Jaboatão - Nova UBS PET

01/08


2021

Alta dos alimentos faz brasileiro temer a volta da inflação

Por Fernando Castilho*

Nos últimos meses, os brasileiros passaram a conviver com um nível de inflação que, entre os mais novos, só tinha referência o governo Dilma Rousseff, e, para os mais velhos, o período que antecedeu a chegada do Real, em 1994.

O noticiário econômico já trata do tema, inclusive prevendo que 2021 deve ter Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 8,07% no período de 12 meses. Medidos até junho, os últimos 12 meses chegam a 8,35%. Há certeza de que a taxa Selic, que fixa os juros pagos pelo governo, fechará 2021 em 6,50%. 

Mas a inflação do cidadão tem números maiores. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o grupo de alimentos, em 12 meses, cresceu 12,59%. Mas, na ponta, itens como óleo de soja (83.93%), feijão macaçar (59,92%) e arroz (45,40%) assustam as donas de casa.

As carnes bovinas, na média, subiram 38,25% e o corte mais caro do boi, o Filet Mignon, aumentou 53,52%. Pouca gente come Filet Mignon, por isso o peso maior é sentido no frango inteiro, que subiu 19,55%.

Na esteira da inflação dos alimentos, outros itens passaram a assustar, subiram 16,88%. Essa inflação atinge mais as famílias que recebem até dois salários mínimos, na hora de comprar comida.

É uma situação curiosa. O noticiário que fala do crescimento das exportações de soja, milho, carnes bovinas, suínas e de frango é o mesmo que, na sequência, relata a explosão de preços cobrados em Real.  

A exportação de soja e milho impacta diretamente o preço do óleo de soja, margarinas, fubá e todo o complexo de carnes que usa farelo de soja e milho para a produção de proteína animal.

Segundo o IBGE, a alimentação no domicílio foi de 0,33% em junho, puxada pelas carnes (1,32%), que subiram pelo quinto mês consecutivo e acumulam alta de 38,17% em 12 meses.  

O IPCA, que oficialmente mede o índice da inflação no Brasil, foi de 0,53% em junho. No ano, o índice acumula alta de 3,77% e, nos últimos 12 meses, 8,35% - acima dos 8,06% observados nos 12 meses anteriores. 

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, oito tiveram alta de preços em junho. O maior impacto veio da Habitação e, na sequência, Alimentação e Bebidas (0,43%). 

No grupo Alimentação e Bebidas, as quedas na batata-inglesa (-15,38%), a cebola (-13,70%), o tomate (-9,35%) e as frutas (-2,69%) ajudaram o consumidor.

Mas nem só de alimentos vive a inflação do brasileiro. Energia elétrica já subiu 14,20% e combustíveis domésticos, 22,98%.

Eles também assustam. Mas, além do IPCA, um outro índice assusta milhares de consumidores: o IGPM, que é usado para os reajustes dos contratos de aluguel. Ele subiu tanto em 12 meses que foi abandonado pelo mercado. Em 12 meses, o índice chegou a 33,83%, Apenas em 2021 ele já subiu 15,98%.  

Na mesa de negociação são poucos os proprietários que usaram o índice cheio. Como os senhorios sabem que subir o valor do aluguel pelo IGPM pode significar meses fechado e despesas com o condomínio, a opção foi negociar.

O que pouca gente percebe é que fora do índice da inflação (IPCA), do PIB, da taxa Selic e do desemprego, o IBGE, o Banco Central e a Fundação Getúlio Vargas (FGV) também produzem uma série de forte impacto na nossa vida diária.  

Um desses índices é o Índice de Preços ao Produtor (IPP), voltado para a indústria e mede a variação de preços de venda recebidos pelos produtores de bens e serviços e sinaliza as tendências inflacionárias de curto prazo no País. Ele é essencial como instrumento analítico para tomadores de decisão, públicos ou privados. Em 12 meses, o IPP já está em 36,81% e só em 2021 chegou a 19,11%. 

O IPP é desconhecido pelo cidadão comum. Mas ele é acompanhado pelos analistas e, segundo o IPP de junho, em 12 meses, a fabricação de produtos alimentícios (maio/2020 e junho/2021) registrou uma inflação de biocombustíveis (cujos preços são regulados em dólar) chegou em 2021 a 76,64%.

A única informação boa é que a inflação de um ano no setor de fabricação de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos subiu apenas R$ 8,69%.  

Para toda uma geração que nasceu depois da criação do Real, de fato, a ideia de uma inflação que passe de 10% ao ano é mesmo impensável.

Mas é importante lembrar que houve uma quebra do PIB do País, em 3,50% (2015) e 3,30% (2016) levando a um impeachment. 

Por isso, a ideia de inflação acima de 8,06% no ano assusta. Talvez o nossa maior conquista como nação.

Alta do IGPM assustou o mercado

No debate da inflação desde o final de 2020, um índice passou a ter atenção especial. O IGP-M. Ele é uma das versões do Índice Geral de Preços (IGP), que registra a variação de preços do mercado. Ele engloba desde matérias-primas agrícolas e industriais até bens e serviços finais.

O motivo da atenção com o IGPM foi sua variação: 33,83% em 12 meses. Só em julho ele variou 0,78% e, com este resultado, o índice acumula alta de 15,98% no ano. O alarde já existia em 2020, quando o índice havia subido 2,23% e acumulava alta de 9,27% em 12 meses.  

O problema do IGPM é que ele é usado como indicador para o reajuste de custos em contratos de aluguel e energia elétrica, o que nesse tempo de crise hídrica acentua a importância.  

Na vida prática, as pessoas só sabem da existência do IGP-M quando vão estabelecer um contrato de aluguel, já que esse índice influencia diretamente no valor pago mensalmente.

O problema é que o IGPM é formado por três outros índices: IPA-M (Índice de Preços ao Produtor Amplo – Mercado), IPC-M (Índice de Preços ao Consumidor – Mercado) e INCCM (Índice Nacional do Custo da Construção – Mercado). O IPA-M tem peso de 60% no IGPM e é ele que monitora os preços recebidos pelos produtores domésticos no atacado (tanto industriais quanto agropecuários) E como esses produtores trabalham com o dólar, o IGP-M disparou.  

O aumento do IGP-M levou o Congresso aprovar uma lei para substituí-lo pelo IPCA. O mercado imobiliário não gostou, porque o padrão IGPM já está em uso há 30 anos e inquilinos e locatários já estavam se entendendo. A lei foi aprovada, mas o mercado encontrou o caminho da negociação.

Taxa de juros. O BC chegando atrasado na atitude

Nesta terça e quarta-feira, o Banco Central faz a sua quinta reunião do ano. Até dezembro devem ocorrem semana será mantida a tendência de alta, podendo a taxa subir para 6,50% em dezembro.  

A Selic é uma taxa referencial. Ela baliza o mercado e ficou em apenas 2% entre 16 de setembro do ano passado e 18 de março último. Desde então, iniciou uma tendência de alta que a elevou para 4,25% desde 17 de junho, devendo chegar a 5% esta semana.

A retomada da alta é motivo de críticas de analistas do mercado que avaliam que o Banco Central foi cauteloso demais em mantê-la em 2%, permitindo que a inflação fosse alimentada. 

Mas para o ex-ministro da Fazenda Maílson da Nóbrega, “A mudança no panorama inflacionário obriga o Banco Central a fazer isso, senão ocorrerá a contaminação da taxa para 2022”. 

Com a taxa Selic de 2%, a inflação no Brasil subiu, deixando os juros negativos. A correção tornou-se uma necessidade urgente, embora nas suas atas (documento em que explica sua decisão ao mercado) o BC venha insistindo que agiu no prazo certo.

O problema é que a alta do dólar, que impulsionou as exportações e fez a alegria do agronegócio, teve efeito no mercado interno onde, além dos alimentos, todos os demais setores enfrentaram pressão de alta.  

Juros altos assustam o mercado, ponta as taxas não tenham subido nos mesmos índices da inflação, as dificuldades na economia prejudicam especialmente as pequenas e médias empresas.

O preocupante é que no mercado existe a certeza de que até a última reunião do Copom, em 7 e 8 de dezembro, a Selic chegue a 6,50% - a mesma taxa entregue por Michel Temer a Jair Bolsonaro. Para Maílson, se isso acontecer, “a vantagem é não precisar elevar a Selic ao longo do próximo ano e manter neste nível até 2023”.

Exportações cresceram empurradas pelo dólar

No ano passado, as exportações brasileiras do agronegócio somaram US$ 100,81 bilhões, com um crescimento de 4,1% sobre 2019.

Apenas o complexo soja cresceu 35% (US$ 35,24 bilhões). A seguir vieram as carnes, com crescimento de 17% (US$ 17,16 bilhões) e os produtos florestais - representados por papel e celulose, que cresceram 11,3% (US$ 11,41 bilhões); e o complexo sucroalcooleiro, com 9,9% tudo que foi exportado pelo setor em 2020.

Só que isso tem repercussão em Real destino do produto, comprando 73,2% da soja em grãos exportada pelo Brasil, no total de US$ 20,91 bilhões, seguida do farelo de soja - somaram US$ 5,92 bilhões, um recorde nas quantidades da série histórica. A China também comprou mais carnes de boi, frango e porco. O problema é que esse sucesso vai bater na mesa do brasileiro. 

No caso do farelo de soja, usado para alimentação dos animais na engorda. Mais farelo exportado é menos farelo para a indústria de carnes, especialmente frango e porco. No caso das carnes, segundo o IBGE, medindo o IPCA existem detalhes curiosos. Do filet mignon que subiu (53.52%), o problema foi para os principais cortes, que subiram acima de 30%. Caso do contrafilé (36.115), lagarto (40,21%) acém (40,94%) e costela (45,30%) e carne Sol (13,60%). Na esteira dos aumentos, a carne de porco subiu 32.39% e o frango inteiro, 19,55%. 

O problema do sucesso na exportação é que ele acabou resvalando para os demais produtos como ovos (8,04%), leite longa vida (11,37%) e o café moído 11,18%. E na esteira disso, até mesmos produtos agrícolas tiveram reajustes. O arroz e o feijão formam os grandes vilões, porque sendo comodities 

*Jornalista. Titular da coluna JC Negócios, do Jornal do Commercio.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo - Pavimentação e Drenagem

Confira os últimos posts



27/09


2021

Congresso derruba veto e permite formação de federação partidária

Os parlamentares decidiram tornar lei o projeto (PL 2522/15) que permite aos partidos políticos se unirem em uma federação. O veto à proposta foi derrubado hoje em sessão do Congresso Nacional. Em seguida, a sessão foi encerrada.

A federação partidária permite aos partidos se unirem para atuar como uma só legenda nas eleições e na legislatura, devendo permanecer assim por um mínimo de quatro anos. A federação também contorna efeitos da cláusula de desempenho, que limita acesso ao Fundo Partidário e ao tempo de televisão aos partidos que não atingirem um mínimo de votos nas eleições.

O projeto havia sido vetado totalmente pelo presidente Jair Bolsonaro com o argumento de que a federação partidária contraria o interesse público por ter “características análogas à das coligações partidárias, que foram proibidas pela Emenda Constitucional 97, de 2017, para aprimorar o sistema representativo, com a redução da fragmentação partidária”.

O PCdoB liderou as negociações pela derrubada do veto e é apontado como o maior beneficiário da norma. “Foi uma caminhada de muito tempo e, felizmente, vitoriosa”, disse o líder do partido, deputado Renildo Calheiros (PCdoB-PE). Ele ressaltou que a promulgação precisa ser feita antes do dia 2 de outubro para a norma ser aplicada nas eleições de 2022.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina setembro 2

27/09


2021

Toritama inicia cadastro de jovens para vacinação

Chegou a vez dos jovens de 12 anos ou mais se vacinarem contra a Covid-19 no município de Toritama, no Agreste. O cadastro para vacinação é feito pelo site da prefeitura www.toritama.pe.gov.br ou pelo disk-vacina (81) 9.9228-2075.

Os jovens devem comparecer acompanhados de seus pais ou responsáveis, portando preferencialmente RG e CPF ou RG e cartão do SUS.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Sindicontas

27/09


2021

UPE, Grupo DP e ACP firmam convênio de cooperação técnica

Hoje, a Universidade de Pernambuco (UPE) assinou convênio de cooperação técnica junto com o Grupo DP, em Pernambuco representado pela Concretta – Tecnologia e Pavimentação, e o município de Xexéu, com interveniência da Associação Comercial de Pernambuco (ACP). Estavam presentes o reitor da UPE, Pedro Falcão, o advogado e presidente da ACP, Tiago Carneiro, Carlos Campos, presidente do Grupo DP, e o prefeito de Xexéu, Thiago Gonçalves.

Durante o momento, as entidades afirmaram o comprometimento e ações como a assinatura do protocolo de intenções, de modo que fosse implantado o primeiro quilômetro de pavimento 100% ecológico, no Brasil e na América Latina.  Com propriedades inovadoras e ecologicamente sustentáveis, a novidade promete trazer para o setor de infraestrutura dos transportes uma alta durabilidade, resistência aos esforços mecânicos e ampla versatilidade em sua aplicação. “Mais uma parceria em prol do crescimento do nosso Estado. A Associação Comercial de Pernambuco segue com esse comprometimento social. Um passo de muitos que ainda virão", celebra Tiago Carneiro.

A cooperativa chega com diversas estratégias de planejamento. Uma delas é a escolha do município de Xexéu, na Zona da Mata Sul, por sua localização estratégica na divisa com Alagoas, onde se demarcou uma área no bairro de Campos Frios. Nesse local, ônibus escolares e veículos de grande porte trafegam por um trecho em aclive com aproximadamente 10 metros de elevação.  Ainda no bairro, haverá a mobilização de engenheiros europeus para a implantação do projeto, que desembarca no Recife neste final de semana.

“A assinatura desse convênio permite que a UPE estude a utilização de bio enzimas para pavimentação de estradas. E com isso ela cumpre seu papel social, que é de contribuir para desenvolvimento em Pernambuco, incluindo, mudanças nos padrões de construções de estradas pavimentadas, principalmente no interior do Estado. Assim, promovendo desenvolvimento econômico, social e ambiental orientados para o desenvolvimento sustentável", explica Márcia Macedo, pesquisadora da Universidade de Pernambuco e doutora em engenharia civil.

A escolha de Pernambuco para a cooperativa técnica se deu por sua localização geograficamente estratégica, além do seu porto em Suape, e da articulação interinstitucional da ACP, que trouxe todos os partícipes para a união de esforços em volta de uma revolução sem precedentes.

Projeto pioneiro, o Green Soils Technologies (GST) coloca Pernambuco na vanguarda da inovação tecnológica, do desenvolvimento sustentável e na criação de um novo modelo de cooperação, envolvendo a UPE, o empresariado e o poder público. Este projeto piloto, que é o primeiro no Brasil utilizando o GST, traz para Pernambuco, também, o pioneirismo para o uso de materiais não poluentes, 100% ecológico, bioreagente e biodegradável para a infraestrutura viária.

Já na próxima sexta-feira (01), aproveitando o aniversário de 30 anos da emancipação política do município de Xexéu, será entregue a população o resultado destes esforços, contemplando o momento de celebração, unido ao ápice do projeto, que contará com a presença de autoridades, políticos, empresários, acadêmicos e da população local.

A Associação Comercial de Pernambuco – ACP é a mais antiga entidade associativa do setor empresarial de Pernambuco, tendo sido fundada em 1839. Desde seus primeiros anos de vida, a ACP teve como princípio e como estratégia organizacional e de trabalho atuar de forma associativa e com a interação, a mobilização e a participação articulada da classe empresarial pernambucana.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


27/09


2021

Tribuna do leitor

Aí está um retrato abusivo do Governo do Estado. Trata-se de quatro funcionários efetivos do Detran, em pleno domingo, multado motoristas que usam, aos domingos, a faixa exclusiva do BRT.

O detalhe é que, aos domingos, o BRT não funciona, ou seja, o trânsito no final da Avenida Caxangá, sentido Camaragibe, engarrafa porque uma via do BRT não pode ser usada porque, aos domingos, é exclusiva para absolutamente nada.

O cobrador de impostos e punitivo Paulo Câmara não se importa nem com um detalhe tão ridículo. Parei e questionei os agentes de trânsito e recebi a seguinte resposta: “Procure seus direitos na justiça”. Com todo respeito aos engenheiros de Pernambuco, mas os imbecis que cuidam do trânsito são todos formados em engenharia de pesca.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca - Microempreendedores

27/09


2021

Valdemar Costa Neto pede demissão de diretoria do Banco do NE

O presidente nacional do Partido Liberal, Valdemar Costa Neto, pediu, hoje, a demissão de toda a diretoria do Banco do Nordeste. A atual direção do banco foi indicada pelo Partido Liberal.

“Fui surpreendido, na sexta-feira à noite, com WhatsApp do presidente da República me questionando se eu tinha conhecimento no Banco do Nordeste, que tinha um contrato lá de aproximadamente R$ 600 milhões com uma ONG”, afirma em vídeo. O valor seria anual.

Segundo o Partido Liberal, já foi enviado ofício ao ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, e à ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, com o pedido da demissão do presidente e de toda a diretoria.

“Achei uma barbaridade um banco contratar uma ONG por R$ 600 milhões por ano, aproximadamente. E isso há muitos anos. Quando eles entraram no banco, já tinham esse contrato, e nós não tínhamos conhecimento. Nós não podemos ter uma ONG contratada num banco da importância do Banco do Nordeste”, diz.

“O Partido Liberal não pode manter diretores em um banco que encontram uma situação dessas e não tomam providências”, completa Costa Neto.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru volta as aulas 2021

27/09


2021

Senadores derrubam veto à união de partidos em federações

Os senadores derrubaram, por 45 votos a 25, hoje, durante sessão do Congresso Nacional, o veto integral do presidente Jair Bolsonaro a um projeto que permite a dois ou mais partidos se unirem em uma federação partidária e atuarem de forma unitária em todo o país. As informações são do Portal G1.

O veto ainda precisa passar pela análise dos deputados, em sessão a ser realizada ainda na noite de hoje. Se for derrubado na outra Casa, a federação já valerá para as próximas eleições.

A proposta é uma bandeira dos partidos menores, como Rede e PCdoB, que temem não alcançar a chamada "cláusula de barreira", criada para extinguir legendas que não tenham um desempenho mínimo a cada eleição. Com a mudança, o desempenho seria calculado para a federação como um todo, e não para cada partido individualmente.

A federação de partidos, pelo texto aprovado no Congresso, permite a união de siglas com afinidade ideológica e programática, sem que seja necessário fundir os diretórios. A união deve durar, pelo menos, quatro anos. O partido que se desligar antes desse período perde, por exemplo, o acesso ao fundo partidário.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

27/09


2021

Jornal O Poder lança grupos de WhatsApp temáticos

O jornal O Poder, o único em circulação através das redes sociais, lançou, com exclusividade, uma série de grupos temáticos de política no WhatsApp.

Nos grupos, serão divulgadas as matérias que já são publicadas no site, de acordo com os temas de cada comunidade.

Para fazer parte de um grupo, o leitor deve clicar no link disponível e escolher os temas de sua preferência: www.jornalopoder.com.br/grupos/


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Pousada da Paixão

27/09


2021

Bolsonaro: Nada não está tão ruim que não possa piorar

"Nada não está tão ruim que não possa piorar", afirmou, hoje, o presidente Jair Bolsonaro em discurso durante solenidade no Palácio do Planalto. Bolsonaro fez a declaração na cerimônia de comemoração dos mil dias do governo, à qual estavam presentes ministros e parlamentares da base do governo.

"Alguém acha que eu não queria a gasolina a R$ 4? Ou menos? O dólar R$ 4,50 ou menos? Não é maldade da nossa parte. É uma realidade. E tem um ditado que diz: 'Nada não está tão ruim que não possa piorar'. Nós não queremos isso", afirmou.

Na última sexta-feira, o preço médio da gasolina era R$ 6,09, e, nesta segunda, o dólar é cotado a R$ 5,37. O contexto do discurso não permite afirmar se, na declaração, Bolsonaro estava se referindo à economia durante o governo dele ou atribuindo a governos anteriores a alta do combustível e do dólar.

Durante o discurso, momentos antes de se referir ao preço da gasolina e à cotação do dólar, o presidente faz menções aos governos petistas. "Se a facada [que sofreu durante a campanha eleitoral de 2018] fosse decisiva naquele momento, é só imaginar quem estaria no meu lugar. O perfil dessa pessoa, o seu alinhamento com outros países do mundo, em especial, aqui da América do Sul, onde nós estaríamos agora", afirmou em um trecho da fala, depois de se referir à Venezuela.

Em outro ponto, ele se exime de responsabilidade pela situação econômica do país: "Mil dias de governo com uma pandemia que muitos acham que o que acontece hoje no tocante à economia – inflação, preço de combustíveis, de alimentos, entre outros problemas – está acontecendo porque eu sou presidente. E não, em grande parte, pelo que nós passamos e estamos passando ainda."

No discurso, ele também se refere aos anos de governos petistas de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff (entre janeiro de 2003 e maior de 2016): "Você já sabe qual o filme do futuro porque você viveu 14 anos passados esse filme. E pode ter certeza, não serão apenas mais 14 anos. Serão no mínimo 50. É isso que queremos para a nossa pátria?".

O discurso culmina com o comentário sobre a gasolina e o dólar: "Nada não está tão ruim que não possa piorar", afirmou, antes de fazer menção a uma passagem bíblica e encerrar o pronunciamento.

Na mesma cerimônia, Bolsonaro também disse que as Forças Armadas não cumprirão eventual ordem dele ou de outro governante considerada "absurda" e assinou a revogação de 892 decretos com normas consideradas desnecessárias por já terem perdido validade ou eficácia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Carlos Souza

Um homem que não tem pulso pra assumir suas posições, e talvez nem as tenha... Um homem que instiga e depois abandona apoiadores... Um homem que se exime de qualquer responsabilidade... Esse homem não pode ser considerado um líder. Esse cara tem feito do Brasil uma piada diária.

Joao

Seja qual fosse o presidente eleito em 2018, menos essa desgraça que aí está, seria muito melhor. Presidente inepto, cercado de lambe-botas incompetentes, todos guiados por uma ideologia imbecil, associado a um fanatismo evangélico idiota, comandado por gente como Silas mala sem alça.


SESC Agosto 2021

27/09


2021

Prefeito celebra conquista de motoniveladora para Brejo

O gestor do município de Brejo da Madre de Deus, Roberto Asfora, conquistou, através do secretário nacional de Mobilidade e Desenvolvimento Regional, Tiago Pontes Queiroz, uma máquina motoniveladora (Patrol) 0 km. A patrol é de última geração, além de todos os itens necessários aos serviços de terraplanagem a máquina oferece mais conforto e segurança ao operador, já que possui cabine coberta, com vidro nas laterais e equipada com som e ar-condicionado.

O prefeito Roberto Asfora reuniu-se com Tiago Pontes e falou sobre a parceira que tem rendido frutos para o município. “Tiago Pontes é um irmão que tem ajudado muito nosso município, conseguimos essa nova Patrol para melhorar trafegabilidade na zona rural e em breve novas conquistas estarão vindo para melhorar a qualidade de vida de nova população”, disse.

O município tem mais de 840km quadrados e é detentor de uma das maiores áreas rurais do Estado de Pernambuco, são aproximadamente 2 mil quilômetros de estradas rurais. Na sua primeira passagem pelo poder público, Asfora conquistou duas motoniveladoras que sempre serviram às comunidades rurais, ao voltar, Roberto encontrou apenas uma máquina funcionando. Com a nova conquista, agora são três máquinas conquistadas pelo governo Roberto Asfora. “Sempre busquei trabalhar nas comunidades rurais. Estradas boas trazem dignidade ao homem do campo que depende delas para escoar seus produtos e aquecer nossa economia. Nossa gestão vai recuperar a outra máquina e vamos ter as três em pleno funcionamento”, enfatizou o prefeito.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes Agosto 2021

27/09


2021

Floresta: Rorró assina ordem de serviço de quadra poliesportiva

Na última quinta-feira, a prefeita de Floresta, Rorró Maniçoba (PSB), assinou a ordem de serviço para início da obra de construção de um ginásio poliesportivo no distrito de Nazaré do Pico, zona rural do município. O novo espaço de esporte e lazer é fruto da emenda parlamentar do ex-deputado federal Kaio Maniçoba, atual presidente do IPA (Instituto Agronômico de Pernambuco) e contrapartida da Prefeitura Municipal.

Segundo a prefeita, serão investidos R$ 810.112,80 mil na construção do novo equipamento que levará mais opção de lazer e esportes para os jovens e a população daquela comunidade. Em sua fala, Rorró se disse feliz por poder trabalhar para melhorar a vida dos florestanos.

“Se tem uma coisa que me deixa feliz é saber que vamos realizar algo para melhorar a vida de muita gente. Iniciaremos as obras do Ginásio Poliesportivo, graças a emenda do ex-deputado Kaio Maniçoba, que sempre tem trabalhado por nossa gente”, afirmou.

A solenidade realizada no Distrito de Nazaré do Pico contou com as presenças do ex-deputado e atual presidente do IPA, Kaio Maniçoba; do administrador distrital, Rominho; dos vereadores Victor Laert e Pedro Henrique Lira, além de secretários municipais.

Durante o evento, a prefeita também ressaltou que a sua gestão está investindo R$ 163.166,33 em novos veículos, complementando emendas dos Deputados Gonzaga Patriota (PSB) e Fabrizio Ferraz, recebidas para a compra de carros para a saúde. Segundo Rorró Maniçoba, esses investimentos só estão sendo possíveis devido a equilíbrio promovido nas contas da prefeitura de Floresta e a ousadia de investir no melhor para a população.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha