FMO janeiro 2020

01/10


2006

Apuração já acabou em 14 países

Em razão da diferença de fuso-horário, a apuração dos votos para presidente da República já terminou em 19 cidades de 14 países onde foram instaladas urnas que permitiram a participação de brasileiros residentes no exterior nestas eleições. De acordo com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), os dados foram apurados até as 14h (horário de Brasília).

A eleição já foi encerrada em Nagóia e Tóquio, no Japão; Berlim e Munique, na Alemanha; em Camberra e Sydnei, na Austrália; em Barcelona e Madri, na Espanha, e em Genebra e Zurique, Suíça. O pleito também já terminou em Viena, Bruxelas, Copenhague, Paris, Tel Aviv, Beirute, Maputo, Roterdã (Holanda) e Estocolmo.

Em 93 países, 86.360 eleitores brasileiros residentes cadastraram-se para poder votar nas eleições presidenciais.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu e Lima

Confira os últimos posts



25/03


2020

Governadores manterão medidas de isolamento

Do G1

Ao menos 25 dos 27 governadores informaram que manterão as regras de isolamento apesar das declarações do presidente Jair Bolsonaro. Na noite de ontem, Bolsonaro fez pronunciamento em que pediu a "volta à normalidade", o fim do "confinamento em massa" e disse que os meios de comunicação espalharam "pavor".

Disseram que manterão as regras de isolamento: governadores de AC, AL, AP, AM, BA, CE, DF, ES, GO, MA, MT, MS, MG, PA, PB, PR, PE, PI, RJ, RN, RS, SC, SP, SE e TO. À tarde, governadores do Nordeste divulgaram carta se comprometendo a manter as medidas de isolamento social. Não se manifestaram: governadores de RO e RR.

A fala de Bolsonaro foi criticada por 19 governadores. Criticaram a fala de Bolsonaro: governadores de AC, AL, AP, BA, CE, ES, GO, MA, MS, PA, PB, PE, PI, RJ, RN, RS, SC, SP e SE;

Evitaram criticar: governadores de AM, DF, MT, MG, PR e TO;

Posição dos governadores que criticaram a posição de Bolsonaro:

João Doria (PSDB), governador de São Paulo

Mantém medidas de isolamento social: Sim

“Na condição de cidadão, de brasileiro, e também de governador, início lamentando os termos do seu pronunciamento à nação. O senhor como presidente da República tem que dar o exemplo. Tem que ser mandatário para comandar, para dirigir, liderar o país, e não para dividir."

Wilson Witzel (PSC), governador do Rio de Janeiro

Mantém medidas de isolamento social: Sim

"Na manifestação em cadeia de rádio e TV, o presidente da República contraria as determinações da Organização Mundial de Saúde. Nós continuaremos firmes, seguindo as orientações médicas e preservando vidas. Eu peço a vocês: por favor, fique em casa."

Renato Casagrande (PSB), governador do Espírito Santo

Mantém medidas de isolamento social: Sim

"Pronunciamento do Pres. Jair Bolsonaro foi desconectado das orientações dos cientistas, da realidade do mundo e das ações do Ministério da saúde. Confunde a sociedade, atrapalha o trabalho nos Estados e Municípios, menospreza os efeitos da Pandemia. Mostra que estamos sem direção."

Ronaldo Caiado (DEM), governador de Goiás

Mantém medidas de isolamento social: Sim

"Fui aliado de primeira hora, durante todo tempo [de Bolsonaro], mas não posso admitir que venha agora um presidente da República lavar as mãos e responsabilizar outras pessoas por um colapso econômico ou pela falência de empregos que amanhã venha a acontecer. Não faz parte da postura de um governante. Um estadista tem que ter a coragem de assumir as falhas. Não tem de responsabilizar as outras pessoas. Assuma a sua parcela". "Não tem mais diálogo com este homem. As coisas têm que ter um ponto final ", afirmou Caiado.

Helder Barbalho (MDB), governador do Pará

Mantém medidas de isolamento social: Sim

"Em relação ao pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro, eu respeito a opinião de todos, mas não me furto a reafirmar nossa linha de ação. Nós buscamos, desde o início, as orientações dos técnicos, dos médicos, das autoridades e também dos países que já passaram pelo pior da crise. O caminho que o Governo do Pará buscou foi o do bom senso, o do equilíbrio."

Wellington Dias (PT), governador do Piauí

Mantém medidas de isolamento social: Sim

"É difícil não se manifestar frente ao discurso do Presidente da República, que vai contra todas as recomendações da Organização Mundial da Saúde. Nós vamos seguir o que a ciência nos comprova. O Piauí mantém todas as suas medidas de prevenção à Covid-19".

Fátima Bezerra (PT), governadora do Rio Grande do Norte

Mantém medidas de isolamento social: Sim

"Para muito além de quaisquer divergências políticas, o que se trata aqui é de proteger a saúde da população. Faço coro às palavras dos Secretários de Saúde do Nordeste. Não há neste momento tão delicado o desejo nenhum de politizar a discussão, mas o pronunciamento de hoje do Presidente é um equívoco! O pronunciamento dele vai na contramão de todas as medidas defendidas pelos Estados e municípios em sintonia com o Ministério da Saúde e pela própria sociedade!"

Flávio Dino (PCdoB), governador do Maranhão

Mantém medidas de isolamento social: Sim

"Pronunciamento de hoje mostra que há poucas esperanças de que Bolsonaro possa exercer com responsabilidade e eficiência a Presidência da República. Os danos são imprevisíveis e gravíssimos."

Reinaldo Azambuja (PSDB), governador de Mato Grosso do Sul

Mantém medidas de isolamento social: Sim

“O país precisa de bom senso, serenidade e equilibro nesta hora extrema, difícil! Precisamos salvar vidas, combatendo a pandemia e também o caos econômico e social, representado pela possibilidade de desemprego agudo, agravamento da fome entre os mais vulneráveis e o desabastecimento da população! Ninguém está imune! Para superar essa tragédia, todos temos que ser parte da solução. A hora exige alta responsabilidade, dos governos, das empresas, dos cidadãos.”

João Azevêdo (Cidadania), governador da Paraíba

Mantém medidas de isolamento social: Sim

"Um desserviço, a destruição de tudo que está duramente sendo construído para proteger a população. Em resumo, um absurdo." Ele ainda afirmou em uma rede social que todas as medidas que foram tomadas para evitar o contágio do coronavírus seguem implantadas.

Paulo Câmara (PSB), governador de Pernambuco

Mantém medidas de isolamento social: Sim

"Enquanto líderes de vários países tomam medidas necessárias para conter o avanço no novo Coronavírus, aqui no Brasil, em pronunciamento veiculado em Rede Nacional, o presidente Jair Bolsonaro vai contramão do que defendem autoridades sanitárias e o próprio Ministério da Saúde. Discurso que, lamentavelmente, comprova que o Brasil está sem comando num dos momentos mais desafiadores da história. O sacrifício é imenso, mas todo esforço tem o único objetivo de salvar vidas. Por isso, em PE, as medidas estão mantidas. É tempo de serenidade, união e trabalho."

Gladson Cameli (PP), governador do Acre

Mantém medidas de isolamento social: Sim

“O objetivo principal nesse momento é preservar vidas dos cidadãos acreanos, sejam eles estudantes, aposentados, empresários, assalariados ou em condições de vulnerabilidade. Estão mantidas todas as medidas necessárias adotadas pelo governo estadual no sentido de resguardar o isolamento social e visando promover a quebra da linha de contágio. Lamento que neste momento, onde devemos destinar toda energia e foco em combater o Coronavírus, se procure politizar as opiniões e ações dos agentes públicos.”

Eduardo Leite (PSDB), governador do Rio Grande do Sul

Mantém medidas de isolamento social: Sim

"É urgente encontrar alternativa ao confinamento. Mas não se faz isso com ataques à ciência e cautela médica mundialmente estabelecidas. Não deixamos de olhar economia/empregos. Mas não assistiremos inertes a uma doença se alastrar. Protege-se: 1) a vida; 2) os empregos. Nesta ordem."

Renan Filho (MDB), governador de Alagoas

Mantém medidas de isolamento social: Sim

"Alagoanos e alagoanas, como sempre longe de extremismos, quero reafirmar o meu compromisso com o firme propósito de manter as medidas preventivas que vêm sendo adotadas no enfrentamento ao novo coronavírus em nosso estado. Apesar do pronunciamento do presidente da República na noite desta terça-feira, que vai de encontro às recomendações da Organização Mundial de Saúde, manteremos com firmeza e serenidade nossas ações, lastreadas em estudos científicos e ouvindo as nossas melhores mentes que estão conosco permanentemente reunidas. Saibam que a vida de cada alagoano é e sempre será o bem mais precioso. Estamos trabalhando diuturnamente para, de um lado, achatar a curva de contágio da Covid-19; e, do outro, preparar a nossa rede hospitalar para a emergência do momento. É tempo de união. Juntos estaremos e venceremos!"

Waldez Góes (PDT), governador do Amapá

Mantém medidas de isolamento social: Sim

“O presidente da República reuniu por videoconferência com os governadores e é impressionante a distância entre o que o presidente, no diálogo que teve com os governadores, e o discurso ontem. Também há uma diferença muito grande entre as orientações que nós seguimos da Organização Mundial da Saúde, do Ministério da Saúde, dos cientistas, dos médicos, da comunidade acadêmica, daquilo que o presidente disse ontem. O que é estranho é a falta de alinhamento no governo central. Todos os prefeitos e governadores que tomaram essa atitude não tomaram de livre escolha. É necessário cobrar coerência do governo federal. Um posicionamento coerente. Não podemos ouvir o ministro da saúde falando para a gente providências e o governo federal desautorizando. Nós aqui no Amapá vamos continuar firmes para atuarmos no combate ao coronavírus.”

Camilo Santana (PT), governador do Ceará

Mantém medidas de isolamento social: Sim

"Cearenses, diante do pronunciamento do presidente da República, em rede nacional, esta noite, tenho apenas um comentário a fazer: vamos continuar trabalhando fortemente as ações que visam evitar o avanço do coronavírus em nosso estado, como temos feito até aqui. Todas as medidas adotadas por nós são recomendadas pelos profissionais de saúde, pela própria Organização Mundial da Saúde (OMS), e têm sido a melhor forma de enfrentamento ao coronavírus no mundo. Este não é um momento para ataques e provocações, mas um momento de cooperação e da união de todos. Da parte do Governo do Estado, continuaremos fazendo todos os esforços possíveis para buscar a proteção dos cearenses. A vida de cada um de vocês está em primeiro lugar."

Carlos Moisés (PSL), governador de Santa Catarina

Mantém medidas de isolamento social: Sim

“Estarrecido com o pronunciamento da presidente República em relação às medidas de isolamento, venho informar à população de Santa Catarina que nesta quarta-feira, 25 de março, iniciamos mais uma quarentena de sete dias por determinação de decreto deste governador, mais sete dias para ficar em casa. Sabemos que precisamos equilibrar as medidas de retomada da atividades econômicas com as de restrição para que a gente não tenha contaminação em massa, [mas] é importante que nos mantenhamos firmes no isolamento social, pois mostrou resultados positivo aqui em Santa Catarina, já tivemos a curva de casos suspeitos diminuída. Ficar em casa é o local mais seguro.”

Romeu Zema (Novo), governador de Minas Gerais

Mantém medidas de isolamento social: Sim

“Minha prioridade é salvar vidas. Portanto, Minas continua seguindo as recomendações da Organização Mundial de Saúde (...) Em Minas Gerais nós estamos adotando as melhores práticas, aquelas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde, e já adotadas em países desenvolvidos. Queremos, em primeiro lugar, a preservação da vida, mas compartilho da preocupação do presidente Bolsonaro com a questão econômica”, disse o governador.

Ibaneis Rocha (MDB), governador do Distrito Federal

"Não é hora de politizar ou polemizar. Bolsonaro tem parte da razão, afinal muitos municípios pequenos, sem qualquer caso de coronavírus, estão fechando. De outra parte, cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília tem situações diferenciadas", disse. "Acredito e preciso do apoio dos ministérios da Saúde e da Economia. Sou hospedeiro do governo federal, que paga um 'aluguel', [na forma do] Fundo Constitucional, pequeno para as condições da cidade que o hospeda."

Mauro Carlesse (DEM), governador do Tocantins

"O Tocantins seguirá firme no propósito de manter a população livre do novo coronavírus e conta com a parceria dos demais poderes, dos municípios, dos órgãos de controle e, principalmente, com a população", informou o governador, por meio da assessoria de imprensa.

Rui Costa (PT), governador da Bahia

"Não é gripezinha. Vou continuar trabalhando em defesa da vida. Olhar nos olhos das pessoas e dizer: estamos numa guerra. ACORDA. Temos que vencê-la. Chega de discurso vazio e delírios. Vamos trabalhar mais e mais. Responsabilidade. Todos contra o coronavírus", disse em uma rede social.

Mauro Mendes (DEM), governador de Mato Grosso

“Vamos continuar a restringir o convívio social e a preparar toda a estrutura necessária para atender aos possíveis doentes do coronavírus. Mas, não iremos proibir nenhuma atividade econômica essencial, desde que haja a devida obediência às regras sanitárias”, afirmou Mauro Mendes.

Ratinho Júnior (PSD), governador do Paraná

Pela assessoria, informou: "o governo do Paraná informa que manterá o planejamento e as medidas de enfrentamento à pandemia do coronavírus".

Belivaldo Chagas (PSD), governador de Sergipe

"A gente lamenta porque, afinal de contas, quem tem que ser o grande líder neste momento é o presidente da República. Enquanto ele diz uma coisa, o ministro da Saúde diz outra. Eu vou preferir seguir as orientações do ministro da Saúde. Eu vou preferir seguir as orientações dos sanitaristas de um modo geral. Portanto, nós vamos estabelecer nossas regras e cumpri-las (...) Lamentamos muito o posicionamento do presidente da República, mas ele acha que está assumindo a responsabilidade dele e nós temos a nossa. (...) Nós vamos cuidar das pessoas neste momento, que é extremamente importante."

Coronel Marcos Rocha (PSL), governador de Rondônia

O governador ainda não se manifestou.

Antonio Denarium (PSL), governador de Roraima

O governador não quis se manifestar.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Certíssimo, quero Bozonaro cair.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Quero ver quando começar os distúrbios sociais com saques e assaltos. Quero ver quando começar a faltar alimentos e produtos de primeira necessidade o que esse governadores vão dizer a população.



25/03


2020

Em carta, governadores do NE mantêm ações preventivas

Os governadores dos nove estados do Nordeste divulgaram, na tarde de hoje, uma carta em que afirmam que vão manter as medidas preventivas já tomadas com relação ao novo coronavírus, mesmo após o presidente Jair Bolsonaro pedir o fim do isolamento social.

No documento, o Consórcio Nordeste, que é liderado pelo governador da Bahia, Rui Costa (PT), pontua que as determinações continuarão válidas de acordo com os registros dos órgãos oficiais de saúde de cada estado. Confira o documento na íntegra:

CARTA DOS GOVERNADORES DO NORDESTE

25 de março de 2020

Em conferência realizada na tarde desta quarta-feira, 25 de março de 2020, nós governadores do Nordeste pactuamos:

1 – O momento vivido pelo Brasil é gravíssimo. O Coronavírus é um adversário a ser vencido com muito trabalho, bom senso e equilibro;

2 – Vamos continuar adotando medidas baseadas no que afirma a ciência seguindo orientação de profissionais de saúde, capacitados para lidar com a realidade atual;

3 – Vamos manter as medidas preventivas gradualmente revistas de acordo com os registros informados pelos órgãos oficiais de saúde de cada região;

4 – É um momento de guerra contra uma doença altamente contagiosa e com milhares de vítimas fatais. A decisão prioritária e a de cuidar da vida das pessoas, não esquecendo da responsabilidade de administrar a economia dos estados. É um momento de união, de se esquecer diferenças políticas e partidárias. Acirramentos só farão prejudicar a gestão da crise;

5 – Entendemos que cabe ao Governo Federal ação urgente voltada aos trabalhadores informais e autônomos. Agressões e brigas não salvarão o País. O Brasil precisa de responsabilidade e serenidade para encontrar soluções equilibradas;

6 – Ao mesmo tempo, solicitamos a necessidade urgente de uma coordenação e cooperação nacional para proteger empregos e a sobrevivência dos mais pobres;

7 – Ficamos frustrados com o posicionamento agressivo da Presidência da República, que deveria exercer o seu papel de liderança e coalizão em nome do Brasil.

Assinam esta carta:

Rui Costa – governador da Bahia

Renan Filho – governador de Alagoas

Camilo Santana – governador do Ceará

Flávio Dino – governador do Maranhão

João Azevedo – governador da Paraíba

Paulo Câmara – governador de Pernambuco

Wellington Dias – governador do Piauí

Fátima Bezerra – governadora do Rio Grande do Norte

Belivaldo Chagas – governador de Sergipe


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

25/03


2020

Álvaro Dias diz que Bolsonaro foi irresponsável


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/03


2020

Governadores se reúnem para discutir crise

Os 27 governadores do Brasil estão reunidos, neste momento, para discutir a pandemia de coronavírus e a crise política desencadeada por pronunciamentos do presidente Jair Bolsonaro, que tem criticado as ações adotadas pelos estados nos últimos dias.

A reunião está sendo feita por videoconferência e foi convocada pelo governador Paulo Câmara (PSB), em razão da “gravidade da situação do país” e do “comportamento do presidente da República”.

É a primeira reunião conjunta de todos os governadores desde o início da crise causada pelo avanço do novo coronavírus.

Após o pronunciamento da noite de ontem, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, na saída do Palácio da Alvorada, que “alguns poucos governadores, em especial os do Rio [Wilson Witzel] e São Paulo [João Doria]” e autoridades municipais estão tomando medidas “além da normalidade”. “São verdadeiros donos de seus estados e municípios, proibindo o tráfego de pessoas, tráfego de rodovias, fechando empresas e comércios”, acrescentou.

Bolsonaro também afirmou que pedirá ao Ministério da Saúde que mude a recomendação de isolamento social para manter em quarentena apenas idosos e pessoas com doenças prévias. Na avaliação de Bolsonaro, “é preciso botar povo para trabalhar e preservar idosos”, pois, caso contrário, pode haver “caos” e o “colapso financeiro”, o que, segundo o presidente, pode fazer com que o Brasil saia “da normalidade democrática”.

Pouco depois, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), fez um duro pronunciamento, com críticas às declarações de Bolsonaro. Caiado afirmou que Bolsonaro foi “irresponsável” e criticou duramente os termos “gripezinha” e “resfriadinho”, usados pelo presidente para classificar os sintomas do coronavírus. A doença já matou 46 pessoas no Brasil e mais de 19.000 em todo o mundo.

“Tanto na política como na vida, a ignorância não é uma virtude”, disse Caiado, em entrevista coletiva no Palácio das Esmeraldas. A frase usada pelo governador faz referência a uma fala de 2016 do ex-presidente americano Barack Obama contra o populismo manifestado pelo então candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump.

“Não posso admitir e nem concordar com um presidente que vem a público sem ter consideração com seus aliados, sem ter respeito. Fui aliado de primeira hora durante todo o tempo, mas não posso admitir que venha agora, um presidente da República, lavar as mãos e responsabilizar outras pessoas pelo colapso econômico e pela falência de empregos que amanhã venham a acontecer. Não faz parte da postura de um governante. Um estadista tem que ter a coragem de assumir as dificuldades. Se existem falhas na economia, não tente responsabilizar outras pessoas. Assuma sua parcela”, disse Caiado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Alberto Costa Santos

Esse governo nasceu sob o signo do mal!

Fernandes

Bozonaro, criminoso genocida.


O Jornal do Poder

25/03


2020

Deputado propõe a Paulo Câmara proibir corte de água

O deputado federal Fernando Rodolfo (PL-PE) enviou, hoje, um ofício ao governador Paulo Câmara, de quem é adversário político, propondo que proíba a Compesa de cortar o abastecimento d´água por atraso no pagamento enquanto durar a pandemia do novo coronavírus. 

“Independente das posições políticas, de nossas divergências, urge determinar à Compesa a suspensão de cortes no abastecimento ao consumidor durante a pandemia. A população pernambucana certamente espera esta atitude de Vossa Excelência”, diz Rodolfo no ofício 021/2020.

O deputado do PL lembra, no ofício, que a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) acaba de determinar a proibição no fornecimento de luz, uma decisão de abrangência nacional, enquanto nos estados São Paulo fez o mesmo com a Sabesp, estatal estadual do abastecimento de água. Lembra, também, que em Pernambuco já há decisão judicial suspendendo cortes no fornecimento de energia elétrica.

“Falta, portanto, senhor governador, acionar a Compesa na mesma direção, como agiu muito bem o governador João Dória. Se o governo federal abriu mão de receitas pela mitigação das adversidades econômicas e sociais do novo coronavírus, se o Executivo paulista fez o mesmo com sua estatal de abastecimento d´água, por que não incluir a Compesa no mutirão para atenuar a perversidade dessa crise?”, indaga Rodolfo.

Segundo ele, não se pode permitir que, atingido pelo desemprego repentino ou perda de clientela tratando-se de micro e pequenos empreendedores, formais ou informais, o cidadão tenha de escolher “entre a cruz e a espada” - ou seja, pagar a conta de luz e de água ao invés de prover sua subsistência e da família e adquirir equipamentos de proteção individual e material de higiene ou mesmo, se contaminado, comprar medicamentos.

“A última preocupação do cidadão, numa situação gravíssima como a que se aproxima, deve ser o pagamento das contas de água e luz”, assinala Fernando Rodolfo no ofício a Paulo Câmara.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

25/03


2020

Hospital de Vertentes: decisão a favor do município

No embate travado recentemente com uma médica e diretora do hospital  Memorial Jaime Justiniano de Santana, de uma entidade privada, o prefeito de Vertentes, Romero Leal (PSDB), saiu ganhando: o desembargador do Tribunal Evio Marques da Silva, do TJ de Pernambuco, decidiu em favor da Prefeitura no processo de desapropriação da unidade hospitalar, até então gerida pela Associação de Proteção e Assistência à Maternidade e à Infância de Vertentes (APAMI). 

Segundo o blog do radialista Alberes Xavier, a decisão, embasada no decreto-lei 3.365/41, atesta que a desapropriação de bens particulares constitui uma das modalidades de intervenção do Estado na propriedade privada em nome do interesse público.

Ao considerar que o funcionamento do hospital trará qualidade de vida à população, o desembargador decidiu que o interesse particular, no caso, deve sucumbir ao interesse público. Pesou também na decisão os efeitos da expansão do vírus Covid-19.

 "Saliente-se que a expropriação requestada tem como fim a construção de um hospital municipal. Assim, o risco de dano de difícil/impossível reparação é clarividente, não só pela natureza do serviço de saúde a ser prestado, mas, especialmente, pela atual situação vivenciada por toda a população mundial em decorrência da pandemia do COVID-19 e que levou o Brasil a declarar “estado de emergência”", reforça o desembargador.

O Hospital, que há cerca de 60 anos mantinha convênio com a Prefeitura, vinha enfrentando entraves em relação ao seu funcionamento. O prefeito exigia da APAMI certidões de regularização de débitos trabalhistas existentes e também de passivos com a Fazenda Nacional para fazer os repasses das verbas do SUS. 

Com a decisão, o Hospital Memorial Jaime Justiniano passa a ser gerido pela Prefeitura Municipal de Vertentes. De acordo com a assessoria jurídica da Prefeitura, a discussão processual agora deverá girar sobre o valor da indenização a ser pago a parte contrária do processo, no caso a APAMI.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

25/03


2020

Pernambuco registra a primeira morte por coronavírus

A Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE) confirmou, hoje, a primeira morte pelo novo coronavírus no Estado. A vítima é um idoso de 85 anos, que estava internado no Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC) – referência para Covid-19 na rede estadual. O paciente, morador do Recife, tinha histórico de diabetes, hipertensão, além de cardiopatia isquêmica. Ele apresentou os primeiros sintomas no dia 18/03 e foi internado no HUOC na última sexta (20/03).

O homem foi atendido na última quinta-feira (19/03) em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), com um quadro de febre, tosse seca, dispneia (dificuldade de respirar) e dor torácica. O paciente recebeu a devida assistência na UPA, onde foi entubado e, em seguida, transferido para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do HUOC. No Hospital Universitário, foi iniciado tratamento medicamentoso, com antibiótico e com o antiviral oseltamivir (tamiflu), indicado para tratar influenza em pessoas com quadro de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

É isso. Idoso com histórico de diabetes, hipertensão, além de cardiopatia isquêmica. Até o momento nem um jovem sadio. Se um só morrer vai ser aquele estardalhaço.


Shopping Aragão

25/03


2020

Abin fala em 5,5 mil mortes em 15 dias no Brasil

Apesar das declarações em que tenta minimizar a gravidade da epidemia do novo coronavírus, Jair Bolsonaro recebe relatórios da Abin, a agência de inteligência do governo federal, que deixam claro o impacto da doença no Brasil. O mais recente deles projeta que 5.571 brasileiros deverão morrer por covid-19 até 6 de abril – ou seja, em duas semanas.

O Intercept teve acesso aos informes da Abin – classificados como sigilosos e enviados também a agentes de governos estaduais. Os relatórios deixam ainda mais evidente o desprezo do presidente da República pela população: mesmo informado sobre quantas pessoas podem morrer, Bolsonaro segue fazendo pouco caso da emergência. Nesta terça à noite, ele desdenhou da ciência e da imprensa antes de pedir o fim de medidas de confinamento.

Os informes da agência são claros ao enfatizar a necessidade de medidas de contenção como a quarentena – medidas essas que são ignoradas ou até criticadas por Bolsonaro, por empresários aliados e assessores do presidente. “Coréia do Sul, Irã e China conseguiram mudar a direção da reta, provavelmente depois da adoção de medidas de contenção”, avalia a Abin no documento mais recente, finalizado às 22h10 desta segunda, 23. A agência é comandada pelo ministro Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional – uma das vítimas do coronavírus após a viagem do presidente aos EUA, há alguns dias.

No Brasil, prefeitos e governadores tomaram as rédeas da crise. Muitos instituíram quarentena à revelia do que pensa o governo federal.

A China conseguiu diminuição na taxa de crescimento cerca de 10-15 dias depois da adoção de medidas de contenção, inclusive com lockout (fechamento da entrada e saída de pessoas) em municípios e cidades. A partir desse período o número de casos novos parou de crescer na mesma taxa e o número de casos ativos começou a reduzir em função da melhora dos pacientes mais antigos”, relatam os agentes.

O documento também deixa claro que “a taxa de letalidade no Brasil ainda é baixa quando comparada a outros países e aos dados da Organização Mundial da Saúde – OMS”, mas que “é importante considerar que o país se encontra no início da epidemia”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/03


2020

Mendonça: É inconstitucional a antecipação do IPTU

O ex-ministro Mendonça Filho questionou o projeto enviado pela Prefeitura do Recife e aprovado pela Câmara dos Vereadores para antecipar para este ano o pagamento do IPTU de 2021, visando aumentar a arrecadação municipal. “É absurdo, numa crise econômica devastadora gerada pelo corona vírus, querer que o recifense pague o IPTU dobrado, de 2020 e 2021, para aumentar a receita municipal. A prefeitura tem que cortar despesas, reduzir custos  e adotar políticas públicas para socorrer quem está sem renda, perdendo emprego como autônomos, profissionais que vendem produtos na praia, nas feiras e o comércio de bairro”, defendeu Mendonça, ressaltando que o projeto é inconstitucional e desrespeitoso com o recifense que já está sufocado para pagar o IPTU deste ano.

Mendonça afirmou que, diante da crise econômica, a Prefeitura deveria prorrogar em 180 dias o prazo para o pagamento do IPTU e de outros impostos municipais deste ano.  “No segundo semestre, quando a economia voltar a funcionar normalmente, as pessoas vão poder pagar o IPTU 2020 de forma parcelada”, disse. O ex-ministro questiona a legalidade do projeto, dizendo que a proposta é inconstitucional e fere a Lei de Responsabilidade Fiscal, que veda operação de antecipação de receita no último ano de mandato de prefeitos.

Segundo Mendonça, é inegável que a crise econômica afeta os cofres públicos municipais e estaduais. Para ele, isso exige maior eficiência na gestão dos recursos adotando medidas como corte de gastos, de despesas desnecessárias e um ajuste em toda a máquina pública. “Não tem como transferir essa conta para o cidadão. Sem emprego e sem renda muita gente já começa a ter dificuldade de fazer feira. Quanto mais para pagar impostos”, afirmou.  No projeto, o prefeito Geraldo Júlio institui o Programa Emergencial de Antecipação do Pagamento do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) e da Taxa de Coleta, Remoção e Destinação de Resíduos Sólidos Domiciliares (Taxa de Lixo) para 2021, tendo com a justificativa a queda na arrecadação por causa do coronavirus.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Elias Bispo

Quase sem palavras, ridículo! A população não tem grana para pagar duas anualidades de IPTU, pois o impacto da pandemia tende a nos levará a uma depressão econômica.

Fernandes

Esse Mendonça Filho, sujeito chato fazendo média com a população bonzinho, mas nem tanto, vai levar lapada pra prefeito de Recife de novo!

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

kkkk. É só não pagar. Esse prefeito comunista caviar quer usar o dinheiro do próximo prefeito. É típico desses políticos hipócritas. Continue com o comércio e os serviços fechados e não vai ter dinheiro nem para pagar a folha dos funcionários.



25/03


2020

Comandante do Exército contraria Bolsonaro


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bozonaro é genocida.



25/03


2020

Sebá sai em defesa do servidor público

Se depender de Sebastião Oliveira não vai vingar o projeto do deputado federal paulista Carlos Sampaio que pretende mexer nos salários dos servidores públicos. De acordo com o pernambucano, a ideia é populista, oportunista e inconstitucional. “Quer jogar para a plateia”, explicou Sebá.

“Trata-se de uma injustiça que não vou compactuar. É preciso  acabar com a mania de achar que o servidor é o grande vilão de tudo. Concordo em reduzir os ganhos dos deputados, mas jamais nos vencimentos dos trabalhadores”, reforçou Oliveira.

Para Sebastião, a pauta não deveria nem entrar em discussão, já que o Brasil dispõe de 352 bilhões de dólares em reservas internacionais e, portanto, tal medida seria desnecessária.

“O salário é sagrado e o servidor público é quem mais paga imposto no País, pois já vem retido na fonte. É só aparecer uma crise que querem jogar a culpa nele”, frisou Sebastião Oliveira, que não acredita na constitucionalidade do projeto. “Todos sabem que não se pode legislar sobre o Executivo e o Judiciário”, concluiu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bozonaro criminoso genocida.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

kkkk. Os empregados da iniciativa privada é que tem de pagar o pato. Mais um político hipócrita que devemos banir da vida pública.



25/03


2020

Mais uma razão para brindar à vida

As chuvas no Sertão produzem milagres. Em meio à tanta notícia de fim do mundo, consequência do alastramento do coronavírus, refrigera minha alma, meu espírito e me dá paz receber essa imagem da Cachoeira do Pinga, uma das oito maravilhas de cachoeiras que integram o complexo turístico ecológico de Triunfo.

Para mim e o restante da humanidade sertaneja que um dia botou os pés por lá, Triunfo é a mais bela cidade sertaneja, encravada numa serra com altitude de 1,3 mil metros acima do nível do mar.

A bela imagem chegou ao meu celular enviada pelo médico Flávio Pereira, apaixonado pela sua terra como eu. Oásis na caatinga do Pajeú, Triunfo fica a 423 km do Recife e ali caiu do céu oito cachoeiras. Uma delas, esta do Pinga, é considerada uma das mais altas do Nordeste e mede aproximadamente 80 metros de altura. 

Está localizada a 6 km do centro da cidade e disputa o título de primeira maravilha do município com o Pico do Papagaio, outro ponto turístico. O acesso até o local é por uma estrada empedrada. Logo, recomenda-se dirigir devagar, principalmente se o carro for pequeno, mas se preferir o visitante pode optar pela visita guiada. 

A Cachoeira do Pinga é uma grota, pois trata-se de um conjunto de três quedas. A primeira mede dois metros de altura, a segunda oito e a terceira 68. Segundo o pesquisador Laydson Santos, da Triunfo Turismo, o batismo Pinga se deu devido ao fluxo de água que altera bastante no período de estiagem. 

“Tem épocas do ano em que é possível ver apenas uns pingos descendo da grota, por este motivo ela foi batizada assim”, explica. Além do som relaxante e do banho revigorante, é possível apreciar uma “senhora” visão panorâmica das serras triunfenses.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/03


2020

FHC: “Pronunciamento de Bolsonaro passou dos limites”

O Globo

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) afirmou, ontem, em sua conta no Twitter, que o presidente Jair Bolsonaro "repetiu opiniões desastradas sobre a pandemia" do novo coronavírus durante pronunciamento transmitido em cadeia nacional de rádio e TV. FH disse ainda que Bolsonaro "passou dos limites" ao discursar em oposição às recomendações de médicos infectologistas. Para o tucano, se o presidente "não calar" estará "preparando o fim".

"Eu não ia voltar ao tema, mas o Pr repetiu opiniões desastradas sobre a pandemia. O momento é grave, não cabe politizar, mas opor-se aos infectologistas passa dos limites. Se não calar estará preparando o fim. E é melhor o dele que de todo o povo. Melhor é que se emende e cale", escreveu FH.

No pronunciamento criticado por FH, Bolsonaro defendeu o fim das medidas de isolamento social tomadas por prefeitos e governadores para conter o avaço do novo coronavírus, que já deixou 46 mortos no país. Em seu terceiro discurso em menos de 20 dias para tratar da pandemia, o presidente pediu a reabertura do comércio e das escolas e o fim do "confinamento em massa".

Além do antecessor tucano de Bolsonaro, também o criticaram os presidentes da Câmara e do Senado, bem como líderes partidários e parlamentares das duas casas.

O deputado Rodrigo Maia, também utilizando o Twitter, afirmou que pede sensatez desde o início do crime e que "o pronunciamento do presidente foi equivocado ao atacar a imprensa, os governadores e especialistas em saúde pública".

O senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) emitiu uma nota na qual classificou como "grave" a fala presidencial e disse que o Brasil precisa de uma liderança "séria, responsável e comprometida com a vida e a saúde da população".

Também houve críticas de governadores – como Wilson Witzel (PSC-RJ), Renato Casagrande (PSB-ES) e Flávio Dino (PCdoB) – e até do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. O magistrado disse que "as agruras da crise, por mais árduas que sejam, não sustentam o luxo da insensatez".

Os filhos de Bolsonaro e seus aliados políticos saíram em defesa dele. Também por meio do Twitter, o senador Flávio Bolsonaro (Sem partido-RJ) e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) fizeram coro ao pai pedindo a retomada da rotina dos brasileiros.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/03


2020

Mandetta avisa a interlocutores que fica no cargo

Questionado por todos os lados se continuará no governo depois do desastroso pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro em cadeia de rádio e tevê, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse a interlocutores que continuará no cargo. Só sairá se for demitido.

Mandetta não esconde, porém, seu descontentamento com toda a polêmica criada pelo presidente, pois dificulta o trabalho do ministério no momento mais crucial para o combate ao novo coronavírus. A partir de agora, os casos  de contaminação vão aumentar muito.

A ala mais radical do Palácio do Planalto, liderada pelo filho 02 do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro, está disseminando entre apoiadores que o sucessor de Mandetta já está escolhido: será Antonio Barra Torres, atual presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Tem que obedecer as autoridades sanitárias.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Quer ficar em casa? Você quer quarentena, ficar em casa? Mas exige um frentista e posto de combustível aberto! Você quer ficar em casa? Mas exige o mercado aberto com atendentes, senão você surta! Quer ficar em casa? Mas quer que o porteiro do seu prédio e o zelador estejam trabalhando! Quer ficar em casa? Mas precisa de dinheiro e quer que o bancário esteja no banco pra resolver seu problema! Quer ficar em casa? Mas tem motoristas e cobradores de ônibus trabalhando pra transportar quem precisa de transporte! Quer ficar em casa? Mas o farmacêutico e balconista tem que estar lá pra te servir né! Quer comprar pão? A padaria tem que tá aberta né? Quer ficar em casa? Claro, mas Deus o livre se o caminhoneiro parar né! Em casa sim, mas a coleta de lixo tem que estar em dia pelos garis! Quer ficar em casa? A vida dos outros vale menos que a sua? Por quê eles são obrigados a trabalhar para seu conforto mesmo num momento desse, e vc não? Isolamento social sim, mas pra grupos de riscos, claro! Precauções conscientes sim de todos!!! Não reclame depois que a economia estiver afundada e você ser demitido para reduzir gastos da empresa. Foi vc quem optou por isso, fez baderna, bateu panela e foi a favor de tudo isso! E não culpe os outros pois avisado foi!!!



25/03


2020

Príncipe Charles contrai novo coronavírus

A família real do Reino Unido anunciou, hoje, que o príncipe Charles, primeiro na linha de sucessão do trono britânico, contraiu o novo coronavírus.

Segundo o porta-voz da realeza, o príncipe de Gales, que tem 71 anos, apresenta sintomas “suaves” e “permanece em boa saúde”.

Sua esposa, a duquesa da Cornualha, Camilla, foi examinada, mas testou negativo para o novo coronavírus.

O casal está isolado no Castelo de Balmoral, na Escócia, e, segundo o porta-voz, “não é possível certificar de quem o príncipe pegou o vírus”. Até o momento, o Reino Unido é o 10º país mais atingido pela pandemia em termos absolutos, com 8,2 mil contágios e mais de 400 mortos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/03


2020

Veja essa produção em vídeo das chuvas em Sertânia


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/03


2020

Arcoverde também teve forte chuva


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/03


2020

Carnaíba também debaixo de água

As chuvas no Pajeú chegaram com intensidade em vários municípios. Veja os estragos em Carnaiba, terra de Zé Dantas, na foto e no vídeo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/03


2020

Os destaques do podcast de Ivan Mauricio

O jornalista político Ivan Maurício está inovando com a divulgação do seu Podcast, através do WhatsApp. Todos os dias, pontualmente às 6 da matina, logo cedo, ele traz informações e comentários com boa dose de pimenta.

Para se cadastrar e receber o Podcast do jornalista Ivan Maurício, é só entrar em contato com o mesmo pelo seu WhatsApp: 9.8606-7127

DESTAQUES

- Bolsonaro pede na TV 'volta à normalidade' e fim do 'confinamento em massa' e diz que meios de comunicação espalharam 'pavor'.

- Cidades brasileiras registram panelaços contra Bolsonaro pelo oitavo dia seguido.

- Presidente Donald Trump, dos Estados Unidos, quer que o país volte a abrir fronteiras e a funcionar normalmente em no máximo duas semanas.

- Pernambuco tem mais dois pacientes curados e não registra novas confirmações de casos de coronavírus.

- Tribunal Regional do Trabalho (TRT) em Pernambuco determina que só podem andar de metrô pessoas que atuam em serviços essenciais.

- Depois da Celpe, Defensoria Pública pede ao Tribunal de Justiça de Pernambuco para suspender corte de água pela Compesa, por conta do coronavírus.

- São João de Campina Grande adiado para outubro. São João do Vale em Petrolina cancelado. Caruaru ainda não definiu o que fará com o São João.

- China reabre trecho de Grande Muralha e Hubei inicia liberação de viagens e fim de quarentena


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/03


2020

Um atentado à vida

Se o presidente Bolsonaro queria o pior para o País, copiando o péssimo exemplo americano, de tentar salvar a economia em detrimento da vida, fez um gol de placa ontem com sua verborragia à Nação.

Seu pronunciamento é um genocídio. Tresloucado, passou a borracha no politicamente certo do ministro da Saúde. Mandetta mostra preparo, lucidez e conhecimento de causa. Ganhou a confiança do povo brasileiro. Sabe, diferente do chefe diabólico, que o coronavírus pode arruinar o mundo, dizimar a minha, a sua, a vida de milhares brasileiros com fé na vida e vontade de viver.

Eu só posso concluir pela imagem de um presidente com cara de demônio na TV que ele, na verdade, está possuído do mal, como dizia minha avó.

Eu quero viver, presidente! Quero vida para minha família, quero um governo que me dê segurança em medidas contra a doença do fim do mundo. Não quero um demônio atanazando o meu juízo, roubando a minha paz.

Vá ao divã!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bozonaro é um genocida. FDP

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Quer ficar em casa? Você quer quarentena, ficar em casa? Mas exige um frentista e posto de combustível aberto! Você quer ficar em casa? Mas exige o mercado aberto com atendentes, senão você surta! Quer ficar em casa? Mas quer que o porteiro do seu prédio e o zelador estejam trabalhando! Quer ficar em casa? Mas precisa de dinheiro e quer que o bancário esteja no banco pra resolver seu problema! Quer ficar em casa? Mas tem motoristas e cobradores de ônibus trabalhando pra transportar quem precisa de transporte! Quer ficar em casa? Mas o farmacêutico e balconista tem que estar lá pra te servir né! Quer comprar pão? A padaria tem que tá aberta né? Quer ficar em casa? Claro, mas Deus o livre se o caminhoneiro parar né! Em casa sim, mas a coleta de lixo tem que estar em dia pelos garis! Quer ficar em casa? A vida dos outros vale menos que a sua? Por quê eles são obrigados a trabalhar para seu conforto mesmo num momento desse, e vc não? Isolamento social sim, mas pra grupos de riscos, claro! Precauções conscientes sim de todos!!! Não reclame depois que a economia estiver afundada e você ser demitido para reduzir gastos da empresa. Foi vc quem optou por isso, fez baderna, bateu panela e foi a favor de tudo isso! E não culpe os outros pois avisado foi!!!

Fernandes

Bozonaro . Inépcia total para governar!

Alberto Costa Santos

Quem deveria tomar o protagonismo diante da ameaça da pandemia com a aproximação do carnaval era governo federal, que se limitou a informar, no final de janeiro, que não tomaria medidas drásticas, como por exemplo a barragem de chineses no país, durante a festa, que ocorreu no final de fevereiro. O que Magno Martins tem com isso! Que agnosia tremenda.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Pois é Magno. Não vi você questionar o Carnaval onde estatisticamente é o maior transmissor de vírus e bactéria, além de outras doenças. É fácil falar para quem não perdeu o emprego e vive confortavelmente na poltrona da sua casa. Aqueles milhões que perderam o emprego vão viver de que? Volto a dizer que o H1N1 matou e continua matando e não vi ninguém que hoje vive a alardear, ser contra. É uma pena que os que fazem a imprensa ou tem viés político ou não entende nada de matemática. Caso continuemos com o fechamento do comércio como um todo, teremos muito mais mortes que esse famigerado vírus. A maior briga não é o bem contra o mal, é entre a ignorância e o conhecimento.



25/03


2020

São José do Egito protesta contra Compesa

Apesar das fortes chuvas que caem na região do Pajeú – e ontem voltou a chover torrencialmente – em São José do Egito a população continua sem água nas torneiras. A culpa? Da Compesa, que mantém um sistema de distribuição de água defasado.

"Ninguém consegue entender: açudes cheios e muita chuva e a Compesa não toma providências, não está nem aí", atesta o advogado e comunicador Cláudio Soares.

Segundo ele, entre os locais mais afetados estão Bairro Novo, Ipiranga, Planalto e Centro. Soares propõe que a população nesses tempos de coronavírus, sem poder sair às ruas, que faça um panelaço de protesto contra o descaso da Compesa com a cidade, conhecida como o reino encantado da poesia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/03


2020

Açude estoura e interdita acesso em Afogados

Com as chuvas fortes que caem nos últimos dias em Afogados da Ingazeira, no Sertão do Pajeú, a 386 km do Recife, o principal acesso à cidade, vindo do Recife, foi bloqueado nas proximidades  do bairro Pitombeira devido ao risco de desabamento de uma ponte.

A Defesa Civil constatou que o problema se deu pela correnteza da água liberada com o estouro do açude Cachoeira da Onça, zona rural do município. Ontem, voltou a chover torrencialmente em Afogados da Ingazeira e boa parte dos municípios da região.

Afogados amanheceu inundada, com vários bairros ilhados. Há informações, confirmadas pelo prefeito José Patriota, de que a barragem de Brotas está tendo seu sangramento monitorado. O açude transborda há uma semana levando o Rio Pajeú a um cenário de enchente que há muito não se via.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/03


2020

EUA aprovam pacote de US$ 2 tri em ajuda a empresas e trabalhadores

O Globo - Paola De Orte

O Congresso dos Estados Unidos e a Casa Branca entraram em acordo sobre o pacote de estímulo à economia americana que incluirá ajuda a trabalhadores em dificuldade e a pequenos negócios, além do apoio a grandes corporações como companhias de aviação e de cruzeiros. O pacote, de cerca de U$ 2 trilhões, tem como objetivo amortecer os impactos econômicos negativos da pandemia do coronavírus.

Doença ocupacional?Empregado terá de provar que contraiu coronavírus no local de trabalho

O pacote tem uma abordagem diferente  da adotada durante a crise de 2008. À época, o governo foi acusado de ser pouco transparente em seus esforços para ajudar grandes corporações, deixando os mais vulneráveis desassistidos.

– Este pacote será o maior programa de assistência a pequenas e médias empresas [main street, em inglês] na história dos Estados Unidos. – disse o Diretor do Conselho Econômico Nacional americano, Larry Kudlow.

Houve disputa entre Democratas e Republicanos, mas os dois partidos concordavam em um instrumento para que a ajuda chegue direto aos trabalhadores: fazer pagamentos diretos de mais de US$ 1 mil para milhões de americanos. O pagamento seria feito de uma única vez, e casais receberiam por pessoa, com um adicional de US$ 500 por criança.

Venceu a proposta dos Republicanos de U$ 1.200 por pessoa, chegando a U$ 3.000 por família de quatro, enquanto a dos Democratas queriam um valor maior de U$ 1.500 por pessoa, chegando a U$ 7.000 por família de cinco.

Saiba mais:O que é o Plano Marshall e como ele recuperou a Europa após a Segunda Guerra Mundial

O pacote prevê ainda US$ 367 bilhões para as pequenas empresas manterem o pagamento da folha enquanto os funcionários estiverem afastados. Também foi acordada uma linha de crédito de US$ 500 bilhões para as grandes indústrias, incluindo o setor aéreo. Os hospitais terão uma ajuda significativa.

Segundo os democratas, o pacote cobrirá quatro meses de salário, em lugar dos três originalmente previstos. Os trabalhadores receberão o seguro-desemprego normalmente pago pelos estados mais US$ 600 por semana; quem presta serviços para aplicativos como Uber terá direito a esse valor. As empresas poderão postergar o pagamento do imposto sobre a folha, de 6,2%. A fim de garantir a transparência, deve ser criado o cargo de inspetor-geral, além de um órgão fiscalizador, para supervisionar as transferências às empresas. Medida semelhante fora adotada na crise de 2008.

Gasto público é solução:Em carta a Guedes, OCDE classifica coronavírus como ‘ameaça sem precedentes’ para a economia

O presidente americano, Donald Trump, disse que o acordo incluirá apoio a companhias aéreas e de cruzeiros. Além do pacote de U$ 2 trilhões, o Diretor do Conselho Econômico Nacional, Larry Kudlow, citou, durante a coletiva ao lado de Trump, os estímulos via Fed, o Banco Central americano, outros U$ 4 trilhões, somando U$ 6 trilhões.
]
#tamojunto: Empresário lança aplicativo para achar produtos na crise

– Estamos começando um período difícil, mas achamos que vai ser apenas algumas semanas ou meses, não anos – disse Kudlow.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/03


2020

Maia: Pronunciamento de Bolsonaro foi equivocado

Por Estadão Conteúdo

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), considerou “equivocado” o pronunciamento em cadeia nacional de TV feito ontem, pelo presidente da República, Jair Bolsonaro. Maia criticou o fato de Bolsonaro usar a estrutura da transmissão para atacar a imprensa, governadores de Estado e especialistas em saúde pública.

“Desde o início desta crise venho pedindo sensatez, equilíbrio e união. O pronunciamento do presidente foi equivocado ao atacar a imprensa, os governadores e especialistas em saúde pública”, escreveu o presidente da Câmara em uma rede social.

Maia reafirmou o compromisso de que o Congresso Nacional vote ações para conter a pandemia e auxiliar empresários e trabalhadores na crise econômica. “Precisamos de paz para vencer este desafio”, pediu o deputado.

Ele também disse que, em respeito a idosos e pessoas em grupo de risco, os brasileiros devem seguir determinações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Rodrigo Maia tá certo, Bozonaro Miliciano Inépcia total para governar! É mentiroso e mau caráter mesmo!

jevesson

Gente não dê ouvido a Nhonho não ele junto com o presidente do senado ambos do partido do DEM, são do contra o povo brasileiro, são corruptos e ladrões ok.



25/03


2020

Embaixada dos EUA pede retorno de americanos que estão no Brasil

Por G1

Embaixada dos Estados Unidos no Brasil postou, no final da noite de ontem, um aviso para que todos os norte-americanos que estão ou vivem no território brasileiro voltem ao EUA o mais rápido possível.

Os EUA já haviam solicitado aos seus cidadãos no exterior que voltassem ao país por causa da pandemia por coronavírus. Nesta terça, a embaixada dos EUA no Brasil mostrou as opções de voos disponível do Brasil para os EUA.

Cerca de duas horas antes de a embaixada dos EUA no Brasil listar as opções de saída via aérea do território brasileiro, o presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento pela TV. Contrariando tudo o que especialistas e autoridades sanitárias do país e do mundo inteiro vêm pregando como forma de evitar que o novo coronavírus se espalhe, Bolsonaro criticou em rede nacional de televisão, o pedido para que todas aqueles que possam fiquem em casa.

Bolsonaro culpou os meios de comunicação por espalharem, segundo ele, uma sensação de "pavor". E disse que, se contrair o vírus, não pegará mais do que uma "gripezinha".

O Ministério da Saúde informou que não vai se posicionar sobre o pronunciamento do presidente.

O texto, postado no Twitter, com link replicado para o site da Embaixada e Consulados dos EUA no Brasil, tem o seguinte título:

Mensagem aos Cidadãos Americanos: Opções de Voos Comerciais Partindo do Brasil :

De acordo com o Aviso de Saúde Global de Nível Quatro do Departamento de Estado, os cidadãos dos EUA que vivem nos Estados Unidos devem providenciar retorno imediato para os Estados Unidos, a menos que estejam preparados para permanecer no exterior por um período indeterminado.

A Embaixada dos EUA em Brasília gostaria de informar aos cidadãos dos EUA no Brasil que opções de voos comerciais permanecem disponíveis com saída do Brasil para os Estados Unidos, porém esperamos que esse número diminua. Os cidadãos dos EUA que desejam retornar aos Estados Unidos devem fazê-lo o mais rápido possível pois a situação de viagem está mudando muito rapidamente e a disponibilidade de voos está sujeita a alterações. Os horários de voos domésticos no Brasil também estão sendo reduzidos significativamente, e os cidadãos dos EUA que atualmente estão fora dos portões internacionais identificados abaixo também devem monitorar sua capacidade de obter um voo de conexão, consultando o site do aeroporto mais próximo.

Na sequência, o aviso lista os voos comerciais disponíveis para os EUA que a Embaixada tem conhecimento na terça-feira (24).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/03


2020

Secretário dos EUA diz que China ainda retém informações

Por Reuters

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, voltou a criticar a China na terça-feira pela condução da epidemia de coronavírus, afirmando que o Partido Comunista Chinês continua negando ao mundo informações necessárias para que novos casos sejam evitados.

Em uma entrevista ao programa de rádio Washington Watch, Pompeo repetiu acusações anteriores, de que a demora de Pequim para divulgar informações sobre o vírus criou riscos às pessoas em todo o mundo, e disse que isso "realmente colocou milhares de vidas em risco".

"Minha preocupação é que esse acobertamento, essa desinformação em que o Partido Comunista Chinês está engajado, continue negando ao mundo a informação necessária para que possamos evitar novos casos ou que algo parecido volte a ocorrer", acrescentou Pompeo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha