FMO - Processo Seletivo 2024

Coluna da sexta-feira

Magistrado ou político?

Embora tenha feito um discurso, ontem, na posse como ministro do Supremo Tribunal Federal, de que limitará sua ação como magistrado e não como ator político, Flávio Dino, que passa a substituir Rosa Weber na corte máxima da justiça brasileira, precisa mostrar na prática que não será novo Alexandre de Moraes.

Nem também um novo Gilmar Mendes. Tanto o carequinha quanto o decano adoram um holofote e dão pitacos em tudo, da mesma forma como Dino agiu como ministro da Justiça. O novo ministro Flávio Dino vai herdar um acervo de 340 processos em tramitação, entre ações e recursos.

Um dos casos que passarão às mãos do novo ministro envolve as conclusões finais da CPI da Covid do Senado e tem como um dos alvos o ex-presidente Jair Bolsonaro. O ex-presidente foi acusado pelo colegiado de incitação ao crime porque teria estimulado a população a se aglomerar, não usar máscara e não se vacinar. À época, a Advocacia-Geral da União rebateu as conclusões da comissão.

As ações e os recursos que inicialmente vão ficar sob a relatoria do futuro ministro eram da ministra Rosa Weber, que se aposentou em outubro. Esse procedimento segue as regras internas do tribunal. O conjunto de processos conta com 105 recursos e 235 ações. Deste total, a maior parte dos procedimentos trata de temas de Direito Administrativo. Também fazem parte do conjunto 43 ações constitucionais – aquelas que discutem a validade de leis diante da Constituição.

Sem elementos – O novo ministro será o relator de um dos pedidos preliminares de apuração enviados pela Procuradoria-Geral da República (PGR) a partir das conclusões do relatório final da CPI da Covid, do Senado. Nesse procedimento, um dos alvos é o ex-presidente Jair Bolsonaro, além de ministros e outros agentes públicos da gestão anterior. Quando o pedido foi apresentado ao Supremo, a Advocacia-Geral da União (AGU) – em documento assinado pelo ex-ministro Bruno Bianco – defendeu que não havia elementos mínimos de crime.

Risco de prisão – O que ouvi, ao longo desta semana, em Brasília, é que o ex-presidente Bolsonaro será preso e que o termômetro do timing da sua prisão passa pelo ato do próximo domingo, em São Paulo, organizado pelo ex-presidente. Dentre outros crimes, Bolsonaro é acusado de liderar uma “organização criminosa” que teria atuado em uma suposta tentativa de golpe de Estado e abolição do Estado Democrático de Direito, visando obter vantagens políticas.

Silêncio na Federal – Ontem, o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) ficou em silêncio no depoimento à Polícia Federal, que apura informações relacionadas às suspeitas de que uma organização criminosa trabalhava para promover um golpe de Estado no país, em 2022, ano eleitoral. Além dele, outras 22 pessoas foram ouvidas ao mesmo tempo, em Brasília e outras partes do país. As oitivas foram realizadas ao mesmo tempo, em salas separadas, a fim de evitar que os investigados combinassem versões.

Empresa suspeita – A empresa responsável por obras de manutenção no presídio federal de Mossoró (RN), que registrou as duas primeiras fugas da história em uma prisão do tipo, tem contrato com a Penitenciária Federal de Brasília. Apontada por suposto esquema de “laranjas”, a R7 Facilities, agora alvo de investigação, tem contrato assinado com a União de mais de R$ 2 milhões (R$ 2.088.591,60) para atender “as necessidades da penitenciária” na prestação de serviços continuados de apoio técnico e administrativo. O acordo tem vigência até 9 de março deste ano.

Impeachment na manifestação – O impeachment de Lula foi incluído na pauta da manifestação de Jair Bolsonaro no próximo domingo, na Avenida Paulista. Além do esclarecimento que o ex-presidente fará ao povo brasileiro, será defendido o impeachment de Lula pelas falas sobre Israel. A intenção de aliados de Bolsonaro é inflar a população a favor do pedido de impeachment, que deverá ser protocolado até o fim desta semana, e tentar criar pressão popular para Arthur Lira não engavetar a proposta, segundo um deputado bolsonarista.

CURTAS

SAÚDE PARA O PP – Uma fonte soprou, ontem, ao blog, em Brasília, que a governadora Raquel Lyra (PSDB) vai manter o PP em sua base entregando a Secretaria de Saúde como cota do partido, liderado pelo deputado Dudu da Fonte, e não a pasta de Turismo, conforme foi especulado neste espaço.

ADIAMENTO – Depois que o PSol, parte da federação com a Rede Sustentabilidade, reafirmou compromisso com a pré-candidata do partido à Prefeitura do Recife, Dani Portela, a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, já avalia em adiar a ida para o Recife, no próximo dia 2, para dar o start da pré-candidatura do deputado Túlio Gadelha (Rede).

SERRITA – Sônia Martins, atual vice-prefeita do município de Serrita, decidiu trocar o MDB pelo Solidariedade, de Marília Arraes, a fim de disputar às próximas eleições como candidata a prefeita com o apoio dela, Marília. A filiação acontece no próximo dia 1º de março.

Perguntar não ofende: Flávio Dino vai resistir aos holofotes?

O presidente Luiz Inácio da Silva (PT) se reuniu com o chanceler russo, Serguei Lavrov, hoje, no Palácio da Alvorada, em Brasília. Ontem, Lula recebeu o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken. Responsáveis pelos assuntos externos dos países do G20 (as 20 maiores economias do mundo) vieram ao Brasil nesta semana, para os preparativos da cúpula do grupo, marcada para novembro, no Rio de Janeiro.

Segundo o Palácio do Planalto, Lula e Lavrov discutiram o conflito entre a Rússia e a Ucrânia, que já dura dois anos. Lavrov expôs as posições russas, e Lula reiterou a posição de que o Brasil continua disposto a colaborar com os esforços em favor de paz. O conflito começou com invasão russa ao território da Ucrânia.

“O chanceler Lavrov expôs as posições da Rússia em relação ao conflito na Ucrânia. O presidente Lula reiterou a posição de que o Brasil continua disposto a colaborar com os esforços em favor da paz”, afirmou o governo brasileiro em nota. De acordo com o governo, os dois também discutiram temas da agenda bilateral entre os dois países, os debates ocorridos na reunião de chanceleres dos países do G20, que ocorreram no Rio de Janeiro, e questões globais.

“Lula agradeceu pela manifestação de apoio ao Brasil e confirmou que irá à Rússia para a Cúpula dos Brics. O presidente reafirmou a importância de uma nova governança global para lidar com temas como inteligência artificial e as mudanças climáticas, que não podem ser enfrentadas isoladamente”, diz o comunicado brasileiro.

Antes de encontrar Lavrov, Lula e o secretário de Estado do governo estadunidense, Antony Blinken, que é responsável pela política externa dos Estados Unidos, conversaram sobre iniciativas para a paz na Faixa de Gaza e as eleições na Venezuela na quarta-feira (21), em Brasília. A informação é da embaixada dos Estados Unidos. Lula e Blinken se reuniram por cerca de 2 horas no Palácio do Planalto. Representantes dos dois governos também estiveram presentes.

Jaboatão dos Guararapes - Dengue 2024

Folha de São Paulo

O Ipespe (Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas) foi contratado pela CNN Portugal para realizar pesquisas sobre a eleição para a Assembleia Nacional, que ocorrerá em 10 de março. O pleito definirá o próximo primeiro-ministro do país. É a primeira vez que uma TV portuguesa contrata um instituto brasileiro para esse tipo de levantamento.

O Ipespe será responsável por fazer um tracking eleitoral com resultados apresentados diariamente. Para a pesquisa, as entrevistas serão realizadas por telefone nos 20 círculos eleitorais do território de Portugal. O objetivo é acompanhar as intenções de voto.

No sistema luso, os eleitores não votam diretamente nos políticos, mas sim nos partidos, que definem previamente suas listas de candidatos. As eleições antecipadas de 10 de março foram convocadas após a renúncia do premiê António Costa em meio a uma investigação de corrupção no centro do governo.

Petrolina - Bora cuidar mais

Almocei, hoje, em Brasília, com o jornalista Renato Ferraz, colunista de automóveis deste blog. Ele me levou para conhecer o restaurante Tia Zélia, na Vila Planalto, local onde se abrigaram as primeiras levas de trabalhadores que construíram, sob lama e poeira, dependendo da época do ano, a capital da República.

O lugar, a pouco menos de 1 km em linha reta do Palácio do Planalto e da Esplanada dos Ministérios, é gerenciado por tia Zélia, a cozinheira preferida do presidente Luís Inácio Lula da Silva, cujas fotos enfeitam as paredes do lugar.

“Nesse governo, ele ainda não veio. Mas eu entendo as razões”, disse ela a este blogueiro, enquanto dava ordens aos garçons e demais funcionários do restaurante, batizado com o seu nome.

Além de imagens de Lula, como se fosse um oratório antigo de casas da zona rural dos sertões, o lugar é cheio de fotos de políticos, principalmente de petistas, homenagens e recortes de reportagens jornalísticas.

Na parte interna, apenas seis mesas – uma delas para 10 lugares – e a cozinha, aberta ao público; fora, um gigantesco toldo de lona branca e dezenas de mesas espalhadas pela grama de área pública do outro lado da rua.

Essas ‘invasões’, que expõem funcionários e clientes a riscos de atropelamentos e intempéries climáticas, são bem típicas da cidade que Juscelino Kubitscheck inventou de criar.

A baiana Tia Zélia, que na verdade se chama Maria de Jesus Oliveira da Costa, diz conhecer Lula desde 2008, quando lhe serviu uma buchada de bode.

Lula gostou, voltou e sempre que quis mandou seguranças e auxiliares buscá-la. Aliás, a iguaria é um dos carros-chefes do cardápio, que tem geralmente três opções variadas diárias. É buchada de bode, carne-de-sol e rabada – outro prato preferido de Lula. Tem também macarrão simples, feijão tropeiro ou no caldo, salada tradicional e, claro, cervejas geladas e pingas de todos os estados.

O preço é, além do sabor, convidativo: R$ 45 em média para uma pessoa, com variação diária de pelo menos uma opção. Mas, apesar da lona branca aconchegante, os melhores lugares ficam sob as figueiras ainda não centenárias, mas que oferecem tudo o que às vezes desejamos na secura de Brasília- apenas sombra.

Ipojuca - App 153

Pré-candidato à Presidência da República, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (UB), disse, há pouco, em entrevista ao blog e à Rede Nordeste de Rádio, que o principal mote da campanha presidencial de 2026 será segurança pública.

“A sociedade brasileira está refém do narcotráfico. Isso não pode perdurar por mais tempo. Em Goiás, bandido tem que mudar de profissão, se quiser morar lá, porque não damos guarida a fora da lei”, afirmou.

Bem à vontade, Caiado reafirmou sua disposição de disputar o Planalto, disse que, eleito presidente, vai enfrentar o narcotráfico e a bandidagem em todas as regiões, sobretudo no Nordeste.

Também fez duras críticas ao presidente Lula (PT) pelas declarações ofensivas à comunidade judaica. Veja o vídeo!

Citi Hoteis

Uma denúncia da Compesa à Polícia Civil de Pernambuco resultou na prisão em flagrante de dois suspeitos de furto ao Centro de Distribuição da Companhia situado no bairro da Macaxeira, Zona Norte do Recife. A dupla foi flagrada furtando itens como canos e outros materiais de reposição que seriam utilizados pela empresa em serviços de manutenção na Região Metropolitana do Recife. A autuação foi realizada por policiais civis integrantes da Delegacia da 18ª Circunscrição – Macaxeira, com apoio operacional das Delegacias do Vasco da Gama, Alto do Pascoal e Casa Amarela, coordenados pelo delegado Rafael Duarte.

A operação coordenada pela polícia para coibir a prática revelou que os suspeitos promoviam transporte e tentativa de revenda dos objetos subtraídos, além do furto. A dupla foi autuada pela prática do crime do Artigo 155, §4o, IV, do Código Penal (Furto qualificado pelo concurso de agentes). Durante a operação policial, também foi promovido um levantamento da atuação de funcionários de empresas terceirizadas que concorriam para a prática dos furtos e transportes dos objetos para revendas / receptações. Um relatório inicial da Companhia aponta que o prejuízo das transações pode somar mais de R$ 500 mil.

A investigação da Polícia Civil segue por meio de portaria para apurar a prática do crime de associação criminosa e responsabilizar os demais integrantes do grupo, além da investigação em desfavor da empresa compradora dos produtos, por receptação qualificada.

FURTO EM UNIDADES DA COMPESA

Além da ação desenvolvida no Centro de Distribuição, a Compesa e a Polícia Civil estão implantando  uma operação permanente para combater os furtos e roubos de equipamentos e componentes elétricos em unidades operacionais da Companhia e em todo o estado. Essas ações criminosas têm impacto no abastecimento das cidades, prejudicando a população que fica sem água até que a Compesa substitua os itens subtraídos.

Cabo de Santo Agostinho - Refis 2023

Por Juliana Albuquerque – repórter do Blog

Em vídeo publicado em suas redes sociais, o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco, Áureo Cisneiros, condenou e lamentou o atentado cometido por criminosos, que se dizem torcedores do Sport, ao ônibus do Fortaleza, ontem, logo depois da partida entre as equipes pela Copa do Nordeste. Segundo ele, o episódio reflete a falta de investimento do Governo em estrutura para que a Polícia Civil possa fazer o seu trabalho.

“Sabemos que a maioria das torcidas levam alegria aos estádios, mas existem outras que são verdadeiras organizações criminosas, organizações de bandidos! É preciso estruturar a Polícia Civil para acabar com essas organizadas. Esperamos a sensibilidade da governadora Raquel Lyra”, cobrou Áureo Cisneiros, presidente do Sinpol.

Caruaru - Geracao de emprego

O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, e o ex-ministro da Justiça Anderson Torres não aderiram ao “pacto de silêncio” que prevaleceu, hoje, nos depoimentos do inquérito do golpe. Eles decidiram responder aos questionamentos da Polícia Federal (PF).

A PF intimou 23 pessoas para serem ouvidas simultaneamente na investigação. Os depoimentos foram marcados no mesmo dia e horário para prevenir a combinação de versões. As informações são do portal Estadão.

A estratégia dos investigadores acabou frustrada pelas defesas. O ex-presidente Jair Bolsonaro e seus aliados decidiram não responder às perguntas. Eles alegam que não tiveram acesso a todas as provas que fundamentaram a Operação Tempus Veritatis. O maior interesse é em torno das conversas de WhatsApp obtidas pela PF.

A investigação se debruça sobre a trama golpista que teria sido articulada por aliados próximos do ex-presidente para anular o resultado da eleição e mantê-lo no poder.

Belo Jardim - Patrulha noturna

Flávio Dino, 55 anos, tomou posse, hoje, como novo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). A cerimônia foi presidida pelo ministro Luís Roberto Barroso. “Eu me limito a fazer uma brevíssima saudação de boas-vindas ao ministro Flávio Dino, que é uma pessoa recebida por todos nós com muita alegria, um homem público que serviu ao Brasil, em muitas capacidades, e nos Três Poderes”, disse Barroso, depois de empossar Dino.

“Na verdade, a presença maciça nesse plenário de pessoas de visões políticas das mais diversas apenas documentam como o agora ministro Flávio é uma pessoa respeitada e querida pela comunidade jurídica, política e pela sociedade brasileira. E a presença de todas as pessoas, de todas as visões, documentam a vitória da democracia e institucionalidade, da civilidade”, completou Barroso.

Autoridades dos Três Poderes acompanham a solenidade, entre as quais o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). A lista de convidados, feita pelo próprio Dino, tem cerca de 800 nomes.

Integrantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da Advocacia-Geral da União (AGU) e da Procuradoria-Geral da República (PGR) também compareceram. À noite, por volta das 19h, Dino participa de uma missa na Catedral de Brasília, celebração para qual foram convidadas 500 pessoas. Ministro dispensou a tradicional festa oferecida pelas associações de juízes.

Vitória Reconstrução da Praça

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) compareceu à sede da Polícia Federal, em Brasília, hoje, mas ficou em silêncio diante dos investigadores que apuram uma suposta tentativa de golpe de Estado. A informação de que o ex-presidente ficou em silêncio foi divulgada pelo advogado Fabio Wajngarten. Bolsonaro ficou menos de meia hora na sede da PF.

Em entrevista, Wajngarten disse que o ex-presidente “nunca foi simpático a qualquer tipo de movimento golpista”. “Esse silêncio [no depoimento] quero deixar claro que não é simplesmente o uso do exercício constitucional silêncio, mas uma estratégia baseada no fato de que a defesa não teve acesso a todos os elementos por quais está sendo imputada ao presidente a prática de certos delitos”, afirmou o advogado.

Wajngarten disse que a falta de acesso à delação de Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, e a mídias obtidas em celulares apreendidos de investigados “impedem que a defesa tenha um mínimo de conhecimento de por quais elementos o presidente é hoje convocado ao depoimento”.

Em nota, a defesa do ex-presidente disse ainda que Bolsonaro não abre mão de prestar depoimento, o que fará assim que “seja garantido o acesso” solicitado. “Não sendo demais lembrar que jamais se furtou ao comparecimento perante a autoridade policial quando intimado”, diz o comunicado.

A Comissão de Meio Ambiente do Senado aprovou o Projeto de Lei que visa aumentar a segurança e a sustentabilidade das atividades de mineração no país. Relatado pela senadora Teresa Leitão (PT), o PL 1303/2019 obriga que as mineradoras tenham um plano de gerenciamento de desastres. 

A proposta é da senadora Zenaide Maia (Pros-RN) e a intenção é evitar a ocorrência de catástrofes semelhantes às de Mariana e Brumadinho, em Minas Gerais, que resultaram na morte de centenas de pessoas, destruíram cidades e provocaram a poluição de rios e matas.

“A reincidência desses desastres ambientais na mineração acarreta não somente ameaças ao ambiente natural, mas também à qualidade de vida e à saúde pública. O projeto representa uma medida fundamental para a efetiva preservação do meio ambiente e a salvaguarda da população”, destacou a senadora Teresa Leitão. 

O relatório, que acolheu três emendas aprovadas previamente na Comissão de Infraestrutura, altera o Código de Minas (Decreto-Lei 227/1967), que lista as exigências para a criação do plano de aproveitamento econômico da jazida, para estabelecer que seja feito também um projeto para gerenciar o risco de eventuais desastres ambientais. Aprovado no Senado, o texto agora segue para análise na Câmara dos Deputados.

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) chegou à sede da Polícia Federal em Brasília, há pouco, para ser ouvido na investigação que apura uma suposta tentativa de golpe de Estado. A tendência é a de que Bolsonaro fique calado.

Além do ex-presidente, outros investigados compareceram para prestar depoimento. Entre eles, o ex-ministro e ex-candidato a vice-presidente, Walter Souza Braga Netto; o presidente do PL, Valdemar Costa Neto; e o ex-comandante da Marinha Almir Garnier.

Por estratégia da PF, todos investigados devem depor ao mesmo tempo. Assim, a polícia quer evitar que haja combinação de versões.

Os depoimentos fazem parte da operação Tempus Veritatis, deflagrada pela PF há duas semanas. De acordo com as investigações, Bolsonaro e aliados se organizaram para tentar um golpe de Estado e mantê-lo no poder, impedindo a posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Parte da investigação envolve a realização de uma reunião ministerial em 5 de julho de 2022. Nela, Bolsonaro diz a ministros que eles não poderiam esperar o resultado da eleição para agir. Os advogados do presidente afirmam, no entanto, que ex-presidente nunca pensou em golpe.

O Supremo Tribunal Federal (STF) intimou a deputada federal Carla Zambelli (PL-SP), dentro do plenário da Câmara, ontem, a apresentar esclarecimentos na investigação sobre porte ilegal de arma de fogo e constrangimento. Em 2022, a parlamentar empunhou uma pistola enquanto perseguia um homem às vésperas do segundo turno das eleições. Ela tem dez dias para identificar a defesa. As informações são do portal Estadão.

Em vídeo publicado nas redes sociais, a deputada chamou a intimação de “presentinho do STF” e questionou se foi uma “coincidência” o documento ter sido entregue depois de ela anunciar o pedido impeachment contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O requerimento, articulado pela aliada do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), é baseado na comparação feita por Lula da ação de Israel na Faixa de Gaza ao Holocausto.

Segundo Zambelli, um oficial de Justiça tentou entregar a intimação para ela em outras duas oportunidades, em sua casa e no gabinete na Câmara, mas ela não estava presente.

“Achei estranho a veemência com que quiseram me intimar naquele dia, porque vindo em casa, depois na Câmara. A questão dela (oficial de Justiça) ter ido até o plenário foi eu que pedi para ela entrar, porque ela estava na porta. Agora, ir até a Câmara para ficar insistindo, um dia depois do impeachment, achei um pouco estranho”, disse a deputada.

A parlamentar virou ré em agosto de 2023 após ser flagrada em vídeo com arma em punho perseguindo o jornalista Luan Araújo, em outubro de 2022, nos Jardins, em São Paulo. A denúncia feita pela Procuradoria-Geral da República (PGR) foi apresentada em janeiro de 2023.

O órgão pede a condenação de Zambelli, uma indenização de R$ 100 mil por danos morais coletivos e o cancelamento em definitivo do porte de arma de fogo. O placar da votação pela abertura da ação na Corte foi de nove a dois. O relator é o ministro Gilmar Mendes e o caso está em segredo de justiça.

A proposta apresentada pelo Governo de Pernambuco de implementar tarifa única e reajuste zero nas passagens de ônibus da Região Metropolitana do Recife foi aprovada, por unanimidade, durante reunião do Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM), hoje.

A medida reduz o valor do Anel B de R$ 5,60 para R$ 4,10, beneficiando mais de 700 mil usuários. O bilhete único passa a valer a partir do dia 3 de março. A estimativa é de que o subsídio direto do Governo do Estado seja de R$ 310 milhões. No ano passado, o valor do repasse foi de R$ 250 milhões.

Demanda antiga da população que utiliza o transporte coletivo, a implantação do bilhete único foi um compromisso assumido pela governadora Raquel Lyra (PSDB). “Garantimos aumento zero e tarifa única para o transporte público da Região Metropolitana do Recife. O Conselho de Transporte Metropolitano aprovou e quem pagava R$ 5,60 agora vai pagar R$ 4,10. Esse foi um compromisso nosso para garantir mais cidadania para o povo de Pernambuco. Isso também prioriza aqueles que moram em áreas mais distantes e precisavam pagar mais caro para chegar aos seus destinos”, afirmou a gestora.

A implementação da tarifa única não altera a quantidade atual da frota, nem a frequência de viagens já disponibilizadas pelo sistema. A tarifa social do anel G, que opera duas linhas, será mantida no valor de R$ 2,70. Os valores das linhas opcionais também seguem sem alteração.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, deve vir ao Brasil em novembro para participar da reunião dos líderes do G20 no Rio de Janeiro. Segundo fontes do Palácio do Planalto, a presença de Biden já foi confirmada por autoridades americanas ao governo brasileiro nas últimas semanas.

A reunião dos líderes do G20 acontecerá de 12 a 14 de novembro, depois das eleições presidenciais americanas, marcadas para 5 de novembro. Se de fato comparecer ao G20, será a primeira viagem oficial de Joe Biden ao Brasil desde que o democrata assumiu a Casa Branca, em janeiro de 2021. As informações são do blog do Igor Gadelha.

Opinião CE

Após o ataque sofrido pela delegação do Fortaleza, na madrugada de hoje, políticos cearenses prestaram solidariedade ao clube e aos jogadores feridos. Em suas redes sociais, o governador Elmano de Freitas (PT) classificou o episódio como “triste e lamentável”. Além do governador, o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará (Alece), Evandro Leitão (PT), os senadores Augusta Brito (PT) e Eduardo Girão (Novo), além dos deputados estaduais Carmelo Neto (PL), Jô Farias (PT), De Assis Dinis (PT), Felipe Mota (União), Sargento Reginauro (União), Larissa Gaspar (PT), entre outros, repudiaram o ataque.

Enquanto deixava a Arena de Pernambuco, na Região Metropolitana do Recife, o ônibus da delegação do time cearense foi atacado com bombas e pedras por uma torcida organizada da equipe do Sport. Ao todo, seis atletas ficaram feridos e foram encaminhados ao Real Hospital Português, em Recife, onde foram atendidos. O CEO da SAF do Fortaleza, Marcelo Paz, estava dentro do ônibus no momento do ataque e diz torcer para que “essas pessoas sejam severamente punidas”.

Nas redes sociais, a senadora Augusta Brito se mostrou indignada com o caso. “Não é admissível que no país do futebol existam casos de violência dessa natureza. O futebol é uma forma de alegria, entretenimento e bons momentos para todos (as) nós”, pontuou. Já o presidente da Alece e pré-candidato à Prefeitura de Fortaleza, Evandro Leitão, disse que o ataque é inaceitável e pediu agilidade na busca pelos responsáveis. “Desejo pronta recuperação aos atletas feridos. Futebol é espaço para diversão e alegria, não combina com episódios como este. Que os responsáveis sejam identificados e punidos o mais rápido possível”, afirmou.

Quando tive a benção de ser presidente do Fortaleza, em 2017, muito me dediquei à construção da cultura de paz, especialmente em nosso Estado. Conseguimos ótimos resultados dentro e fora do campo contra índices de violência de um futebol despencando, inclusive com mortes por revanchismo e uma rivalidade selvagem! Infelizmente, ontem [21], em Recife, após a partida entre Sport e o Tricolor de Aço do Pici, houve violência. Bombas e pedras. Janelas quebradas e cacos de vidros estilhaçados sobre poltronas. Assentos sujos de sangue. Jogadores feridos. Cenas que em nada combinam com a alegria, a união e o clima saudável do entretenimento esportivo, foram protagonizadas, após o empate de 1 a 1, pela Copa do Nordeste”, escreveu Girão.

O deputado estadual Carmelo Neto prestou solidariedade às vítimas e disse que apresentou um projeto de lei para investigar atos violentos no futebol, em 2023. “Este é o triste estado do ônibus do Fortaleza, alvo de criminosos disfarçados de ‘torcedores’ do Sport. Vale lembrar que em 2023, apresentei um projeto de lei e obtive assinaturas suficientes para abrir uma CPI e investigar e coibir esse tipo de violência no futebol”, escreveu, mostrando o ônibus onde estava a delegação do Fortaleza.

Por Juliana Albuquerque – repórter do Blog

Órgãos da Administração Direta, Autarquias e Fundações Públicas integrantes do Poder Executivo do Estado de Pernambuco podem ficar sem suporte técnico na área de tecnologia da informação. Isto porque, apesar de existir um processo de licitação desde dezembro passado, com início da disputa em janeiro, um recurso impetrado no último dia 16, sem previsão de ser julgado, paralisou todo o processo de contratação da empresa especializada no serviço.

A demora na conclusão desse processo já anda deixando sistemas como o da Compesa e Detran com problemas, uma vez que o contrato do consórcio que prestava o serviço para as estatais já findou. Nesses órgãos, o problema ainda não foi escancarado porque ainda há, entre os servidores, um efetivo mínimo no quadro técnico especializado, o que impede a paralisação geral do sistema informatizado.

Porém, se tal julgamento do recurso perdurar por mais tempo, a falta de suporte de tecnologia pode impactar mais drasticamente o sistema utilizado pela Secretaria de Educação. Neste, após uma extensão emergencial, o contrato segue até maio. Mas se, até lá, o sistema de pregão eletrônico não julgar o recurso, será um verdadeiro caos na educação, uma vez que tudo na Secretaria de Educação depende do sistema informatizado.

Tal recurso foi impetrado pela Fábrica de Software do Brasil LTDA, que alega que o consórcio vencedor não demonstrou o atendimento da exigência relativa à comprovação de prestação de serviços relativos a suporte técnico presencial espalhados em, no mínimo, 12 municípios. O vencedor da licitação foi o consórcio formado pelas empresas Datametrica, Pronet e Zero Um, que além de já prestar esse tipo de suporte há mais de uma década para o Executivo Estadual, foi o autor da proposta mais vantajosa economicamente para o erário público.