FMO janeiro 2020

29/05


2020

Marília pede união para se discutir o pós-lockdown

Para a deputada federal Marília Arraes (PT) o Governo do Estado, que ontem anunciou uma retomada gradual das atividades econômicas sem dar detalhes da ação, continua sem fazer a devida articulação com a sociedade para tomar decisões mais acertadas. 

“O pós-lockdown tem que ser discutido do ponto de vista da saúde pública, mas é preciso também que entidades como FIEPE, CDL, SEBRAE e Porto Digital, dentre outras, façam parte desta formulação, e não sejam apenas consultadas. São as entidades, a sociedade civil organizada, e não apenas o Governo do Estado, que poderão indicar a melhor ação preventiva”, afirma Marília.

Marília reforça que o pós-lockdown deve ser encarado como uma ação preventiva que vai requerer conscientização, organização e disciplina tanto por parte da sociedade quanto das entidades e do setor público. “O que percebo é que há um estudo encomendado, ou consultas feitas, que não trazem a profundidade necessária que possa nos indicar o caminho mais seguro a ser trilhado. Em resumo, como voltar ao normal com segurança é o debate que precisa ser feito”.

Marília também lamenta o fato da Bancada Federal (deputados e senadores) não ter sido consultada institucionalmente para discutir a pandemia, o lockdown e muito menos o pós-lockdown, o que reforça a impressão de que tudo está sendo feito sem os devidos cuidados. “Estou à disposição e acredito que toda a bancada federal também para participar deste debate”, conclui.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Detra maio 2020 CRLV

29/05


2020

PL tipifica crime de agressão a jornalistas

Em entrevista ao jornalista Napoleão de Castro, da TV Bandeirantes, o deputado federal Tulio Gadelha (PDT) explicou o Projeto de Lei que protocolou para que agressões contra jornalistas sejam crime tipificado.

Gadêlha propõe alteração do Código Penal para que as agressões contra profissionais da imprensa, que ocorrem com frequência por parte de apoiadores de Bolsonaro, sejam caracterizadas como um tipo específico de crime. Confira na reportagem.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Roberto Jeffersom o ídolo do clã Bozonaro e do idiotas úteis!

marcos

Desculpem Túlio.

marcos

Tílio o namorado de Fátima Bernardes tem que puxar a sardinha para a lata da Coroa dele.kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.


Abreu e Lima - Maio

29/05


2020

Olinda consegue controlar as contas em meio à pandemia

Em meio à pandemia do novo coronavírus e uma retração na economia, o prefeito de Olinda, Professor Lupércio, está conseguindo controlar as finanças na cidade e a operacionalidade das obras que estão em andamento.

A gestão conseguiu realizar o pagamento dos servidores hoje e também inaugurou um hospital de campanha com 60 leitos para casos de Covid-19. As obras de requalificação da avenida Presidente Kennedy também estão em andamento. Esta primeira etapa compreende a instalação das peças de drenagem.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura do Ipojuca

29/05


2020

Após IstoÉ, Recife está na Folha de São Paulo

Os escândalos e denúncias em Pernambuco com o mau uso dos recursos que deveriam salvar vidas agora chegou ao jornal Folha de São Paulo, que também cobrou e acusou o prefeito Geraldo Júlio (PSB) de total falta de transparência. A pergunta é cadê a Globo?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


29/05


2020

Soldados da saúde

Por Silvio da Silva Caldas Neto*

O nosso bem mais precioso é a vida e todas as nossas atitudes têm como maior objetivo defendê-la. Para algumas pessoas, os ganhos obtidos podem ser uma justificativa para arriscá-la. Quem se alista nas forças armadas sabe que poderá ser convocado para uma guerra. Mas, em momentos de grande ameaça, seria esperado que seus instintos agissem em sua defesa. Daí a necessidade do fortalecimento de valores como hierarquia e disciplina, em um patamar acima da própria existência. Senão, como evitar a deserção de soldados na hora de enfrentar a morte?

Na guerra que travamos agora, os soldados são os profissionais da saúde. O inimigo é implacável e a chance de serem vitimados no campo de batalha é enorme. Todos fizeram juramentos e devem obediência aos seus códigos de ética. Durante a formação, foram preparados para salvar pessoas, mas ninguém disse a eles que o custo disso poderia ser a própria vida. O dever de prestar socorro a uma vítima de acidente, de perder viagens, de sacrificar o convívio com a família, para estar à disposição do paciente, tudo isso foi ensinado e passou pela cabeça no momento do juramento. Mas perder a vida? Para isso ninguém está plenamente preparado. Ainda assim, esses profissionais estão combatendo no front, enfrentando, às vezes sem proteção adequada, a soma de todos os medos. Nunca viveram tamanho estresse. Um soldado não vai pra guerra sem capacete, sem uniforme, sem botina, sem cantil e sem fuzil. Os profissionais de saúde vão. Por isso são muito justas as homenagens feitas mundo afora a esses bravos.

Enquanto isso, os cursos de saúde se esforçam para entregar mais soldados, que vão formar novas fileiras à medida que colegas são atingidos nas trincheiras. Neste semestre, a Faculdade de Medicina do Recife – UFPE entregou à sociedade mais uma turma de médicos que já estão no combate. Foi uma colação de grau sem pompas, sem parentes, sem longos discursos, sem grandes plateias. Colaram grau em pequenos grupos, todos de máscaras, guardando distância. Mas foi histórica. Não só pelo momento, mas também porque, ao jurarem fidelidade à profissão, certamente passou na cabeça deles um drama com que as últimas gerações de médicos jamais sonharam. Entraram alunos. Serão heróis.

*Médico, professor e diretor do Centro de Ciências Médicas da UFPE


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

29/05


2020

BB terá de bloquear anúncios em mais de 1 milhão de sites

O Banco do Brasil terá de bloquear anúncios em 1,2 milhão de sites, blogs e aplicativos – veiculados via Google – para cumprir a decisão tomada ontem pelo TCU, que proibiu o banco de anunciar em sites e blogs acusados de divulgar fake news, informa Lauro Jardim.

A estimativa, segundo o colunista de O Globo, foi feita pelas agências de propaganda que trabalham para o banco estatal. Elas estimam que cerca de 500 sites e blogs permanecerão recebendo os anúncios do BB.

O bloqueio será feito assim que a determinação do TCU chegar oficialmente ao banco. Pela decisão do ministro Bruno Dantas, a suspensão vai vigorar até que a CGU defina as normas de veiculação a serem seguidas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

29/05


2020

Mendonça critica silêncio de João sobre corrupção

O ex-ministro e pré-candidato a prefeito, Mendonça Filho (DEM), criticou, hoje, o deputado federal João Campos (PSB) pela nota em solidariedade ao prefeito Geraldo Júlio e contra as investigações da compra nebulosa de respiradores só testados em porcos e a uma empresa fantasma. “Depois de um longo e vergonhoso silêncio de consentimento e omissão diante da falta de leitos, das mortes e das inúmeras denúncias de desvio e descaso, era de se esperar que João Campos viesse à público, no mínimo, prestar solidariedade aos pacientes que aguardam atendimento e às famílias que perderam parentes por falta de leito de UTI”, cobrou, questionando a nota publicada por Joao Campos em suas redes sociais.

A compra pela Prefeitura do Recife de 500 respiradores pulmonares a uma empresa veterinária e testados apenas em porcos e sem aval da Anvisa foi denunciada por Mendonça Filho ao Ministério Público Federal, ao TCU e a Controladoria Geral da União.  Ontem a Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão na sede da Prefeitura do Recife e na residência do secretário de Saúde na Operação Apneia, que investiga desvios e fraudes na compra de respiradores por solicitação do Ministério Público Federal e da Controladoria Geral da União. 

“João Campos foi eleito para defender os interesses do povo e não do seu grupo político fingindo que não vê o descaso com a saúde e ignorando a ação dos órgãos de controle e da Polícia Federal”, criticou. Segundo Mendonça, a postura de Campos é contra os interesses do povo. “O desvio de recursos e o descaso na compra de um equipamento fundamental para salvar as pessoas, apenas testado em porcos, é crime contra a vida”, afirmou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Esse rapaz é chato, não suporto esse senhor até a voz dele é irritante.

marcos

Rapaz chato, e você quer ele para Prefeito ou para ser seu Namorado. Deixa de ser trouxa.

marcos

Esse Fernandes,tem uma queda por picareta, só defende ladrão. Vai ser ruim assim na tua casa.

Fernandes

Esse rapaz é chato, não suporto esse senhor até a voz dele é irritante.


O Jornal do Poder

29/05


2020

Tudo ou nada

Pré-candidato do PSB a prefeito do Recife, o deputado federal João Campos saiu da toca. Aconselhado por seu marqueteiro e pressionado pelo padrinho da sua candidatura, o prefeito Geraldo Júlio, aceitou colocar suas digitais no escândalo do superfaturamento de compras pela Prefeitura com recursos federais destinados à compra de equipamentos médicos e de pacientes da Covid-19.

Em suas redes sociais, defendeu o prefeito das acusações de malversação do dinheiro público, objeto de reportagem também da revista IstoÉ, cujo texto postamos logo cedo, sendo possível conferir entre as postagens anteriores. "São dois servidores públicos honrados", disse, referindo-se também ao secretário de Saúde do município, Jailson Correia, que teve seu gabinete e casa vistoriados na operação de ontem por agentes da Polícia Federal.

Esquece o deputado que quem está acusando de desonesta a gestão do seu aliado não é a oposição nem a mídia. Tudo é fruto de um trabalho investigação dos órgãos de controle, como Ministério Público de Contas do Estado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Shopping Aragão

29/05


2020

Cadê a decolagem do PIB antes da pandemia?

Nota

O PIB do primeiro trimestre, conhecido nesta manhã, apenas confirma o que já se sabia: em nenhum momento de seu mandato até agora, o presidente Jair Bolsonaro foi capaz de fazer a economia brasileira voltar a crescer.

A queda de 1,5% entre janeiro e março revelada pelo IBGE joga por terra a narrativa, recorrente, do ministro Paulo Guedes segundo a qual a pandemia do novo coronavírus interceptou a decolagem da economia do Brasil. Retórica vazia, resultados pífios, como se vê. O país está em isolamento social desde meados de março o que impacta apenas um sexto do período examinado.

O presidente perdeu tempo precioso de seu primeiro ano de mandato com picuinhas ideológicas e comportamentos inadequados. Desdenhou da real necessidade dos brasileiros: voltar a ter emprego e bem-estar. Esse tempo deveria ter sido empregado no impulsionamento de reformas estruturais para reavivar a economia. Agora, infelizmente, pode ser tarde demais.

O risco que corremos agora é, em meio à mais grave crise econômica, social e sanitária da história recente, que tem vitimado mais de mil brasileiros por dia, o país afundar muito mais, numa viagem ao fundo do poço só comparável à ruína produzida pelo PT enquanto esteve no poder.

Partido da Social Democracia Brasileira


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


29/05


2020

Moraes tem informação para ações explosivas

Por Mônica Bergamo

O ministro Alexandre Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), já acumulou informações suficientes para operações policiais de potencial político mais explosivo do que as determinadas por ele na quarta (27).

Segundo interlocutores do magistrado, ele preferiu esperar pelo resultado das buscas feitas nesta semana para encorpar o material que já tem – e partir para ações mais contundentes no inquérito que investiga fake news.

A Polícia Federal identificou Carlos Bolsonaro, um dos filhos do presidente, como um dos articuladores de um esquema criminoso de fake news. A possibilidade de ele ser alvo de alguma ação no inquérito preocupa o pai.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Somos todos Moraes.



29/05


2020

MPF abre inquérito civil para investigar Prefeitura do Recife

A compra de respiradores para unidades de atendimento a vítimas da Covid-19, no Recife, é alvo de um inquérito civil aberto pelo Ministério Público Federal em Pernambuco. O objetivo da Procuradoria da República é investigar possível superfaturamento e lavagem de dinheiro para aquisição dos equipamentos, com recursos do Sistema Único de Saúde (SUS), pela prefeitura.

A investigação, comandada pela procuradora da República Sílvia Regina Pontes Lopes, tem como meta detectar possíveis irregularidades nos contratos assinados entre a gestão municipal e a empresa Juvanete Barreto Freire, de São Paulo.

Essa aquisição dos respiradores também é alvo de uma investigação feita pela Polícia Federal. Ontem, a PF deflagrou a segunda fase da Operação Apneia, realizando buscas na sede da prefeitura e na casa do secretário de Saúde da capital, Jaílson Correia, que teve o celular apreendido, segundo o assessor de comunicação da corporação Giovani Santoro.

A aquisição dos respiradores foi alvo também de questionamentos do Ministério Público de Contas (MPCO). Por causa disso, a prefeitura disse, na última sexta, que a empresa Juvanete Freire havia desistido do negócio.

De acordo com o Ministério Público Federal estão sendo apuradas irregularidades na Juvanete Freire, que tinha cadastramento na Receita Federal com o nome fantasia de Brasmed Veterinária.

O Grupo de Combate à Corrupção do MPF apontou dispensa de licitação de R$ 4,3 milhões e a existência de dois termos aditivos: um de R$ 2,1 milhões e o outro, de R$ 5,1 milhões.

Ainda de acordo com o MPF, a empresa não tem funcionário nem veículo próprio. Além disso, receberia mais de R$ 11 milhões para vender respiradores para o Recife.

O MPF aponta, ainda, a partir de informações do MPCO de Pernambuco, que o procurador da empresa no estado, Adriano César Lima Cabral, teria vínculos com pessoas de cargos de confiança em órgãos da administração estadual.

Isso teria levantado a suspeita, segundo o MPF, a suspeita de Adriano seria "o verdadeiro vendedor dos respiradores" e a Juvanete Barreto Freire, "a empresa laranja".

O MPF afirma também que, depois do início das apurações do MPCO, a administração pública alterou a fonte de recursos relacionada a compra dos ventiladores pulmonares.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores