Jaboatão - Nova UBS PET

13/09


2021

Resgate da história de Afogados da Ingazeira

Conterrâneo de Afogados da Ingazeira, meu amigo Fernando Pires me enviou, ontem, mais um trabalho de sua dedicada e acurada pesquisa da história de nossa pátria mãe e dos seus filhos ilustres: Afogados da Ingazeira, páginas da sua história. Mais uma belíssima contribuição de fôlego e de elevada qualidade para o município, localizado no Sertão do Pajeú, a 386 km do Recife.

Bancário por formação, Fernando tem o maior acervo histórico da cidade e dos seus personagens. Por muito tempo, manteve uma página na Internet com um retrato diário de Afogados e de seus personagens. Além de apaixonado pela terra, conhece como ninguém a sua raiz, o DNA do seu povo, os meandros da política, da economia e da cultura do município e da região.

Não sei por quais razões, tirou o site do ar, mas seus arquivos se mantém intactos, preservados. Certo dia, fui pego de surpresa com uma entrevista com meu pai Gastão Cerquinha, 99 anos, feita por ele, com direito aos pitacos da minha mãe Margarida quando minha luz de inspiração completou 90 anos. Na oportunidade, papai fez belas revelações que seus filhos, incluindo este escriba, não sabiam.

Dei uma folheada rápida ontem no novo livro de Fernando e, desde já, sugiro ao prefeito de Afogados da Ingazeira para valorizar a iniciativa. Deve ser leitura obrigatória nas escolas da rede pública municipal e objeto de consulta em todas as bibliotecas do município. Deus fez o campo e o homem as cidades. Uma cidade só cresce e se projeta com ajuda dos seus filhos, porque estrangeiro nenhum vai colocar uma pá de cal para abrir uma janela na cidade.

Fernando Pires saiu de Afogados da Ingazeira para Recife, mas a cidade nunca saiu dele, está impregnada em tudo. É daqueles que não dizem essa cidade já foi meu lar, Afogados sempre será o seu lar. Ela está no seu coração, na sua cabeça, nas suas ações. Bom filho é assim: sente chuvas de felicidade quando percorre as suas ruas, sem tristeza, só alegria. Faz juras de amor eterno.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo - Pavimentação e Drenagem

13/09


2021

Queiroga defende reforma na remuneração da Saúde

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, defendeu reformas no sistema de saúde, hoje, durante a 8ª edição do Abrafarma Future Trends, congresso do varejo farmacêutico. Indicou ser necessárias mudanças nos modelos de remuneração dos provedores de saúde.

Queiroga afirmou que uma agenda de reformas “é essencial para consolidar e expandir” os avanços no sistema de saúde.

“Essa agenda, necessariamente, inclui mudança nos modelos de remuneração dos provedores de saúde para incentivar eficiência no uso dos recursos públicos e privados“, afirmou.

O ministro também defendeu fortalecer a regulação dos planos de saúde para estimular a competitividade no setor.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina setembro 2

13/09


2021

CPI da Covid: Justiça autoriza condução coercitiva de Tolentino

A Justiça Federal em Brasília determinou que o advogado e dono de uma rede de televisão Marcos Tolentino seja notificado a comparecer ao depoimento à CPI da Covid e autorizou que, em caso de ausência, ele seja conduzido coercitivamente.

A fala de Tolentino está marcada para amanhã. Ele é apontado como "sócio oculto" do FIB Bank – empresa que ofereceu uma carta-fiança de R$ 80,7 milhões em um contrato firmado entre a Precisa Medicamentos e o Ministério da Saúde para a compra da vacina Covaxin.

A defesa de Tolentino obteve no Supremo Tribunal Federal (STF) decisão da ministra Cármen Lúcia que permite a ele se recusar a responder a perguntas que eventualmente possam incriminá-lo.

Marcos Tolentino será ouvido no âmbito das apurações sobre as empresas intermediárias em contratos de vacinas. A carta-fiança do FIB Bank fazia parte do processo de aquisição da Covaxin, que previa 20 milhões de doses a um valor de R$ 1,6 bilhão, mas foi cancelado por suspeita de irregularidades – nenhuma dose foi entregue.

À Justiça, a CPI argumentou que, mesmo beneficiado com o direito de permanecer em silêncio, Tolentino tem resistido em prestar esclarecimentos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Sindicontas

13/09


2021

TCU suspende auditor que produziu relatório falso

O Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu suspender por 45 dias o auditor Alexandre Marques. Ele produziu, sem base na realidade, um relatório falso sobre suposta supernotificação de mortes por Covid no país em 2020. Durante a suspensão, o auditor não receberá salário.

O "levantamento" chegou a ser divulgado pelo presidente Jair Bolsonaro em junho e depois replicado por bolsonaristas nas redes sociais.

Na ocasião, o TCU imediatamente esclareceu que o material não foi produzido pelo tribunal e não tinha legitimidade. O próprio Bolsonaro teve de dizer que o documento, de fato, não era do TCU.

Na CPI da Covid, Alexandre Marques disse que tinha preparado um rascunho e que em nenhum momento ele havia concluído que as mortes por Covid eram supernotificadas.

Segundo Marques, o documento foi compartilhado com servidores do TCU no dia 31 de maio. No dia 6 de junho, o servidor disse que enviou o documento ao pai, sem nenhuma informação relativa ao TCU, e que o mesmo arquivo foi repassado ao presidente, que compartilhou o arquivo dia 7 de junho.

O material que circulou nas redes sociais de bolsonaristas tinha um cabeçalho com o nome do TCU, o que, segundo o auditor, não constava no documento que ele produziu. Marques alega que o documento foi editado, mas não sabe por quem.

O auditor negou ter relações com a família Bolsonaro, mas admitiu que seu pai mantém “relações de contato” com o presidente. Ele também confirmou que o pai, Ricardo Marques, foi indicado para o cargo de gerente executivo de inteligência na Petrobras.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


13/09


2021

Pernambuco, história e personagens, de Paulo Santos

Por Mauricio Rands*

?No último dia 09.09, participamos da live de lançamento do novo livro de Paulo Santos. Um mergulho na história de Pernambuco a partir de seus grandes personagens. 5 Séculos, 65 biografias, como diz o subtítulo. O livro surgiu de um projeto Paulo Santos, quando Alexandre e eu estávamos à frente do Diário de Pernambuco. Entre 2016 e 2017, todas as 2as feiras o DP publicava um texto de Paulo Santos sobre um personagem da nossa história. Aqueles textos foram desenvolvidos e, juntos com outros inéditos, foram reunidos pelo autor nessa obra que acaba de ser lançada.

?Em um momento mais que necessário, eis que Pernambuco anda com autoestima baixa e importância esvaziada no cenário político nacional. Quando chegamos às vésperas dos 200 anos da independência, alguns preferem celebrar os 199 anos do 7 de setembro com o apelo à mobilização por bandeiras antidemocráticas. Outros, como a Cepe, sob a presidência de Ricardo Leitão, preferem ofertar ao público as reflexões que deveriam acompanhar as grandes datas históricas. Esse livro de Paulo Santos, que acaba de sair em edição primorosa da editora, inscreve-se nessa tradição. De iluminar o passado, para entender o presente e ajudar a descortinar objetivos para o futuro.

?Com os professores Caesar Sobreira, titular da Antropologia da UFRPE, e George Cabral, da UFPE, debatemos a obra. Mas também a história de PE e a sua contribuição à civilização brasileira. Concordamos em apontar os riscos das releituras que têm sido abundantes sobre o significado de episódios históricos. Lembrei de um exemplo que nos devia despertar. O recente livro das historiadoras Heloísa Starling, da UFMG, e Lilia Schwarcz, da USP. Em seu “Brasil – uma Biografia”, as autoras consagram um capítulo inteiro à Inconfidência Mineira. À Revolução Pernambucana de 1817, parcas duas páginas. Exemplo de revisão histórica a partir do olhar de quem se tornou hegemônico depois daquele evento. Ao perceber esse reescrever, lembrei-me da lição de Eric Hobbsbaum, em seu “Ecos da Marselhesa”. Quando alguns autores procuravam reinterpretar a Revolução Francesa e diminuir-lhe o caráter de ruptura, ele escreveu seu livro-refutação apelando pelo saudável método histórico de examinar como os contemporâneos sentiram o episódio. O mesmo poderia valer para a comparação da Revolução Pernambucana de 1817 com a Inconfidência Mineira. Enquanto uma implantou um governo que durou 74 dias, com constituição republicana, a segunda não passou de uma conspiração desbaratada. A pernambucana foi duramente reprimida e acarretou o desmembramento de Alagoas do território de Pernambuco. Foram condenados, executados e degredados centenas de insurretos. Em contraste, a sentença sobre a inconfidência condenou à morte apenas 12 inconfidentes, logo perdoados, com a exceção de Tiradentes.

?O livro de Paulo Santos chega num momento em que se revaloriza o conhecimento da história. A divulgação ao grande público de obras com uma forma mais acessível ao não iniciado nas tecnicalidades da disciplina. Como recentemente as biografias de Getúlio Vargas (Lyra Neto), dos dois imperadores (Paulo Rezzutti), ou sobre episódios específicos como a independência, a proclamação da república e a escravidão (“1822”, “1889” e “Escravidão”, de Laurentino Gomes), ou a epopeia dos judeus fugidos da Inquisição e aportados em Pernambuco no período holandês (“Arrancados da Terra”, de Lyra Neto). Sobre a História de Pernambuco, vão nessa direção de resgate os livros de Fernando Coelho (“Direita Volver - O Golpe de 64 em PE”), Vandeck Santiago (“Pernambuco em Chamas”), assim como as biografias publicadas pela CEPE sobre personagens como Pelópidas Silveira e Armando Monteiro Filho.

?Sobre a seleção dos 65 personagens feita por Paulo, fica a tentação. Como toda seleção, cada técnico tem a sua. De minha parte, senti falta de alguns. Que menciono, quem sabe, na expectativa de um segundo volume: Brites de Albuquerque (a primeira mulher a governar Pernambuco), Olegarinha Mariano (fundadora do Clube do Cupim, ativista antiescravocrata que ajudava os escravos a fugir), Luiz Gonzaga, Paulo Freire e Dom Hélder.

*A advogado formado pela FDR da UFPE, PhD pela Universidade Oxford.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca - Microempreendedores

13/09


2021

As seitas das sete pragas

O reino de Pindorama padece das sete pragas, à semelhança das sete pragas do Egito, assim falou o bicho-grilo Adalbertovsky em sua cantoria. “São os vírus da Covid, os gafanhotos da corrupção, as úlceras do desemprego, as assombrações golpistas, os mosquitos da dengue, as moscas da chikungunya e os insetos da dengue. Moisés, um santo homem, realizou a travessia do Mar Vermelho para libertar os escravos hebreus e conduzi-los à Terra Prometida”. 

“Um messias profano no reino de Pindorama prometeu dominar o mar vermelho da seita do bode rouco para libertar os brasileiros das pragas da corrupção, do desemprego e da recessão. Mas, o mito tem pés de barro, traiu todas as causas de combate à corrupção. As pragas da seita do bode rouco foram substituídas pelas pragas da seita do gado. Correm rios de sangue, ou rios de lágrimas. O ministro Paulo Guedes praguejou e a gasolina custa 7 denários”.

“Neste território do Covidão, da corrupção e do petrolão, o capitão atraiu todos os raios e tempestades, mesmo não sendo o próprio um discípulo de Moisés como salvador da pátria. Os 11 apóstolos do Nazareno eram 12, noves fora Judas de Karioth, que se extraviou nos caminhos da traição. O messias profano de Brasília e os onze apóstolos das leis alimentam uma guerra que nunca será santa”.

“Qual seria o governo mais desastroso da história recente da República: a dinastia da seita vermelha, com suas pandemias de corrupção, recessão e desemprego; ou a seita do gado, em meio à devastação do vírus, chafurdações e tentações golpistas entre os poderes? São duas pragas, duas lições de abismos”.

LONGAS CAMINHADAS – O secretário de Saúde do Estado, médico André Longo, voltou a cumprir longas caminhadas no planeta Jaqueira, ele e seu parceiro o jornalista global Ítalo Rochedo. Os dois formam a dupla “O gordo e o magro”. Significa que a luta contra a pandemia percorre uma curva virtuosa. A cada dia mais jovem, lépido e fagueiro, André Longo proclama monocraticamente, diante das montanhas da Jaqueira, que é necessário manter as precauções sanitárias, porque o inseto comunista chinês é ardiloso”. A cantoria do bicho-grilo Adalbertovsky está postada no Menu Opinião.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru volta as aulas 2021

13/09


2021

Coluna da segunda-feira

Pacheco, a terceira via  

Há muito se discute o surgimento da terceira via presidencial. O debate acentuou-se, sobretudo, depois das pesquisas que apontam Lula na dianteira, Bolsonaro em baixa, mas ainda um percentual grande de eleitores dos que não quer a volta do ex-presidiário nem tampouco a manutenção do atual mandatário no poder.

Numa entrevista, ontem, à Folha de São Paulo, o economista Edmar Bacha, um dos responsáveis pela formulação do Plano Real, disse estar envolvido 100% na busca de uma alternativa aos nomes de Bolsonaro e Lula. O primeiro, por representar um risco para a democracia. O segundo, à economia. Os discursos de Bolsonaro no 7 de setembro ampliaram o temor de que a recuperação econômica possa ser mais fraca do que se esperava.

Mais do que isso, que o País caia numa nova recessão. O recuo de Bolsonaro, em carta na quinta-feira passada na qual diz que não teve a intenção de agredir Poderes, trouxe alivio momentâneo ao mercado. Entre economistas, o ceticismo quanto às promessas do presidente é expressivo. A antecipação do cenário eleitoral de 22, embutida nos movimentos de Bolsonaro, limita o avanço na discussão de reformas profundas.

A expectativa de desaceleração de crescimento, já esperada devido à inflação, se agrava com a tensão política. Segundo a Folha de São Paulo, o Banco Central revisou suas projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) do ano que vem para 1,93%. Para o economista José Roberto Mendonça de Barros, parece ser unânime entre analistas que o crescimento ficará abaixo de 2%, podendo até mesmo ser menor do que 1%.

Diante disso, há risco de recessão. Em entrevista, ontem, à mesma Folha de São Paulo, o senador Antônio Anastasia (PSD), ex-governador de Minas Gerais, representante do Congresso na Comissão de Transparência das Eleições, defendeu a candidatura do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), seu correligionário das Alterosas, à sucessão do presidente Bolsonaro. “Pacheco seria um grande presidente”, bradou Anastasia.

Para ele, o presidente do Senado tem um perfil muito adequado para o momento que o País vive, sendo sereno, preparado, correto, muita energia e discernimento. “Claro que ele próprio ainda tem que decidir, ainda é tudo uma construção a ser feita, mas acho que, em nível nacional, ninguém quer esse extremo Lula x Bolsonaro. E vou trabalhar para evitar essa opção extremada. Acho que a terceira via é a solução mais adequada”, disse.

Efeito Temer – A conversa do ex-presidente Temer, o pacificador, com Bolsonaro parece ter sido bem assimilada. Na primeira fala em público, sábado passado, em Esteio (RS), o presidente mostrou que está desarmado para o diálogo. “Não é hora de dizer se esse ou aquele Poder saiu vitorioso”, pregou, acrescentando: “A vitória tem que ser do povo brasileiro”. Afirmou em seguida que os três Poderes precisam ser “respeitados” e que acima deles está o “destino da Nação “. E completou: “Vivemos ainda momentos um pouco conturbados, mas tenho certeza que as coisas já começaram e se ajustar. Não é hora de dizer se esse ou aquele Poder saiu vitorioso. A vitória tem que ser do povo brasileiro”.

Palanque tucano – Tucano histórico, o prefeito de Vertentes, Romero Leal, deu palanque para a pré-candidata do PSDB ao Palácio das Princesas, mostrar a sua cara no município durante a inauguração do novo hospital, sábado passado, na presença de uma penca de prefeitos, deputados, vereadores e lideranças do Agreste. Também presente ao ato, o prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira (PL), igualmente usou da palavra, mas quem de fato roubou a cena, foi paparicada e atraiu o público para selfies foi a tucana, que tomou gosto com a ideia de entrar na disputa pelo Governo do Estado nas eleições do próximo ano.

Fechado com Raquel – “Raquel é minha candidata e vou trabalhar pela unidade das oposições”, disse Romero Leal minutos antes da tucana falar na entrega do hospital. Construído com recursos próprios, a unidade hospitalar funcionará com atendimento regionalizado, atendendo Vertentes e municípios do Agreste e Mata Norte. São 50 leitos de internação, um bloco com três salas cirúrgicas, capacidade máxima de execução de 75 procedimentos por semana (300/mês) e um centro ambulatorial especializado multidisciplinar com capacidade mais de dois mil atendimentos por mês.

Provocação – Em visita à feira agropecuária de Esteio (RS), o presidente Jair Bolsonaro apontou para um salame e disse que seria “do governador” do Estado, Eduardo Leite (PSDB), que assumiu ser gay num programa de TV. Os expositores da feira apresentaram peças de salame ao chefe do Executivo e à ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que mostrou ao presidente um dos pedaços que recebeu, quando Bolsonaro apontou e disse: “Esse salame é do governador aqui do Rio Grande do Sul”. Em seguida, Bolsonaro abaixou e encostou a cabeça em Tereza Cristina. Na sexta-feira passada, o presidente do PTB, Roberto Jefferson, foi condenado a pagar indenização de R$ 300 mil por ofensas homofóbicas em ação movida pelo governador gaúcho.

Uns cascudos – Indicado pelo deputado federal André de Paula na cota do PSD de Olinda, o secretário-executivo de Controle Urbano, Rodrigo Cardoso, só faz gol contra a administração, agindo muitas vezes com posturas não republicanas. A última trapalhada – se o prefeito não sabe que cuide de agir – está se negando a assinar o habite-se de uma moderna e bem equipada escola de tiro ao alvo no município, projeto gerador de emprego e renda. Merece uns cascudos, Professor Lupércio!

CURTAS

Indefinição – Ex-prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, o empresário Edson Vieira (PSDB) aguarda apenas o desfecho da votação das regras eleitorais de 22 pelo Senado, especialmente no tocante a volta das coligações partidárias, para decidir se entra na disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa, no lugar da esposa Alessandra, ou se faz um voo mais alto – a Câmara dos Deputados.

Belo Jardim – Na festa dos 93 anos de emancipação política, sábado passado, o prefeito de Belo Jardim, Gilvandro Estrela (DEM), cumpriu uma extensa agenda, começando às oito da manhã, com o hasteamento da bandeira, até às 17 horas. Entregou um posto satélite no povoado de Gravatá, calçamento na Vila Nova, uma Unidade Básica de Saúde na Cohab III e assinou, por fim, as ordens de serviço de uma escola, uma quadra e uma praça no bairro Viana & Moura, nas proximidades da BR-232.

Perguntar não ofende: Temer se credenciou para ser o vice de Bolsonaro?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Deus nos livre dessa desgraça. Um genocida e um vampiro, um país ideal para ambos: Afeganistão.

Jose Roberto Correia de Jesus

Pede pra pachecuzinho sair as ruas... pra gente ver uma coisa....


Serra Talhada 2021

12/09


2021

Kiko Porto envia mensagem especial ao Blog

Perto de conquistar o título na USF2000, categoria especializada em formar pilotos para a Fórmula Indy, o jovem pernambucano Kiko Porto, 18 anos, enviou mensagem especial ao Blog, agradecendo pela repercussão dada a sua trajetória no automobilismo. Assista!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Pousada da Paixão

12/09


2021

Tiago Paraíba é eleito presidente do PSOL-PE

O estudante de Economia e militante do movimento negro Tiago Paraíba, 33 anos, foi eleito o novo presidente do PSOL Pernambuco. O recifense obteve 60% dos votos.

O 7º Congresso do PSOL-PE finalizou suas atividades, hoje, após recorde de participação e um extenso debate sobre a conjuntura política e os novos desafios do PSOL para, em suas palavras, "derrotar o bolsonarismo nas ruas e nas urnas em 2022". A sigla justifica que Tiago Paraíba, com o conjunto de todas as forças do partido, foi escolhido para liderar o PSOL neste momento crucial de Pernambuco pela sua "ampla experiência partidária, nos movimentos sociais e capacidade política na formulação e diálogo".

Entre as resoluções, o PSOL reafirmou seu "caráter popular, ecossocialista e compromisso político na apresentação de um projeto de reconstrução do Brasil. Além de se fortalecer como organização plural e democrática na luta contra o machismo, o racismo, a lgbtqa+fobia e o capacitismo". 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

SESC Agosto 2021

12/09


2021

Arthur Mamãe Falei, do MBL, “lamenta” fracasso de ato

Um dos organizadores do ato pela saída do presidente Jair Bolsonaro em São Paulo, o deputado estadual Arthur do Val (Patriota-SP), conhecido como Mamãe Falei, tentou brincar com a baixíssima adesão ao evento: "Hoje é um dia muito triste aqui. A gente organizou esse caminhão, fez toda essa manifestação e acabou não vindo ninguém", disse em tom irônico o parlamentar, que integra o Movimento Brasil Livre (MBL).

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, a manifestação contra o presidente Bolsonaro realizada na Avenida Paulista, hoje, reuniu cerca de 6 mil pessoas. O próprio MBL, contudo, estima 2 mil.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes Agosto 2021

12/09


2021

Carnaíba: vaquejada reúne mais de 2 mil pessoas

Blog do Nill Júnior

Mais de duas mil pessoas, a maioria jovens, sem uso de máscara ou distanciamento participaram de uma vaquejada em Carnaíba, no Sertão do Pajeú. Os eventos como shows dessa natureza estão proibidos pelo decreto estadual. 

Apenas eventos teste rigorosamente liberados pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico estão autorizados. Já vaquejadas podem acontecer, sem público.

Pelas imagens, não houve interrupção por parte da Vigilância Sanitária. O evento aconteceu no Parque São Francisco, zona rural de Carnaíba.

Assim como ocorreu em Jabitacá, houve presença de pessoas de outras cidades, mostrando que aconteceu farta publicidade nas redes sociais.

Prefeitura de Carnaíba promete punição

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Vigilância em Saúde, esclareceu ao blog que a Vaquejada realizada ontem no sitio Santa Rosa não foi autorizada com presença de público, conforme termo de responsabilidade assinado pelo organizador do evento com a Vigilância Sanitária.

Ele se comprometeu a manter o espaço fechado para um público específico de competidores, com número limitado de pessoas. “Uma vez descumprido, o organizador será penalizado de acordo com o que fora acordado de antemão”.

“Ressaltamos que a Vigilância Sanitária esteve no local orientando sobre a seriedade em manter os protocolos, porém não conseguiu realizar interdição por questões que forje a sua governabilidade”, segue.

“No entanto, o descumprimento não passará impune. Desse modo, serão aplicadas rigorosamente as penalidades previstas pelas leis de proteção a saúde pública, uma vez que houve descumprimento dos protocolos, quando foi realizado o acordo de liberação mediante termo de compromisso com a Vigilância Sanitária Municipal”, conclui.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/09


2021

Militares que comandam estatais ganham até R$ 260 mil

À frente de um terço das estatais com controle direto da União, militares de Exército, Marinha e Aeronáutica acumulam as remunerações recebidas por integrarem as Forças Armadas e os salários ou benefícios pagos pelas empresas. No governo de Jair Bolsonaro (sem partido), oficiais das três Forças ganharam cargos estratégicos e benefícios na administração pública federal, o que se estendeu às estatais, com salários altos e controle de orçamentos bilionários.

De 46 estatais com controle direto da União, 16 (34,8%) são presididas por oficiais de Exército, Marinha e Aeronáutica. A grande maioria deles está na reserva, e uma pequena parte está aposentada (reformada). Um levantamento feito pela Folha revela que em 15 das 16 estatais há acúmulos de remunerações. O oficial recebe tanto o valor equivalente ao exercício militar quanto a remuneração paga pela estatal.

Esses militares, assim, estão recebendo remunerações brutas que variam de R$ 43 mil a R$ 260 mil. Todos esses valores excedem o teto do funcionalismo público federal, de R$ 39,3 mil, que é o salário de um ministro do STF (Supremo Tribunal Federal). No levantamento feito pela reportagem, uma única estatal informou ter aplicado um abate teto, para limitar os ganhos a R$ 39,3 mil: a EBSERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), responsável por 40 hospitais universitários federais e vinculada ao Ministério da Educação.

General de Exército da reserva, Oswaldo Ferreira auxiliou Bolsonaro desde a campanha eleitoral em 2018. Ele preside a EBSERH desde o início do governo, em 2019. Como general quatro estrelas, a remuneração bruta é de R$ 31,1 mil. Como presidente da EBSERH, são mais R$ 28,6 mil brutos.

Até abril, havia a aplicação de um abate teto de R$ 25 mil. Isto deixou de ocorrer em razão da edição de uma portaria pelo Ministério da Economia, naquele mês, que permitiu o acúmulo de remunerações por militares da reserva que ocupam cargos no governo. Assim, o teto passou a ser aplicado individualmente, em cada remuneração, o que levou ao acúmulo de ganhos.

A canetada beneficia diretamente Bolsonaro, o vice Hamilton Mourão e ministros que são militares, como Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Walter Braga Netto (Defesa) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria-Geral da Presidência). No caso do presidente da EBSERH, o acúmulo também passou a ocorrer.

“A portaria está alinhada ao que já preconizavam decisões do STF e acórdãos do TCU [Tribunal de Contas da União]”, afirmou a estatal, em nota. Antes da portaria, o acúmulo já era uma regra nas estatais comandadas por militares.  A medida do Ministério da Economia passou a ser usada como justificativa formal para essa sobreposição de remunerações. Das estatais que responderam aos questionamentos da reportagem, seis apontaram a medida como um dos instrumentos legais usados para os pagamentos duplicados.

Outros instrumentos legais que garantem os salários acima do teto, conforme as empresas, são a própria Constituição Federal e decisões do STF e do TCU, além de um decreto de 2019 e um parecer da AGU (Advocacia-Geral da União) de 2020. As remunerações mais expressivas são pagas ao presidente da Petrobras, o general de Exército Joaquim Silva e Luna.

O militar chegou ao cargo em abril deste ano, após uma intervenção direta de Bolsonaro na estatal. Por estar na reserva, no topo da hierarquia militar, Silva e Luna recebe R$ 32,2 mil brutos. Já na Petrobras, conforme o formulário de referência divulgado pela estatal aos investidores, a remuneração média mensal chega a R$ 228,2 mil, levando em conta ganhos fixos e variáveis referentes ao ano de 2020.

Os ganhos fixos, na prática, correspondem a uma remuneração mensal de R$ 83 mil ao presidente da estatal. Os variáveis ficam para o fim do ano. Para 2021, os ganhos variáveis previstos são maiores, em comparação com 2020, conforme o formulário. Assim, somando todos os ganhos, o general ganharia pelo menos R$ 260,4 mil brutos por mês, incluída a remuneração de militar.

As informações sobre os pagamentos recebidos como militar da reserva estão no Portal da Transparência do governo federal, com dados atualizados até junho. Questionada sobre o acúmulo, a Petrobras afirmou, em nota:

“O cargo de presidente da Petrobras está enquadrado como administrador. Em decorrência disso, sua relação com a companhia é institucional, com perfil estatutário, e decorre do estatuto social da companhia, motivo pelo qual não se aplicam as restrições legais previstas quanto à remuneração dessa atividade”.

Presidente dos Correios, que passa por um processo de privatização, o general de Divisão Floriano Peixoto Vieira Neto tem um salário bruto de R$ 46,7 mil. Como militar da reserva, são mais R$ 30,6 mil, o que soma R$ 77,3 mil.

A matéria completa está no Jornal de Brasília.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Isso é a austeridade do posto Ipiranga Paulo Guedes, só funciona para os pobres trabalhadores desse país, que a cada sobrevivem com menos direitos e menores salários, enquanto isso militares fazem a festa!