FMO janeiro 2020

31/01


2020

Avanços de Fortaleza ganham repercussão

Caro Magno,

Venho acompanhando a série de reportagens do seu Blog sobre o incontestável desenvolvimento urbano de Fortaleza, fruto de uma gestão eficiente , graças a competência  de um jovem prefeito nordestino, como você avalia. 

Todavia, receio que os seus depoimentos, além de nos deixar com inveja dos nossos queridos irmãos cearenses, façam com que comecem a criar dificuldades para dificultar a imigração de recifenses, vítimas da incúria dos atuais detentores do poder.

Forte abraço,

Flávio Régis – Advogado e ex-vereador do Recife


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

IPTU Cabo

31/01


2020

Da Paraíba para o mundo

Carnaiba, terra de Zé Dantas, médico por profissão, mas compositor por vocação, que escreveu os mais belos poemas musicais de Luiz Gonzaga, é afamada celeiro de sanfoneiros. Neném Oliveira, paraibano cabra da peste, não é de lá, mas faz a sanfona chorar. E está levando esse choro alegre e contagiante na cruzada do Atlântico.

Aterrissou, ontem, na Alemanha, como uma das principais atrações do mais autêntico forró pé de serra brasileiro para brilhar na oitava edição do “Psiu! Forró Festival Berlin”, aberto ontem mesmo e encerramento previsto para amanhã.

Neném vai apresentar seu novo estilo, fincado na raiz do pé de serra, mas com toque da atualidade que não pode faltar.  O cantor e forrozeiro, já conhecido no meio musical por ter integrado a banda de muita gente famosa, como Elba Ramalho, Dominguinhos, Santana, Maciel Melo e Cezinha, agora faz aposta em carreira solo.

Aos 34 anos, nascido na Paraíba, mas feito gente grande em território pernambucano, especialmente Recife, Neném tem tudo para arrasar diante dos alemães pelo seu talento e diversidade musical.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Governo de PE - Decimo Terceiro

31/01


2020

Mobilidade em Fortaleza: o diferencial é o Bicicletar

Num futuro não muito distante, a então Fortaleza de trânsito travado, ruas esburacadas e sem horizontes de qualidade de vida para seus 2,7 milhões de habitantes tende a escrever um capitulo diferente na sua história: ser conhecida como a capital da mobilidade, batendo Curitiba, que se reveste, há décadas, de modelo nesse traçado de grande centro urbano.

Se, mais do que isso, caminhar na velocidade dada pelo prefeito Roberto Cláudio (PDT), médico sanitarista de apenas 44 anos, que prioriza o transporte multimodal, será simbolizada pelo centro nordestino de feição européia, em que o carro está sendo trocado pela bicicleta. No último ano da sua dupla jornada de gestor público de visão moderna e empreendedora, Roberto Cláudio devolveu ao fortalezense o prazer e orgulho de morar numa cidade em que é possível, hoje, sair de casa para o trabalho pedalando em vias exclusivas, seguras e modelos de equipamentos públicos.

Até o final deste ano, a cidade contará com 400 km de malha cicloviária. Hoje, já são quase 300 km realidade. Para ser mais preciso 286 km, crescimento da ordem de 313 km. Dessa forma, a cidade, que tinha apenas 68,2 km de rede cicloviária ao final de 2012, hoje conta com os atuais 286 km de infraestrutura cicloviária, sendo 110,1 km de ciclovias, 169,6 km de ciclofaixas, 6,1 km de ciclorrotas e 0,2 km de passeio compartilhado.

Andar de bicicleta na capital cearense está, na verdade, virando febre, harmonia prazerosa, onde se ganha saúde e tempo num traçado de vias expressas. Na Avenida Bezerra de Menezes, uma das mais movimentadas da cidade, por exemplo, os registros oficiais online levantados pela AMC – a autarquia municipal de trânsito da cidade – contabilizam um fluxo diário de 3,8 mil ciclistas, na Domingos Olímpio, 2,8 mil/dia, na Presidente Castelo Branco cai um pouco, 1,6 mil/dia, mesma cifra observada na Godofredo Maciel, enquanto na Rogaciano Leite, o menor tráfico, ainda atinge 1,1 mil ciclistas por dia, números que tendem a crescer muito mais até o final do ano.

Andar de bicicleta em chão de grande concentração urbana como Fortaleza não é só abrir vias expressas, mas dar, também, segurança ao ciclista. Para isso, a Prefeitura criou o programa Esquina Segura em março de 2017, pelo qual houve uma redução de 61% no número de acidentes com vítimas fatais em 251 pontos da cidade. Tudo isso, porque o modelo de ciclovia implantado garante visibilidade aos motoristas que estão ao volante em vias transversais.

O programa, voltado para proteger o ciclista e salvar vidas, impede o estacionamento irregular nas esquinas, facilita a travessia de pedestres. Foi concebido em experiências já vistas como modelo bem seguro em cidades como São Paulo e em países referenciais no mundo, a exemplo dos Estados Unidos, da Colômbia e do México. O novo layout da prática ciclista em Fortaleza é baseado em áreas de travessias encurtadas, prolongamento da calçada demarcada por pintura da cor verde, tachões e balizadores.

Para criar a cultura de andar de bicicleta, o prefeito criou o programa Bicicletar, voltado para oferecer ao cidadão mais facilidade de recorrer a uma bicicleta no uso diário. O sistema de compartilhamento do trânsito tem a cara nova de estações de bicicletas encontradas em qualquer corredor de trânsito da cidade. Até o final do primeiro semestre deste ano, Fortaleza passará das atuais 86 estações do Bicicletar para 210. A grande novidade agora são as estações infantis em praças, já com 14 estações.

As estações do Bicicletar têm câmeras de videomonitoramento e alarme sonoro, além de botões individuais para solicitar conserto de bicicletas. A escolha da bicicleta se dá a partir da modalidade Bilhete Único, monitoramento de bicicletas por GPS e central de atendimento gratuito por telefone. O sistema é gratuito para quem utiliza Bilhete Único para viagens até 1 hora de segunda a sábado ou 1 hora e 30 minutos aos domingos e feriados.

Para ter acesso ao sistema, basta baixar o aplicativo Bicicletar e fazer o cadastro no site www.bicicletar.com.br. O passe com Bilhete Único é gratuito, enquanto o passe diário custa R$ 5,00, o mensal R$ 20,00 e o anual R$ 80,00. É possível retirar uma bicicleta utilizando o aplicativo, por telefone (08005009901) ou com o Bilhete Único. Após utilizar a bicicleta, o usuário a devolve em uma das posições livres da estação do seu destino. Podem ser feitas gratuitamente quantas viagens quiser de até 1 hora (segunda a sábado) e até 90 minutos (domingos e feriados), desde que sejam realizadas com intervalos de pelo menos 15 minutos entre si.

O sistema Bicicletar já possibilitou a realização de 2.897.632 viagens, conta com 260.771 usuários cadastrados, sendo que 91% dos cadastros ativos utilizam o Bilhete Único, 75% utilizam o sistema para deslocamentos diário entre trabalho, compras e estudos, 38% são estudantes. As mulheres representam um de cada três usuários. O Bicicletar é um dos sistemas mais utilizados do Brasil, apresentando uma maior procura em dias úteis. Após a sua consolidação, já verificou uma média de 3.100 viagens em dias úteis. Já aos finais de semana e feriados, a maior média verificada foi de 2.100 viagens/dia.

“Meu filho já criou a cultura de ir para a faculdade de bicicleta, deixando o carro na garagem”, diz a secretária de Saúde municipal, Joana Maciel, que toca também uma das áreas mais exitosas da gestão pedetista, onde, entre tantas mudanças no SUS, é possível pegar o remédio gratuito da rede pública que faltou no posto de saúde numa estação de ônibus conjugada ao metrô, visitada, ontem, por este blogueiro, nas andanças pela cidade para atestar se tudo que se diz no Governo de Roberto Cláudio é mesmo real.

Joana deixa seu filho se deslocar também para outros pontos da cidade porque sabe que as ciclovias exclusivas e bem sinalizadas são seguras. Com o investimento da Prefeitura no programa de mobilidade urbana, que passa da via expressa de ciclista à construção de viadutos, túneis, avenidas com vias de quatro faixas e faixas exclusivas para ônibus, o que tem reduzido o tempo de chegada do usuário ao trabalho, o número de mortes causadas por acidentes no trânsito caiu no ano passado pela quarta vez consecutiva. Saiu de 377 para 226 entre 2014 e 2019.

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), o índice de mortes no trânsito por 100 pessoas/ano, caiu em 2019 acima da média exigida pela instituição, de 40%. Pelas últimas estatísticas, foram evitadas 578 mortes no trânsito, redução de 50,3%. “A mobilidade urbana é um dos maiores desafios das grandes cidades nos dias de hoje. Por isso, garantir à população um sistema viário eficiente e aumentar a oferta de transporte público de qualidade é imprescindível para viabilizar o desenvolvimento econômico e social”, disse o prefeito, em entrevista ao blog.

Fortaleza tem também o sistema zona azul de estacionamento pago, mas toda sua arrecadação se destina ao programa Bicicletar, que tem, também, foco na educação. As pessoas são orientadas a ter cuidado na movimentação como pedestre, não usar o celular quando atravessar ruas ter o máximo de cuidado, fazer bom uso das calçadas, ter atenção nas áreas escolares e usar adequadamente os equipamentos de ciclista.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Rafael C.Soares Quintas

Nada contra a bicicleta, mas aqui no Nordeste onde o calor é insuportável, ir para o trabalho de bicicleta não dá, vamos chegar molhados de suor, para fins de semana como lazer ainda dá, imagina quem trabalha de paletó e gravata kkkkk, no Nordeste não temos as estações bem definidas, ou chove ou faz Sol.


acolher

31/01


2020

Coluna da sexta-feira

Reação da economia melhora o NE

Não é versão de troncoso afirmar que a economia reage, apesar dos altos e baixos no Governo gerados pelo desequilíbrio mental do presidente Bolsonaro. Há setores que começam a gerar empregos e renda, entre eles a construção civil. No Nordeste, o número de novos empreendimentos aumentou 25,5% no apagar das luzes de 2019. Foram registradas 257.697 aberturas, segundo o Indicador de Nascimento de Empresas da Serasa Experian.

O acumulado de janeiro a dezembro mostrou a abertura de 2,9 milhões de empresas, com alta de 23,3% no ano. O volume de novos negócios foi maior, entretanto, na Região Norte, com aumento de 36,3%. Em seguida aparecem o Nordeste (27,3%), o Centro-Oeste (26,3%), o Sul (24,8%) e o Sudeste (24,2%). Entre os estados, o que apresentou a maior variação foi o Amapá, com 73,2%, seguido pelo Amazonas (59,9%) e Roraima (51,8%).

O Espírito Santo aparece em último, com alta de 15,1%. As sociedades limitadas foram as que mais cresceram, com alta de 50,9% - 22.622 em 2019 ante 15 mil no penúltimo mês do ano anterior. As empresas individuais apresentaram aumento de 7,4%, com 12.833 novos negócios no mês analisado e os demais portes registraram 15.498 aberturas no período. Os sinais de recuperação da atividade econômica ajudaram, inclusive, a frear a perda de popularidade do presidente Jair Bolsonaro.

Segundo a última pesquisa Datafolha, a taxa de ótimo ou bom à sua administração oscilou 5% para mais. A taxa de reprovação, que tinha crescido de 30% para 38% em agosto desde a posse de Bolsonaro, agora recuou para 36%. Ainda segundo o levantamento, 43% acham que a economia vai melhorar nos próximos meses, contra 40% que pensavam assim na pesquisa anterior.

Mais shows e festas – A reação da economia se reflete também no segmento festivo do Nordeste. Conversando em Fortaleza com o cantor Waldonys, hoje o mais demandado na região, com uma média de cinco apresentações por semana, ele confessou que cresceu muito, nos últimos três meses, o número de contratação para shows não apenas dele, mas em geral. “Sinto isso com os mais variados artistas amigos”, disse, adiantando ser reflexo da política econômica do ministro da Economia, Paulo Guedes, a quem considera um dos melhores da equipe de Bolsonaro.

Vai e vem – O presidente Bolsonaro recuou, ontem, pela segunda vez, da degola de Vicente Santini, o número 2 da Casa Civil. Ele já havia anunciado a exoneração do cargo de secretário-executivo da Casa Civil. O presidente não gostou de ele ter usado um voo da Força Aérea Brasileira para viajar à Índia. No mesmo dia, Santini foi nomeado para outro cargo na Casa Civil. Ele seria assessor especial da Secretaria Especial de Relacionamento Externo da Casa Civil. Santini recebia um salário bruto de R$ 17.327,65 mensais. No novo cargo, de categoria DAS 102.6, a remuneração prevista seria de R$ 16.944,90 (R$ 382,75 a menos).

Mau exemplo – As igrejas no Brasil deixaram de recolher R$ 420 milhões só com as taxas de INSS de seus funcionários, segundo a lista dos devedores da União disponibilizada pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. No topo do ranking aparece a Igreja Internacional da Graça de Deus, do pastor Romildo Ribeiro Soares, com cerca de três mil templos espalhados em onze países. É bom lembrar que as igrejas em geral são isentas de uma série de impostos no Brasil.

Na liderança – O deputado Felipe Carreras, em maus lençóis no PSB desde que sofreu uma cassação “branca” do seu mandato por um ano, em razão do voto favorável à reforma da Previdência, comemorou, ontem, pesquisa da Anac, a Agência Nacional de Aviação Civil, apontando Recife como a capital do Nordeste que teve a maior movimentação em 2019, com 8.638,608 passageiros, superando Salvador, que registrou 7.351,020 e Fortaleza, com 7.087.627. Carreras atribuiu o crescimento ao seu trabalho na pasta de Turismo. “Quando assumimos, Pernambuco perdia por cerca de 1 milhão de passageiros para a Bahia”, afirmou, em suas redes sociais.

CURTAS

SISTEMA TRAVADO – O Governo fez o maior balacubaco para comemorar o sistema de digitalização e modernização na emissão da carteira de identidade, mas o programinha deve ter dado algum pau ou travado na conexão direta com o Interior. Em São José do Egito, no Sertão do Pajeú, por exemplo, desde setembro não chegam por lá as carteiras já emitidas. Quando ainda funcionava nos moldes anteriores, sem acompanhar os avanços digitais, as carteiras eram entregues com maior rapidez a quem requeria. 

EM IPOJUCA – A direção do PROS em Pernambuco, sob a liderança do ex-deputado João Fernando Coutinho, tem investido em novos quadros de peso para estimular candidaturas a prefeito na Região Metropolitana e Interior. Até Ipojuca, a galinha dos ovos de ouro, cobiçada por qualquer gestor público pela sua baita arrecadação, o partido terá candidato próprio. O ungido é o advogado e biomédico Gledson Pimentel, recentemente empossado na presidência do diretório municipal da legenda.

PREFEITO REPROVA – O prefeito Geraldo Júlio reprovou a postura do secretário de Segurança, Murilo Cavalcanti, que expôs e provocou vexame à gestão municipal ao defender a legalização de drogas pesadas, como cocaína, em vídeo viralizado nas redes sociais. Em nome do segmento evangélico, representado por um eleitorado crescente na capital, o deputado Pastor Cleiton (PP), da base governista, postou na web um vídeo condenando a pisada de bola do auxiliar do prefeito. Murilo é a favor também do comércio legal do crack e da maconha.

Perguntar não ofende: Dá para se orgulhar de manter no primeiro escalão municipal do Recife um defensor da legalização de drogas pesadas?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Agora tá explicado: Rita Lee diz que teve caso com Bolsonaro e que ele não era muito chegado na coisa. Por isso ele só anda com o Hélio Negão a tiracolo.

marcos

Leo Pinheiro em complemento de delação coloca mais um metro de pau no cu de Lula.

Fernandes

Agora tá explicado: Rita Lee diz que teve caso com Bolsonaro e que ele não era muito chegado na coisa. Por isso ele só anda com o Hélio Negão a tiracolo.

marcos

Boa noite queridas mortadelas, e aí vamos lançar Dilma Jumenta para presidenta só pra vingar o golpe.

Fernandes

Toda vez que o bicho pega ele vai para hospital”, ironiza Frota sobre Bolsonaro.



31/01


2020

Regularização fundiária para efetivação do direito à moradia

Por Tereza Borba*

A regularização fundiária compõe o elenco das diretrizes gerais da Política Urbana Nacional, previstas no conteúdo normativo da Lei Federal nº 10.257/2001, denominado estatuto da cidade, que se propôs a regular o desenvolvimento das funções sociais da cidade e da propriedade urbana.

A Emenda Constitucional nº 26/2000 passou a reconhecer o direito à moradia como direito fundamental e, juntamente, com o estatuto da cidade, integram o marco legal do direito à moradia, fazendo do Brasil uma referência internacional.

Apesar de todo avanço normativo e institucional, o grande desafio ainda consiste em testar a eficácia jurídica desses dispositivos e assegurar o acesso ao direito à moradia à população, especialmente, a mais carente. Neste ínterim, a intervenção dos municípios nesse campo temático se apresenta acanhada, seja pela inexpressiva destinação de recursos financeiros para implementar a política de regularização fundiária, seja pela falta de prioridade política, passando também pela falta de capacidade técnica e operacional.

A Prefeitura do Recife tem se esforçado para enfrentar o contexto de irregularidade fundiária urbana vivenciada pelas cidades brasileiras, iniciando em março deste ano, através da Secretaria de Habitação, o processamento administrativo de regularização fundiária (REURB-S) de 05 Conjuntos Habitacionais, oriundos de Contratos de Repasse do PAC/OGU-MCIDADES, geridos pela Caixa. O primeiro deles, denominado Abençoada por Deus, situa-se na Av. Maurício de Nassau, no bairro da Iputinga, e foi a solução habitacional para as famílias que moravam nas margens do rio Capibaribe, na Vila Santa Luzia, na Torre.

Abençoada por Deus teve seu Projeto de Regularização Fundiária e a Certidão de Regularização Fundiária – CRF, devidamente registrado no âmbito do Cartório de Registro Geral de Imóveis, na circunscrição do 4º Ofício da Capital, em setembro de 2019, tendo sido abertas as matrículas autônomas de 428 unidades habitacionais, além de dois equipamentos municipais, dentre eles, a Creche Municipal Lua Luar.

O segundo conjunto habitacional regularizado denomina-se Padre Miguel e está situado na rua Carlos Pena Filho, no bairro de Afogados. Foram abertas 128 matrículas autônomas, a partir do registro da REURB-S e da Certidão de Regularização Fundiária (CRF), perante o 7º Ofício do Registro de Imóveis do Recife.

O processo de regularização fundiária foi fundamentado na Lei Federal nº 13.465/17, que editou novas normas e procedimentos, além de mecanismos que podem agilizar as etapas de trabalho. A citada Lei proporciona ao município um acentuado protagonismo, na medida em que estabelece que é  competência municipal para: instaurar a REURB como procedimento administrativo; a atribuição de proceder às notificações de proprietários e confrontantes (antes realizadas pelo Registrador de Imóveis); de classificar a modalidade; dispensar exigências relativas ao percentual a às dimensões de áreas destinadas ao uso público ou ao tamanho dos lotes, e outros parâmetros urbanísticos; conferir a aquisição originária da propriedade a quem preenche os requisitos; entre outros.

Quanto ao procedimento registral, importante destacar que é dispensada a apuração de áreas remanescentes, a unificação de matrículas, retificações e notificações. Também há maior eficiência e economicidade no ato do registro, pois dispensa a necessidade de título individualizado e a juntada de documentos pessoais dos beneficiários.

Com seus imóveis regularizados, as famílias passam a ter segurança jurídica, a garantia de direitos sucessórios e, querendo, acessar crédito perante os bancos públicos e privados, ofertar garantias etc.  

A Gestão Municipal vai persistir no desencadeamento de ações de regularização fundiária como meio para efetivar o direito à moradia da população de baixa renda e a função social da propriedade e da cidade.

*Advogada, especialista em Direito Urbanístico. Atualmente é gerente geral de Regularização Fundiária, da Secretaria de Habitação da Prefeitura do Recife


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cúpula Hemisférica

31/01


2020

Onyx se encontra com Bolsonaro para definir futuro na Casa Civil

Na pasta, o clima é de incerteza e apreensão. Dentre as hipóteses cogitadas internamente está a de transferir.

Onyx para o Ministério da Educação, no lugar de Abraham Weintraub
Por O Globo

 

Depois de demitir duas vezes o ex-secretário-executivo José Vicente Santini em menos de 48 horas e esvaziar os poderes da Casa Civil, o presidente Jair Bolsonaro deve se reunir nesta sexta (31) com o ministro Onyx Lorenzoni para decidir o futuro da pasta. Onyx antecipou seu retorno à Brasília em meio à crise iniciada após Santini, seu principal auxiliar, usar uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) para fazer uma viagem exclusiva à Suíça e à Índia no último fim de semana.

Na Casa Civil, o clima é de incerteza e apreensão. A pasta perdeu seu principal trunfo: o Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), transferido ontem por Bolsonaro para o Ministério da Economia. Assessores ligados ao ministro Onyx tentam decifrar os próximos movimentos do presidente, que se demonstrou extremamente irritado com os últimos atos da pasta. Dentre as hipóteses cogitadas internamente está a de transferir Onyx para o Ministério da Educação, no lugar de Abraham Weintraub, indicado para o posto pelo próprio Onyx.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

31/01


2020

Estudo: triagem em aeroportos não funciona para conter coronavírus

Procedimento deixa passar entre 50% e 75% dos passageiros infectados; Brasil adota protocolo específico.

Passageiros vindos da China passam por triagem em aeroporto na Arábia Saudita Foto: AHMED YOSRI / REUTERS
O Globo

Na tentativa de conter o avanço do novo coronavírus, aeroportos de diversos países adotaram um sistema de triagem dos passageiros que vêm, especialmente, da China. Pois um estudo publicado esta semana indica que essas triagens, na maior parte das vezes, simplesmente não funcionam.

O estudo feito por pesquisadores da Universidade de Chicago (EUA), Universidade da California (EUA), Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres (Reino Unido) e Instituto Nacional de Saúde (EUA) indica que a eficácia da triagem de viajantes deixaria passar de 50% a 75% dos casos infectados. A base do estudo foram patógenos que surgiram no passado.

O modelo principal de triagem pressupõe que os viajantes infectados possam ser identificados devido à presença de sintomas detectáveis, como febre ou tosse, ou por um relato próprio de sua exposição ao vírus, em questionários ou entrevistas.

“Mesmo sob as melhores hipóteses, estimamos que a triagem deve perder cerca de metade dos viajantes infectados. Avaliando os fatores que levam aos erros e acertos das triagens, descobrimos que a maioria dos casos perdidos pela triagem é fundamentalmente indetectável, porque as pessoas ainda não desenvolveram sintomas e não sabem que foram expostas”, dizem os autores na apresentação do estudo, publicado no site de pesquisas de Ciências da Saúde medRxiv.

Segundo os pesquisadores, já é “amplamente reconhecido” que as medidas de triagem são barreiras imperfeitas à propagação de vírus. Um dos principais motivos seria a ausência de sintomas detectáveis durante o período de incubação das doenças, assim como variados níveis de gravidade e detectabilidade dos sintomas quando a doença começa a avançar. Há também outros problemas, como o mau desempenho do equipamento e erros humanos das equipes responsáveis. Finalmente, há o risco de passageiros tentarem driblar o processo.

No novo surto do coronavírus, a triagem de partida e de chegada foi proposta e implementada em alguns países. Também foi aplicada em outros contextos, inclusive nas verificações de estrada nas principais rotas de Wuhan, cidade chinesa considerada epicentro da epidemia.

Para os autores, a pesquisa é um alerta para que haja acompanhamento dos viajantes após a chegada e também para que os procedimentos de combate à doença se baseiem na ciência: 

“Essas descobertas reforçam a necessidade de medidas para rastrear viajantes que fiquem doentes depois de passar pela triagem. Esperamos que essas descobertas contribuam para uma política baseada em evidências para combater a disseminação do novo coronavírus e para prospectar planos para mitigar futuros patógenos emergentes.”

Brasil não faz triagem

O Brasil não está realizando procedimentos de triagem nos aeroportos ou portos por conta do novo coronavírus. Até o momento, as principais ações da agência têm sido os sinais sonoros em aeroportos, com diretrizes gerais de higiene (como lavar constantemente as mãos e procurar um médico em caso de manifestação de sintomas) e acompanhamento de embarcações e aeronaves que chegam ao país.

— Todas as vezes que temos situações com transmissão respiratória ou em que febre seja um sintoma importante, essa discussão vem à tona. Muitas evidências científicas mostram que a medição de temperatura na entrada do aeroporto é uma ação inócua, não tem impacto algum — disse o Secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson Oliveira.  

Por isso, segundo o secretário, o protocolo brasileiro segue orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS) e trabalha com a preparação do sistema de saúde para diagnosticar a doença no momento em que o paciente procure atendimento médico.

— A Anvisa está realizando uma série de ações para orientação de passageiros que chegam ao Brasil de como agir diante de sintomas. Estamos trabalhando com comunicação e orientação, mas também evitando medidas que não vão gerar efeito e teriam custo elevado — afirma Oliveira. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

31/01


2020

Coronavírus: voos são vistoriados pela Anvisa em SP

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Por Agência Brasil

Voos com passageiros provenientes de áreas afetadas pelo coronavírus estão sendo vistoriados por equipes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no Aeroporto Internacional de Guarulhos (Cumbica), na Grande São Paulo. No Brasil, são nove casos suspeitos da doença.

Um dos voos examinados ontem foi proveniente de Pequim, com escala em Madri, da Air China, que pousou por volta das 16h em Cumbica. Nenhum dos passageiros foi enquadrado no critério de caso suspeito, definido pelo Ministério da Saúde. 

“A gente questiona a tripulação se houve algum caso relatado, se existe algum passageiro que relatou algum sintoma de febre, ou algum sintoma gripal, ou que manifestou que está vindo dessa área [afetada pelo coronavírus], para que a gente possa tomar alguma outra ação e fazer uma entrevista direta com esse passageiro”, disse a chefe do posto da Anvisa do Aeroporto de Guarulhos, Elisa Boccia.

A Anvisa ainda verifica se as companhias aéreas estão emitindo, dentro dos aviões que pousam no aeroporto, as mensagens sonoras de alerta sobre a transmissão do coronavírus e de medidas de higiene. Além disso, os agentes fazem um novo controle no momento do desembarque.

“O desembarque começa a acontecer e a gente fica na saída desses passageiros observando. Os agentes podem eventualmente abordar um ou outro passageiro que manifeste algum sintoma”, ressaltou Boccia.

Se um passageiro é enquadrado no critério de caso suspeito do Ministério da Saúde, ele é levado para o posto médico do aeroporto para uma nova análise, e poderá ser encaminhado para um hospital de referência, caso necessário. “Identificado alguém com sintomas que encaixem na definição de quadro suspeito, a primeira coisa é colocar máscara nesse indivíduo, fazer a remoção dele para o posto médico, certificar os sintomas, e fazer uma avaliação clínica dele aqui no aeroporto. Caso se confirme que está enquadrado como um caso suspeito, vamos encaminhá-lo para a rede dos hospitais de referência determinados pelo governo do estado de São Paulo”, destacou Boccia.

Kelvin Zhang, um estudante morador de São Paulo, estava em Pequim e chegou hoje na capital paulista no voo da Air China. Ele contou que passou por triagens tanto na cidade da partida quanto em Madri, onde a aeronave fez uma escala. 

“De Pequim para cá, fizeram teste para saber se eu tinha febre, e questionaram se fui para Wuhan, a cidade onde começou a doença. Aqui no pouso, fizeram um anúncio falando para lavar a mão com água e sabão. Também disseram que, quem tiver com tosse ou febre até 14 dias depois da viagem da China, tinha que ir para o hospital”.

José Alves Vila Real, preparador físico de um time de futebol da China, também desembarcou no mesmo voo. Segundo ele, a equipe em que trabalha o orientou a voltar ao Brasil até que o momento mais agudo da contaminação seja superado.

“Minha equipe pediu para eu voltar para o Brasil para a gente ficar aqui, esperar passar esse momento. Na China, todo mundo está sendo avisado o tempo todo, é muita organização. Nas cidades, parece um feriado, todo mundo em suas casas, tomando todas as precauções, porque o ritmo da contaminação está muito rápido na região de Wuhan. No voo, todo mundo estava usando máscara”. 

Histórico
Os coronavírus são conhecidos desde meados dos anos 1960 e já estiveram associados a outros episódios de alerta internacional nos últimos anos. Em 2002, uma variante gerou um surto de síndrome respiratória aguda grave (Sars) que também teve início na China e atingiu mais de 8 mil pessoas. Em 2012, um novo coronavírus causou uma síndrome respiratória no Oriente Médio que foi chamada de Mers.

A atual transmissão foi identificada em 7 de janeiro. O escritório da Organização Mundial de Saúde (OMS) na China buscava respostas para casos de uma pneumonia de etiologia até então desconhecida que afetava moradores na cidade de Wuhan. No dia 11 de janeiro foi apontado um mercado de frutos do mar como o local de origem da transmissão. O espaço foi fechado pelo governo chinês.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

31/01


2020

Coronavírus: China já registra 213 mortes

Número de casos de coronavírus sobe para 9.692

Médicos fazem atendimento no Hospital Zhongnan, em Wuhan, cidade chinesa que foi epicentro do
surto do coronavírus - Foto: Governo da China/via Poder 360

Estadão Conteúdo

A Comissão Nacional de Saúde da China informou ontem , que o número de casos de coronavírus no país subiu para 9.692 e o total de mortes aumentou para 213. Na atualização anterior, haviam 8.149 casos confirmados e 171 óbitos no país asiático.

Em comunicado, o órgão afirmou ainda que há 15.238 casos suspeitos na China e que 171 pessoas já foram curadas. O documento informou, também, que há 12 casos confirmados em Hong Kong, 7 em Macau e 9 em Taiwan.

Ontem, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou emergência global de saúde pública devido ao surto de coronavírus, mas descartou recomendações para restringir comércio e viagens, inclusive à China.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


31/01


2020

CVM: mercado de capitais registra captação recorde em 2019

 Divulgação CVM)

Por Agência Brasil

O mercado de capitais brasileiro registrou captação em 2019 de R$ 450,7 bilhões junto ao público investidor, valor que é um recorde no setor. O valor representa alta de 62% em relação a 2018. A informação consta do primeiro Boletim de Mercado de 2020, divulgado ontem pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), autarquia vinculada ao Ministério da Economia.

De acordo com o boletim, o mercado de dívida, ambiente onde se emitem e são negociados os instrumentos de dívida lançados por empresas, como debêntures, certificados de recebíveis imobiliários (CRI), certificados de recebíveis do agronegócio (CRA) e notas promissórias, respondeu por 63% do total de captações no ano passado, ou cerca de R$ 286,6 bilhões. Destaque para as emissões de debêntures, que somaram R$ 185,8 bilhões.

O boletim informa também que em 2019 as emissões de ações voltaram a crescer, atingindo R$ 90,1 bilhões captados junto ao público investidor. O número de participantes regulados totalizou 54.458, aumento de 6,8% em relação ao final de 2018. O estoque total de valores mobiliários sob a regulação da CVM encerrou 2019 estimado em cerca de R$ 35 trilhões, mostrando expansão de 85% em relação ao final do ano anterior.

“O maior colaborador para o crescimento do número de regulados foi o registro de novos agentes autônomos de investimento, totalizando 10.798 agentes registrados, aumento de 38,8% em relação ao final de 2018”, disse o chefe da Assessoria de Análise Econômica e de Gestão de Riscos da CVM, Bruno Luna. Luna destacou ainda o número de plataformas de crowdfunding (financiamento coletivo) que, até o final de 2019, alcançou 26 plataformas registradas, contra 14 autorizadas em 2018.

Luna analisou que 2019 foi fortemente influenciado pela queda da taxa básica de juros Selic, que está em sua mínima histórica. Ele considera que a manutenção desse cenário pode atrair investidores, o que permitirá ao mercado privado competir em condições mais favoráveis e reduzindo o custo do financiamento corporativo. “O crescimento recorde observado nas captações via emissão de títulos de dívida e o aumento no número de investidores é um efeito direto disso”, disse.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores