Lavareda

29/10


2020

“Virei boiola, igual maranhense”, diz Bolsonaro

Na visita ao Maranhão, hoje, o presidente Jair Bolsonaro fez piada de tom homofóbico em uma parada não programada, no município de Macabeira (MA). Durante o trajeto da capital, São Luís, até Imperatriz (MA), Bolsonaro parou para cumprimentar apoiadores, que ofereceram a ele um copo de Guaraná Jesus, refrigerante cor-de-rosa, tradicional no Estado.

"Agora virei boiola igual maranhense, é isso?", provocou Bolsonaro, rindo, ao tomar o refrigerante. "É cor-de-rosa do Maranhão aí, ó. Quem toma esse guaraná aqui vira maranhense, hein?". Sem máscara de proteção contra covid-19, o presidente causou aglomeração de pessoas por onde passou e posou para selfies. A interação com eleitores foi transmitida ao vivo pelas redes sociais do chefe do Executivo.

Bolsonaro insistiu, mais de uma vez, na piada preconceituosa. Indicando a cor da bebida, ele questionou os apoiadores: "Que boiolagem é isso aqui?". Hoje, o presidente participou de visita técnica às obras de trecho da BR-135.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ALEPE

29/10


2020

Lupércio promete ampliar programa “Qualifica Jovem”

A qualificação profissional dos jovens é um catalisador importante para o desenvolvimento econômico e social das cidades. Por isso, o prefeito de Olinda e candidato à reeleição, Professor Lupércio (SD), está prometendo ampliar o Qualifica Jovem, que foi iniciado na atual gestão.

O Qualifica Jovem oferece, de forma gratuita, dezenas de cursos para os jovens terem potencializada sua entrada no mercado de trabalho. Foram 1450 formados de forma presencial e mais 750 pessoas que se qualificaram no modelo virtual.

"Minha história de vida é de superação de desafios e a educação tem papel fundamental nessa trajetória. Então vamos continuar investindo, tendo a formação da nossa juventude como prioridade de governo”, frisou Professor Lupércio.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

29/10


2020

E ninguém vai processar aloprados de Bolsonaro?

Por José Nêumanne*

Na pandemia de covid-19, enquanto convencia néscios de que a obrigatoriedade de vacina fere direitos individuais, o presidente da República reuniu chefões da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) fora da agenda. O encontro constou da agenda do serviçal Augusto Heleno, que nunca se destacou pelo uso da inteligência. Em 25 de agosto, Jair Bolsonaro levou à presença deste e do delegado Alexandre Ramagem as advogadas do primogênito, Luciana Pires e Juliana Bierrenbach, para denunciarem eventual crime de fiscais da Receita Federal na ação contra a ilícita prática de peculato quando Flávio Bolsonaro dava expediente na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

O aval dado pelo chefe do governo à teoria conspiratória do atual defensor do filho “zero um”, Rodrigo Roca, conhecido pelo patrocínio de causas de acusados de tortura na ditadura militar e substituto de Frederick Wassef, em cujo falso escritório de advocacia escondeu o subtenente PM-RJ Fabrício Queiroz, vassalo do filho, foi revelado sexta-feira 23 de outubro. E tem sido tratado como corriqueiro. Mas é grave. Muito grave. Não só por configurar nova tentativa de contornar, como num drible da vaca, a natureza técnica, fria e impessoal do relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que originou o inquérito no Ministério Público do Rio (MP-RJ) sobre extorsão de parte dos vencimentos de servidores da Alerj praticada pelo ex-assessor. Mas, sobretudo, para esclarecer que papai Bolsonaro não estava brincando quando disse que não deixaria seus parentes e amigos serem prejudicados (no jargão sujo de hábito) em reunião ministerial, tornada pública. Esta motivou a saída do ex-juiz da Lava Jato Sergio Moro do Ministério da Justiça e da Segurança Pública e a seu respeito corre ação sem futuro no Supremo Tribunal Federal (STF).

O fato configura crime de responsabilidade, passível de impeachment. Pois o chefe do governo deslocou o Coaf do Ministério da Fazenda para o da Justiça, a pedido de Moro, e depois para o Banco Central, para sacá-lo da alçada do ex-magistrado. O Coaf nunca foi subordinado à Receita, nem no périplo armado por ele e seus aliados do Centrão no Congresso para aliviar a barra do rebento. Não estranhem o uso da gíria de Rio das Pedras, sede da milícia que foi chefiada pelo capitão PM-RJ Adriano da Nóbrega, cujos depósitos na conta de Queiroz fazem parte do acervo probatório do MP-RJ. Mas não basta. Wassef, que nunca deixou de se gabar de ascendência sobre a famiglia presidencial e seu mais poderoso chefão, conseguiu do então presidente do STF, Dias Toffoli, a suspensão por seis meses de todas as investigações de crimes financeiros no País para poupar Flávio. Mas a normalidade foi restaurada no plenário por nove votos a dois, tendo o autor votado contra a própria decisão monocrática.

A presença de Ramagem na citada reunião seria prova suficiente no inquérito aberto no STF, se não fosse mero pretexto para ganhar tempo. Como o seria a denúncia do empresário Paulo Marinho, que deu explicação plausível para as demissões de Queiroz do gabinete do filho e de sua filha Natália do do pai, segundo a qual um delegado bolsonarista da Polícia Federal (PF) havia avisado o senador sobre o adiamento da Operação Furna da Onça para não prejudicar a vitória do pater familias no segundo turno do pleito presidencial. A informação poderia ter sido confirmada ou desmentida se o juiz federal Elder Fernandes não tivesse negado a quebra do sigilo dos telefones da PF para confirmar a versão do suplente, em lugar da acareação, fancaria que tenta mascarar o óbvio ululante (apud Nelson Rodrigues).

No entanto, a não ser pela débil manifestação do líder do Partido Socialista Brasileiro (PSB) na Câmara, Alessandro Molon, não houve um “pai da pátria” (todos comprometidos com o conluio-mor que paralisa a democracia e a justiça no País) que tomasse atitude capaz de deter novas tentativas espúrias de justificar o inexplicável que, na certa, estão por vir.

Nem original é. Circula pela Câmara dos Deputados o líder José Guimarães, cujo assessor foi detido com dólares na cueca no processo que investigava o financiamento espúrio de dossiê para comprometer José Serra, candidato tucano favorito ao governo de São Paulo, em 2006. Na ocasião, o então presidente Lula deu definição exata à manobra abortada: aloprados. Agora, com o Congresso Nacional e o STF mais uma vez desmoralizados com o acordo espúrio para evitar a punição de sócio da alta corte bolsonarista, Chico Rodrigues, de Roraima, o tirambaço dado por Jair Bolsonaro propondo arapongagem explícita para limpar o cueiro sujo do primogênito presidencial afundará em água de esgoto.

Assim como as ações no STF com punição adiada para as calendas gregas para evidente interferência política de Bolsonaro na PF, na Abin e no GSI e o uso do gabinete do ódio do filho “zero dois” promovendo manifestações fascistoides, essa tentativa de perseguir fiscais da Receita com devassa inadmissível será despejada na vala comum do lixão da covardia.

*Jornalista, poeta e escritor


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu no Zap

29/10


2020

Candidato a vice em São José do Egito está foragido

 

 

 

 

 

 

O candidato a vice-prefeito de São José do Egito pelo PP, Antonio Andrade, ainda não foi encontrado pela Polícia. Na última terça-feira (27), a Justiça emitiu um mandado de prisão contra o postulante, conhecido na cidade como Antonio do Milhão.

A decisão é da juíza Tayna Lima Prado, da Segunda Vara da Comarca de São José. O motivo, segundo uma fonte em reserva, é o não pagamento de pensão alimentícia. Ainda de acordo com informações obtidas pelo blog, a Polícia chegou a procurá-lo na residência, localizada no distrito de Riacho do Meio, para o cumprimento do mandado, mas ele não foi encontrado.

Ao Tribunal Superior Eleitoral, Antonio Andrade declarou ser trabalhador da construção civil. No pleito deste ano, é vice da chapa encabeçada por Romério Guimarães, que concorre à Prefeitura de São José do Egito.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


29/10


2020

Jornalista detona João Santana em mensagem a Dória

O jornalista José Nêumanne Pinto ficou indignado com a iniciativa da TV Cultura, estatal paulista, em colocar no centro do Roda Viva, na última segunda-feira, o marqueteiro João Santana, condenado na Lava Jato e ainda usando tornozeleiras. "Deu nojo", escreveu Nêumanne ao governador de São Paulo, João Dória (PSDB).

E acrescentou: "Na condição de cidadão que cumpre deveres e exige direitos do Estado, manifesto, governador, meu protesto pelo Roda Viva com João Santana. Um bandido condenado, portando tornozeleiras, usar o programa de maior prestígio de uma TV pública para oferecer seus serviços e ainda fazer galhofa é algo que leva vergonha e pudor aos esgotos mais profundos da gestão estatal".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

29/10


2020

Movimentos de Direita reafirmam apoio a Mendonça

Oito movimentos de Direita do Estado – Muda PE, Liberta Pernambuco, Liberta Brasil, Direita Livre Brasil, B38, Ordem, Conservadores PE e Resgata Brasil –   reafirmaram, hoje, o apoio da Direita e dos bolsonaristas ao candidato da Coligação Recife Acima de Tudo, Mendonça Filho. “Mendonça sempre foi de direita, defensor das pautas liberais da economia, dos valores da eficiência do estado, de políticas de resultados, da transparência e da democracia, e é a melhor alternativa para superar essa falsa alternância de poder que já dura há anos em nossa cidade”, afirmou Serapião Bispo Ferreira Neto, do Muda Pernambuco, movimento de empresários de direita.

A manifestação dos grupos de Direita é uma reação às declarações do deputado federal Daniel Coelho (Cidadania), que atacou Mendonça após o democrata cobrar da Delegada Patrícia que assuma as declarações preconceituosas contra o Recife, chamando a nossa capital de Recifilis, numa alusão a uma cidade doente, e desrespeitosa com o recifense a quem chamou de “povo feio, um verdadeiro circo de horrores”. “São inaceitáveis esses ataques. Mendonça é de direita, sempre militou contra a esquerda, foi fundamental para derrotar o PT, tem história, trabalho pelo Recife, por Pernambuco e pelo Brasil e é o único capaz de derrotar a hegemonia da esquerda no Recife”, afirmou Marcílio Valença, do Direita Livre Brasil.

Irritado com a cobrança feita por Mendonça para que a delegada responda pelo preconceito sulista contra o Recife e contra os recifenses, Daniel atacou Mendonça dizendo que o democrata é igual ao PSB. “A delegada nasceu e cresceu no Rio, e talvez não saiba o quanto dói o preconceito que nós, nordestinos, sofremos do sul do país. Ela sabe menos ainda o quanto nós gostamos de ser como somos", afirmou Mendonça, ressaltando que nenhum candidato tem o direito de esconder o seu passado e nem de ficar incomodado porque está sendo cobrado pelos seus atos e suas palavras.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


29/10


2020

Lula e Ciro Gomes se reúnem e acertam trégua

Rompidos desde a eleição de 2018, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) selaram as pazes em uma conversa. O gesto pode significar o início de uma reaproximação entre os partidos de esquerda de olho na disputa presidencial de 2022, apesar de o assunto não ter sido abordado no encontro.

O armistício foi intermediado pelo governador do Ceará, Camilo Santana, filiado ao PT, mas aliado dos irmãos Ferreira Gomes em seu estado. As tratativas para viabilizar a conversa duraram mais de um mês.

A reunião, no começo de setembro, ocorreu na sede do Instituto Lula, em São Paulo, e durou uma tarde inteira. Ciro falou de suas mágoas com o PT, enquanto Lula lembrou os ataques do ex-ministro ao partido.

O tema central da conversa, porém,foi o governo do presidente Jair Bolsonaro e a situação do país diante da pandemia de coronavírus. Diagnósticos sobre as razões do resultado eleitoral também foram apresentados.

Desde o encontro, Ciro e Lula mudaram o tom ao se referirem um ao outro e cessaram os ataques e alfinetadas. Os dois tiveram uma relação próxima, principalmente no primeiro governo do ex-presidente, quando o hoje pedetista foi ministro da Integração Nacional. O ex-presidente costumava exaltar a postura leal do ex-subordinado durante a crise do mensalão, em 2005, o primeiro grande desgaste da era petista.

Com o correr dos anos, mantiveram o contato, apesar de alguns ataques pontuais. O clima entre eles, porém, se deteriorou ao longo da eleição de 2018. Lula era o candidato do PT, chegou a ser inscrito na Justiça Eleitoral, mas foi impedido de concorrer por causa da condenação na Lava-Jato no caso do tríplex do Guarujá.

Os petistas chegaram a oferecer a Ciro a possibilidade ser vice de Lula para depois que ocorresse o indeferimento – desta forma, o pedetista assumiria a cabeça da chapa. Ciro classificou a oferta, entre outros termos, de “aberração” e “papelão” e disse que não aceitaria ser um “vice de araque”.

Na mesma campanha, o ex-presidenciável do PDT também se irritou com a manobra realizada pelo PT para tirar a candidatura de Marília Arraes ao governo de Pernambuco, em favor de apoio à reeleição de Paulo Câmara. Por esse acordo, o PSB desistiu de fechar uma aliança com Ciro na eleição presidencial. O então candidato chamou a manobra de “providência golpista”.

Como troco, quando Fernando Haddad passou ao segundo turno contra Bolsonaro, Ciro, em vez de se engajar na campanha do petista, como era esperado, viajou para Europa. Desde então, passou a subir o tom em suas referências ao PT. Em fevereiro de 2019, durante o Congresso da UNE, em Salvador, o pedetista disse a um apoiador do ex-presidente que o provocava: “O Lula tá preso, babaca”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Aí é reunião de bandidos, ninguém se mete BABACA.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

É a reunião da fome com a vontade comer. Dois grandes pilantras acertando o que vão fazer com o que resta do Brasil depois da desgovernança petralha. Triste País.



29/10


2020

“Jamais esteve sob análise privatizar o SUS”, diz Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, negou, hoje, que a equipe econômica tenha intenção de privatizar o Sistema Único de Saúde (SUS). A declaração foi dada durante audiência pública na comissão mista de acompanhamento das medidas de combate à Covid-19 do Congresso Nacional.

"Jamais esteve sob análise privatizar o SUS, seria uma insanidade falar isso. Seria como o setor privado ajudar. Vamos fazer o que o setor privado pode fazer. Não entrou em nossa consideração invadir a área de saúde para privatizar, jamais", declarou o ministro.

A declaração de Guedes foi dada após o governo federal publicar, na terça-feira, um decreto assinado por ele e pelo presidente Jair Bolsonaro, permitindo que o Ministério da Economia estudasse incluir as Unidades Básicas de Saúde (UBS) no Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República (PPI).

Ontem, Bolsonaro optou por revogar o decreto, mas argumentou que a simples leitura do texto publicado "em momento algum sinalizava para a privatização do SUS". "Em havendo entendimento futuro dos benefícios propostos pelo Decreto o mesmo poderá ser reeditado", disse Bolsonaro.

De acordo com Guedes, o SUS mostrou a "decisiva importância" de ter um sistema descentralizado de acesso à saúde. "Mostrou durante a crise porque é decisivo e porque foi um passo acertado, essa ferramenta poderosa de um sistema descentralizado de saúde. Sobre o decreto, seria um contrassenso privatizar o SUS", declarou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Esse Paulo CROCODILO Guedes junto com. Bolsonaro, são dias mentirosos.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Bolsonaro ou é maluco ou é imbecil. Assinar um decreto deste, numa conjuntura totalmente árida, somente sendo alienado ou ignorante.



29/10


2020

Pico da Covid no hemisfério norte gera reflexos no Brasil

Diante da tensão no mercado financeiro internacional, o dólar voltou a fechar no maior nível em cinco meses no Brasil. Bolsa de Valores teve a maior queda percentual para um dia desde abril. As informações são do Blog do Riella

Turbulência persistiu nos mercados internacionais ontem. As novas restrições impostas em países desenvolvidos, por causa da covid-19, afetam a recuperação da economia mundial. No entanto, vale registrar que hoje as bolsas dos principais países estão equilibradas, o que pode acalmar o mercado interno.

O segundo pico da pandemia assusta o mundo. Na Europa, a Alemanha adotará lockdown emergencial de um mês, com o fechamento de restaurantes, academias de ginástica e teatros.

Na França, o presidente Emmanuel Macron disse que o novo lockdown nacional, a partir de amanhã, permanecerá em vigor até 1º de dezembro.

A Bélgica está transferindo doentes para hospitais da Alemanha.

Nos Estados Unidos, as bolsas também fecharam em queda, pelos avanços dos casos de covid-19. A proximidade da eleição presidencial, na próxima terça-feira (3), adiciona cautela aos negócios dos norte-americanos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


29/10


2020

Propostas de Dudu serão consideradas no Renda Cidadã

As propostas do deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE) para criação do Renda Cidadã, que deve substituir o Bolsa Família e o Auxílio Emergencial, serão consideradas pelo governo federal para implantar o novo programa social. A afirmação é do Ministério da Cidadania.

Eduardo da Fonte tem se destacado com propostas que apontam recursos para o financiamento do Renda Cidadã. Entre os pontos do PL 3023/20, de autoria do parlamentar e que estabelece a criação do programa, estão o uso do lucro do Banco Central e aumento da porcentagem da contribuição social dos bancos.

“É muito importante destacar que nós trabalhamos para encontrar caminhos que possibilitam a criação do Renda Cidadã sem aumentar impostos para a população. Focamos na distribuição de renda. O retorno que tivemos do Governo Federal foi bastante positivo, fico muito feliz em ver que nosso trabalho está dando resultado na implantação desse programa que vai ajudar milhões de famílias por todo o Brasil”, afirmou Eduardo da Fonte.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha