Lavareda

16/03


2008

Governo espanhol faz alerta a quem viaja ao Brasil

Do Blog do Josias de Souza

O ministério de Assuntos Exteriores da Espanha divulgou uma “nota imporptante” com recomendações aos cidadãos espanhóis que têm a intenção de viajar para o Brasil. “As autoridades brasileiras estão aplicando com maior rigor os controles de imigração em seus aeroportos internacionais”, adverte o texto.

A nota prossegue: “Recomenda-se, antes de iniciar a viagem, informa-se na embaixada e consulados gerais desse país na Espanha sobre os requisitos necessários para entrar no território brasileiro.”

Ao noticiar a novidade, o diário El Pais escreveu que, “nos aeroportos brasileiros, os espanhóis estão sendo apartados do resto dos viajantes e submetidos a controles estritos.” A “falta de uma reserva de hotel é motivo suficiente para que os funcionários de fronteira impeçam a entrada no país”.

O ministério espanhol do Interior, que cuida do controle de fronteiras na Espanha, diz estar surpreso com a reação do Brasil. “Continuamos aplicando as mesmas normas de acesso ao território que completa um ano”, disse um porta-voz do ministério.

Segundo o governo da Espanha, dos 24.355 estrangeiros barrados nos portos e aeroportos do país em 2007, “só 3.083 eram brasileiros. Reconhece que, nos primeiros três meses de 2008, cerca de mil brasileiros foram impedidos de entrar na Espanha. “Mas isso se deve a que têm chegado muitos mais”, alegou o porta-voz. Em janeiro deste ano, disse ele, foram barrados 428 brasileiros. Porém, outros 13.722 patrícios foram autorizados a cruzar a aduana espanhola.

Segundo a notícia do El Pais, o aumento do número de viajantes brasileiros tonifica uma suspeita dos especialistas em imigração. Acredita-se que redes de tráfico de imigrantes irregulares têm se aproveitado do fato de os países europeus não exigirem vistos para cidadãos procedentes do Brasil. Movimento semelhante ocorreu com outros países latino-americanos: Equador, Colômbia e Bolívia, por exemplo.

Cabe uma pergunta: por que tantos brasileiros se vêem compelidos a deixar o país?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

roberto de pessoa

Os brasileiro deveriam fazer um boicote as viagens a Espanha. Aliás, se os espanhois que estão em território brasileiro nos dessem o prazer de sua ausência, seria ótimo.


ALEPE

16/03


2008

A saída está na comunidade

Desde sua criação por Darcy Ribeiro, a UnB tem servido de exemplo. Foi ela que deu início a diversas mudanças na estrutura e no funcionamento do sistema universitário brasileiro. A atual administração do reitor Timothy Mulholland estava dando continuidade a essa história, até a decisão equivocada de retomar ao velho hábito de manter apartamento funcional para o reitor e de desperdiçar recursos para mobiliar esse apartamento.

Mesmo que nenhum ato ilegal tenha sido cometido, houve clara falta de ética nas prioridades na canalização de recursos para o apartamento funcional, em detrimento de gastos mais urgentes e comprometidos com as atividades-fim e o bem-estar da comunidade. Além das prioridades equivocadas, a decisão feriu gravemente a imagem da instituição e ofuscou realizações positivas de uma história que vem trazendo importantes mudanças na UnB, inclusive realizadas pelo reitor Timothy.

Devemos prestar reconhecimento à atual administração da UnB pelo que vem fazendo. Mas precisamos também reconhecer o grave erro cometido, suas conseqüências e a obrigação que a instituição tem de sair dessa situação e defender sua autonomia, ameaçada pelo desprestígio e pela presença da polícia e de interventores no câmpus — o que só acontecia durante a ditadura.

O único caminho para retomar o prestígio da UnB e garantir sua autonomia é recolocar seu destino e sua condução nas mãos da comunidade, debatendo as denúncias que pesam sobre a Finatec e sobre os gastos com o apartamento a ser destinado aos reitores. A íntegra deste artigo, de autoria do senador Cristovam Buarque, você confere em Opinião. Boa leitura!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

16/03


2008

O sucesso do pólo da sulanca de Santa Cruz na Bahia

O Conselho da Micro e Pequena Empresa – COMPEM - da FIEB  realizará palestra sobre o mais bem sucedido projeto de confecções da região Nordeste, Santa Cruz do Capibaribe e sua confecção, que será apresentado, no dia 18 de março, às 17h, na sede da FIEB em Salvador, pelo escritor pernambucano Bruno Bezerra.
 
Esta iniciativa inaugura a série de workshops “Boas Práticas de Gestão de Cadeias Produtivas e Sustentabilidade de Longo Prazo”.  A experiência e sucesso deste projeto servem de exemplo às boas práticas de gestão e sustentabilidade para iniciativas dessa natureza na Bahia.
 
A série de workshops é voltada para um público constituído por representantes do BNB (Banco do Nordeste do Brasil), Superintendência da Secretaria de Indústria e Comércio do Estado da Bahia, Sindicado patronal das Indústrias de Confecções e demais federações de Indústrias do Estado da Bahia, entre outros.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu no Zap

16/03


2008

Covardia substituída por ousadia: País voltou a crescer

Elio Gaspari

 O crescimento de 5,4% do PIB em 2007 indica que o Brasil se livrou da urucubaca do regresso, iniciada em 1982. Encerrou-se um período durante o qual, pela primeira vez desde 1930, a economia do país foi dirigida por pessoas que colocaram o crescimento econômico em segundo (ou terceiro) plano.

Não o faziam por mal e, em certos casos, faziam por bem, pois buscavam a estabilidade da moeda. Ainda assim, taxas medíocres de crescimento (sempre acompanhadas por gordas taxas de juros) eram consideradas remédio adequado, mesmo quando mostravam-se daninhas.

O Brasil poderia ter saído do buraco há mais tempo se a ekipekonômica do tucanato não tivesse amarrado o país ao câmbio fixo, experiência que ruiu em 1999.

Crescimento chegou a ser palavrão.

Quando for escrita a história do período, é provável que nele apareçam duas datas simbólicas. Uma, 3 de setembro de 1999, sinaliza o esplendor da estagnocracia.

Na véspera, num seminário do PSDB, o ministro do Desenvolvimento, Clóvis Carvalho, propôs que o governo de FFHH pisasse no acelerador: ''Dá, sim, para ousar mais, para arriscar mais. (...) E o excesso de cautela, a essa altura, será outro nome para a covardia''.

No dia seguinte estava demitido. Ou o presidente mandava o amigo embora, ou Pedro Malan sairia do Ministério da Fazenda. Pela frase de Carvalho e pela reação de Malan mede-se o grau de controle que a ekipekonômica exercia sobre o governo.

A segunda data, 27 de março de 2006, indica o fim desse predomínio. Nesse dia, moído pela crise da quebra do sigilo do caseiro Francenildo, o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, ouviu de Lula que deveria sair do governo. Até aí tudo bem.

A graça começa quando Palocci sugere a Nosso Guia o nome do economista Murilo Portugal, secretário-executivo da Fazenda, para sucedê-lo. Com jeito, Palocci lembrou que um outro nome poderia ser mal recebido pelo mercado.

Lula tinha decidido comprar essa parada. O presidente do BNDES, Guido Mantega, já estava no Planalto.
Portugal foi embora batendo a porta. O mercado fez seu terrorismo durante uns três dias e atualmente tem de Mantega a mesma excelsa opinião que teve de seus antecessores e terá de todos os sucessores.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Sérgio J. Cadena Bandeira de Melo

O P I B VAI MUITÍSSIMO BEM. E COMO ESTÁ A SAÚDE E A SEGURANÇA ? A MUITO TEMPO ESTÃO EM BAIXICIMA PEDINDO CLEMÊNCIA.ESTE ANO ATE 13/03/008 AQUI EM Pe. ESTAMOS COM 917 ASSASSINATOS E NA REG.METROP. COM 264 SÓ ESTE MÊS ATÉ 13/03/08.CALCULEM EM TODO O PAIS, COMO ESTÁ O CRESCIMENTO COM O DESCASO DO GOV.



16/03


2008

Serra calado é um poeta

Trecho do discurso do presidente eleito José Serra na Unipalmares, primeira universidade da América Latina a reservar 50% das vagas a negros; na verdade, 87% de seus alunos são afro-descendentes:

"A Unipalmares se volta também à inserção social, cultural e econômica da comunidade negra no nosso país, na nossa sociedade", afirmou Serra.

-Genial !

-Inacreditável !

-Como é que ele chegou a essa conclusão ?

-Ao fim de quantas horas de profunda meditação ?

-Ou, como diria o Romário, o Serra calado é um poeta.

Do Blog Conversa Afiada - Paulo Henrique Amorim


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Marcelo Araújo

Ranço infeliz. Lula fala um monte de abobrinha e esse escroto não da um pio.

joao daniel neto

paulo herique amorim é um boiola,serra vai ser o novo presidente da republica....não vai ter pra niguém

roberto de pessoa

O Sr. Paulo Henrique está se especializado em fazer piadinhas. Quando era global, mamava. Agora é ser palhaço. É um palhaço mamão.


Banco de Alimentos

16/03


2008

CPI ouve Bernardo e Hage na quarta-feira

 A CPI mista dos Cartões ouvirá na próxima quarta-feira (19) os ministros do Planejamento, Paulo Bernardo, e da Controladoria Geral da União (CGU), Jorge Hage. O objetivo da audiência é esclarecer como funcionam os cartões e dar subsídio para as próximas etapas da CPI.

Os primeiros depoimentos da comissão acontecem na terça-feira (18) e tem o mesmo objetivo. Será ouvido nesse dia o ex-ministro do Planejamento Paulo Paiva, que ocupou a pasta no governo Fernando Henrique Cardoso. No mesmo dia a CPI ouvirá um representante do Tribunal de Contas da União (TCU) e outro do Ministério Público do TCU.

A CPI também já tem pré-agendados depoimentos para a semana depois da Páscoa. No dia 25 devem ser ouvidos o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Jorge Félix, e seu antecessor no governo Fernarndo Henrique, general Alberto Cardoso, além do diretor-presidente da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Paulo Lacerda, e seu antecessor Mauro Marcelo Lima e Silva.

O relator da CPI, deputado Luiz Sérgio (PT-RJ), acredita que essa audiência será fundamental para que a comissão decida sobre a quebra de sigilos dos cartões da Presidência da República.

“Eu não sou especialista em segurança. Eles terão que nos convencer de que os gastos protegidos por sigilo não podem ser divulgados”, disse o petista. Do Portal G1.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Sérgio J. Cadena Bandeira de Melo

SE FOSSE NA ÉPOCA EM QUE O lula APORRINHAVA A OPOSIÇÃO,AS COMPRAS EM CHOPES, SUPER MERCADOS ETC NÃO ERAM CONSIDERADOS SEGURANÇA PRESIDENCIAL.



16/03


2008

Trocando de Jefferson

 Quem esteve presente na comissão de Relações Exteriores do Senado durante audiência pública com o chanceler Celso Amorim riu um bocado da troca de nomes feita pelo presidente da comissão, Heráclito Fortes (DEM-PI).

Na hora de dar a palavra ao senador Jefferson Peres (PDT-AM), Heráclito chamou-o de Roberto Jefferson. Incrédulo, o senador pedetista tomou um susto: “Hein? Hein? Como?”

E recebeu como justificativa um lapso de memória: “Desculpe, senador, é que estava prestando muita atenção nas palavras do senador Fernando Collor (PTB-AL) e me confundi”.

Só para os desmemoriados: Jefferson (o Roberto) foi líder da chamada tropa de choque que apoiou o então presidente Fernando Collor, hoje senador, no início dos anos 90. A crise culminou na aprovação, pelo Congresso, do impeachment do presidente. Do Blog do ET.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


16/03


2008

Macumba do 3º mandato envenena a quadra política

Do Blog do Josias de Souza

 

A política brasileira atravessa uma quadra contraditória. Lula degusta notáveis índices de popularidade. Mas quem observa os índices de intenção de voto que as pesquisas atribuem ao tucano José Serra é levado a crer que chegou a hora da oposição.

 

Em meio ao inusitado, Lula olha para o PT e vê um armazém de postes. Decidiu inaugurar um programa novo: uma versão eleitoral do Luz para Todos. É como se desejasse levar energia a todos os potenciais presidenciáveis petistas.

 

No curto intervalo de duas semanas, o presidente levou mãe Dilma ‘PAC’ Rousseff aos morros do Rio, compareceu a uma cerimônia organizada por Tarso ‘Pronasci’ Genro, festejou aniversário de ministério ao lado de Patrus ‘Bolsa Família’ Ananias e estimulou Marta ‘Boa Candidata’ Suplicy a mergulhar na campanha paulistana.

 

É jogo de cena, suspeita a oposição. Lula não seria de dar apoio senão a si mesmo. Move-se por entre os postes ruminando, no íntimo, uma pergunta: Se estou tão bem avaliado, por que não permitir ao povo que prolongue sua própria felicidade?

 

Pelo menos sete líderes oposicionistas se encontram com o pé atrás. No PSDB: FHC, Sérgio Guerra e Arthur Virgílio. No DEM: Jorge Bornhausen, Marco Maciel e José Agripino Maia. No PMDB dissidente: Jarbas Vasconcelos. Todos acham que, na virada da curva, Lula flertará com o terceiro mandato. É como se vissem em Lula uma espécie de Incrível Hulk, prestes ganhar coloração esverdeada, exibir os músculos e rasgar as próprias vestes.

 

Ouça-se, na voz de Agripino Maia, o raciocínio que permeias as suspeitas: “O que o Lula está fazendo? Peregrinando pelo país. Voa no Aerolula abastecido por todos nós. Reúne o povo à custa de distribuição de marmitas pagas pelo erário. Agride a oposição em inaugurações travestidas de comícios. O que é isso? É a pré-campanha da continuidade. Calçando um salto 40, arrogante e auto-suficiente, o presidente aguarda pelo projeto que seu amigo Devanir Ribeiro [PT-SP] vai apresentar, propondo o plebiscito do terceiro mandato. A democracia será colocada em xeque. Quem viver verá.”

 

Sérgio Guerra, o presidente do PSDB, acha que Lula oscila “momentos de valorização da democracia com instantes de puro autoritarismo.” Não duvida que o PT esteja tramando a continuidade de seu único líder. “Se vier, vamos combater.” Jarbas Vasconcelos lista “evidências” que, a seu juízo, deixam claro que Lula vive um “surto autoritário.” 

 

“No Planalto, o TCU é considerado um aglomerado de políticos aposentados, Lula desmoraliza o Judiciário, depois diz que Congresso precisa trabalhar, como se ele fosse trabalhador, não tem o menor respeito pela mídia, com a equipe repleta de aloprados, passa a mão na cabeça dos irresponsáveis e acha que a palavra dele basta.”

 

Jarbas prossegue: “Derrotamos a CPMF e Lula decretou aumento de impostos, depois de mentir que não iria fazê-lo. O governo exige que a Colômbia peça desculpas ao Equador, mas não condena as Farc, um agrupamento de criminosos e seqüestradores. Não vou mais ficar calado. Lula tem formação autoritária. E o Senado não pode botar o rabo entre as pernas. O eco agora é pequeno. Mas depois cresce. Eu era deputado estadual no Recife quando o general Médici desfrutava de popularidade de 84% no meu Estado. E terminou como um dos mais repudiados generais da ditadura.”

 

Petistas como o vice-presidente do Senado, Tião Viana (PT-AC), que cultivam o bom senso, sustentam que Lula jamais patrocinaria um movimento de desrespeito à Constituição. Mas há uma ala do petismo que flerta –a sério— com a macumba do terceiro mandato. Devanir Ribeiro, compadre de Lula, não está sozinho quando afirma que aguarda o momento propício para protocolar o seu projeto na Câmara.

 

FHC arrancou a reeleição no Congresso em meio a um tilintar de verbas que incluiu uma malfadada “cota federal” de R$ 200 mil. Pagou, depois, o preço do poder longevo. Uma conta que, além da ofensa aos costumes, espetou na biografia do príncipe o populismo cambial e a ruína econômica. O silêncio de Lula sobre a re-reeleição não faz bem nem à sua presidência nem à democracia. Num instante em que reencontra o caminho do crescimento econômico, o presidente merece melhor sorte. 

 

Lula precisa vir ao meio-fio para desautorizar, em termos críveis, a maluquice. Do contrário, pode desperdiçar a sua hora. Há duas semanas, Lula ouviu do neo-conselheiro Delfim Netto conselhos acerca do que fazer na economia para evitar que seu governo transfira para o sucessor ruína semelhante à que recebeu de FHC. Um presidente que não esteja de olho no palanque decerto terá mais tempo para cuidar do que realmente interessa. De mais a mais, 2014 não está assim tão longe.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

joao daniel neto

terceiro mandato um estúpro à nossa constituição...

milton tenorio pinto junior

Bobos são os cargos comissionados desse governo. A mamata um dia acaba.

guilherme alves

Esses luminares da oposição são uns bobos.

francisco sales

cabe a todos os sem marmita e sem bolsa impedir esse desatino constitucional ou o país rumará a um precipício anarquico. Se a anestesia na qual somos vítimas não passar, seremos violados sem dó ! esse governo é capaz de tudo !

Adauto Ferreira dos Santos

Ciro Gomes e Eduardo Campos, ambos PSB, são citados hoje 16.03.08, portalaz.com.br, como nomes que teriam a simpatia de Lula na disputa Presidencial. Segundo a matéria Eduardo Campos leva vantagem sobre Ciro Gomes.



16/03


2008

Carro de mulher de prefeito de Nova Iguaçu é baleado

 A primeira-dama de Nova Iguaçu, mulher do prefeito Lindberg Farias, Maria Antônia Goulart, foi atacada por criminosos na noite da sexta-feira no bairro da Luz, na Baixada Fluminense, Estado do Rio de Janeiro. A polícia vai investigar se a ocorrência foi um atentado ou uma tentativa de assalto. O carro de Maria Antônia foi baleado com dois disparos.

Ela estava acompanhada do motorista André de Oliveira Galo, 29 anos, que dirigia o Volkswagen Polo preto e deixava em casa a secretária Patrícia Renata Ferreira Cabral, 37, quando cinco homens dentro de Honda Civic bege pararam ao lado do veículo e apontaram uma arma em direção ao grupo.

O motorista pediu a Maria Antônia que abaixasse a cabeça, enquanto manobrou em marcha à ré em alta velocidade. O carro bateu no muro de uma casa, e um dos homens fez dois disparos em direção ao veículo, mas ninguém foi atingido.

Com o barulho dos tiros, muitas pessoas saíram à rua, enquanto os bandidos fugiram no Honda sem levar nada. Maria Antônia disse que, em princípio, pensou se tratar de assalto, mas lembrou já ter recebido ameaça por telefone no início do governo do marido. "Não sei o que pode ser. Assalto, seqüestro, atentado. Nunca imaginei que uma coisa dessas pudesse acontecer comigo. Será que é a campanha política que já começou?", comentou ela, referindo-se ao fato de Lindberg Farias ser candidato à reeleição à Prefeitura de Nova Iguaçu.

O prefeito Lindberg divulgou nota oficial na sexta-feira, informando que não sabe dizer se o ataque à mulher foi assalto ou atentado. "Prefiro aguardar as conclusões da polícia. Neste momento, a minha preocupação é proteger a minha família", afirma na nota.

Também na sexta, policiais do 20º BPM (Mesquita) à paisana faziam patrulhamento em rua no Centro de Nova Iguaçu, onde moram Lindberg e Maria Antônia. Segundo o coronel Mauro Teixeira, do 20º BPM, o patrulhamento é para todo o bairro e não apenas para a família do prefeito. Policiais da 52ª DP (Nova Iguaçu), onde o caso foi registrado, por enquanto não descartam as hipóteses de assalto e atentado. Do Portal Terra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

Há muito já pularam a cerca, pisaram na grama, arrancaram as flores e agora tentam e tiram vidas. É urgente uma cruzada de Educação, Moral e Civismo. O povo precisa ser cidadanizado.Eduque-se as crianças e não será necessário castigar os adultos.