O Jornal do Poder

20/10


2020

Ainda sobre as estranhezas do Ibope

Após apuração do Blog, conforme já noticiado em matéria anterior, dados mostram que a empresa XT de Olinda não chega a faturar R$ 5 mil por mês em recolhimento de ISS. Inclusive, deve mais de 10 meses do Imposto.

A informação de que a XT fez o trabalho de campo do Ibope veio de profissionais citados na própria resposta que o Ibope tentou dar à Justiça, omitindo o nome da empresa. A empresa tem dois sócios: Francisca Bezerra Tarjino e Luiz Soares de Sena

Pelo visto, a pesquisa Ibope/Globo já teve mais credibilidade. Tem um velho ditado que diz: "Me dizes com quem andas, que eu te direis quem tu és”. Ou melhor: "os dados que levantas”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

MARCOS MORAIS

É o mesmo disseram a respeito das pesquisas do seu blog Magno. Prefiro acreditar no IBOPE/REDE GLOBO.


Abreu no Zap

20/10


2020

EUA fecham acordos com o Brasil de olho no 5G

Após 22 meses de negociação entre os governos do Brasil e Estados Unidos, os dois países anunciaram, ontem, a conclusão de três acordos comerciais inéditos. A notícia surge 15 dias antes da eleição presidencial nos EUA, mas abre oportunidades de muitos negócios para o Brasil. As informações são do Blog do Riella.

O jornal O Globo destaca, hoje, em manchete, que o principal interesse dos americanos é barrar a participação da empresa chinesa Huawei no leilão do 5G a ser feito no Brasil.

O ato de ontem consolida bases para a concretização de um acordo comercial mais amplo entre Brasil e Estados Unidos.

O presidente Bolsonaro anunciou os acordos bilaterais durante discurso em evento organizado pela Câmara de Comércio Brasil-EUA. Um para facilitar o comércio entre os dois países, outro para boas práticas regulatórias e um terceiro, que prevê tratado anticorrupção.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

20/10


2020

Com Bolsonaro milícias crescem

Por José Nêumanne

Impressiona e assusta o crescimento das milícias, que hoje controlam 57% do território do município do Rio de Janeiro, superando em quase quatro vezes o crime organizado do tráfico de drogas, que mantém 15% no Mapa dos Grupos Armados. Um de cada três moradores vive sob o terror desses dois tipos de banditismo.

As milícias cresceram muito desde a intervenção militar na segurança do Estado, decretada por Temer de fevereiro a dezembro de 2018 e sob a chefia do general Walter Braga Netto, hoje chefe da Casa Civil de Bolsonaro, que defendeu milicianos amigos na Câmara dos Deputados.

A mesma defesa foi feita em 2019, primeiro ano de seu governo, pelo ministro da Defesa, chefe dos comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, general Fernando Souza e Silva, que disse na Câmara que esse tipo de máfia surgiu “com boa intenção de ajudar as comunidades” mas se desvirtuaram.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

verdade.



20/10


2020

Yves protocola recurso para reverter impugnação

O candidato a prefeito de Paulista pelo MDB, Yves Ribeiro, através dos seus advogados, protocolou, ontem, recurso eleitoral no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) contra a decisão da juíza que indeferiu o seu registro de candidatura na última sexta-feira.

Ao comentar a sentença, o advogado Paulo Pinto disse que ela deixou de analisar os argumentos da defesa que demonstram não existir ato doloso de improbidade administrativa (quando o agente público prevê e deseja o resultado lesivo de sua conduta, elemento exigido pela lei para que alguém se torne inelegível). "O Tribunal de Contas da União (TCU) reconheceu que a responsabilização de Yves foi motivada por conduta culposa, ou seja, aquela sem a intenção de cometer o resultado, ou seja, decorrente de um erro. Tanto é que o Ministério Público Federal (MPF) arquivou o procedimento investigatório instaurado em razão da decisão do TCU ao verificar a ausência de irregularidade possível de ser é enquadrada como improbidade", esclareceu.

Ainda de acordo com o advogado de defesa, em vez de ter executado drenagem profunda com tubos de concreto, a prefeitura optou pelo sistema com canaletas em ruas transversais de menor custo, na avaliação do TCU. "Os pagamentos se deram por preço de mercado do sistema de canaletas, sem quaisquer excessos, o que na visão do MPF não teria reflexos penais ou no campo da improbidade administrativa. O fato de o processo ter sido arquivado é uma prova cabal e indiscutível da inocência do prefeiturável”, justificou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/10


2020

Pesquisa Ibope/Globo é da XT de Olinda, diz PT

Muito questionado pelos números apresentados nas últimas pesquisas, o Ibope/Globo não revelou as informações sobre quem realizou a coleta de dados do último levantamento, uma vez que a empresa não tem estrutura em Pernambuco. Apesar das três ordens judiciais determinando o esclarecimento dessas informações, nada foi revelado. As ordens foram expedidas a pedido da coligação de Marília Arraes.

O que foi descoberto, segundo a assessoria de Marília, é que o trabalho de campo foi realizado pela empresa XT Pesquisa, situada na periferia de Olinda. Empresa de pequeno porte, pertencente à jovem Francisca Bezerra Tarjino, do Rio Grande do Norte, mais precisamente em Natal, a empresa tem uma estrutura tímida e tem levantado suspeitas sobre a credibilidade do trabalho.

Há também a relação de proximidade com o sociólogo Maurício Garcia, que trabalha para o DEM, e que não garante a isonomia da pesquisa. "O Ibope, hoje, mais uma vez, descumpriu a ordem judicial, alegando que terceirizou, de fato, a coleta de dados e que não tem estrutura em Pernambuco. O Ibope também se negou a fornecer o nome da empresa apenas assumindo a responsabilidade dos dados ou a irresponsabilidade deles", diz o embate realizado pela coligação de Marília com a pesquisa Ibope/Globo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/10


2020

Elias joga a toalha no Cabo

Patinando nas pesquisas, numa eleição cujo favorito é o prefeito Lula Cabral (PSB), o candidato do MDB a prefeito do Cabo, Elias Gomes, está em negociação com o candidato do PL, Keko do Armazém, para apoiá-lo em nome da unidade das oposições. O comunicado oficial está previsto para hoje. Elias, Keko e o seu vice José de Arimateia (Solidariedade) têm um encontro decisivo ainda hoje. Se o acordo for fechado, Elias renuncia à candidatura em apoio a Keko.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/10


2020

Secretário de Paulo é multado no TCE por transporte escolar

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) julgou irregular uma auditoria especial realizada na Secretaria de Educação de Pernambuco (SEE). A auditoria avaliou a prestação dos serviços de transporte escolar para alunos da rede estadual de ensino. O secretário de Educação de Pernambuco, Fred Amâncio, foi multado por supostas irregularidades no transporte escolar, apontadas em relatório pelos auditores do TCE.

As informações foram divulgadas pelo site oficial do próprio TCE.

O trabalho envolveu visitas a 13 municípios (Araripina, Arcoverde, Buíque, Cabrobó, Caruaru, Floresta, Ibimirim, Inajá, Ipubi, Ouricuri, Pesqueira, Petrolina e Santa Maria da Boa Vista); cinco gerências regionais de educação (GRE); 11 prefeituras e 23 escolas estaduais.

No levantamento da equipe técnica do TCE foram encontrados "indícios de irregularidades que vão desde a prestação do serviço de forma parcial, que também era realizado oferecendo risco à segurança dos estudantes, até à ausência de regulamentação de pontos importantes para o transporte escolar".

Os auditores do TCE também identificaram, dentre outras, possíveis "deficiências no controle sobre os serviços prestados, ausência de fiscalização por parte da SEE/GRE e uso de veículos que não atendiam às exigências básicas para o transporte escolar".

O relatório da auditoria do TCE destacou que "alunos eram transportados de forma irregular em carrocerias de caminhonetes e de paus-de-arara, ou em veículos além da capacidade permitida, enquanto outros aguardavam o transporte na beira da pista, sem abrigo, o que trazia risco, insegurança, desconforto, além de dificultar a acessibilidade do aluno à escola, contribuir para o aumento da evasão escolar e para o mau desempenho dos estudantes".

A pedido da relatora, conselheira Teresa Duere, o procurador Guido Monteiro, do Ministério Público de Contas de Pernambuco (MPCO), apresentou parecer reconhecendo as irregularidades apontadas pelos auditores.

O MPCO opinou ainda pela "aplicação de multa aos responsáveis e por algumas determinações ao órgão".

A conselheira Teresa Duere levou em conta os argumentos dos auditores e acatou o parecer do Ministério Público de Contas, aplicando multa de R$ 12.000,00 ao secretário de Educação, Frederico Amâncio.

A relatora fez ainda uma série de determinações à Secretaria de Educação do Estado, entre elas, implementar "sistema de controle interno e fiscalizar a frota de veículos, substituindo imediatamente os que forem abertos por veículos fechados".

Em Pernambuco, os serviços são realizados pelo Programa Estadual de Transporte Escolar (PETE) e o Programa do Transporte Indígena e do Transporte Intracampo, que atende alunos matriculados na modalidade “Educação de Jovens e Adultos no Campo”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/10


2020

A realização de enquetes está proibida no período eleitoral

Por Diana Câmara*

Pela quantidade de enquetes que ainda vemos acontecer atualmente através das redes sociais, e de alguns blogs, fica claro que boa parte das pessoas estão desrespeitando ou simplesmente ignorando as regras que vedam a realização deste tipo de “brincadeira”.

Desde 27 de setembro não é permitida a realização de enquetes relacionadas ao processo eleitoral. Todavia, como a jurisprudência do Tribunal Superior Eleitoral agora entende que, em respeito ao princípio da reserva legal (aquele que diz que não havendo previsão legal expressa e direita não pode utilizar analogia para punir), não se aplica multa, pelo que estamos vendo, esta vedação virou praticamente letra de lei morta. Ninguém está respeitando porque, na prática, não tem consequências para o desrespeito.

Anteriormente, até o final da eleição 2018 (mudou em novembro deste ano, ou seja, já após o período eleitoral), a punição era quase automática e sem muita margem para argumento, pois era baseada em critério objetivo (postou tava passível de levar multa). Então as pessoas respeitavam a vedação, inclusive porque a multa era muito alta, equiparada a divulgação de pesquisa não registrada.

Vale lembrar que enquete é a simples coleta de opiniões de eleitores sem nenhum controle de amostra e sem a utilização de método científico para sua realização. Esse tipo de consulta informal depende apenas da participação espontânea do interessado.

*Advogada especialista em Direito Eleitoral, membro da Comissão de Direito Eleitoral da OAB Nacional, ex-presidente da Comissão de Direito Eleitoral da OAB/PE, ex-presidente do IDEPPE – Instituto de Direito Eleitoral e Público de Pernambuco e membro fundadora da ABRADEP – Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/10


2020

Chapa do Crea rebate acusações de fraude eleitoral

A chapa homologada para comandar o Crea-PE em 2021 rebateu as acusações de fraude eleitoral realizadas pelo candidato Waldir Duarte Costa Filho. Em nota, representantes do engenheiro Adriano Lucena afirmaram que a quebra de sigilo do voto não ocorreu, e que o ato só poderia ser comprovado por meio de vídeos ou imagens.

No comunicado, a defesa de Adriano Lucena afirmou que “não se anula uma eleição simplesmente por querer que ela seja anulada, sem qualquer embasamento legal ou comprovação de irregularidade”. A chapa de Adriano, Crea para Todos, também alegou que a anulação de duas urnas de votação que estavam instaladas na sede do Crea, no Recife, e a segunda, em Caruaru, “desconsidera a manifestação justa” enviada pelo atual presidente eleito, Adriano Lucena.

Ainda segundo a nota, a defesa informa que após as decisões da Comissão Eleitoral Regional de Pernambuco (CER-PE), “os profissionais do Crea não vão admitir tamanho desrespeito”, e que medidas legais estão sendo tomadas contra o ato, chamado pelos representantes de Adriano Lucena de antidemocráticos.

O advogado administrativista e eleitoralista Marcus Alencar, membro da Comissão de Direito Municipal da OAB Pernambuco, informou que, em sua avaliação, o processo eleitoral se deu de maneira legítima, sem qualquer prova de circunstância grave, irregularidade ou ilicitude que justifique a desconsideração dos votos.

"Não há qualquer indício de prova de que houve ação de fiscais para arregimentar votos ou quebrar o sigilo dos mesmos. Foi firmado termo de acordo entre todos os candidatos, advogados, fiscais e a Comissão Eleitoral Regional ao final da votação no dia da eleição acerca do procedimento de apuração dos votos e que eventual impugnação de urnas, de acordo com o regulamento eleitoral que rege o certame, Resolução CONFEA 1.114, de 26 de Abril de 2019, só poderia ter sido apresentada e avaliada pela respectiva Mesa Eleitoral", concluiu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/10


2020

A nova placa de mamãe

Em comum acordo com meus oito irmãos, encomendei ao meu amigo Silvio Amorim, presidente do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico de Pernambuco, uma placa especial para ser afixada na rua em Afogados da Ingazeira que homenageia mamãe Margarida Martins, que Deus fez seu sequestro celestial há sete anos, com 85 anos de idade.

Ex-vereador do Recife, Silvio Amorim já foi meu chefe. Fui seu coordenador de Imprensa no Projeto Rondon, em Brasília. Juntos, viajamos o Brasil do Oiapoque ao Chuí. Corremos sérios riscos de vida em viagens usando mono motor, por várias vezes, para alcançar Tefé, no Amazonas, já na divisa com a Colômbia, onde havia uma base do Projeto. Certa vez, tomamos um susto, com a explosão de um balde com combustível sobre uma pequena embarcação numa verdadeira aventura no Rio Amazonas.

Numa outra viagem, levando uma equipe da TV Globo, assisti e ajudei o repórter Leonel da Mata a socorrer um garoto picado por uma cobra em Benjamin Constant, já em território colombiano. Foi uma operação de emergência. Saiu na matéria de Leonel no Jornal Nacional. Grande Leonel da Mata, nunca mais o encontrei. Muito tempo depois, já fora da Globo, ele abriu um restaurante em Brasília maravilhoso e também uma agência de TV e Rádio.

Não sei por onde anda, mas fez grandes reportagens para o Globo Repórter. Silvio Amorim virou personagem de várias reportagens na Globo e nos jornais nacionais graças ao meu trabalho de garimpagem de pautas. Lembro que a Veja e a revista Manchete também fizeram belas matérias sobre as ações do Rondon. O repórter da Manchete foi meu amigo Fernando da Câmara Cascudo, já na eternidade. Baixinho, super engraçado, tinha um texto maravilhoso.

Quanto à placa, decidimos, nós, irmãos, prestar uma homenagem a mamãe em Afogados da Ingazeira, em novembro. Estamos apenas fechando uma data na qual todos possam estar presentes no seu descerramento. Reunir nove filhos, todos espalhados pelo mundo, não é fácil, mas com certeza faremos uma bela e emocionante homenagem a quem nos deu à vida, nos educou e cuidou com zelo, amor e muito carinho até seu último suspiro.

Mamãe Dó, como assim era tratada pelas irmãs - eram mais seis, das quais só Tia Lila ainda cumpre com a graça de Deus a sua missão na terra, residindo em Vitória da Conquista, sul da Bahia  - era uma mulher valente. Personalidade forte, nunca levou desaforo para casa. A gente tinha mais medo do chinelo dela do que das chicotadas de papai. Aí do filho que desobedecesse uma ordem dela!

Criou os filhos com muita dedicação. Como escrevi na placa, foi devotada à família, seu grande legado. Tudo que somos hoje devemos a ela. Mãe nunca deveria morrer. Minha mãe está presente todos os dias da minha vida. Não morreu, nem morrerá nunca. É minha vida, o melhor colo, a minha melhor amiga. De lá do céu, fica cuidando de mim, me orientando, me protegendo, traçando meus caminhos.

O mundo pode mudar de cor, os rios e os mares secarem. A lua pode até desaparecer, o sol perder o seu brilho, nada me fará deixar de amar a minha flor Margarida.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/10


2020

Coluna da terça-feira

Efeito Bolsonaro na eleição

Única região onde o presidente Jair Bolsonaro saiu derrotado no segundo turno das eleições de 2018, o Nordeste presencia uma multiplicação de candidaturas bolsonaristas no pleito de 2020. Utilizando fotos, jargões e mesmo citando o presidente em peças publicitárias, candidatos a prefeito na maioria das capitais tentam aproximar suas imagens à de Bolsonaro para conquistar parte do eleitorado.

Antes de a campanha começar, o presidente declarou que não participaria ativamente do primeiro turno. Bolsonaro, no entanto, mudou de ideia e interferiu diretamente na formação da chapa de Celso Russomanno, fazendo a ponte entre o candidato do Republicanos e o PTB, que aceitou a vaga de vice em São Paulo. Sem a declaração formal de apoio do presidente, os candidatos se anteciparam e fizeram o movimento inverso, dizendo-se apoiadores de Bolsonaro.

Catorze candidatos em oito capitais nordestinas fazem campanha usando referências ao chefe do Executivo federal. Exatamente pelo fato de Bolsonaro ter perdido as eleições no Nordeste, setores ligados a ele, ou que querem se ligar a ele, tentam criar uma alternativa que não existia até então. É uma iniciativa política que quer criar uma nova realidade e se apóia no prestígio do presidente para penetrar em uma área em que ele ainda está enfraquecido.

Essa tendência identificada nos Estados nordestinos neste ano é um fenômeno que se repete na política brasileira. Quando se tem um político, uma força política ou mesmo um movimento político que tem uma capacidade de implantação muito grande, por ter vencido eleições, ou que está em uma crescente de popularidade, quem está tentando chegar ao poder tenta 'colar' nessas figuras para crescer, principalmente candidatos novatos.

Cola expressa – Enquanto alguns candidatos optaram por menções explícitas, publicando materiais de campanha ao lado do presidente e criando slogans no estilo "BolsoDoria" - como o candidato do Avante em Aracaju, Lucio Flavio, que publicou uma arte com os slogans "LucioNaro" e "BolsoFlávio" –, outros preferiram uma abordagem indireta. Candidatos pelo PSL, ex-partido de Bolsonaro, em Natal e Recife, delegado Leocádio e Carlos 17 tentam captar o eleitorado bolsonarista recorrendo à associação com o número da sigla. A propaganda eleitoral de ambos menciona que "quem votou 17 para presidente em 2018 vai votar 17 para prefeito em 2020".

Legado eleitoral – Apesar da tentativa de associar seus nomes ao do presidente, a estratégia dos candidatos varia de acordo com o município em questão. Em Maceió, João Pessoa e Natal, por exemplo, Bolsonaro obteve maioria nas eleições de 2018. Nesses casos, a luta dos candidatos é tentar herdar o legado eleitoral construído pelo presidente no pleito anterior. Nas três capitais citadas, cinco candidatos "se declararam" bolsonaristas. Ampliando o recorte, se contabilizarmos declarações públicas em que outros candidatos manifestaram simpatia ou proximidade ao presidente, o número sobe para pelo menos oito.

Ajuda emergencial – O fenômeno não se restringe apenas às cidades em que Bolsonaro foi maioria. Em Recife, Salvador, Aracaju, Teresina e São Luís, nove candidatos fazem campanhas apoiadas, de algum modo, no presidente. Em nenhuma dessas cidades Bolsonaro conquistou mais de 48% dos votos em 2018. Dois aspectos gerais são apontados como possíveis fatores a justificar a escolha dos candidatos: o sucesso do auxílio emergencial de R$ 600 - que coincide com a crescente popularidade do presidente em pesquisas na região - e a própria pandemia da covid-19, que acabou por acirrar a disputa entre o governo federal e governos estaduais e municipais, fazendo com que grupos políticos tentem se aproveitar da situação de conflito.

Avaliação negativa – De acordo com uma pesquisa Ibope, divulgada em setembro, a avaliação positiva do presidente cresceu de 21% para 33% em nove meses. Mesmo assim, o Nordeste continua sendo a região do País onde o governo é mais mal avaliado. Apesar do apelo do presidente como figura política nacional, o caráter local das eleições municipais acaba por sofrer com a influência direta de lideranças estaduais e inseridas dentro do contexto de cada cidade. Não é possível, entretanto, analisar qual fator terá mais influência na disputa de 2020 sem um aprofundamento no cenário de cada município.

CURTAS

CARONA EM DINO – Um exemplo claro da influência regional nos candidatos, contudo, pode ser visto em São Luís. A cidade tem um único candidato bolsonarista declarado, Sílvio Antônio (PRTB), enquanto pelo menos quatro candidatos apóiam suas campanhas na figura do governador do Estado, Flávio Dino (PCdoB), que conta com boa avaliação entre os maranhenses. Nas propagandas exibidas no horário eleitoral obrigatório de 9 de outubro, os candidatos Bira do Pindaré (PSB), Duarte Júnior (Republicanos), Neto Evangelista (DEM) e Rubens Júnior (PCdoB) citaram suas relações com Dino.

EXCEÇÃO – Fortaleza é a única capital nordestina sem uma candidatura abertamente bolsonarista até o momento. No caso da capital cearense, dois candidatos foram apontados por adversários como aliados do presidente: Heitor Freire (PSL) e Coronel Wagner (PROS). Nenhum deles, contudo, declarou-se como o candidato de Bolsonaro para o pleito até aqui. Durante uma live no dia 8 de outubro, Bolsonaro chegou a afirmar que estaria apoiando um "capitão" nas eleições da capital cearense. No entanto, o candidato do PROS não repercutiu a declaração ou utilizou o presidente como cabo eleitoral.

Perguntar não ofende: Bolsonaro vai aparecer em alguma capital do Nordeste para pedir voto?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bozonaro é Ladrão. Miliciano e corno Boa Tarde!

marcos

Depois de Palocci confessar que entrava dinheiro a Lula em caixas de sapato, vem a frase do dia: .... Lula não é a Barbie mas adora uma Caixinha. .....kkkkk

Fernandes

Bozonaro é Ladrão. Miliciano e corno Boa Noite!

Fernandes

Apesar da licença, senador do dinheiro na bunda pode ter afastamento julgado pelo STF.

Fernandes

Caso Chico Rodrigues vice-líder do governo Bozonaro mostra que Lava Jato não eliminou corrupção. Esse episódio do dinheiro na cueca prova que o presidente Bozonaro estava errado quando falou que a corrupção acabou no governo.



19/10


2020

Ibope: Geraldo é o prefeito mais desaprovado do NE

JC Online

Após sete anos e 10 meses de gestão, o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), se despede do cargo amargando o título de gestor mais mal avaliado do Nordeste e o quinto com a maior desaprovação entre as capitais de todo o Brasil. De acordo com a pesquisa Ibope/JC/Rede Globo, o socialista tem 55% de desaprovação, ante aprovação de 40% dos recifenses.

Na outra ponta, o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), obteve o melhor desempenho entre as 26 capitais pesquisadas pelo Ibope, que ouviu eleitores para saber quem eram os melhores prefeitos. Ele tem 85% de aprovação e 12% de desaprovação.

Assim como Geraldo e ACM Neto, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), não pode concorrer à reeleição, pois já está no segundo mandato. O pedetista é aprovado por 66% dos fortalezenses e desaprovado por 29%. Com isso, no Nordeste, ele fica atrás apenas do gestor soteropolitano.

Apesar do resultado favorável, Roberto não consegue transferir sua popularidade para seu candidato, o deputado estadual José Sarto (PDT), que tem 16% das intenções de voto e está em terceiro lugar no Ibope. Situação parecida vivem os prefeitos de Teresina, no Piauí, Firmino Filho (PSDB), e de São Luiz, no Maranhão, Edivaldo Holanda Júnior (PDT). Com aprovação superior a 55%, os gestores veem seus indicados à sucessão correrem o risco de ficarem de fora da disputa de um eventual segundo turno.

Em João Pessoa, na Paraíba, o cenário é ainda mais adverso para a candidata do prefeito Luciano Cartaxo (PV), que não pode concorrer à reeleição por estar já há quase oito anos à frente da administração municipal. Lá, Edilma Freira (PV) não empolgou e vem patinando nas pesquisas, com apenas 5% das intenções de voto.

De acordo com o cientista político e professor da Faculdade Damas Elton Gomes, isso acontece porque a transferência de popularidade é mais difícil se comparada à transferência de rejeição.

Além disso, conta ele, outros fatores podem se impor na hora do eleitor decidir em quem votar, como uma eventual união do candidato com outras forças políticas que podem ser consideradas impopulares.

"Há uma maior facilidade de repassar o lado negativo para quem recebe o apoio de quem está na cadeira de prefeito. Isso porque, certamente, aquela pessoa já tem uma posição demarcada em relação à gestão, que pode ter mais de 40% de aprovação, mas, por outro lado e ao mesmo tempo, acumular um considerável índice de reprovação", explica o professor. "O eleitor que rejeita quem está na cadeira de prefeito tende a rejeitar também quem recebe seu apoio. O oposto não necessariamente é verdade", completa.

Mesmo com essa tendência, o prefeito do Recife não tem atrapalhado o voo do seu candidato, o deputado federal João Campos (PSB). O filho do ex-governador Eduardo Campos está entre os três candidatos com maior percentual de intenção de votos nas capitais do Nordeste, atrás apenas de Bruno Reis (DEM), em Salvador, com 42%. Segundo a pesquisa Ibope/JC/Rede Globo, João tem 33% das intenções, número idêntico ao obtido pelo candidato à reeleição em Natal, no Rio Grande do Norte, Álvaro Dias (PSDB). Na capital potiguar, o índice de aprovação de Dias chega a 63%.

Quem também concorre à reeleição aprovado pela maioria dos eleitores é o prefeito pedetista de Aracaju, Sergipe, Edvaldo Nogueira. O gestor tem 58% de aprovação e tem 32% das intenções de voto, o que o torna líder da disputa, segundo aponta pesquisa Ibope. Ele é seguido por Delegada Danielle (Cidadania), que tem 21%.

Para o cientista político e sociólogo Antônio Lavareda, a avaliação do prefeito Geraldo Julio não tem influenciado negativamente o desempenho de João Campos porque o parlamentar tem focado sua campanha em si e na figura do pai. "A campanha de João Campos está fortemente centrada na sua figura, na figura pessoal, apresentando o jovem deputado. Além disso, rearma muito a escola política que teve com o ex-governador Eduardo Campos, que, das lideranças políticas de Pernambuco, é a que tem a melhor avaliação retrospectiva. Tudo isso contribuiu para levá-lo à condição de líder nas pesquisas", afirmou o especialista.

Desaprovado por 49% da população de Maceió, em Alagoas, o atual prefeito da cidade, Rui Palmeira (sem partido), também não tem sido empecilho para o candidato apoiado pela gestão, Alfredo Gaspar de Mendonça (MDB). O emedebista divide o primeiro lugar da disputa pela prefeitura com JHC, que fora derrotado por Palmeira em 2016. Mendonça tem 26% das intenções de voto, enquanto o socialista registra 25%.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha