Congresso Nordestino de Educação Médica

17/07


2019

Ações do Detran no Festival de Inverno de Garanhuns

O Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco – DETRAN-PE, por meio das diretorias de Engenharia, Operações e Coordenadoria de Educação para de Trânsito, vai levar para o Festival de Inverno de Garanhuns – FIG, que acontecerá de 18 a 27 de julho, ações de serviços e educativas, além da Operação Prevenção “Segundos que salvam vidas”.

Dez funcionários da diretoria de Operações estarão com o Detran Itinerante, que consiste em um equipamento que oferece abertura de serviços.

A coordenadoria de Educação para o Trânsito levará 10 técnicos de educação, que irão abordar o público na abertura oficial do Festival de Inverno, distribuição de bafômetros descartáveis e entregando material educativo.

Já na Operação Prevenção os agentes de trânsito disponibilizarão o etilômetro para as pessoas, que estão participando das festividades façam o teste de alcoolemia antes de pegar o veículo e, caso seja constatado o uso do álcool, será solicitado aos motoristas que passem a chave do carro para quem não bebeu. Serão designados para o FIG, 80 agentes de trânsito, 5 viaturas, 1 guincho e 5 motos para atuarem, também, na fluidez do trânsito.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


17/07


2019

Coluna desta quarta na Folha

Aberta porteira do 2º escalão

Com seis meses de gestão, Bolsonaro só vai começar a ratear os cargos do segundo escalão nos próximos dias. Estava aguardando a aprovação da reforma da Previdência para testar a lealdade da sua base de sustentação. No Nordeste, os postos mais cobiçados passarão pelo crivo do Centrão, movimento que agrega os partidos conservadores.

O critério que se especula ainda não é compreensível: os apadrinhados passarão pelo crivo das bancadas e não apenas por uma mão protetora. Os deputados de olhos arregalados vão se entender depois de tanto tempo indicando aliados com o aval apenas do presidente?

Estatais como Chesf, Banco do Nordeste e Hemobrás ainda estão sendo tocadas por executivos da era Temer, alguns com diretores nomeados por Dilma. O presidente costuma recorrer ao chavão de que não pratica o toma lá dá cá para governar. Com essas nomeações, seu discurso, mais uma vez, tende a virar letra morta.

Fugindo do diabo – As mudanças nas regras de aposentadoria estão levando muitos servidores federais a antecipar o uso do pijama. Um exemplo claro disso é a representação do Dnocs em Pernambuco: dos 66 funcionários de carreira do órgão, apenas 17 continuam batendo o ponto no trabalho. Se isso ocorre em Pernambuco, imagine em Brasília, paraíso da burocracia federal?

Dupla rebeldia – O deputado Felipe Carreras torceu o nariz para o Conselho de Ética do PSB, que abriu processo de punição dos 11 parlamentares que votaram a favor da reforma da Previdência. Disse que não vai apresentar defesa nenhuma no prazo de dez dias determinado pelo regimento interno do partido para casos dessa natureza. Está forçando a sua expulsão?

Olho no olho – Em seus Instagram, Felipe Carreras falou, pela primeira vez, sobre o bombardeio do presidente do PSB, Carlos Siqueira, que o xingou de traidor e revelou ter dado a ele na campanha R$ 1,3 milhão do partido. “Não vou devolver as agressões públicas. A ele (Siqueira), falei olho no olho sobre minha decisão de votar a favor, um dia antes da votação”, disse.

Fim do ICMS – Tramita na Câmara uma PEC do líder do MDB, Baleia Rossi (SP), que acaba com os três tributos federais – IPI, PIS e Cofins – e extingue o ICMS, estadual, e o ISS, municipal. No lugar deles seria criado o Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS), de competência dos três poderes.

Venda – Adolfo da Modinha entrou no ramo da comunicação em Caruaru, comprando o canal de rádio AM do grupo de Luis Lacerda, sogro do deputado Tony Gel (MDB). A família se desfez, segundo ele, porque já tem um canal FM e a AM vendida vai virar FM. “Iríamos ficar com duas FMs”, alega.

BICUDOS – Não convidem para uma mesma mesa o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, e o presidente da Compesa, Roberto Tavares. Não conseguem falar a mesma língua faz tempo, apesar de já terem entrado em campo os mais competentes bombeiros do alto escalão socialista.

Perguntar não ofende: Se nenhum dos 11 parlamentares rebeldes apresentar defesa no Conselho de Ética, como sugere Felipe Carreras, que procedimento o PSB tomará?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro e Moro. Qual dos dois é pior?

Fernandes

O pai diz que Eduardo fala inglês muito bem. Mentira. Eduardo diz que fritou hambúrguer quando trabalhava numa lanchonete americana. Mentira. A lanchonete nunca vendeu hambúrguer. Eduardo diz ser pós-graduado em economia. Mentira. Não concluiu o curso. Essa gente mente sem pudor.

Fernandes

Passando pra lembrar que Eduardo Cunha era terrivelmente evangélico!

Fernandes

Dallagnol também tinha seu laranjal,sua esposa terrivelmente evangélica que administrava sua empresa de palestra criada p/ faturar

Fernandes

Como o Lula quer ser solto se ele sozinho desmoralizou todo judiciário corrupto! Jamais vai ser perdoado!



17/07


2019

Coelho: otimismo com reforma tributária do governo

Apesar do “protagonismo” do Congresso defendido pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o líder do governo e senador Fernando Bezerra Coelho disse acreditar que a proposta de reforma tributária que deverá prevalecer é a que será enviada pelo Ministério da Economia.

Nesta terça-feira, 16, ele disse que viu a proposta que foi preparada pelo secretário Marcos Cintra e que foi apresentada aos ministros. “Proposta é boa e deve prevalecer sobre as que estão hoje no Congresso”, disse.

Na Câmara, tramita uma proposta assinada pelo deputado Baleia Rossi baseada nas ideias do economista Bernard Appy. O texto já foi aprovado na CCJ da Casa e está na Comissão Especial.

Já no Senado, o presidente Davi Alcolumbre quer ressuscitar a reforma tributária do deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) aprovada no fim do ano passado na comissão especial pelos deputados. Nesta terça, o governo atacou a proposta de Rossi, dizendo que pode criar o “maior imposto do mundo”.  (Estadão - BR 18) 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


17/07


2019

Caixa posta vídeo da Globo que ironiza Bolsonaro

 E apaga em seguida

Banco apura o fato e promete medidas cabíveis; vídeo reproduzido nas redes sociais da instituição satiriza a indicação de Eduardo a embaixada nos EUA

VEJA - da Redação

Caixa Econômica Federal postou em sua conta oficial no Twitter uma esquete de humor do Fantástico, da TV Globo, que satiriza a indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ) à embaixada dos Estados Unidos.

O post foi apagado logo em seguida. O banco informou que a responsabilidade é da prestadora de serviço de comunicação e está apurando o fato. O post foi feito na noite de segunda-feira 15. Apesar de a Caixa ter apagado a publicação, alguns usuários registraram o ocorrido.

O texto publicado pelo banco era: “A Caixa Mais Brasil esteve no Rio de Janeiro para conhecer projetos apoiados pelo banco como o empreendimento imobiliário Ilha Pura, a Orquestra Sinfônica de Mulheres do Rio de Janeiro e o novo abastecimento de água na Baixada Fluminense. Assista o vídeo!”, publicou a conta da Caixa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


17/07


2019

Toffoli suspende investigação contra Flávio Bolsonaro

A decisão do presidente do STF serve para qualquer pessoa que está sendo investigada com base em dados do Coaf sem autorização prévia da justiça

EXAME – Clara Cerioni

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, suspendeu todas as investigações em curso contra o senador Flávio Bolsonaro,que tenham partido de informações do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), do Fisco e do Banco Central sem prévia autorização judicial.

A decisão foi tomada nesta segunda-feira (15), após pedido da defesa do senador. A decisão do presidente da Corte deve ter efeitos sobre o processo que tramita contra Flavio, filho do presidente Jair Bolsonaro, no Ministério Público do Rio de Janeiro, envolvendo o ex-assessor Fabrício Queiroz.

A defesa de Flávio alega que há em discussão na corte um tema de repercussão geral, impetrado pelo Ministério Público Federal (MPF), em abril de 2018, que pode afetar todos os processos semelhantes no país. O MPF sustenta que o STF deve decidir se é constitucional o compartilhamento com o Ministério Público, para fins penais, dos dados bancários e fiscais de contribuintes obtidos pelo Fisco.

No caso do senador, o Ministério Público estadual pediu a quebra de sigilo com o fim de investigar a suposta prática dos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa no gabinete do ex-deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). A defesa de Flávio afirma que o MP-RJ se utilizou do Coaf como “atalho” e se furtou ao controle do Poder Judiciário. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


17/07


2019

Saúde: o que aprontam as operadoras

Grandes operadoras de planos de saúde colaboram num projeto de lei para aumentar ainda mais a mensalidade de seus clientes Em princípio, serão 90 artigos destinados a facilitar o aumento de preços por faixa de idade, derrubar os prazos máximos de espera por exames e tratamentos e tirar ao máximo os poderes da Agência Nacional de Saúde, que consideram pouco favorável a eles.

O projeto será oferecido ao Governo. Mas, se o Governo não topar, não faltará algum parlamentar amigo pronto a esfolar os clientes das operadoras.

Hoje devemos receber uma boa notícia: um acordo no Mercosul para acabar com o roaming, o truque das operadoras telefônicas para cobrar mais caro pelos telefonemas de quem viaja pelo Exterior. Ao menos dentro dos países do grupo oroaming deixará de ser cobrado.  (Carlos Brickmnn)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


17/07


2019

Corregedoria investigará palestras de Dallagnol

Mônica Bergamo – Folha de S.Paulo

A Corregedoria Nacional do Ministério Público vai investigar as palestras dadas pelo procurador da Lava Jato Deltan Dallagnol. 

A decisão, assinada pelo corregedor Orlando Rochadel Moreira, baseia-se em uma representação do PT encaminhada ao Conselho Nacional do Ministério Público. O texto determina a instauração de reclamação disciplinar e dá prazo de dez dias para que Dallagnol e seu colega de força-tarefa da Lava Jato Roberson Pozzobon se manifestem sobre o assunto. 

O despacho cita as mensagens trocadas entre os membros da força-tarefa da Lava Jato que "revelariam que os citados teriam se articulado para obter lucro mediante a realização de palestras pagas e obtidas com o uso de seus cargos públicos". "Tais palestras teriam se dado em parceria com empresas privadas, com quem dividiram os valores", diz o documento.

A conversa entre os procuradores foi obtida pelo site The Intercept e analisada em conjunto com a Folha. As mensagens apontam que Dallagnol montou um plano de negócios de eventos e palestras para lucrar com a fama e contatos obtidos durante as investigações do caso de corrupção.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Nunca vi trocar tanta mensagem como Moro e Dallagnol! Nem em começo de namoro se troca tanta mensagem!

Fernandes

Tão bonzinho Dallagnol querendo mamar as custas de Lul, e do PT.



17/07


2019

Senado: Flávio Bolsonaro e o imposto único

Ideia é apoiada por mais de 40 entidades de comércio, turismo e indústria

Mônica Bergamo – Folha de S.Paulo

Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) vai apresentar no Senado a proposta de criação de um imposto único sobre movimentação financeira. A ideia, apoiada por mais de 40 entidades de comércio, turismo e indústria, foi lançada pelo Instituto Brasil 200 e abraçada pelo parlamentar.

O senador conversou na terça (16) com Gabriel Kanner, presidente da entidade, e os dois bateram o martelo sobre o projeto.

O instituto defende a criação de um imposto com alíquota de 2,81% que substitua mais de 90 tributos. Flávio Bolsonaro, no entanto, vai propor que a cobrança inicialmente substitua cinco impostos federais: INSS sobre folha de pagamento, PIS, IPI, Cofins e IOF.

 “O imposto único, não declaratório, é insonegável, de cobrança automática e fácil fiscalização. Coloca o Brasil na era da modernidade”, diz Gabriel Kanner.

 A entrada do senador, que é filho do presidente Jair Bolsonaro, dá novo peso à reforma. Ela sinaliza que o projeto tem apoio de setores importantes do próprio governo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha