De bigu com a modernidade

Tracker Midnight: é série especial ou pura vaidade? 

A customização de carros, que nos EUA é moda individual há décadas, a ponto de variar a intensidade por região, também chegou ao Brasil nos anos 2000. Goiano ‘tunar’ picape é tão comum que nem mais surpreende alguém, por exemplo. Mas, aos poucos, a iniciativa foi sendo absorvida pelas próprias montadoras. Agora, nem séries especiais o são mais: basta uma cor específica, um pacote de equipamentos aqui e três ou quatro modelos da mesma marca ganham o privilégio. É o caso das versões Midnight, da Chevrolet, adotada amplamente no Brasil (S10, Equinox, Onix e Cruze). No caso, qual a vantagem para o consumidor? Um diferencial na roda, uma identidade mais exclusiva, um pacote extra de conforto ali – ou de segurança – e por aí vai.

Para se destacar – Este colunista testou o SUV compacto Tracker com a configuração Midnight – que aposta no visual com acabamento escurecido e pacote de equipamentos (só um pouco) mais recheado. A versão usa motor e câmbio em comum às demais: o bom 1.0 turbo de 116cv de potência e 16,8kgfm de torque e câmbio automático de 6 marchas. Na vida diária, é excelente: trabalha bem já com faixas de torque baixas e age rápido em caso de ultrapassagens e acelerações. É, de longe, o melhor benefício do conjunto. A transmissão é tão suave que você esquece dela: não há trancos nem pedidos de ‘socorro’. Talvez fosse o caso de se pôr aletas atrás do volante, para melhor controle (afinal, é um carro customizado). A suspensão absorve a buraqueira de forma eficiente. O consumo – lembrando sempre que ele está atrelado ao comportamento do motorista – ficou na faixa dos 11 km/l, principalmente em razão do fato de ele ter sido mais usado nas vias urbanas (embora tenha circulado por BRs).

Chevrolet Tracker Midnight 2024

Consumo – Pelos dados oficiais, o consumo apresenta os seguintes números: cidade; 11,2 km/l com gasolina; estrada, 13,6 km/l. E mostram que a aceleração de 0 a 100 km/h é realizada em 10,9 segundos e a velocidade máxima é de 177 km/h. Porém, a configuração Midnight não é mais a topo de linha, como anteriormente: fica como intermediária entre a LT e a LTZ – e isso garante uma variável interessante de preços para quem sempre sonhou com “exclusividade”. O retorno da Tracker Midnight (explorando o visual, vale lembrar) foi anunciado em meados do primeiro trimestre do ano, aproveitando o sucesso do reality show BBB, da Globo.

Configurações e preços

AT turbo 116CV – R$ 130.920

LT turbo 116CV –  R$ 135.320

Midnight turbo 116CV – R$ 145.560

LTZ turbo 116CV – R$ 147.760

RS 133CV – R$ 163.820

Premier AT turbo 133CV – R$ 166.780

A versão Midnight tem emblema preto da marca, a famosa gravatinha, faróis com máscara negra, logos alusivas à versão na base das portas dianteiras e uma grade frontal com detalhes em preto brilhante. Aliás, é o mesmo acabamento adotado nos retrovisores externos e apliques dos para-choques. Por ser ‘superior’ à LT, a Midnight tem rodas de liga leve com 17 polegadas de diâmetro e acabamento preto chamado “High Gloss”. Do ponto de segurança, vale lembrar: a intermediária tem seis airbags, alerta de frenagem de emergência e controles de tração e estabilidade, por exemplo. Mas poderia ser melhor em função do preço cobrado. Modelos mais baratos de outras marcas já ofertam mais. Não há, por exemplo, teto panorâmico, retrovisor eletrocrômico, frenagem automática de emergência, monitoramento da pressão dos pneus, carregador de smartphone por indução e por aí vai. A luz de circulação diurna é em LED. Há disponíveis sensores de estacionamento e crepuscular para ligação dos faróis. E, por fim, assistente de partida em rampa e piloto automático.

Vida a bordo – Tem bancos com bom acabamento, embora mais para simples (embora ‘vendidos’ comercialmente como premium, o que não é). Claro, são pretos –  com costura pespontada cinza. O banco do motorista tem regulagem de altura manual, mas merecia algo melhor. O volante tem base reta e também revestido com o mesmo material. Há plásticos sobrando pelos painéis de portas ou no console central. Aliás, o design interno não muda em relação às demais versões – exceto, claro, a cor. 

O ar-condicionado é manual e a chave de aproximação para abertura das portas e partida por botão é útil, prática e bem-vinda nesta versão. Os retrovisores externos são elétricos (sem sinalização para mudança de faixas) e há conexão sem fio para smartphones – e  são quatro portas USB. O sistema de monitoramento e concierge da marca, o OnStar, garante wi-fi embarcado vale simultaneamente para até sete aparelhos. A direção elétrica é leve e gostosa de manuseá-la no dia a dia. Vale lembrar que ela é progressiva: quanto maior a velocidade, mas firme ela fica, por questões de segurança.

A tela da central multimídia de 8’’ tem qualidade – logo sentida no visual de média definição oferecido pela câmera de ré. O espaço, comum a todas as configurações, garante conforto a quatro ocupantes. O porta-malas tem capacidade para quase 400 litros (393, para ser exato), algo suficiente para uma família de quatro pessoas (casal e dois filhos).

Dos 10 SUVs compactos mais vendidos em setembro, o Tracker (todas as versões) emplacou 6.537, o Volkswagen T-Cross ficou em segundo com 5.365, o VW Nivus em terceiro com 4.771 e o Nissan Kicks com 4.706.

Novo Honda ZR-V: R$ 214,5 mil – A montadora japonesa acaba de lançar o ZR-V, o SUV do Civic. Importado do México, tentará, aliás, ganhar clientes do próprio Civic e será o “veículo médio” nas concessionárias ao vender qualidades de SUV com sedã. Vem apenas na versão Touring, de R$ 214.500. A expectativa é de 1 mil unidades/mês, concorrendo com Jeep Compass e Toyota Corolla Cross. O motor é 2.0 aspirado a gasolina com 161cv e 19,1kgfm de torque e transmissão automática CVT com simulação de 7 marchas. Só para lembrar: a maioria dos concorrentes é turbinada e apenas o Corolla Cross ousa usar motor (2.0) aspirado. E quanto aos equipamentos? Pelo preço cobrado, tem obrigatoriamente ar-condicionado digital de duas zonas, central multimídia de 9 polegadas, quadro de instrumentos com tela de 7 polegadas e velocímetro analógico!!. O carregador de celular é por indução, tem teto solar, acesso por chave presencial e partida por botão e por aí vai. Tem também frenagem automática de emergências, alerta de saída de faixa com correção no volante e controlador de velocidade adaptativo com função de parada. Ah, são 7 airbags.

Mitsubishi Pajero ganha versão topo de linha – A linha de SUVs  Pajero Sport teve suas versões atualizadas no mercado nacional e conta agora com a versão Legend, a mais luxuosa e completa do modelo. A topo de linha ganha alguns itens exclusivos e tem como alvo na concorrência a Toyota SW4 Diamond: rodas de 20 polegadas com acabamento em fumê, maçanetas e retrovisor na cor da carroceria (em substituição ao cromado existente na versão HPE-S) etc. A moldura do skidplate recebeu acabamento em preto, assim como parte da grade dianteira, enquanto a dos paralamas ganha cromado escurecido. A parte traseira traz moldura da tampa na cor da carroceria, que contrasta com o acabamento em preto que reveste a moldura do skidplate. 

Com a reestruturação, a linha Pajero Sport 2024 passa a contar com as seguintes versões disponíveis no país:

HPE: R$ 340 mil 

HPE-S: R$ 370 mil

Legend: R$ 410 mil 

O interior ganha mais ‘luxo’ com a adoção de acabamentos em preto nos detalhes do painel, console central e das portas.Tem também aquecimento dos bancos dianteiros e traseiros. Os dianteiros, aliás, contam com ajuste elétrico de posição (o que já tinha na versão HPE-S). O novo sistema de som tem oito alto-falantes e 510W de potência e o sistema de entretenimento com tela de oito polegadas sensível ao toque é compatível com Android Auto e CarPlay.

Volvo EX30 – Nem chegou às lojas e… – Apresentado em setembro, o Volvo EX30 2024 já bate recordes: ainda nem chegou nas concessionárias da marca (só em maio de 2024!!) e já vendeu cerca de 2 mil unidades. Ele é o terceiro modelo totalmente elétrico da Volvo no Brasil, seguindo o XC40 e o C40, e torna o acesso mais acessível: custa a partir de R$ 219.950, a maioria (55%) da versão de topo Ultra. A diretoria da marca pretende ser a líder de vendas do segmento premium, dobrando os volumes de emplacamentos na América Latina. O EX30 2024 foi lançado em quatro versões, todas equipadas com o motor elétrico traseiro de 272 cv de potência e 34,3kgfm de torque, que permite aceleração de 0 a 100 km/h em 5,7 segundos na versão de entrada e 5,3 segundos para os modelos Extended Range. A velocidade máxima é de 180 km/h para todas as versões. São duas opções de baterias: 51 kWh LFP ou 69 kWh NMC, o que pode resultar em uma autonomia de até 470 quilômetros dependendo do padrão adotado. O EX30 pode atingir potência de carregamento de até 153 kW – o que é suficiente para recarregar a bateria de 10% a 80% em pouco mais de 25 minutos. Veja preços e versões:

VersãoBateriaAlcancePreço
Core Singe Engine 51 kWh344 km R$ 219.950
Core Single Engine Extended Range69 kWh480 km R$ 239.950
Plus Single Engine Extended Range69 kWh480 km R$ 264.950
Ultra Single Engine Extended Range69 kWh480 kmR$ 279.950

Linha Hyundai 2024 – O modelo mais popular da Hyundai brasileira, o HB20 (tanto sedã quanto hatch) ganhou uma nova configuração de versões. Isso significa algumas alterações de itens de série e um reposicionamento de preço entre elas. Agora, a marca oferece o HB20 Sense Plus de entrada – que ganhou pintura nas capas de retrovisores e maçanetas. A Comfort Plus tem câmera de ré e faróis com acendimento automático, diferenciando-se a Comfort. A Limited Plus, a topo de linha com o 1.0 aspirado, ganha painel de instrumentos colorido e chave presencial com partida por botão. A Platinum Safety passa a ter itens de assistência ao motorista, mas por um valor mais acessível do que a Platinum Plus. 

Confira preços: 

HB20 1.0 Sense Plus –R$ 82.890

HB20 1.0 Comfort Plus – R$ 86.490
HB20 1.0 Limited Plus – R$ 91.090

HB20 1.0T MT6 Comfort Plus – R$ 99.990

HB20 1.0T AT6 Platinum Safety – R$ 113.290

HB20 1.0T AT6 Platinum Plus – R$ 120.990

Bebeu e atropelou? Pague a conta do SUS – A Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 1615/21 para, nos crimes de homicídio ou de lesões corporais, obrigar o condutor de veículo flagrado sob a influência de álcool ou substância psicoativa ressarcir os custos do Sistema Único de Saúde (SUS) no atendimento às vítimas. O relator é o deputado Luiz Lima (PL-RJ). “Aquele que, por ação ou omissão, causar algum dano a outro tem o dever de repará-lo”, disse. Segundo o Ministério da Saúde, os acidentes de trânsito são a segunda maior causa dos atendimentos de urgência e emergência no SUS. Diante disso, o ex-senador Wellington Fagundes (MT), autor da proposta, defendeu a mudança nas leis, pois os atos de motoristas sob efeito de álcool e drogas prejudicam o Erário.

Kombi elétrica: R$ 155.880 por ano – E finalmente o ID. Buzz, uma espécie de kombi elétrica ‘relançada’ pela Volkswagen, estreia no Brasil. Mas apenas com um lote de 70 unidades e exclusivamente pelo serviço de assinatura, o VW Sign&Drive, com franquia de rodagem de até 3.100 km por mês. Preço: R$ 155,8 mil por ano. O elétrico desembarca por aqui dez anos depois do fim da produção da Kombi e tem motor de 204 (150 kW ) de potência e 31,6 kgfm de torque, com autonomia de 423 km.

Carros elétricos e seus mitos – A BMW, uma das pioneiras na eletrificação da frota, decidiu desvendar os mitos que existem em torno desses modelos, que ainda aguçam a curiosidade de muitos brasileiros. Ao todo, o BMW Group Brasil tem seis modelos 100% elétricos no Brasil, incluindo o BMW iX, o carro elétrico com maior alcance no país. Afinal, há vantagens em adquirir um carro elétrico? 

Autonomia ou alcance – O primeiro mito que cerca os carros elétricos se refere ao quesito autonomia ou alcance. Com baterias cada vez mais modernas e avançadas, assim como os sistemas para gerenciamento do sistema e regeneração, o alcance dos carros elétricos tem crescido cada vez mais. A BMW tem carros elétricos eficientes do país, de acordo com o Inmetro. Os quatro primeiros carros elétricos com maior alcance do Brasil são da marca. Líder isolado, o BMW iX xDrive50 Sport segue sendo o único carro a ultrapassar a barreira dos 500 quilômetros de alcance, totalizando 528 quilômetros de alcance. 

Lentidão para recarregar – O veículo eletrificado evita a interrupção da mobilidade, pois é carregado em momentos oportunos: à noite ou quando o cliente vai ao shopping, cinema, mercado etc. Mesmo quando conectado a uma tomada doméstica, na qual a recarga possa levar uma noite inteira, o proprietário do veículo elétrico sempre terá a sensação de “tanque cheio”. Com as “ wallboxes” (estações de recarga), o tempo de carregamento completo pode ser reduzido para minutos ou poucas horas, dependendo do nível de carga do início do processo.

Prejudicial ao meio ambiente – São muito melhores, especialmente em países com alto índice de fontes renováveis na geração de energia, como é o caso do Brasil. Mas, mesmo que a eletricidade produzida convencionalmente seja levada em consideração para o cálculo e o ônus da produção seja incluído, os carros elétricos ainda estarão à frente. 

Mais caros – O custo do carro elétrico para o cliente já é menor, se considerados todos os custos envolvidos na mobilidade, como manutenção, custo da energia, impostos e seguros. Quanto mais utilizado, mais rápido haverá retorno do investimento. O Brasil possui excelentes condições para o proprietário do carro elétrico. IPVA reduzido ou zerado em diversos estados, custo de energia competitivo e infraestrutura de recarga totalmente gratuita, além de isenção de rodízio na maior cidade do país.

Dão choque – Cada vez que uma nova tecnologia é desenvolvida, as pessoas a enxergam com ceticismo. “Posso confiar nisso?” As baterias são testadas até para inundações. No caso de um acidente, por exemplo, o fluxo de corrente da bateria geralmente é imediatamente desligado, para que não haja risco de choque elétrico aos ocupantes ou prestadores de serviços de emergência. Com o sistema completamente blindado e a prova d’água, os carros elétricos andam até em zonas alagadas sem qualquer tipo de problema.

Solução “paliativa” – Parece inevitável que a era dos carros com motor à combustão termine no futuro, não apenas pela natureza finita dos recursos petrolíferos. No momento, não é possível prever se os carros elétricos e híbridos plug-in vão dominar o mercado. O certo é que a experiência ao volante, os custos cada vez menores e as mudanças fundamentais na mobilidade farão com que os veículos totalmente elétricos desempenhem um papel importante no futuro. 

Não são divertidos ao dirigir – “É divertido dirigir um carro elétrico?” A resposta é: com certeza! As acelerações impressionantes deixam qualquer um boquiaberto. Centro de gravidade baixo, torque imediato e regeneração automática de energia são a fórmula perfeita para muita diversão! O BMW iX M60, por exemplo, tem até 619cv de potência e até 1.100 Nm de torque. Isso é muito divertido!

Renato Ferraz, ex-Correio Braziliense, tem especialidade em jornalismo automobilístico

Veja outras postagens

O governo colombiano decidiu suspender o envio de mais uma missão de observação à Venezuela para acompanhar as eleições presidenciais do próximo domingo (28), informou a rádio Caracol.

A decisão foi tomada logo após as autoridades brasileiras adotarem uma medida semelhante devido a ataques do presidente venezuelano cessante e candidato ao terceiro mandato, Nicolás Maduro.

Nos últimos dias, o atual líder venezuelano criticou, sem fornecer provas, a falta de transparência dos sistemas eleitorais do Brasil e da Colômbia, onde, segundo o líder chavista, “nenhuma cédula é verificada”.

O ministro das Relações Exteriores de Bogotá, Luis Gilberto Murillo, lideraria a missão colombiana.

Com informações do Portal UOL.

O ex-secretário da Receita Federal José Tostes irá prestar depoimento à Polícia Federal nesta quinta-feira no inquérito que apura o monitoramento ilegal realizado por servidores da Agência Brasileira de Investigação (Abin). O auditor será questionado sobre a menção ao seu nome feita durante uma reunião entre o então chefe da pasta Alexandre Ramagem e o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), em agosto de 2020.

Na ocasião, Bolsonaro teria sugerido que advogadas do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) falassem com Tostes e com o então chefe do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), estatal de processamento de dados do governo, sobre o caso das “rachadinhas” envolvendo o filho 01 na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). “É o caso de conversar com o chefe da Receita”, disse.

A fala se deu após as duas citarem supostas irregularidades cometidas por auditores da Receita na elaboração de um relatório de inteligência fiscal que originou o inquérito. A conversa teve o áudio gravado por Ramagem. O arquivo foi identificado pela PF após a apreensão de seu celular e computador, em janeiro desse ano.

Os investigadores pretendem perguntar a Tostes se ele foi procurado após esse encontro. Durante a gravação, Ramagem afirmou que “seria necessário a instauração de procedimento administrativo” contra os auditores, “visando anular a investigação, bem como retirar alguns auditores de seus respectivos cargos”.

O áudio foi encaminhado ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), há duas semanas e deverá passar por uma perícia por profissionais do Instituto Nacional de Criminalística (INC) para ser transcrita a íntegra da reunião, de 1h e 8 minutos de duração, inclusive quando há sobreposição de vozes.

O inquérito da PF visa apurar a espionagem irregular de autoridades da cúpula do Legislativo e do Judiciário, além de desafetos políticos e jornalistas, no esquema que ficou conhecido como “Abin paralela”.

Com informações do Jornal O Globo.

Por Roseann Kennedy para a Coluna do Estadão

O ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, pediu ao governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, para entrar em campo na disputa pela presidência da Câmara, de acordo com relatos feitos ao Estadão. Na avaliação do ministro, deputado federal licenciado pelo Republicanos, o governador — que é filiado ao partido — pode ajudar na campanha do presidente da legenda, Marcos Pereira, à sucessão de Arthur Lira (PP).

Se o pedido do ministro for atendido, Tarcísio, contudo, entrará em rota de colisão com os planos de seu secretário estadual de governo, Gilberto Kassab, que é presidente nacional do PSD e tenta emplacar o deputado baiano Antonio Brito (PSD) como próximo presidente da Câmara. Procurados, Costa Filho e Tarcísio não retornaram.

Um endosso de Tarcísio a Marcos Pereira, só deve prosperar se o governador permanecer no Republicanos. A expectativa no bolsonarismo é que, após as eleições municipais, ele migre para o PL — sigla que caminha para apoiar Elmar Nascimento (União Brasil) na disputa interna da Câmara.

O pré-candidato à Prefeitura de Caruaru, Armandinho do Acordeon (Solidariedade), anunciou nas redes sociais que Karla Vieira será sua pré-candidata a vice-prefeita. Empresária e ex-Secretária de Ordem Pública, Karla também foi presidente da DESTRA (Autarquia Municipal de Defesa Social, Trânsito e Transportes) em Caruaru de 2017 a 2020.

Com 27 anos de experiência no serviço público, ela já atuou em cargos como Superintendente de Recursos Humanos na Assembleia Legislativa de Pernambuco e Secretária de Segurança Cidadã em Recife e Jaboatão.

Formada em Comunicação Social e com pós-graduações em Gestão de Pessoas e Gestão Pública, Karla Vieira também é especialista em Segurança Pública, tendo prestado consultoria em vários estados. Recentemente, deixou um cargo na Polícia Civil da Bahia para se dedicar à pré-candidatura. Karla fundou o Grupo Bella Vita, que atua nos segmentos de ótica, estética automotiva, vestuário e consultoria para empreendedorismo.

No próximo dia 2 de agosto, a partir das 18h, na quadra da Escola Modelo Professor Antônio Benedito da Rocha, em Garapu, o partido Solidariedade oficializará a candidatura de Lula Cabral a prefeito e de Jamerson Batera (PSB) a vice-prefeito do Cabo de Santo Agostinho. Na mesma ocasião, serão homologadas mais de 150 candidaturas de vereadores que irão compor a Frente Popular do Cabo, formada pelos partidos Solidariedade, PSB, Republicanos, Podemos, MDB, PMB e Agir.

Lula Cabral já foi prefeito da cidade por três mandatos. “O povo do Cabo reconhece o nosso trabalho e sabe que a realidade do município precisa mudar. Me dói ver a nossa cidade abandonada e esquecida. O município tem muito potencial e precisa voltar a se desenvolver. Estamos prontos para enfrentar esse desafio com compromisso e seriedade”, destacou ele.

A convenção municipal que oficializará as candidaturas de Jorge Alexandre (Podemos) para prefeito e Renê Cabral (UB) para vice-prefeito de Camaragibe será realizada nesta quinta-feira. O evento começa às 18h, em arena montada na Avenida Belmino Correia, em frente ao Mercado Público. Estarão presentes lideranças dos partidos da coligação União e Trabalho: Agir, União Brasil, Avante, PRD e Mobiliza.

“A nossa convenção sela a vontade da oposição e do povo de mudar Camaragibe. Não por acaso somos a maior bancada de oposição da história. A cidade clama por mudanças com responsabilidade e experiência”, declarou Jorge Alexandre. O pré-candidato administrou o município entre 2013 e 2016.

Único representante de Pernambuco na Olimpíada Internacional de Matemática, João Pedro Bandeira, de 18 anos, conquistou a medalha de prata no evento realizado em Londres, onde competiu ao lado de cinco colegas brasileiros. A competição reuniu jovens de mais de cem países no último fim de semana.

Aluno do terceiro ano, João Pedro celebrou o resultado com grande entusiasmo: “Foram muitas horas dedicadas aos estudos, com sessões intensas de até doze horas seguidas. É uma conquista pessoal, mas também um reflexo do apoio da equipe do GGE e de todo o estado”, afirmou.

Agora, um dos focos do jovem de 18 anos é tentar ingressar no curso de Engenharia Aeroespacial no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em São José dos Campos (SP), conhecido por ter um dos vestibulares mais desafiadores do país.

O paulista Felipe Makoto Shimamura Silva conquistou a medalha de ouro, enquanto a Seleção Brasileira, com duas pratas e um bronze adicionais, alcançou o 20º lugar geral na IMO.

Outro destaque pernambucano foi Márcio Gomes, professor de matemática, que atuou como coordenador da equipe nacional. “Foram dias intensos de preparação, muitas noites sem dormir. Estávamos completamente focados nesse desafio, considerado a prova de matemática mais difícil do mundo”, comentou Gomes.

Do JC.

O Solidariedade homologou a candidatura de Flávio Nóbrega à Prefeitura de Surubim na noite de ontem. Ele, que já foi prefeito do município, tem como companheira de chapa a Sargenta Priscila Santana (Avante). A convenção municipal contou com as presenças da vice-presidente nacional do SD, Marília Arraes, e do presidente estadual do Avante, Sebastião Oliveira, além de lideranças políticas da cidade e do Agreste.

“Hoje é um dia muito especial. Com a experiência e a consciência tranquila de quem já esteve no comando de Surubim por dois mandatos, chego a esta convenção com a certeza de que estamos no caminho certo. Ter a liderança e a confiança de Marília, que vem levando o Solidariedade para os quatro cantos de Pernambuco, é motivo de alegria e orgulho”, declarou Flávio.

Com informações do Blog Dantas Barreto.

O juiz Guilherme Eduardo Martins Kellner, da 2ª Vara de Crimes Tributários, Organização Criminosa, Lavagem de Bens e Valores da Capital, condenou o ex-gerente do Banco do Brasil Paulo Cézar Zucchi Kosmack a três anos e quatro meses de reclusão – pena convertida em prestação de serviço à comunidade – e ao pagamento de 10 salários mínimos por ter desviado um total de R$ 2,1 milhões do sistema bancário entre 2007 e 2013. Ele pode recorrer junto ao Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

De acordo com os autos, Kosmack desviou R$ 1,1 milhão para a própria conta, valores para contas de parentes e uma aplicação em empresa. “A imputação de peculato na denúncia é sustentada pela confissão do acusado, sendo necessária sua condenação pelo desvio de R$ 2.106.682,89 pertencentes ao Banco do Brasil”, citou o magistrado na sentença proferida na segunda-feira, 22. Kosmack trabalhou no BB de 1981 até se aposentar em 2013. Em depoimento, admitiu os desvios por problemas de saúde, dificuldades financeiras e pressão no ambiente de trabalho. Ele negou ter fraudado o sistema. Afirmou ainda ter se arrependido dos saques irregulares e, caso pudesse, devolveria os valores.

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) ainda pediu a condenação do ex-servidor por peculato digital (313-A do Código Penal), o que foi descartado pelo magistrado.

“Não há motivo para condenação pelo delito descrito no artigo 313-A do Código Penal, pois a inserção de dados falsos nos sistemas informatizados do Banco do Brasil teve como objetivo exclusivo desviar dinheiro da instituição financeira para si próprio, sendo essa conduta absorvida pelo crime fim de peculato”, registrou em outro trecho da sentença.

Lavagem de dinheiro também foi descartada pelo juiz. Para ele, os depósitos feitos em forma de investimento constituem apropriação e “não uma ação posterior que configuraria lavagem de dinheiro”.

Do Blog do Fausto Macedo para o Estadão.

Por Raphael Guerra para o JC

O governo de Pernambuco promoveu dois tenentes-coronéis acusados de darem ordens para a sequência de assassinatos ocorridos em Camaragibe, no Grande Recife, após as mortes de dois PMs em setembro do ano passado. Os nomes de Fábio Roberto Rufino da Silva e Marcos Túlio Gonçalves Martins Pacheco fazem parte de uma lista de 34 promoções publicadas na edição do Diário Oficial do Estado desta quinta-feira.

Na época do crime, que ficou conhecido nacionalmente como a Chacina de Camaragibe, Fábio era comandante do 20º Batalhão da PM, responsável pelo policiamento ostensivo na cidade. Já Marcos Túlio ocupava o segundo posto de comando da inteligência da PM.

Ambos são réus por triplo homicídio duplamente qualificado (motivo torpe e sem chance de defesa das vítimas) e estão afastados das funções públicas por determinação da Justiça.

No Diário Oficial consta que as promoções ao posto de coronel foram “requeridas” pelos militares.

A defesa de Fábio afirmou, em nota, que a promoção faz parte da rotina da Polícia Militar. “Não é um prêmio. Eles pediram passagem para a reserva, por haverem completado o tempo de serviço. E, nesse caso, têm direito à promoção para o posto seguinte”, afirmou.

Em março deste ano, Fábio Roberto negou qualquer participação na sequência de assassinatos. “A verdade irá chegar”, declarou na ocasião.

A assessoria de comunicação da Secretaria de Defesa Social (SDS) também foi procurada para comentar as promoções, mas ainda não se pronunciou.

O município de Cabo de Santo Agostinho, que ocupava a 5ª posição entre as cidades mais violentas do Brasil em 2023, deixou de figurar no ranking das 10 mais perigosas, conforme o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2024. O prefeito Keko do Armazém destacou que a cidade registrou uma redução de 25,7% nos homicídios de 2020 a 2023.

“É importante lembrar que em 2020, o Cabo de Santo Agostinho ocupou o segundo lugar no ranking das cidades brasileiras com maior incidência de homicídios. Os dados relativos ao CVLI (Crimes Violentos Letais Intencionais) indicam que a cooperação entre as forças de segurança estadual e o efetivo municipal têm alcançado progressos notáveis desde então”, celebrou o gestor.

A redução dos índices de criminalidade é atribuída a investimentos em tecnologia, aumento do efetivo da guarda municipal, e aprimoramento da capacitação dos agentes de segurança. Além disso, foram adquiridos novos equipamentos e viaturas, e o armamento foi atualizado para modelos de maior poder ofensivo. A Secretaria de Defesa Social do Cabo de Santo Agostinho também tem realizado operações conjuntas com órgãos de segurança estaduais, como parte do programa Segurança Integrada Municipal.

O secretário de Defesa Social, Pablo Carvalho, enfatizou a importância da Patrulha Escolar, que foi revitalizada para focar na prevenção de crimes entre os jovens. As ações incluem palestras educativas, atividades lúdicas e programação de férias, visando estabelecer uma relação de confiança com a comunidade escolar. “Esta é política de segurança que queremos plantar agora para colher no futuro. Precisamos nos aproximar desse grupo e estabelecer uma relação de confiança e parceria e não mais sermos vistos como repressores”, disse.

O Ministério da Gestão e da Inovação afirmou nesta quinta-feira que segue trabalhando para normalizar o funcionamento do Sistema de Informação (SEI), do governo federal. A Polícia Federal foi acionada ontem para apurar um possível ataque hacker.

A pasta também afirmou que parte do problema causado pelo incidente foi solucionado e o sistema Tramita GOV.BR do Processo Eletrônico Nacional (PEN) funciona normalmente. O sistema, que permite diálogo entre órgãos do Governo Federal, estados e municípios, foi restabelecido no final da tarde de quarta-feira.

Os serviços ofertados ao cidadão via GOV.BR não foram afetados. O SEI, que segue fora do ar, é responsável pelo andamento eletrônico de processos administrativos de nove ministério e dois outros órgãos.

Foram afetadas os ministérios e órgãos atendidos pelo SEI multiórgão. São eles:

  • Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos
  • Ministério da Fazenda
  • Ministério dos Povos Indígenas
  • Ministério do Planejamento e Orçamento
  • Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços
  • Ministério do Empreendedorismo
  • Ministério da Previdência Social
  • Ministério da Igualdade Racial
  • Ministério das Mulheres
  • Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf)
  • Casa da Moeda

O Ministério da Gestão afirma que somente esses foram afetados. O SEI atende mais de 150 órgãos.

A pasta chegou a enviar um comunicado aos servidores sobre um “incidente grave de segurança cibernética”, que deixou indisponível “várias soluções tecnológicas”, como o SEI, e diversas funcionalidades. Além da PF, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) também foi acionada.

Com informações do Jornal O Globo.