Chuvas em Pernambuco: inundação de rios, desabrigados e transtornos são registrados

Em virtude das chuvas constantes registradas nos últimos dias, oito rios superaram a cota de segurança, provocando inundações em Pernambuco. A atualização mais recente foi feita neste domingo (16) pela Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), que emitiu um novo aviso hidrológico.

Desta vez, o alerta de inundação foi para o Rio Capibaribe-Mirim, em Caricé, no município de Itambé, na Zona da Mata Norte. Segundo a Apac, houve impacto nas cidades de Itambé e Goiana, na mesma região. No balanço da noite de sábado (15), a Apac apontou inundação em sete rios. As informações são do Diario de Pernambuco.

São eles: 

  • Rio Ipojuca, em Ipojuca (Grande Recife)
  • Rio Sirinhaém, em Barra de Guabiraba (Mata Sul)
  • Rio Jacuípe, em Alagoas, mas com impacto em Água Preta, na Mata Sul, e monitorado pela Apac
  • Rio  Siriji,  em Vicência, na Mata Norte
  • Rio Sirinhaém, em Joaquim Nabuco, na Mata Sul
  • Rio Amaraji, em Ribeirão, na Mata Sul
  • Rio Pirangi, em São Benedito do Sul, na Mata Sul 

No sábado, também foi feito um alerta para o risco de inundação do Rio Tracunhaém, que pode prejudicar moradores de três cidades:

  • Goiana
  • Itaquitinga
  • Nazaré da Mata 

Balanço

Conforme a Defesa Civil de Pernambuco, houve deslizamento de barreiras em Joaquim Nabuco, Olinda, Rio Formoso e São Lourenço da Mata, todas sem vítimas. Os alagamentos atingiram Jaboatão dos Guararapes, Recife e São José da Coroa Grande. 

A Defesa Civil de Pernambuco informou, no sábado (15), que havia 87 desalojados e 24 desabrigados no Estado.

Governadora

Pelas redes sociais, a governadora Raquel Lyra (PSDB) informou que a equipe estava acompanhando os impactos das chuvas que estão atingindo o Grande Recife e as regiões do Agreste e das Zonas da Mata Norte e Sul. “A Apac, Defesa Civil e  bombeiros estão de prontidão, monitorando as chuvas intensas e fazendo resgates em algumas áreas alagadas na RMR”, disse.

Chuvas

Para este domingo, a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é de tempo nublado, com chuvas isoladas. No Recife, as precipitações das últimas 24 horas representaram 40% do esperado para junho. A prefeitura disponibilizou abrigos para quem precisar. O telefone para contato é  0800 081 3400 

Veja onde mais choveu em 24 horas

  • Recife: 112,31 mm  (Alto Mandu)
  • Goiana: 80,76 mm  (Ponta de Pedra – APAC)
  • Tamandaré: 71,07 mm  (PSF – APAC)
  • Barreiros: 70,15 mm  (Hospital Municipal)
  • Ipojuca: 69,72 mm  (Núcleo Maranhão – APAC)
  • Escada: 66,69 mm  (ETA Compesa)
  • Olinda: 65,94 mm  (Águas Compridas) 

O telefone da Defesa Civil estadual é 199. Bombeiros: 193. 

Telefones da Defesa Civil nas cidades

  • Recife 0800.081.3400
  • Abreu e Lima: (81) 99933.6380
  • Araçoiaba: (81) 3543.8983
  • Cabo de Santo Agostinho: 0800.281.8531
  • Camaragibe: (81) 2129.9564, (81) 99945.3015 e 153
  • Igarassu: (81) 99460-9073
  • Itamaracá: (81) 3181-2490 e 199
  • Ipojuca: (81) 99231.8607 (telefone e WhatsApp)
  • Itapissuma: (81) 98844-5216
  • Jaboatão dos Guararapes: (81) 3461.3443 e (81) 99195.6655
  • Moreno: (81) 98299.0974 e (81) 98128.2018
  • Olinda: (81) 99266.5307 e 0800.081.0060
  • Paulista: 153
  • São Lourenço da Mata: (81) 98338.5407

Petrolina é a primeira cidade do estado a receber a caravana itinerante da Comissão Estratégica do Tribunal de Justiça de Pernambuco. Liderada pelo presidente do TJPE, desembargador Ricardo Paes Barreto, a comitiva visitou, na manhã desta sexta-feira (14), a Unidade Regional do Sertão do São Francisco da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (URSF/FIEPE).

Recebida pelo diretor adjunto da Unidade Regional do Sistema FIEPE, Huberto Costa, a caravana conheceu a experiência e as capacitações do SENAI, FIEPE, SESI e IEL. Depois de ouvir os representantes de cada entidade, o presidente do TJPE, elogiou a estrutura, destacando a formação profissional, consultorias, serviços de saúde e educação básica que são oferecidos para os industriários, familiares e comunidade regional.

“O Sistema FIEPE tem um papel preponderante no desenvolvimento de Petrolina e de todo o Vale do São Francisco. Nossa caravana veio colher as práticas exitosas realizadas por estas quatro instituições, que são exemplos de formação profissional, seleção de estagiários e na defesa dos interesses do setor produtivo, com ênfase para a indústria”, ressaltou.

Participaram ainda da visita integrantes da Comissão Estratégica do TJPE: o desembargador Paulo Augusto de Freitas (presidente do órgão), o desembargador Erik Simões (também coordenador-geral do Núcleo de Conciliação) e a juíza Brenda Paes Barreto. Fizeram parte do comitê de recepção o gestor do Sesi Petrolina, Cássio Saturnino; a coordenadora da Unidade Regional do Sertão do São Francisco da FIEPE, Fabiana Ribeiro; a gestora Escolar do SENAI Petrolina, Carol Campos, e a coordenadora do Instituto SENAI de Tecnologia (IST), Ana Barroso.

Por conta das fortes chuvas, o nível do rio Sirinhaém subiu. Um vídeo que circula nas redes sociais mostra uma rua do município de Barra de Guabiraba completamente alagada e, por conta disso, alguns moradores estão tirando os seus móveis e eletrodomésticos das residências para não perder por conta da água. 

Confira o vídeo abaixo

A Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac) informou que o rio Pirangi, em São Benedito do Sul, atingiu a cota de inundação. Com isso, os municípios de São Benedito do Sul, Jaqueira e Maraial já estão sendo afetados pelo extravasamento do rio.

A APAC atualizou ainda que o rio Capibaribe Mirim, em Timbaúba, atingiu a cota de alerta e o município deve ficar em atenção por conta da possibilidade de inundação.

A governadora Raquel Lyra informou por meio de suas redes sociais que está acompanhando os impactos das chuvas que estão atingindo o Grande Recife e as regiões do Agreste e das Zonas da Mata Norte e Sul. “A APAC, a Defesa Civil de Pernambuco e o Corpo de Bombeiros estão de prontidão”, afirmou.

Em razão das fortes chuvas e o nível da água do Canal do Fragoso no início deste sábado, a Prefeitura de Olinda informou que o serviço de manutenção do pavimento da Ponte que corta a Avenida Fagundes Varela, no bairro de Jardim Atlântico, precisou ser adiado. O trabalho que iniciaria às 8h da manhã de hoje, foi reprogramado para a manhã da próxima segunda-feira (17).

Durante o serviço, que deve durar aproximadamente cinco dias, a circulação de veículos local e de acesso aos bairros circunvizinhos estarão bloqueados. Agentes de trânsito estarão presentes para auxiliar e monitorar o tráfego. A obra é de responsabilidade da Companhia Estadual de Habitação (CEHAB). A empresa contratada está avaliando a condição do dano no pavimento para reduzir o tempo de obra e os transtornos à população.

A decoração das ruas e o som da sanfona anunciam que o maior e melhor arraial do Brasil já começou. O evento iniciou nesta sexta-feira (14) e, de acordo com o prefeito Simão Durando, ficará marcado na história de Petrolina. Celebrado como o melhor do país, o evento trouxe novidades em 2024 e deve atrair milhares de visitantes para experimentar a rica cultura nordestina. 

Com o tema “Viva a nossa arte”, o evento ganhou uma noite a mais no Pátio Ana das Carrancas. O prefeito Simão ainda inaugurou este ano uma ampla decoração junina em avenidas e pontos turísticos petrolinenses que criam um ambiente propício para animação até a chegada do espaço de festejos. O Pátio de eventos Ana das Carrancas ganhou roda gigante, uma vila cenográfica com a igreja catedral, estação ferroviária e outros elementos históricos do município. No palco, uma ornamentação que valoriza a cultura da região, com peças que fazem referência ao artesanato e outras expressões artísticas do Vale do São Francisco.

Serão 50 atrações de peso nacional e regional nas 10 noites de Petrolina. Na abertura, espaço lotado para os shows de Henrique e Juliano, Pedro Libe, Léo Santana, Avine Vinny e Tarcisio do Acordeon, simbolizando uma mistura de ritmos que levou petrolinenses e turistas de todas idades e gostos. 

Na noite inaugural, o prefeito Simão Durando levou convidados do mundo político, como o prefeito do Recife, João Campos, deputados estaduais, entre outras lideranças do Estado. O gestor petrolinense destacou a grandiosidade do evento, que neste ano foi ampliado e tem o maior esquema de segurança já montado na história. Simão avalia que, por conta da grade com dezenas de artistas nacionais, e a estrutura de grandes festivais internacionais, o São João de Petrolina 2024 marcará época.

“Foi tudo feito com muito planejamento. Atendemos todos os pedidos da população, colocamos decoração nas ruas, criamos um polo alternativo na praça da Sementeira e aumentamos a infraestrutura e segurança. Este evento é um ciclo onde a música, dança, arte e culinária se unem para criar memórias inesquecíveis. Esse é o ponto alto de um período que traz dezenas de eventos dos mais diversos. Pensamos em todos os detalhes para entregar aos petrolinenses e turistas a grandiosidade que eles merecem. Por tudo isso, tenho convicção de afirmar que esse será o maior São João da história de Petrolina”, cravou o prefeito.

Leitores deste blog que tentavam seguir de Bezerros até Riacho das Almas pela BR-232, informaram, há pouco, que não conseguiram chegar ao seu destino por conta do engarrafamento causado pela comitiva da governadora Raquel Lyra, que cumpre agenda no município de Bezerros, incluindo festejos juninos em Serra Negra.

“Pararam tudo pra ela subir. Tive que ir por Caruaru e o pessoal de Recife e Gravatá voltando porque está tudo trancado”, disse uma leitora. Com isso, a governadora impede o ir e vir dos cidadãos”, protestou.

A Defesa Civil do Jaboatão dos Guararapes atualizou, no final da manhã deste sábado (15), os números das ocorrências registradas nas últimas 24h no município. Foram 79 ocorrências, sendo a maior parte referentes a colocação de lonas (42). Houve dez deslizamentos, todos sem vítimas. O monitoramento da situação está sendo acompanhado em tempo real, na Sala Integrada de Monitoramento da Defesa Civil.

Na comunidade Brasil Novo (Sapolândia), com a subida das águas, 30 pessoas desalojadas (16 adultos e 14 crianças) foram retiradas de suas casas pelo Corpo de Bombeiros, com apoio da Defesa Civil, e transportadas pela Prefeitura do Jaboatão ao abrigo localizado em Cajueiro Seco. No local, as pessoas receberão todo o suporte necessário durante o período em que estiverem sob os cuidados da Secretaria de Assistência Social. O prefeito Mano Medeiros acompanha a operação pessoalmente, junto com a primeira-dama, Andrea Medeiros.

Segundo a Defesa Civil, o volume acumulado de chuvas chegou a 146,2 milímetros. As equipes permanecem em prontidão, com equipamentos, barcos e veículos de apoio, podendo fazer o deslocamento rápido para qualquer ponto da cidade. Equipes da Secretaria de Infraestrutura também estão nas ruas trabalhando para que entulhos arrastados pelas águas não bloqueiem seu escoamento.

Em caso de necessidade, moradores podem acionar a Defesa Civil do Jaboatão dos Guararapes pelo telefone 0800 281 2099 ou pelo Whatzapp (81) 99185.6655.

Do g1

Após a Justiça proibir o governo de Pernambuco de retirar o muro que dificulta o acesso à praia no Pontal de Maracaípe, no Litoral Sul do estado, a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) notificou, pela segunda vez, o proprietário do terreno sobre o cancelamento da autorização para manter a estrutura.

A notificação foi entregue na sexta-feira (14) por três servidores do órgão ambiental ao advogado e empresário João Fragoso, em seu escritório, no bairro do Rosarinho, na Zona Norte do Recife.

O documento, assinado pelos cinco diretores da CPRH, notifica extrajudicialmente o proprietário, listando como justificativas argumentos contidos no relatório do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), divulgado na audiência pública da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), realizada em 23 de maio, e detalhado pelo g1.

Na “decisão de diretoria plena”, a CPRH cita “questões de fato, técnicas e jurídicas apontadas no relatório de vistoria do Ibama”, incluindo trechos do relatório do órgão ambiental federal:

  • “Inexiste erosão costeira que justifique a construção e permanência do muro de contenção instalado no pontal de Maracaípe”;
  • O muro está em área em que não é possível construir por questão de segurança (non aedificandi), “impedindo desova de tartarugas e causando poluição ambiental”;
  • E “impedindo o livre acesso à praia e agravando o risco de intensificação de processos erosivos em áreas adjacentes”.

A decisão encaminhada ao advogado João Fragoso refere-se à autorização para a manutenção do muro e permanência da construção, que vale até setembro deste ano.

No mesmo documento, a CPRH reconhece que, apesar da nova determinação para retirar a barreira, a autorização anterior é válida até que haja uma decisão judicial sobre o assunto, ou até que acabe o prazo da licença ambiental.

Após receber a segunda notificação da CPRH, o empresário questionou a iniciativa do órgão ambiental e disse que vai aguardar a decisão da justiça sobre o caso.

“A Justiça cancelou o cancelamento. Eu pedi para fazer o muro de contenção, a CPRH autorizou, eu paguei as taxas todinhas, a CPRH determinou como ia ser feito. Gastei quase R$ 1 milhão e agora diz que tem que derrubar? Não é assim não”, afirmou João Fragoso, que justifica a necessidade da construção com um estudo da agência ambiental, publicado em 1998, sobre a região de Maracaípe.

O empresário diz que utilizou estudos da CPRH para mostrar o assoreamento da foz do Rio Maracaípe e que cumpriu todas as exigências da agência, incluindo todos os monitoramentos exigidos que, segundo ele, custaram R$ 40 mil, cada.

“Fiz três relatórios de monitoramento detalhados sobre a situação da área do Pontal de Maracaípe desde que o muro de contenção foi instalado. O muro de contenção tem 250 metros, como foi exigido pela CPRH. O resto do terreno tem um cercamento com coqueiros e eu tive autorização da Justiça para realizar esse cercamento, que tem em toda a praia de Maracaípe”, afirmou Fragoso.

Agência exigiu uso de sacos

Em entrevista concedida ao g1, em seu escritório na Zona Norte do Recife, também na tarde de sexta (14), o proprietário do terreno no Pontal de Maracaípe, João Fragoso, apresentou os documentos de autorização da Agência Ambiental de Pernambuco (CPRH) para a construção do muro.

No documento que autorizou a implementação do muro de troncos, de 15 de julho de 2022, a CPRH atestou que o projeto “enquadra-se na atividade ‘.8.1 (F) Muro de Contenção, da Lei Estadual nº 14.249/2010 e suas alterações”.

“O objetivo é a implantação de obra de contenção marítima no Pontal da Praia de Maracaípe, especificamente de fronte a propriedade do Sr. João Vita Fragoso de Medeiros, com execução de muros sem a utilização de pedras ou alvenaria, os únicos materiais autorizados são troncos de coqueiro e sacos de ráfia com areia, numa extensão total de 250 metros lineares ou menor, visto que o mesmo só poderá ser realizado até o limite da área que visualmente está sob efeito da erosão”, diz o texto da autorização.

Confira

Em outro ponto do documento de autorização, em que trata das exigências, o órgão ambiental fala explicitamente sobre:

  • “Executar a obra utilizando apenas troncos de coqueiro, e sacos de ráfia preenchidos com areia, não sendo permitida a alteração ou expansão sem autorização prévia da CPRH”;
  • “Apresentar monitoramento trimestral do balanço sedimentar (positivo e/ou negativo) do local das intervenções, durante os 12 primeiros meses após a conclusão da obra, confrontando com a situação original e contendo levantamento topográfico com seu respectivo relatório”;
  • “Qualquer poluição causada pela intervenção, como por exemplo resquícios de sacos de areia na praia, devem ser imediatamente sanados pelo requerente”;
  • “Manter a área sinalizada durante toda a execução da obra, a fim de evitar acidentes”, entre outras exigências, como localização de banheiros químicos durante a instalação do muro, proibição de intervenções na faixa de areia e fixação da autorização ambiental em local visível.

Já na autorização para a manutenção da construção, emitida em 29 de setembro de 2023 e válida até 28 de setembro de 2024, além de permitir o trabalho, a CPRH descreve os materiais que devem ser utilizados:

  • “Executar a manutenção do muro de contenção utilizando apenas troncos de coqueiro, sacos de ráfia preenchidos com areia e malha de bidim, não sendo permitida a alteração ou expansão sem prévia anuência da CPRH”;
  • “Caso necessário o uso de materiais provenientes de jazidas minerais, como descrito no projeto e memorial descritivo, faz-se necessária a prévia autorização da CPRH, bem como a comprovação da empresa de origem do material utilizado”;

Da mesma forma que na autorização para a construção, o documento que autoriza a manutenção aborda a proibição de ocupar a praia, a obrigação de sinalização, a exibição da licença e a apresentação de monitoramento trimestral sobre a situação do Pontal de Maracaípe.

Muro e questão ambiental

  • O muro de troncos de coqueiro foi construído em maio de 2023, com autorização da CPRH, sob argumento de que ele conteria o avanço do mar;
  • Na época, barraqueiros e comerciantes que trabalham na orla criticaram a barreira, dizendo que ela dificultava o acesso das pessoas à praia;
  • Em maio de 2023, um incêndio atingiu barracas na praia, e os comerciantes cobraram uma investigação, por acreditarem que as chamas tiveram origem criminosa;
  • Em maio de 2024, após uma audiência pública, a CPRH voltou atrás na autorização e determinou que os proprietários derrubassem o muro;
  • No dia 6 de junho, a juíza Nahiane Ramalho de Mattos, do Tribunal de Justiça de Pernambuco, proibiu a demolição, afirmando que a CPRH não deixou claro como os donos do terreno haviam descumprido a autorização;
  • Depois disso, o g1 mostrou que um relatório do Ibama apontava que o muro estava provocando erosão e que tinha mais que o dobro do tamanho autorizado pela agência estadual de meio ambiente;
  • O advogado, empresário e agropecuarista João Fragoso, dono do terreno, disse à TV Globo que construiu o muro para assegurar que a área da propriedade não fosse reduzida e para “preservar o meio ambiente”, já que o local acumulava lixo.

O que disse a CPRH

O g1 questionou a Agência Ambiental de Pernambuco (CPRH) sobre os detalhes para a aprovação da construção do muro de contenção com troncos de coqueiro no Pontal de Maracaípe e também se o muro foi aprovado a partir de laudo feito pelo proprietário do terreno.

A CPRH respondeu apenas que recebeu a citação da ação de proibição para derrubar o muro no dia 3 de junho, com a decisão liminar que determina que “se abstenha de realizar qualquer ato tendente à retirada do muro de contenção de coqueiros, bem como do cercamento da propriedade”, e que juntamente com a Procuradoria Geral do Estado (PGE-PE) “está adotando as providências necessárias à contestação da ação proposta pelo empreendedor/proprietário” e mediação do recurso.

Desde ontem que o Recife enfrenta as fortes chuvas que caem na capital pernambucana de forma quase ininterrupta. Por conta disso, a cidade entrou em estágio de alerta e o prefeito João Campos pediu para que as pessoas evitem sair de casa ou procurem um local seguro. 

O pré-candidato a prefeito do Recife, Gilson Machado, afirmou que, enquanto a cidade sofre com as consequências das chuvas, o gestor está mais preocupado com o palanque para 2026.

“O Recife debaixo d’água e o cara vai pra Petrolina fazer política. O povo sofrendo e ele já articulando o palanque do governo em 2026. O lance é que o cara vai botar um poste [como vice], e se ganhar a eleição – que acho que a coisa está mudando – será prefeito por apenas 15 meses. Colocará um fantoche de vice para concorrer a governador, e o pior: para completar no Recife choveu e o prefeito pede para o povo ficar em casa. É o atestado da sua incompetência, dado por ele mesmo”, disse Machado.