PSB se posiciona sobre a pré-campanha eleitoral em Caruaru

Nota oficial

Nas eleições deste ano em Caruaru, o PSB vai estar onde sempre esteve: ao lado de um projeto que represente as lutas populares e a defesa de um Brasil democrático, sem falsas neutralidades ou alinhamentos fabricados de última hora. E é na pré-candidatura de Zé Queiroz que o PSB enxerga essa trajetória e as possibilidades de um futuro melhor para os caruaruenses.

O PSB sempre foi maior que as decisões cartoriais da política. Embora a reciprocidade seja uma expectativa natural em qualquer relação, essa nunca foi uma moeda de troca nos momentos em que o partido se definiu por apresentar ou apoiar um projeto eleitoral. O parâmetro sempre foi estar junto das propostas com melhores condições de transformar a vida da população.

“O nosso apoio à candidatura de Zé Queiroz é resultado de uma construção pautada exclusivamente pelo que entendemos que é o melhor para a população de Caruaru. O seu compromisso com o povo, com as causas populares e sua disposição em seguir trabalhando para resgatar e conquistar novos avanços para a sua cidade estão à frente de movimentações sem alinhamento popular”, destaca o prefeito do Recife e vice-presidente nacional do PSB, João Campos.

O PSB vai marchar animado e confiante junto com Queiroz, o grande prefeito que Caruaru já teve por quatro mandatos e que, com sua história e experiência de gestão digna de poucos políticos no Brasil, reúne todas as condições de levar o município a viver um novo momento.

Partido Socialista Brasileiro

Em um encontro significativo para o cenário político local, o prefeito de Caruaru, Rodrigo Pinheiro, ratificou sua permanência no Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) e reafirmou sua pré-candidatura à reeleição. A reunião, ocorrida hoje, na sede do PSDB, no Recife, teve a presença do presidente estadual do partido, Fred Loyo.

Na ocasião, foi anunciado o novo presidente municipal do partido, o secretário de Desenvolvimento Econômico de Caruaru, Pedro Augusto Cavalcanti. Também compõem o partido, na Capital do Agreste, o vereador Bruno Lambreta, a secretária municipal Luana Marabuco, o presidente da Fundação de Cultura, Hérlon Cavalcanti, e a secretária executiva Ellen Lemoine.

No encontro, Rodrigo Pinheiro destacou a importância de continuar trabalhando em prol do desenvolvimento de Caruaru, principalmente com o total apoio da governadora Raquel Lyra, que também é vice-presidente nacional do Partido. “É necessário dar continuidade aos projetos iniciados durante a nossa gestão e buscar novas oportunidades de crescimento para a cidade e seus moradores”, ressaltou.

Por sua vez, Fred Loyo expressou confiança na liderança e na capacidade administrativa de Rodrigo Pinheiro. “Desde que assumi a presidência do partido, que eu vinha conversando com o Rodrigo no sentido de ele construir a reeleição conosco, e hoje se consolida isso. É uma cidade importante, é a cidade da governadora Raquel Lyra, é uma cidade que Rodrigo a ajudou a governar e que está dando continuidade. Considero muito simbólico para todos nós, do PSDB, termos Rodrigo candidato pelo nosso partido, não só ele como a maior parte dos vereadores. Vamos fazer uma bela campanha em Caruaru este ano”, falou.

Por Juliana Albuquerque – repórter do Blog

No dia em que Pernambuco contabilizou 412 mortes em menos de dois meses, 53 delas apenas no último fim de semana, a governadora Raquel Lyra foi às redes sociais, mais uma vez, tentar iludir os pernambucanos. Afinal, o ‘Juntos pela Segurança’ deveria cumprir o papel de combater constante à criminalidade no Estado, não ser fruto de encontro organizado às pressas na tentativa de transmitir a falsa sensação de que algo está sendo feito em prol da paz dos pernambucanos.

A Polícia Civil está sucateada, sem efetivo suficiente para combater o crime organizado, que na ausência de gestão em segurança pública, faz vítimas tão jovens, assim como em uma guerra civil. Nos mais recentes tristes episódios, ceifou a vida de Gael Lourenço França do Carmo, de apenas nove meses, assim como a de Jackson Kovalick Dantas da Silva, de 10 anos. Ambos na semana passada, no município de Itamaracá.

Em suas redes, a governadora vende a ideia de que está trabalhando. Disse, inclusive, que vai dobrar as vagas disponibilizadas no certame da Polícia Civil, que inicialmente previa 250 vagas para agente de polícia, 150 para escrivão e 45 para delegado, totalizando 445 vagas, para 890 no total.

Levantamento do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol), porém, afirma que seriam necessárias um efetivo bem superior ao proposto pela governadora para cobrir o déficit da PCPE, que conta com mais de 6 mil cargos vagos, além de 1,4 mil policiais aptos a se aposentarem. De acordo com o presidente do Sinpol, Áureo Cisneiros, são necessárias 2.700 vagas, além da realização de outro concurso no final do ano e uma Polícia Civil estruturada e valorizada.  “A falta de estrutura e baixos salários são as principais razões para evasão na Polícia Civil de Pernambuco”, afirma Áureo Cisneiros.

O fato é que mesmo diante da ampliação das vagas do certame e a reivindicação do Sinpol de um novo processo seletivo para reduzir o déficit na PCPE, o processo não é rápido. Ele contempla várias etapas, que compreendem além das provas objetivas, discursivas, exames médicos, capacidade física, avaliação psicológica e investigação social, de outra fase, a do curso de formação. Ou seja, a estimativa é que esse reforço na segurança pública só chegue de fato às ruas, de fato, no segundo semestre de 2025. Até lá, quantas mortes já terão sido contabilizadas nas estatísticas da Secretaria de Defesa Social?

O Sextou desta semana abre a sua cortina para a música brega. O convidado é cantor e compositor pernambucano Conde Só Brega, um dos maiores fenômenos do estilo no País, que gravou sucessos como ‘Não devo nada a ninguém’, ‘A vida é assim’, ‘Azafama’ e ‘Espelho do poder’, esta com a participação de João Gomes, astro do piseiro.

Ivanildo Marques da Silva, o Conde, nasceu e cresceu no bairro da Mustardinha, subúrbio da Zona Oeste do Recife. Recebeu o apelido de “Conde” por parte dos avós ainda na infância, por ter nascido com cabelos e olhos claros. Sua carreira artística começou na adolescência, tocando guitarra na banda do pai Antônio, quando algum músico faltava aos shows.

Chegou a tocar em uma banda chamada ‘Os Vibrantes’ de Surubim. Ao lado de dois irmãos, fundou a banda ‘Farofa com Charque’, que pegou carona no sucesso das bandas de forró estilizado do cearense Emanuel Gurgel nos anos 1990. Vendo o sucesso da Banda Labaredas no Recife, ele decidiu fundar o projeto Banda Só Brega, que depois passa a se chamar O Conde e a Banda Só Brega.

O Sextou vai ao ar na próxima sexta-feira pela Rede Nordeste de Rádio, formada por mais de 40 emissoras em Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Bahia, tendo como cabeça de rede a Rádio Folha 96,7 FM, no Recife. Se você deseja ouvir pela internet, clique no link do Frente a Frente acima ou baixe o aplicativo da Rede Nordeste de Rádio na play store.

O prefeito de Arcoverde, Wellington Maciel (MDB), termina o mês de fevereiro com mais duas baixas em sua bancada de vereadores. Na noite de ontem, os vereadores Sargento Brito e João Taxista anunciaram a saída da base governista e se proclamaram, a partir de agora, como “independentes”. Os dois não anunciaram nenhuma nova posição política. 

Com o anúncio, a bancada do Governo Wellington agora fica restrita aos vereadores Luciano Pacheco (Patriota) e Everaldo Lira (PTB) faltando pouco mais de 40 dias para o prazo final de filiações partidárias que definirão os destinos dos futuros candidatos. 

A decisão de Britto e João altera o xadrez da política na Casa James Pacheco. Agora o ex-deputado federal Zeca Cavalcanti conta com 04 vereadores (Siqueirinha, pré-candidato a vice; Célia Galindo, Heriberto do Sacolão e Rodrigo Roa); Madalena com outros 02 (Luiza Margarida e João Marcos) e o prefeito Wellington Maciel também com 02 (Luciano Pacheco e Everaldo Lira).

Por Delmiro Campos*

Do Recife para o Brasil, mais um debate político com repercussão nacional, em especial sobre a efetividade da recente legislação que disciplina as Federações Partidárias (Lei Federal n. 14.208/21), a qual alterou a Lei dos Partidos Políticos e a Lei das Eleições.

A rigor, federação partidária é a união de dois ou mais partidos políticos com o objetivo de atuarem como uma só legenda por quatro anos, o que pode servir de amadurecimento para uma futura fusão ou mesmo como forma de soerguimento dos partidos federados.

Regulamentada pela Resolução do TSE n. 23.670, possui abrangência nacional e o condão de não afetar a identidade e a autonomia dos partidos federados, podendo as legendas preservarem seus respectivos nomes, siglas e números, bem assim quadro de filiados, acesso aos repasses dos fundos partidários e eleitoral, mantendo também o dever de prestarem suas contas individualmente. 

Desta feita, os partidos interessados na federação devem apresentar um estatuto próprio indicando seus interesses comuns, forma de composição e atuação, com a finalidade de ampla divulgação e homologação pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Nas eleições majoritárias de 2022 tivemos a estréia das seguintes Federações Partidárias: Federação Brasil da Esperança (Fé Brasil) composta pelo PT, PCdoB e PV, Federação PSDB-CIDADANIA e Federação PSOL-REDE.

Para que novas Federações Partidárias tenham condições de atuar nas próximas eleições temos até o dia 05.04.24 para que novos estatutos sejam apresentados e homologados no Tribunal Superior Eleitoral. Embora haja uma série de especulações em torno de novas federações, não há qualquer indicativo de que teremos novos partidos federados para essas eleições.

Já no Recife, temos um cenário interessante, que despertou o desejo deste arrazoado, qual seja a Federação PSOL – REDE vem apresentando divergências públicas às vésperas da janela partidária (07.03 a 05.04), seja em torno dos nomes lançados, seja em torno do campo político na capital e no estado, comprometendo a o período de pré-campanha com repercussão direta no período eleitoral. 

Cada partido lançou publicamente seus pré-candidatos ao cargo de prefeito(a), tendo o Partido Socialismo e Liberdade – PSOL apresentado o nome da deputada estadual Dani Portela e o Partido Rede Sustentabilidade – REDE defendendo o nome do deputado federal Túlio Gadelha. Embora ambos sabedores da necessária composição partidária, com indicação de apenas um nome para o cargo de prefeito(a) e um nome para o cargo de vice-prefeito(a) que os represente.

Assim, de longe, podemos suscitar existir um conflito entre partidos federados ou a mais legítima discussão, ainda que pública, com o fito de amadurecimento dos nomes a serem indicados pela Federação. Esse fato, por si só, exige atenção, afinal, estamos inaugurando a atuação das Federações Partidárias nas eleições municipais.

O Estatuto da Federação PSOL-REDE indica a necessidade de uma Assembleia Geral para definir as regras complementares para as eleições em todas as circunscrições, inclusive as municipais. Exige-se ainda 2/3 dos seus membros para deliberação. Detalhe, a Assembleia Geral decorre do peso do resultado das eleições para deputados(as) federais em 2022, quando o PSOL elegeu 13 deputados(as) e o REDE apenas 01, o pernambucano Túlio Gadelha.

No tocante aos diretórios municipais o Estatuto da Federação PSOL-REDE indica a soma dos votos válidos das últimas eleições por cada partido como base de definição da composição, registrando que em todos os casos (nacional, estaduais, DF e municipais) nenhum partido terá uma representação inferior à 30% (trinta por cento) nos cômputos totais de cada diretório.

E em se tratando do Recife o PSOL também detém 70% dos integrantes da Federação PSOL-REDE, o que, por si só, lhe dá o condão de indicar o candidato ou a candidata ao cargo de prefeito(a). Por essa razão, repita-se, chama atenção a insistência do REDE Recife em manter “acesa” a pré-candidatura do deputado federal Túlio Gadelha a prefeito.

Então, quando ousamos indicar que tais postulações, legítimas por sinal, transparecem dúvidas a respeito do amadurecimento político-partidário da Federação PSOL-REDE é por causa do posicionamento político conflitante. Enquanto a pré-candidata do PSOL, deputada estadual Dani Portela, é a líder de oposição ao Governo de Pernambuco, o REDE demonstra aliança e sintonia com a governadora Raquel Lyra (PSDB), bem como o desejo de receber apoio de partidos que estão hoje na sua base de sustentação política.

O certo é que a Federação PSOL-REDE, aprovada em 2022, está em plena vigência e seus partidos terão que marchar unidos nas eleições municipais de todo o país, até porque se lançarem candidaturas separadas, ambas serão indeferidas pela Justiça Eleitoral. 

No caso do Recife, o presente conflito gera uma insegurança política, que afeta diretamente o entusiamo, engajamento de novas filiações e planejamento para as eleições vindouras.

*Advogado

Hoje, o tempo do verbo é saudade. Parece ter sido ontem quando fui acordado com a notícia da morte da minha mãe Margarida Martins, minha amada e inesquecível mãe Dó. Um infarto fulminante tirou a sua vida na madrugada de 27 de fevereiro de 2013, em Afogados da ingazeira.

Em direção à cozinha, em busca de um copo de água para tomar um comprimido de enjoo, caiu morta no sofá da sala. Mas parecia dormir o sono dos justos, tão serena foi a sua morte, conforme lembra meu irmão Marcelo, que, surpreso com a cena, olhando na direção dela, perguntou: mamãe, o que a senhora está fazendo aí? Vá para o seu quarto!”

Marcelo deu o último abraço, pouco depois do último suspiro dela. Uma cena para levar na mente, no coração e na alma para o resto da vida. O tempo voa: 11 anos de saudade. O tempo é um furacão. Sai arrastando tudo: as alegrias, as dores, os sorrisos, as lágrimas. Até as lembranças. O tempo se encarrega também de eternizar a saudade.

A saudade é o que faz as coisas pararem no tempo, segundo o poetizar de Mário Quintana. A saudade é como o vento diante do fogo: apaga o pequeno, inflama o grande. Sinto saudades de quem não me despedi direito, das coisas que deixei passar, de quem não tive, mas quis muito ter. Não me despedi direito de minha mãe Dó.

Mas, ao seu lado, vivi uma despedida sem saber: o passeio que me pediu em Garanhuns, cidade que viveu sua pré-adolescência. A levei no relógio das flores, no parque Euclides Dourado, no parque do Pau Pombo, andei de mãos dadas com ela pelas ruas do centro e fomos bater no colégio Diocesano, onde estudou.

Que passeio lindo, emocionante e inesquecível! Eu, ela, papai Gastão e minha irmã Ana. Cora Coralina, a poetisa das montanhas de Goiás, dizia que a humanidade se renova no ventre da mãe. “Tens o dom divino de ser mãe. Em ti está presente a humanidade”, recitou Cora.

Mário Quintana disse que mãe são apenas três letrinhas, que nelas cabem o infinito. Que mágico e lindo! Mãe Dó foi uma mãe que na vida cantou o amor. Uma luz que teve nos olhos um brilho incessante.

Se andou chorando num sorriso, teve o mundo sem ter nada. Foi a força de um coração que só bateu para amar, que nos acalmou num simples toque de mão. A força da proteção, do abraço bem quente, amor puro e profundo.

Tudo que sou, ou ainda pretendo ser, devo a um anjo, minha mãe.

Por Juliana Albuquerque – repórter do Blog

O pré-candidato a prefeito de Quipapá pelo PT, Luizinho do Posto, emitiu, há pouco, nota em que nega ter agredido o eletricista da Prefeitura José André Ribeiro da Silva e sua esposa, Edijane Maria da Silva. Segundo o comunicado, as recentes alegações de agressão física atribuídas a ele são inteiramente falsas e infundadas.

“A narrativa propagada, de forma irresponsável e difamatória, visa unicamente manchar minha imagem e reputação, especialmente como homem de família e cidadão comprometido com a comunidade”, esclarece Luizinho, que reafirma que jamais agrediu fisicamente qualquer pessoa, seja homem ou mulher.

Ele atribuiu as falsas alegações de agressões a adversários políticos, que recorreram a “táticas baixas e desesperadas na tentativa de prejudicar a sua integridade e trajetória”. No entanto, diz confiar plenamente na justiça e na imparcialidade do sistema legal para esclarecer a situação.

“O caso já foi judicializado e estamos cooperando integralmente com as autoridades competentes para que a verdade prevaleça. Estamos confiantes de que a minha inocência será comprovada, e que a minha reputação será restaurada de forma justa e digna”, complementa.

Após quase um ano do lançamento do Parque Empresarial Nossa Senhora do Pilar, 28 indústrias já receberam os títulos de concessão de uso e iniciaram suas instalações no espaço, uma área remanescente do Engenho Patrimônio, desapropriada pela Prefeitura de Condado, que conta com 48 hectares, às margens da rodovia PE-62.

“Com o avanço das obras, a expectativa é que as primeiras indústrias comecem a operar ainda neste ano de 2024”, prevê Felipe Balbino, secretário municipal de Planejamento Urbano do Condado. Além das indústrias, a prefeitura realizou também a entrega dos títulos de concessão de uso a mais de 250 empresas de pequeno e médio portes, com lotes no tamanho 8x20m² para abertura de comércios que vão atender às necessidades de mais de mil famílias que passarão a morar no mesmo loteamento. “São famílias carentes, em estado de vulnerabilidade, que receberam da prefeitura o título de posse”, esclarece.

O prefeito do Condado, Antônio Cassiano, responsável por viabilizar a chegada do Parque Empresarial no município, acredita que mais de mil empregos serão gerados para a população em diversos setores. “No momento, os profissionais da construção estão sendo muito procurados na cidade e quando o Parque estiver em funcionamento trará muito mais oportunidades, gerando renda e movimentação na economia local”, afirmou ele. Pensando nesse crescimento promissor, Cassiano está unindo cada vez mais esforços em busca da instalação de mais indústrias. “É possível receber 70 delas”, diz o prefeito.

Por Juliana Albuquerque – repórter do Blog

A repercussão do ato pró-Bolsonaro, ontem, na Avenida Paulista, foi tema de embate entre representantes da direita e esquerda no parlamento pernambucano, hoje.  De um lado, o Coronel Alberto Feitosa (PL) usou a Tribuna para comentar sobre o evento em apoio ao ex-presidente da República, o que terminou provocando uma reação do deputado João Paulo (PT), que impediu Feitosa de ir ao debate.

Feitosa ocupou a tribuna para exaltar a manifestação do domingo, relatando o clima democrático e pacífico que vivenciou no ato. Tentou reproduzir parte da fala do pastor Silas Malafaia através de áudio do discurso, no plenário, e foi questionado por João Paulo afirmando que o regimento interno não permitia a reprodução do áudio. 

Na sequência, João Paulo subiu à tribuna para falar do movimento que aconteceu na Avenida Paulista e Feitosa solicitou um aparte, ou seja, o direito de fala para responder ao petista. Pedido negado por João Paulo em tom de voz arrogante. “O tempo de fala é meu e não tenho medo de vossa excelência e nem de sua arma, eu vou lhe conceder aparte na hora que eu quiser e determinar”, disse João Paulo.

Segundo Feitosa, para quem acusa a Direita de ser ofensiva e antidemocrática, a postura do João Paulo foi uma tapa de luva no parlamentar da esquerda. “Eu vou abrir mão do aparte que eu ia fazer porque eu percebi que o deputado ficou muito nervoso. Ele não está em um bom dia hoje”, declarou Feitosa.