Lavareda

05/11


2020

Editorial destaca Patrícia campeã em rejeição

No Frente a Frente de hoje, programa que ancoro pela Rede Nordeste de Rádio, o meu editorial foi sobre a pesquisa Datafolha divulgada hoje e o recorde de rejeição da candidata do Podemos à Prefeitura do Recife, Delegada Patrícia. Vale a pena conferir!

O Frente a Frente tem como cabeça de rede a Rádio Hits 103,1 FM, em Jaboatão dos Guararapes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ALEPE

05/11


2020

Fagner é o entrevistado do “Provoca” desta terça-feira

O cantor e compositor Raimundo Fagner é o entrevistado do programa #Provoca da próxima terça-feira. A atração é apresentada pelo jornalista Marcelo Tas e exibida às 22h15, na TV Cultura. Além do seu trabalho na música, a pauta da atração também focará no envolvimento de Fagner com a política e com uma de suas maiores paixões, o futebol. Vale a pena conferir.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

05/11


2020

Datafolha: João 31%; Marília 21%; Mendonça 16% e Patrícia 14%

Do G1/PE

A Pesquisa Datafolha divulgada há pouco aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para a prefeitura do Recife nas Eleições 2020:

  • João Campos (PSB): 31%
  • Marília Arraes (PT): 21%
  • Mendonça Filho (DEM): 16%
  • Delegada Patrícia (Podemos): 14%
  • Coronel Feitosa (PSC): 2%
  • Carlos (PSL): 1%
  • Charbel (Novo): 1%
  • Nenhum/branco/nulo: 12%
  • Não sabe/não respondeu: 3%

Thiago Santos (UP), Marco Aurélio Meu Amigo (PRTB) e Claudia Ribeiro (PSTU) foram citados, mas não atingiram 1% das intenções de voto. Victor Assis (PCO) teve a candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral.

Em relação ao levantamento anterior do Datafolha, divulgado em 22 de outubro:

  • João Campos (PSB): se manteve com 31%
  • Marília Arraes (PT): saiu de 18% para 21%
  • Mendonça Filho (DEM): saiu de 15% para 16%
  • Delegada Patrícia (Podemos): saiu de 16% para 14%
  • Coronel Feitosa (PSC): se manteve com 2%
  • Carlos (PSL): se manteve com 1%
  • Charbel (Novo): se manteve com 1%
  • Claudia Ribeiro (PSTU): se manteve com menos de 1%
  • Marco Aurélio Meu Amigo (PRTB): se manteve com menos de 1%
  • Thiago Santos (UP): saiu de 1% para menos de 1%
  • Victor Assis (PCO): não foi citado na última pesquisa e, nesta, teve a candidatura indeferida
  • Em branco/nulo/nenhum: se manteve em 12%
  • Não sabe: saiu de 4% para 3%

Destaques por segmentos

De acordo com o Datafolha, a alta da candidata Marília Arraes foi alavancada, principalmente, pelo crescimento entre as mulheres (de 15% para 22%), nas faixas de idade mais avançadas (de 16% para 21% entre quem tem de 45 a 59 anos, e de 18% para 22% na parcela com 60 anos ou mais), na parcela com escolaridade média (de 15% para 20%) e entre eleitores mais pobres, com renda mensal familiar de até dois salários (de 14% para 20%). No eleitorado com renda familiar acima de cinco salários, por outro lado, houve queda (de 33% para 23%) na preferência pela petista.

A oscilação negativa da intenção de voto em Delegada Patrícia foi desigual entre os segmentos do eleitorado. Na parcela de 45 a 59 anos, por exemplo, ela recuou de 17% para 11%, e na faixa anterior, de 35 a 44 anos, passou de 17% para 19%. No eleitorado com escolaridade fundamental, houve recuo de 10% para 6%, e entre quem estudou até o ensino médio, de 19% para 13%. No segmento mais escolarizado, por outro lado, a preferência por sua candidatura passou de 16% para 23%. Entre os mais pobres, ela perdeu sete pontos (de 17% para 10%), e entre os mais ricos, com renda familiar superior a cinco salários, ganhou nove pontos (passou de 14% para 23%).

Rejeição

A pesquisa também perguntou em quem os eleitores não votariam de jeito nenhum. Os percentuais foram os seguintes:

  • Delegada Patrícia (Podemos): 35%
  • João Campos (PSB): 34%
  • Mendonça Filho (DEM): 32%
  • Coronel Feitosa (PSC): 30%
  • Marília Arraes (PT): 26%
  • Carlos (PSL): 17%
  • Thiago Santos (UP): 16%
  • Charbel (Novo): 16%
  • Marco Aurélio Meu Amigo (PRTB): 16%
  • Claudia Ribeiro (PSTU): 13%
  • Victor Assis (PCO): teve a candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral
  • Não votaria em nenhum: 4%
  • Poderia votar em todos: 1%
  • Não sabe/não respondeu: 4%

De acordo com o Datafolha, a rejeição a Delegada Patrícia mais que dobrou nos últimos 10 dias. No levantamento, realizado entre 20 e 21 de outubro, 15% rejeitavam a possibilidade de votar na delegada, o menor índice entre todos os candidatos. Na primeira semana de outubro, a rejeição a ela era ainda mais baixa (13%), ou seja, no período de um mês, a taxa dos que não votariam de jeito nenhum em Delegada Patrícia subiu 169%.

A alta na aversão a Delegada Patrícia ocorreu em todos os segmentos sociodemográficos relevantes do levantamento, com menor intensidade entre os mais jovens (de 19% para 25%) e com maior intensidade nas faixas de 35 a 44 anos (de 14% para 37%), de 45 a 59 anos (de 17% para 40%) e no estrato de renda familiar mais alta, acima de cinco salários (de 13% para 39%).

Em relação ao levantamento anterior do Datafolha, divulgado em 22 de outubro, a rejeição aos candidatos evoluiu da seguinte forma:

  • Delegada Patrícia: saiu de 15% para 35%
  • João Campos: se manteve com 34%
  • Mendonça Filho: saiu de 28% para 32%
  • Coronel Feitosa: saiu de 27% para 30%
  • Marília Arraes: saiu de 22% para 26%
  • Carlos: saiu de 20% para 17%
  • Thiago Santos: saiu de 17% para 16%
  • Charbel: saiu de 21% para 16%
  • Marco Aurélio Meu Amigo: saiu de 17% para 16%
  • Cláudia Ribeiro: saiu de 16% para 13%
  • Victor Assis: tinha 21% e, neste levantamento, teve a candidatura indeferida
  • Rejeita todos/não votaria em nenhum: se manteve em 4%
  • Votaria em qualquer um/não rejeita nenhum: saiu de 2% para 1%
  • Não sabe: saiu de 5% para 4%

Simulações de segundo turno

O Datafolha também questionou se, caso o segundo turno da eleição para prefeito fosse hoje, em qual candidato os eleitores votariam, apresentando três cenários. Os números são os seguintes:

  • João Campos 43% x 35% Marília Arraes. Em branco/nulo/nenhum: 20%; não sabe: 2%
  • João Campos 49% x 33% Mendonça Filho. Em branco/nulo/nenhum: 17%; não sabe: 2%
  • João Campos 50% x 31% Delegada Patrícia. Em branco/nulo/nenhum: 17%; não sabe: 1%

Sobre a pesquisa

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S.Paulo”.

Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos

Quem foi ouvido: 924 eleitores da cidade do Recife

Quando a pesquisa foi feita: nos dias 3 e 4 de novembro

Número de identificação no TRE-PE: PE-06862/2020

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

ABAIXO FALSO MORALISMO

Cadê os direitinhas hein???? Tão com a língua no cu, né ??? Marcos idiota do caralho, vai passar Fome agora


Abreu no Zap

05/11


2020

Marília Arraes: “Retomada” é auxílio sem burocracia

A candidata a prefeita do Recife pelo PT, Marília Arraes, detalhou em seu novo programa eleitoral de rádio e televisão como vai funcionar o Retomada, proposta de auxílio popular que será destinada aos pequenos comerciantes de todo o Recife.

“O programa Retomada vai ser assim: um auxílio popular sem burocracia, em que a prefeitura banca metade da dívida e a outra metade o trabalhador paga em 24 meses sem juros”, explica Marília sobre a linha de crédito sem juros que vai ajudar na retomada econômica de diversas atividades, como lanchonetes, salões de beleza, mercearias, dentre outras.

No programa, Marília também critica a falta de iniciativas do prefeito Geraldo Julio para ajudar os comerciantes atingidos pela pandemia e também fala como é descabida a proposta do candidato do PSB de emprestar dinheiro a juros. “Um momento difícil como esse e o que é que o prefeito Geraldo Julio faz? Abandona o povo do Recife. E o candidato dele João Campos ainda propõe emprestar dinheiro a juros”, afirma.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


05/11


2020

Sicredi Vale do São Francisco começa operar o Pix

Um novo meio de pagamento instantâneo que vai permitir maior facilidade para transferir, pagar e receber, a qualquer horário ou dia da semana, sem limite para quantidade de transações. Este é o Pix, uma ferramenta desenvolvida pelo Banco Central, que o Sicredi Vale do São Francisco vai disponibilizar aos associados a partir do próximo dia 16.

A partir desta data os associados poderão usar a solução completa, bastando vincular à conta Sicredi ao Pix, disponível 24 horas, todos os dias do ano, incluindo finais de semana e feriados. Para pessoa física, o serviço será de graça e, para pessoa jurídica, o custo é mais acessível em comparação aos outros serviços do gênero.

Segundo o diretor executivo da cooperativa de crédito, Albérico Pena, basta apenas fazer o cadastro usando o CPF/CNPJ, e-mail, celular ou chave aleatória pelo aplicativo Sicredi, clicando em Menu > Pix. "O Pix vai proporcionar mais liberdade, segurança, praticidade e rapidez nos pagamentos e recebimentos", garantiu, acrescentando ainda que a ferramenta vai permitir mais facilidade no fluxo de caixa, com recebimento de pagamentos na hora.

O diretor executivo adiantou ainda que desde o último dia 03 o Sicredi Vale do São Francisco vem realizando testes com a nova ferramenta junto ao Banco Central, concluindo o período de operação restrita no próximo dia 15.

"Acessem o nosso app, cadastrem o seu Pix e conheçam a grande praticidade da nova tecnologia", concluiu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

05/11


2020

Primeira-dama de Santa Maria se desculpa por receber auxílio

Por Houldine Nascimento, da equipe do blog

A primeira-dama de Santa Maria da Boa Vista, Gerlândia Delmondes, se pronunciou, há pouco, sobre matérias publicadas no blog com questões envolvendo seu nome em relação ao recebimento do auxílio emergencial do Governo Federal e também do Bolsa Família. Em nota, ela afirma que antes de conhecer e se relacionar com o prefeito Humberto Mendes (PSB), já era cadastrada no programa social.

Gerlândia diz ainda que, quando passou a conviver maritalmente com o prefeito, foi orientada por ele a solicitar o bloqueio de sua inscrição no Bolsa Família, em 2017. Quanto ao auxílio emergencial, ela se defende ao dizer que o cadastro foi efetuado automaticamente no sistema da Caixa por “se enquadrar no perfil de dona de casa desempregada”.

A primeira-dama ressalta que não houve o consentimento do marido e que, “quando ele tomou conhecimento sobre o auxílio emergencial, de imediato a fez agilizar os encaminhamentos burocráticos para o bloqueio”. Gerlândia ainda declara “ter se arrependido”. Ela assegura que os recursos serão devolvidos à União.

“Em primeiro lugar, tenho consciência que qualquer ser humano está propenso a erros que também podem ser corrigidos. Em época eleitoral é fácil julgar e acusar quem não tem nada a ver com tal situação, o que de certa forma parte, diretamente, de pessoas com outros interesses e que não estão isentas de erros no horizonte da política como é o caso dos adversários políticos do meu esposo e seus interesses", comenta.

Na sua visão, a sociedade boavistana entenderá que o prefeito não tem qualquer envolvimento com sua atitude, que descreve ter sido tomada de forma isolada. Ela também pediu desculpas.

“O que importa nisso é ter humildade e transparência ao assumir um erro que não cabe ao outro. Humberto é um cidadão e servidor público ético, honesto para com seu papel e não há nada que o incrimine em sua trajetória política. Portanto, o julgamento aqui cabe a mim, que tenho a coerência de pedir desculpas e devolver os recursos ao governo federal, o que outros nunca fizeram em seu papel na administração pública de Santa Maria da Boa Vista", concluiu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


05/11


2020

Veja a íntegra da audiência do caso Mariana Ferrer

O jornal O Estado de S. Paulo (Estadão) disponibilizou, no YouTube, a íntegra da audiência relacionada ao caso Mariana Ferrer. Em 2018, Mariana Ferrer, então com 21 anos, foi estuprada pelo empresário André Aranha. Esta semana foi divulgado um vídeo do julgamento no qual Aranha foi absolvido da acusação de estupro de vulnerável. As imagens foram obtidas pelo site The Intercept Brasil e causaram revolta ao mostrar o tratamento dado a Mariana durante a audiência. Confira no vídeo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


05/11


2020

Feitosa em guia: Esqueça a Delegada e chame o Coronel

Faltando 11 dias para as eleições, o Coronel Feitosa (PSC) surpreendeu em seu novo guia eleitoral ao criticar diretamente os seus adversários, Mendonça Filho (DEM) e Patrícia Domingos (Podemos).

Nos primeiros segundos, Coronel Feitosa apresenta um histórico das últimas eleições disputadas por Mendonça à cargos majoritários. Diz que Mendonça perdeu as eleições que disputou desde 2006 para estes cargos, como a do Governo do Estado para Eduardo Campos, em 2006; à Prefeitura do Recife para João da Costa, em 2008, e Geraldo Júlio, em 2012.

Nas eleições para senador, perdeu para Jarbas Vasconcelos e Humberto Costa, no ano de 2018. Isso só mostra que, ao contrário do que diz, Mendonça Filho, ele nunca venceu os socialistas do PT e do PSB, enquanto o Coronel afirma ser o único capaz a "eliminar" a esquerda da cidade.

A Delegada Patrícia também foi citada no guia eleitoral, com prints de suas postagens antigas no Facebook, onde chamou o Recife de "Recifílis", os recifenses de "gente feia" e faltou com respeito com as empregadas domésticas, além de relembrar que a candidata ficou em casa durante a pandemia.

O Coronel Feitosa se apropriou do mote da Delegada Patrícia ao anunciar em seu guia eleitoral que, se o eleitor quer soluções para a cidade, não deve chamar a delegada, e sim o Coronel, nascido e criado no Recife, que ama e defende a sua cidade e o seu povo. "Você não pode chamar a Delegada. Tem que chamar o Coronel!", diz a locução no vídeo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


05/11


2020

Candidata em São José do Egito chama prefeito de fujão

A Rádio Líder de Afogados da Ingazeira promoveu, ontem, um debate com os candidatos à Prefeitura de São José do Egito. Romerio Guimarães, candidato do PP, alegou problemas pessoais e não compareceu ao debate. Já o prefeito e candidato a reeleição, Evandro Valadares (PSB), sequer justificou sua ausência.

Indignada, a professora Roseane Borja (MDB) enquadrou Evandro. “Isso é falta de respeito com o povo de São José do Egito, um prefeito tem contas a prestar, não pode fugir ao debate”, disse.

Em seu guia Eleitoral, Evandro disse que, no próximo sábado, irá a rádio gazeta falar ao povo. A informação chegou ao debate e Roseane retrucou: “Eu também vou! Ou vamos todos ou não vai ninguém!”, concluiu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha