Lavareda

05/11


2020

Mau tempo obriga piloto a desviar voo de Bolsonaro

O avião que levava o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e comitiva para Paulo Afonso (BA) teve que aterrissar no aeroporto de Aracaju (SE) por causa do mau tempo no destino na manhã de hoje. Ele tem agenda prevista em Piranhas (AL), na divisa com a Bahia.

Segundo o aeroporto de Paulo Afonso, não havia visibilidade para o pouso por volta de 8h30.

Enquanto aguardou a nova decolagem, que ocorreu às 10h15 em helicóptero da Força Aérea Brasileira (FAB), o presidente se reuniu com apoiadores na porta de uma lanchonete. Ele estava sem máscara e causou aglomeração. Em Sergipe, é lei usar o equipamento de proteção em locais públicos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ALEPE

05/11


2020

Dudu da Fonte vota por derrubar veto da desoneração da folha

O deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE) atendeu a demanda de trabalhadores e votou pela derrubada do veto presidencial que previa o fim da desoneração da folha de pagamento, o que deixaria a contratação de trabalhadores mais cara. O voto do parlamentar beneficia 17 setores da economia até o final do ano que vem.

“Pensamos nos milhões de pais e mães de famílias que dependem do emprego. Nossa preocupação é com o social e com a economia. Votamos pelo trabalhador, pela dignidade do emprego e contra a elevação de impostos”, explica Eduardo da Fonte.

Além dos trabalhadores, o voto de Eduardo da Fonte pela derrubada do veto também beneficia os empregadores, já que as empresas têm imposto reduzido, com a cobrança que varia entre 1% e 4% sobre a receita bruta ao invés de 20% sobre a folha de pagamento.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

05/11


2020

Frota: Bolsonaro, rato de porão

Por José Nêumanne*

Veterano repórter e comentarista de política, conheci razoavelmente todos os presidentes brasileiros desde a queda da ditadura militar, à exceção de dois: Dilma Rousseff e Jair Bolsonaro. Sacada da algibeira de Luiz Inácio Lula da Silva, ela foi eleita mercê da popularidade de quem a elegeu duas vezes, na segunda evidentemente contrariado. Sobre o outro há literatura confiável, seja nos autos do processo de que foi absolvido no Superior Tribunal Militar (STM), seja no competente relato deste por Luiz Maklouf de Carvalho no livro O Cadete e o Capitão. Mas a obra ganhou merecida notoriedade tarde demais, quando o oficial acusado de terrorismo e indisciplina já envergava a faixa presidencial.

Entrevistar o deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) para a série Nêumanne Entrevista, apresentada no YouTube e reproduzida no Blog do Nêumanne no portal do Estadão, foi a oportunidade de entender por que o capitão conquistou a maioria do eleitorado com a perspectiva de apoio à luta contra a corrupção, sob os auspícios do ex-juiz Sergio Moro. E ainda a adesão ao livre-mercado, personificado no economista Paulo Guedes. E, depois, jogou a narrativa no lixo da História para abraçar, em plena pandemia da covid-19, velhos parceiros de baixo clero do Centrão. A aposta no entrevistado terminou sendo muito bem-sucedida.

Pois na entrevista Frota esclareceu um episódio fundamental na virada de mesa do presidente, ao demitir e tentar desmoralizar um aliado de importância capital na sua campanha: o advogado carioca Gustavo Bebianno. Bolsonaro e os filhos, que movem os cordéis do gabinete do ódio da militância nas redes sociais, divulgaram a versão de que o chefe havia sido traído pelo relevante ministro da Secretaria-Geral da Presidência, na qual foi substituído pelo general da reserva Floriano Peixoto Neto, depois trocado por outro reservista da mais alta patente, Luiz Eduardo Ramos. Este hoje é tido como a vítima da vez na dança das cadeiras, tendo o cargo cobiçado pelo Centrão, eminência parda do atual governo: cabem-lhe as relações com os chefões do Poder Legislativo.

Frota contou agora um episódio que desmente a versão bolsonarista, que poderia ser tida como fake news, assunto da comissão parlamentar mista de inquérito (CPMI) que o deputado ajudou a criar e a dirigir. Segundo ele, perambulando pelos corredores do prédio do Banco do Brasil onde funcionava o comando da transição do governo, deparou-se com um grupo de civis de terno e militares de farda, cada um dirigindo-se à própria sala. E, à sua frente, sobrou um engravatado: Gustavo Bebianno. “Você não vai para sua sala?”, indagou. “Não tenho sala”, respondeu. Ou seja, a nomeação do participante do comando da campanha para o Ministério do governo foi uma farsa, que durou pouco tempo. E nada teve que ver com a versão oficial usada à época, segundo a qual o presidente do PSL durante a campanha eleitoral teria autorizado repasse de verbas do Fundo Partidário para uma candidata “laranja” em Pernambuco, com o suposto apoio de Luciano Bivar, atual presidente da sigla. O então porta-voz, general Otávio Rêgo Barros, não mentiu ao atribuir a defecção ao “foro íntimo do nosso presidente”. O isolamento de Bebianno na transição explica também a brusca retirada do capitão do partido e seu afastamento de Bivar.

Na entrevista Frota contou ainda que, ao assumir uma cadeira na Câmara dos Deputados, pediu da tribuna a prisão do subtenente PM do Rio Fabrício Queiroz. Fê-lo na eclosão do escândalo da extorsão de servidores de gabinetes da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), com a abertura de inquérito pelo Ministério Público do Estado (MP-RJ) contra o então deputado estadual, após ser divulgado o relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) sobre movimentações atípicas, de R$ 1,2 milhão, em contas do assessor do atual senador. Incontinenti o próprio presidente, conforme contou o deputado, telefonou-lhe, aos berros, chamando-o de traidor. Expulso do PSL, o parlamentar mudou-se para o PSDB do hoje principal inimigo dos muitos que o capitão de Artilharia coleciona, o governador de São Paulo, João Doria.

A explosão ao telefone teria sido, segundo Frota, o primeiro indício de que o chefe do governo faria o possível, mesmo que improvável, para tirar o primogênito da enrascada. Isso explica a pressão para o ex-ministro da Justiça e da Segurança Pública Sergio Moro demitir-se, tema do processo no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre interferência política de Bolsonaro na Polícia Federal (PF). E ainda a nomeação de Augusto Aras, fora da lista tríplice do Ministério Público Federal (MPF), para a Procuradoria-Geral da República (PGR) e as indicações de Kassio Nunes Marques para o STF e de Jorge Oliveira para o Tribunal de Contas da União (TCU).

O empenho do chefe do Executivo em obstruir o inquérito do peculato na Alerj desvelou-se recentemente, em agosto, quando se reuniu com o diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem, da intimidade da família e impedido de assumir a direção da PF por decisão monocrática do ministro do STF Alexandre de Moraes, que ele chamou de “canetada”. E com o chefe do Gabinete da Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno. Isso para que as advogadas de Flávio, Luciana Pires e Flávia  Bierrenbach, lhes pedissem ajuda para espionar fiscais da Receita Federal que, de acordo com sua teoria conspiratória, teriam cometido crime ao fornecerem dados da contabilidade do senador ao MP-RJ para prejudicarem simultaneamente o filho e o pai.

Por tudo o que relatou, Frota arrependeu-se e pediu desculpas a quem houver votado em Jair Bolsonaro a conselho dele. Conforme disse na entrevista, porque “ele não é confiável”. Mas, sim, um “rato de porão”.

*Jornalista, poeta e escritor


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu no Zap

05/11


2020

Yves diz que decisão faz justiça à sua biografia

Na noite de ontem, o pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PE) confirmou o registro da candidatura de Yves Ribeiro à Prefeitura de Paulista pelo MDB.

Logo após ao término da sessão do egrégio colegiado, Yves declarou estar de alma lavada. "Até que enfim se fez justiça à minha biografia e ao meu zelo no trato da coisa pública", desabafou o emedebista.

Na semana passada, o julgamento do processo foi suspenso após pedido de vistas do presidente do TRE-PE, Frederico Neves. Seis desembargadores já haviam votado favorável à confirmação da candidatura.

Com a retomada da votação, o presidente do tribunal reconheceu a validade da decisão da 14° Vara da Justiça Federal de Brasília, que suspendeu os efeitos do Tribunal de Contas da União (TCU).

O prefeiturável disse, ainda, que ao contrário do que gostariam seus adversários, a eleição terá que ser decidida nas urnas e não no tapetão. "O povo de Paulista saberá dar a resposta a quem traiu a sua confiança e colocou a cidade nas páginas policiais", sacramentou ele.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


05/11


2020

Alucinação do Recife

Por Antonio Magalhães*

“Eu não estou interessado em nenhuma teoria/ Em nenhuma fantasia, nem no algo mais (...)/ Minha alucinação é suportar o dia-a-dia/ Meu delírio é a experiência com coisas reais”.

A alucinação de Belchior, o mais consistente poeta da música brasileira, cabe bem no momento do recifense. Ele não se interessa por uma teoria ou ideologia socialista para uma gestão de governo porque sabe que ela fracassou na sua origem europeia e também na cidade e no Estado.

Por que, então, como apontam os ibopes e datafolhas da vida, os pesquisados da capital favorecem um candidato socialista que não tem currículo de gestor mas um pedigree familiar, cujo o pai foi, sim, um grande político, como também o avô.

Desprezem as pesquisas eleitorais, porque o que vai se travar no Recife é uma batalha de quem sabe contra quem não sabe. Disputa para ver quem pode governar e quem não pode. Nesse embate, o eleitor da cidade tem que agir com bom senso e pragmatismo. Dos três mais fortes oposicionistas postulando à Prefeitura do Recife, só um se destaca pela experiência de vida, profissional e política: Mendonça Filho.

Teve tempo de vida e um mentor como pai, a exemplo que Arraes fez com Eduardo, para fazê-lo seguir uma trajetória iniciada como deputado estadual, deputado federal, vice-governador durante sete anos, governador de Pernambuco por um ano e ministro da Educação. Se você, eleitor, não achar suficiente o seu currículo para administrar uma cidade como a nossa, hoje emporcalhada e abandonada por conta de gestão socialista, é uma caso de repensar suas escolhas porque elas têm consequências.

A mais grave é manter mais do mesmo, vindo de um prefeito socialista mais rejeitado da história da cidade. E com a equipe investigada pela Polícia Federal por irregularidades no uso da verba federal para combater a Covid. Acha pouco. Os adversários políticos dizem coisas muitos piores.

Por que o menino metido a homem, com 26 anos, com a maior votação do Estado para deputado federal, um presente da máquina política do PSB como homenagem ao falecido Eduardo, tem que ser prefeito da capital? Porque a mãe quer, o atual prefeito quer, o governador quer, os dirigentes partidários querem, os comissionados e vereadores desejam. Esses não querem mais do que permanecer na administração pública prestando um serviço ineficaz comprovadamente.

Dizem que Mendonça é pouco simpático, tem cara feia. Mas grandes prefeitos tiveram cara fechada como Joaquim Francisco, Roberto Magalhães e até o avô Miguel Arraes. A diferença do bonitinho para os sérios é que eles, como Mendonça, tinham condições de governar, sabiam o que estava fazendo.

Já o menino/homem, desaparecido durante a pandemia, sequer pode mostrar publicamente seu sorriso chamex, encoberto com a máscara de proteção pessoal. Ela, contudo, não o impede de prometer fundos e mundos para o futuro do Recife, como se a história dos socialistas estivesse começando agora.

Diz que vai fazer hospital, creche, estimular a cultura – quando seu mentor foi o maior caloteiro dos artistas da terra –, demarcar ciclofaixas inseguras, construir habitacionais para os pobres e também obras de saneamento por toda cidade, quando ele mesmo renegou o novo marco saneamento na votação do Congresso.

É uma pessoa dessa que o recifense espera para governar sua cidade? Os pesquisados dizem que sim. Mas e o povo da cidade? Aquele mais carente, a classe média abandonada, como ficam?

São questões para ser respondidas em 15 de novembro e em 5 de dezembro. E a reação democrática é possível, basta você pensar que não quer um piloto de avião que não saiba pilotar, um motorista que não saiba dirigir e muito menos um prefeito que não saiba governar. É isso.

*Integrante da Cooperativa de Jornalistas de Pernambuco


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

adeildo antonio de moura

Esse cidadão sabe que Mendonça só ganha pra deputado pq até eu ganho e só ter dinheiro pra compra apóio de prefeito ex prefeito e tem 100 mil votos ele vai ter 5%dos votos do recife Marília sera a prefeita

Wellington Antunes

Trata de menino metido a homem, o candidato João Campos que disputou pela primeira vez um cargo eletivo aos 26 anos, de idade (Deputado Federal), mas esquece que Mendonça Filho foi deputado Estadual aos 21 anos de idade sob a proteção do Pai. Omite que Mendonça Filho quando ministro do governo Temer, de triste e mal cheirosa memória, acabou com o Ciências Sem Fronteiras prejudicando milhares de jovens estudantes carentes e que o bozo manteve essa bela medida e que hoje só os filhos de ricos (e olhe lá) podem ir ao exterior se aperfeiçoar. O resto é choro de perdedor, conta outra!

Rafael C.Soares Quintas

Parabéns Antônio Magalhães, excelente comentário, aliás todos os seus comentários são ótimos e refletem a realidade.


Banco de Alimentos

05/11


2020

Edilson abre 34 pontos de frente em Toritama

O prefeito de Toritama, Edilson Tavares (MDB), tem amplas chances de emplacar a reeleição. Se a eleição fosse hoje, ele teria quase 60% dos votos, exatos 58,3%, segundo pesquisa do Instituto Opinião em parceria com este blog. Em relação ao segundo colocado, Arimatea, do PSD, que aparece com 24 3%, a vantagem seria de 34 pontos. Já o Professor Andson Nunes (PTB) aparece com 4%, enquanto Gerson Benedito (PMB) e Nelson Caetano (PTC) estão empatados com 0,3% cada. Brancos e nulos somam 4,3% e os indecisos representam 8,5%

Na consulta espontânea, em que o entrevistado precisa lembrar o nome do candidato sem o auxílio do disco com todos os nomes, a frente também é grande: 32,9 pontos. O prefeito-candidato tem 54,6% e Arimatea foi citado por 21,7%. Já Professor Andson foi lembrado por 2,6%. Os candidatos Gerson e Nelson não foram mencionados. O número de indecisos chega a 17,1% e brancos e nulos são 4%.

Quanto à rejeição, Arimatea lidera com 30,9%. O prefeito Edilson não seria votado por 18% e Gerson Benedito é rejeitado por 6,3%. Nelson Caetano possui rejeição de 4,3% e Professor Andson tem a recusa de 1,7%. Entre os consultados, 34,2% não rejeitam nenhum candidato e 4,6% rejeitam todos.

O levantamento do Instituto Opinião, de Campina Grande (PB), foi a campo entre os dias 28 e 29 de outubro, sendo aplicados 350 questionários. A margem de erro é de 5,2 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiança de 95%. A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação.

A pesquisa é representativa dos eleitores da área pesquisada (o município de Toritama) e foi feita da seguinte forma: primeiro na aleatorização da amostra em quatro estágios (bairro/localização, rua, domicílio e entrevistado) e depois em um controle das variáveis (sexo e faixa etária), ponderado de acordo com os dados obtidos junto ao TSE e TRE-PE. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo PE-07413/2020.

Na estratificação do levantamento, Edilson tem os maiores índices entre os eleitores da faixa etária entre 35 e 44 anos (68,3%), entre os eleitores com grau de instrução superior (72,7%) e entre os eleitores com renda familiar de até dois salários (59,7%). Por sexo, tem a preferência de 58,9% das mulheres e de 57,6% dos homens.

Já Arimatea tem melhor desempenho entre o eleitorado idoso (35%), entre o eleitorado com grau de instrução superior (27,3%) e entre o eleitorado com renda acima de dois salários (28,8%). Por sexo, 27,6% são homens e 21,1% são mulheres.

AVALIAÇÃO DE GESTÃOO Instituto Opinião também consultou os entrevistados sobre o grau de satisfação com os três níveis de poder – federal, estadual e municipal. A gestão do prefeito Edilson Tavares tem aprovação de 72% e é desaprovada por 21,1%. Apenas 6,9% não responderam.

Já o governador Paulo Câmara (PSB) tem desaprovação de 50,9% e é aprovado por 31,1%, enquanto o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) possui boa aprovação de 54% e é desaprovado por 31,4% dos entrevistados.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/11


2020

Coluna da quinta-feira

Efeitos da vitória de Biden

A análise das consequências para o Brasil no cenário de vitória de Biden perpassa duas trilhas, uma ideológica e a outra pragmática. No Planalto, cogita-se que as estrelas da direita na constelação – Ernesto Araújo, no Itamaraty, e Ricardo Salles, no Meio Ambiente – sairiam enfraquecidas.  Em plena guerra com a ala militar do Governo, é possível que ambos sejam demitidos ou deslocados de suas atuais funções, caso o democrata seja eleito. O fato inexorável é que a derrota de Trump terá, sem dúvida, um impacto na maneira como Bolsonaro se comporta em suas relações com o Congresso, STF, mídia, contas de Twitter e partidos políticos.

Até recentemente, com uma leve repaginada nos últimos meses, ele seguia a tática de confronto do colega americano.  No caso de derrota desse modelo, e com a reeleição sempre em mente, é provável que ele tente erigir mais canais rumo ao centro. Não só aqui, como nos Estados Unidos.  A equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, por sua vez, se diz tranquila diante da possibilidade de vitória democrata.

O comércio entre os dois países segue estável – até porque a proximidade de Bolsonaro com Trump não rendeu tanto assim. Com uma postura mais subserviente, o Brasil, na verdade, mais cedeu do que colecionou vitórias, como a sobretaxa imposta ao aço brasileiro, a falta de reciprocidade na isenção de vistos e a tarifa zero para importação de etanol dos Estados Unidos

A maior preocupação, caso Biden ganhe, é com uma elevação dos requisitos para a exportação brasileira de produtos agrícolas, sensíveis às questões ambientais e onde os dois países competem fortemente. Mas mesmo aí não se esperam grandes baques. Talvez até existam ganhos na relação mais independente do que com o alinhamento automático aos Estados Unidos.

Federal 1 – A Polícia Federal (PF) deflagrou, ontem, uma operação para investigar o saque ilegal de R$ 4 milhões em precatório, no Recife. Segundo a PF, um advogado teria retirado o valor utilizando uma procuração pública feita com base em um documento de identidade falsificado.  Ao todo, quatro mandados de busca e apreensão foram cumpridos dentro da operação R$ 4 milhões, além do bloqueio de contas bancárias, sequestro de imóvel e afastamento de sigilo bancário e fiscal de pessoas físicas. Todas as medidas cautelares foram expedidas pela 4ª Vara da Justiça Federal de Pernambuco.

Federal 2 – De acordo com a investigação, a procuração foi lavrada no cartório de Moreno, para conseguir sacar o valor na agência da CEF no Tribunal Regional Federal da 5ª Região. O nome do investigado não foi divulgado. "Já identificamos um advogado, que foi quem apresentou a documentação falsificada, uma procuração pública ideologicamente falsa, feita com base em um documento de identidade falsificado", disse o delegado o delegado Dário Márcio Sá Leitão. Um precatório é uma dívida de municípios, estados ou da União, assim como de autarquias e fundações. Não foi detalhado que tipo de precatório foi sacado ilegalmente.

Lula derrotado – O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para suspender a tramitação de recurso do petista perante o Superior Tribunal de Justiça (STJ). Os embargos foram julgados em 1º de setembro, e o colegiado da Quinta Turma da Corte negou diversos pleitos no caso do triplex do Guarujá, processo em que Lula foi condenado a oito anos e dez meses de prisão. A defesa de Lula, liderada pelo criminalista Cristiano Zanin, queria a paralisação desses recursos e a anulação da sessão da Quinta Turma. Segundo o advogado, ele não pode participar do julgamento por estar atuando em outro caso envolvendo o petista no mesmo horário.

Peculato – Após mais de dois anos de investigação do Ministério Público do Rio, o senador e ex-deputado estadual Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) foi denunciado por peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A denúncia se dá no âmbito do Caso Queiroz, como ficou conhecido o processo das “rachadinhas” supostamente praticadas pelo filho do presidente Jair Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio. Além de Flávio, foi denunciado o ex-assessor Fabrício Queiroz, apontado como operador do esquema, e outros 15 ex-assessores. O MP fala ainda em apropriação indébita.

CURTAS

DEMISSÃO 1 – O colunista Rodrigo Constantino foi demitido pela rádio Jovem Pan na tarde de ontem depois de comentar o caso Mariana Ferrer durante live independente realizada em seu perfil no Youtube. Em um trecho da live, o colunista afirmou que não denunciaria possíveis estupradores da sua filha, a depender das circunstâncias do hipotético episódio.

DEMISSÃO 2 – “Se minha filha chegar em casa – eu dou boa educação para que isso não aconteça, mas a gente não controla tudo –, se ela chega em casa e fala: ‘Pai, fui pra uma festinha e fui estuprada’. Eu vou falar: ‘Me dá as circunstâncias’. ‘Ah, fui pra uma festinha, eu e 3 amigas, tinha 18 homens, nós bebemos muito, tava ficando com 2 caras e eu acabei dormindo. Fui abusada’. Ela vai ficar de castigo feio, eu não vou denunciar um cara desse pra polícia.”

Perguntar não ofende: Quais os números que o Datafolha trará, hoje, em mais uma rodada sobre a sucessão no Recife?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Falavam tanto do filho do Lula, mas no final quem tinha filha Ladrão era o Bolsonaro.

marcos

AO VIVO: Na terra do petista Rui Costa, Bolsonaro é aclamado pelo povo ................................... A popularidade do presidente Mito Jair Bolsonaro segue avassaladora. Nunca antes na história se viu um fenômeno de popularidade tão significativo e pujante. Em visita ao Estado da Bahia, governado por Rui Costa, do PT, Bolsonaro foi recebido com festa, alegria e empolgação. O povo baiano mostrou sua já conhecida e calorosa receptividade.

Fernandes

MP diz que chefe de gabinete de Flávio Bolsonaro no Senado foi determinante em esquemas de rachadinha na Alerj

marcos

Mamador de peitinho, Wellington boca de veludo.

Wellington Antunes

Oxente! Eu nem falei o nome do mamador de piroca de Camaragibe e o queima rosca se acusou. Pegou ar kkkkkkkkkkkkk



04/11


2020

TRE referenda candidatura de Yves em Paulista

Fim do mistério: o pleno do Tribunal Regional Eleitoral acabou de confirmar, por unanimidade, o registro da candidatura de Yves Ribeiro, do MDB, a prefeito do município de Paulista, na Região Metropolitana do Recife. Não cabe mais recurso.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/11


2020

Toritama dorme mais tarde hoje


Capital do jeans, Toritama, integrante do Polo de Confecções do Agreste pernambucano, estará sendo alvo de todas as atenções a partir da meia noite com a postagem de pesquisa do Instituto Opinião, em parceria com este blog, de intenção de voto para prefeito. Traz também a avaliação da gestão do prefeito Edilson Tavares, do governador Paulo Câmara e do Governo Bolsonaro.

Já amanhã, por volta das 11h, o blog traz pesquisa de intenção de votos para prefeito do município de Trindade, no Sertão do Araripe.

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha