O Jornal do Poder

01/10


2006

Apuração já acabou em 14 países

Em razão da diferença de fuso-horário, a apuração dos votos para presidente da República já terminou em 19 cidades de 14 países onde foram instaladas urnas que permitiram a participação de brasileiros residentes no exterior nestas eleições. De acordo com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), os dados foram apurados até as 14h (horário de Brasília).

A eleição já foi encerrada em Nagóia e Tóquio, no Japão; Berlim e Munique, na Alemanha; em Camberra e Sydnei, na Austrália; em Barcelona e Madri, na Espanha, e em Genebra e Zurique, Suíça. O pleito também já terminou em Viena, Bruxelas, Copenhague, Paris, Tel Aviv, Beirute, Maputo, Roterdã (Holanda) e Estocolmo.

Em 93 países, 86.360 eleitores brasileiros residentes cadastraram-se para poder votar nas eleições presidenciais.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Potencial Pesquisa & Informação

Confira os últimos posts



21/09


2020

Estradas esburacadas continuam matando

O leitor Gel Caldas enviou, há pouco, ao blog, imagens de um acidente que aconteceu, na manha de hoje, na BR-130 que liga vertentes a Taquaritinga do norte. Por causa da situação da estrada, a quantidade de buracos e a vegetação alta, um carro capotou na rodovia. Confira!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

21/09


2020

Abertura das escolas

Por Maurício Rands*

“Professora, prometo não reclamar nunca mais por ter de vir pra escola” (Hugo, 11 anos, filho de Guilherme Alves, procurador da fazenda nacional).

“Foi o melhor dia da minha vida (Lucas, 7 anos, aluno do Instituto Milaflores, em Laranjeiras, no Rio, no dia em que voltou à sua escola, reaberta seguindo decisão do TRT-1)

A incerteza sobre a data da reabertura das escolas parece não levar em consideração os diretamente interessados, as crianças. Esses seis meses em que nossas crianças e adolescentes estão sem escola vão prejudicar seu desenvolvimento cognitivo, emocional e social. O atraso vai ter consequências para sua capacidade intelectual, profissional e produtiva. Os países desenvolvidos abriram suas escolas até mesmo antes das outras atividades. Isso pode aumentar o fosso de produtividade e capital humano entre esses países e aqueles que, como o Brasil, deixaram suas crianças sem esse direito essencial por mais tempo. Aqui algumas escolas particulares voltaram. Mas todas as públicas continuam fechadas. Cresce a distância entre as classes sociais num dos principais itens que vão determinar as oportunidades de vida da geração hoje em idade escolar. São as mais pobres que precisam da escola pública. Às vezes até mesmo para a merenda. E que ficaram em casas geralmente pequenas, com a família submetida a uma carga adicional de estresse.

No debate sobre a pandemia muito se falou em respeitar a ciência para que as pessoas ficassem em casa. Embora poucas pudessem fazê-lo. Para os que invocaram as evidências objetivas da ciência, fica o desafio. Que a mesma invocação da ciência seja dedicada à questão da volta às aulas. E aí a ciência mostra os danos psíquicos e pedagógicos para as crianças privadas do ambiente escolar.

As reaberturas parciais na Europa começaram já na 2ª quinzena de maio em quase todos os 27 países. A Agência Europeia de Controle de Doenças Transmissíveis (ECDC) publicou relatório no último dia 7/8. Concluiu que: i) a reabertura das escolas não teve impacto sobre a transmissão comunitária; ii) fechar escolas não é, isoladamente, medida eficaz para conter a transmissão; e, iii) abrir ou não é uma decisão que depende da capacidade de implantar outras medidas de controle de contágio. Uma pesquisa da Agência Pública de Saúde da Suécia (www.fokhalsomyndigheten.se/publicerat-material/)  com dois países que adotaram estratégias opostas concluiu que a interrupção das aulas não teve efeito mensurável nos casos de Covid-19 entre as crianças (Suécia, que nunca fechou o ensino primário e Finlândia que fechou entre 18/3 e 13/5). Na França, depois da reabertura, por causa de novos surtos, foram fechadas 80 escolas, num universo de 60 mil escolas.

O risco de transmissibilidade do vírus aos adultos, pelas crianças, não se confirmou. Elas próprias são menos susceptíveis, como se sabe. São 24% da população e apenas 2% dos casos de contaminados (0,1% foi a óbito). Para proteger os adultos, pode-se implantar um protocolo rígido de retorno gradual. Com rodízio entre alunos, mas também entre professores e funcionários. Com testagem, higienização, equipamentos e ampliação de espaços nas escolas. Para reduzir o risco de professores e funcionários com o transporte público lotado, o governo federal poderia aportar recursos para que eles recebessem vales para aplicativos de táxi e uber.

O negacionismo do presidente Bolsonaro no meio-ambiente produziu a tragédia de um Pantanal em chamas. Agora está afetando a educação dos nossos jovens, sobretudo os que dependem da escola pública. Esse negacionismo contumaz impediu-o de mandar o MEC apoiar as secretarias de Educação de estados e municípios. Como lembrou Vera Magalhães (Estadão, 20/9), o MEC deveria ter coordenado a definição de critérios para a volta: qual a curva de transmissão aceitável? Qual o percentual de alunos por turno? Quais os insumos e instalações mínimos? Como conciliar aulas presenciais e remotas? Qual a rotina de testagens? Qual a estratégia de manejo nos casos de alguma escola com foco de contágio? Foi com planejamento desse tipo que as escolas europeias já voltaram há muito. Antes dos shoppings, bares, restaurantes, hotéis e praias. Áreas que no Brasil parecem ter prioridade sobre a educação.

*Advogado formado pela FDR da UFPE, PhD pela Universidade Oxford


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/09


2020

Maia: Quem ocupa mandato tem obrigação de preservar ambiente

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse, hoje, que “aqueles que ocupam cargos públicos não têm a opção de negligenciar” a obrigação de preservar o meio ambiente.

Maia participou da abertura de uma audiência pública do Supremo Tribunal Federal (STF) para debater ações que questionam medidas do governo federal em relação ao Fundo Nacional sobre Mudança do Clima, conhecido como Fundo Clima.

Criado em 2009, o Fundo Clima tem a finalidade de garantir recursos para projetos e estudos que tenham como objetivo a mitigação das mudanças climáticas.

“O artigo 225 do texto constitucional não deixa espaço para dúvidas: todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida. Portanto, aqueles que ocupam mandatos ou cargos públicos não têm a opção de negligenciar essa obrigação, extensivamente detalhada na própria Constituição, imposta ao poder público e à sociedade. Ela se traduz em verbos como preservar, proteger, restaurar e educar”, afirmou o presidente da Câmara.

Maia ressaltou que a preservação do ambiente não é uma questão de disputa política, mas de um compromisso firmado na Constituição.

“O compromisso com o ambiente saudável não se encontra no campo da disputa política. Esse compromisso foi firmado pelos constituintes há mais de 30 anos. Ele é um dever incontornável de todos os agentes públicos, que, ao assumirem seus mandatos ou cargos, juraram cumprir a Constituição”, disse.

Segundo ele, desrespeitar esses deveres “é violar frontalmente a Constituição”.

Maia afirmou ainda que uma “política negligente” em relação ao meio ambiente traz impactos “sistêmicos consideráveis” a outros direitos previstos, como o direito à saúde.

“O direito ao meio ambiente equilibrado se conecta a vários outros, como o direito à saúde e o direito à segurança alimentar. Há na Constituição brasileira um verdadeiro ecossistema de direitos que se pressupõem e se reforçam reciprocamente. Uma política negligente em relação a um traz impactos sistêmicos consideráveis”, afirmou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/09


2020

Ônibus são paralisados em protesto no Centro do Recife

Ônibus ficaram parados em vias da região central do Recife durante um protesto, na manhã de hoje. Os manifestantes afirmaram que o ato foi convocado para alertar para demissões feitas por empresas de ônibus ao longo da pandemia de Covid-19.

O grupo afirmou que faz parte da oposição à atual direção do Sindicato dos Rodoviários e também pediu por 100% da frota de ônibus circulando na Região Metropolitana do Recife. Devido à pandemia, a frota foi reduzida. O ato foi iniciado por volta das 7h30.

Os manifestantes também alegaram que querem alertar sobre o projeto de lei em tramitação na Câmara dos Vereadores do Recife que propõe a proibição do acúmulo das funções de motorista de ônibus e cobrador. Previsto para ser votado hoje, ele foi retirado da pauta, segundo a assessoria de comunicação da Câmara.

O Grande Recife Consórcio de Transporte informou, por meio de nota, que não foi comunicado sobre o protesto. O consórcio afirmou que procura, em conjunto com a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), "alternativas para o desvio do itinerário das linhas que passam pela localidade com o objetivo de mitigar os impactos deste protesto para os usuários".

Por meio de nota, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Pernambuco (Urbana-PE) informou que "o movimento ocorre sem qualquer diálogo prévio e não observa a antecedência mínima exigida aos serviços essenciais".

Imagens feitas pela TV Globo mostraram os coletivos parados em filas. Com faixas e cartazes, eles ficaram posicionados no cruzamento da Rua da Aurora e Avenida Conde da Boa Vista e no da Rua do Sol com Avenida Guararapes. Os passageiros desceram dos coletivos e seguiram a pé pelas vias do Centro.

A CTTU informou que os motoristas que seguem pela Avenida Conde da Boa Vista foram orientados a desviar pelas ruas Gervásio Pires ou Soledade. Também devido à manifestação, a Avenida Cruz Cabugá estava apenas uma faixa de rolamento liberada no sentido Centro. O fluxo de veículos era intenso na altura do Ginásio Pernambucano.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/09


2020

Sinais exteriores de impopularidade

Por Helena Chagas*

Vivemos tempos políticos extremamente voláteis, e a popularidade que se registra num dia pode facilmente virar fumaça no outro. Da semana passada para cá, três fatores concorrem para abalar os números de Jair Bolsonaro, que pelas pesquisas anda com uma aprovação nacional perto dos 40%:

1. Os números do desemprego começaram a subir de forma mais acelerada, concentrando na última semana de agosto um contingente de mais um milhão de desocupados que resolveram procurar ocupação e elevando o percentual geral para 14,3%;

2. A redução do auxílio emergencial de R$ 600 para R$ 300, valor que começou a ser pago na semana passada. Além de doer no bolso dos mais de 60 milhões de brasileiros que o recebem, tem impacto na economia como um todo, reduzindo o poder de compra e contribuindo para queda maior do PIB. O aumento da inflação dos alimentos joga mais lenha nessa fogueira;

3. As queimadas no Pantanal. Assim como ocorreu no ano passado, quando a cobertura intensiva e as manifestações internacionais pelo desmatamento da Amazônia tiveram repercussão negativa na popularidade presidencial, é possível prever que as imagens do fogo e de animais calcinados e a fumaça que alcança estados distantes produzam seus abalos.

É cedo para se prever o alcance e a duração desse efeito, e se ele já se fará sentir na próxima parada do calendário político, a eleição municipal de novembro. Nos últimos anos, tem sido bastante limitada a nacionalização das eleições para as prefeituras. Mas é possível que, em locais do Nordeste, por exemplo, o eleitor que não recebia nada e agora ainda tem R$ 300 esteja satisfeito com Jair Bolsonaro e tenda a votar em quem se identifica com ele.

Nos grandes centros, porém, a situação pode ser outra. Nesse sentido, o Ibope sobre a eleição de São Paulo divulgado neste fim de semana pelo Estadão trouxe boas e más notícias para Bolsonaro. Seu candidato, Celso Russomano, está na frente – ainda que tenha estado assim no início da corrida em quase todas as eleições majoritárias de que participou e, ainda assim, não ganhou.

Mas má notícia mesmo, para Bolsonaro, é o dado de que 47% dos paulistanos afirmam que o apoio do presidente a um candidato diminuiria sua vontade de votar nele. Seu apoio influenciaria positivamente 24% dos eleitores, e Bolsonaro é o cacique nacional que mais afugente eleitores em SP. O ex-presidente Lula, por outro lado, aparece como o cabo eleitoral mais forte na capital paulista:32% se inclinam a votar num candidato apoiado por ele, embora outros 40% seriam afugentados.

*Jornalista


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/09


2020

Bate papo da manhã analisa segundo turno no Recife

No “Bate Papo da Manhã”, programa que apresento todos os dias, no meu canal do YouTube, o assunto hoje é os candidatos que possivelmente estarão no segundo turno nas eleições para prefeito do Recife. Vale a pena conferir!

Para assistir ao meu programa diariamente, basta se inscrever no meu canal, o https://www.youtube.com/blogdomagno, e ativar as notificações clicando no sininho.

A propósito, minha gente, preciso que meu canal no YouTube cresça e apareça! Vamos ampliar essa corrente. Quem me segue aqui ou é amigo entre os cinco mil amigos e os 17 mil seguidores e ainda não se inscreveu no canal do meu blog vai lá, dá uma forcinha. Imprensa livre e independente se faz com a ajuda e a colaboração de quem gosta e se sente representado pelo nosso trabalho. Inscreva-se no link acima e indique para mais alguém.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/09


2020

Estátua de Ariano Suassuna é alvo de vandalismo

Do G1/PE

A estátua do escritor Ariano Suassuna, localizada na Rua da Aurora, região central do Recife, apareceu quebrada na altura das pernas e caída no chão, nesta segunda-feira (21). A Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb) informou que a escultura foi depredada e que equipes verificam a extensão dos danos para providenciar o reparo.

O monumento de 1,8 metro foi feito pelo artista plástico Demétrio Albuquerque e inaugurada em 2017. A obra foi instalada em frente ao Teatro do Arraial Ariano Suassuna, na Rua da Aurora, reinaugurado quando ele era Secretário de Cultura.

A escultura faz parte do Circuito da Poesia do Recife, criado para perpetuar o legado de personalidades ligadas à arte em Pernambuco.

Além da obra em homenagem a Ariano, o circuito tem monumentos de artistas como os poetas Manuel Bandeira e João Cabral de Melo Neto, os músicos Chico Science, Luiz Gonzaga e o compositor Capiba.

Vandalismo

As estátuas do Circuito da Poesia também foram alvos de vandalismo em março de 2020. Na data, a estátua de Ariano Suassuna teve o nariz quebrado e a de João Cabral de Melo Neto teve o nariz e parte do queixo quebrados, além das placas de identificação pichadas.

De acordo com a Emlurb, são gastos aproximadamente R$ 2 milhões por ano em recuperação de monumentos, pontes e edificações que sofrem com atos de vandalismo. O número para fazer denúncias é o 156.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/09


2020

A Nova Lusitânia prorroga o vírus

A Nova Lusitânia prorrogou o vírus por mais seis meses, anuncia o bicho-grilo Adalbertovsky. “E a curva? A curva sou eu, proclama o curandeiro geral. Enquanto houver estado de calamidade púbica, enquanto houver pânico, haverá contratos milionários sem licitação. Os Titãs cantaram a cantiga: “Enquanto houver sol, ainda haverá. Quando não houver esperança/ quando não restar nem ilusão/ ainda há de haver esperança/ em cada um de nós/ algo de uma criança”.

“Amanhã será outro dia. Quando não houver sonho de recursos da União, quando cessaram as transferências federais, quando houver desespero, haverá mais recessão, mais desemprego, mais pânico, mais pandemias de várias outras doenças. Quando não houver esperança, a curva das assombrações sem licitação será sempre ascendente nesta cidade lendária”.

“As eleições estão nas nuvens e estão na tela. O garoto e a garota do cordão amarelo e do cordão encarnado invocam o nome de Arraes, o mito dos pigarros. Os dois infantes nunca administraram sequer um carrinho de pipoca, mas se sentem no direito de administrar estes arrecifes dos altos coqueiros e das altas conchamblanças por hereditariedade nesta Capitania. Eles não dizem uma vírgula sobre as operações da Polícia Federal em cima dos escândalos do Covidão”.

“O tenente-coronel Alberto Feitosa tenta associar sua imagem a  Bolsonaro, mas na verdade o presidente da República não manifestou apoio a nenhum candidato no Recife. Mesmo sendo um cara esforçado, Feitosa não decolou ao ponto de conquistar o apoio do capitão. Está na vitrine para oxigenar o nome de olho nas eleições de 2022. Candidatos olímpicos seguem o lema de que o importante é competir, não vencer”.

“À MODA ARISTOTÉLICA – Parodiando meu colega o filósofo grego Aristóteles, conhecido em nossa patota como O Big Ari, digo eu que o Homo Sapiens é um animal espiritual. – Este é um dos motes do meu novo livro que tá na agulha. No +., falo de vírus, bactérias, protozoários, dinossauros, a mundiça microscópica em geral”. A cantiga do bicho-grilo Adalbertovsky está postada no Menu Opinião.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/09


2020

TSE usa música de Alcymar contra compra de voto

Em live realizada no último dia 02 de setembro com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, este blogueiro mostrou a ele o vídeo da campanha que o Frente a Frente faz pela Rede Nordeste de Rádio contra a compra de votos, uma prática nociva no País e que se repete a cada eleição. O cantor e compositor Alcymar Monteiro é quem deu musicalidade a um assunto tão sério como este.

Barroso ficou muito sensibilizado. Prova disso é que, na sexta-feira passada (18), o TSE preparou uma matéria sobre a criação desta música, veiculada todos os dias pelo Frente a Frente. Alcymar foi convidado para tratar do tema, em reportagem da pernambucana Renata Gorga. Assim, o TSE atenta para a importância de nossa campanha.

Assista à matéria.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/09


2020

A Taverna Suíça também é nota mil

Fim de semana em Gravatá é para curtir intensamente a sua culinária chic, top, para recorrer a uma terminologia mais atual. Ontem, numa postagem, falei de três restaurantes que gosto muito, mas por um lapso omiti o quarto: a Taverna Suíça, da minha amiga Anna Truan e seu filho Joe, que foi colega do meu primogênito Felipe, bem garotinhos, na Escola Americana do Recife.

Almocei lá hoje com meus filhos Magno Martins Filho e João Pedro. Não tinha ido lá depois da reabertura da fase aguda da pandemia. Continua maravilhoso, referência no Turismo e na Gastronomia do Nordeste.

Está celebrando 52 anos de existência. Fundado em 20 de agosto de 1968, pelo suíço José Luiz Truan, in memoriam, foi o responsável por inserir a cultura do fondue em Pernambuco e, segundo pesquisas da família, foi o primeiro restaurante aberto ao público no Brasil a servir a iguaria. “Meu pai buscava um lugar de clima agradável aqui em Pernambuco e acabou gostando daqui de Gravatá. Ele construiu o primeiro hotel da cidade e em seguida fundou o restaurante. Ele foi pioneiro ao servir a fondue pela primeira vez no Nordeste e um dos primeiros no Brasil. Era um prato suíço que ninguém conhecia e hoje faz sucesso da Taverna Suíça. Ele virou um marco no turismo interiorano de Pernambuco", diz ela.

Como eu, as pessoas vão à Taverna saborear o prato diferente e curtir o clima frio da cidade. O cardápio tem novidades, mas mantém os pratos originais, a começar do fondue de queijo (que tem entre os segredos que Truan me contou, o queijo do Reino) e de carne e uma novidade de comer ajoelhado: o fundue de doce de leite.

Entre as novidades, para atrair especialmente os jovens, o Best Love, para os casais, que consiste em um combo composto por um fondue de queijo ou carne e um fondue de doce de leite com churros e frutas, acompanhados por uma garrafa de vinho chileno por R$109, sempre às quintas-feiras. Outra novidade do espaço é o fondue Pantanal, com variedade de carnes que inclui filé de cauda de Jacaré, pernil de javali, alcatra e camarão. E tem almoço executivo por R$ 29,90.

Voltou, portanto, a ser uma das principais atrações gastronômicas de Gravatá, sempre cheio de turistas.

SERVIÇO
Taverna Suíça
Endereço: Av. Cícero Batista de Oliveira - Alpes Suíços, Gravatá - PE, 55645-000
Horário de funcionamento: Dom a qui, das 11h30 às 22h; Sex e sab, das 11h30 à 0h. 
Outras informações: (81) 3533-0299


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/09


2020

Que lição de vida!

De Mirandiba, no Sertão Central, vem uma lição valiosa do jovem Uerlei Santos. Em um vídeo gravado ao lado dos irmãos e da mãe, Dona Socorro, apresenta a família e fala sobre a difícil condição em que se encontram: os irmãos são deficientes visuais, com perda total, e ele tem baixa visão.

Neste vídeo, Uerlei demonstra alegria de viver ao cantar em homenagem à mãe e faz um apelo: "Valorizem sua família".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/09


2020

Covid-19: uma vacina é possível?

Por Antonio Jordão*

As perspectivas não são alvissareiras. Não que falte vontade e desejo. Há 40 anos o mundo científico investiu, mas não conseguiu uma vacina para o vírus da imunodeficiência humana (HIV), responsável pela síndrome da imunodeficiência adquirida (Aids). Nem para o SARS-COV (um coronavírus), nem para o da MERS. Conseguirá para o coronavírus SARS-COV-2 da Covid-19?

A família de vírus Influenzae (responsável pelas gripes) acompanha a humanidade desde sempre. Assim como os coronavírus. No caso dos influenzae, aí incluindo o H1N1 da gripe suína, vacinas têm sido obtidas, assim como para outros: da poliomielite, raiva, rubéola, entre outros. No entanto, até o momento não houve êxito vacinal contra nenhum coronavírus infectante de humanos. Má notícia.

As propostas de vacinas contra o SARS-COV-2 da covid-19 são temerárias. Organizações privadas e governamentais estão numa corrida louca para colocar no mercado uma vacina. Mas, cabem as perguntas: a) deve ser a qualquer custo? B) E se der errado? Porque até o momento não foram publicizados os necessários estudos das etapas iniciais: fase exploratória e fase pré clínica. Comenta-se que não houve a aprovação em animais. E tampouco foram disponibilizados os dados de Ensaios Clínicos de fase 1 e de Fase 2. Necessários para decidir, a nível de avaliação científica, pela existência ou não de eficácia e segurança para seu uso nas fases 3 e 4 nos brasileiros.

Por falar nos brasileiros, nós nos tornamos a arca do tesouro dos laboratórios de vacinas. Pelas nossas origens étnicas, pela nossa miscigenação e pelas possibilidades de conjunções genéticas e de diferentes respostas. Nenhum outro país possui tal riqueza – anteriormente miravam as nossas riquezas naturais do solo, subsolo e águas, agora, os olhos dos estrangeiros se voltam também para as nossas características humanas – na condição de cobaias. Um imenso laboratório de 212 milhões de humanos!

Como se não bastassem os interesses comerciais, surge em plena pandemia uma decisão inusitada: a justiça brasileira dá isenção de responsabilidade ao produtor da vacina que faz experimento nos brasileiros. Ou seja, o desejo dos sonhos de qualquer indústria: não apresentar todos os dados iniciais, não garantir segurança e eficácia, não se submeter a um crivo de interesse nacional, poder testar em nós, e, se der algo errado, não pode ser responsabilizado. Há quem diga: só mesmo no Brasil!

E por falar em vacina em teste no Brasil, há comentários de que em são Paulo já haja registros de efeitos adversos importantes em 5% dos que se imolaram na promessa vacinal. Com algumas mortes. E nossa população vivendo a fantasia de uma solução mágica. Porém, não existem tais soluções!

Merece menção a fala recente do presidente do maior fabricante mundial de vacinas (Merck): “O menor tempo de uma vacina cumprir todas as etapas corretamente e ser posta no mercado foi de QUATRO anos”. Alguém tem dúvida sobre o açodamento de propostas para a vacina contra o coronavírus 2?

O movimento Manifesto Médicos pela Vida levou esta preocupação (entre outras) ao presidente da República. E propôs a criação de um Comitê de Cientistas brasileiros da área para aprovar qualquer vacina. A fim de atestar segurança e eficácia para a saúde e a vida dos brasileiros. O Brasil precisa assegurar sua soberania e o interesse do seu povo, afinal, o brasileiro não pode ser tratado com boi de piranha. Coincidentemente, horas depois da audiência com o presidente, a Universidade de Oxford jogava a toalha e dizia ao mundo a desistência da vacina contra o SARS-COV-2. E agora?

Sem a vacina, o que nos resta? Cada dia mais, a certeza de que a alternativa mais segura continua sendo a barreira medicamentosa. O uso profilático e terapêutico dos medicamentos existentes. Aliados às demais recomendações racionais.

Para quem tiver alguma dúvida, segue abaixo carta do virologista Paolo Zanotto sobre o tema.

*Médico


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/09


2020

O dançarino candidato chapa branca de Arcoverde

Localizada a 250 km do Recife, Arcoverde virou território sem lei. As rígidas regras eleitorais são desrespeitadas todo santo dia pelo candidato oficial, o chapa branca Wellington Maciel (MDB), apoiado de última hora por falta de opção pela prefeita Madalena Britto (PSB), cujo mandato é rejeitado por quase metade da população, segundo pesquisa do Opinião, na qual o trabalhista Zeca Cavalcanti impõe uma frente de 20 pontos percentuais.

Pelo calendário eleitoral, a campanha de rua propriamente dita só será autorizada a partir do próximo dia 27. Mas Wellington da LW, nome de guerra que adotou, antecipou o calendário para hoje. Acha que por ser muito rico, pode tudo. Na Sociedade Campestre de Arcoverde, ao lado da esposa, deu provas que tem samba no pé, aliás nem sei (desculpem minha ignorância) como se traduz essa dança, que puxa ao lado da esposa e aliados.

Em tempo: chapa branca comete um duplo crime: rasga o código que rege as eleições e viola o decreto do governador Paulo Câmara, seu algoz, por ter vasculhado suas empresas lá atrás. Não está nem aí para a canetada de quem manda no Estado, pela qual obrigou o uso de máscara em locais públicos.

Wellington da LW também não se compadece dos quase 1,5 mil infectados e 48 mortos por Covid-19 na cidade ao dançar sem máscara ao lado de outros igualmente sem proteção. A dança macabra do candidato apoiado por Madalena repercutiu muito mal entre os arcoverdenses e pode custar vidas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/09


2020

Lei Aldir Blanc: Olindenses têm até amanhã para cadastro

Os artistas de Olinda interessados em receber recursos da Lei Aldir Blanc têm até amanhã (21) para realizar o Cadastro Olindense Artístico Cultural (COAC). O procedimento, que teve início no dia 15 de julho, é obrigatório e permite aos artistas e produtores do município participar dos editais e premiação, que serão utilizados como instrumentos de repasses dos recursos federais. Para se cadastrar, basta acessar o link: cultura.olinda.pe.gov.br.

Olinda recebeu R$ 2,5 milhões oriundos do Ministério do Turismo (MTur). O recurso já está disponível em conta e até o fim do mês serão lançados editais e premiação para transferência dos recursos. Ao todo, serão contempladas 618 propostas de artistas e produtores olindenses. 

Edital Conecta Arte - Até o fim do mês de setembro, Olinda lançará o edital Conecta Arte, edital que contemplará 448 propostas culturais de fomento e formação, disponibilizando RS 1.509.000,00 para produções culturais nos segmentos de: Artes Plásticas, Artes Gráficas e Congêneres (Artes Visuais), Artesanato, Circo, Cultura Popular e Tradicional, Dança, Design e Moda, Fotografia, Gastronomia, Literatura, Música, Patrimônio, Teatro, Ópera, Audiovisual, Artes Integradas, para apresentação em plataformas digitais, por conteúdos, gravadas ou ao vivo (lives).

Prêmio Memória Viva - Haverá também o Prêmio Memória Viva da Cultura Tradicional e Popular de Olinda, que contemplará 150 propostas que somam  R$ 650.000,00, voltado exclusivamente para cultura tradicional e popular na cidade. O prêmio visa reconhecer, proteger e estimular a cultura tradicional e popular do município, em especial as agremiações, entidades, Mestras e Mestres de notório saber e detentores da história e das tradições. 

Edital de Subsídios para Espaços e Coletivos Culturais - Serão contempladas 20 propostas de R$ 10.000,00 com aporte total de R$ 200.000,00 para espaços culturais e coletivos culturais com no mínimo de 2 anos de atuação comprovada na cidade. 

Auxílio Emergencial da Cultura - Por regulamentação da Lei Aldir Blanc, os governos estaduais ficaram responsáveis por gerir os repasses do auxílio emergencial da cultura para os artistas de seus estados. 

Em Pernambuco, para requerer o auxílio emergencial da cultura, os artistas devem acessar o link: https://www.mapacultural.pe.gov.br.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/09


2020

A decadência do restaurante Tio Pepe

Famoso em Boa Viagem - eu mesmo já bati ponto por lá quase todo fim de semana quando morava na Zona Sul -, o restaurante Tio Pepe já não é mais top de linha da comida regional no Recife. Outrora um dos símbolos de qualidade e atendimento por décadas, hoje agoniza, vive uma frustrante realidade. Nada ali mais pode ser elogiado, muito menos o atendimento, que tem tirado a paciência da clientela ainda fiel.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/09


2020

Mendonça promete priorizar ensino integral

O candidato a prefeito do Recife pelo Democratas (DEM), Mendonça Filho, garantiu, hoje, que o ensino em tempo integral será uma de suas prioridades se assumir a Prefeitura a partir de 2021. Durante agenda de campanha na comunidades Alto do Rosário e Vila Boa Vista, ambas em Nova Descoberta, um dos bairros mais populosos da Zona Norte da capital pernambucana, ele ouviu de jovens estudantes pedidos de políticas educacionais que melhorem a oferta e qualidade do ensino público. 

Na comunidade Vila Boa Vista, o estudante Renan Victor Andrade, 17 anos, conversou com Mendonça Filho sobre as carências enfrentadas por ele e os amigos no acesso a uma educação eficiente. Ele também trabalha em uma empresa como assistente administrativo e desenvolve um trabalho social com a juventude do local. Sentados em uma escadaria, o jovem quis saber do candidato quais políticas públicas de educação ele pretende desenvolver, já que afirmou ter acompanhado a gestão do candidato no Ministério da Educação (MEC). 

“Sei que Mendonça fez um trabalho muito importante para melhorar o acesso à educação dos jovens em todo o Brasil e em Pernambuco. Agora, eu tive essa oportunidade de conversar com ele diretamente e mostrar nossas necessidades, pois aqui há muitos jovens que querem um futuro melhor. A gente deseja ter um ponto de internet gratuita na comunidade, faz muita falta, e também que ele dê atenção à qualidade do ensino, isso vai nos ajudar muito”, pediu Renan. 

Atento ao apelo, Mendonça Filho relembrou ao estudante o tempo em que passou no comando do MEC e assegurou que a educação dos jovens sempre será um dos principais eixos de sua gestão na Prefeitura do Recife, caso seja eleito. “No MEC, fortalecemos o ensino público com muitas ações e projetos, como a Política de Educação Conectada e o Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. O meu compromisso é cada vez mais continuar investindo em educação de qualidade para que os jovens das comunidades carentes do Recife tenham oportunidades no mercado de trabalho e um futuro melhor”, afirmou o democrata.

As queixas dos moradores se estenderam a outros temas, como melhoria do sistema de saúde, cujo posto de atendimento mais próximo frequentemente está fechado por falta de médicos e assistentes, limpeza do canal para o escoamento do esgoto, pavimentação de ruas importantes que ligam a localidade à principal via de acesso a Nova Descoberta. Além disso, a falta de escadarias e muros de contenção, bem como o esgoto a céu aberto e habitações em situação de risco também foram abordados durante a agenda.  

Caminhando entre os morros da comunidade Vila Boa Vista, Mendonça Filho conversou com vários moradores cujas casas ficam próximas a encostas. Os relatos da negligência da atual gestão municipal quanto à proteção das famílias que moram nesses pontos, uma ameaça constante no período chuvoso, foram unânimes: "A gestão de Geraldo Júlio, que há oito anos governa o Recife, esqueceu essas comunidades, que ficaram orfãs de segurança", reclamou um morador 

A doméstica Leda Santana, 51 anos, mãe de seis filhos e avó de três netos, que há 32 anos mora em uma casa cujo terreno não está regularizado, resultado de inúmeras invasões ao longo dos anos, no Alto do Rosário. Para ganhar dinheiro, Dona Leda realiza um bazar de roupas na entrada da residência. A placa de improviso, pendurada em um carrinho velho de supermercado no qual armazena calças, vestidos, bermudas e camisas, é feita em uma folha de papel e qualquer peça custa R$ 1. A casa fica entre uma barreira e outro morro acima.  

“Moro nessa área de barreira há mais de 30 anos e tudo que fizeram foi botar lonas para tentar evitar deslizamentos, quando botam. E não resolve. O melhor seria a construção de um muro de arrimo para melhorar a segurança da minha família e dos vizinhos, porque tem perigo dos dois lados das casas”, contou Dona Leda.

Após um cafezinho com Mendonça Filho na porta de casa, ela ouviu do candidato a intenção de priorizar as ações de insfraestrutura e habitação. “Vamos trabalhar para resolver a questão da regularização dos terrenos, concedendo a propriedade às pessoas, e cuidar da legalização dos imóveis, para criar projetos estruturais que garantam a segurança dessas áreas de risco”, disse o postulante.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha