Faculdade de Medicina de Olinda 2

21/10


2019

Salvador: missa para Irmã Dulce atrai quase 50 miI

Foto: Divulgação Senado Federal/retirado da Agência Brail

Da IstoÉ - Por ANSA

 

Quase 50 mil fiéis compareceram neste domingo (20) na primeira cerimônia em homenagem a Santa Dulce dos Pobres no Brasil realizada na Arena Fonte Nova, em Salvador.   

O evento contou com a celebração de uma missa, espetáculo teatral sobre a vida da santa brasileira e atrações musicais.   

Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes (1914-1992), a Irmã Dulce, foi canonizada pelo papa Francisco no último dia 13 de outubro, no Vaticano. Soteropolitana, a religiosa é a primeira santa reconhecida pela Igreja Católica nascida no Brasil. O Vaticano atribui a ela dois milagres: o primeiro é a cura de uma mulher do interior do Sergipe que se recuperou de complicações de um parto após ter sido desenganada, e o segundo é o retorno da visão do músico e maestro José Maurício Bragança, que havia ficado cego em função de um glaucoma. A comemoração teve duração de cerca de oito horas e contou com a presença de quatro grupos musicais, além da cantora Margareth Menezes e Patrícia Ribeiro, entre outros, sob um calor de mais de 30 graus.   

A santa é conhecida popularmente como “o anjo bom da Bahia” e teve uma vida dedicada a ações de caridade. Ela é fundadora das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid), entidade filantrópica que, desde 1959, oferece serviços de saúde, assistência social e educação para pessoas de baixa renda. (ANSA)

Além disso, 530 crianças participaram do espetáculo Império de Amor, que narrou a história da santa, desde sua infância às suas obras e luta para cuidar dos pobres. A celebração foi acompanhada também pelo arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger.   


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Detran

21/10


2019

Bolívia: Morales lidera eleição, mas irá para 2º turno

Em sua tentativa de obter um quarto mandato, presidente obteve 45,38% dos votos, seguido pelo ex-presidente Carlos Mesa, com 38,16%. Irá para segundo turno inédito.

Arquivo/Roosewelt Pinheiro/Agência Brasil

Da Veja Por AFP

 

Evo Morales lidera as eleições presidenciais deste domingo, 20, na Bolívia com 45,38% dos votos, seguido pelo ex-presidente Carlos Mesa, com 38,16%, o que indica a realização de um segundo turno inédito na história do país. O resultado preliminar foi apresentado pela presidente do Supremo Tribunal Eleitoral, María Eugenia Choque, após a apuração de 84% das urnas.

Em terceiro lugar, em resultado surpreendente, aparece o pastor evangélico Chi Hyun Chung, nascido na Coreia do Sul, com 8,77% dos votos. Ele é conhecido como o “Bolsonaro boliviano”. A quarta posição ficou com o senador da oposição Óscar Ortiz (4,41%).

A votação transcorreu com tranquilidade. Uma força combinada de mais de 40 mil policiais e militares patrulhou a cidade de La Paz, sem relatos de episódios de violência. O chefe da missão de observadores da União Interamericana de Organismos Eleitorais (Uniore), o costa-riquenho Hugo Picado, afirmou que o processo eleitoral na Bolívia avança em ordem.

As pesquisas apontavam um leve favoritismo de Morales sobre seu principal rival, o ex-presidente Carlos Mesa.

Morales apresentou conquistas sociais e econômicas durante a campanha, mas também foi afetado por escândalos de corrupção e acusações de uma guinada autoritária. Ao contrário das três últimas eleições, a partir de 2006, desta vez ele não tem uma vitória tranquila garantida no primeiro turno.

Depois de votar em Chapare (departamento de Cochabamba), o presidente expressou confiança e otimismo. “Acabo de votar, como me corresponde, e aproveito esta oportunidade para convocar o povo boliviano a participar desta festa democrática”, disse.

Mesa era o único dentre os oito candidatos que tinha chances de derrotar o presidente. Do partido de centro Comunidade Cidadã (CC), Mesa se reuniu no sábado com observadores da Organização dos Estados Americanos (OEA) para expressar suas dúvidas sobre a transparência da votação, acusando o Tribunal Eleitoral de parcialidade.

Em respostas por escrito enviadas à agência France-Presse na sexta-feira, 18, Mesa denunciou que a Bolívia tem “um partido que controla todos os órgãos do Estado, inclusive o eleitoral” e que “não há entre seus princípios o respeito pelas regras da democracia”.

Além disso, Mesa disse que a Bolívia tem “um Tribunal Eleitoral que demonstrou um claro viés em relação à candidatura do MAS (partido do governo). Portanto, é muito provável que sejam feitas tentativas de afetar o resultado da votação, especialmente nas áreas rurais e em algumas cidades do exterior”.

Ao votar, Mesa reiterou os temores. “Não confio na transparência do processo, o Tribunal Supremo Eleitoral demonstrou que é um braço operacional do governo, nossa desconfiança é muito alta”, afirmou à imprensa depois depositar seu voto em um bairro da zona sul de La Paz.

A presidente do TSE, María Eugenia Choque, ressaltou as garantias de transparência do processo. “A população pode ficar tranquila porque foram adotadas as medidas necessárias para resguardar o voto”, afirmou Choque.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

13° Bolsa Familia

21/10


2019

Protestos no Chile: sobe para sete o número de mortos

Mais de 1.400 pessoas foram detidas pela polícia. Manifestações já são consideradas as mais violentas desde a redemocratização.

Da Veja - Por Estadão Conteúdo 

 

Confrontos entre a polícia do Chile e manifestantes voltaram a eclodir neste domingo, 20, em diversas regiões de Santiago, em meio ao processo de convulsão social que levou o governo de Sebastián Piñera a enviar militares às ruas. O número de mortos nas manifestações subiu para sete e, segundo as autoridades, 1.462 pessoas foram presas no país.

O governo decretou toque de recolher pelo segundo dia, adiantando o início da medida para 19h (18h em Brasília), em meio ao “estado de emergência” vigente em cinco regiões do país. Os protestos já são considerados os mais violentos desde o retorno da democracia após o fim da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990).

Neste domingo, um novo “panelaço” se transformou em enfrentamentos com forças especiais da polícia e militares, que repeliram os ataques com bombas de gás lacrimogêneo e jatos d’água.

O país amanheceu com praticamente todo o comércio fechado, voos cancelados no aeroporto e ruas vazias, após os protestos iniciados na sexta-feira, 18, em razão do aumento do preço da passagem do metrô. O centro de Santiago virou um cenário de destruição: semáforos no chão, ônibus queimados, lojas saqueadas e milhares de destroços nas ruas.

Apesar do toque de recolher e da mobilização de quase 10 mil militares nas ruas, distúrbios prosseguiram durante a madrugada em Santiago e outras cidades, como Valparaíso e Concepción, que também foram afetadas pela medida que restringe a movimentação.

Cinco pessoas morreram após um incêndio em uma fábrica de roupas na comuna de Renca, no norte de Santiago, que foi incendiada após ser saqueada em meio aos protestos, segundo fontes oficiais.

Também na capital do país, duas pessoas morreram em outro incêndio, desta vez em um supermercado, um dos muitos alvos de ataques dos manifestantes. Uma pessoa que foi encontrada ao lado dos corpos teve 75% do corpo queimado e está internada em estado grave.

O ministro do Interior e Segurança, Andrés Chadwick, informou que durante a madrugada duas pessoas foram feridas a tiros após um incidente com uma patrulha policial entre Puente Alto e La Pintana.

Destruição

Os manifestantes também atacaram ônibus e estações do metrô. De acordo com o governo, 78 estações foram atingidas e algumas ficaram completamente destruídas.

O prejuízo ao metrô de Santiago supera 300 milhões de dólares, e algumas estações e linhas demorarão meses para voltar a funcionar, afirmou o presidente da companhia estatal, Louis de Grange.

Eixo do transporte público da capital chilena, com quase três milhões de passageiros por dia, o metrô sofreu uma “destruição brutal”, afirmou Grange.

Descontentamento social

Aos gritos de “basta de abusos” e com o lema que dominou as redes sociais “#ChileAcordou”, o país enfrenta críticas a um modelo econômico em que o acesso à saúde e à educação é praticamente privado, com elevada desigualdade social, valores de pensões reduzidos e alta do preço dos serviços básicos.

As manifestações não têm um líder definido ou uma lista precisa de demandas. Até o momento aparece como uma crítica generalizada ao sistema econômico neoliberal que, por trás do êxito aparente dos índices macroeconômicos, esconde um profundo descontentamento social.

O presidente Sebastián Piñera – que suspendeu no sábado o aumento do preço das passagens do metrô – se reuniu com os ministros para abordar a situação. Universidades e escolas suspenderam as aulas na segunda-feira, 21, e os estudantes convocaram um novo dia de protestos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

21/10


2019

Justiça manda Planalto e Ibama adotarem medidas em PE

Óleo nas praias

Justiça determina que governo federal e Ibama adotem medidas sobre óleo em praias de PE, sob pena de multa. Liminar foi concedida neste domingo (20) e dá 24 horas para que as medidas comecem a ser implementadas.

Do G1 - PE

 

A decisão, assinada pelo juiz substituto Augusto Cesar de Carvalho Leal, obriga o governo a implementar barreiras de proteção com equipamentos adequados, além do monitoramento nos ecossistemas mais sensíveis da costa pernambucana, como manguezais, áreas de estuário e recifes de coral. O descumprimento pode acarretar em multa diária de R$ 50 mil.

A liminar foi concedida após uma ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal (MPF) e diz respeito apenas a Pernambuco. Com a liminar, a União e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) devem cumprir as determinações em 24 horas, por causa da "grande probabilidade de agravar, de modo intenso, a já catastrófica extensão dos notórios danos socioambientais", de acordo com a decisão.

Na liminar, a Justiça obriga a União a fornecer equipamentos de proteção individual (EPIs), inclusive para voluntários, além de recipiente adequado para armazenamento do óleo recolhido, e a implementar o monitoramento contínuo ao longo de "toda a extensão da plataforma continental marítima sob risco, para localização das manchas de óleo no mar".

Ao Ibama, a Justiça determina que monitore e fiscalize a implementação das medidas pela União, garantindo contenção, recolhimento e adequada destinação do material poluente, e que se manifeste tecnicamente, em 24 horas, sobre as providências a serem adotadas sobre o atendimento, resgate e reabilitação dos animais afetados.

Confira a íntegra aqui: Justiça determina que governo federal e Ibama adotem ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/10


2019

Protestos no Chile deixam três mortos

Reprodução

Da Isto É - Por Agêcia ANSA

 

Pelo menos três pessoas morreram na madrugada deste domingo (20) durante os protestos violentos deflagrados nas ruas do Chile em decorrência do aumento de tarifas de metrô. As vítimas foram encontradas no interior de um supermercado que foi saqueado e incendiado em Santiago. Segundo a governadora da cidade, Karla Rubilar, duas pessoas morreram no local e a terceira chegou a ser levada para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Ontem (19), o presidente chileno, Sebastian Piñera, suspendeu o aumento de 30 pesos das tarifas de metrô e anunciou a criação de um plano para tentar reduzir o impacto para setores mais afetados. Apesar da decisão, os atos continuam violentos nas ruas do país.   

“Escutei com humildade a voz de meus compatriotas e não terei medo de seguir escutando esta voz. Vamos suspender o aumento nas passagens do metrô”, disse o presidente em uma transmissão. Além disso, o mandatário, que já havia decretado estado de emergência em algumas cidades, ampliou a medida para as províncias de Concepción e Valparaíso, além de outras três regiões. “O objetivo deste estado de emergência é muito simples, mas muito profundo: garantir a ordem pública, a tranquilidade dos habitantes da cidade de Santiago, proteger bens públicos e privados e, acima de tudo, garantir os direitos de todos”, disse.   

Em seu discurso, Piñera explicou ainda que sua atitude exigirá uma rápida aprovação de lei, “até que cheguemos a um acordo sobre um sistema que proteja melhor nossos compatriotas contra aumentos repentinos e inesperados nos preços do dólar e do petróleo”.   

O general Javier Iturriaga, por sua vez, decretou toque de recolher enquanto os incidentes, em diferentes partes da capital, se intensificam. A medida é válida entre as 22h (horário local) e 7h deste domingo. 

Já o ministro da Defesa do país, Alberto Espina, anunciou que 1500 militares foram enviados às ruas para controlar a situação.   

Ao todo, mais de 9 mil homens foram mobilizados. Os protestos foram ampliados para refletir o descontentamento geral com o alto custo de vida em um dos países mais estáveis da América Latina. Mais de 300 pessoas foram presas e 156 ficaram feridas, assim como 11 civis, informou a polícia. (ANSA)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Magno coloca pimenta folha

20/10


2019

Brasil depende de medidas internas para driblar crise

Brasil depende de medidas internas para driblar desaceleração global. Juros baixos, reformas e estímulos podem manter crescimento em 2020.

Agência Brasil  - Por Wlton Maximo

 

A desaceleração da economia global em 2019 e em 2020 imporá desafios a todos os países. O Brasil, no entanto, pode minimizar os efeitos da retração se prosseguir com medidas internas. Segundo economistas, o país precisa executar ações que vão da continuidade das reformas estruturais a medidas de estímulo da demanda, para que a recuperação econômica não seja afetada.

Na semana passada, o Fundo Monetário Internacional (FMI) reduziu, de 3,2% para 3%, a previsão de crescimento da economia mundial em 2019. O fundo também revisou para baixo a estimativa de 2020: de 3,5% para 3,4%. Desde 2017, quando a economia global cresceu 3,8%, o mundo vem passando por uma desaceleração.

Para o Brasil, o FMI ajustou a previsão de crescimento econômico em 2019 de 0,8% para 0,9%. No início do ano, a estimativa estava em 2,5%. Para 2020, o cenário para a economia brasileira deve ser melhor, mas o organismo internacional reduziu a projeção de crescimento de 2,4% para 2%.
A desaceleração da economia global em 2019 e em 2020 imporá desafios a todos os países. O Brasil, no entanto, pode minimizar os efeitos da retração se prosseguir com medidas internas. Segundo economistas, o país precisa executar ações que vão da continuidade das reformas estruturais a medidas de estímulo da demanda, para que a recuperação econômica não seja afetada.

Na semana passada, o Fundo Monetário Internacional (FMI) reduziu, de 3,2% para 3%, a previsão de crescimento da economia mundial em 2019. O fundo também revisou para baixo a estimativa de 2020: de 3,5% para 3,4%. Desde 2017, quando a economia global cresceu 3,8%, o mundo vem passando por uma desaceleração.

Para o Brasil, o FMI ajustou a previsão de crescimento econômico em 2019 de 0,8% para 0,9%. No início do ano, a estimativa estava em 2,5%. Para 2020, o cenário para a economia brasileira deve ser melhor, mas o organismo internacional reduziu a projeção de crescimento de 2,4% para 2%.

Confira a matéria completa aqui: Brasil depende de medidas internas para driblar ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

20/10


2019

Crise do PSL: submerge Flávio Bolsonaro

Zero Um só atuou nos bastidores

Tânia Rêgo/Agência Brasil

Época - Por Guilherme Amado

 

Flávio Bolsonaro foi mais do que nunca Flávio Bolsonaro nas últimas duas semanas em que o PSL pegou fogo: ao contrário de Carlos e Eduardo, o Zero Um só atuou nos bastidores.

No bolsonarismo, quem não grita paga um preço.

Mas Flávio continua dizendo a interlocutores que a contaminação de setores do governo pelo radicalismo de Carlos traz mais prejuízos do que conquistas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/10


2019

A versão oficial para a debandada

Caro Magno,

Em respeito aos seus leitores venho aqui responder o que foi colocado em matéria no blog e depois em nota na coluna sobre a minha ausência no último dia de programação de visita as usinas em Angra dos Reis. 

Toda agenda prevista de visitação técnica nas usinas foi cumprida por nós. A agenda restante seria a visita a um padre e um hospital, entretanto, nós havíamos marcado reuniões no Rio de Janeiro sobre a instalação da usina com ambientalistas e especialistas que participaram da implantação do equipamento em Angra dos Reis e que possuem um posicionamento contrário as nucleares.

Além de participarmos do principal evento de sustentabilidade realizado no Brasil o “Virada Sustentável” realizado no Rio de Janeiro esse fim de semana.

Honrado em participar como debatedor, discorremos sobre o tema das usinas, alternativas de produção energética e da tragédia que acomete nosso litoral atingido pelo vazamento de óleo. Um orgulho para mim poder ser a voz dos pernambucanos em um evento tão importante como este.

Uma das pessoas com quem conversei foi o ex-conselheiro Estadual de Meio Ambiente Sérgio Ricardo, que nos historiou toda discussão e paralizações continuadas das usinas nucleares, nos mostrando que o plano de fuga é considerado falho entre diversos outros pontos. Nosso intuito foi conseguir o máximo de informação possível para enriquecer o debate na Audiência Pública que será realizada nesta segunda-feira na Assembleia Legislativa de Pernambuco, onde nós tornaremos pública tudo o que foi conversado em Angra dos Reis e no Rio de Janeiro.

Wanderson Florêncio – deputado estadual pelo PSC


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha