Coluna da terça-feira

Raquel se distancia do bolsonarismo

Após ter afastado do Detran todos os indicados pelo ex-prefeito do Jaboatão dos Guararapes e presidente estadual do PL, Anderson Ferreira, a governadora Raquel Lyra (PSDB) deu, ontem, o tiro de misericórdia no agora ex-aliado bolsonarista, demitindo a secretária de Educação e Esportes, Ivaneide Dantas.

Aos que nunca ouviram falar em Ivaneide, até porque também é quase impossível um secretário de Raquel se destacar, tendo luz própria, ela foi o braço direito de Anderson durante os dois mandatos dele como prefeito do Jaboatão dos Guararapes e uma das maiores propagadoras das causas bolsonaristas.

Ainda que viesse a gozar da confiança da governadora, que ao escolhê-la deu como justificativa suas qualidades técnicas, Ivaneide era presidente municipal era do PL em Jaboatão e se afastou para assumir o comando da Educação no Governo tucano por intervenção direta de Anderson, que ainda indicou o advogado Anselmo Araújo para a Secretaria-Executiva de Justiça e Promoção dos Direitos do Consumidor.

Casado com Mariana Inojosa, irmã do prefeito do Jaboatão dos Guararapes, Mano Medeiros (PL), Anselmo permanece no cargo na cota do PL, mas até quando não se sabe. Com a exoneração de Ivaneide, Raquel deu uma verdadeira enquadrada no clã Ferreira, responsável pelo Partido Liberal em Pernambuco.

Nos bastidores, a leitura é de que siglas da base de apoio ao Palácio do Campo das Princesas têm cobrado espaços ainda ocupados pelo PL, tendo em vista que os deputados estaduais e federais liberais agem como grandes opositores ao governo Raquel Lyra. Diante da saída de Ivaneide, assume a secretaria o consultor, professor e pesquisador Alexandre Schneider, doutor em Administração Pública e Governo pela Fundação Getúlio Vargas e ex-secretário de Educação da Prefeitura de São Paulo.

MAIS UM ET – Se não bastassem tantos secretários importados, como o da Fazenda, que veio de Brasília, e o de Defesa, que serviu ao Governo do PSB, mas estava afastado do Estado, Raquel, cuja gestão é maciçamente também recrutada no País de Caruaru, agora importou mais um paulista: o professor Alexandre Schneider, que certamente não sabe nem onde fica Caruaru. Soube que foi uma indicação do PSD, via Gilberto Kassab, de quem ele foi secretário em sua gestão.

Só falta perder o PL – Anderson Ferreira esteve com a governadora na semana passada, conforme antecipei. Provavelmente para ser informado do pé no traseiro que sua aliada poderosa na pasta de Educação iria levar. Para onde vai caminhar a família Ferreira, liderada por Anderson? Fácil matar a charada: para os braços do pré-candidato do PL a prefeito do Recife, Gilson Machado, não porque queira, mas para não perder sua última fatia de poder no Estado: o comando do Partido Liberal.

Distanciamento irreversível – O que corre nos bastidores também é o distanciamento do clã Ferreira do prefeito de Jaboatão, Mano Medeiros (PL), candidato à reeleição. Até as paredes do gabinete onde ele bate ponto já sabem que está em curso um rompimento irreversível. Isso, entretanto, dificilmente virá a público antes das eleições em outubro. Mano pode até ser reeleito, mas os louros não serão mais dos Ferreira.

Caçula na disputa – Filho “04” de Jair Bolsonaro, Jair Renan foi exonerado, onhem, do cargo comissionado que ocupava no gabinete do senador bolsonarista Jorge Seif (PL-SC). Seif explicou ao site Metrópoles que Jair Renan foi exonerado para disputar as eleições municipais deste ano, quando concorrerá a uma vaga de vereador em Balneário Camboriú (SC).

A lista é grande – O primeiro secretário a provar do veneno de Raquel foi Silvério Pessoa, da Cultura, que nunca abriu o bico para contar as verdades da sua exoneração. Depois, caiu Aloísio Ferraz, da Agricultura, em seguida Regina Célia, da pasta da Mulher, e pouco tempo depois Evandro Avelar, de Infraestrutura, este indicado pelo pai da governadora, o ex-governador João Lyra Neto. Outra que confiou em Raquel e se deu mal foi Carla Patrícia, sua colega de PF, afastada da Defesa. Também foi afastada Lucinha Mota, de Justiça,

Curtas

MAIS MUDANÇAS 1 – Em novembro passado, Carolina Cabral, secretária de Desenvolvimento Social, Criança, Juventude e Prevenção à Violência e às Drogas, assumiu a Secretaria de Projetos Estratégicos, ocupada de forma interina desde o início da gestão por Marcelo Bruto, que fez parte de gestões do PSB. No lugar dela, assumiu interinamente o secretário executivo de Assistência Social, Carlos Braga.

MAIS MUDANÇAS 2 Em fevereiro, a governadora tucana anunciou o engenheiro civil Rodrigo Ribeiro para chefiar a Secretaria de Projetos Estratégicos, após Carolina Cabral pedir para deixar o cargo. Na verdade, ela não pediu. Segundo versão que corre nos bastidores, foi forçada a pedir.

MAIS MUDANÇAS 3 – Nome ligado ao PDT, partido da vice-prefeita do Recife, Isabella de Roldão, o administrador de empresas Ismênio Bezerra assumiu Criança e Juventude, área que estava sendo gerida de forma interina por Carlos Braga e que foi desmembrada da secretaria de Assistência Social, Combate à Fome e Política sobre Drogas.

Perguntar não ofende: Qual será o próximo secretário que vai cair no Governo Raquel?

As últimas entregas de João

Candidato à reeleição, o prefeito do Recife, João Campos (PSB), só pode inaugurar obras até a próxima sexta-feira, dia 5, quando se encerra o prazo previsto na legislação para gestores que disputam a reeleição participarem de eventos dessa natureza. Com investimentos que somam R$ 2,5 bilhões, até o momento, João acelerou o passo para uma verdadeira maratona de entregas de obras.

Cumprindo esse cronograma, somente nos três últimos dias o prefeito inaugurou três unidades de saúde requalificadas, duas creches, uma central de capacitação para empreendedores, o Compaz Leda Alves, no Pina, seis ruas calçadas, os primeiros quiosques da orla de Boa Viagem, a milésima escadaria da sua gestão e 1,5 mil títulos de posse de terra.

Com o pé no acelerador, até sexta-feira entrega os conjuntos habitacionais da Vila Brasil I e II, evento que terá a presença do presidente Lula. Encerra essa período entregando a primeira etapa do Parque da Tamarineira, na Zona Norte da capital pernambucana. E tem mais inaugurações, entre elas o Jardim do Poço, um abrigo para idosos, uma central de formação para mulheres vítimas de violência e mais cinco unidades de saúde requalificadas, além de um conjunto de obras de encostas nos morros.

“O Parque da Tamarineira terá três praças, uma delas com o padrão da Praça da Infância; uma super quadra esportiva e academia para a Terceira Idade; pista de cooper; um jardim drenante que também vai ajudar na drenagem da região; e um labirinto de vegetação para as crianças, com o plantio de 140 novas árvores e fonte interativa”, comentou João em suas redes sociais.

Segundo ele, a Prefeitura teve a preocupação de fazer o Parque da Tamarineira, promessa de campanha dele, preservando o patrimônio físico e cultural, sem interferir no funcionamento do hospital estadual.

MAIS DE MIL OBRAS – Nas últimas entrevistas que concedeu, João Campos fez um balanço da sua gestão citando que só este ano entregará mais de mil obras ao Recife. “A gente entrega mais de mil obras, só em 2024. E obras de grande porte. Estamos falando de dois Compaz, mil unidades residenciais, a Ponte Engenheiro Jaime Gusmão, que liga Iputinga e Monteiro, mais de 150 ruas calçadas, 120 praças reformadas, 60 grandes obras de encostas e muitas outras”, afirmou numa longa entrevista ao Diário de Pernambuco.

No final da prorrogação – Na seara do campo político, o prefeito recifense já disse, reiteradas vezes, que só vai anunciar o seu candidato bem próximo ao último minuto da prorrogação do prazo para as convenções, que começam no próximo dia 20 e se encerram em 5 de agosto. Mas o nome já está definido: será o seu chefe de gabinete Victor Marques, filiado ao PCdoB, partido que integra a federação liderada pelo PT, que até hoje sonha em participar da chapa.

Prefeitos nadam em dinheiro – Os prefeitos não têm do que reclamar: o repasse do FPM de sexta-feira passada, o último de junho, chegou com 14% de aumento. Ao todo, o valor a ser dividido entre os municípios foi de R$ 4.797.750.976,54, já descontada a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Em valores brutos, incluindo o Fundeb, o montante é de R$ 5.997.188.720,68. Considerando o ano de 2024, o volume dos repasses do FPM cresceu, em termos nominais, 14,51% em relação ao mesmo período do ano anterior.  Já ao comparar com o mesmo período do ano passado, o valor apresenta um crescimento de 34,41% em termos nominais. Com relação ao acumulado do mês, o valor registra crescimento de 27,90%, também em relação ao mesmo período do ano anterior.

Parlamentares na berlinda – O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados vive uma explosão de denúncias contra os parlamentares. Na atual legislatura, que engloba todo o ano de 2023 e o primeiro semestre de 2024, já são 34 representações com instauração de procedimento disciplinar para apurar descumprimento de decoro parlamentar. O número é maior do que em três legislaturas completas, entre 2007 e 2019. Na última, houve aumento de 200% das denúncias em relação ao período entre 2011 e 2015.

Baixaria sem limites – A maior parte das acusações contra a ética de deputados acaba sendo filmada e compartilhada nas redes sociais. Uma confusão na Comissão de Trabalho entre Eduardo Bolsonaro (PL-SP) e Dionilso Marcon (PT-RS) em 2023, por exemplo, viralizou. O petista disse que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) havia levado uma facada “fake”, fazendo referência ao crime de Adélio Bispo. Eduardo partiu para cima de Marcon, o chamou de “veado” e “filho da put*”, e precisou ser contido. A representação do PT contra o deputado do PL acabou arquivada naquele mesmo ano.

CURTAS

BEM PIOR – Além de dar um bolo no pré-candidato do PSD a prefeito de Afogados da Ingazeira, Danilo de Gisa, não indo ao ato do seu lançamento, sexta-feira passada, a governadora Raquel Lyra (PSDB) deixou vazar a versão de que não havia confirmado sua presença e que o aliado de mentirinha se apressou em divulgar. Se isso for verdade, pior ainda para Danilo.

APROPRIOU-SE– Por falar em Raquel, os 9 km da estrada que inaugurou no Pajeú, na semana passada, no trecho que liga Brejinho a Vila de Fátima, além de ser obra que se arrasta desde Paulo Câmara, foi viabilizada com recursos repassados via emendas por deputados federais.

PÓRTICO – O prefeito de Afogados da Ingazeira, Sandrinho Palmeira (PSB), entregou um pórtico de entrada da cidade, a 500 metros da entrada do hotel Brotas. À noite, com suas belas colunas iluminadas, passou a ser parada obrigatória de turistas para fotos.

Perguntar não ofende: Qual será o próximo aliado de Raquel a levar “bolo”?

O que a presidente do PT fez pelo Recife?

Na entrega do título de Cidadã do Recife à presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, quinta-feira passada, na Câmara do Recife, só havia mesmo público no plenário. As galerias ficaram às moscas. Bem-feito! O que esta senhora já fez em favor da capital pernambucana?

Cidadania é um reconhecimento a quem presta relevantes serviços a um Estado ou município. Tenho impressão de que, além de não ter trazido nada que venha acrescentar à melhoria de qualidade de vida do recifense, essa senhora não conhece sequer a Avenida Agamenon Magalhães, símbolo do Recife. Imagine Dois Unidos!

Cidadão é toda e qualquer pessoa que atue na vida da cidade e de alguma maneira tenha contribuído ou contribua com a história do município. Mesmo não sendo um cidadão civil, ser um cidadão honorário não é para qualquer um. Para receber esse título, é preciso que a pessoa tenha realizado algum ato relevante sem visar lucros, interesses pessoais ou profissionais.

Infelizmente, essa honraria se vulgarizou com o passar dos anos. Não sou contra a honraria, até porque já sou cidadão de mais de 70 municípios de Pernambuco, mas tudo em função de bandeiras que defendo com o jornalismo do combate ao bom combate. Neste momento, por exemplo, abrimos uma frente em defesa da Missa do Vaqueiro.

Tem algo mais valioso? Só gostaria de saber, sinceramente, uma causa que esta“nobre” presidente nacional do PT abraçou em favor do Recife, da sua população pobre e esquecida dos morros, dos bairros que se confundem com a história libertária de 487 anos de lutas.

Tenho certeza de que a mandachuva do PT não sabe nem que Recife é a mais antiga entre as capitais estaduais brasileiras, surgida como “Ribeira de Mar dos Arrecifes dos Navios”, no ano de 1537, sendo a principal área portuária da Capitania de Pernambuco, a mais rica capitania do Brasil Colônia, conhecida em todo o mundo comercial da época graças à cultura da cana-de-açúcar e ao pau-brasil.

Não sabe Gleisi que, no século XVII, Recife foi por 24 anos a sede da colônia de Nova Holanda, que teve como um dos administradores o conde Maurício de Nassau. Após a expulsão dos neerlandeses, feita na Insurreição Pernambucana, o Recife emerge como a cidade mais importante de Pernambuco, tendo uma grande vocação comercial influenciada principalmente pelos comerciantes portugueses, os chamados “mascates”.

Foi palco de muitos dos primeiros fatos históricos do Novo Mundo: no Cabo de Santo Agostinho ocorreu o descobrimento do Brasil pelo navegador espanhol Vicente Yáñez Pinzón no dia 26 de janeiro de 1500; na Ilha de Itamaracá estabeleceu-se, em 1516, o primeiro “Governador das Partes do Brasil”, Pero Capico, que ali construiu o primeiro engenho de açúcar de que se tem notícia na América portuguesa.

Dentre as suas muitas alcunhas atribuídas, “Veneza Brasileira” é a mais conhecida. O romancista francês Albert Camus esteve no Recife em 1949 e comparou a capital pernambucana a outra cidade italiana ao descrevê-la, em seu livro Diário de Viagem, como a “Florença dos Trópicos”. O Centro Histórico do Recife — em que pesem as demolições e descaracterizações — representa em conjunto com os sítios históricos de Olinda, Igarassu e dos Guararapes um dos mais valiosos patrimônios barrocos do Brasil.

QUE EXTRAORDINÁRIO ARGUMENTO! – Veja que notável e profundo argumento da autora da proposta, a vereadora Liana Cirne (PT), para justificar o título de Cidadã do Recife à presidente nacional do seu partido, Gleisi Hoffmann: “Quando a gente olha para você, Gleisi, a gente entende que não vamos aceitar ser um milímetro a menos do que sabemos que somos. Você enfrentou o lavajatismo numa época em que queriam caçar o registro do nosso partido. Foi presidente do PT enquanto nosso maior líder (Lula) estava preso”.

Que discurso, dá inveja! – Na síntese do seu “profundo” discurso em agradecimento ao título de Cidadão do Recife, a presidente nacional do PT disse: “É muito significativo para esta paranaense, que vem lá da outra ponta do Brasil, ser acolhida de forma tão generosa pela capital de Pernambuco, terra marcada por sua tradição libertária, cidade sempre rebelde contra injustiça, de gente corajosa, criativa e solidária”.

PT insiste na vice – Na passagem pelo Recife, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, oficializou o nome do ex-vereador Mozart Sales como indicado do partido para ocupar a vaga de vice na chapa liderada pelo prefeito João Campos, que busca a reeleição. “Política é uma construção. Aqui não tem imposição, aqui não tem nenhum método diferente que não seja o da conversa”, disse, ao justificar seu respaldo à tese encampada pelo PT para emplacar a vice de João, que tem amplas chances de ser reeleito e se transformar em candidato natural da Frente Popular a governador nas eleições de 2026.

Ainda há prazo – Ainda sobre o respaldo da direção nacional do PT à indicação do vice de João, Gleisi foi mais além: “A gente teve recentemente essa definição. Então, ficou difícil uma definição do PSB sem uma definição do PT. Acho que, a partir de agora, tendo apresentado os nomes, a gente tem que compor, conversar com essa frente. Então, tem que ter o tempo, agora, para a gente conversar. É natural do processo. Ainda temos um prazo até as convenções para isso”.

E agora, Raquel? – Diante da divisão do PDT em Araripina, só restou ao prefeito Raimundo Pimentel jogar o abacaxi que administra no colo da governadora Raquel Lyra (PSDB). Pelo que deixou a entender, ontem, numa entrevista a uma emissora de rádio, se não conseguir emplacar a sua candidata a culpada será a governadora. “Estamos com o PDT porque a governadora disse que tinha o seu controle e o respaldo do presidente nacional, Carlos Lupi. Esta não é uma questão minha, mas da governadora Raquel Lyra”, disse.

Curtas

POLUIÇÃO – Uma pesquisa do Instituto Avançado de Tecnologia e Inovação (IATI) mostrou que a praia do Paiva, no Cabo de Santo Agostinho, apresentou a maior quantidade de microplásticos (695 fragmentos no total), superando até mesmo praias com maior atividade turística, como Porto de Galinhas (320 fragmentos).

PEGOU MAL 1- Na passagem, ontem, pelo Sertão do Pajeú, a governadora Raquel Lyra (PSDB) deu uma tremenda pisada de bola ao querer passar a impressão que está atraindo prefeitos do PSB: posou ao lado de Evandro Valadares, de São José do Egito, o gestor campeão em rejeição no Sertão.

PEGOU MAL 2 – Já em Afogados da Ingazeira, a tucana esteve presente no ato de lançamento do pré-candidato Danilo de Gisa, do seu partido, que sequer pontua nas pesquisas. Ali, o favorito é o prefeito Sandrinho Palmeira (PSB), fiel aliado do deputado e ex-prefeito José Patriota (PSB).

Perguntar não ofende: Gleisi Hoffmann sabe onde fica os Torrões?

Sem diálogo, novas derrotas virão

A governadora Raquel Lyra (PSDB) sofreu mais uma derrota na Assembleia Legislativa com a retirada da pauta de votação, no âmbito da Comissão de Constituição e Justiça, de projetos na área econômica, incluindo um novo empréstimo ao BNDES no valor de R$ 652 milhões e outra operação de crédito internacional, de US$ 275 milhões, junto ao Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD).

O revés se deu pelos mesmos motivos dos outros que ocorreram lá atrás, seja em comissões ou até mesmo em votações em plenário: falta de diálogo, dela e da sua equipe. Deputados que integram a CCJ da Casa reclamam que os projetos chegaram por lá sem que houvesse da parte da governadora e dos seus secretários um mínimo de comunicação. Sequer para explicar ou detalhar as propostas.

Já escrevi neste espaço: embora nascida em berço político, Raquel não gosta de praticar o exercício mais imperativo da vida pública: a arte da boa conversa, imprescindível para equalizar conflitos. A política é a arte do diálogo, ensina Maquiavel. A política influencia muitos aspectos da vida em sociedade. Nada se constrói sem a política, seja na escola, no trabalho, nas relações sociais e na gestão pública.

Napoleão ensinou que em política é preciso curar os males e nunca os vingar. A cartilha da governadora é diferente. Governa com o fígado, trata aliados com desdém, humilha subordinados (são terríveis os bastidores que se ouvem da sua relação do dia a dia com a equipe) e persegue os que por um motivo ou outro lhe contrariam.

Falando no programa Frente a Frente de ontem, o prefeito de Salgueiro, Marcones Libório revelou que, supostamente por ser filiado ao PSB, seu município até o momento não recebeu nada do Estado, sequer uma pequena obra. “A única coisa que ela faz em Salgueiro é dar cargos aos seus aliados para nos destratar, a velha política da perseguição. Nem sequer uma ajuda para equipar duas creches que estamos fazendo com recursos próprios”, reclamou.

Também do PSB, o prefeito de Garanhuns, Sivaldo Albino, é outro exemplo de gestor da seara socialista fortemente perseguida pela tucana. Ela ignorou a Prefeitura no Festival de Inverno do ano passado e para este ano acabou de criar um evento paralelo para concorrer com o prefeito. Nunca se viu algo tão mesquinho na relação de um chefe de Estado com um ente municipal.

NOVAS IRREGULARIDADES – O conselheiro Dirceu Rodolfo, do TCE, autorizou a abertura do processo 24100730-6, de medida cautelar, para decidir se vai suspender ou não o programa de regularização fundiária de oito mil unidades imobiliárias promovido pelo Governo do Estado, através da Perpart. O gasto estimado com apenas um credenciamento está em R$ 11.994.167,21. Relatório de 21 de junho, dos auditores do TCE, apontou supostos indícios de irregularidades. Os auditores do TCE citaram supostas “graves irregularidades apontadas neste Relatório de Medida Cautelar”, no documento.

Cacau na vice em Salgueiro – Em Salgueiro, o prefeito Marcones Libório (PSB) anunciou, ontem, o Doutor Cacau, do Solidariedade, na sua chapa como candidato a vice. Com isso, conseguiu uma façanha: reeditar a chamada Frente Popular, colocando no seu palanque as principais lideranças estaduais do PSB, PT e MDB. Cacau já foi vice do próprio Marcone nas suas duas primeiras gestões – 2008 a 2016. O fechamento do acordo foi mediado pela ex-deputada Marília Arraes, presidente estadual do SD.

Expulsos da corporação – O soldado Antônio Carlos Silva Santos, o cabo Meiber Alves de Sousa e o sargento Eronildo Sebastião de Souza foram expulsos da Polícia Militar por violação de disciplina, após cometerem crimes hediondos entre 2020 e 2021, no Grande Recife, por causa de violência contra ex-companheira e assassinato de um homem, além de invasão de residência e agressão para cobrança de dívida. Crimes hediondos são inafiançáveis, e quem os comete não tem direito a indulto ou liberdade provisória. As portarias que determinaram as expulsões foram assinadas pelo secretário Alessandro Carvalho e publicadas na edição do Diário Oficial da última quarta-feira.

Projeto controverso – O líder do Governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA), disse, ontem, ao Poder360, que a liberação do porte de maconha, aprovado nesta semana pelo STF (Supremo Tribunal Federal) é “controverso”, mas que não iria comentar a declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de que o Supremo não deveria “se meter” em tudo. “Ele [Lula] fez a fala dele, ele é o presidente da República e eu não faço nenhum comentário”, disse ao ser questionado durante o 12º Fórum de Lisboa. “Eu, pessoalmente, entendo que o caminho que os países estão tomando é diferente desse da criminalização –apesar de que a PEC diz que é a criminalização sem a pena da privação da liberdade. Agora, o Supremo tem o direito de tomar as suas decisões”, afirmou.

União Brasil com Cabral – Ao contrário do que foi anunciado pelo ex-prefeito Jorge Alexandre, pré-candidato do PSDB a prefeito, em Camaragibe o União Brasil vai se integrar à coligação do pré-candidato do Republicanos, Diego Cabral, ex-secretário de Serviços Públicos, conforme uma fonte do diretório nacional do UB. Com isso, o candidato da situação passa a ter o maior número de partidos agregados ao seu projeto. Ele foi escolhido pela ex-prefeita Doutora Nadegi por ter sido o executivo mais destacado em sua equipe, responsável por tirar do papel as principais obras e projetos da atual gestão.

