Lavareda

27/05


2010

Magalhães é o preferido para vice de Jarbas, diz enquete

Enquete deste blog aponta o deputado federal Roberto Magalhães(DEM) como o nome preferido dos leitores para vice na chapa do candidato a governador pelo bloco da oposição, Jarbas Vasconcelos. Ele teve 38% dos votos, seguido da deputada Miriam Lacerda, também do DEM, com 20%, e em terceiro Bruno Araújo, do PSDB, com 9%. Hoje, iniciamos mais uma enquete, desta feita para presidente da República. Vamos votar, gente! Se as eleições para presidente fossem hoje, dos candidatos abaixo em quem você votaria?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

milton tenorio pinto junior

Severino, discordo das suas opções ....mas que ficou engraçado ficou....foi bem criativo..rsrsrs.

milton tenorio pinto junior

O perigo de Bebeto é dar outra banana ou invadir alguma redação ....

Josemar Rabêlo

Magno, Jarbas/Jamais foi tão ruim para o sertão, principalmente, o Alto Sertão do Pajeú, que dos 17 Prefeitos atuais, 17 apoiam a candidatura de Eduardo e, em muitas delas, sitaução e oposição estão no mesmo barco, Vide o site de Nill Jr. Eduardo neles! sds.: Poéticas Pajeuzeiras

pimenta malagueta

Sugiro também a Velhinha de Taubaté, e quem sabe, o palhaço Chapuleta, aquele que teve mais votos do que Toni Gel em Caruaru....

Severino Isidoro Fernandes Guedes

Existem também outras boas opções, cono o Palhaço Bozo e seu similar, o Palhaço Gozo, a Vovó Mafalda, o Vovô Sacudo, o Chaves, o Kiko, A Bruxa do 76, o Capollin Coroado, Eremildo O Idiota, Cinderela, Seu Creisson, Dona Creidi do Funk, Mama Bruscheta, o Mendigo, Irmão Quietinho e outros mais.

Luci Lins de Morais

Concordo com a enquete.


ALEPE

Confira os últimos posts



23/11


2020

MPF investiga Paulo por decreto que reduz transparência

O Ministério Público Federal (MPF) instou o Governo do Estado de Pernambuco a prestar esclarecimentos a respeito da edição do Decreto Estadual 49.707/2020. A norma revoga parágrafo do Decreto Estadual 32.539/2008 – que dispõe sobre a modalidade eletrônica de pregão no estado – e dispensa a necessidade de publicação de íntegra do edital de licitação no Diário Oficial. A informação está no site oficial da Procuradoria da República em Pernambuco. 

O documento foi expedido no âmbito de inquérito civil que apura a possível ausência de transparência nos gastos para o combate à covid-19 por parte do estado de Pernambuco e do município do Recife, com recursos vinculados ao Sistema Único de Saúde (SUS) e oriundos do Fundo Estadual de Saúde. Os ofícios, assinados pelos procuradores da República em Pernambuco Cláudio Dias e Silvia Regina Pontes Lopes, foram encaminhados ao governador do Estado de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB).

De acordo com o MPF, a justificativa apresentada para a publicação do Decreto Estadual 49.707 foi a simetria com o Decreto Federal 10.024/2019, que regulamenta o pregão eletrônico na esfera federal e que, conforme alegado, não teria previsto a necessidade do aviso de edital. 

No entanto, os procuradores da República entendem que a Constituição Federal, as normais gerais de licitação e contratos, a legislação federal que disciplina o pregão e o próprio decreto federal consideram imprescindível a publicação em Diário Oficial e no site do órgão ou da entidade promotora da licitação, inclusive no caso de utilização de recursos federais por parte dos estados.

O MPF provoca o governo de Pernambuco para que apresente, no prazo de dez dias, as justificativas fáticas e jurídicas que possibilitaram a edição do Decreto Estadual 49.707/2020. 

Em junho, o MPF ajuizou ação civil pública contra o Estado de Pernambuco, União e três organizações sociais da área de saúde para que seja dada transparência nas despesas realizadas no enfrentamento da pandemia da covid-19 com recursos oriundos do SUS, em observância à Lei de Acesso à Informação (Lei 15.527/2011) e à Lei de Regime Especial da Covid-19 (Lei Federal 13.979/2020).

Também em junho, o MPF, por intermédio do procurador-geral da República, Augusto Aras, encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF) ação direta de inconstitucionalidade contra a Lei Complementar 425/2020 do Estado de Pernambuco. A norma trata de procedimentos para contratações necessárias à prevenção e ao combate à pandemia do novo coronavírus no Estado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

23/11


2020

Ex-vereador Maré Malta morre vítima de infarto

O policial federal e ex-vereador do Recife Mareval Malta faleceu, na manhã de hoje. Maré, como era conhecido, tinha 49 anos e foi vítima de um infarto durante a madrugada. De acordo com assessoria, Maré dormiu bem na noite anterior, mas não respondeu a esposa que tentou acordá-lo na manhã desta segunda-feira. O policial deixa esposa e dois filhos de 13 e 15 anos. As informações são do JC Online.

De acordo com o sindicato da Polícia Federal, o velório do policial será hoje no Morada da Paz, na Capela VIP, das 14 às 18 horas. A cremação também será no Morada da Paz às 18h30.

Mareval foi vereador suplente do Recife por dois mandatos pelo PSD, sendo o primeiro em 2011 até 2012 e o segundo em 2013 até 2016.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu no Zap

23/11


2020

Anderson Ferreira reforça apoio à Marília em vídeo

O prefeito reeleito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira (PL), publicou, hoje, em suas redes sociais, um vídeo em apoio à candidatura de Marília Arraes (PT) no Recife. Uma grande liderança do eleitorado evangélico, ele falou sobre as fake news contra a prefeiturável. 

"Anunciei meu apoio à candidatura de Marília Arraes no segundo turno por entender ser o melhor para o Recife, mas nos últimos dias, o desespero tem tomado conta dos adversários. Uma verdadeira campanha de ódio, buscando dividir o Recife através de fake news e chegando ao absurdo de tentar manipular a fé das pessoas", disse Anderson.

"Esse é o retrato da inexperiência, do despreparo e da imaturidade do candidato do PSB, mas o Recife vai saber escolher o seu caminho. Um caminho de paz e de unir todos para enfrentar o atraso dos últimos oito anos. É preciso respeitar as mulheres e o Recife", concluiu o prefeito reeleito de Jaboatão.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/11


2020

Ala política defende prorrogar auxílio emergencial

Diante da indefinição sobre o novo programa social do governo, a ala política voltou a defender a prorrogação do auxílio emergencial por dois ou três meses em 2021.

Assessores afirmam, porém, que o presidente Jair Bolsonaro ainda não tomou nenhuma decisão sobre o tema e deve fazê-lo logo depois do segundo turno das eleições municipais.

"A decisão é do presidente Bolsonaro e, até agora, ele não tomou uma posição. Deve se decidir entre essa e a próxima semana, sabendo da importância do benefício para a população que está em situação de vulnerabilidade", disse ao blog do Valdo Cruz um assessor presidencial.

O assessor reconhece que as pressões pela prorrogação do auxílio voltaram, mas destaca que será preciso garantir o cumprimento do teto dos gastos públicos.

Pelo texto em vigor, o pagamento do benefício – criado em meio à pandemia do novo coronavírus – vai até dezembro deste ano.

A possibilidade de prorrogação do auxílio, sem a definição de cortes de gastos para acomodar a despesa no Orçamento do ano que vem, tem gerado tensão no mercado. A semana passada terminou com dólar em alta e juros futuros também subindo.

Líderes do governo no Congresso ainda nutrem uma esperança de aprovar a chamada PEC Emergencial neste ano e de incluir no texto o novo programa social do governo. Mas a própria base aliada do presidente da República no Legislativo considera isso praticamente impossível.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

23/11


2020

Jefferson: decisão de Armando é desenlace

Ouvido, há pouco, pelo blog, sobre a decisão de intervir na executiva estadual, colocando o Coronel Meira no comando do partido no lugar de Armando Monteiro, o presidente nacional da legenda, Roberto Jefferson, disse que Armando, ao apoiar Marília Arraes (PT), selou o desenlace com o trabalhismo.

"Ele não me comunicou nada, mesmo sendo uma decisão pessoal. Mas mesmo que tivesse me dado uma justificativa ou pedido uma autorização não teria o meu consentimento, porque existe uma resolução da executiva nacional que veda alianças com o PT ou qualquer partido de esquerda", afirmou.

Jefferson disse, ainda, que designou o Coronel Meira por ser o legítimo representante do partido. "Meu amigo, fiel aos princípios programáticos e ideológicos do trabalhismo", reforçou.

Sobre o destino de Armando, disse que o ex-senador está fora da legenda porque ele próprio fez a opção da divergência e passou por cima de uma resolução. "Não existe decisão pessoal. Partidos e pessoas são inseparáveis", afirmou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/11


2020

Cinco fabricantes de vacina para o Brasil

O Ministério da Saúde informou que se reuniu com cinco laboratórios, tratando das vacinas contra a covid-19. Foram recebidos representantes da Pfizer, Janssen, Bharat Biotech, Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF) e Moderna. As informações são do Blog do Riella.

Requisitos que precisam ser cumpridos: segurança, eficácia, capacidade de produção em escala e a oferta em tempo oportuno para inserir as vacinas no Programa Nacional de Imunizações (PNI). Será levado em conta o preço proposto, assim como as condições logísticas oferecidas.

O Ministério da Saúde tem acordos contratuais para o possível acesso a 142,9 milhões de doses de vacinas, que poderão imunizar um terço da população brasileira. Não houve contato, nesse momento, com os produtores da vacina SinoVac.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/11


2020

Coronel Meira assume PTB em Pernambuco

O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, convidou o Coronel Meira para assumir o comando da sigla em Pernambuco. Com essa decisão, o ex-senador Armando Monteiro Neto deixa a condução local do partido. As informações são do Diario de Pernambuco.

A medida foi tomada seis dias após o ex-senador declarar apoio à candidatura de Marília Arraes (PT) à Prefeitura do Recife. Por meio de áudio, Roberto Jefferson disse a Meira: "Quero que o senhor [Cel. Meira] exerça a função de presidente provisório."

Jefferson seguiu falando que, "em setembro passado, a reunião da Executiva Nacional estabeleceu que o PTB não apoiará nem coligará com partidos que integram o foro de São Paulo, como é o caso do PSB, que disputa a eleição em Pernambuco, e é o caso do PT, no segundo turno".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/11


2020

Vacina de Oxford contra tem eficácia de até 90%

A vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca mostrou eficácia de até 90% conforme a dosagem, segundo resultados preliminares divulgados hoje. Os dados ainda não foram revisados por outros cientistas nem publicados em revista científica.

Os dados foram vistos depois de analisar mais de 24 mil voluntários de ensaios no Reino Unido, Brasil e África do Sul, com acompanhamento desde abril.

"A se confirmar isso, porque essa é uma análise interina ainda, a gente tem um cenário bastante favorável: primeiro, porque você não precisa de uma dose inteira – o que significa que, com essa meia dose, de uma dose inteira você pode dobrar a capacidade de proteção", avaliou o infectologista Jamal Suleiman, do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, da USP, em entrevista à GloboNews. 

"O segundo aspecto, que é de produção de vacina, [é que] ela não exige altos recursos no que diz respeito à rede de frio, a gente já tem essa rede instalada no país, em vários lugares do mundo, o que pode facilitar a logística de distribuição desse produto", acrescentou o médico.

A taxa de eficácia representa a proporção de redução de casos entre o grupo vacinado comparado com o grupo não vacinado.

Na prática, se uma vacina tem 90% de eficácia, isso significa dizer que a pessoa tem 90% menos chance de pegar a doença se for vacinada do que se não for.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/11


2020

Flagrada em áudio contra Marília, Michele já exaltou PT

A vereadora do Recife Michele Collins (PP) é mais uma a entrar para a rede difamatória da Frente Popular contra a candidata do PT a prefeita do Recife, Marília Arraes. A legisladora é aliada de João Campos (PSB), que disputa a Prefeitura. Em um áudio de quase seis minutos que vazou no WhatsApp, ela faz declarações acusatórias contra a petista, inclusive chegando a responsabilizá-la pelo furto de uma Bíblia.

Michele é ligada ao setor evangélico. Na declaração, também critica a atuação parlamentar de Marília, revelando falta de coleguismo. Segundo interlocutores, esta é uma estratégia da Frente Popular do Recife para retirar votos da candidata do PT: apelar para o discurso religioso e moralista.

A atitude de Michele contradiz uma homenagem que fez à Marília Arraes, em dezembro de 2018, quando a petista estava deixando o mandato de vereadora do Recife para assumir uma vaga na Câmara dos Deputados. Ela chegou a fazer vários elogios à colega do PT, além de entregar um buquê de flores e posar para foto. “Não se fala em Recife ou Pernambuco sem falar em Marília Arraes. Vamos sentir sua saída, mas levará o nome do Estado e do Recife para todo país”, discursou a vereadora do PP.

O áudio também traz Michele descascando o PT, mas em 2012, ela fez campanha para Humberto Costa, então candidato da legenda à Prefeitura do Recife, e também já exaltou a ex-presidente Dilma Rousseff. Em 2014, Collins fez questão de estar na visita de Dilma ao Recife. “Foi uma honra receber a visita da presidente do Brasil, Dilma Rousseff (PT) em nosso Estado. Pernambuco foi contemplado com muitas obras estruturadoras e grande investimentos do Governo Federal", reconheceu.

O que mudou de lá para cá?

À frente de comunidades terapêuticas e representante deste segmento na política, Michele Collins tem pautado seus mandatos no combate às drogas. Como o PP mantém uma aliança com o PSB em Pernambuco há vários anos, houve uma articulação para que em dezembro de 2018 fosse criada a Secretaria de Políticas de Prevenção à Violência e às Drogas (SPVD) no Governo do Estado. O titular da pasta, Cloves Benevides, foi uma indicação dela e do marido, o deputado estadual Cleiton Collins, segundo fonte, em reserva.

Além disso, o governador Paulo Câmara (PSB) sancionou em outubro de 2019 uma lei de autoria de Cleiton Collins, regulamentando as comunidades terapêuticas. Assim, Pernambuco se tornou o primeiro estado a contar com esse tipo de mecanismo.

A influência dos Collins não parou por aí: a irmã de Michele, Mileane Aguiar, assumiu o comando da Secretaria Executiva de Articulação e Prevenção Social ao Crime e à Violência, que já integrava a estrutura da SPVD assim que a pasta foi criada, em janeiro de 2019.

Antes disso, Mileane foi secretária executiva de Articulação Social, na Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude de Pernambuco, e também ocupou cargo na Secretaria Executiva de Políticas sobre Drogas do Recife (Sepod), como gerente geral de operações. O órgão da Prefeitura do Recife, administrada por Geraldo Julio (PSB), é subordinado à Secretaria de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas Sobre Drogas e Direitos Humanos do Recife (SDSJPDDH).

Já em 2017, a Sepod estava aparelhada, com a presença de outros nomes ligados à Michele, como o secretário executivo da época, André Sena. Hoje, o cargo é ocupado por Ana Paula Marques, que já atuou em outras funções da Secretaria e coordenou a Saravida, ONG fundada por Michele e pelo deputado Cleiton Collins. A instituição atua pelo Estado com casas de acolhimento, dentro das comunidades terapêuticas.

Submissão ao homem e intolerância religiosa

Michele Collins ficou bastante conhecida no Brasil graças à repercussão de um de seus discursos na Câmara Municipal do Recife, em 2013, quando chegou a dizer que a mulher tinha que ser submissa ao homem. A vereadora também já esteve envolvida em outras confusões relacionadas à intolerância religiosa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/11


2020

Como superar o racismo?

Por Maurício Rands*

O vice-presidente Hamilton Mourão, ao lamentar a morte de João Alberto, acrescentou: “Digo com toda a tranquilidade para você: não existe racismo no Brasil”. A mesma tranquilidade não têm os familiares dos milhares de joões albertos que todos os dias são assassinados ou sofrem a violência policial seletiva. Segundo o Atlas da Violência, entre 2008 e 2018, as taxas de homicídio aumentaram em 11,5% para os negros enquanto diminuíram em 12,9% para os brancos. 75,7% dos assassinados no Brasil em 2018 foram negros. Proporção bem maior do que a dos negros no conjunto da população brasileira. Que, segundo a PNAD de 2019, era composta de 56,2% de negros (a soma de 46,8% de pardos e 9,4% de pretos, segundo a definição técnica de negros feita pelo IBGE). Como afirma Oscar Vilhena Vieira, o racismo naturaliza a exclusão, a subordinação e a exploração de uma parcela da população por outra. E, assim, impede a aplicação da lei de maneira igual para todos. Incrustrado em nossa cultura e instituições, gera condutas discriminatórias contra os negros. Vivemos num contexto de tolerância institucional e cultural com a barbarie que é o racismo.

Por isso, os movimentos de luta antirracista continuam tão necessários. Ainda mais quando o país assiste estarrecido ao assassinato do negro João Alberto pelos seguranças brancos de uma loja do Carrefour em Porto Alegre. A cena cometida na véspera do Dia da Consciência Negra teve requintes de crueldade. Durante os sete minutos de espancamento e asfixia, outros oito seguranças impediam as pessoas de tentar conter a violência. 

Superar o racismo exige uma tomada de consciência individual. Uma nova atitude. Para isso, precisamos nos informar. Estudar o assunto e sobre ele refletir para não reproduzirmos a discriminação. Para não sermos prisioneiros inconscientes do racismo velado e naturalizado. Na academia, no jornalismo, nas artes e na mídia digital hoje temos uma nova geração de estudiosos que nos ajudam a entender os fundamentos da nossa sociedade estruturalmente racista. Vale dar uma olhada no que estão dizendo alguns desses intelectuais. O Globo (21/11/20) arriscou uma pequena lista: Djamila Ribeiro (filósofa), Sueli Carneiro (filósofa), Jurema Werneck (Anistia Internacional), Winnie Bueno (acadêmica e influenciadora digital), Flávia Oliveira (jornalista) e Sílvio Almeida (jurista). Vale também conhecer alguns dos personagens negros da história de Pernambuco e do Brasil homenageados em esculturas de Abelardo da Hora e Demétrio Albuquerque na cidade do Recife. Solano Trindade (poeta e ativista, Pátio de São Pedro), Naná Vasconcelos (percussionista, Marco Zero), Rainha do Maracatu Elefante Dona Santa (Monumento do Maracatu, Forte das Cinco Pontas), Zumbi (Praça do Carmo), Chico Science (Rua da Moeda). Aguarda-se uma estátua de Badia (fundadora da Noite dos Tambores Silenciosos). 

Precisamos também de iniciativas institucionais para ultrapassar o racismo difuso. Há pouco a Associação dos Magistrados de Pernambuco e a Escola Judicial de Pernambuco organizaram um curso sobre racismo para magistrados e produziram cartilhas sobre o tema. A polêmica que se seguiu é uma prova da necessidade da iniciativa. O caminho por superar o racismo passa por normas jurídicas como o art. 5º da CF/88, XLII (“a prática do racismo constitui crime inafiançável e imprescritível, sujeito à pena de reclusão, nos termos da lei”) e a Lei nº 7.716/89. Assim como por ações afirmativas na educação e no mercado de trabalho. Os movimentos sociais organizados têm seu papel e com eles há que aprofundar o diálogo. A tão criticada imprensa está cumprindo função relevante. Basta ver as matérias publicadas neste Diario de Pernambuco para celebrar o Dia da Consciência Negra. Ou as matérias da TV Globo no NE TV1, Jornal Nacional e em suas telenovelas. Não enxergar isso pode equivaler ao negacionismo do presidente que silenciou diante da morte de João Alberto e apressou-se a anunciar, na reunião do G-20, que o Brasil não teria tensão racial. O velho mito de que o Brasil seria uma democracia racial. Acredita quem quer. 

Espera-se que as autoridades municipais recém-eleitas façam mais do que emitir notas de repúdio ao racismo estrutural. Que tal começar com a composição dos cargos da administração? Elas não poderiam refletir, pelo menos aproximadamente, a composição étnica e de gênero da nação? É ousado arriscar que se tivéssemos mais negros e mulheres no secretariado e demais órgãos da administração teríamos gestões mais sensíveis à causa do combate ao racismo e à misoginia? O país parece estar acordando do torpor que negava o racismo. Os dados refutam o argumento ingênuo ou interessado. Por isso, hashtags como #VidasNegrasImportam e #JutiçaporBeto estão bombando nas redes.

*Advogado formado pela FDR da UFPE, PhD pela Universidade Oxford


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha