Lavareda

16/09


2011

Dilma diz que PMDB é fundamental para seu governo

Sandro Lima Do G1, em Brasília

A presidente Dilma Rousseff e o novo ministro do Turismo, Gastão Vieira, durante fórum do PMDB, em Brasília. (Foto: Ed Ferreira/AE)
A presidente Dilma Rousseff e o novo ministro do Turismo, Gastão Vieira, durante fórum do PMDB, em Brasília. (Foto: Ed Ferreira/AE)

Em discurso durante o Fórum Nacional do PMDB nesta quinta-feira (15), em Brasília, a presidente Dilma Rousseff afirmou que o PMDB é um partido "fundamental" para o seu governo. Dilma exaltou a “lealdade” do vice-presidente da República, Michel Temer. “Esse relacionamento estreito tem me mostrado como Michel Temer exerce sua função com eficiência no governo e lealdade tanto no trabalho nas questões próprias do governo como nas articulações políticas”, afirmou a presidente.

No evento, Dilma também agradeceu o apoio e a “ação firme” das bancadas do PMDB na Câmara e no Senado e pediu que o partido a ajude na aprovação de projetos de interesse do governo no Congresso. De acordo com a presidente, a “parceria” com o PMDB deu “passos decisivos” nos oito primeiros meses de governo.

A presidente elogiou o PMDB por ter escolhido como temas prioritários para as eleições de 2012 a melhoria da saúde, da educação e da segurança pública, bem como o respeito ao meio ambiente. “Os prefeitos do PMDB e aqueles que vierem a ser eleitos em 2012 saberão, e sabem hoje, que saúde, educação e segurança são temas fundamentais do meu governo”, afirmou a presidente.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ALEPE

16/09


2011

Dilma ainda refém do fisiologismo do PMDB por cargos

 Não há sintonia entre o PMDB e a presidente. Enquanto Dilma cumpre a obrigação de engolir as indicações do tipo Pedro Novais, lembrando-se também do episódio Wagner Rossi, de semanas atrás, o PMDB fornece evidências de importar-se muito pouco com as qualidades de probidade e competência que deveriam embasar suas indicações.   Não apenas na Agricultura,  antes, e no Turismo, hoje, fica clara a preocupação maior do partido  de ocupar fatias da administração federal para satisfazer seus caciques regionais, interessando-se menos pela performance de seus ministros.
                                                       
Não chegará a bom resultado esse distanciamento entre as metas da presidente, de eficiência no governo,  e os objetivos do PMDB, de tirar vantagem do  respaldo dado ao Executivo no Congresso. Um dia a corda arrebenta.  (Carlos Chagas)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

15/09


2011

Começa caça a ''''deslizes'''' do novo ministro. Encontraram

Não tardou muito para os meios de comunicação iniciarem a caçada aos ‘’podres’’ de mais um ministro que chega para compor a equipe da presidente Dilma Rousseff. O recém-nomeado para o Turismo, Gastão Vieira não escapa à varredura de imprensa. E a julgar pelo que informa o jornal O Globo, Gastão andou cometendo pequenos deslizes na sua passagem pela vida pública. “Em uma das duas vezes em que pediu licença do cargo, para assumir a Secretaria de Planejamento e Orçamento do Maranhão, em 2007, continuou usando o apartamento funcional da Câmara dos Deputados”, publica o jornal. Em 2008, uma reportagem do GLOBO mostrou que Gastão Vieira empregou a filha, Lycia Maria Vieira, como funcionária comissionada na Câmara. Quando o Supremo Tribunal Federal (STF) proibiu a prática de nepotismo, ela foi exonerada.

Segundo ainda o jornal carioca, menos de um mês antes de ser indicado pelo partido para assumir o Ministério do Turismo, Gastão fez piada com o PMDB. Ele foi entrevistado pelo ''CQC'', da Band, no último programa de agosto. Na ocasião, o repórter Rafael Cortez pediu para que os deputados federais elegessem o pior parlamentar do Congresso, e o novo ministro se esquivou dizendo que não votaria em ninguém. Em seguida, o jornalista pergunta qual é o partido de Gastão.

- O PMDB está na lista dos partidos que mais traíram - brinca o repórter.

- Não é mais traíram. É mais traíra - responde o peemedebista, completando:

- O PMDB tem uma característica: todo mundo manda, ninguém obedece e todo mundo faz o que quer.

Durante entrevista à rádio Estadão ESPN, nesta quinta-feira, Gastão foi indagado sobre o que realmente pensa da sigla:

- Fiz a declaração no contexto de um programa de humor, onde as frases satíricas são colocadas, e você tem que colocar também da mesma forma. Foi um contexto completamente diferente do que uma discussão mais séria do nosso partido.

Gastão disse ainda que foi apenas uma ironia, que seria falta de educação não atender o jornalista e que seu partido não viu com maus olhos a entrevista:

- Tanto que (o partido) me indicou - finalizou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Nivaldo

HOJE NO BRASIL POLÍTICO QUE NÃO É MENTIROSO, NÃO TEM VALOR NEM PODER.


Abreu no Zap

15/09


2011

Líder: PMDB está em lua de mel com Dilma, e é invejado

O líder do PMDB na Câmara, deputado Henrique Alves, no fórum nacional do partido, em Brasília (Foto: Pedro Ladeira / Frame / Agência Estado)O líder do PMDB na Câmara, deputado Henrique Alves, no fórum nacional do partido, em Brasília (Foto: Pedro Ladeira / Frame / Agência Estado)

O líder do PMDB na Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (RN), disse nesta quinta-feira (15) que o governo e o PMDB estão em ''''lua de mel'''', mas que "aqui e acolá'''' o partido é alvo de agressões gratuitas. Alves disse que o partido não tem medo de "cara feia" e desperta "sentimento de inveja", mas não disse de quem.

"O governo está em lua de mel com PMDB, mas aqui e acolá vocês são testemunhas de críticas ao PMDB, de agressões gratuitas ao PMDB. [...] O partido está acostumado, opartido que viveu a ditadura, dissabores que enfrentou e obstáculos está preparado para todo tipo de constrangimentos e dificuldades", afirmou o líder.(G1)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/09


2011

Educação tornará sociedade mais ética, diz Dilma

 A presidente Dilma Rousseff afirmou hoje que garantir educação a crianças e jovens tornará a sociedade brasileira mais “virtuosa” e “ética”, informa o G1. Dilma participou do lançamento de um plano de ampliação da rede de creches e pré-escolas municipais.“Um país pode ser medido pela capacidade de atender às mães e as crianças. Se tivermos nossas crianças bem educadas, com apoio, acolhimento e carinho, certamente teremos uma sociedade bem mais virtuosa, tanto do ponto de vista ético como no direito de cada um dos brasileiros a ter as mesas oportunidades”, afirmou.

Ainda durante a cerimônia de ampliação de creches, Dilma afirmou que universalizar o ensino pré-escolar é condição para que o Brasil se torne uma potência mundial. “Fazer creches é cumprir esse dispositivo que faz com que o Brasil chegue em 2016 tendo universalizado o ensino pré-escolar de quatro a cinco anos de idade. É algo fundamental para sermos uma grande potência”, disse.

(Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

15/09


2011

STF arquiva pedido de impeachment contra Gilmar Mendes

 Por unanimidade, o Supremo Tribunal Federal (STF) manteve hoje arquivado o pedido de impeachment contra o ministro Gilmar Mendes, feito pelo advogado Alberto Piovesan. Piovesan argumenta que Mendes teria recebido “benesses” de um advogado e colocou em dúvida a isenção do ministro do Supremo. A decisão de arquivar o impeachment foi tomada pela mesa do Senado e no STF contestada pelo advogado.

Relator do caso no Supremo, o ministro Ricardo Lewandowski, negou o recurso de Piovesan em decisão individual, mas o advogado apelou novamente ao plenário da Corte. O advogado Alberto Piovesan afirmou ao G1 que vai analisar a decisão do plenário do STF para verificar se cabe outra medida. O processo começou a ser analisado pelo plenário no último dia 18 de agosto, mas, depois de um voto rápido do relator, a sessão foi interrompida pelo pedido de vista do ministro Marco Aurélio Mello.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/09


2011

Senado aprova Política Nacional de Mobilidade Urbana

Rivânia Queiroz, repórter especial

O Senado Federal aprovou hoje a Política Nacional de Mobilidade Urbana. O fato foi comemorado pelo deputado João Paulo (PT), responsável por uma ampla articulação na Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara e no Senado. Com a aprovação, o PL 166 de 2010, que institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, está bem próximo de se tornar Lei. A tramitação da proposição se encerra nessa Comissão do Senado e segue para a sanção da presidente Dilma Rousseff.

 João Paulo explicou que a sua articulação para aprovação do projeto vem desde a época em que ele era presidente da Frente Nacional de Prefeitos (2005/2009). À época, ele mobilizou vários gestores e parlamentares em torno da aprovação do PL. “É um momento importante para as cidades brasileiras, que, a partir de agora, passarão a contar com um marco regulatório para tomar decisões sobre problemas sérios que afetam toda a sociedade”, comemorou.

 O deputado ainda ressaltou que a Política Nacional de Mobilidade Urbana será um importante instrumento para que a sociedade possa cobrar do poder público. O presidente da CDU, Manoel Junior, assegurou que vai lutar para que a nova Política tenha uma adesão rápida pelos gestores públicos.

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/09


2011

Sigilo eterno é inadmissível, diz presidente do PT

 O presidente do PT, Rui Falcão, disse hoje acreditar que o governo conseguirá convencer os senadores Fernando Collor (PTB-AL) e José Sarney (PMDB-AP) da necessidade de aprovar a Lei de Acesso à Informação, pondo fim ao sigilo eterno de documentos públicos. Collor e Sarney se opõem ao projeto que prevê que documentos considerados ultrassecretos sejam mantidos em sigilo por no máximo 50 anos. A decisão afetaria documentos dos períodos em que ambos foram presidentes.

''Eu acho que isso afinal vai ser votado, porque não é admissível que um país como o Brasil tenha documentos protegidos por sigilo eterno. Eu acho que o projeto de lei que vem da Câmara assegura todas as condições para proteger a segurança pública, para fazer uma classificação correta de documentos, mas não se pode conviver com a ideia de sigilo eterno'', disse Falcão.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

joão de assis alves júnior

... assumiram sem assumir e caíram como ladrões de galinha. http://www1.folha.uol.com.br/colunas/elianecantanhede/975463-severinos.shtml

joão de assis alves júnior

Severinos Pedro Novais, quinta baixa do governo Dilma em 9 meses, é 1 novo Severino Cavalcanti. Não tinha qualificações mínimas p/ assumir o Turismo às vésperas da Copa e da Olimpíada, assim como Severino jamais poderia ter sido presidente da Câmara. assumiram sem assumir e caíram como...



15/09


2011

Governo só reage à imprensa, diz presidente do DEM

 O presidente do DEM, senador José Agripino Maia (RN), disse hoje no Rio que a demissão do ministro do Turismo Pedro Novais e a sua substituição pelo deputado Gastão Vieira, também do PMDB, é um exemplo ''da forma de ser deste governo''. ''Mais uma vez o assunto foi resolvido por denúncia da imprensa, não foi nenhuma posição tomada voluntariamente pela presidente. Não existe a faxina em que se fala. O que existe é que, diante de acusações escrachadas, o governo toma iniciativas que se impõem. Não tinha outra alternativa'', afirmou Agripino.

Segundo a Folha online, o senador disse que a presidente Dilma Rousseff ''não toma iniciativas de combate à corrupção de forma voluntária''. ''Denunciada [a corrupção], diante do inevitável, da pressão da opinião pública, dos movimentos que ocorreram no dia 7 de setembro, das denúncias da oposição, o governo toma posição.'' Agripino afirmou que a forma pela qual o novo ministro foi escolhido mostra que as cinco quedas de ministro até agora não fizeram o governo mudar a sua forma de atuar.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Mirtes Oliveira

É verdade, o povo se engana com Dilma. Como disse Lúcia Hippolito, a imagem de uma grande gestora não corresponde as ações da presidenta, muito pífias. Enquanto isso Sarney dita as cartas, Lula assopra nos ouvidos dela e nós, bravo povo brasileiro, pagando o preço.



15/09


2011

Dirigentes partidários discutem mudanças no sistema eleitoral

 O sistema eleitoral brasileiro é ruim e precisa ser reformado, segundo conclusão de dirigentes partidários em debate no Fórum Nacional, organizado pelo economista João Paulo dos Reis Velloso, hoje, no Rio. Sobre a reforma política, mais uma vez, foram apontadas dificuldades para sua concretização. Segundo a Folha Online, participaram do encontro os presidentes do PT, Rui Falcão, do DEM, Agripino Maia, e do PPS, Roberto Freire, além de João Almeida, vice-presidente do PSDB, e Marcelo Castro, presidente do PMDB do Piauí.

Castro também é da Comissão Especial da Reforma Política da Câmara dos Deputados. Apesar das diferenças partidárias, em comum está a critica ao atual sistema eleitoral brasileiro. ''O nosso sistema eleitoral é uma tragédia total, é a lambança brasileira'', disse Almeida. Castro resumiu o problema: o sistema de eleição dos deputados no Brasil não segue nem o modelo proporcional de lista fechada, em que eleitores votam num partido, nem o distrital, em que cada deputado é eleito de maneira majoritária no seu distrito.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/09


2011

Golpe letal no Ministério Público

De acordo com a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 75/11, o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) poderá aplicar as penas de demissão, cassação de aposentadorias e disponibilidade dos membros do Ministério Público da União e dos Estados. O texto foi apresentado em 10 de agosto, e está na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Sendo aprovado, segue para o plenário do Senado. O Relator é o Sen. Demóstenes Torres (DEM-GO).

Ao que tudo indica a inspiração da PEC é a “vindita” ou vingança. Por “coincidência” a foi publicada no Diário Oficial do Senado Federal do dia 11/08/2011, poucos dias após a deflagração da Operação “Voucher”, capitaneada pelo Ministério Público e que resultou na prisão de 37 pessoas que exerciam funções no Ministério do Turismo, acusadas de desvio de dinheiro público na ordem de R$ 3 milhões.

A “sopa de letrinhas” embute uma das mais escandalosas tentativas de desmantelamento do Ministério Público brasileiro, com o objetivo velado de ceifar a atuação de promotores de justiça e procuradores que atuam com firmeza e independência em defesa da probidade e moralidade no serviço público, e, principalmente no combate a corrupção.

Atualmente, a perda do cargo do membro do Ministério Público só pode ocorrer após sentença judicial transitada em julgado, sendo assegurado o contraditório e a ampla defesa, é a garantia constitucional da vitaliciedade (art. 128, § 5º, I, "a" -CF) que somada à irredutibilidade de vencimentos e a inamovibilidade asseguram
a independência funcional de cada membro. Sem elas o Promotor de Justiça fica vulnerável e a instituição fragilizada.

A PEC é golpista. A finalidade das aludidas garantias constitucionais não é formar uma casta favorecida de servidores públicos, nem criar ou manter uma instituição privilegiada. O Ministério Público precisa delas para atuar com independência e altivez, de modo a garantir a prevalência do interesse público sem curvar-se a interesses espúrios de governos, partidos políticos ou grandes corporações privadas.

Segundo o autor da proposta, a PEC “desburocratiza os procedimentos para punir os membros do Ministério Público e confere maior prestígio ao Conselho Nacional”. Na verdade, a PEC cria uma espécie de demissão sumária e transforma o CNMP em Tribunal de Exceção, desvirtuando-o de sua função precípua de efetivação do controle externo. A íntegra deste artigo, do promotor Ricardo Coelho, você confere no menu Opinião. Vale a pena!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Toinho do Uniao

Magno, Essa PEC é de autoria do Senador Humberto Costa, que já foi alvo de investigação no passado. Apesar de inocentado, quer se vingar. Esse é meu humilde pensamento