Cabo Agosto 2021

01/08


2021

Miguel vai receber Queiroga em Petrolina amanhã

O prefeito Miguel Coelho e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, entregam, amanhã (2), dois equipamentos para reforçar o atendimento da população de Petrolina. Às 11h, será inaugurada a Policlínica Municipal, após uma ampla reforma.

Também está programada a entrega do posto de saúde do bairro Vale do Grande Rio. Na passagem pelo Sertão, o ministro da Saúde assinará ainda um termo de compromisso para ampliação de serviços e equipes de atenção primária em Petrolina.

Esta será a primeira visita de Marcelo Queiroga à capital do Sertão do São Francisco. Além do prefeito, estarão na comitiva da agenda o senador Fernando Bezerra e os deputados Fernando Filho e Antonio Coelho. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina Julho 2

01/08


2021

Mamãe, os sermões vermelhos e a saudade

Corri meus 8 km diários, hoje, entre a praça Arruda Câmara e a pracinha dos Correios, em Afogados da Ingazeira, minha terra natal, a 386 km do Recife. Na primeira, está erguida a catedral, uma das mais belas arquiteturas do Sertão.

Enquanto corria, ouvia cantos gregorianos nos louvores da missa matinal das 7 horas. Lembrei-me de mamãe Margarida Martins, católica fervorosa, que não perdia uma missa, comigo no colo dela naquela ingenuidade e pureza dos anos dourados da minha infância. O celebrante era vermelho, por fora e por dentro, um comunista como o acusavam: Dom Francisco Austregésilo de Mesquita, egresso da sua cearense Sobral. 

O de hoje, Dom Pepeu, que não conheço, tem outra linhagem. Dizem que é dogmático na palavra da fé diante das suas ovelhas. Nunca se inflamou no campo ideológico, prática corriqueira de Dom Francisco, o Dom Hélder Câmara do Sertão, que combateu o bom combate, não tinha medo de cara feia de político nem de poderosos com chibata.

Mamãe não aprovava a liturgia vermelha de Dom Francisco. Dizia que ele transtormava seus sermões da montanha em sermões contra o Governo. Mamãe preferia ouvir a palavra de Deus. Ajoelhava-se no chão duro da Catedral. Era uma mulher de uma fé inabalável. Sabia de cor todos os hinos da celebração católica. 

No mês Mariano, Maio, não perdia um só dia a missa das 19 horas. Agarrado à sua saia, eu dormia no seu colo como um anjo. 

Tempo bom. Quanta saudade!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru Novas Creches

01/08


2021

O lobo e o cordeiro: versão previdenciária

Por José Aristophanes Pereira

A dinâmica do fenômeno demográfico carrega diversas e complexas componentes (social, econômica, previdenciária, sanitária e outras), sendo imperativo, para sua compreensão, cuidar dos seus variados movimentos e tendências. Dentre tais componentes, destaco uma das mais significativas, que é a “questão previdenciária”, em particular, no nosso país. 

Exemplo recente foram as discussões, marchas e contra marchas que, ao final, levaram à reforma de novos marcos legais, para reestruturação da chamada “previdência oficial”, a gerida pelo Governo, via INSS.

Em paralelo à previdência oficial, viceja, menos discutido, porém  com expressiva movimentação, um fértil mercado, em que gravitam instituições chamadas, genericamente, de “previdência complementar”. Elas podem ser públicas, ou privadas, e podem ser abertas e fechadas. São frequentes, no noticiário, menções a “fundos de pensão” como a PREVI, patrocinada pelo Banco do Brasil, a VALIA, pela Vale, a PETRUS, da Petrobras e muitas outras. 

Meu propósito, aqui, se restringe mais em chamar a atenção para os riscos, deformações e vulnerabilidades financeiras e patrimoniais a que estão sujeitas essas entidades. Muitas das quais cuidam de complementar a aposentadoria de dezenas de milhares de pessoas vulneráveis, e manejam fortunas de muitos bilhões de reais.

O assunto merece, ainda, maior atenção, notadamente do Poder Público, pela ação de seus órgãos de regulação e controle, porquanto um dos pilares de sustentação dessas entidades – públicas ou privadas – perante o Mercado de Capitais, que elas tanto estimulam, é o binômio  “confiança e segurança jurídica”. Outro pilar de sustentação igualmente significativo é a “agenda de zelo pelas práticas Ambiental, Social e, notadamente, de Governança”. A Agenda ESG, na sigla em inglês.

Cultivo particular atenção a esse segmento da questão previdenciária, porquanto dependo, para minha subsistência de aposentado, dos benefícios(complementares ao INSS) proporcionado por minha entidade de previdência fechada, a centenária PREVI(Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil), cujo patrocinador é o guloso Banco do Brasil S.A. Também, por ter lançado as sementes que frutificaram, dou atenção, mesmo à distância, á Bandepe Previdência Social-BANDEPREV, entidade que complementa a aposentadoria de quase 2.000 funcionários do antigo BANDEPE-Banco do Estado de Pernambuco S.A., que presidi, no quadriênio 1967-1971. 

Sei, assim, por experiências de mais de meio século, o quanto é valiosa e imprescindível a permanente atenção ao convívio bilateral entre os “donos”(participantes e assistidos) dessas entidades e a “estrutura” de gestão e governança de seus negócios, quase sempre manipulada discricionariamente pela supremacia do patrocinador. 

Felizmente, já temos um bom arcabouço de leis disciplinadoras, agentes oficiais de coordenação e controle e a atenta observação do Mercado. Mesmo assim, perdura um clima de “paz armada” entre as duas partes, que se assemelha ao clássico conflito da fábula de La Fontaine, onde o lobo arreganha os dentes de patrocinador e o cordeiro queda vulnerável, pela dispersão e desarticulação dos participantes e assistidos.

Deploro a realidade desse quadro, por querelas que frequentam os tribunais de justiça. Em processo movido por um vigoroso grupo de aposentados do antigo BANDEPE, supostamente violentados, em seus direitos, pelo BANCO SANTANDER(Brasil) S.A, atual patrocinador da BANDEPREV, pertinentes reclamos buscam proteção de valioso patrimônio e justas ações de governança.

Esse histórico conflituoso que já foi catalogado como “maldades e desmandos dos patrocinadores”, remonta ao começo do século XXI. As diversas e seguidas investidas do “lobo contra o cordeiro” afrontam, também, a estabilidade dos pilares da segurança jurídica e da sanidade da boa governança, prejudicando, ostensivamente, a imagem do patrocinador – BANCO SANTANDER(Brasil) S.A. – em seu ambiente de negócios.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

01/08


2021

Retorno de Ticiana à televisão

Da coluna de João Alberto

Ticiana Villas Boas, casada com Joesley Batista, que durante muitos anos apresentou o Jornal da Band, com Ricardo Boechat, está de volta à televisão, depois de quatro anos. No dia 21 de agosto, estreia na Band/Tribuna, no comando do “Duelo de Mães”.

É formato criado por ela, onde na primeira fase, mães de famosos cozinham para os filhos, na segunda, os filhos cozinham para as mães. Na final, os dois fazem pratos baseados em receitas do chef Dalton Rangel.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


01/08


2021

Que possamos espantar os agouros

As cortinas de agosto, mês do meu aniversário, se abrem hoje, para mim, na mansidão do alvorecer silencioso e poético do Sertão. Estou às margens do lendário Rio Pajeú, onde desabrochei ao mundo também no raiar do 23 de agosto, mesmo dia, pela graça da boa coincidência, de minha irmã Maria José, a Zeza, pela ordem de nascença a segunda da prole de nove filhos do casal Gastão Cerquinha e Margarida Martins.

Nesta escalada, sou o sexto. Virginiano, extremamente perfeccionista e metódico, daquelas pessoas que costumam frequentar os mesmos ambientes, herdei da minha avó Mariinha e de mamãe a natureza de andarilho. Só esta semana, estive em três cidades de três regiões diferentes: Brasília, no Planalto Central, Caruaru, no Agreste, e Afogados da Ingazeira, no meu Pajeú das Flores, onde a alma de sua gente canta e encanta, como dizia o poeta Rogaciano Leite.

Senhores críticos basta/Deixai-me passar sem pejo/
Que um trovador sertanejo/Vem seu pinho dedilhar/
Eu sou da terra onde as almas/São todas de cantadores/Sou do Pajeú das Flores/Tenho razão pra cantar.

Não sou um Manuel Bandeira/Drummond ou Jorge de Lima/Não espereis obra-prima/Desse matuto plebeu/
Eles cantam suas praias/Palácios de porcelana/
Eu canto a roça, a choupana/Eu canto o sertão que é meu.

Meus pais, que viveram um amor de mais de 60 anos, costumavam namorar muito em dezembro, mês natalino, do badalar dos sinos e das confraternizações. Por isso, em agosto, nove meses após o coito, nasceram também Marcelo e Denise, ou seja, quatro dos nove herdeiros. 

Agosto, do latim augustus, é o oitavo mês do calendário gregoriano. É assim chamado por decreto em honra do imperador César Augusto. Antes dessa mudança, agosto era denominado Sextilis ou Sextil, visto que era o sexto mês no calendário de Rômulo. Diz a história que o mês possui 31 dias porque César Augusto queria o mesmo número de dias do seu antecessor. No entanto, agosto (Sextilis) tem 31 dias desde a reforma feita por Júlio César. 

Caiu no gosto popular a versão de que agosto é o mês do desgosto. Originalmente, a expressão era “casar em agosto traz desgosto”, pois as caravelas costumavam partir para o Novo Mundo nessa época. Se para muitos o dito popular é apenas rima, alguns torcem o nariz quando o oitavo mês do ano chega. Pelo sim pelo não, os supersticiosos não dispensam amuletos e rituais para espantar o azar do mês do mau agouro. 

Foi também entre os romanos que a fama de mês agourento começou a se espalhar: eles tinham aversão a agosto, período em que a constelação de Leão no hemisfério norte ficava mais visível. Como não sabiam do que se tratava, achavam que era um dragão que passava pelo céu, cuspindo fogo e espalhando maldição. 

Na política, há fatos históricos marcantes em agosto. Foi num 24 de agosto que Getúlio Vargas, com um tiro no peito, deu cabo à sua vida. Forças estranhas fizeram com que o presidente Jânio Quadros renunciasse à Presidência da República no dia 25 de agosto de 1961. Já em 22 de agosto de 1976, Juscelino Kubitschek perdeu a vida num desastre automobilístico em circunstâncias misteriosas.

Agosto, por fim, é também é o mês dos bons ventos. Que sejam ventos que tragam felicidade, que perpetuem a alegria e floresça o amor nas pessoas. Que os bons ventos nos tragam um mês cheio de bênçãos. Que saibamos vencer com sabedoria os desafios dos agouros e das superstições.

Que a força dos bons ventos nos conduzam sempre ao melhor da vida. Que a mágoa cesse, que o trabalho flua, que os dias sejam com mais sorrisos e que as noites sejam tranquilas. Que o mal se converta em bem, que as aventuras sejam cada vez mais completas e que nunca nos faltem as forças para viver tudo o que a vida nos oferece. 

Viva agosto!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Wellington Antunes

Equívoco. O post diz que Getúlio deu um tiro na cabeça, quando na verdade foi um tiro encostado no peito.


Pousada da Paixão

01/08


2021

De bigu com a modernidade

Onix RS: além do apelo ‘esportivo’, é seguro

Carro esportivo, turbinado, com torque elevado e capaz de desenvolver velocidade de 0 a 100km em menos de 10 segundos é o sonho de muitos jovens na faixa etária abaixo dos 30 anos. Nem todos, porém, conseguem pagar mais de R $100 mil num hatch com o mínimo grau de segurança e conforto proporcional ao que desejam.

Daí sai a motivação da existência dos carros ‘com visual esportivo’, bonitos – às vezes, até com inúteis aerofólios traseiros. Mas há algumas opções no mercado na faixa de R$ 20 mil ou R$ 30 mil abaixo desse patamar financeiro - e até com bons equipamentos.
Este colunista testou o Chevrolet Onix RS, um hatch interessante para universitários e jovens profissionais em início de carreira, solteiros, que não precisem fazer feira. 

A constatação é óbvia: vale a compra, pois o modelo tem o que muito carro mais caro não tem – como os seis airbags, controles de estabilidade e tração e sistema de freios com ABS, distribuição de frenagem (EBD) e assistência de frenagem de urgência (PBA)

Embora não possua – e isso é um problema na confecção do custo-benefício final – câmera de ré e nem chave presencial, daquelas que abrem e ligam o carro somente com a aproximação.  Não tem nem mesmo sensor que liga os faróis ao anoitecer. E nem internet a bordo e sistema OnStar – mimos que só vêm na versão Premier.

A versão única com a cor branca custa em torno dos R$ 82 mil. 

Visualmente, alguns itens interessantes – como os spoilers duplo, rodas em preto, aerofólio e, principalmente, as saias nas laterais, que o hatch parecer bem mais baixo do que é efetivamente. Outro ângulo que o faz mais bonito: o do alto, pois o teto em preto também faz o parecer maior e mais elegante, digamos assim.

A sigla RS é uma espécie de ? marca ? Chevrolet: tem origem na expressão Rally Sport e até o comprador sabe que é um produto estético, não ao desempenho, muito menos a um rally esportivo. Aliás, o primeiro carro que ganhou essa definição foi o Chevrolet Camaro de primeira geração, de 1967.

Sob o capô, o Onix RS tem um motor 1.0 turbo de 116cv, adotado em outras versões. O torque é de 16,8kgfm – e que traz bons números em relação a peso-torque (veja ficha técnica).

O câmbio do Onix RS é automático de seis marchas. O L no fim das marcações da alavanca deve ser acionado para trocas manuais usando-se a tecla na ponta.

A suspensão, também aproveitada, é boa – e o conjunto de rodas e pneus ajuda. Este colunista o usou mais nas vias urbanas, e apenas por 60km nas estradas – e para entender melhor o comportamento nas ultrapassagens e retomadas. Tudo dentro do esperado.

Como a esportividade é só apelo, o Onix RS mostra uma vantagem: o menor consumo de combustível. Nos sete dias em que permaneceu com o carro, este motorista consumiu, em média, 13k/li – com pico de até 14,5 km/l nas estradas. Nas vias urbanas, ficou na faixa dos 10km/l. Vale lembrar: sempre com gasolina, pois o etanol – preço/consumo – raramente compensa.

Internamente, no Onix RS, destaque para o ajuste de coluna do banco do motorista, para o material usado no acabamento e para o ar-condicionado (mesmo que acionado manualmente, e até pelo reduzido espaço interno, ele age rápido, de forma eficaz).
O conjunto de grafismos vermelhos é interessante. A cor está presente nas costuras pespontadas da forração do volante esportivo de base reta e que são iguais às que decoram os bancos inteiriços – e foram inspirados em carros de competição. Já as saídas de ar trazem molduras com um toque vermelho acetinado que combina com o quadro de instrumentos projetado especialmente para a versão. Os ponteiros são iluminados em LED.

Ficha técnica
Motor

Flex, de 3 cilindros e 12V, cm 999 cm³, capaz de gerar 116 cv e até 16,8kgfm
Câmbio
Automático de 6 marchas
Direção
Elétrica
Pneus
Aro e rodas: 195/55 R16
Peso
1.117 kg,
Peso/potência
9,63 kg/cv
Peso/torque
66,49/68,52 kg/kgfm

Versão RS
Principais equipamentos

Alarme anti-furto
Assistente de partida em aclive
Aviso sonoro e visual do cinto de segurança para todos os passageiro
Banco traseiro bipartido e rebatível

Cinto de segurança do motorista com ajuste de altura
Coluna de direção com regulagem em altura e profundidade
Computador de bordo
Conjunto de alto falantes – 6 unidades (2 tweeters, 2 dianteiros e 2 traseiros)
Controlador de limite de velocidade
Controle eletrônico de estabilidade e tração
Controles do rádio e telefone no volante
Direção elétrica progressiva
Novo Chevrolet MyLink, com tela LCD sensível ao toque de 8″, integração com smartphones através do Android Auto e Apple CarPlay, rádio AM-FM, função audio streaming, bluetooth para até 2 celulares simultaneamente e entrada USB
Sensor de estacionamento traseiro
Sistema de fixação de cadeiras para crianças (“Isofix e Top Tether”)
Sistema de freios com ABS, sistema de distribuição de frenagem (“EBD”) e assistência de frenagem de urgência (“PBA”)

Outros ‘esportivos’
Yaris S, da Toyota
O esportivado japonês segue o padrão: conjunto mecânico (motor 1.5 Dual VVT-i 16V aspirado de até 110cv e 14,9kgfm) de toda a linha e mudanças pontuais visuais (frisos vermelhos e rodas diamantadas, por exemplo).
HB20 Sport, da Hyundai
Traz rodas diamantadas, saias laterais e faróis escurecidos. Do ponto de vista mecânico, usa o motor 1.0 turbo de até 120 cv e 17,5 kgfm de torque das versões usuais – e com câmbio automático de seis marchas.
Argo HGT, da Fiat
De esportivo, também só o visual (foto acima). O motor? Um 1.8 E.torQ aspirado de até 139 cv e 19,3 kgfm de torque (com etanol) e câmbio automático de seis marchas. As rodas eram maiores e o comprador ganhava saias laterais, enquanto a suspensão e o sistema de freios eram compartilhados com as demais versões.
Sandero GTLine, da Renault
A versão “vestida” de esportivo tem um singelo motor 1.0 de 82 cv e 10,5 kgf.m. A transmissão, manual de cinco marchas, não tem ajustes especiais. De diferente, detalhes visuais – e rodas exclusivas.

Yamaha Fazer 250: o que muda? - A linha 2022 da Yamaha chega na segunda quinzena deste mês às lojas da marca com algumas modificações - principalmente no visual, com mais opções de cores e novo bloco de farol, com lâmpada de LED e a luz diurna (DRL) de série. Também em LED, esse dispositivo permite que o condutor circule durante o dia sem usar os faróis principais, mas garantindo visibilidade e segurança. Com isso, também houve uma pequena alteração no punho de comando esquerdo, onde foi adicionado um seletor para se escolher entre o uso do DRL ou dos faróis, além de um novo comando para o lampejador de farol. A moto tem 4 anos de garantia de fábrica e preço-base (sem frete) de R$ 18.890.

CNH digital: tenha logo a sua - Esse aplicativo agrega documentos digitais e, atualmente, reúne a CNH Digital e CRLV Digital (Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo).
Onde pode ser instalado e usado?
O aplicativo funciona somente em aparelhos de telefonia móvel e tablets, que devem possuir um dos seguintes sistemas operacionais:
iOS, versão igual ou superior a 10;
Android, versão igual ou superior a 4.0.3.
Quem pode usar?
Toda e qualquer pessoa brasileira ou estrangeira, que possua ou venha a possuir CNH ou CRLV.
É seguro?
Sim. Os documentos da Carteira Digital de Trânsito possuem um QR Code que garante sua autenticidade, e uma assinatura digital (P7S) que dá validade jurídica ao documento.
Como verificar se um documento dela é autêntico?
Para verificar isso, faça a leitura do QR Code utilizando o aplicativo Vio, disponível para Android e iOS.
A CNH digital está disponível em todos os estados e DF?
A CNH Digital, sim. O CRLV Digital está disponível em quase todos. Confira no endereço Portal de Serviços Denatran.
Quais as vantagens da CNH digital?
Maior praticidade: o usuário vai ter a CNH no celular que já usa no dia a dia, com a mesma fé pública do documento em papel.
Maior segurança: a Carteira Digital traz dados criptografados e assinados digitalmente que asseguram a autenticidade do documento, evitando fraudes e falsificações.
Mais utilidade: o aplicativo permite criar PDF exportável dos documentos (CNH e CRLV), que - com a assinatura gerada - tem o mesmo valor jurídico das versões impressas. Essa identificação poderá ser utilizada por outros serviços de governo eletrônico ou mesmo em situações privadas que exijam a identificação do portador.
Mais economia: o cidadão poderá economizar com impressões, autenticação e digitalização de cópias ao encaminhar o PDF para órgãos públicos e empresas que já possuam processo eletrônico.
Como cadastrar? 
Baixe o aplicativo Carteira Digital de Trânsito (iOS e Android) e se cadastre. Caso prefira, o cadastro poderá também ser feito no Portal de Serviços Denatran.
Após o cadastro, será enviado um link para o e-mail informado. Você deve acessar esse link para ativar sua conta.
Acesse o app e faça o login utilizando seu CPF e senha.
Importante: os documentos podem ser acessados em momentos em que não há conexão com a internet?
Sim. Será necessária conexão com a Internet somente na inclusão dos documentos. Depois, tanto a CNH Digital quanto o CRLV Digital estarão disponíveis off-line, sendo acessados, apenas, com a senha de quatro dígitos.
Fui parado e o agente/policial não aceitou o documento digital. E agora?
Ela tem que ser aceita por ser documento oficial, conforme Portaria do Denatran nº 184 de 17 de agosto de 2017 e Resolução do Contran nº 684 de 25 de julho de 2017. E a Resolução nº 720, de 07 de Dezembro de 2017 que institui o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo Eletrônico. Caso o agente se recuse a aceitar, é possível registrar ocorrência no Órgão de Trânsito em que o agente trabalha ou no próprio Denatran e/ou ouvidorias.
E se roubarem meu aparelho celular?
A CNH digital é protegida por uma chave de acesso e os dados estão criptografados. Ainda assim, é possível desconectar o dispositivo no Portal de Serviços do Denatran, forçando assim a remoção dos documentos digitais do dispositivo roubado.
Como se desconecta o dispositivo no portal?
Acesse o portal de serviços do Denatran e faça o login;
Localize o menu Carteira Digital e escolha o item “Instalações”;
Na instalação mais recente o indicador de “Status” aparece como “Conectado”,
Clique sobre o botão “desconectar”.
E se eu quiser apenas o documento impresso?
A CNH Digital e o CRLV Digital são opcionais, para quem tiver interesse em ter os documentos no aparelho celular ou tablet.
Posso ter mais de uma CNH digital ativa por dispositivo? Ou em mais de um aparelho?
Não. Nas duas situações. Ao se autenticar no segundo aparelho, o dispositivo anterior será desconectado automaticamente.

O que é Vio?
Aplicativo para dispositivos móveis permite ler o QR Code (código bidimensional) constante na CNH em formato papel e do QRCode constante da CNH digital em seu dispositivo móvel, permitindo assim a verificação dos dados. Para ler o QRCode constante da CNH Digital é necessário um outro dispositivo móvel que tenha o aplicativo Vio instalado. Na digital, o Vio foi utilizado como mais um item de segurança, assim como já é feito na CNH em papel.
O que é arquivo .P7S?
São arquivos criptografados com assinatura digital, associados à PKCS #7 Signature, que é um tipo de criptografia usada para assinar documentos e certificados, em cartórios ou órgãos do governo, por exemplo.  Os arquivos com esta extensão contém também detalhes que incluem a origem -  podendo assim, garantir se o remetente é confiável e se o conteúdo está intacto, não foi alterado entre a origem e o destino.
Como inserir o CRLV digital?
A versão digital está disponível para todos os documentos emitidos nas UFs listadas no Portal de Serviços Denatran. Para incluir um CRLV, não é preciso utilizar certificado digital ou comparecer ao Detran. Basta instalar o aplicativo Carteira Digital de Trânsito em seu dispositivo e seguir as instruções.

Na onde dos motorhomes - A pandemia de Covid-19 trouxe problemas - mais um, na verdade - para os viajantes de plantão. No entanto, esse novo cenário fez com que os veículos recreativos, mais conhecidos como motorhomes, ganhassem espaço no coração dos brasileiros pela versatilidade e segurança. São casas sobre rodas confortáveis e equipadas, com cama, banheiro, chuveiro com água quente, geladeira, espaço para refeições e internet. Durante a pandemia tivemos um aumento de 80% nas vendas”, diz Julio Lemos, fundador da Estrella Mobil Motorhomes. A fabricante reconhece que o home-office definitivo adotado por muitas empresas ajudou. “As pessoas perceberam que é possível aliar o trabalho a viagens, mesmo durante a semana”. E não pense que essa onda é coisa de aposentados: a procura por casais mais jovens, por exemplo, cresceu 35%.

Mercedes elétricas - Até 2022, a Mercedes-Benz terá veículos elétricos a bateria (BEV) em todos os segmentos em que a empresa atua. E, a partir de 2025, todas as novas arquiteturas de veículos serão prioritariamente elétricas. No total, os investimentos em veículos elétricos a bateria entre 2022 e 2030 totalizarão mais de 40 bilhões de euros - ou cerca de R$ 240 bilhões. Para o Salão do Automóvel de Munique, previsto para os dias 7 a 12 de setembro deste ano, a marca promete fazer oito estreias 0 e o novo Mercedes EQE deve ser a estrela. 

Vem aí o novo Bolt - Já que estamos falando de carros elétricos, é importante saber também: a Chevrolet já começou o processo de divulgação do lançamento do novo Bolt 2022, o elétrico compacto mais vendido do país - e com mais de 100 mil unidades em todo o mundo. E ele desembarca nas concessionárias já a partir de setembro. "O novo Bolt EV simboliza a vitrine tecnológica global da Chevrolet. O modelo será lançado aqui quase que simultaneamente ao início das vendas lá nos Estados Unidos, que começaram oficialmente na virada deste semestre", destaca Marina Willisch, vice-presidente de Relações Governamentais e Comunicação da General Motors América do Sul. 

Tapa novo visual do Forester - A quinta geração do Subaru Forester passou por um leve reestilização visual, que se concentra praticamente na dianteira. O SUV japonês agora traz faróis redesenhados com um estilo mais vertical - e ganhou para-choque renovado. No Brasil, sem previsão de chegada, o Forester só tem uma versão, com o motor 2.0 boxer aspirado de 156cv e 20kgfm, com câmbio CVT. 

Michelin, 40 anos de Brasil - Em julho de 1981, era fabricado o primeiro pneu Michelin no país, nas unidades industriais então recém-inauguradas no Rio de Janeiro. A marca francesa possui hoje seis complexos no país, onde são desenvolvidos pneus, além de produtos e serviços em prol de uma mobilidade mais sustentável. Aliás, em relação ao meio ambiente, o objetivo é alcançar a neutralidade de carbono até 2050, além de aumentar em 40% o uso de matérias-primas sustentáveis em todos os seus produtos (100% até 2050).

*Renato Ferraz, ex-Correio Braziliense, tem especialidade em jornalismo automobilístico.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes Junho 2021

31/07


2021

Ajude o pequeno Pedro Joab

O pequeno Pedro Joab, de 10 anos, enfrenta graves problemas de saúde e que exigem da família gastos mensais de R$ 7 mil. O garoto de São José do Egito, no Sertão do Pajeú, foi diagnosticado com a Síndrome de Bartter, uma doença rara que afeta os rins e provoca a perda de potássio, sódio e cloro pela urina.

Essa síndrome também prejudica o crescimento de Pedro e, por isso, a família precisa aplicar injeções diárias de hormônios. Sua mãe, Raisa Menezes, leva o pequeno para tratamento no IMIP, no Recife, o que eleva as despesas.

Para garantir o custeio da medicação, Raisa recorreu ao Ministério Público do Estado pelo fato de o Governo se negar a fornecer o que é necessário, mas até o momento não teve esse direito assegurado, de acordo com ela. O assunto veio à tona por meio de uma reportagem da TV Pajeú ontem (clique no player e assista).

Como ajudar

Doações podem ser feitas pelo PIX051.406.754-39 (Raisa Menezes).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


31/07


2021

Crea Convida aborda nova Lei de Licitações

Aprovada em 1º de abril deste ano, a Nova Lei de Licitações é o tema do Crea Convida desta terça-feira (3). As mudanças prometem trazer maior flexibilidade para as contratações do setor público.

O encontro discutirá “A Nova Lei de Licitações e os Impactos para as Obras Públicas”. O assunto será apresentado pelos palestrantes Alberto de Barros Lima, engenheiro civil e especialista em licitações públicas; Anderson Rosal, engenheiro civil e eletricista, analista de Controle Externo do TCE-PE; e por Augusto Coutinho, engenheiro civil, deputado federal (Solidariedade-PE) e relator da Nova Lei de Licitações.

O presidente do Crea-PE, o engenheiro civil Adriano Lucena, participará do encontro como debatedor. O Crea Convida é um espaço criado pelo Conselho para abordar temas importantes, que tenham impacto na qualidade de vida, segurança e saúde dos cidadãos.

O encontro acontece sempre às terças-feiras, no formato on-line. O debate é transmitido ao vivo, pela TV Crea-PE, no YouTube, a partir das 19h. Os internautas podem acompanhar a live e interagir com os convidados fazendo perguntas sobre o tema abordado por meio do chat.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


31/07


2021

Cabo + Cidadania estreia em Juçaral

A Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho deu início a um cronograma de atividades itinerantes que farão parte do calendário do município. Nomeado Cabo+Cidadania, o projeto teve início no distrito de Juçaral hoje. 

Zona rural a 57,7 KM do centro do município, a escolha do prefeito Keko do Armazém (PL) para dar início ao projeto na localidade confirmou o olhar sensível da gestão à população mais vulnerável. Serviços como corte de cabelo, exames clínicos e consultas, mamografia, teste para HIV, vacinação contra Covid, emissão de RG, carteira de livre acesso, inclusão e atualização do Bolsa Família foram oferecidos à população durante o período das 8h às 13h deste sábado.

A principal praça da cidade foi revitalizada com pintura, poda de árvore e manutenção. Os animais também receberão atenção com a vacinação feita pela equipe veterinária. 

Por ordem de chegada, as famílias também puderam receber cestas básicas. Ao todo, 300 cestas foram entregues.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


31/07


2021

CPI da Covid deve pedir quebra de sigilo da Jovem Pan

Correio Braziliense

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 deve votar na próxima terça-feira (3/8), no primeiro dia de retorno das sessões após 15 dias de recesso, oito requerimentos de quebra de sigilo de donos de sites, de uma produtora de documentários e da rádio Jovem Pan, sob a alegação de que disseminaram informações falsas no âmbito da pandemia. Os requerimentos foram apresentados na última sexta-feira (30).

No caso da Jovem Pan, o pedido partiu do relator, Renan Calheiros (MDB-AL). Os outros foram assinados por ele e pelo senador Humberto Costa (PT-PE). Os requerimentos seguem o mesmo padrão, e apontam que todos são "grandes disseminadores das chamadas 'fake news'".

Além da rádio, os senadores pediram quebra de sigilo bancário de Allan dos Santos, do site Terça Livre, que também é alvo do inquérito das Fake News, que está no Supremo Tribunal Federal (STF).

Também foram atingidos pelos pedidos: Raul Nascimento dos Santos, do site Conexão Política; a empresa Eretz Galil Tecnologias Educacionais (Paulo de Oliveira Eneas), do site Crítica Nacional; a produtora Brasil Paralelo; a produtora Farol Produções Artísticas, do site Senso Incomum; Tarsis de Souza Gomes, do site Renova Mídia; e José Pinheiro Tolentino, do site Jornal da Cidade Online. Os senadores também querem pedir informações sobre o site República de Curitiba, para saber quem são seus responsáveis.

As aprovações dos requerimentos já são consenso entre os senadores de oposição e independentes ao governo que formam maioria na CPI, e são intitulados de G7 (ou G6, com a saída de um dos senadores). 

As quebras foram antecipadas pelo Correio na última quinta-feira, que apontou que a comissão pretendia quebrar o sigilo bancário de sites bolsonaristas por disseminação de fake news. A lista envolvia 10 sites, mas um foi retirado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

arnaldo luciano da luz alencar ferreira

Não votei em Bolsonaro, mais sinceramente qual a moral que um homem como RENAN CALHEIROS tem para ser relator de alguma coisa? Principalmente de uma CPI? Esse malandro era para está era preso, o povo de Alagoas não merece ser representado por um sujeito desse.