Curtas

GUERRA – Em Jaboatão se assiste uma verdadeira guerra jurídica travada entre os pré-candidatos Mano Medeiros (PL) e Elias Gomes (PT). Entre as ações mais recentes, tentativa da equipe do prefeito para impugnar pesquisas e impedir a realização de escutas populares por parte de Elias, esta indeferida pelo TRE.

AFOGADOS – A Expoagro, tradicional feira e festa de negócios e atrações musicais em Afogados da Ingazeira, começa amanhã e se prolonga até a próxima quarta-feira. Na grade de artistas, as grandes atrações são Oswaldo Montenegro e Alcymar Monteiro, segundo confirmou, ontem, o prefeito Sandrinho Palmeira (PSB).

CARUARU – Caruaru tem o maior e melhor Índice de Compromisso com Alfabetização do Agreste, segundo relatório do Tribunal de Contas do Estado, com base no Índice de Compromisso com Alfabetização (ICA) do ano passado. Mede o compromisso com a execução da política pública nos 184 municípios no quesito alfabetização de crianças do 1º e 2º ano do ensino fundamental.

Perguntar não ofende: O PT ainda está pregando no deserto quanto ao projeto de indicar o vice de João?

Baita rombo nas contas de Lula

Não é só a economia que patina no Brasil do terceiro mandato do presidente Lula (PT). As contas públicas, também. Segundo relatório divulgado ontem pelo Tesouro Nacional, o Governo teve déficit primário – que desconsidera as despesas com juros – de R$ 60,98 bilhões em maio de 2024. Trata-se do pior saldo negativo para o mês desde 2020, na pandemia.

Também é o segundo maior déficit primário da série histórica. O déficit de maio teve uma alta real (considerada a correção pela inflação) de 30,40% em comparação com o mesmo mês de 2023, que foi de R$ 46,78 bilhões. O resultado primário é formado pelo saldo entre as receitas com tributos e as despesas públicas. Não considera o pagamento de juros da dívida.

No acumulado de janeiro a maio, o Governo teve um déficit de R$ 29,99 bilhões. No mesmo período do ano passado, foi registrado um superávit de R$ 1,83 bilhão. O resultado negativo foi puxado especialmente pelo desempenho da Previdência Social. A divisão se deu desta forma: Tesouro Nacional – déficit de R$ 84 milhões; Banco Central – superávit de R$ 129 milhões; Previdência Social – déficit de R$ 61,03 bilhões.

A elevação dos gastos deflagrou uma piora nas expectativas em relação à trajetória fiscal. A equipe econômica chegou a lançar, ainda em janeiro, medidas para tentar recompor as receitas de 2023, mas boa parte não rendeu o esperado ou foi desidratada após longa negociação com o Congresso. O déficit indica que o governo gastou mais do que arrecadou no ano passado.

Para a aferição oficial do cumprimento da meta fiscal, o STF autorizou o governo a descontar os gastos com a regularização dos precatórios. Por outro lado, o resultado fiscal ainda vai ter uma piora adicional de R$ 26 bilhões, referentes ao resgate de valores abandonados nas contas do Fundo PIS/Pasep.

ACÚMULO DE R$ 268 BI – Com o resultado de maio, as finanças públicas revertem o quadro positivo observado nos primeiros quatro meses, e agora acumulam um déficit de R$ 30 bilhões no ano. Nessa comparação, o dado também é o pior para o período desde 2020, mas há influência negativa do calendário do 13º do INSS e da antecipação no pagamento de sentenças judiciais (precatórios). Em 12 meses, o governo central acumula déficit de R$ 268,4 bilhões, em valor corrigido pela inflação, equivalente a 2,36% do PIB (Produto Interno Bruto).

Só restou ironizar – O presidente Lula (PT) ironizou a reação do mercado financeiro à sua entrevista ao portal UOL, em que questionou a necessidade de cortar gastos para atingir um equilíbrio fiscal. O petista chegou a dizer que o mercado “deve ter gostado” de suas declarações. “Por que teve reação [do mercado financeiro]? Não teve reação, deve ter gostado. Mas quem votava em mim pode continuar votando”, afirmou a jornalistas, em frente ao Palácio do Planalto.

Nem no aeroporto tem segurança – Uma passageira que decolou do Aeroporto Internacional do Recife com destino a Belém, no Pará, teria sido furtada durante o procedimento de raio-x na capital pernambucana. De acordo com a personal trainer Iana Guimarães, de 27 anos, o relógio inteligente que ela utilizava na hora da revista teria desaparecido após passar pela esteira com outros objetos pessoais. A jovem viajou para a capital paraense na madrugada da última quinta-feira e percebeu o sumiço do item no momento em que passava pelo raio-x, que é um tipo de scanner para examinar e verificar se os passageiros portam explosivos e armas.

Apagão em hospital – O Hospital Otávio de Freitas (HOF), no Recife, sofreu um apagão na noite da última terça-feira e pacientes da emergência e da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) foram transferidos para outras unidades de saúde. A interrupção na distribuição de energia aconteceu após um problema no circuito elétrico do local, segundo o portal G1, da Globo. Em nota, a Neoenergia, responsável pelo fornecimento de eletricidade, informou que a falta de energia no hospital não teve relação com a sua rede de distribuição.

Falta de gestão e abandono – Na recepção da emergência do Hospital Otávio de Freitas, pacientes e acompanhantes entrevistados pela TV Globo disseram que, no mesmo dia, houve, pelo menos, três quedas de energia no local. Enquanto durou a interrupção no período da noite, algumas pessoas demonstraram preocupação pela falta de informações sobre o que estava acontecendo. “Hoje [terça], já faltou energia três vezes. Meu irmão está internado há 20 dias na UTI respiratória. Estou esperando voltar a energia para procurar a assistência social e tentar saber informações”, afirmou Francisca de Lima e Silva, de Iguaracy, no Sertão do Pajeú.

Curtas

AFOGADOS – A governadora Raquel Lyra (PSDB) confirmou presença, amanhã, em Afogados da Ingazeira, no ato de pré-lançamento da candidatura de Danilo de Gisa (PSD), filho da ex-prefeita Giza Simões, principal adversário da oposição ao prefeito Sandrinho Palmeira (PSB). Também estará presente o ministro da Pesca, André de Paula, presidente estadual do PSD.

ARCOVERDE – Tem muitos aliados do pré-candidato do Podemos à Prefeitura de Arcoverde, Zeca Cavalcanti, malhando a gestão do prefeito Wellington Maciel (MDB), que desistiu da reeleição. Mas fica uma perguntinha oportuna: e se Wellington decidir apoiar Zeca, caminho muito mais natural, já que está rompido com Madalena Brito, pré-candidata do PSB?

INGAZEIRA – Em Ingazeira, as oposições estão se unindo em torno da pré-candidata do PSDB, Professora Alcineide de Oliveira, na tentativa de derrotar o prefeito Luciano Torres (PSB), que disputa a reeleição representando um grupo há 16 anos no poder.

Perguntar não ofende: Qual é mesmo a política econômica de Lula?

Presidente da Empetur age em defesa da Missa

O presidente da Empetur, Eduardo Loyo, ficou preocupado com as notícias de uma possível alteração no nome e modelo da Missa do Vaqueiro. Para ele, o Estado não pode avalizar qualquer tentativa que passe pela mudança do nome. “A Missa do Vaqueiro não é apenas um patrimônio do Estado, é do Pais”, afirmou.

Loyo disse que vai procurar o prefeito, os vereadores e a presidente da Fundação João Cânsio, Helena Câncio, para negociar um acordo. Quer entrar no jogo, em nome do Estado, como pacificador. Ao entrar na contenda cultural de Serrita, Loyo vai evitar que se cometa um crime cultural. Lá, o prefeito Aleudo Benedito (MDB) quer promover, a todo custo, um verdadeiro apagão na história da Missa do Vaqueiro, evento que se realiza há 44 anos no Parque João Câncio, de propriedade do Estado, vinculado à estrutura da Empetur.

Loyo comemorou o pedido de vista, de autoria do vereador Júnior de Bal (SD), aprovado ontem pela Câmara de Vereadores. Se a proposta do prefeito tivesse sido votada na sessão de ontem, a Missa do Vaqueiro iria virar Festa de Jacó, supostamente para propagar a imagem e história do vaqueiro assassinado covardemente.

Tudo conversa mole do prefeito e da sua equipe: a missa já foi criada para homenagear a figura de Raimundo Jacó, que era primo de Luiz Gonzaga, o Rei do Baião. Gonzagão está inserido na história da Missa. Foi um dos seus fundadores ao lado do Padre João Câncio e do poeta-repentista Pedro Bandeira. Bal pediu vistas e a matéria saiu de discussão e votação.

Não se trata de um assunto paroquial e provinciano. Por tomar dimensões nacionais e proporcionar destaque à cultura do Estado, em 2009 a Missa do Vaqueiro teve o seu registro como Patrimônio Imaterial de Pernambuco.

No Diário Oficial foi destacado como um dos maiores espetáculos do calendário turístico de Pernambuco. Daí, a oportuna entrada no assunto pelo presidente da Empetur, entidade que administra o Parque João Câncio, local do evento. Com jeito e diálogo, Eduardo Loyo vai ter sucesso em sua missão.

Afinal, o prefeito não tem autoridade para, num toque de mágica, sob os olhares cúmplices e silenciosos de parte dos vereadores do município, transformar a Missa do Vaqueiro na Festa de Jacó. A Missa é uma grife nacional, projetou Serrita no País inteiro e até hoje a cidade só é conhecida, visitada e reverenciada por causa desta linda história envolvendo um vaqueiro valente, herói das caatingas.

VERSÃO FANTASIOSA – Toda vez que é forçado a explicar o projeto, o prefeito de Serrita, Aleudo Benedito (MDB), se enrola, assim como o secretário de Cultura, Carlos Peixoto. Na sessão da Câmara, ontem, que acompanhou fazendo pressão junto aos vereadores pela aprovação, ele disse que a tradicional Missa do Vaqueiro não mudará de nome. “Apenas as festividades que antecedem a manifestação religiosa passarão a ter outro nome, Festa do Jacó. A missa vai continuar sendo realizada, vai deixar de existir, o nome não vai deixar de existir. A Missa do Vaqueiro é sim patrimônio nosso”, afirmou.

Símbolo de luta do nordestino – Autor do livro “João Câncio, o padre vaqueiro, o jornalista Vandeck Santiago afirma que a Missa do Vaqueiro se insere no contexto de luta do nordestino.” A Missa existe há 49 anos e inspirou documentários, livros, reportagens e tem um peso grande. Na época da sua criação, o Brasil estava na ditadura, uma época de censura. Na missa, o nome de D. Helder Câmara não podia ser citado de forma alguma. Teve a Carta Pastoral dos Bispos do Nordeste afirmando que aquele desenvolvimento não contemplava os pobres. E a missa segue esse discurso, não havia esse discurso concatenado, mas essa missa voltada para os vaqueiros, que ninguém dava atenção, celebrada na caatinga, ela se insere nesse contexto de luta do povo nordestino e brasileiro”, diz ele.

Culpou Bolsonaro – Viver é também recordar: em 2020, a atual ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, criticou a gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), durante incêndios no Pantanal, ao afirmar que a “criminosamente desproporcional” era a “falta de medidas do governo para enfrentar o tamanho do problema da destruição dos biomas brasileiras”. “É uma atuação pífia, de puro faz de conta, onde o que vem sendo feito é muito mais em função do trabalho árduo dos servidores públicos abnegados e do esforço de voluntários comprometidos com a causa ambiental”, disse em seu perfil no X (ex-Twitter), em setembro do mesmo ano.

E mudou o discurso – Naquele ano, 26,4% de toda a extensão territorial do bioma foi queimada, a maior desde 2003. Os dados são do Programa Queimadas, do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), vinculado ao MCTI (Ministério de Ciência e Tecnologia). Já em 2023, Marina atribuiu as causas dos incêndios no Pantanal à ação humana criminosa, a pior seca dos últimos 70 anos e ao impacto das mudanças climáticas. Na última segunda-feira, ao final da reunião da sala de situação que vai elaborar ações para o bioma, a titular do órgão ambiental do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse que esta é uma das piores situações já vistas pela região.

Entrou com os dois pés – O presidente estadual do PDT, Wolney Queiroz, resolveu meter a sua colher na briga interna do seu partido em Araripina, que tende a resolver o seu candidato em um bate-chapa na convenção. Wolney torce e trabalha pela vitória do atual vice-prefeito do município, Evilásio Mateus, que enfrentará o nome indicado pelo prefeito, a ex-secretária de Educação, Ana Paula Ramos. “A disputa interna é salutar, boa para o partido e é uma prova de que temos bons quadros”, afirmou.

Curtas

CASSADO – O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassou o mandato do vereador Marcos Alexandre Soares, o Xande da Praia, o mais votado de Goiana, na Zona da Mata, por causa de fraude à cota de gênero praticada pelo PSD. De acordo com o TRE, em Pernambuco a legenda não observou o mínimo de 30% da cota de candidaturas femininas no pleito de 2020.

CONTAS – A Câmara de Vereadores de Serra Talhada aprovou, ontem, as contas da prefeita Márcia Conrado (PT) referentes ao exercício de 2022. Em março deste ano, o Tribunal de Contas do Estado já havia aprovado por unanimidade e emitido um parecer prévio recomendando a aprovação à Câmara Municipal.

CANDIDATO – Em nota, o advogado Antônio Campos reafirmou, ontem, que é candidatíssimo a prefeito de Olinda. “Represento as forças que fizeram a real oposição à gestão Lupércio e que tem um projeto inovador para Olinda”, destacou.

Perguntar não ofende: O Congresso só volta a funcionar agora depois das eleições?

Prefeito de Serrita, o assassino da Missa do Vaqueiro

Patrimônio imaterial de Pernambuco, conforme validou o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), a Missa do Vaqueiro, realizada em Serrita desde 1970, está na iminência de sofrer um golpe, na verdade um estupro cultural violento. Por iniciativa do prefeito Aleudo Benedito (MDB), a Câmara de Vereadores vota, hoje, projeto que transforma o evento em Festa de Jacó.

Uma barbaridade! No fundo, o prefeito, por birra política, quer atingir a Fundação Padre João Câncio, presidida por Helena Câncio. Insensível, o prefeito já canta vitória ante o silêncio dos poderes públicos. O que diz o Governo Raquel Lyra? O Parque Estadual Padre João Câncio é de propriedade da Empetur. Se a Câmara se submeter aos caprichos do prefeito-coronel, a Missa vai deixar de ser um bem dos pernambucanos, virando massa de manobra política e eleitoreira.

O nome da instituição que promove a Missa do Vaqueiro é uma homenagem ao seu idealizador. O evento faz parte, há muito tempo, do calendário turístico do Estado. Realizada a céu aberto, a missa se dá em sufrágio da alma de Raimundo Jacó, tendo como cenário o Parque Nacional do Vaqueiro, no sítio Lajes, zona rural de Serrita.

A celebração teve origem a partir da comoção causada pelo assassinato impune do vaqueiro Raimundo Jacó, encontrado morto em Julho de 1954 no sítio Lages. João Câncio, então pároco de Serrita, em uma de suas andanças pelas comunidades rurais da paróquia, ao passar pelo local onde o cadáver de Jacó havia sido encontrado, foi informado do crime que ali ocorrera e da comoção que ele causara no seio da comunidade.

Visando a sufragar a alma do vaqueiro morto, que, conforme informações dos párocos, havia morrido sem confissão, o padre planejou um ato de desagravo e protesto pelo assassinato impune. Com o auxílio do cantor Luiz Gonzaga (que era primo do falecido e o havia homenageado com a canção ‘’A Morte do Vaqueiro’’), juntamente com o repentista Pedro Bandeira, os vaqueiros de Serrita participaram da primeira missa em 19 de Julho de 1970. Além da cerimônia religiosa, ocorre vaquejada, cavalgada, pega de boi, feira de artesanato, show de forró, exposição e muito mais.

O HERÓI JACÓ – Primo do Rei do Baião, Raimundo Jacó Mendes morreu no dia 8 de Julho de 1954. Como vaqueiro, se destacou através de feitos que despertaram a admiração de muitos e a inveja de outros. Entre os invejosos estava Miguel Lopes, com quem passou a ter uma rixa. Narra a lenda que no dia da sua morte o dono da fazenda ordenou que ele e Lopes fossem pegar na caatinga uma rês, arisca e estimada, que se afastou do rebanho. Saíram à procura de Raimundo Jacó no dia seguinte, e, em meio a caatinga, encontraram-no morto, ao lado da rês ainda amarrada, e o seu fiel cachorro latindo, sem sair de perto. Uma pedra manchada de sangue denunciava a covardia do assassinato. Miguel Lopes foi incriminado, e abriu-se um processo, mas foi arquivado por falta de prova, e o crime ficou sem solução, caindo no esquecimento. Tomando conhecimento disso, Luiz Gonzaga protestou com a música “A Morte do Vaqueiro”.

Pressão contra os vereadores – Presidente da Fundação Padre João Câncio, Helena Câncio está inconformada com a manobra do prefeito. “Inacreditável que a Missa do Vaqueiro, patrimônio nacional do povo brasileiro, seja mutilada. Isso é um crime, as autoridades do Estado têm que agir, especialmente a direção da Empetur, proprietária do Parque Estadual Padre João Câncio”, alerta. Para ela, a população, por sua vez, não pode ficar de braços cruzados, mas lotar a Câmara de Vereadores, hoje, para pressionar os vereadores a rejeitar a proposta imoral e violenta do prefeito.

Apagamento grave – Neto de Luiz Gonzaga, o cantor e compositor Daniel Gonzaga também protestou contra a tentativa do prefeito de Serrita de acabar com a Missa do Vaqueiro. “Querem mudar o nome da Missa do Vaqueiro para Festa de Jacó, apagando mais de 50 anos de história. Uma história criada por padre João Câncio, Luiz Gonzaga e o poeta Luiz Bandeira. Uma votação está para acontecer, hoje, por iniciativa do prefeito. Isso não pode ocorrer. A festa é reconhecidamente do povo. Esse apagamento é muito grave”, criticou.

O gesto de Kassab – Chefão do PSD, o ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, fez um movimento que ajudou a distensionar a até então conturbada relação com Bolsonaro. Quando dirigentes partidários ainda resistiam a aceitar a indicação do ex-presidente para o posto de vice na chapa do prefeito Ricardo Nunes (MDB), em São Paulo, Kassab se antecipou e declarou apoio a Coronel Mello Araújo (PL). Bolsonaro reconheceu que o gesto de Kassab, hábil articulador político, quebrou resistências e ajudou a consolidar o seu indicado, anunciado oficialmente na semana passada. Não que a relação entre ambos tenha mudado da água para o vinho.

Família Ramos dividida – Em Araripina, o prefeito Raimundo Pimentel lançou Ana Paula Ramos, sobrinha do ex-governador José Ramos, como pré-candidata do grupo à sua sucessão. Mas não contava com a divisão na família Ramos. De passagem pelo município, a presidente do Solidariedade, Marília Arraes, jogou mais lenha na fogueira no tumultuado processo pré-eleitoral. Anunciou que o partido vai ter candidato próprio: Brenno Ramos, filho do ex-governador. E agora, Pimentel?

CURTAS

MULTADOS – Em Arcoverde, o pré-candidato a prefeito pelo Podemos, Zeca Cavalcanti, e seu vice Siqueirinha, sofreram a primeira penalidade pela justiça eleitoral, por campanha antecipada num evento: a Drilha do Polo, promovida por um bar e restaurante da cidade. Foram condenados a pagar uma multa de R$ 5 mil. A decisão foi do juiz eleitoral Cláudio Márcio Pereira.

JOGARAM A TOALHA – Em Afogados da Ingazeira, quatro vereadores já desistiram da reeleição: Rubinho do São João (PSD), Toinho da Ponte (Podemos), Sargento Argemiro (PSD) e Erickson Torres (PSD). Também não irá tentar um novo mandato Edson Henrique (PP), escolhido vice do pré-candidato a prefeito Danilo de Gisa (PSD). Em seu lugar, o pai Zé Negão vai tentar voltar ao Legislativo.

CE EM ALERTA – O governador do Ceará, Elmano de Freitas (PT), anunciou, ontem, a convocação de 426 aprovados no último concurso público da Polícia Militar. Os convocados passarão ainda por cursos de formação antes de saírem às ruas. Ao todo, são cerca de 2.700 profissionais incorporados pelo Governo do Estado para o combate às organizações criminosas nas últimas semanas.

Perguntar não ofende: E em Pernambuco, quantos PMs serão convocados para reforçar a tropa?

O pulo de mil de Petrolina

De tudo que vi na passagem por Petrolina, o que mais me impressionou, além do fantástico hospital oncológico filantrópico, foi o pulo de mil, e não de dez, do município na educação infantil. Conheci uma das 18 escolas em tempo integral que o prefeito Simão Durando (UB) tirou do papel em menos de dois anos.

O padrão de excelência é tamanho que pais de família da classe média já tentaram matricular seus filhos, abandonando escolas privadas. Em 2017, quando o ex-prefeito Miguel Coelho (UB) assumiu, só havia uma escola em tempo integral, da época do pai, o ex-prefeito Fernando Bezerra Coelho.

Miguel ampliou para cinco, Simão construiu 15 e mais três estão em obras, oferecendo mais de três mil vagas para alunos pobres da periferia, que têm direito a três refeições, salas com ar-condicionado, biblioteca, quadra esportiva e outros equipamentos só encontrados em escolas privadas de alto padrão. Com isso, Petrolina é campeã no ranking de notas do Ideb e Idepe.

Há pouco, recebeu o prêmio “Prefeito Amigo da Criança”, da Fundação Abrinq e o troféu Band Cidades Excelentes na área de Educação. Outro grande avanço se deu na construção de creches municipais, abrindo espaço para 20 mil crianças. Tudo isso confere a Petrolina o título de município que possui a maior rede de creches e de escolas integrais do Estado.

Na área de infraestrutura, percebi a preocupação de Durando com a questão da mobilidade urbana. Miguel, seu antecessor, fez o primeiro viaduto para melhorar o trânsito. Em dois anos, Durando fez mais dois, um já entregue, e outro com inauguração prevista para setembro. Vai permitir a duplicação da BR-407, obra que viabiliza o eixo de ligação entre os estados do Piauí, Bahia e Pernambuco. Quando concluída, abrangerá 11 km de extensão, com um investimento de R$ 122 milhões, em parceria com o Governo Federal. O projeto prevê a duplicação das pistas desde a descida do viaduto dos Barranqueiros, que dá acesso à ponte Presidente Dutra, seguindo até 2 km após a estátua do Burrinho; bem como a requalificação da rotatória do Posto Asa Branca e a construção das vias marginais.

HOSPITAL MUNICIPAL – Simão avançou nas obras e quer entregar à população o Hospital Municipal até o próximo dia 6, data limite para gestores que disputam a reeleição participar de inaugurações. Funcionará como um “hospital de dia”, referência na assistência intermediária de baixa e média complexidade, com atividades ambulatoriais, procedimentos clínicos e cirúrgicos, diagnósticos e terapêuticos. A estrutura terá 14 consultórios ambulatoriais; três salas operatórias; quatro leitos de recuperação pós-anestésica; 12 leitos de clínica cirúrgica, além de sala de fisioterapia e odontologia.

Emergência e pequenas cirurgias – O novo hospital está sendo construído onde seria o Centro de Referência da Criança, que era exclusivo ao público infantil e agora atenderá toda a população. Contará com especialistas na área de cirurgia geral, pediátrica, otorrinolaringologia, dermatologia, cardiologia, bucomaxilofacial, angiologista, oftalmologista, ultrassonografista, ortopedista, além de uma equipe multidisciplinar, com fisioterapeuta, nutricionista, fonoaudiólogo, enfermeiros, técnicos de enfermagem, psicólogos, assistentes sociais, entre outros. Localizado na Avenida José Maniçoba, próximo aos hospitais Universitário e Dom Malan e ao Centro de Partos, a nova estrutura municipal também terá como característica a integração setorial e logística facilitada.

Cenário sombrio para o PT – Levantamento feito pelo Brasil de Fato, utilizando as pesquisas eleitorais divulgadas até a última sexta-feira, mostra que a grande maioria dos candidatos petistas que disputam as prefeituras das nove capitais nordestinas não contam com a simpatia do eleitor. Apenas o deputado estadual Fábio Novo (PT) desponta com uma candidatura competitiva, em Teresina (PI), onde aparece à frente dos demais candidatos, mas empatado tecnicamente com o ex-prefeito local, Silvio Mendes (UB).

São Luis e Fortaleza – Em São Luis, o prefeito Eduardo Braide (PSD) aparece à frente, com boa margem de diferença, com 39,7%, de acordo com a pesquisa do Datafolha, de 26 de abril. Em seguida está o deputado federal Duarte Jr (PSB), com 20,6%. Levantamentos da Paraná Pesquisas e Atlas Intel mostram que o prefeito de Fortaleza, José Sarto (PDT), principal aliado de Ciro Gomes no Ceará, corre o risco de perder. Nas duas pesquisas, o atual mandatário aparece com 18% e 20%, respectivamente. À frente está o ex-deputado federal Capitão Wagner (UB), que soma 33% nas duas pesquisas.

Favoritos no primeiro turno – Os levantamentos mostram que em duas capitais do Nordeste – Salvador e Recife – pode não haver segundo turno. Em Salvador, o prefeito Bruno Reis (UB) aparece com 64% das intenções de voto, no levantamento divulgado pela Paraná Pesquisas. Seu oponente mais próximo é Geraldo Júnior (MDB), com 11%. Em Recife, o prefeito João Campos (PSB) aparece como favorito à reeleição. O candidato pessebista soma 57% dos votos, na pesquisa da Atlas Intel, divulgada em 26 de abril. Em segundo, está o ex-ministro do Turismo do governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), Gilson Machado (PL), com 21%.

Curtas

NATAL – Em Natal, a deputada federal Natália Bonavides (PT), uma das apostas petistas para 2024, aparece em segundo lugar nas pesquisas. O cenário desenhado pelos levantamentos indica que a parlamentar terá trabalho durante o período eleitoral para conseguir tirar a vitória das mãos do ex-prefeito do município, Carlos Eduardo (PSD).

JOÃO PESSOA – Em João Pessoa, o prefeito Cícero Lucena (PP) pode confirmar em outubro sua reeleição. O pleito parece tranquilo para o atual mandatário, que soma 34% das intenções de voto, no levantamento de 21 de março, da Certifica Consultoria. À frente do deputado federal Ruy Carneiro (Podemos), que aparece com 22%.

ARACAJU – Em Aracaju, a capital com mais mulheres pré-candidatas, a vereadora Emília Correa (PL) aparece à frente da deputada federal Yara Moura (MDB), de acordo com levantamento feito pelo Real Time BigData, de 11 de junho. As duas somam 26% e 13% das intenções de votos, respectivamente.

Perguntar não ofende: O PT vai sumir do mapa na geografia do poder das capitais nordestinas?

Dom Tomás salva vidas, mas precisa ser salvo

Num instante em que o Brasil vive uma fase de horror quase sem exceção na seara pública, pelo fato de os políticos trabalharem em prol do favorecimento próprio, seja em pequena ou larga escala, vem de Petrolina, de onde cheguei ontem, um exemplo para, definitivamente, ainda acreditar na figura do homem público.

Médico por formação, empresário por vocação, ex-prefeito de Petrolina, Augusto Coelho é o caçula de “seu” Quelé, patriarca do clã Coelho, que gerou uma geração de homens notáveis para a vida pública, entre eles Nilo Coelho, uma lenda sertaneja, governador do Estado, o grande benfeitor do Vale do São Francisco.

Nilo morreu de um infarto fulminante poucos dias depois de um discurso antológico como presidente da Casa Alta. Não se submetendo às pressões do regime de exceção, subiu à tribuna e afirmou: “Não sou presidente do Congresso do PDS, sou presidente do Congresso do Brasil”. O filho mais notável de Quelé entrou para a história.

Augusto Coelho, seu ponta de rama, aos 85 anos, continua orgulhando o pai, onde ele estiver. Como Nilo, tem espírito público, vocação para servir sem se servir das posições de alta relevância. Como empresário, dono de um dos maiores curtumes do Nordeste, Augusto se realiza, na verdade, em outro campo: praticando filantropia.

Ele é presidente da Associação Petrolinense de Amparo à Maternidade e à Infância (Apami), fundada em Petrolina há 74 anos, instituição beneficente referência no Interior do Nordeste na assistência aos portadores de câncer. À frente da entidade, se inspira na essência verdadeira do que deve ser um homem público: ver em cada pai seu próprio pai, em cada mãe a sua mãe, em cada filho os seus e em cada ser humano o seu irmão”.

É um gigante. Fez a Apami gerar seu filho mais desafiador: o hospital Dom Tomás, que há dois anos passou a fazer cirurgias de câncer das mais altas complexidades com enorme sucesso. “Recentemente, realizamos um procedimento crânio facial de altíssima complexidade e louvamos a Deus pela salvação de mais uma vida”, disse Augusto.

Em breve, a unidade hospitalar vai ganhar um Centro de Radioterapia, obra que não caiu do céu, mas fruto do esforço da sua articulação nacional junto ao Ministério da Saúde. E tem mais notícias boas: a mão estendida da filantropia chegou com mais R$ 4,5 milhões na aquisição de equipamentos para transformar sua área de radioterapia referência no Nordeste.

Há pouco, começou a funcionar a primeira etapa de expansão do hospital, totalizando 52 leitos de enfermaria, com dois postos de enfermagem e sala de evolução médica. Para manter toda essa estrutura e continuar prestando serviços a milhares de pacientes, inclusive crianças, que moram em 60 municípios dos estados de Pernambuco, Bahia e Piauí, o hospital precisa de mais apoios.

Esta tem sido uma luta incansável para doutor Augusto, que para ser vencida, começa primeiro pelo viés preconceituoso. “Por estar no interior do Nordeste, distante dos grandes centros, muitos poderosos do setor público não acreditam que estamos falando de um dos maiores centros de saúde em tratamento oncológico no Brasil”, desabafa.

O hospital Dom Tomás, que está situado numa região que abrange nada menos do que 2 milhões de habitantes em quatro Estados, têm um custo alto de manutenção: R$ 3 milhões por mês, para manter um quadro de 300 funcionários, entre os quais 92 médicos, que fazem em média 160 procedimentos cirúrgicos por mês, de pequena a alta complexidade. São portadores de câncer que, antes, só teriam tratamento no Recife e em outros centros mais avançados de oncologia.

Felizmente, o doutor Augusto tem tido reconhecimento nacional. Recentemente, recebeu em Brasília uma das mais altas condecorações do Governo Federal, destinada às pessoas que realizam serviços de grande impacto social, através do embaixador Paulino Franci de Carvalho: o título de ‘Grande Oficial da Ordem de Rio Branco’.

A honraria se destina a reverenciar os que se tornam merecedores do reconhecimento do Governo Brasileiro, por algum motivo considerado de grande relevância. Mostrando sua grandeza e sua simplicidade, ao receber a homenagem Augusto disse que deveria ter sido dada não a ele, mas ao hospital Dom Tomás.

O reconhecimento é apenas uma face dessa luta dele que a sociedade e os poderes públicos não podem apenas bater palmas. Têm que ajudar efetivamente, com recursos financeiros e doações de qualquer bem, especialmente equipamentos médicos.  

DOAÇÕES PELO IR – Recentemente, com o objetivo de ajudar a salvar vidas, combatendo o câncer em crianças e adultos, o Hospital Dom Tomás fez uma campanha de arrecadação com ajuda da Receita Federal. Os contribuintes foram estimulados a doar até 3% do Imposto de Renda (IR) para o fundo de apoio ao hospital do município. A legislação permite que até 6% do valor do chamado “Imposto Devido” seja convertido em doação no momento da entrega da declaração, desde que você tenha optado pelo modelo completo de tributação. Ou seja, ao invés de destinar o dinheiro diretamente ao Governo, você terá oportunidade de auxiliar uma entidade sem qualquer custo adicional.

ATRASO PELO ESTADO – Fundamental para o tratamento de pacientes com câncer em diversas cidades do interior de Pernambuco, o hospital Dom Tomás enfrenta uma grave crise financeira devido à falta de recursos e ao atraso no pagamento das parcelas pelo governo estadual. A governadora Raquel Lyra (PSDB), aliás, esteve recentemente em visita à instituição, mas na prática nada foi feito até agora. 

Lula, enfim, vai enfrentar a violência

No mesmo dia em que o Ceará presenciou uma chacina em uma praça pública na cidade de Viçosa, o presidente Lula anunciou, ontem, que está aguardando apenas manifestações de governadores e ex-governadores aliados, como Camilo Santana, do Ceará, e Rui Costa, da Bahia, para ir ao enfrentamento contra a desenfreada e crescente violência no País.

Em entrevista exclusiva ao jornal Diário do Nordeste, o presidente da República falou sobre as diretrizes do Governo Federal para lidar com os problemas de Segurança Pública no País e informou que uma reunião com governadores deve ocorrer em breve para abordar o assunto. Segundo ele, o plano está sendo elaborado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski. Em seguida, será debatida numa reunião em Brasília com os 27 gestores estaduais.

O petista tocou no assunto 48 horas após sair o mapa da sanguinolência no País, através do Atlas da Violência. As estatísticas oficiais mostram que o Brasil registrou 46.409 homicídios em 2022, uma taxa de 21,7 por 100 mil habitantes. O Atlas revela que esse número é subestimado, devido à grande quantidade de mortes violentas por causa indeterminada ocorridas no País. Os autores do estudo estimam 52.391 homicídios em 2022, somando a quantidade de casos oficialmente registrados com os que ficaram ocultos.

Entre 2012 e 2022, 131.562 pessoas morreram de forma violenta sem que o Estado conseguisse identificar a causa básica do óbito, se decorrente de acidentes, suicídios ou homicídios – as chamadas mortes violentas por causa indeterminada (MVCI). Esse fenômeno aumentou consideravelmente em 2018 e 2019. Usando um método de aprendizado de máquina, os autores do Atlas da Violência 2024 estimaram 51.726 homicídios ocultos no total de MVCI de 2012 a 2022.

Com isso, as estatísticas oficiais saltariam de 609.697 para 661.423 no mesmo período. “Para que possamos entender melhor a magnitude do problema, o número total de homicídios ocultos nesses 10 anos foi maior do que todos os homicídios que ocorreram no último ano analisado”, explica Daniel Cerqueira, técnico de planejamento e pesquisa do Ipea e coordenador do Atlas. Apenas entre 2019 e 2022, foram 24.102 homicídios ocultos no Brasil, o que equivale à queda de 160 boeings lotados, sem sobreviventes.

AUMENTO MAIOR NO NE – A análise das estatísticas oficiais mostra que, entre 2019 e 2022, a variação da taxa de homicídios no País foi nula, tendo aumentado na região Nordeste (6,1%) e no Sul (1,2%) e diminuído nas demais regiões, com destaque para o Centro-Oeste, que teve uma redução de 14,1% dos homicídios no período. Entre 2012 e 2022, a maior redução da mortalidade violenta veio do Distrito Federal (-67,4%), seguido por São Paulo (-55,3%) e Goiás (-47,7%). Os maiores aumentos ocorreram no Piauí (47,9%), Amapá (15,4%) e Roraima (14,5%). Em 2022, a Bahia teve a maior taxa de homicídios por 100 mil habitantes (45,1), seguida de Amazonas (42,5) e Amapá (40,5). As três menores taxas no ano vieram de São Paulo (6,8), Santa Catarina (9,1) e Distrito Federal (40,5).

Bahia lidera o mapa do crime – Em uma publicação complementar ao Atlas, o Retrato dos Municípios Brasileiros aponta que a Bahia concentra sete das 10 cidades com maior número de homicídios no ranking, sendo as cinco primeiras Santo Antônio de Jesus (94,1%), Jequié (91,9%), Simões Filho (81,2%), Camaçari (76,6%) e Juazeiro (72,3%). Além disso, Salvador aparece como a capital mais violenta do País. No Estado, praticamente todos os municípios litorâneos possuíam, em 2022, taxas acima de 47 homicídios estimados por 100 mil habitantes.

Juventude perdida – O Atlas da Violência também destaca os homicídios de jovens entre 15 e 29 anos, representando 49,2% do total de homicídios no país em 2022. De cada cem jovens entre 15 e 29 anos que morreram no Brasil por qualquer causa, 34 sofreram homicídio. Foram 22.864 jovens mortos, uma média de 62 por dia no país. Considerando toda a série histórica (2012-2022), o número de jovens vítimas da violência no Brasil chegou a 321.466 – uma perda de 15.220.914 anos potenciais de vida. Já a vitimização de pessoas negras – soma de pretos e pardos, de acordo com a classificação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – correspondeu a 76,5% de todos os registros de homicídios no País.

Estabilização entre os índios – No caso dos povos indígenas, o Atlas revela que, pela primeira vez, a taxa de homicídios foi aproximadamente a mesma da nacional: enquanto a taxa nacional ficou em 21,7 por 100 mil habitantes em 2022, a de indígenas foi de 21,5. Entretanto, segundo os autores, trata-se de um ano singular. Em toda a década anterior (2012 a 2021), a violência letal foi vivenciada de forma mais intensa pelos povos indígenas do que pela população brasileira em geral. Nos anos de 2013 e 2014, a taxa de homicídios registrados e estimados de indígenas atingiu o dobro da taxa geral.

Cabo, oitavo mais sangrento do País – No ranking nacional, o Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, aparece em 8º lugar entre os municípios com maior taxa de homicídios por 100 mil habitantes. Não é a primeira vez que o Cabo aparece entre os mais violentos do País. Com 203.440 habitantes, a cidade apresentou taxa de 66,9 mortes violentas por 100 mil habitantes. Em 2022, o Atlas somou 135 homicídios. Em janeiro daquele ano, o município somou 30 assassinatos – maior número em um único mês

Curtas

ONZE EM PE- Onze municípios de Pernambuco com mais de 100 mil habitantes fazem parte da lista dos que tiveram a maior taxa de homicídios do País, segundo o Atlas da Violência 2024. O levantamento deixa claro que o avanço das facções criminosas, especializadas no tráfico de drogas, é o principal problema a ser enfrentado para os estados conseguirem reduzir os números de assassinatos.

PCC E CM – Pelo menos até 2022, dez facções disputavam territórios na Bahia, um espaço geográfico estratégico para a logística de transporte, fornecimento e exportação de drogas e armas. Além do PCC (Primeiro Comando da Capital) e do CV (Comando Vermelho), a Bahia conta com mais oito grupos criminosos fundados no próprio Estado, que provocaram conflitos letais derivados de rupturas e alianças, como entre o Bonde do Maluco (BDM) e o PCC.

MENINAS – Uma epidemia de violência sexual contra meninas é outro levantamento preocupante: em 2022, entre as vítimas de zero a nove anos, a violência mais frequente foi a negligência, com 37,9% dos casos, seguida de violência sexual, com 30,4%. O dado segue para o que os autores chamam de “trajetórias de violência”: na faixa etária de 10 a 14 anos, a violência sexual torna-se prevalente – tal violação foi apontada em 49,6% dos registros no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), do Ministério da Saúde.

Perguntar não ofende: Alguém acredita na eficácia de um plano para reduzir a violência no País?