28/02


2021

Da Fonte quer atividade religiosa como serviço essencial

O deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE) protocolou um projeto de lei que reconhece atividades religiosas como serviços essenciais e que podem funcionar durante a pandemia do novo coronavírus. O parlamentar destaca o papel social das igrejas e de acolhimento espiritual para justificar a medida. 

“As atividades religiosas servem como alento para aqueles que perderam familiares, a saúde ou o emprego. Igrejas também desenvolvem um importante papel de assistência social e ajudam pessoas que muitas vezes o Estado não alcança”, avalia. 

O projeto chegou ao parlamentar pelo deputado estadual Cleiton Collins e pela vereadora do Recife Michele Collins (ambos do PP). A matéria enfatiza que, para o desenvolvimento das atividades, é necessário o cumprimento de todas as medidas sanitárias recomendadas pelas autoridades de Saúde.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo 2021

28/02


2021

TJPE suspende atividades presenciais devido à Covid-19

A partir de amanhã, o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) vai suspender as atividades presenciais em todas as unidades administrativas e judiciárias de 1º e 2º graus do Estado. Um ato conjunto assinado pelo presidente do TJPE, desembargador Fernando Cerqueira, e pelo  corregedor-geral de Justiça, desembargador Luiz Carlos Figueiredo, estabelece a medida até o dia 10 deste mês.

O motivo alegado é o aumento da disseminação do novo coronavírus em Pernambuco, bem como a alta ocupação de leitos de UTI para pacientes com Covid-19 nas unidades de saúde locais. "As unidades administrativas e judiciárias funcionarão em regime diferenciado de trabalho remoto, no horário do regular expediente forense, sendo vedada a realização de audiências e sessões presenciais", traz o documento.

"Os setores administrativos de protocolo e distribuição funcionarão, no período mencionado, em regime remoto, ficando a critério de cada Diretor de Foro autorizar, em caráter excepcionalíssimo, protocolamento por meio físico e presencial", prossegue. 

Ainda de acordo com o ato, "ficam suspensos, a partir da publicação deste ato conjunto, os prazos dos processos administrativos e judiciais que tramitam em meio físico nas Unidades mencionadas no art.1º deste ato conjunto."


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


28/02


2021

25 anos do acidente dos Mamonas Assassinas

Por Irineu Tamanini*

Na próxima terça-feira, dia 2 de março, há 25 anos (02.03.1996), morriam, em um trágico acidente aéreo, todos os integrantes do banda de maior sucesso musical da época, os “Mamonas Assassinas”. O grupo voltava de um show em Brasília, no jatinho Learjet em que viajavam, modelo 25D prefixo PT-LSD. O avião chocou-se contra a Serra da Cantareira, em São Paulo, às 23h16, numa tentativa de arremetida, matando todos que estavam no avião.

A aeronave havia sido fretada com a finalidade de efetuar o transporte do grupo musical para um show no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, e estava sob o comando do piloto Jorge Luiz Martins (30 anos de idade) e do copiloto Alberto Yoshiumi Takeda (24 anos de idade).

A banda Mamonas Assassinas era formada por:

Dinho (Alecsander Alves) – era o vocalista principal e líder da banda.Também tocava violão;
Bento Hinoto (Alberto Hinoto) – era o guitarrista da banda. Também tocava violão e fazia backing vocals;
Samuel Reoli (Samuel Reis de Oliveira) – era o baixista da banda e também fazia backing vocals;
Sérgio Reoli (Sérgio Reis de Oliveira) – era baterista da banda e também fazia backing vocals e
Júlio Rasec (Júlio César) – era o tecladista da banda. Também fazia backing vocals e vocais.

*Jornalista


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner Jaboatao 2021

28/02


2021

Bar Royal fecha as portas no Recife

Fundado em 1944, o Royal Comedoria e Bar anunciou o encerramento das atividades. O proprietário, José Dimas Santos, lançou uma carta aberta, na última sexta-feira (26), para falar sobre os motivos que levaram um dos espaços mais tradicionais da capital pernambucana a fechar. Leia abaixo:

"Carta aberta

Venho com muita tristeza comunicar que a partir do dia 26/02/2021, o ROYAL BAR fechou suas portas. Motivado pela atual situação que agrava nosso estado.

Vendo todas as possibilidades mês a mês, não havendo crescimento, com janeiro sendo o ponto mais agravante financeiramente e avaliando as dívidas, ficando uma bola de neve que chega a 120 mil reais, além da falta de insumos para atender o dia a dia. Ficou incontrolável com a falta de mercadoria para o atendimento com qualidade aos nossos clientes amigos.

Com o coração apertado, me despeço de 40 anos de dedicação e amor pela ILHA do Recife e um estabelecimento que construí história em todas áreas da cultura e  não só fez cliente, mas amigos.

Agradeço a todos que fizeram o Royal ser o que foi: um local de AMIGOS.

Agradeço a todos que neste momento muito difícil estão me apoiando com palavras que antes não eram ditas: "Tamos juntos".

Minha esperança que no futuro muito próximo eu tenha como reunir todos os amigos clientes para começar todas as "GREAS" que o Royal proporcionava.

Obrigado a todos que fizeram o Bar ROYAL.

José Dimas Santos"


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


28/02


2021

Igarassu estreia amanhã no Frente a Frente

A partir de amanhã (1º), a rádio Cuieiras 98.1 FM, a emissora oficial e do coração de Igarassu, na Região Metropolitana do Recife, passa a integrar a Rede Nordeste de Rádio, que retransmite o Frente a Frente em Pernambuco, Alagoas e Bahia. O martelo foi batido com o meu amigo Ubiratan de Castro, ex-vereador de Olinda, proprietário da líder em audiência naquele município. Imperdível!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina 2021

28/02


2021

Embratur vai abrir escritório no Rio

O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, programou uma série de ações para impulsionar o setor no Rio de Janeiro. Uma delas diz respeito à abertura de um escritório da Embratur (Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo), amanhã.

Ele tem agenda de reuniões com o governador do Rio, Cláudio Castro (PSC) e o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), além de encontro com a direção local da Fecomércio. Os 90 anos do Cristo Redentor também ganham uma ação especial.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

28/02


2021

Apac emite novo alerta de chuvas no Recife

A Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) emitiu um novo alerta para a possibilidade de chuvas moderadas a fortes no Recife. A previsão é válida para as próximas 24 horas. A Defesa Civil do Recife mantém um plantão permanente, podendo ser acionada pelo telefone 0800.081.3400. A ligação é gratuita e o atendimento 24h. A orientação é que, em caso de necessidade, moradores de locais de risco procurem abrigos seguros e acionem o órgão.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Anuncie Aqui - Blog do Magno

28/02


2021

Ciro diz que sua tarefa é tirar PT do 2º turno em 2022

Folha de São Paulo

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) intensificou os acenos a siglas como DEM e PSD para viabilizar sua candidatura à Presidência em 2022 e, em entrevista à Folha, defendeu uma união de centro-esquerda para derrotar Jair Bolsonaro (sem partido) e reforçou seu rompimento com o PT.

"Nesse quadro de hiperfragmentação, quem for contra o Bolsonaro no segundo turno tem tendência de ganhar a eleição. O menos capaz disso é o PT. Por isso, a minha tarefa é necessariamente derrotar o PT no primeiro turno", afirma.

Ciro, 63 — que disputou o Planalto três vezes e terminou em terceiro lugar no pleito de 2018, com 13 milhões de votos (12% dos válidos)— escancarou seu distanciamento da sigla ao não embarcar na campanha de Fernando Haddad (PT) no segundo turno daquele ano, vencido por Bolsonaro.

Ex-ministro do governo Lula (PT), o pedetista diz que o que chama de "lulopetismo" representa hoje uma "adversidade intransponível" em sua relação com a legenda.

"Converso muito com os petistas. Lá dentro, tem um grupo que acha que o Lula, com sua loucura e caudilhismo, está passando de qualquer limite. Faz as coisas sem consultar ninguém, joga só, é o Pelé", compara.

"O Lula escolheu o Haddad [como pré-candidato em 2022] porque não fará sombra a ele nem hoje nem jamais. Ou seja, quer replicar a escolha da Dilma [Rousseff]."

Ciro e Lula sentaram para um papo em setembro do ano passado e colocaram em pratos limpos questões da atribulada relação, mas uma reconciliação, desejada por setores da esquerda, não avançou.

"Nós [PT e eu] somos coisas diferentes. Fomos aliados em alguns momentos e adversários em outros. Eu agora tenho uma adversidade intransponível com o lulopetismo, que é diferente dos outros 'PTs' que eu conheço", afirma.

Entre seus interlocutores no partido de Lula estão o governador do Ceará (berço político dos Gomes), Camilo Santana, e o senador pela Bahia Jaques Wagner.

Repetindo o mantra de que "o Brasil precisa de uma amplíssima união de centro-esquerda", o pedetista estreitou laços com os presidentes nacionais do DEM, o ex-prefeito de Salvador ACM Neto, e do PSD, o ex-ministro Gilberto Kassab, de olho em alianças.

O PDT, que em 2018 concorreu ao Planalto coligado apenas com o nanico Avante, trabalha também para repetir na disputa eleitoral o bloco que formou com PSB, PV e Rede Sustentabilidade, atuante na oposição a Bolsonaro no Congresso.

A matéria completa está disponível no portal da Folha de São Paulo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Jornao O Poder

28/02


2021

Marina Silva quer frente pró-Ciro Gomes em 2022

Por Pedro Venceslau, do Estadão

Depois de receber 1% dos votos em 2018 na sua terceira tentativa de chegar à Presidência da República, a ex-ministra e ex-senadora Marina Silva (Rede), de 63 anos, diz não ter planos de se lançar em uma nova disputa em 2022. Vivendo em isolamento social em Brasília, ela afirmou em entrevista por telefone ao Estadão que só saiu de casa uma vez desde o dia 1.º de março do ano passado, para ir ao médico.

Sua militância virtual, porém, segue intensa. Ela faz palestras - Marina pretende se aposentar como professora e abriu mão da aposentadoria como senadora - e lidera os debates do partido que criou, a Rede Sustentabilidade. Atualmente, a legenda elabora estratégias para sobreviver à cláusula de barreira no ano que vem.

No precoce tabuleiro eleitoral que se formou, Marina sinaliza apoio a Ciro Gomes (PDT) como o mais forte para quebrar a polarização entre o PT e o presidente Jair Bolsonaro, embora diga que, antes de nomes, o mais importante é discutir projetos.

A sra. tem disposição para disputar uma nova eleição presidencial?

Não gosto de trabalhar com essas conjecturas. Depois de ter 1% dos votos numa eleição, e diante de tanta gente que teve um melhor desempenho, é difícil alguém fazer essa proposta. Principalmente prevalecendo esse critério de que se discute primeiro as métricas eleitorais, em termos de voto, e não métricas qualitativas, em termos de programa. A única coisa que posso dizer é que tenho me dedicado o tempo todo a construir o que é melhor para o Brasil. Tenho essa disposição para o diálogo. Não sou do tipo que acha que um bom projeto de país só funciona comigo.

Como tem sido a rotina da sra. na pandemia?

Estou em isolamento social desde o dia 1º de março do ano passado. Já tenho 63 anos. É de conhecimento público que sou uma pessoa hiperalérgica e asmática. Só tenho me comunicado com a minha filha que mora aqui do lado. Eles estão em isolamento também. Só saí do condomínio uma vez para ir ao médico.

Como avalia o cenário da pandemia no Brasil, que bate recorde de mortes, e a estratégia dos governadores?

Não há dúvida de que o Brasil está sendo avaliado como o país com o pior desempenho na condução das medidas de saúde em relação à pandemia. Isso se deve ao fato de o governo ter desistido de cuidar da população brasileira e pela politização, que transforma tudo em cálculo eleitoral. Se o cálculo eleitoral dissesse que fazer lockdown daria algum tipo de dividendo, era isso que teria sido feito. O governo federal, por sua vez, criou todas as dificuldades possíveis para se adquirir a vacina. A politização eleitoreira de um tema que tem a ver com a vida das pessoas é um atraso civilizatório. O negacionismo tem várias formas. Tem o ideológico e primitivo, que é colocado em palavras pelo presidente Bolsonaro, que lavou as mãos, e outro é o negacionismo disfarçado, que maquia o que a ciência está dizendo com uma ética de conveniência. Se não fosse o trabalho que a mídia tem feito, a sociedade brasileira estaria totalmente à deriva.

O PT já colocou o "bloco na rua" para 2022 com Fernando Haddad. No PSDB, João Doria já se movimenta como candidato e Bolsonaro trabalha abertamente pela reeleição. A Rede terá candidato ao Palácio do Planalto?

Há um erro no que está sendo feito. O Brasil vive um cenário de isolamento no âmbito nacional e agravamento da pandemia, mas se cria aqui o falso dilema de que o mais importante é discutir os nomes. O mais importante é discutir qual é o projeto. Eu participo de um campo do qual fazem parte PDT, PV, PSB, Rede e o Cidadania, que tem sido convidado. Há concordância que neste momento temos que adensar um projeto que leve os setores do campo da esquerda democrática, da centro-esquerda e progressistas a ter um projeto que recupere o Brasil para um percurso civilizatório coerente com o que é uma democracia ocidental. O Brasil não pode ficar trancado do lado de fora achando que pode queimar floresta.

Dentro desse coletivo partidário é possível chegar ao consenso em torno de um nome? Nestas legendas tem a sra. e o Ciro Gomes...

O Ciro já tem o nome dele colocado desde o início, o que é legítimo. O que estamos fazendo é um apelo ao campo da esquerda democrática não dogmática, da centro-esquerda, dos setores progressistas e de centro-direita que pensam em primeiro lugar no Brasil. É nesse lugar que estamos nos articulando, e com uma pessoa que tem uma experiência política, administrativa e de política nacional que já colocou seu nome, que é o Ciro Gomes. Ele está fazendo esse diálogo maior, que não é em torno do nome, mas do projeto. O pior dos mundos é criar a velha polarização que existia, entre PT e PSDB, e deixar o tempo todo o brasileiro em terceiro. Agora seria a velha polarização, mas entre Bolsonaro e Lula ou PT. Agora é o momento de a sociedade assumir o primeiro lugar. Tenho a tranquilidade de quem já perdeu três campanhas, já procurei dar uma contribuição.

Acredita então que Ciro pode liderar uma terceira via em 2022?

O Ciro Gomes tem legitimidade, competência e capacidade para se colocar, mas eu acho que ele próprio não está trabalhando com essa ideia de terceira via. Ele e todos nós buscamos a recuperação sustentável da economia brasileira, a dignidade humana, a defesa da democracia, da liberdade de expressão e das instituições. Queremos uma primeira via. E que nessa primeira via o Brasil seja capaz de colocar em primeiro lugar a saúde do seu povo.

Como avalia o nome do Luciano Huck para 2022? Ele tem conversado com a esquerda.

Numa democracia é legítimo que surjam nomes. Caberá ao debate democrático mostrar os compromissos, ideias, alinhamentos políticos e evitar que haja uma pulverização de tal forma que permita a continuidade daqueles que estão fazendo mal ao Brasil. É importante que surjam novas lideranças no cenário político. É importante que tenha surgido o nome do Luciano e que um jovem de sucesso como apresentador tenha a intenção de contribuir com o processo político do Brasil. Eu advogo a renovação da política não só no discurso, mas também dos quadros. Mas acho que ele tem alguns problemas claros a serem enfrentados. A fragilidade da articulação em torno da qual a mídia está falando que ele está, com o DEM e o PSDB. A gente ouve que há essa articulação (dele) em torno do DEM e do PSDB. O DEM na eleição da (presidência) da Câmara foi para o Bolsonaro. O PSDB tem o Doria. Tem aí um desafio muito grande. Ele (Huck) precisa refletir muito.

Descarta uma aliança com o PT em uma eventual frente contra Bolsonaro?

Quando o PT já se coloca a priori como tendo Lula ou Haddad como candidato, ele não está entendendo o que está acontecendo. Esse é o momento de olhar de baixo para cima para enxergar o que está acima de nós, e não se candidatar à permanência da velha polarização. O PT tem uma força gravitacional enorme e é um ator importante no processo político, mas a sua importância estratégica será medida pela capacidade de verificar que nem sempre aqueles que têm força gravitacional para polarizar mais conseguem ter a maior credibilidade para derrotar aquele que precisa ser derrotado neste momento. Mais uma vez o PT aponta para uma política de exclusividade, de não considerar a gravidade do momento e ficar discutindo pessoas. Os partidos e lideranças precisam ter um pouco mais de humildade.

A Rede recorreu ao STF contra a decisão que impede a fusão de legendas fundadas há menos de cinco anos. Ano que vem será a prova de fogo dos partidos pequenos para superar a cláusula de barreira. A ideia é fundir a Rede com outra legenda?

A Rede não está considerando a fusão. Esse debate foi feito em 2019 e algumas pessoas da Rede achavam que era melhor uma fusão com o Cidadania. Tenho um respeito enorme pelo Roberto Freire, mas a nossa escolha é que a Rede é necessária. Tomamos essa decisão mesmo não tendo (recursos do) Fundo Partidário.

Se a Rede não considera a ideia de fusão, por que recorreu ao STF?

A democracia existe para que as pessoas possam ter o direito de escolha. O fato de eu não querer fazer uma coisa não significa que vou criar um mecanismo para todos pensarem igual a mim. Eu posso não querer a fusão neste contexto, mas é possível que em outro contexto isso possa vir a ser desejado.

A sra. defende a proposta de federação partidária para superar a cláusula de barreira?

Esse debate vem sendo feito e a Rede participa dele, junto com PCdoB e PV. Isso possibilitaria aos partidos que têm programa, ideal e não são fictícios de poderem existir com suas identidades e programas. Esse debate está sendo feito, sim, entre partidos. Toda discussão na reforma eleitoral foi punir e acabar com os partidos de aluguel.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

28/02


2021

Sebá apoia Léo do Ar e Zé de Benga na eleição da UVP

O deputado federal Sebastião Oliveira anunciou que apoiará a Chapa 1,  formada por Léo do Ar e Zé de Benga, vereadores de Gravatá e Cedro, respectivamente, na disputa pelo comando da União dos Vereadores de Pernambuco (UVP). O encontro que carimbou a adesão do líder do Avante na Câmara dos Deputados, aconteceu, ontem, na residência do parlamentar, no Recife.

A reunião contou com as presenças de Josinaldo Barbosa, atual presidente da UVP e da Câmara Municipal de Timbaúba, e de Fiapo, que preside a Câmara de Sertânia. “Léo do Ar e Zé de Benga apresentaram um projeto que estão alinhados ao que o nosso grupo político entende que seja o melhor para UVP. Estamos juntos nessa jornada que tenho a certeza de que será vitoriosa. Eles darão continuidade ao excelente trabalho que vem sendo realizado pelo companheiro Josinaldo”, ressaltou Sebastião. 

Em Pernambuco, o Avante elegeu 112 vereadores nas últimas eleições.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha