Congresso Nordestino de Educação Médica

02/10


2006

Serra: "Eleitor disse não às tramóias"

O governador de São Paulo eleito, José Serra (PSDB), afirmou no fim deste domingo que os eleitores de São Paulo disseram ''sim'' a uma ''campanha limpa'', à sua biografia e a de seu partido e ''não às tramóias'', referindo-se aos adversários.

Com 99,71% das urnas apuradas no Estado, Serra já obteve 12.349.162 votos, o que corresponde a 57,93% dos votos válidos, o que garantiu sua vitória no primeiro turno.

Serra afirmou que fará um ''governo popular'', voltado principalmente para o ''desenvolvimento social e econômico''. ''E desenvolvimento econômico significa emprego'', disse.

O tucano falou ainda que não vai vai fazer ''loteamento de cargos governamentais'' e que vai trabalhar para que o candidato Geraldo Alckmin seja eleito presidente no segundo turno, na disputa com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

''Alckmin está no segundo turno e o PSDB conseguiu o que tinha se proposto. Nós mantivemos o resultado das pesquisas em São Paulo e inverter a pesquisa nacional.'' (Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/10


2006

SP: Suplicy consegue terceiro mandato de senador

O senador Eduardo Matarazzo Suplicy conseguiu hoje seu terceiro mandato de oito anos como representante de São Paulo no Senado.

Com 99,71% das urnas apuradas, Suplicy aparece com 47,83% dos votos válidos e não será mais alcançado por seu principal concorrente, Guilherme Afif Domingos (PFL), que tem 43,69%. Em seguida aparecem a pemedebista Alda Marco Antônio (4,95%) e a pedetista Elza (1,04%).

Suplicy, 65, continuará a representar São Paulo junto com Aloizio Mercadante (PT) e Romeu Tuma (PFL), que ainda possuem mais quatro anos de mandato.

Neste ano, a eleição para o Senado foi o tempo todo liderada por Suplicy. O senador informou que arrecadou mais do que gastou pela primeira vez e que não teria tido nenhuma despesa com material impresso. Seus maiores doadores de campanha foram o banco Itaú (R$ 150 mil) e a Embraer (R$ 100 mil).

Descendente da tradicional família Matarazzo, Suplicy formou-se em administração de empresas e economia, tem mandatos de deputado estadual, deputado federal e vereador.

No Senado, sempre foi defensor do programa de renda mínima e destacou-se também pela participação em CPIs.

Casou-se com Marta Suplicy em 1964 e teve três filhos: João, André e o cantor Supla. O casal se divorciou em 2003. Marta voltou a casar-se com Luís Favre. Já Suplicy namora a jornalista Monica Dallari.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/10


2006

"Drags" de São Paulo não conseguem se eleger

Léo Áquila (PSC) e Salete Campari (PDT), drags famosas da noite paulistana, perderam as eleições. Elas disputavam uma vaga na Assembléia Legislativa e ficaram fora da lista dos 200 candidatos a deputado estadual com maior número de votos.

Áquila, famosa por aparecer em programas da Rede TV!, ficou melhor posicionada do que Salete. Com 91% das urnas apuradas, Jadson Mendes de Lima (seu nome de batismo) aparece com cerca de 20 mil votos (0,11% do total), na posição 205º. Mas está em 6º lugar entre os mais votados de seu partido.

Léo diz que gays precisam se politizar mais: "É um número bastante expressivo de votos para uma campanha feita sem dinheiro. Os gays precisam se politizar mais e apoiar quem defende a cultura gay", disse Áquila, já reconhecendo a derrota.

Já Salete Campari (ou Francisco de Sales Rodrigues), conhecida por freqüentar festas de famosos como o casamento da apresentadora Luciana Gimenez, figura com cerca de 3.400 votos (0,02%).

Para se ter idéia, neste momento da apuração, Campos Machado (PTB) tem 227.612 votos (1,23%), na posição de mais votado.

Na apuração dos votos para deputado federal de Sâo Paulo, o estilista Clodovil Hernandes, homossexual assumido, está entre os três mais votados (479.575 ou 2,43% do total).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/10


2006

Agora é oficial: TSE anuncia 2º turno

O presidente do Superior Tribunal Eleitoral acaba de anunciar que haverá segundo turno nas eleições presidenciais de 2006. Os candidatos serão o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Geraldo Alckmin (PSDB). 

Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) - votos válidos

Com 98,06% das urnas apuradas em todo o Brasil:

Lula (PT): 48,79%
Alckmin (PSDB): 41,43%
Heloísa Helena (PSOL): 6,85%
Cristovam Buarque (PDT): 2,67%

Informações do Blog do Noblat.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fabio Henrique Cavalcanti Pedrosa

Chegou a hora de Lula receber o troco. O segundo truno está aí e agora Lula vai ter que aparecer. Só não terá o que dizer. É Alckmin na cabeça!

Drácula

UÁ???? CADÊ A PETEZADA SAFADA E VAMPIRADA?????? HUAHUAHUAHUAHUAHUAHUA...HOJE É NOITE DE MUITA CHACHAÇA LÁ NA CASA DO CARCARÁ...HAHAHAHA... SÓ BEBENDO PARA ESQUECER..HAHAHAHAHAHA

Carlos

AH! eu tô maluco! Eu já sabia...45 nelles!!!!!!!!!!!!!!!!!



02/10


2006

Tarso Genro já admite 2º turno nas eleições

O ministro das Relações Institucionais, Tarso Genro, admitiu agora há pouco que haverá segundo turno nas eleições presidenciais. Tarso falou à imprensa na saída do Palácio da Alvorada, depois de estar reunido com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante a apuração dos votos.  Informações do Pe360 graus.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/10


2006

Classe média definiu o segundo turno

Para a professora de políticas partidárias na Ufscar (Universidade Federal de São Carlos), Maria do Socorro Sousa Braga, quem definiu o segundo turno desta eleição presidencial foi o extrato social conhecido como classe média.

"Penso que o dossiê [anti-tucano] teve impacto naquele eleitor que estava propenso a votar no Lula, mas não tinha plena convicção. É aquele eleitor que tende a votar no vencedor, apesar de não estar necessariamente satisfeito com o governo, mas, ao mesmo tempo, está temeroso de não manter um certo padrão alcançado durante a gestão de Lula", detalha a professora.

De acordo com Maria do Socorro, esse segmento não compactua com os escândalos do governo, mas "avalia que, atualmente, seu poder de compra é melhor, por conta também do poder de compra do salário-mínimo".

Para a cientista política, o governo do PT favoreceu bastante os extratos sociais extremos, como a elite (ou "classe A") e as classes mais populares (a "classe E"), mas esqueceu-se um pouco dos extratos medianos. "O próprio PT já admitiu isso. Ele [Lula] conseguiu atingir os populares e a elite, mas a classe média, que tem de pagar escola e plano de saúde, o pequeno empresário que paga muito imposto, esses foram desfavorecidos neste governo", afirma.

"Tanto é verdade, que Lula foi derrotado nos Estados do Sul e em São Paulo, onde se concentra esse segmento da população, e no Centro-Oeste, onde há muitos empresários do agronegócio, que sofrem com a política fiscal", descreve a professora.

Leonardo Barreto, cientista político e professor da UnB (Universidade de Brasília), sublinhou a associação de Alckmin com a classe média. "A campanha dele é feita por paulistas e para paulistas de classe média, mas, para o brasileiro das classes mais baixas, esse discurso da corrupção não funciona, pois, bem ou mal, a filha da faxineira da Unidf, onde dou aula, estuda lá com a ajuda do Pro-Uni. Essa eleitora vota no Lula e não muda", contou. (Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


01/10


2006

SENADORES ELEITOS

Veja a lista dos senadores eleitos em cada estado:

Acre: Tião Viana (PT)
Alagoas: Fernando Collor (PRTB)
Amazonas: Alfredo Nascimento (PL)
Amapá: José Sarney (PMDB)
Bahia: João Durval (PDT)
Ceará: Inácio Arruda (PC do B)
Distrito Federal: Joaquim Domingos Roriz (PMDB)
Espírito Santo: José Renato Casagrande (PSB)
Goiás: Marconi Perillo (PSDB)
Maranhão - Epitácio Cafeteira
Mato Grosso: Jayme Campos (PFL)
Mato Grosso do Sul: Marisa Serrano (PSDB)
Minas Gerais: Eliseu Resende (PFL)
Pará: Mário Couto (PSDB)
Paraíba: Cícero Lucena (PSDB)
Paraná: Álvaro Dias (PSDB)
Pernambuco: Jarbas Vasconcelos (PMDB)
Piauí: João Vicente Claudino (PTB)
Rio de Janeiro: Francisco Dornelles (PP)
Rio Grande do Norte: Rosalba Ciarlini (PFL)
Rio Grande do Sul: Pedro Simon (PMDB)
Rondônia: Expedito Júnior (PPS)
Roraima: Mozarildo (PTB)
Santa Catarina: João Raimundo Colombo (PFL)
Sergipe: Maria do Carmo (PFL)
Tocantins: Kátia Abreu (PFL)

Informações do G1.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


01/10


2006

Mercadante reconhece derrota e culpa petistas do dossiê

O candidato do PT ao governo de São Paulo, senador Aloizio Mercadante, admitiu, antes mesmo que a apuração terminasse, a sua derrota para o candidato tucano José Serra e atribuiu o resultado ao envolvimento de membros do PT no escândalo do dossiê contra seu adversário. Com os votos apurados até 22h21, 78% do total, o candidato do PSDB, José Serra, tinha 58,52% dos votos válidos, enquanto Mercadante tinha 31,30%.

Visivelmente abatido, Mercadante fez apenas uma rápida declaração à imprensa na sede de seu comitê, na Capital paulista, e não respondeu a perguntas dos jornalistas, prometendo uma entrevista coletiva para amanhã, dia 2. "Minha campanha não evoluiu como eu tinha planejado. Acho que o envolvimento de alguns petistas nesse lamentável episódio do dossiê prejudicou de forma decisiva a campanha", afirmou. "Seguramente, se não tivesse ocorrido esse episódio, eu estaria aqui me preparando para o segundo turno. Seria uma nova campanha, uma nova etapa que eu acho que contribuiria muito para qualificar o debate em torno do futuro de nosso estado", acrescentou.

Mercadante cumprimentou Serra publicamente pela vitória, mas advertiu, que vai acompanhar atentamente e de forma presente o governo do tucano e o cumprimento das promessas feitas na campanha. Ele citou como exemplos o compromisso de colocar dois professores em cada sala de aula, a ampliação das linhas de metrô e a melhoria do trem metropolitano, a duplicação da rodovia dos Tamoios, o fim das filas na área de saúde e atuação na área de segurança pública que qualificou como "um enorme desafio" e que "não pode continuar como está".(Agência Estado)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha