesão junto ao Governo Federal e do Estado para a implantação da Casa da Mulher Brasileira.

A Casa da Mulher Brasileira é um importante equipamento de enfrentamento à violência contra a mulher, que vai permitir a ampliação do serviço de proteção e acolhimento da mulher petrolinense. Irá oferecer às assistidas apoio psicossocial através de uma equipe multidisciplinar que prestará atendimento continuado, promovendo resgate da autoestima, autonomia e cidadania.

De acordo com o termo de cooperação técnica, o Município irá receber do Governo Federal o valor de R$ 7,5 milhões para a construção do equipamento e mais R$ 2,5 milhões para custeio. A previsão de entrega é para 2025. Em Pernambuco, apenas três cidades foram contempladas com o equipamento: Petrolina, Recife e Caruaru. 

Casa da Mulher Brasileira:

A Casa da Mulher Brasileira é uma inovação no atendimento humanizado às mulheres, que irá integrar no mesmo espaço serviços de enfrentamento à violência contra a mulher oferecidos tanto pelo Município quanto pelo Estado, proporcionando um atendimento integral e ágil.

Após um período de reflexão sobre os rumos do grupo Boca Preta, a ex-prefeita Carmen Miriam anunciou seu retorno à política de Agrestina, assumindo a liderança do grupo. A decisão surge em meio ao rompimento entre o ex-prefeito Thiago Nunes e o atual prefeito Josué Mendes, abrindo espaço para uma nova configuração no cenário político local.

Em uma reunião realizada ontem, Carmen Miriam recebeu o apoio declarado de três dos 11 vereadores do município, sinalizando um fortalecimento inicial da sua posição. Há relatos promissores sobre um quarto vereador que demonstrou interesse em retornar ao grupo, solidificando ainda mais a base de apoio da ex-prefeita.

Carmen Miriam, ao assumir o protagonismo no grupo Boca Preta, enfatizou que está disposta a dialogar com todos os atores políticos, independentemente de suas filiações anteriores. Ela se coloca como a “fiel da balança” no atual cenário político de Agrestina, destacando que as portas estão abertas para construir alianças e parcerias em prol do desenvolvimento do município.

Quanto ao seu papel nas eleições futuras, Carmen Miriam mantém diversas opções em aberto. Ela pode se candidatar à prefeitura, ao cargo de vice-prefeita, indicar um candidato de confiança ou até mesmo concorrer ao cargo de vereadora. A flexibilidade nas opções reflete a abordagem estratégica da ex-prefeita para contribuir com a melhoria da governança local.

O retorno de Carmen Miriam à cena política de Agrestina promete agitar as futuras eleições, transformando-a em uma figura central e uma potencial influenciadora no destino do município. A sua disposição para o diálogo e abertura para alianças indicam um caminho interessante a ser seguido, enquanto a população aguarda ansiosamente os desdobramentos dessa nova fase na política local.

Desde o carnaval, quando o prefeito do Recife, João Campos (PSB), deu uma turbinada de 1 milhão de seguidores em seu Instagram, só tenho ouvido um prognóstico: será governador, depois da sua reeleição, nas eleições de 2026. 

Sou insuspeito para fazer esse comentário: o PSB tem 12 processos no meu lombo, o prefeito não fala comigo nem tampouco sua família. Ao contrário, tenho sofrido hostilidades desde o primeiro processo movido contra mim pelo ex-prefeito Geraldo Júlio.

Mas resolvi fazer essa postagem simplesmente porque em Brasília um motorista de Uber, do Mato Grosso, me disse que segue o prefeito do Recife e que é seu admirador. Jornalistas em Brasília vieram me dizer também que gostam do prefeito, especialmente repórteres jovens, da faixa etária de João. 

Há pouco, já no Recife, fui abordado por várias pessoas no shopping Riomar me perguntando se João será governador. Uma jovem de uma loja me reconheceu e disse: “Gosto muito do João. Você acha que ele será governador?”

Não tenho bola de cristal, mas que há uma onda pró João, faltando três anos para a sucessão de Raquel, disso não tenho a menor dúvida.

Por Angelo Castelo Branco*

Uma década depois das premonições do padre dominicano francês Joseph Lebret vislumbrando as alternativas de desenvolvimento mais adequadas às vocações do litoral Sul de Pernambuco, os ambientes acadêmicos e políticos despertaram para discussão e busca de uma nova visão econômica que pudesse alavancar a industrialização no estado.

Lebret foi convidado para visitar Pernambuco no ano de 1954 e realizou seminários e debates que ensejaram autocríticas sobre a inevitável obsolescência do velho porto do Bairro do Recife. Tornar-se-ia inadequado em face da evolução tecnológica confirmada rapidamente pela indústria naval e oferecia risco de congestionamento aos corredores de tráfego nas ilhas do Recife e de Santo Antônio.

Sob as inspirações das doutrinas econômicas defendidas por Lebret, Suape entrou na agenda estratégica do estado e passou a ser visto como trecho geograficamente viável a um sistema portuário moderno. A percepção sobre a importância de Suape seria tecnicamente confirmada nas duas décadas seguintes pelos estudos do seu contorno litorâneo, profundidade adequada e região singularmente harmônica com a formação de núcleos populacionais menos vulneráveis aos riscos de saturação e congestionamentos.

A equação formatada nos seminários com o dominicano que marcou presença na elaboração de políticas urbanas em São Paulo, contribui no sentido de uma sonhada qualidade de vida coletiva e logo se incorporou às preocupações locais. Lebret era um estudioso de questões sociais e defensor da corrente de pensamento denominada “Economia e Humanismo”. Sua vinda a Pernambuco foi fruto de iniciativa de um grupo no qual se destacava a figura do engenheiro e professor Antônio Baltar que chegou ao Senado e foi exilado no Chile depois do episódio de 1964.

Clique aqui e confira a publicação completa no perfil do Facebook de Angelo.

*Jornalista, membro da Academia Pernambucana de Letras e sócio do Instituto Arqueológico Histórico Geográfico Pernambucano

O presidente do Instituto Histórico, Geográfico, Arqueológico e Antropológico de Paulista (IHGAAP), Ricardo Andrade, denuncia que o patrimônio cultural de Paulista encontra-se abandonado. Segundo ele, sem a retomada do Conselho de Preservação do Patrimônio pela atual gestão municipal, não existe plano e, consequentemente, recursos para a manutenção do patrimônio cultural do município.

“O Forte de Pau Amarelo, único bem tombado pelo IPHAN na cidade, encontra-se sem reforma, nem empresa contratada para tal, com goteiras no telhado, com bar no entorno e um campo de futebol na frente”, aponta Ricardo.

Entre os pontos culturais de Paulista que, segundo Ricardo Andrade, estão abandonados pelo poder público estão as ruínas da Matriz de Nossa Senhora dos Prazeres, o Alto do Sumaré, o cine teatro Paulo Freire e as antigas Vilas Operárias. 

Durante o evento de apoio do Partido Republicanos à pré-candidatura a prefeito de Petrolina de Simão Durando (União Brasil), na noite de ontem, o ex-prefeito da cidade, Miguel Coelho, o deputado federal, Fernando Filho, e o deputado estadual licenciado, Antônio Coelho, comemoraram a adesão da legenda. O encontro, realizado no Hotel Grande Rio, atraiu um grande número de pessoas e contou com a presença de importantes representantes do partido, como o ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, o presidente estadual do Republicanos, Samuel Andrade, além dos deputados federais Augusto Coutinho e Ossesio Silva, e os vereadores Alex de Jesus, Rodrigo Araújo e Marquinhos Amorim.

Em sua fala, Antônio Coelho destaca a força política de Petrolina. “Quero falar da alegria de poder ter o ministro Sílvio Costa Filho em nossa cidade para que ele possa fazer parte desse novo capítulo tão decisivo ao trabalho que nós iniciamos na eleição de 2016. Com esse projeto de desenvolvimento, onde foram pavimentadas novas avenidas do progresso, fortalecendo a educação, a saúde, nós conseguimos reconquistar o orgulho do petrolinense. E tudo isso foi através da nossa força política”, destacou.

“Nós temos tanta assertividade e disposição para lutar por nossa cidade, mas também a sabedoria e humildade de nos juntarmos e chegar mais perto dos melhores quadros políticos daqui de Pernambuco e do Brasil. Hoje é um marco na história de Petrolina e o apoio do ministro será decisivo para que a cidade possa continuar no ciclo do desenvolvimento e da prosperidade”, complementou.

Fernando Filho destacou que o prefeito Simão vai continuar recebendo mais apoio e a cidade vai continuar crescendo. “Eu tenho certeza que o Republicanos deu o pontapé inicial e nós teremos a oportunidade de, até a convenção partidária, celebrar e colher os frutos dos apoios de muitas pessoas que querem continuar ajudando para que Petrolina siga nesta mesma pegada. A cidade se transformou na terceira maior do estado, na que mais gera emprego no interior do Nordeste, na que tem os melhores indicadores na saúde e educação, e é isso que queremos que Petrolina continue sendo”, pontuou.

Miguel Coelho demonstrou felicidade ao concretizar o apoio do Republicanos a Simão. “Quero destacar esse gesto que o ministro Sílvio Costa Filho está fazendo junto com todo o partido Republicanos, na esfera Nacional, Estadual e aqui em Petrolina. É um elo importante entre nós e o Governo Federal, por isso estou muito feliz com esse apoio. Tenho certeza de que esta eleição de 2024 será uma eleição bonita onde apresentaremos Simão, com o coração largo, pai de família, mas apaixonado por nossa cidade e pelo nosso povo. Enquanto a oposição bate cabeça sem saber quem tem coragem para enfrentar o nosso grupo, Simão não se importa com fofocas, ele traz ministros de estado, deputados federais e estaduais para poder captar recursos de Brasília e Recife e continuar fazendo os investimentos necessários”, frisou.

*Por William Tavares

A Folha de Pernambuco faz jornalismo. Um substantivo que de tão forte nem precisa de adjetivos. Símbolo de informação com credibilidade, reinventando-se ao longo dos anos, adaptando-se às novidades e evoluindo junto à sociedade, o jornal passará, a partir deste fim de semana, por mais um processo em busca do aperfeiçoamento na relação com o leitor.

A Folha vai mudar. No papel e nas mídias digitais. Mais páginas para ampliar o espaço diário das notícias. Uma nova identidade visual para acompanhar a modernidade e aprimorar a exposição dos fatos. Maior fluidez aos que optam pela leitura digital. O veículo que faz parte da vida dos pernambucanos vai mudar, mas mantendo a essência do trabalho que começou desde o dia 3 de abril de 1998. Que faz jus à força do Nordeste. Que faz o povo ter vez e voz. Que, há mais de 25 anos, faz o que, na essência, já é em si: jornalismo.

“Neste ano de 2024, nós subimos mais um patamar, sempre ancorados no jornalismo de qualidade, de credibilidade, dando visibilidade ao contraditório. A Folha reafirma a sua presença em todas as suas plataformas e traz uma edição diária ampliada que simboliza a força do jornalismo, que está em constante transformação. A edição agora com 24 páginas permite uma diversidade maior dos assuntos segmentados com uma interface visual alinhada tanto à leitura no papel quanto ao consumo em formato nos dispositivos digitais, principalmente o mobile, que é indissociável do nosso cotidiano”, afirma o presidente do Grupo EQM e fundador da Folha de Pernambuco, Eduardo de Queiroz Monteiro.

Qualidade é marca permanente

O diretor executivo da Folha, Paulo Pugliesi, ressalta a qualidade e o propósito de inovação constante. “Essa inquietação dos que fazem a Folha é constante no sentido de acompanhar as tendências e promover modificações, facilitando a leitura e possibilitando uma interação maior. Também queremos dar uma identidade visual não somente no impresso como também no digital. A qualidade da informação e a credibilidade são chanceladas pela equipe da Folha. Isso não muda. O que muda é a forma de apresentar, deixando o jornal ainda mais agradável. O importante é que a essência da Folha, a veracidade da informação e a prestação de serviço seguirão inalteradas”, declara.

Modernidade e tradição

O diretor operacional do jornal, José Américo Lopes Góis, cita a preocupação em valorizar também os leitores do formato impresso do jornal. “O novo projeto gráfico aproxima o público do jornal por algumas razões. As edições diárias saem de 16 para 24 páginas, com mais conteúdo e informações em reconhecimento a esse público leitor e fidelíssimo. As editorias e colunas ficaram com designs mais arrojados e com fontes mais expressivas nas suas chamadas. Os espaços comerciais foram contemplados, em respeito aos nossos anunciantes públicos e privados. Apesar do avanço da tecnologia, há um grande público leitor das edições impressas, que dá caráter documental a tudo que nelas se publicam. E isso tem valor incontestável no mundo da modernidade”, registra.

Para a diretora administrativa do jornal, Mariana Costa, o novo projeto gráfico promete agradar esteticamente, como também trazer uma maior sintonia entre os assuntos. “A Folha de Pernambuco busca essa constante renovação. A remodelação da diagramação do jornal vem com um olhar para a edição online. Queremos trazer uma leitura mais dinâmica e limpa, entendendo que essa conexão do digital com o impresso precisa estar cada vez mais presente. Boa parte da nossa leitura vem dos smartphones e, para esse público, vamos trazer algo mais moderno. O produto ficou extremamente agradável. Esperamos que nossos leitores gostem, criando uma maior conexão com o conteúdo da Folha de Pernambuco”, pontua.

Mais conteúdo segmentado

Mais páginas, mais conteúdo. Além das tradicionais editorias, o jornal também dará maior visibilidade ao conteúdo dos blogs do portal da Folha já conhecidos pelos internautas. “Cada audiência consome o conteúdo de uma forma e nós queremos atender a todos, prezando pela credibilidade, pelo contraditório, pela apuração e checagem dos fatos. Estamos mudando o projeto gráfico, mas a essência jornalística se mantém. Essa adaptação é para se ter uma leitura que ‘converse’ ainda mais com o ‘mobile’. A versão online terá uma curadoria diferenciada. Traremos conteúdos do digital adaptados para o jornal. Alguns blogs, conteúdos de nicho que possuem uma força muito grande, como ‘Tecnologia e Games’, ‘Folha Pet’ e ‘FMotors’, entre outros, estarão no ‘flip’, mas de outra forma, com uma abordagem visual diferenciada, gerando uma experiência diferente”, destaca Leusa Santos, editora-chefe do jornal.

Soluções visuais para mobile

O editor de arte do jornal, João Lin, detalha quais mudanças o leitor poderá perceber nas novas páginas da Folha. “Motivados pelo desejo de otimizar a leitura multiplataforma do jornal nos ambientes digitais como redes sociais, plataforma web, aplicativos e garantindo ao mesmo tempo a fluidez da leitura do jornal impresso, nós buscamos soluções gráficas visuais que dessem maior conforto a leitura e apresentassem um conteúdo visual rico em informação e esteticamente harmonioso”, explica.

Segundo ele, o desenvolvimento do projeto inclui: mudanças nas dimensões dos títulos e textos, melhorando a leitura; páginas mais leves com espaços maiores entre os textos; fotos maiores, entre outros aspectos. As modificações, de acordo com ele, estão sintonizadas com a experiência do usuário no consumo da informação.

*Jornalista da Folha de Pernambuco

Uma reunião da bancada pernambucana do PL com o presidente estadual do partido, Anderson Ferreira, em Brasília, reforçou o apoio do grupo à pré-candidatura de Fernando Rodolfo em Caruaru. Na ocasião, o deputado federal Coronel Meira exaltou o correligionário. “O nosso presidente Jair Bolsonaro já tinha anunciado em rede nacional que a missão está dada. Vamos marchar juntos em Caruaru, onde o candidato definido por Bolsonaro é Fernando Rodolfo” afirmou.

O pré-candidato agradeceu o gesto e reforçou seu compromisso com Caruaru. “Estou indo para o maior desafio da minha vida, muito motivado, muito feliz com todas as manifestações que vêm chegando desde dezembro, quando nossa pré-candidatura foi oficializada. Vamos apresentar um grande projeto para Caruaru, que precisa voltar a sonhar com dias melhores, e não andar para trás nem ficar estagnado no tempo”, declarou o parlamentar.

O Diretório Municipal do PSB em Garanhuns promove hoje, às 10h, no auditório da Fetape, uma edição da Agenda 40, tradicional evento de mobilização do partido. O ato será conduzido pelo prefeito Sivaldo Albino (PSB) e pelo presidente municipal da sigla, Dorgival Figueiredo, com a participação de nomes de diversas partes de Pernambuco. Na ocasião, lideranças locais vão se integrar ao PSB

Serviço

Agenda 40 em Garanhuns

Data: Sábado, 24 de fevereiro de 2024

Horário: 10h

Local: Auditório da Fetape – Av. Duque de Caxias, 145 – Heliópolis, Garanhuns-PE