O Jornal do Poder

23/02


2008

Deputado critica oposição ao prefeito de Campina Grande

Do Portal WSCOM

O deputado federal Vital do Rego Filho (PMDB-PB) afirmou, ao participar do programa Ponto a Ponto, da TV Itararé (canal 19) em Campina Grande, que a oposição ao prefeito Veneziano Vital do Rego (PMDB) "precisa usar óculos", para enxergar o que Veneziano tem feito por Campina, transformando-a numa nova cidade. Segundo Vital Filho, as obras de Veneziano estão espalhadas pelos diversos bairros campinenses, "para todo mundo ver".

A entrevista foi concedida ao jornalista Paulo Roberto, apresentador do programa, veiculado de segunda a sexta-feira, na emissora afiliada da TV Cultura em Campina. Vital Filho falou sobe vários assuntos. Dentre eles, a sua atuação em Brasília, na CPI da Saúde Indígena; e os trabalhos no dia a dia da Câmara e para conseguir verbas para as cidades paraibanas.

Ao final do programa, o apresentador perguntou a Vital Filho, solicitando dele uma resposta rápida, o que receitaria, como médico, aos opositores do prefeito Veneziano. "Um oculista", respondeu direto, o parlamentar. "Para ver as obras do prefeito Veneziano".

Ao sair do estúdio, Vitalzinho disse que a resposta foi dada em virtude da "cegueira que impera entre os opositores de Veneziano, que simplesmente não querem enxergar o que quase noventa por cento da população já viu: que Campina mudou para melhor e é hoje uma nova cidade, orgulho da gente".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Potencial Pesquisa & Informação

23/02


2008

Maluf recorre para não pagar multa de R$ 716 milhões

 Dois dias depois de a Justiça Federal do Rio de Janeiro receber o pedido de execução das penas dos condenados no caso Paulipetro, o ex-governador de São Paulo e atual deputado Paulo Maluf (PP-SP) anunciou que entrará com ação rescisória contra a sentença, que o condena a pagar R$ 716 milhões ao Estado de São Paulo.

O advogado de Valter Amaral, que abriu o processo em 1980, João Cunha, não acredita na possibilidade de Maluf conseguir a anulação, já que se trata de uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), contra a qual não caberia mais recurso. Segundo o advogado, o máximo que o deputado conseguirá será criar obstáculos para protelar o pagamento.

"Ele (Maluf) perdeu 12 recursos em 17 anos", afirma Cunha. "É conversa para ficar bem com a opinião pública". A Paulipetro foi um consórcio criado por Maluf em 1979, ano em que ele assumiu o governo paulista, unindo a Companhia Energética de São Paulo (Cesp) e o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).

Foram perfurados 60 poços no interior do estado no início da década de 80, mas nem uma gota de petróleo foi encontrada, apenas algumas pequenas reservas de gás natural. O fracasso levou Valter do Amaral, advogado na época e desembargador federal atualmente, a mover a ação popular contra o consórcio.(Da Tribuna da Imprensa)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

roberto de pessoa

Quem acredita que ele vai pagar que atire a primeira pedra.


Banco de Alimentos

23/02


2008

Lula, Evo e Cristina reunidos discutem crise do gás

 O presidente da Bolívia, Evo Morales, disse que é necessário redistribuir o gás natural exportado para o Brasil e a Argentina para atender à crescente demanda destes países, tendo em vista a proximidade do inverno.

''Devemos nos ajudar e nos complementar'', disse Morales em entrevista publicada hoje pelo jornal argentino ''Clarín'', horas antes de se reunir em Buenos Aires com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a chefe de Estado argentina, Cristina Kirchner.

O objetivo do encontro é tentar solucionar de forma pactuada a redistribuição do gás boliviano.

Lula, que iniciou nesta sexta-feira sua primeira visita oficial do ano à Argentina, se reuniu com Cristina, com quem assinou um pacote de acordos de cooperação em energia, armamentos e transportes.

Os dois trocaram elogios, mas evitaram comentar abertamente em público suas divergências sobre o tema do gás boliviano. Lula insistiu em impulsionar a integração com a Argentina e mostrou disposição para resolver as diferenças.

Os três presidentes se encontrarão hoje na Quinta das Oliveiras, nas imediações de Buenos Aires, por iniciativa de Morales, que reconheceu que não pode atender aos compromissos energéticos assumidos com Brasil e Argentina. (Informnações da Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/02


2008

O PAC existe e vai dar o que falar, garante jornalista

 Coluna de Paulo Henrique Amorim

. Estou no Complexo de Manguinhos, subúrbio do Rio, num posto móvel da Secretaria do Trabalho do Estado, estacionado na comunidade da Varginha.

. Entrevistei pessoas na fila para conseguir um emprego com salário entre R$ 600 e R$ 800 por mês nas obras do PAC.

. As filas se formaram desde segunda-feira e hoje mais de 14 mil pessoas se cadastraram.

. A relação de vagas para candidatos é de um para dez.

. Os que não conseguirem emprego direto nas obras do PAC estarão cadastrados automaticamente e poderão se candidatar a outras vagas no futuro.

. As obras do PAC se realizarão em Manguinhos, no Alemão, na Rocinha e no Pavão-Pavãozinho.

. 50% dos candidatos são mulheres.

. Mais de cem candidatos têm diploma universitário.

. A maioria dos que eu entrevistei é de empregados temporários, biscateiros, que querem usufruir dos benefícios da carteira assinada.

. O posto da Secretaria do Trabalho tem duas portas.

. A primeira é para o candidato se inscrever.

. A segunda é para tirar ou renovar a carteira de trabalho, porque o candidato precisa de carteira do trabalho, identidade e atestado de residência.

. Serão contratados com prioridade: as mulheres e os moradores da comunidade em que houver a obra.

. A principal obra de Manguinhos será a urbanização da favela.

. No Alemão, Rocinha e no Pavão-Pavãozinho, além da urbanização haverá uma ligação das favelas com o sistema de transporte da cidade, de preferência, o metrô.

. Muitos entrevistados dizem: "quero trabalhar no PAC", "preciso desse emprego no PAC", "se eu entrar para o PAC vou melhorar de vida".

. O PAC é, no Rio, uma possibilidade concreta de conseguir emprego e melhorar de vida.

. O PAC no Rio não é uma exposição em Power Point nem um conjunto de números que o Nei ou a Patrícia, que eu conheci aqui em Manguinhos, possa entender.

. O PAC já existe e daqui até 2010, quando as obras teoricamente se concluírem, vai dar o que falar.

Em tempo: o PIG de São Paulo não ignora o PAC. Espinafra o PAC. É o caso da Folha, que criou um PAC paralelo, o chamado "PAC-da-Folha", com números e obras diferentes daqueles do PAC . O PIG do Rio, ou seja, as Organizações (?) Globo trata o PAC com o tradicional intuito de boicotar o Rio. A Globo é contra o Rio. Tanto assim que desde quando começaram as filas para trabalhar no PAC a preocupação da Globo é demonstrar que a fila é composta de traficantes de cocaína. Mais ou menos como se 14 mil cariocas entrassem numa fila debaixo do sol, numa temperatura de 35 graus, para chegar no canteiro de obras e vender papelotes. É bom lembrar que o jornal O Globo trata o PAC com o emprego do verbo "emPACar". O Rio resiste à Globo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/02


2008

Delfim diz que zerar a dívida tem importância simbólica

 O ex-ministro Delfim Netto, czar da economia durante o regime militar, disse, em entrevista ao jornal O Globo, que o fato de o Brasil ter se tornado um credor externo é positivo, mas o valor é ''''mais psicológico do que substantivo''''. Ele ressalta que o fato mostra o que vinha se dizendo há vários anos: a dívida externa só podia ser resolvida pelo caminho da exportação.

Delfim aponta ainda para o desafio de reduzir a dívida pública interna, que, segundo ele, é o nosso calcanhar de Aquiles. Mas acrescenta que o presidente Lula sabe que é preciso e vem tentando fazer isso.

O economista, que hoje é um importante interlocutor do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acredita que o país obterá grau de investimento até o fim deste ano. No entanto, avisa que não dá valor importante ao grau de investimento, já que não dá nenhum valor às agências de classificação de risco.(Informações de O Globo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Ednaldo Ferreira

Essa desgraça ainda vive????

roberto de pessoa

Quem acredita em história de fadas? Pois é. Essa questão de credor é feito o caso do petróleo. Como nós somos alto suficiente em patróleo e temos uma das gasolinas mais cara do mundo? E se nós dependenmos tanto do gás da Bolívia? Isso tudo é blablabla.



23/02


2008

Entre o golpe de 64 e Fidel

Carta Capital

 Mais coerente e desabrido do que seus pares, Ruy Mesquita disse que a Revolução Cubana foi a maior tragédia política do século passado. Trata-se de um ponto de vista que os senhores da mídia nativa certamente compartilham, embora menos claros e peremptórios do que Mesquita. Na minha opinião, a maior tragédia política do século passado para o Brasil foi o golpe de 1964, com todas as conseqüências e desdobramentos, pelos quais pagamos até hoje.  Deste ângulo, a presença de Fidel Castro no cenário latino-americano teve importância notável. A decisiva contribuição do governo dos Estados Unidos e dos seus instrumentos de agressão, dos mais subdolosos aos mais ostensivos, ao golpe perpetrado pelos gendarmes da elite brasileira poderia ter outra dimensão caso não se percebesse na linha do horizonte a ilha de Fidel. Algo assim como a montanha nevoenta que surge aos olhos de Ulisses, o Odisseu, ao cabo de sua última viagem, que Dante cantou em lugar de Homero.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

roberto de pessoa

O que dizer do golpe de 64? E o que dizer das grandes guerras mundiais? E o que dizer da guerra do Vietinam? A invasão do Iraque (2 x)? As bombas nucleares lançadas no Japão? E a fome na África? Foram açoes políticas ou não? Me perdoe caro Magno, mas esse Ruy Mesquita é um imbecil de carteirinha.



23/02


2008

Um país de muito passado agora tem algum futuro

 Em 1953, levado a julgamento pelo crime de ter enviado seus primeiros seguidores para um ataque suicida a um quartel, o jovem advogado Fidel Castro Ruz assumiu a própria defesa e o fez de forma magnífica. Antecipando a retórica magnética, grandiosa, arrogante mas farsesca que o caracterizaria pelo resto da vida política, disse aos juízes: "A história me absolverá". Passou-se mais de meio século e, aos 81 anos, conceda-se, Fidel está diante do tribunal da história. Visto o sofrimento que infligiu ao povo durante 49 anos como senhor absoluto de Cuba, a absolvição está fora de cogitação. Cabe recurso? Não dá mais tempo. Fidel está em fase terminal de uma grave doença e, na semana passada, anunciou que não mais concorreria à eleição indireta que escolhe o presidente e o comandante-em-chefe das Forças Armadas.(Revista Veja)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/02


2008

Lula surfa na economia

Revista VEJA

 Em troca do reconhecimento de sua independência, dois séculos atrás, o Brasil foi obrigado a absorver toda a dívida que Portugal tinha com bancos ingleses: uma fortuna, para o período, de 2 milhões de libras esterlinas. Foi a única dívida que o país herdou e a primeira de muitas gestadas por aqui mesmo. As crises mais dramáticas enfrentadas pelo Brasil ao longo de sua história deveram-se à falta de dólares ou de vergonha na cara para honrar compromissos internacionais assumidos pelo governo e por suas empresas. Desprovidos de qualquer base teórica sólida, governos sucessivos defenderam, sem enrubescer, a tese de que o atraso do país se devia à dependência financeira externa, uma espécie de pecado original. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu PT perderam três eleições presidenciais (em 1989, 1994 e 1998) tendo como bandeira o calote da dívida externa. A ruptura de Lula com as idéias anacrônicas foi marcada pela divulgação da Carta ao Povo Brasileiro, em junho de 2002, em meio à turbulência financeira irradiada pela então provável ascensão do PT ao poder. No documento, o petista afirmava que, se eleito, honraria o pagamento da dívida. Fez mais do que isso. Na semana passada, o Banco Central anunciou que, em janeiro, pela primeira vez na história, o Brasil passou de devedor a credor externo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

jose carlos da silva

E a utilização dos cartões corporativos? E a corrupção? Este governo é, mas muito INCOMPETENTE. Isto sim.

Sérgio J. Cadena Bandeira de Melo

QUERO SABER O BRASIL TER PASSADO DE DEVEDOR PARA CREDOR EXTERNO; COMO ESTÁ A SAÚDE? OS ATENDIMENTOS, SEGURANÇA ESTE ANO P.e. 629 MORTES,HOJE 23 FEV. ESTAMOS 231MORTES,AS ROD. FEDERAS?MARCA-SE CONSULTA PARA DAQUI A 3 MESES,DOENTES NO CHÃO COMO CÃES EM UM CANIL.O lula SURFA;OS BRASILEIROS AFUNDAM

roberto de pessoa

blablablablablablablablablablablablabla.



23/02


2008

Por que não o risco-Estados Unidos?

Carlos Chagas - Tribuna da Imprensa

 Ninguém duvida de que a economia americana balançou e ainda balança. A partir dessa evidência vem a pergunta que ninguém faz: não estaria na hora de criarmos, por aqui, o "risco-Estados Unidos"? Valeria a pena continuarmos colocando a nossa economia, que vai de vento em popa, segundo o presidente Lula, na dependência dos percalços e terremotos acontecendo lá em cima?

Por que aceitarmos a prevalência do "risco-Brasil", que empresas americanas, algumas até à beira da falência, continuam nos impondo? A hora seria de um pouco de coragem e de muita independência. Dependerão nossas exportações, em imensa maioria, das oscilações do dólar e dos juros que o Federal Reserve manipula? Ou o preço da soja subordinado a decisões da bolsa de Chicago? Deveremos ficar à mercê de vetos ou de permissões americanas para vendermos à Venezuela aviões construídos pela Embraer só porque um componente foi importado dos Estados Unidos? Nesse relacionamento entre os dois países existem imposições que não seriam aceitáveis sequer em clima de normalidade econômica, quanto mais na confusão atual.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/02


2008

Coluna de hoje na Folha

         Céu de brigadeiro

Numa leitura preliminar, até que Eduardo Campos (PSB) não terá muitas dificuldades para se engajar nas eleições de prefeito na Região Metropolitana. Com a confirmação de sua candidatura em Olinda, o deputado Renildo Calheiros (PCdoB) pode contar, desde já com apoio dos três níveis de poder - federal, estadual e municipal.

No Cabo, o palanque de Eduardo será o do prefeito Lula Cabral (PTB), que disputará a reeleição com amplas chances de vitória. Já em Paulista, o PSB tem candidato: o prefeito Yves Ribeiro. Em São Lourenço, Eduardo estará no palanque do ex-deputado Ettore Labanca, que hoje cuida da articulação política com a Assembléia, cargo do qual se desincompatibilizará em abril.

Em Moreno, o PSB também tem candidato. Arraesista histórico, Adilson Gomes já tem quase a certeza de que ganhará o apoio do governador, embora Jane Mendonça, do PR de Inocêncio Oliveira, também esteja no páreo. Quadro sem conflitos também está em Camaragibe, onde o prefeito João Lemos disputa a reeleição pelo PCdoB, da base do Governo.

Em Igarassu, Eduardo não faltará também a Guilherme Uchôa, que, ontem, reafirmou que sua candidatura é irreversível. Deu para perceber que na RMR está um céu de brigadeiro para o governador.

TURBULÊNCIAS - As maiores dificuldades para o governador estão no Sertão e Agreste. Em Serra Talhada, Eduardo não irá, para não contrariar nem o grupo do deputado Inocêncio Oliveira, que apoiará a reeleição de Carlos Evandro (PR), nem as forças que ali fazem oposição apoiadas pelo deputado Armando Monteiro Neto, que disputarão provavelmente com o ex-deputado Augusto César. Já em Caruaru, até o momento não sinalização de que a vereadora Laura Gomes, do PSB, aceite ser a vice do deputado José Queiroz (PDT).

Sanguessuga paraibano - Em João Pessoa, o senador Cícero Lucena (PSDB) perdeu tanto terreno na pré-disputa que trava com o prefeito Ricardo Coutinho (PSB) que nem se lembrou, ao requerer licença de 90 dias, que seu suplente, o ex-deputado Carlos Dunga, é sanguessuga. Agora, pagará um preço mais caro e pode inviabilizar sua campanha para prefeito.

Abandono de hospital - O presidente em exercício da Assembléia Legislativa, Ciro Coelho (DEM), está indignado com o abandono do hospital Dom Malan, em Petrolina. “Ali falta até medicamentos simples, como o analgésico Dipirona, sem falar no sucateamento dos equipamentos e na falta de médicos. Nunca vi igual descaso”. Com a palavra o prefeito de Petrolina, Odacy Amorim.

Hora do gesto - É incrível, mas não surge uma voz em defesa dos escreventes na AL. Aprovados em concursos, os 250 profissionais que atuam nos cartórios nunca imaginaram que um dia iriam viver em regime de escravidão, porque nem o Estado nem o Tribunal de Justiça os reconhecem como funcionários públicos. Chegou a hora de o governador  fazer um gesto.

Sem tapinhas - Cadoca e Raul Henry participaram ontem, da reunião da bancada federal com alguns deputados estaduais para tratar de uma estratégia que acelere a votação do projeto-de-lei que regularize o jogo do bicho. O encontro foi na Assembléia Legislativa, mas para não ficar frente a frente, um chegou depois que o outro saiu. A briga está feia!

Curtas

ESMAGADO - Tem tudo para se transformar num retumbante fracasso a estréia do prefeito de São Lourenço, Jairo Pereira (PSDB), como candidato a prefeito itinerante em Camaragibe. Ali, o prefeito João Lemos tende a esmagá-lo nas urnas. 

REGA-BOFE - O presidente da CNI, Armando Monteiro Neto (PTB), ganha uma homenagem dos amigos, na próxima segunda-feira, quando aniversaria. Será um rega-bofe na churrascaria Boi Preto, no Pina. Armando é pré-candidato ao Senado. 

REELEIÇÃO - A vereadora Rogéria Coelho (PV) nega que tenha pretensões de disputar a Prefeitura de Taquaritinga do Norte como candidata do ex-prefeito João Pereira Coelho (PSDB), que foi cassado. “Sou candidata à reeleição”, esclarece.

''Agradeçam a Deus, o SENHOR, anunciem a sua grandeza e contem às nações as coisas que ele fez''.(Salmos -105-1)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

milton tenorio pinto junior

Deveria era acabar com as taxas abusivas dos Cartorios, que só favorecem os donos . Nesses cartorios só se veem parentes trabalhando juntinhos. Uma verdadeira maquina de extorquir os cidadãos.

josival Coelho de Amorim

Amigo Ciro, corra e faça logo alguma coisa para melhorar este hospital porque ele precisa atender bem melhor e voce é parte responsável por esta região. Esqueça as críticas aos outros e faça algo menos estéril.

roberto de pessoa

O retorno de Labanca a São Lourenço da Mata será muito bom para Eduardo Campos, mas será um desastre para São Lourenço. O que Labanca faz de melhor é dá esmolas na porta de sua casa. Óculos, caixão de defunto, remédios e muitas outras coisas. Volta a época do assistencialismo podre e barato.

Carlos Britto

Enviado por: Carlos Britto Esse deputado mostra por que sempre teve votações ridiculas aqui em Petrolina. Só faz criticar. Manda ele dizer o que ele tem feito pra ajudar além da crítica? E pergunta se ele esqueceu que o PFL , com ajuda dele fez foi fechar o hospital quando estava no poder? E nunc

João Batista

Grangeiro é realmente um poliglota da política pernambucana, o homem na verdade sabe de tudo, pena que maltrata o jornalista Magno. Calma Grangeiro !!!!