O Jornal do Poder

20/05


2012

Ciro reativa a metralhadora giratória em tudo e todos

 Em ano sabático, “com direito a leituras, atividades físicas e maios tempo com a família”, o ex-ministro Ciro Gomes volta a empunhar sua metralhadora giratória hoje, em entrevista aos jornalistas Heródoto Barbeiro, Ricardo Kotscho e Diego Iraheta e ao economista Rogério Mori (FGV), na TV Record. Mirou nos governadores de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB); do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB); e de Minas, Antonio Anastasia (PSDB); e, como sempre, no ex-governador paulista José Serra (PSDB), seu desafeto de estimação.(Luiz Carlos Azedo - Correio Braziliense)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

celsomachado40@bol.com.br

Não entendo o PQ da imprensa ainda dar HOLOFOTES para esse PORRA LOUCA da política nacional? Usa a inteligência para ser o HOMEM BOMBA de qualquer adversário SUPRA-PARTIDÁRIO, incrível o poder de injetar e destilar o seu VENENO contra tudo e todos, será que ainda vai ter algum mandato? só no ceará!!


Potencial Pesquisa & Informação

20/05


2012

Planalto tem olheiro nos bastidores da CPI

 Embora a presidente Dilma Rousseff viva repetindo que a CPI do caso Cachoeira é um assunto do Congresso e que o Palácio do Planalto não irá interferir de forma alguma no andamento das investigações, o governo está acompanhando muito de perto o que se passa na comissão. Um assessor da Secretaria de Relações Institucionais (SRI) com vasta experiência em CPIs chegou a ser escalado para a função, mas por ser muito próximo da ministra Ideli Salvatti, a estratégia agora é que ele fique trabalhando apenas nos bastidores. Trata-se de Paulo Argenta, o subchefe de Assuntos Parlamentares da secretaria. A maior preocupação do Planalto é que complicações da Delta Construtora no esquema de Cachoeira acabem respingando no governo

Ele é o braço direito de Ideli desde a época das CPIs dos Bingos e dos Correios, entre 2005 e 2006, quando ocupava o cargo de assessor político da então senadora. Era ele quem municiava a chefe com informações e análises sobre as investigações. No caso da CPI do Cachoeira, ele vem fazendo o mesmo trabalho que fez durante as investigações do escândalo do mensalão, mas desta vez se afastou fisicamente das salas da comissão para que a digital do Planalto não fique tão marcada no Congresso.(Informações de O Globo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

20/05


2012

Bolsa Consultoria. Para sobreviver

 Quando foi apanhado com uma Bolsa Consultoria de R$ 1 milhão da Federação das Indústrias de Minas Gerais, o comissário Fernando Pimentel disse que essa "foi a forma que eu tive de ganhar dinheiro e sobreviver". Agora, descobriu-se que no ano passado voou da Bulgária para a Itália num avião fretado pelo organizador de eventos João Dória. Pimentel explicou que não havia outro transporte disponível. Havia: automóveis, trens e aviões de carreira. O doutor sobrevive bem, com patrocínio alheio. (Elio Gaspari)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/05


2012

O rei dos holofotes

 O senador Alvaro Dias, agora líder do PSDB no Senado, não pode ver um microfone de TV ou um gravador de repórter. Fala, fala, fala -e não diz nada. Afinal, uma fala sua produz efeito: ''Se houver deliberação a respeito de Perillo, vamos dar o troco''. Deliberação, aí, é convocação pela CPI. Troco, é requerimento para convocação também dos governadores Agnelo Queiroz e Sérgio Cabral. No papel de guarda-costas do governador Marconi Perillo, Alvaro Dias facilitou o acordo de blindagem dos três governadores. (Jânio de Freitas - Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

jose silva antonio

ESSE SENADOR É MAIS UM LARANJA DO CACHOEIRA IGUAL O DEBOSTENES

celsomachado40@bol.com.br

Essa é a POLITICALHA que já deveria estar estirpada da classe política,a conclusão que o povo sabiamente chega, e muitas vezes endosso, é que são todos farinha do mesmo saco, é um tal de toma lá e dá cá, se pegar o MEU, pego o SEU, o que podemos esperar dessa CPI? PIZZA, PIZZA,PIZZA e muita PIZZA, s



20/05


2012

Ignorância

ELIO GASPARI 

 Um general da ativa disse ao repórter Evandro Eboli que a indicação da advogada Rosa Cunha, defensora da presa Dilma Rousseff, teve um caráter de ''afronta''. (O jurista não se identificou.)

Talvez ele fosse um capitão ao final da ditadura. Ainda há oficiais que não entenderam que o exercício da advocacia é uma coisa, as atividades do réu, outra.

Foi esse tipo de ignorância que levou oficiais do 1º Exército a prender o advogado Sobral Pinto em 1968. Deu no que deu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/05


2012

Mensalão do DEM: pronta denúncia contra responsáveis

Ficou pronta a denúncia que levará à Justiça os envolvidos no maior escândalo de corrupção da história do Distrito Federal, o mensalão do DEM, que levou à queda do governador José Roberto Arruda em 2010. Pelo menos 25 pessoas devem ser denunciadas ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) por formação de quadrilha, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro. Empresas eram contratadas para prestar serviços ao governo do Distrito Federal. A subprocuradoria dirá que os repasses comprovam que o esquema foi alimentado por recursos públicos.

A denúncia incluirá Arruda e integrantes de seu governo, como o vice Paulo Octávio e o ex-secretário Durval Barbosa, que delatou o esquema. Os donos das empresas também serão acusados. O ex-governador deve responder pelas supostas práticas de corrupção passiva e formação de quadrilha.

O caso estourou em novembro de 2009, quando a Polícia Federal deflagrou a Operação Caixa de Pandora. Vídeos gravados por Durval Barbosa revelaram a distribuição de dinheiro a políticos, entre eles o próprio Arruda, que acabou cassado pela Justiça Eleitoral por ter deixado seu partido, o DEM. (Informações da Folha de S.Paulo - Leandro Colon)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/05


2012

CPI: quem acredita?

  A defesa de Carlos Cachoeira mal está pesquisando os autos do processo na sala-cofre do Senado. Nesta semana, advogados estiveram terça-feira, por apenas 30 minutos. Quarta-feira, dois advogados fizeram pesquisa, um por 31 minutos e, outro, por cerca de 2h30min. Um deles, Augusto Botelho, saiu reclamando que o material estava bagunçado e que seria melhor ler os autos de sua própria casa. Se a defesa tem os autos, para que pedir protelação de prazo? O presidente da CPI, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) enviou estas informações ao ministro Celso de Mello, do STF, para mostrar que o pedido de habeas-corpus da defesa de Cachoeira é uma chicana protelatória. (Ilimar Franco - O Globo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/05


2012

As bizarrices e baixo nível de um governador e um ex

Aliados em Brasília PT e PMDB são inimigos mortais no Mato Grosso do Sul. Personificam a rivalidade o ex-governador Zeca do PT e  o atual governador André Puccinelli. Sem mandato, Zeca anunciou que irá às urnas de 2012 como candidato a vereador em Campo Grande. Abespinhado, Puccinelli lançou um repto: “Corto o meu saco se ele conquistar 30 mil votos”. Ato contínuo, Zeca fixou uma meta para sua felicidade: 30.001 votos. “Se isso acontecer vamos ver se ele, com esse comportamento mesquinho, baixo, cumpre o prometido. A população vai cobrar dele que corte o que está dizendo”. Vivo, Darwin seria forçado a atualizar sua teoria. Constataria que, em certos pedaços do mapa brasileiro, o homem já involui. O ser humano continua sendo um empreendimento inviável. Mas torna-se toscamente divertido.(Do blog de Josias de Souza)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/05


2012

14º e 15º salários: mordomia sem prazo para terminar

Onze dias após ser aprovado no Senado, o projeto de decreto legislativo que pode acabar com 14º e 15º salários recebidos pelos parlamentares do Congresso Nacional finalmente chegou à Câmara dos Deputados e ganhou um número oficial de tramitação: PDC nº 569/2012. A agilidade com que a proposta deve caminhar na Casa, porém, depende exclusivamente da vontade política de seus integrantes. Na hipótese mais otimista, chegaria ao plenário em 40 dias. Até o momento, 13 parlamentares abriram mão da benesse.

No Senado, o projeto demorou um ano e três meses para ser aprovado. Apresentado em fevereiro de 2011 pela então senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), o texto ficou parado na Comissão de Assuntos Econômicos até março deste ano, quando o Correio Braziliense/Diario denunciou que não era descontado Imposto de Renda do benefício. Após a reportagem, a proposta completou a tramitação em menos de dois meses.

O texto está sob análise da Secretaria-Geral da Mesa Diretora da Câmara, que aponta as possíveis comissões pelas quais ele deve passar. Até a próxima terça-feira, o presidente da Casa deve confirmar essa indicação. O mais provável, segundo técnicos da secretaria, é que o projeto passe pelas comissões de Constituição e Justiça e de Finanças e Tributação. Se seguir o rito comum — e com o mínimo de celeridade —, o texto pode levar cerca de 40 dias para chegar ao plenário.

A partir daí, outra odisseia será travada até a votação. A pauta de sessão ordinária está trancada por medidas provisórias desde o início do ano e não há previsão de quando ela será liberada. A saída, portanto, é ser aprovado o pedido de urgência apresentado na quarta-feira pelo líder do PPS, Rubens Bueno (PR) — com o aval de 14 partidos. Para isso, é preciso que seu projeto seja apensado ao que chegou do Senado. Em seguida, o requerimento de urgência deve ser aprovado em plenário por maioria absoluta — 257 deputados.

Saiba mais

Os números da benesse:

Deputados federais recebem dois salários extras por ano, de R$ 26.723,13

O benefício pago a cada parlamentar custa R$ 53.446,26 anualmente

Nos quatro anos de mandato, a regalia representa R$ 109,6 milhões à Câmara.

A recusa de 10 parlamentares em receberam o dinheiro representa economia de R$ 2,1 milhões até 2014

Deputados que abriram mão

Augusto Carvalho (PPS-DF)
Carlos Sampaio (PSDB-SP)
Érika Kokay (PT-DF)
Francisco Araújo (PSB-RR)
Gorete Pereira (PR-CE)
Henrique Oliveira (PR-AM)
Izalci (PR-DF)
Lincoln Portela (PR-MG)
Luiz Pitiman (PMDB-DF)
Policarpo (PT-DF)
Reguffe (PDT-DF)
Rubens Bueno (PPS-PR)
Severino Ninho (PSB-PE)  
(Do Correio Braziliense)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

jose silva antonio

PURA HIPOCRISIA DESSES 13 INDIOTAS SO PARA APARECER



19/05


2012

Os inocentes de sempre

CARLOS BRICKMANN

1 - Fernando Cavendish, dono da empreiteira Delta à época dos fatos investigados, não foi chamado para depor.

2 - O governador fluminense Sérgio Cabral, do PMDB, amigo de Cavendish a ponto de pegar um avião emprestado para ir a seu aniversário em Porto Seguro, não foi chamado a depor.

3 - O deputado petista Cândido Vacarezza, da tropa de choque governista, um dos caciques do partido em São Paulo, foi filmado passando um torpedo para o governador fluminense Sérgio Cabral, do PMDB, garantindo que ele não seria alcançado pela CPI. Como disse Vacarezza (seguindo, aliás, as normas gramaticais tipo ''nós pega os peixe'', endossadas por seu candidato a prefeito de São Paulo, o então ministro Fernando Vaiddad): ''a relação com o PMDB vai azedar na CPI. Mas não se preocupe, você é dos nossos e nós somos dos teu''.

4- O PT queria torpedear o governador goiano Marconi Perillo, do PSDB, poupando o fluminense, Sérgio Cabral, do PMDB, e o brasiliense, Agnelo Queiroz, do PT. Queria atingir a imprensa (Veja) e o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, acusador no julgamento do Mensalão. O PMDB, mais velho, mais sábio, mais experiente, sabe que as coisas não acontecem assim: pau que dá em Chico dá em Francisco, o cipó de aroeira bate no lombo de quem mandou dar, etc. O alto comando do PMDB, reunido por José Sarney e Renan Calheiros, vetou a besteira. O PMDB acha que a CPI foi um erro e é melhor enterrá-la.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha