FMO janeiro 2020

13/06


2020

Uma década de tecnologia e política

Por Marcelo Tognazzi

Nesta era de fake news e bate-boca na internet, com o Supremo acreditando que o melhor é seguir em frente com o inquérito para descobrir quem comanda e quem é comandado na máquina de mentiras que demole reputações, decidi consultar meus artigos sobre os primórdios das redes sociais e seus efeitos nas campanhas políticas, publicados há uma década. Descobri algumas coisas interessantes, que mostram como chegamos até aqui. Tirem suas próprias conclusões sobre o caminho de 2010 a 2020.

Dilma começou mal na internet, publicado em fevereiro de 2010 – Os amigosdapresidentedilma.blogspot.com, por exemplo, bate pesado no jornal Folha de S.Paulo. Faz campanha para que leitores cancelem assinaturas, afirmando que a Folha apoiou a ditadura militar, a tortura e pratica a censura. Publica banners da Petrobras, Banco do Brasil, Fies, Minha Casa, Minha Vida e do PAC, nos quais exalta iniciativas do governo Lula. No dilma13.blogspot.com, “o maior portal da Dilma Rousseff na internet”, há ataques aos tucanos e a jornalistas como Augusto Nunes, do Jornal do Brasil, além do apoio formal ao blog Amigos do Crivella, patrocinado por apoiadores do senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), um dos líderes da Igreja Universal. Também é possível comprar camisetas com “Agora é Dilma” e “Quero Dilma” e fazer pedidos de adesivos da campanha.

Quando a tropa de elite vale mais que um exército, publicado em março de 2010 – O PT anunciou no fim de fevereiro de 2010, 8 meses antes da eleição, que mobilizará 500 mil militantes para a campanha digital de Dilma. Eles terão a missão de distribuir na rede material favorável à candidata e ao mesmo tempo falar mal dos adversários. (…) O PT imagina que a campanha digital será uma guerra de informação e contrainformação, como admite o secretário nacional da legenda, André Vargas.

Cascudos, puxões de orelhas e bordoadas, publicado em julho de 2010 – As campanhas digitais de Dilma Rousseff e José Serra começam a levar os primeiros puxões de orelhas da Justiça Eleitoral. No dia 16 de junho, o TSE mandou que o Google informasse o nome do autor do blog dilma13.blogspot.com e multou em R$ 10 mil o PSDB de Serra pelas críticas negativas contra o PT veiculadas no blog gentequemente.org.br.

O PhD em gente vale mais, publicado em dezembro de 2010 – Um blogueiro gera mídia própria e também se apropria de conteúdos que estão circulando pela web. Isso vale para o Twitter, o Orkut, Facebook e quaisquer redes sociais. As opiniões não são mais formadas com a leitura de jornais e revistas, nem com uma simples conversa de bar. As pessoas usam as redes sociais, os blogs, trocam informações de todo tipo. Elas confiam mais na informação que circula na rede do que aquela publicada pela grande mídia, atesta o Ibope Ratings. É comum esbarrarmos com posts do tipo: “pode pesquisar no google que vc vai ver que estou dizendo a verdade”.

O celular do eleitor não fala, escreve, publicado em agosto de 2009 – Na campanha de 2010, o celular será um equipamento essencial. Os políticos que ainda não entenderem como funciona este mercado podem ir preparando a aposentadoria, pois daqui a pouco não conseguirão fazer campanha. Um dado que reforça esta tendência: 46% das crianças de 7 a 13 anos têm telefone móvel. Nas eleições de 2014, a maioria delas terá um título de eleitor. De 14 a 18 anos, 76% têm celular e na faixa de 19 a 30 são 80%. Ou seja: a massa do eleitorado usa e abusa do telefone móvel.

A novidade do doutor Rui, publicado em junho de 2010 – O conteúdo é o rei, e a interação a rainha. Um depende do outro para acontecer. Esta máxima continua valendo e vai valer sempre. O equipamento mais sofisticado e veloz da campanha de Rui Barbosa era o telégrafo, que ele soube usar a seu favor espalhando sua mensagem pelos quatro cantos do Brasil. Os meios de comunicação não mudaram a forma de fazer campanhas. Eles apenas as tornaram mais eficientes e competitivas do ponto de vista da comunicação e da persuasão do eleitorado. Principalmente no ambiente digital do século 21.

A campanha agora é permanente, publicado em dezembro de 2010 – A partir de agora, este será um processo cada vez mais natural, uma nova forma de fazer política. Ela fará a seleção natural dos políticos, substituindo os analógicos pelos digitais. Imagine, por exemplo, um eleitor que tinha 10 anos de idade em 2002 e hoje tem 18 anos e um celular plugado nas redes sociais. Imagine alguém que tinha 10 anos em 2006 e em 2014 terá 18 anos, plugado em novidades que ainda nem foram inventadas. Será que eles elegeriam alguém que só aparecesse no Orkut, no Facebook ou no Twitter a cada quatro anos?

It’s the human connection, stupid!, publicado em maio de 2009 – Esta é a grande lição da campanha democrata. Não basta apenas a tecnologia que, cara ou barata, pode ser adquirida na esquina mais próxima. Não bastam programas de animação, vídeos, e-mails marketing, virais e toda traquitana tecnológica que enche os olhos, mas não toca o coração. Obama mostrou que sabia cuidar das pessoas quando escolheu o caminho de fazer as relações humanas prevalecerem sobre as relações tecnológicas. E elas entenderam. Usou a tecnologia como canal eficiente de transmissão de sentimentos e emoções, passando a sensação de que mesmo distantes as pessoas podem estar unidas. Isso fez a diferença e não pode ser comprado em qualquer esquina.

*Jornalista e articulista do Poder 360


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

13/06


2020

Morre professor Roque de Brito Alves

O professor de Direito e advogado criminalista Roque de Brito Alves morreu, hoje, aos 94 anos, no Recife. Vítima da Covid-19, era muito respeitado entre os pares e na sociedade. Ele estava internado na UTI do Memorial São José desde a semana passada. 

Roque de Brito lançou vários livros e era membro da Academia Pernambucana de Letras. Em razão da pandemia e das medidas de isolamento social, o velório e o enterro serão restritos à família.

"Nota de falecimento

É com profundo pesar que comunicamos o falecimento do advogado, professor e acadêmico Roque de Brito Alves, ocorrido hoje, 13 de junho, no Recife, em decorrência da Covid-19.

Nascido no Recife em março de 1926, era bacharel em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco, graduado em Filosofia pela Universidade Católica de Pernambuco, mestre e doutor em Direito. Advogado criminal e conferencista internacional, com mais de trinta livros publicados como: Criminologia, Estudos de Ciência Criminal, Ciúme e Crime, Crime e Loucura.  Era autor citado em diversos livros e artigos no Brasil e no exterior.

Além do direito, a sua vida também foi marcada por uma profunda admiração pela arte. Desde 2010, passou a integrar a Academia Pernambucana de Letras, ocupando a cadeira de número 11. Colecionador de porcelanas antigas desde sua juventude, sobretudo das europeias, por influência de seu pai, José de Britto Alves, também advogado, Roque doou parte de sua coleção ao Museu do Estado de Pernambuco que está em exposição permanente.

Devido ao momento atual e atendendo aos protocolos de segurança por conta da pandemia, o velório e sepultamento serão restritos aos familiares."


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu e Lima - Prefeitura - Abreunozap

13/06


2020

Grupo invade hospital para Covid-19 no Rio

O Globo

Um grupo de cinco pessoas da mesma família entrou no Hospital municipal Ronaldo Gazolla, unidade de referência no tratamento da Covid-19 no Rio, e provocou tumulto em alas restritas a médicos e pacientes na tarde desta sexta-feira. De acordo com relatos de profissionais, uma mulher, pertencente ao grupo, muito alterada, teria chutado portas, derrubado computadores e até tentado invadir leitos de pacientes internados.

Alex Telles, médico da unidade e presidente do Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (Sindmed), afirmou que o grupo questionava o fato de a parente deles, uma senhora, que estava bem no dia anterior, ter morrido com suspeita do coronavírus nesta sexta. O médico afirma que aquelas pessoas não deveriam ter sido autorizadas pelo hospital a subir para o andar dos doentes.

"No final da manhã, um grupo de familiares ingressou no hospital, e eles não poderiam subir até o quinto andar, já que os familiares estão sendo atendidos no térreo. É uma área só com pacientes com Covid-19, com risco biológico 3. Eles entraram de maneira muito agressiva, porque uma familiar foi a óbito e eles não aceitavam a situação, diziam que a mãe estava bem ontem (quinta-feira) e perguntavam como ela morreu hoje. Infelizmente, é uma doença que tem um curso muito rápido", disse.

Fontes disseram ao GLOBO que as pessoas, revoltadas, por vezes gritavam: “Mentira, mentira”.

Telles contou que o grupo agiu de forma muito agressiva, e citou o pedido do presidente Jair Bolsonaro, para que apoiadores entrem e fiscalizem hospitais. O médico, e representante da classe no Rio, acredita que a fala de Bolsonaro expõe os médicos que trabalham nestas unidades.

"Eles entraram de maneira muito agressiva, abrindo portas, xingando funcionários, assustaram pacientes. Os médicos ficaram numa situação de total exposição.  Com o discurso do presidente, de que é pra dar qualquer jeito para entrar em hospital, infelizmente a tendência é que as pessoas se sintam cada vez mais autorizadas a desrespeitar as normas. Nós estamos ali cuidando das pessoas, sobrecarregados e somos vítimas disso tudo."

Em nota, a Secretaria municipal de Saúde esclareceu o que ocorreu foi um tumulto causado por cinco pessoas de uma mesma família que, desesperadas ao receberem a notícia da morte de uma parente internada no local – uma senhora de 56 anos, ocorrida nesta manhã – entraram alteradas na unidade, quebraram uma placa de sinalização e bateram uma porta, causando danos. A SMS acrescentou ainda que vigilantes, guardas municipais de uma viatura que fica baseada no hospital e integrantes da equipe assistencial ajudaram a contornar a situação. Uma das pessoas da família, uma mulher, precisou ser medicada para se acalmar. À reportagem, a SMS afirmou também que não houve invasão, e que as pessoas foram autorizadas a entrar na ala.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Só pode ser a turma do Bozovírus.


Banco de Alimentos

13/06


2020

O poema de um pai apaixonado

Volto hoje à série Gastão Cerquinha, meu lindo e querido pai, que, aos 98 anos, continua dando lições de vida na solidão do seu casarão de gratas recordações em Afogados da Ingazeira, onde criou e jogou ao mundo nove filhos, seus tesouros, como costumava se reportar. Papai nos criou num regime duro. Controlava até o vestuário das filhas.

Nos anos 70, dos Beatles e Rolling Stones, também das festas de arromba da Jovem Guarda, minhas irmãs Zeza, Fátima, Ana e Denise eram proibidas de usar mini saias. Quando chegou a era de mulher vestir calça comprida, nem pensar. "Quem usa calça é homem", dizia. Até as roupas dos filhos homens, já criando bigode e de cabelo no sovaco, passavam por regras. Quando me atrevi a usar a primeira calça boca de sino na aborrecência, fui barrado no portão. "Vá tirar essa pouca vergonha", deu a ordem.

Nossas roupas eram de linho branco. Papai frequentava as sessões da Câmara como vereador de terno e gravata, destoando da maioria. Adorava fazer discursos por escrito. Escrevia a mão. Dono de uma caligrafia admirável, redigia até as cartas da matutada sedenta para dar notícias aos seus ente queridos em São Paulo. Quando assisti a "Central do Brasil" com Fernanda Montenegro escrevendo cartas na rodoviária, lembrei-me de papai trabalhando nos Correios em Afogados da Ingazeira e, pacientemente, atendendo pedidos para escrever cartas que levavam notícias do nosso torrão sofrido.

Cada filho que casava ganhava um discurso dele na cerimônia. Quando me casei com Cleyde Amorim, minha primeira das quatro esposas hoje amigas, a festa foi em Brasília. Papai resistiu à oferta da passagem aérea com medo de avião e desembarcou lá de ônibus.

Ele e mamãe Margarida. Ficaram uma semana por lá. E todo dia ao acordar me deparava com ele escrevendo. Perguntei do que se tratava. "É o discurso do seu casamento", informou. A formalidade da cerimônia organizada pela família de Cleyde, José e Catarina Amorim, sogros amorosos e apaixonantes, retirantes do Piauí na época da construção da Brasília de JK, não permitia discursos, a não ser uma palavrinha de agradecimento do noivo.

Cleyde, seu Zé e Catarina tomaram um susto quando eu disse que papai teria que discursar. "Tire isso da cabeça do seu pai", reclamou Cleyde, para desespero meu. Conhecedor a fundo da alma, do espírito e da vaidade do meu pai com os filhos, jamais iria contrariá-lo. Mas o cerimonial não sabia em que determinado momento o discurso poderia ser encaixado.

Uma semana de estresse, sem ele saber de nada. Eu só ouvia papai dizer, todas as manhãs: "O discurso está ficando lindo". Quase na véspera do casamento e nada do cerimonial ceder, foi  quando dei o murro na mesa e disse que se virassem que o velho iria, sim, fazer o discurso. Conciliador como papai, seu Zé encontrou a solução. Ele falaria logo após os noivos partirem o bolo.

Impasse resolvido, papai enfiou no bolso um catatau de papéis com um discurso que não tinha fim, de tão longo, embora lindo e emocionante, como prometera. O problema, porém, é que a bebida e os comes e bebes já estavam rolando e quase ninguém prestou atenção ao discurso. 

Quem estava mais próximo, no entanto, como meus sogros e minha noiva, não resistiram e foram às lágrimas, porque não se tratava de um discurso convencional, mas da história da vida de um filho amado contada num lindo poema por um pai apaixonado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


13/06


2020

Coluna do sabadão

Benefício dos R$ 600 ajuda Bolsonaro

Nova pesquisa XP/Ipespe divulgada, ontem, aponta a interrupção da tendência de aumento da reprovação ao Governo do presidente Jair Bolsonaro que ocorreu a partir da saída de Sergio Moro no final de abril. O grupo que considera o governo ruim ou péssimo oscilou um ponto para menos, passando de 49% para 48%, enquanto os que acham a gestão atual boa ou ótima avançou dois pontos, de 26% para 28%. Isso pode ter relação com o benefício dos R$ 600 dado pelo Governo aos mais pobres, recebido como um auxílio ao Bolsa Família.

Em relação especificamente a essa ajuda emergencial do Governo, caiu de 38% em abril para 9% o grupo de pessoas que diz que ainda vai receber, enquanto no mesmo período passou de 10% para 34% os que já receberam. Além disso, a pesquisa mostrou que 41% das pessoas que receberam usaram o benefício para comprar alimentos e produtos de abastecimento da casa. 19% pagou contas de luz, água e telefone e outros 16% pagou dívidas. Isso prova que Governo só cresce em popularidade quando está em sintonia com as classes menos favorecidas.

Houve oscilações positivas na expectativa para o restante do mandato. O grupo de bom/ótimo saiu de 27% para 29%, enquanto ruim e péssimo recuou de 48% para 46%. No outro sentido, a avaliação dos governadores piorou, em um cenário em que há uma grande troca de críticas entre alguns estados e o Governo Federal na condução da crise do novo coronavírus. O grupo que considera a gestão dos governadores ótima ou boa caiu quatro pontos, passando de 42% para 38%, ao passo que a avaliação ruim/péssimo foi de 23% para 25%.

Já o regular teve leve variação, de 33% para 34%. Enquanto isso, o Congresso teve um recuo de quatro pontos em sua avaliação regular, que saiu de 45% para 41%. Por outro lado, tanto ruim/péssimo quando bom/ótimo tiveram oscilações de dois pontos. O primeiro foi para 39% (ante 37% na última pesquisa), enquanto a avaliação positiva foi para 15%, contra 13% anteriormente. A pesquisa XP/Ipespe ouviu 1.000 eleitores de todas as regiões do País, a partir de entrevistas telefônicas realizadas por operadores entre 9 e 11 de junho. A margem máxima de erro do levantamento é de 3,2 pontos percentuais para cima ou para baixo.

Efeito da crise – Sobre o cenário de crise, o grupo que vê a economia no caminho errado teve o segundo recuo seguido, chegando a 53%, contra 54% e 57% nos dois últimos levantamentos. Do outro lado, houve uma oscilação para cima de dois pontos em quem vê a economia no caminho certo, saindo de 27% para 29%. Diante disso, ocorreu uma forte queda nas pessoas quem tem uma percepção pequena de que irá manter seu emprego nos próximos 6 meses, passando de 54% para 48%. Enquanto o grupo que vê altas chances de manutenção de emprego saiu de 39% para 44%.

Pior já passou – Quanto ao cenário da pandemia, subiu de 22% para 31% o grupo de pessoas que acredita que o pior já passou no Brasil. Enquanto isso, recuou de 68% para 61% os que acham que o pior ainda está por vir. Além disso, houve um recuo nos que estão com um pouco de medo do coronavírus (41% para 38%), ao passo que subiu de 37% para 40% os que estão com muito medo da pandemia. Os que não têm medo se mantiveram em 21%. Na questão da flexibilização do isolamento social, 52% concorda com o que está sendo feito, enquanto 44% discorda. A pesquisa XP/Ipespe também avaliou a questão das manifestações ocorridas no último domingo. 83% tomou conhecimento dos atos contra o governo e contra o racismo, enquanto 17% não ficou sabendo. Já sobre as manifestações pró-governo, 68% ficou sabendo, ao passo que 31% não sabia que elas iriam acontecer.

Derrotado – O presidente Jair Bolsonaro recuou da decisão de dar poder ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, para nomear reitores de universidades federais e revogou a medida provisória sobre o tema. A MP autorizava o chefe da pasta a escolher reitores durante a pandemia de covid-19. O recuo de Bolsonaro ocorre após uma reação do Congresso contra a medida. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), chegou a devolver a MP para o governo, sem avisar Bolsonaro, anulando os efeitos da norma. Desde 1988, só três MPs haviam sido devolvidas pelo Legislativo, nos governos José Sarney, Lula e Dilma Rousseff. A atitude fez o presidente da República ligar para o presidente do Congresso.

Em cima do muro – O PSDB já se posicionou em defesa de Sérgio Moro e Luiz Henrique Mandetta, mas até agora foi incapaz de produzir uma nota clara, direta e firme em defesa de seus governadores e prefeitos, constantemente atacados por Bolsonaro simplesmente por fazerem o que é correto no combate ao novo coronavírus. As diferenças internas dos tucanos ainda impedem a união em prol do Brasil. E é justamente nisso em que aposta Bolsonaro. O partido também não deixou clara a sua posição sobre os protestos de rua contra Bolsonaro em meio à pandemia, diferentemente da maioria das outras legendas.

CURTAS

DUBIEDADE – Parlamentares do PSDB disseram ao Estadão que vão pedir ao presidente Bruno Araújo uma nova reunião da Executiva Nacional para discutir o assunto: a última foi há mais de um mês e dela resultou o que mesmo? Qual o motivo da dubiedade? Para além das “questões genéticas” (o “murismo” parece mesmo estar no DNA tucano), há o pragmatismo. Ala importante do PSDB entende ser fundamental “manter diálogo” com o Planalto. Há cargos e nomeações em jogo. O cálculo dos adeptos da tese do “diálogo” leva em conta dois fatores: o temor de ser tachado de “petista” e uma questão mais local, de que se aliar ao governo federal garante mais resultados práticos para suas bases, como recursos para obras.

RETOMADA – A Administração de Fernando de Noronha iniciou o planejamento para a retomada da atividade turística após a pandemia do novo coronavírus. A ilha está fechada para chegada de visitantes desde março. Entidades ligadas ao segmento vão ser convidadas para participar de um amplo debate e oferecer sugestões sobre como deve ser o turismo pós-Covid-19. O governo criou um email para receber sugestões: reaberturanoronha@gmail.com. Segundo técnicos do setor, novas práticas devem ser adotadas para garantir segurança aos clientes, trabalhadores e à população local. Isso vai ser realizado em conjunto com associações do setor de turismo de Noronha.

REVELAÇÕES – Na já considerada histórica entrevista do ex-presidente Michel Temer (MDB) ao meu blog, via Instagram, quinta-feira passada, duas revelações bombásticas: foi o PT, segundo ele, que levou a ex-presidente Dilma à forca do impeachment quando radicalizou o bombardeio em cima do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (MDB-RJ). Temer chegou a comunicar a Dilma, após uma reunião com Cunha, que não seria aberto o processo da sua cassação. “Pode ficar tranqüila, Cunha me garantiu que arquivará todos os pedidos de impeachment”, revelou Temer, para adiantar: “Mas no dia seguinte, o presidente da Câmara só não foi chamado de arroz doce pelas principais lideranças do PT na Câmara, já o tachando de golpista”, disse o ex-presidente. Irado, Cunha, segundo ele, resolver enfrentar o PT, colocou o impeachment em votação e aprovou por ampla maioria.

Perguntar não ofende: Cadê a oposição na Câmara do Recife que silencia diante das evidências para um pedido de impeachment?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Lamentável: Vivi para ver o exercito brasileiro ameaçar com golpe para defender delinquentes na mira do STF

marcos

Mas que Lula o carniça é Ladrão, Todo mundo sabe.

Fernandes

Bolsonaro se prostituiu para evitar impeachment.

Fernandes

Brigadeiro da Aeronáutica detona Bolsonaro: gera crises e tenta envolver militares em golpe.

Fernandes

Trump cita Brasil e diz que EUA teriam 2 mi de mortos se seguissem a Suécia.


O Jornal do Poder

12/06


2020

Candidato do PTC quer impeachment de Geraldo

Em live no Instagram do meu blog, há pouco,  segunda da série de candidatos a prefeito do Recife, o pré-candidato do PTC, Pastor Jairinho, disse que as denúncias que envolvem o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), sobre as compras superfaturadas com o dinheiro enviado pelo Governo Federal para o combate à Covid-19 já são suficientes para levar a Câmara dos Vereadores a abrir um processo de impeachment do socialista. Segundo Jairinho, Recife vive um grande escândalo, já sendo considerada a “cidade dos porcos”, e a falta de atitudes dos vereadores recifenses é vergonhosa.

“O gasto público foi enorme. A Polícia Federal tem que investigar e o MP está atento. Fizeram farra com o dinheiro público. Recife não pode estar nas mãos de quadrilhas públicas”, afirmou. O pastor disse que vai enfrentar as eleições como Davi enfrentou Golias e que, apesar de ser pequeno, os partidos têm medo dele por ter conseguido 191 mil votos quando concorreu ao Senado.

Durante a entrevista, o pré-candidato atacou o governador Paulo Câmara (PSB), a quem disse dar mais valor a abertura de motéis do que ao funcionamento dos templos, em referência às regras do isolamento. “O governador está tratando a igreja como um lixo. Os motéis têm mais valor. Pasmem, os pastores foram proibidos até de fazer live nas igrejas, que absurdo. Somos 170 milhões de evangélicos no Brasil e os problemas das pessoas continuam com ou sem pandemia”, destacou.

Sobre o seu nível de preparo para a disputa ao cargo de prefeito do Recife, Jairinho disse que vem se preparando desde 2018 quando concorreu ao Senado. “Tive uma participação rápida, porém efetiva com quase 50 mil votos no Recife e 191 mil em Pernambuco. Sou centro-direita, conservador, defendo valores como a família e a vida”, afirmou.

“Nunca entrei em nenhuma disputa para barganhar, sou candidato pra valer. Não podemos aceitar que os atuais gestores tratem o povo como porcos. Precisamos mudar, viajei 42 países e tenho um projeto inovador para o Recife”.

Perguntado sobre a união das igrejas evangélicas em torno da sua candidatura, Pastor Jairinho disse que respeita os demais seguimentos, como o grupo dos Collins e do Pastor Eurico, mas que a sua campanha não será voltada somente para o público evangélico e sim para toda população. A íntegra da live está nas postagens do Instagram do blog no endereço @blogdomagno.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/06


2020

PSB reafirma pré-candidatura de Pedro Mendes em Olinda

O Diretório e a Comissão Executiva Municipal do PSB de Olinda, cumprindo todas as formalidades do Estatuto Partidário, decidiram dar mais um passo com vistas à formalização da candidatura do ex-vereador e ex-presidente do Câmara Municipal de Olinda, Pedro Mendes, aprofundando debate com as lideranças da sociedade para recolher sugestões para o programa de governo.

“Os olindenses querem ser ouvidos e querem mudar o modo de governar que vem sendo aplicado no município. Vamos conversar com muita gente, como já temos feito em reuniões virtuais e presenciais”, explica o presidente da Executiva do PSB de Olinda, Sivaldo Leal.

“A deliberação da instância local do PSB anima a militância socialista de Olinda, que vê em Pedro Mendes a retomada de uma gestão comprometida com ações afirmativas, que resgatarão a importância histórica da cidade, trazendo de volta o desenvolvimento, a exemplo do que foi com o saudoso socialista Germano Coelho”, diz Sivaldo Leal.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/06


2020

O PT cassou Dilma

Na já considerada histórica entrevista do ex-presidente Michel Temer (MDB) ao meu blog, via Instagram, ontem, duas revelações bombásticas: foi o PT, segundo ele, o que levou a ex-presidente Dilma à forca do impeachment quando radicalizou o bombardeio em cima do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (MDB-RJ). Temer chegou a comunicar a Dilma, após uma reunião com Cunha, que não seria aberto o processo da sua cassação.

“Pode ficar tranquila, Cunha me garantiu que arquivará todos os pedidos de impeachment”, revelou Temer, para adiantar: “Mas no dia seguinte, o presidente da Câmara só não foi chamado de arroz doce pelas principais lideranças do PT na Câmara, já o tachando de golpista”, disse o ex-presidente. Irado, Cunha, segundo ele, resolver enfrentar o PT, colocou o impeachment em votação e aprovou por ampla maioria.

Temer contou que ainda esteve em Palácio com a presidente Dilma pedindo para ela acalmar a incendiária bancada do PT, mas não sem sucesso. “Ela disse que o PT era complicado e incontrolável”, revelou.

Outra revelação surpreendente de Temer: foi forçado a assumir a coordenação política do Governo Dilma com o Congresso porque ela queria o ex-ministro Eliseu Padilha, que não aceitou por causa do temperamento dela.

Temer contou mais: disse que está pronto um livro de memórias para lançar assim que a pandemia do coronavírus for embora trazendo bastidores do seu Governo, com detalhes, inclusive, da sua prisão, que considerou o maior golpe em vida.

Por fim, Temer disse que se Lula fez muito por Pernambuco, ao Estado, em seu Governo, ele entregou quatro Ministérios, mas mesmo assim o PSB não parou de bombardear a sua gestão.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Wellington Antunes

Paciência, né Magno? Agora tu vem com mais essa mentira, faz uma manchete de primeira página desse teu jornal O PODER, que eu recebia e cancelei face a tantas tendenciosidades. Na onda do golpista Temeroso, você faz coro com ele e diz em manchete que o PT foi quem cassou Dilma. Na verdade, e eu sei que você sabe, mas que age de má fé para desinformar e enganar os incautos, o PT no Conselho da CCJ da Câmara não cedeu as chantagens de Cunha e resolveu votar favorável ao andamento do processo pela cassação dele (Cunha), um processo legítimo e não falho como foi o processo do impeachment de Dilma, onde se buscou um artificio das pedaladas fiscais e que Bolsonaro fez no ano passado de 2019, mas o mesmo TCU fez apenas algumas ressalvas, que conforme divulgado na imprensa, houve em 2019 um pagamento de R$ 1,5 bilhão em benefícios previdenciários sem respaldo na Lei Orçamentária. Tá aí na imprensa para quem quiser ver o que disse a esse respeito o ex-ministro Nelson Barbosa. Os 03 votos do PT foram decisivos, foi o fiel da balança e como disse, na época, o deputado petista da Bahia, José Geraldo: \"Estamos votando não com a faca, mas com uma metralhadora no pescoço. E a metralhadora tá na mão do Cunha.\" Numa referência ao mandato dar presidenta Dilma. Aí vem você, oh Magno, escrever essas abobrinhas? Se o PT tivesse votado contra o processo de cassação do Cunha até hoje vc tava falando que houve um acordão. O PT foi coerente nessa votação e assim não virou refém do Cunha. Conta outra, viu? Ninguém aqui é besta. O mais besta dos internautas desse blog, come o doce sem abrir a lata.

Yramilson Sá de Oliveira

Meus Deus, paciência!! Como Magno, um jornalista experiente, escreve uma bobagem dessa ? Acha pouco o que fala mal do PT e agora culpá-lo pela cassação de Dilma kkkkkkk piada! Isto não existe! Os golpistas foram: Moro , Temer, Globo, Aécio, Cunha etc... por isso que este blog perde seguidores.



12/06


2020

Pastor Jairinho na live do blog daqui a pouco

Dando sequência ao debate sobre a sucessão no Recife por lives municipais pelo Instagram do blog, o segundo pré-candidato a prefeito da capital, o Pastor Jairinho, do PTC, é o entrevistado de hoje. Daqui a pouco, às 19 horas. Se você ainda não segue o Instagram do blog anote o endereço: @blogdomagno.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/06


2020

Deputado dá sua versão sobre rachadinha no gabinete

Prezado Magno,

Em relação à matéria publicada em seu blog, encaminhada pelo blogueiro Gidi Santos, ocupante de cargo comissionado na Prefeitura de Garanhuns, na qual insinua maliciosamente que eu teria admitido a prática de “rachadinhas” em emendas parlamentares no meu gabinete, tenho a dizer o seguinte:

Desde quando os legislativos estaduais começaram a participar da elaboração do orçamento público em seus respectivos estados, através da apresentação de emendas parlamentares individuais, deputados que assumem o mandato na condição de suplente, em razão do afastamento do titular para assunção de cargo no Executivo estadual, como é o meu caso, por uma questão de justiça e absolutamente dentro da legalidade e dos princípios republicanos, parte destas emendas geralmente são destinadas aos municípios indicados pelo titular.

Isso porque seria injusto para com os eleitores do deputado eleito, deixar de receber obras e benefícios decorrentes de emendas, simplesmente pelo fato de o parlamentar ter sido convidado a servir de forma direta ao Poder Executivo. Destinar as emendas exclusivamente para os municípios do parlamentar suplente significaria, na prática, punir os eleitores do parlamentar eleito. Isto sim, seria uma imoralidade, além de grande injustiça eleitoral.

Foi isso que eu expliquei no diálogo citado e que, num ato de absoluta má fé e certamente desespero eleitoral, a mando do prefeito, o blogueiro distorceu os fatos com a única intenção de denegrir a nossa imagem, como é praxe em sua prática profissional. Prova disso que ele se utilizou o termo “rachadinha”, mesmo sabendo que não existe qualquer ilegalidade ou imoralidade na destinação de emendas para qualquer município, desde que devidamente justificadas.

É oportuno dizer, entretanto, que ao contrário dessa prática republicana e transparente, razão pela qual fiz questão de esclarecê-la em rede social, existe uma outra prática bastante duvidosa, que era praticada pelo então deputado Izaías Régis, em sua passagem pela Alepe, que era a de, mesmo na condição de titular e eleito pelo povo de Garanhuns e região, destinar emendas para a realização de eventos juninos, cirandas, caboclinhos e muitos outros em municípios da região metropolitana do Recife, locais onde ele não tinha qualquer ligação política, cultural, afetiva ou de qualquer ordem.

Oportunamente traremos alguns casos mais específicos, até para saber qual será a opinião do mencionado blogueiro sobre o assunto, já que ele insiste em nos julgar sempre de forma tão inconsequente e distorcida - tão somente para agradar ao seu chefe e fazer jus ao salário que recebe, inclusive com claro desvio de função.

Sivaldo Albino – deputado estadual pelo PSB


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha