FMO janeiro 2020

02/04


2020

Fundaj disponibiliza mais de 10 serviços online gratuitos

A Fundação Joaquim Nabuco está ativa em meios digitais. Por meio de tele-trabalho, os colaboradores da Casa têm se empenhado para continuar prestando serviços à sociedade. As tão faladas vídeo-chamadas são aliadas nesse período de trabalho a distância. Pesquisas sobre o COVID-19, cursos online, aulas e defesas de teses, acervos de todos os tipos, visitas e pesquisas virtuais fazem parte do conteúdo gratuito disponível para o público.

“Desde o anúncio da pandemia do coronavírus, a Fundaj tem adotado as medidas necessárias, tendo em vista o caráter delicado da situação. Estamos funcionando em regime especial. A casa continua ativa, oferecendo serviços e cultura digital”, afirmou o presidente da Fundaj, Antônio Campos.

A 103ª Reunião Ordinária do Conselho Diretor (Condir) da instituição aconteceu via Skype, na última quinta-feira (26) do mês de março. Os conselheiros aprovaram a proposta de plataforma online para operacionalização de alguns cursos, pela Diretoria de Formação Profissional e Inovação (Difor), a continuação dos trabalhos em home office com a presença física diária de um núcleo gerido pelo presidente na Casa e, também, a criação da comissão de planejamento e orçamento para 2020. Além disso, acontecem reuniões frequentes para monitoramento de crise.

Cursos da Difor

Dando continuidade aos cursos presenciais que foram interrompidos no dia 14 de março, a Diretoria de Formação Profissional e Inovação (Difor) retomará as aulas por meios online. Os alunos do curso “Revisão Linguística” e “Avaliação de Políticas Públicas” – o segundo em parceria com a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) – terão aulas a distância.

O curso “Revisão Linguística” acontecerá por meio do serviço de videoconferência online Zoom. A volta às aulas está programada para a próxima terça-feira (7), seguindo o horário dos encontros presenciais, das 19h às 22h. “Essa é uma ferramenta fantástica, que permite a atividade simulada ao presencial. O Zoom possibilita o envio de arquivos, transmissão de apresentações, assim como perguntas e resposta. Nossa equipe acompanhará esses momentos, a fim de dar o suporte necessário”, destacou o diretor de Formação, Wagner Maciel.

Já a formação “Avaliação de Políticas Públicas”, terá suas atividades reunidas no software educacional gratuito “Moodle” ainda na próxima semana. Os encontros seguem sob orientação do professor Écio Costa. Dessa forma, garante-se a participação sem perdas ao aprendizado. Em breve, os alunos de ambos os cursos serão contactados por e-mail com as especificações de cada plataforma e orientações para o devido uso.

As palestras do iNova Fundaj, projeto onde é falado sobre inovação na gestão pública, também terá um formato online. A partir do dia 15 de abril, os encontros digitais acontecerão uma vez por semana. Sempre nas quartas-feiras, das 19h às 20h30. Para isso ser possível, a plataforma Zoom será utilizada e os participantes deverão se inscrever previamente pelo Sympla.

Nos meses de abril e maio, respectivamente, serão ofertados, em formato remoto, os cursos Introdução ao Moodle e o de Formação de Tutores em Moodle, serão oferecidos em EAD. Ambos para 50 pessoas.

Por meio do Ensino a Distância (EAD), existe a possibilidade de serem operacionalizadas propostas de cursos a serem desenvolvidos por servidores da Casa, e também novas ideias. Eles poderão elaborar e ofertar minicursos de 12 a 30 horas aulas. Em breve, outras informações serão divulgadas nas nossas redes. Os alunos dos cursos que funcionarão a Distância serão informados assim que os detalhes forem ajustados.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu e Lima

02/04


2020

Governo promove segunda edição do Palco em Casa

O governo do estado de Pernambuco está se programando para mais uma edição do Projeto Palco em Casa no perfil @DescubraPernambuco do Instagram. Na segunda semana de realização, o festival conta com mais um dia, iniciando hoje e se estendendo até o próximo domingo (5). Entre as atrações, o talentoso sanfoneiro Luizinho de Serra se apresenta no domingo ao lado da cantora Irah Caldeira.

A iniciativa é uma parceria da Secretaria de Turismo e Lazer de Pernambuco e da Empetur com o cantor André Rio. Esta segunda semana terá a presença de 22 artistas locais e da cena nacional, como Dudu Nobre, que divide transmissão com Carla Rio, no sábado (4).

“Incluímos agora atrações para a criançada, já que nesses dias os pais estão ficando muito com os filhos em casa. Vai ser uma forma de integrar a família. Diversos artistas já estão se preparando para levar nossa linda cultura para a casa de milhares de pessoas que seguem as recomendações do distanciamento social em suas residências”, comenta Rodrigo Novaes, secretário de Turismo e Lazer de Pernambuco.

A programação especial para as crianças será no sábado e domingo, com a participação da Fada Madrinha e do Tio Bruninho. Ambos prometem animar a criançada e toda a família a partir do final da tarde.

Confira a programação completa:

Quinta (02/4)

19h00 – Coral Edgard Moraes convida Getúlio Cavalcanti

20h30 – Luciano Magno convida Davi Moraes

2200h – Som da Terra

Sexta (03/4)

17h30 – Nádia Maia

19h00 – Marron Brasileiro

20h30 – Romero Ferro

22h00 – Maciel Melo convida Ed Carlos

Sábado (04/4)

17h30 – Fada Magrinha (Show Infantil)

19h00 – Carla Rio convida Dudu Nobre

20h30 – André Rio convida Maestro Fábio Valois

22h00 – Benil Convida Bruno Lins

Domingo (05/4)

16h00 – Tio Bruninho (Show infantil)

17h30 – Liv Morais

19h00 – João Cavalcanti (RJ)

20h30 – Luizinho de Serra convida Irah Caldeira


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/04


2020

Danilo pede adiamento de reajuste de planos de saúde

Em emenda apresentada à medida provisória 933/2020, o deputado federal Danilo Cabral (PSB) solicita a suspensão do reajuste de contraprestações pecuniárias de planos privados de assistência à saúde, durante a vigência do estado de calamidade pública provocada pela pandemia do novo coronavírus. O texto da MP suspende o reajuste anual de preços de medicamentos para o ano de 2020 pelo prazo de 60 dias.

Danilo Cabral destaca que a única medida que reconhecidamente contribui para a mitigação dos efeitos da Covid-19 é o isolamento social, praticado no Brasil há cerca de 15 dias. “Isso, infelizmente, vem acompanhado de redução da renda de milhões de cidadãos e uma significativa parcela dessas pessoas tem planos de saúde privada, um reajuste nesse período seria muito prejudicial”, justifica o parlamentar.

No Brasil, segundo dados Agência Nacional de Saúde Complementar (ANS), há 47 milhões de usuários de planos privados de saúde, cerca de 25% da população brasileira. “Dessa forma, se houver aumento nos planos, nos próximos meses, muitas pessoas perderão seus planos, justamente numa época em que mais precisam”, disse Danilo Cabral. O reajuste anual é determinado pela ANS e está previsto para ser divulgado no dia 30 de abril.

O deputado também apresentou uma emenda à medida provisória para que o prazo de suspensão do reajuste dos medicamentos se adeque ao período do estado de calamidade pública e não apenas por 60 dias como está na MP. “Assim, atenuaríamos os impactos de um aumento de preço”, explica Danilo Cabral. O texto transfere o aumento anual para a partir de 1° junho.

O prazo para apresentação de emendas à medida provisória 933/2020 vai até o próximo dia 6. A nova determinação dispensa a tramitação da MP em comissão mista e estabelece que o texto seja votado diretamente no plenário da Câmara dos Deputados. Em seguida, se for aprovado, a MP vai ao Senado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Grande deputado sempre trabalhando para o POVO. Parabéns

marcos

Danilo PSB pede adiamento de reajuste e Geraldo PSB pede antecipação de cobrança do IPTU. Vai entender esses socialistas caviar.


Prefeitura de Serra Talhada

02/04


2020

Campanha “Respira Vida” faz balanço e entrega doações

A arrecadação de R$ 300 mil e a aquisição de 7 respiradores e de 200 EPI’s (vestuários impermeáveis e protetores faciais) para o atendimento de pacientes graves com o Covid – 19 e H1N1 em Petrolina e Juazeiro-BA. Este foi o primeiro balanço da campanha ‘Respira Vida VSF’, apresentado na manhã de hoje por um grupo de médicos e empresários da região, durante uma entrega de doações no Hospital Universitário de Petrolina (HU - Univasf).

O superintendente do HU, Ronald Mendes, agradeceu ao grupo voluntário enfatizando a importância dos respiradores mecânicos que são equipamentos essenciais no restabelecimento da saúde de pacientes com insuficiência respiratória.

Para apresentar os resultados iniciais da campanha, um dos coordenadores do grupo, o médico e professor da Univasf, Itamar Santos, lembrou que o maior desafio hoje no enfrentamento ao Covid – 19, em todo mundo, tem sido a aquisição de respiradores e EPI’s.

“Durante 14 dias nossa campanha voluntária cresceu em solidariedade e união e foi somando apoio nas redes sociais, na imprensa e com a participação de digitais influencers, além de vídeos com muita gente famosa a exemplo de Targino Gondim e Daniel Alves”, ressaltou, acrescentando que o grupo a partir de agora vai substituir a compra pelo aluguel dos respiradores tendo em vista o alto preço destes equipamentos.

"Estamos concluindo a compra de mais dois equipamentos e a partir de agora vamos alugar mais três completando 9 respiradores alugados que serão colocados à disposição do HU, em Petrolina e do Hospital Regional de Juazeiro", concluiu.

Outro voluntário do grupo ‘Respira Vida VSF’, o gestor regional do Sistema FIEPE, Flávio Guimarães, aproveitou o balanço positivo para pedir à população que continue a participar da ‘Vaquinha’.

As doações, de qualquer valor, em cartão de crédito ou boleto bancário, poderão ser feitas através do contato de WhatsApp de número (87) 98874 - 2204, que receberá as mensagens e vai fornecer o link para a doação.

Os interessados também poderão contribuir com a campanha através da conta: Banco: 748. Sicredi. Ag: 2101. Conta: 08194.9/ CPF: 501 721 904 87, de titularidade do médico, professor da Univasf e idealizador do grupo, Itamar Santos.

Participam ainda da campanha, a OAB – Ordem dos Advogados do Brasil (seccional Petrolina), a Fundação Pedro Lorenzo, a Prefeitura de Petrolina, a Unimed Vale do São Francisco, o Sicredi Vale do São Francisco, Alto Criativo, meios de comunicação de Petrolina e Juazeiro, clubes de serviços e entidades de apoio social.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/04


2020

Cantor que fez música do corona no Frente a Frente

Baiano de Salvador, o forrozeiro Del Feliz fez uma linda canção sobre o isolamento social depois que escapou do contágio do coronavírus na Europa. No Frente a Frente, ele conta o seu drama enfrentado na Inglaterra, de onde chegou no último dia 13 e fala, emocionado, sobre a viralização do vídeo nas redes sociais. O programa vai ao ar às 18 horas pela Rede Nordeste de Rádio, formada por 37 emissoras, tendo como cabeça de rede a Hits 103,1 FM no Grande Recife.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

02/04


2020

Ivan demitido por não votar em esposa de vereador

Depois de engavetar o projeto do prefeito Professor Lupércio (SD), pedindo autorização do Legislativo para reduzir seu salário, do secretariado e parte dos comissionados, para injetar o dinheiro na compra de cestas básicas para a população, o presidente da Câmara de Olinda, Jorge Federal (PL), acaba de aprontar mais uma trapalhada: demitiu o jornalista Ivan Maurício, extremamente conceituado no Estado, da coordenação de comunicação da Câmara. Só porque o jornalista se recusou a votar na esposa dele (Federal) a vereadora do município. Abaixo o relato de Ivan.

“Em pleno pico da pandemia do coronavírus e em meio a isolamento social, recebi, na última terça-feira (31/03), telefonema do vereador Jorge Federal, presidente da Câmara Municipal de Olinda, condicionando minha permanência no cargo de diretor de Comunicação do Poder Legislativo municipal a ter que votar e fazer campanha eleitoral para sua esposa, Janaína Federal, pré-candidata a vereadora na cidade.

Não aceitei a imposição por considerar um desrespeito e descumprimento ao princípio constitucional que diz ser “inviolável a liberdade de consciência e de crença”.

Ontem (01/04), fui surpreendido com novo telefonema do vereador Jorge Federal me comunicado que estava exonerado do cargo. Hoje (2/4), recebi, em minha residência, a portaria formalizando a exoneração.

Aproveito a oportunidade para agradecer o carinho e a acolhida que sempre tive por parte de todos os companheiros que fazem a imprensa de Pernambuco durante este período em que exerci a Diretoria de Comunicação da Câmara de Olinda.

Tenho 52 anos de exercício da profissão de jornalista, boa parte deles – quase duas décadas – trabalhando sob a censura prévia durante a ditadura militar, na resistência da chamada imprensa alternativa, em jornais como “Opinião”, “Movimento”, “O Pasquim” e “Versus”.

O tempo ensinou a não me calar”.

Ivan Maurício

Jornalista profissional desde os 17 anos


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

02/04


2020

O remédio que faltava

Por Heron Cid

A Paraíba esperava e o governador João Azevêdo deu a resposta hoje. Saíram as medidas econômicas e sociais do Estado.

Nelas, socorro para os que já vivem com pouco – a faixa da linha de pobreza e miséria – e providências para os que tinham alguma coisa – os autônomos e informais – e passaram a conviver com a subtração ao nada.

O Governo sacou de suas prerrogativas e agiu na tarifa social de água, no cartão-alimentação, nas cestas básicas e nos restaurantes populares, compra na agricultura familiar, para citar o o social.

Na economia, tomou sobre os ombros as impossibilidades de pequenas empresas, esticou prazo de pagamento de ICMS e abriu linhas de créditos no Empreender Paraíba, além de suspender parcelas de quem já pediu emprestado.

Na prática, João Azevêdo abriu o leque de ações do Estado nesse momento crucial da vida de paraibanos e paraibanas.

Priorizou, no primeiro instante, a estruturação da rede de saúde, a preservação de vidas. Para depois lançar um colchão social amortecedor dos danosos efeitos na economia e no sustento individual de pessoas cuja força de trabalho e de produção está limitada e em quarentena.

Era o remédio que faltava para vacinar muitas outras áreas atingidas, de uma forma ou de outra, pela covid-19.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

02/04


2020

Mulher pede a Bolsonaro militares nas ruas


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Grande deputado sempre trabalhando para o POVO. Parabéns

marcos

Maia o herói da esquerda e dos idiotas úteis. Kkkkkkkkk kkkkkkkkk kkkkkkkkk

Fernandes

Estados isolam Bolsonaro e transformam Maia em interlocutor preferencial.

Kelson Menezes da silva

Provavelmente uma jogada desse presidente impopular sem noção , fica em casa


Shopping Aragão

02/04


2020

Ipubi defende pagamento dos R$ 600 pelas prefeituras

Em entrevista gravada, há pouco, para o Frente a Frente, o prefeito de Ipubi, Chico Siqueira (PSB), defendeu que o Governo desburocratize a ajuda dos R$ 600 aos trabalhadores informais atingidos pelos efeitos do coronavírus na economia nacional.

Para ele, a melhor forma seria efetuar o pagamento pelas prefeituras. "Todos os prefeitos já contam com um cadastro próprio e atualizado de quem, na verdade, está inserido no programa como beneficiário", disse Chico. Sua fala vai ao ar às 18 horas pela Rede Nordeste de Rádio, tendo como cabeça de rede a Hits 103,1 FM no Grande Recife.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

PSB sempre trabalhando para o POVO.

marcos

Chico tá doido pra comer uma banda dos R$ 600 contos. Kkkkkkkkk



02/04


2020

Curado, Alcolumbre volta ao trabalho amanhã

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, afirmou, hoje, que está curado da covid-19 e que retornará amanhã ao trabalho presencialmente. A confirmação de que ele contraiu o coronavírus foi divulgada no dia 18 de março.

Afastado há 19 dias, ele disse que recebeu alta após dois testes confirmarem que ele não está mais com a doença. Na sua ausência, as sessões virtuais do Senado foram comandadas pelo vice-presidente, Antonio Anastasia (PSD-MG).

Alcolumbre disse que preferiu ficar em casa até o resultado da segunda testagem, a chamada contraprova, para garantir que não ofereceria risco de contágio às pessoas com quem convive.

Ao blog do Gérson Camarotti, Alcolumbre reforçou seu apoio a medidas de isolamento social adotadas por governadores e prefeitos.

O presidente do Senado avalia que o distanciamento entre as pessoas é a única forma de conter o avanço da pandemia e afirmou que o Congresso Nacional fará a sua parte para dar celeridade e segurança jurídica às medidas enviadas pelo Executivo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/04


2020

Paraíba registra mais sete casos de Coronavírus

Portal MaisPB

A Secretaria de Saúde do Estado da Paraíba registrou, hoje, mais sete casos do novo coronavírus. O estado contabiliza agora 28 casos.

Dos novos casos confirmados, desde o ultimo boletim, 5 são do sexo feminino e 2 do sexo masculino, na faixa etária entre os 28 e 57 anos. Todos residem em João Pessoa e em estão em isolamento domiciliar.

Até agora, os casos confirmados estão distribuídos por 6 municípios – João Pessoa, Campina Grande, Cabedelo, Patos, Sousa e Igaracy. O paciente de Patos morreu no último dia 31 de março.

No momento, 12 pacientes estão internados em UTI (8 em estabelecimentos públicos e 4 no privado) e 93 em leitos de isolamento, seguindo em investigação para Covid-19. Os demais casos hospitalizados e com resultado não detectável seguem em investigação para demais vírus. Dos casos confirmados, 2 encontram-se hospitalizados, 3 já se recuperaram da Covid-19 e 22 seguem em isolamento domiciliar.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/04


2020

Os chineses quase vieram para o Brasil Colônia

Por Antonio Magalhães*

Os chineses já estiveram em outra ocasião no radar do Brasil. De modo bem diferente de hoje, quando vêm comprando tudo que é possível para transformar seu país num império global. Ou até mesmo sendo negligentes na expansão do mortal vírus Corona que desestabilizou econômica e socialmente todo o Ocidente.

Essa história começa mais longe. Na sessão da Câmara Federal em 1879 foi discutida a possibilidade de chineses - que nos debates eram chamados de chim – virem a substituir a mão-de-obra escrava negra já em fase final de libertação. A Lei do Ventre Livre, aprovada em  1871, determinava que os filhos de escravas nasciam libertos. A nova legislação assustou os grande proprietários porque eliminavam a possibilidade de reposição dos trabalhadores. Dezessete anos depois a escravidão negra foi totalmente extinta do país pela Lei Áurea de 13 de maio de 1888.

Mas vamos aos debates na Câmara Federal que teve a participação intensa do pernambucano Joaquim Nabuco, contrariando uma parte do parlamento que desejava a vinda de “coolies” chineses para substituir os braços negros em vias de libertação. Dizia Nabuco que a intenção dos parlamentares não era realmente manter relações diplomáticas com o Império Chinês, mas promover uma imigração massiva de asiáticos, “mongolizando o país”. O que terminou nunca acontecendo.

Hoje os “mimimi” se escandalizam com os fatos narrados neste texto. Informo aos leitores sensíveis que se deve levar em conta o contexto histórico da época. Qualquer coisa dessa ordem dita naqueles anos não causava espanto para os habitantes brasileiros e seus escravos negros. Eram tantas as nuances sociais naquele período que muitos cativos libertos compravam outros negros para lhes servir, como registrou em seus livros de “Brasil Colônia” a historiadora brasileira Mary di Priori.

De volta à intervenção de Joaquim Nabuco na Câmara Federal contra uma imigração chinesa de porte: “a China é uma nação velha, nós somos uma nação nova – justificou o político pernambucano –. Ela tem um imenso passado e nós temos  apenas um grande futuro”.

E disse: “pergunto em primeiro lugar se o chim é preciso, se é reclamado pela nossa lavoura, se é conveniente, se é um elemento de progresso, se é a solução que o nobre presidente do Conselho queria achar para a sua pergunta: qual o meio de substituir ou de preencher a falta de braços? — e depois me reservarei para mostrar que o chim não pode vir para o Brasil sem que a população de origem européia e a que essa tem assimilado a si desapareça; sem que dentro em pouco tempo aquelas porções do País despovoadas pela imigração chinesa se tornem verdadeiras povoações mongólicas”, acrescentou Nabuco.

Ele, um abolicionista militante, não iria permitir a troca de escravos negros por escravos asiáticos.  Na verdade, temia os efeitos da cultura chinesa no nosso país.

Afirmou:“na luta da existência, colocado o chim ao lado do branco ou do negro, colocado ao lado de todos os mestiços que possa haver no Pais, o chim forçosamente, por leis naturais que vou expor, acabará por tornar-se, dentro de um prazo de tempo que só nos restaria calcular, o senhor deste país, como ele espera ser o último habitante do mundo”.

“É o chim preciso? Quem quer o chim”?

“O que é curioso é que quando se espalhou essa noticia no congresso agrícola, com relação à vinda dos “coolies”, os membros do congresso não sabiam exatamente do que se tratava”.

“O que muitos lavradores do Sul querem não é a imigração chinesa; nenhum deles falou nela, nenhum tinha confiança nela. O que eles queriam eram “coolies”, chins contratados para o trabalho agrícola na China, e cujos contratos como em Cuba e no Peru, constituindo uma escravidão temporária, fossem garantia para a aquisição de braços para a lavoura”.

“O que os membros do congresso queriam eram chins obtidos por meio de contrato, esse sistema chamado tráfico de “coolies”, e não a imigração espontânea dos chins para o Brasil. Felizmente, porém, a China, de acordo com a Inglaterra e os Estados Unidos, fez parar esse tráfico, por honra da humanidade; esse tráfico que se fazia para Cuba e para o Peru já não existe”.

“Não se trata mais, Senhores, de chins obtidos por contrato, nos portos da China; que eram embarcados, reduzidos a uma verdadeira escravidão da qual só achavam salvamento atirando-se ao mar, ou fazendo desordens a bordo para apoderar-se do navio, ou incendiando as embarcações no mar alto”.

“O que é possível na atualidade é a imigração chinesa, como a dos russos e dos alemães; só é possível fazê-los vir com plena liberdade, sem compressão de ordem alguma. Os membros do congresso agrícola não viram que este é o ponto principal da questão, como exporei dentro de pouco tempo; o que eles queriam, o que pediam para que a nossa raça não ficasse  deteriorada e a nossa sociedade contaminada pelos vícios dos novos colonos, é que se fosse muito severo, muito escrupuloso, em reexportá-los”.

“A este respeito dizia um amigo meu, o Sr. Pais Leme:

"É necessário reexportá-los e ser severo no pensamento dessa reexportação".

“A Câmara vê do que se tratava. Tratava-se do chim que viesse por um certo número de anos. Ele não poderia permanecer no País, mas a nossa Constituição, as nossas leis, não permitiriam semelhante arbítrio, que se fizesse embarcar um homem livre para um destino que ele não quisesse ter”.

São trechos da intervenção de Joaquim Nabuco na sessão da Câmara Federal de 1º de setembro de 1879, que revelam que a imigração massiva chinesa é uma questão antiga. E sem solução para o mundo e para um país com 1,4 bilhão de habitantes que, agora rico, quer ser o maior império global. É isso.

*Integrante da Cooperativa de Jornalistas de Pernambuco


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Lula é um fenômeno: Depois que salvar o povo, agente discute como salvar a economia.

marcos

Se gostasse de Ladrão era Lulista.

Fernandes

Um Bolsonarista, tergiversando.



02/04


2020

Bolsonaro posta vídeo de mulher pedindo militares na rua

O antagonista

Jair Bolsonaro acaba de postar em seu Twitter o vídeo de uma mulher que pede para o presidente colocar os militares na rua e abrir o comércio, em meio à pandemia do novo coronavírus.

O vídeo, que o presidente chama de “comovente depoimento” e pede para ser compartilhado, foi gravado em frente ao Palácio da Alvorada na manhã de hoje.

A mulher diz que é professora e, ao lado dos filhos, com a voz embargada, afirma que quer “voltar à vida normal”.

“Estou aqui pedindo para o senhor: põe esses militares na rua. Põe, que esse governador [do Distrito Federal] já decretou mais um mês sem aula, sem nada. Não tem condições de a gente viver desse jeito. Venho aqui pedir por milhões e milhares de pessoas, que estão na necessidade. Eu não quero dinheiro do governo, eu quero trabalho, quero voltar à minha vida normal. Sou uma mãe de família”, disse.

A mulher continuou, criticando a imprensa. “A imprensa não ajuda a gente. A imprensa faz é acabar com a nossa vida, eles não passam necessidade, eles estão aí para acabar com a vida do povo. Abre esse comércio. Eu sou professora e não posso dar aula. E aí vai faltar tudo na minha vida? Vou depender de 600 reais do governo? Eu não quero dinheiro do governo, eu quero a minha vida normal. E esses governadores querem o quê? Eles têm o dinheiro deles. A gente tem o senhor, é isso que a gente tem. Por que querem derrubar o senhor? Porque sabem que o senhor quer o bem da gente. A gente está junto. Não fala nada para essa imprensa, presidente”, afirmou,

Bolsonaro ouviu tudo e, no fim, sendo aplaudido pelos apoiadores, disse: “Pode ter certeza de que a senhora fala por milhares de pessoas”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/04


2020

Nelly Sampaio, fiel da balança em Tabira

Localizada no Alto Sertão do Pajeú, tradição de eleições acirradas, Tabira, a 400 km do Recife, ainda tem um quadro nebuloso na sucessão municipal. A única luz que clareia feito vagalume é a da presidente da Câmara de Vereadores, Nelly Sampaio. Pré-candidata pelo PSC à prefeita, para onde pender pode decidir o pleito, porque hoje é a liderança apontada como fiel da balança do jogo nas urnas.

Parlamentar mais votada nas duas últimas eleições, herdeira política do ex-prefeito Mano Sampaio, liderança expressiva no município, Nelly é cortejada pelos dois lados que se digladiam pelo poder: o prefeito Sebastião Dias (PDT) e o ex-prefeito Dinca Brandino (PSB).Nas pesquisas internas que chegam ao conhecimento do governador, a presidente da Câmara é uma Ferrari: está sempre na frente dos adversários.

Se o prefeito não apoiar sua candidatura, Nelly tanto pode  disputar pela oposição com o apoio de Dinca quanto apostar numa terceira via. Se for escolhida por Dinca ou se atrelar ao seu palanque não faz voo de andorinha solitária.

Leva nas suas asas também os vereadores Marcos Crente, Edmundo e Didi. Nelly já tratou também  sua candidatura com outros partidos, entre eles PT e  PSB. Em tempos de coronavirus, está com um olho na crise da saúde e da economia e outro na eleição. "Para onde Nelly decidir seu rumo político, resolve a eleição em Tabira", diz um estudioso do quadro eleitoral e político do município.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/04


2020

O Brasil é uma grande mentira

Por Ângelo Castelo Branco 

Até agora, a classe política apenas consegue trocar insultos. O presidente crítica governadores, os governadores criticam o presidente, a oposição critica todo mundo, e a população fica a mercê das Fake News que proliferam nas redes sociais.

As mulheres e os homens que se prontificaram a defender os interesses do povo brasileiro não parecem capazes de produzir um plano estratégico inteligente e eficaz para conduzir a nação em segurança e tranquilidade na travessia dessa crise.

A burrice e a irresponsabilidade aliadas a incompetência e a estreiteza das ideologias e dos interesses pessoais, condenam o povo brasileiro a ficar a mercê de receitas de bosta de boi com sumo de limão e leite de cabra. Isso é o retrato do nosso país onde os votos são comprados a preço de dentaduras financiadas pela corrupção.  

O Brasil é uma grande mentira.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Falou o idiota útil defensor de Corruptos e Ladrões.

Fernandes

Os direitistas, estão com esse migué, o presidente deles é um fracasso, e ai ficam tergiversando. KKKK

Fernandes

É, o Bozoverno é uma piada.

Wildes Jackson Lopes

De fato, pouco evoluímos, e não nos comportamos bem enquanto nação nem quando a necessidade nos obriga a tomar atitude á altura da gravidade. O que vemos nos últimos dias são os robôs de todas as cores aumentar a produção de notícias requentadas, fakes, ou em desacordo com a crise. De fatos, as ideologias no Brasil são brinquedos de estimação a serviço de pessoas e não de causa. A Administração pública deve se mover pelos princípios constitucionais que a norteiam, onde a eficiência reina mais alto. Mas aqui, a visão patrimonialista distorce os fins da administração. Vejam um exemplo, não temos como dar agilidade ás nossas aquisições de remédios, equipamentos e EPIs para combater o novo coronavirus, mas proporcionamos o deslocamento de nossas autoridades mundo afora em aviões da FAB. Somos também uma piada.



02/04


2020

Covid-19: Indígena de 20 anos morre no Amazonas

Uma indígena de 20 anos morreu de coronavírus, no Amazonas, na última terça-feira. Ela estava entre os quatro contaminados em Santo Antônio do Içá, que faz fronteira com a Colômbia. É o primeiro caso da doença em tribos de índios no Brasil.

De etnia Kokama, ela fazia parte da aldeia São José. A jovem era agente de saúde indígena no estado e cuidou de um homem contaminado pelo coronavírus. Há uma semana, ela estava em isolamento social para evitar a transmissão local.

Com o teste positivo, familiares e amigos próximos realizaram o exame e ainda aguardam o resultado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/04


2020

O Poder traz edição especial sobre o coronavírus

No Poder Municipal de hoje, a ser distribuído aos assinantes pelo WhatsApp às 13 horas, uma edição especial sobre o avanço da Covid-19 no Estado, com destaque para os prefeitos que estão enfrentando o mal com medidas ousadas e corajosas, como Professor Lupércio (SD), de Olinda,  Anderson Ferreira (PL), de Jaboatão, e Lula Cabral (PSB), do Cabo. 

Também na dianteira os prefeitos de Panelas, Joelma Duarte (PSB); São Caetano, Jadiel Braga (PSDB); Ferreiros, Bruno Japhet (MDB); e Paudalho, Marcelo Gouveia (PSD). Se você ainda não é assinante do Poder entre no seu site e se cadastre agora  - www.jornalopoder.com.br


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/04


2020

Coluna da quinta-feira

Dois pesos, duas medidas

O Governo, infelizmente, só é ágil para atender banqueiros falidos. Há dias esperando a mão estendida da União, os trabalhadores informais tomaram conhecimento, ontem, que, apesar da Câmara e do Senado terem aprovado a ajuda de R$ 600 aos que se arruinaram na crise do coronavírus, o ministro da Economia, Paulo Guedes, mandou dizer ao Congresso que não pode liberar o montante destinado a cobrir a promessa dos R$ 600 de socorro emergencial aos trabalhadores porque a medida implica numa PEC.

PEC é Proposta de Emenda Constitucional, dá mais trabalho para ser votada na Câmara e no Senado, porque o quórum é diferenciado. Ela é discutida e votada em dois turnos, em cada Casa do Congresso, e será aprovada se obtiver, na Câmara e no Senado, três quintos dos votos dos deputados (308) e dos senadores (49). Com o Congresso esvaziado, funcionando via videoconferência, esse prazo tende a se alargar ainda mais. O povo, esfomeado pela perda do trabalho decorrente da crise da Covid-19, não pode esperar tanto tempo.

No apagar das luzes de 2019, o governo Jair Bolsonaro encaminhou projeto ao Congresso Nacional que prevê o uso de recursos públicos no socorro a bancos, o que é proibido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), desde 2000. O projeto segue os moldes do Proer, programa criado pelo governo de Fernando Henrique Cardoso para injetar bilhões no sistema para salvar bancos. O uso de dinheiro do Tesouro Nacional, ou seja, dos contribuintes, para socorrer bancos é proibido desde 2000, com a promulgação da Lei de Responsabilidade Fiscal.

O governo, entretanto, manobrou esta medida ao estabelecer no projeto que o dinheiro público só seria usado depois de esgotadas as demais fontes para o reequilíbrio das instituições financeiras. Dois pesos, duas medidas, portanto. Agiu como cordeirinho diante das pressões do financeiro, que banca campanhas eleitorais, e como vilão frente ao trabalhador pobre, que mitiga uma ajuda emergencial de R$ 600 para tentar driblar o corredor da morte na crise do coronavírus.

Versão do ministro – Ainda em relação ao assunto, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que falta concluir o trâmite “jurídico e político” para viabilizar o pagamento dos R$ 600 aos trabalhadores informais. “Tem um problema técnico de liberação de fontes, e aí está se discutindo a velocidade com que se pode aprovar uma PEC para dar origem a fontes para essas despesas. De qualquer forma, do nosso ponto de vista técnico está tudo pronto, tudo o já provado na economia, e agora é um trâmite jurídico e político”, afirmou. E acrescentou: “Qual o nosso problema hoje? É a LRF, pedalada fiscal, impeachment. Tem que ter cláusula qualquer que, em caso de calamidade, suspende e nos permite agir rapidamente”.

Cobrança urgente – Na avaliação do líder do PSB, Alessandro Molon (RJ), a lentidão na liberação da ajuda dos R$ 600 aos trabalhadores informais é “injustificada”. “Não há a menor dúvida de que há uma demora injustificável do governo para tomar uma série de medidas, entre elas medidas de apoio aos profissionais liberais e a empresas também”, disse. “Toda a sociedade está sofrendo com essa pandemia”, disse Molon. “É nessa hora que o Estado, o poder público tem que entrar para evitar que a pandemia redunde em uma depressão econômica. Por essa razão é, fundamental que o governo tenha agilidade para estender a mão”, afirmou.

Geraldo derrotado – Depois de este blog assumir a campanha contra a antecipação do pagamento do IPTU de 2021, proposta pelo prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), o Tribunal de Contas do Estado acatou representação do Ministério Público de Contas de Pernambuco (MPCO) e expediu medida cautelar suspendendo a execução da Lei Municipal 18.693/2020, que permitia aos contribuintes antecipar voluntariamente o imposto com um desconto de 15%. A procuradora geral do MPCO, Germana Laureano, alegou que a lei tinha vícios de inconstitucionalidade e ilegalidade, que o percentual de desconto era desproporcional e que a antecipação comprometeria financeiramente a nova gestão a se iniciar em 2021.

Canalha e cretino – A decisão do Tribunal de Contas se deu três dias após o jornalista José Nêumanne Pinto, do Estadão, em São Paulo, na sua live no Youtube, carimbar o prefeito do Recife de canalha e cretino pela decisão de tentar se apoderar de um dinheiro destinado ao próximo gestor. “Geraldo, uma flor de estupidez, filiado ao PSB, pratica o socialismo da estupidez”, disse o jornalista paulista, depois de informar que tomou conhecimento do assunto nesta coluna, da qual é leitor assíduo.

CURTAS

ESTADO DITATORIAL – Apesar de ter cancelado a carreata programada para segunda-feira passado no dia anterior, por determinação do MP, o líder do Movimento Liberta Pernambuco, Wilker Cavalcanti, está sendo intimado, de forma arbitrária, a prestar depoimento sobre o evento à Polícia. “Recebi o mandado de intimação na terça, para comparecer hoje, às 10 horas, na sede do GOE – Grupo de Operações Especiais. Estão investigando minha vida de forma truculenta e arbitrária, mas nada vão encontrar que possa me prejudicar juridicamente”, disse Wilker.

EMPREGOS VOANDO – A crise decorrente do Covid-19, o vírus da morte, está gerando uma sucessão de demissões na atividade econômica do Estado e tende a ter efeitos imprevisíveis se medidas urgentes do Governo não forem tomadas. Presidente da Fecomércio em Pernambuco, Bernardo Peixoto tem encontro agendado, amanhã, com o governador Paulo Câmara, para cobrar uma resposta ao conjunto de reivindicações para salvar os pequenos negócios essenciais para a economia, entre elas a suspensão de algumas obrigações, a prorrogação de pagamento de taxas e prazo de recolhimento de impostos, como o ICMS, ISS, COFINS, IPI, IRPJ e o Simples Nacional.

MP PEGA NO PÉ – Com o avanço da Covid-19 no Estado, o Ministério Público recomendou que as prefeituras estruturem, com urgência, a rede pública de saúde. A estimava é que 20% dos pacientes graves precisem de internamento, 5% deles em leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). A Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes, por exemplo, informou que as redes de atenção básica, urgência e emergência estão prontas para identificar e receber os pacientes e que vai aumentar o número de leitos.

Perguntar não ofende: Por que o Governo de Pernambuco, ciente da gravidade da crise decorrente do coronavírus, cometeu a irresponsabilidade de mandar estudantes fazerem intercambio no Canadá?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Moro e Guedes se unem a Mandetta e isolam Bolsonaro, diz jornal. Segundo a Folha de S.Paulo, os ministros Sergio Moro (Justiça) e Paulo Guedes (Fazenda) se uniram nos bastidores para fortalecer o colega Luiz Henrique Mandetta (Saúde) nas ações deste na questão do distanciamento social - tendo como objetivo o combate ao novo coronavírus no Brasil.

Fernandes

Lula é um fenômeno: Depois que salvar o povo, agente discute como salvar a economia.

Fernandes

ATENÇÃO: Estão cadastrando veterinários para atender os bozonaristas.

marcos

É a gente idiota útil analfa.

marcos

Cansei de tanta Fake e analfabetismo, Brasil acima de tudo e Deus acima de todos.