Pousada da Paixão

09/05


2021

NE que deu certo: Polo têxtil de Petrolina é página virada

Há 28 anos, quando lancei O Nordeste que deu certo, reproduzido neste blog na sua forma original, mas com dados e contextos atualizados, Petrolina parecia destinada a diversificar sua atividade econômica com o renascimento da indústria têxtil. O capítulo a seguir foi construído nessa perspectiva, focado no sonho de investidores, como a empresária Maria Teresa Coelho, filha do ex-governador Nilo Coelho, já nos braços de Deus.

Ela apostou fortemente em transformar o São Francisco num polo de confecções para abastecer ou competir com o próspero mercado, agora mais do que nunca efervescente, do Agreste, girando em torno de Santa Cruz do Capibaribe, onde até o empresário José Roberto Massa, o Ratinho, investe na construção de um shopping popular.

Faltaram, entretanto, incentivo e visão estratégica dos órgãos governamentais, o que, infelizmente, levou a CTC, de Maria Teresa, geradora de um grande número de empregos naquela época, numa região tão carente, a fechar suas portas, pondo fim, de forma surpreendente e frustrante, a um ciclo que despontava com muito vigor e esperança. Confira! 

A outra face de Petrolina 

Capítulo 3

Famosa internacionalmente como centro de exportação de frutas, Petrolina começa a despertar também para a exploração de uma nova vocação: a de polo têxtil e de confecção de malharia. Duas fiações tomam conta do mercado – a Companhia Têxtil do Vale (CTV) e a Grande Rio Têxtil Ltda (Rio-Tex). A primeira, pertencente à família do ex-senador Nilo Coelho, saiu na frente e já exporta 230 toneladas por mês de fio de algodão para os Estados Unidos. 

A Grande Rio Têxtil, integrante do complexo Casa Queiroz, está produzindo em caráter experimental, enquanto sua sede é concluída no Distrito Industrial de Petrolina. A atividade é a nova aliada na geração de empregos na região. Embora o Nordeste tenha sido o maior produtor de algodão e tenha ainda potencial para retornar à posição, a matéria-prima que abastece as duas novas unidades têxteis, incrivelmente, é importada da Grécia e da África.

“Não temos outra opção”, revela a empresária Maria Tereza Coelho de Souza, que dirige a CTV. Segundo ela, 200 toneladas de algodão são consumidas por mês na fábrica, provenientes da Grécia e África, porque não há a matéria-prima na região. “Nosso desejo é deixar esse dinheiro circulando aqui, mas não temos alternativa de abastecimento”, completa.

Tereza está fazendo um investimento de US$ 40 milhões na ampliação da CTV, através de recursos garantidos pelo FNE, repassados pelo BNB. Sua meta é duplicar a fiação e colocar uma malharia em funcionamento com capacidade para 160 toneladas/mês. Seu sonho é transformar Petrolina num polo de confecção para abastecer não só a imensa rede de lojas da região, mas principalmente o mercado externo. A fábrica existe desde 1973, mas só depois de adquirida pelo grupo Coelho retomou produção em nível considerado competitivo. 

Já a empresária Elze Queiroz, uma das sócias do empreendimento Rio Têxtil Ltda, investiu US$ 3 milhões numa unidade industrial que começou a funcionar em meados deste ano, gerando 200 empregos diretos, com uma capacidade de produzir 200 mil quilos de fio/mês. Ela também teve o projeto aprovado pelo FNE e, a exemplo de Maria Teresa Coelho, comprou máquinas modernas para produzir numa velocidade suficiente e capaz de atender à demanda do mercado internacional.

Filha do ex-senador Nilo Coelho, Maria Tereza praticamente deixou suas atividades no escritório do grupo em Salvador, onde mora, para se dedicar à consolidação da CTV em Petrolina. “Eu herdei do meu pai o amor por essa terra, a fé, o carinho ao seu povo. Fico feliz em dar uma contribuição para o desenvolvimento de Petrolina”, desabafa. Ela integra o grupo das “cinco marias” – juntamente com Dulce, Alice, Carolina e Luciana -, todas filhas do ex-senador e que, agora, com a divisão da família, dirigem as indústrias Coelho, formadas pela CTV e uma fazenda na Bahia. 

O grupo tinha ainda uma outra unidade têxtil no Piauí, mas na divisão do patrimônio acabou ficando para os irmãos Adalberto, Geraldo e Augusto. Maria Tereza toca a CTV com uma disposição de fazer inveja. Às 7h, já está no pátio da fábrica para conferir a produção do dia anterior. Almoça invariavelmente no próprio local de trabalho, e de lá só sai tarde da noite, acompanhando de perto o embarque da produção nos caminhões com destino ao porto de Suape, onde o produto é embarcado para os Estados Unidos.

Casada com um empresário ligado a Antônio Carlos Magalhães, governador da Bahia, Maria Tereza viaja uma vez a cada 15 dias para Salvador, de ônibus, numa distância de 500 quilômetros. “Quando estou em Salvador não consigo tirar o pensamento disso aqui”, diz ela, referindo-se ao projeto de expansão da sua fábrica de algodão.

Maria Tereza acha que, se Petrolina não fosse cercada por municípios tão pobres, a cidade já estaria sendo referência para o Brasil. “Temos uma baixa taxa de desemprego, mas poderíamos hoje ocupar uma posição bem mais privilegiada se não fosse a migração dos municípios próximos em direção a Petrolina”, afirma.

A empresária garante que não está ganhando muito dinheiro com a CTV. “Herdamos um passivo muito alto e estamos fazendo investimentos bem mais altos ainda”, diz, adiantando que só com 12 teares gastou US$ 5 milhões, trazendo equipamentos de última geração.

Segundo ela, para cobrir o passivo, a previsão é de que dure ainda dois anos. “Nossa previsão é de que tenhamos um faturamento de US$ 1,5 milhão/mês”, prevê, apostando no futuro da empresa, notadamente na consolidação de Petrolina como polo de confecção da região. 

Na CTV, ela mantém, ainda, um refeitório que, além de alimentar os 482 funcionários da empresa, abastece seis grandes outras empresas de Petrolina, o que lhe permite cobrir as despesas com o custeio do refeitório. Mas Tereza pensa em se transferir definitivamente para Petrolina, dependendo de uma resposta que a CTV der no momento em que a parte de produção de malhas estiver funcionando.

Diversificação

Quando estiver com a área de confecção de malhas produzindo a todo vapor, a Companhia Têxtil do Vale (CTV) vai gerar mais 500 novos empregos diretos em Petrolina. Hoje, numa área de 11 mil metros quadrados, o produto final é o tecido de algodão, comercializado para os Estados Unidos. “Com a malharia, nós vamos fazer toalhas, roupa de cama, camisas e outros produtos”, diz Maria Tereza, adiantando que será um grande avanço para a região.

É que, segundo ela, em torno do polo Petrolina-Juazeiro há dezenas de confecções que no futuro deixarão de comprar nos grandes centros urbanos, passando a adquirir o produto diretamente na CTV. “Vamos ter um avanço enorme”, acredita o economista Paulo Almeida, superintendente da indústria. 

Coube a ele a iniciativa de divulgar na região e em algumas capitais do Nordeste que Petrolina já produz tecido de algodão e que, brevemente, terá uma grande fábrica de malhas. Essa divulgação está sendo feita através de outdoor, chamadas nas televisões e com o marketing direto de vendedores contratados para as capitais. 

Petrolina, na opinião de Paulo, pode vir a ser um grande polo de confecções, bem maior que Santa Cruz do Capibaribe. “Na Bahia não existe fábrica, nós estamos ligados a Juazeiro que tem mais de 200 mil habitantes e maior ou igual número de comerciantes que vivem de malhas”, observa. 

A CTV, de acordo com o seu superintendente, possui também avançado processo de produção de tecido. “Nosso sistema é todo automatizado, tanto no que se refere à cor do tecido, quanto à engrenagem para selecionar o melhor fio”, diz, acrescentando que a lagoa de estabilização, também montada recentemente, faz o tratamento de antipoluição.

“Nós temos o melhor tingimento do algodão da América Latina”, comemora ele, para acrescentar. “Só precisamos de mais incentivos”. Na CTV, o algodão, ainda como matéria-prima inacabada, passa por um processo simples. “Primeiro – diz Paulo – escolhemos o tingimento do algodão, depois fazemos a sua fiação para chegar a um bom tecido. Embalamos, e já na última etapa fazemos a expedição para levar até os caminhões com destino ao porto de Suape”.

A vantagem da CTV, no momento em que ela concretizar projeto de confecção de malhas, será a sua enorme capacidade de fazer estoque. “Nós, hoje, só estamos operando com 50% da nossa capacidade. Concluído o projeto, temos condições de abastecer praticamente toda a região nordestina”, prevê Paulo, que não tem dúvida ao afirmar que Petrolina vai ter o maior impulso em torno da indústria têxtil. “Petrolina, que hoje já cresce a taxas surpreendentes, terá condições, sem dúvida, de dar um pulo em curto espaço de tempo, porque estamos tocando uma atividade geradora de emprego”, assinala.

Mão-de-obra

A mão-de-obra especializada absorvida no parque industrial têxtil de Petrolina não vem de fora. É aproveitada na própria região. Simone Maria de Souza, 18 anos, que trabalha na área de controle de qualidade da CTV, é um exemplo disso. Depois de iniciar estudos na Escola Técnica de Petrolina, foi aprovada no teste de seleção e vem dando conta do recado.

Ela recebe salário mínimo e diz que ficou muito feliz com a reativação da indústria de algodão na área do São Francisco. “Não poderia ter existido coisa melhor. A gente tem mais opções de emprego”, destaca. Simone é pernambucana, mas mora em Juazeiro, dedica tempo integral ao trabalho e revela entusiasmo com a experiência. “Está sendo muito importante para mim, pois estou colocando em prática o que vi nos estudos de química da escola”, conta. 

Implantada há menos de dois anos por influência do deputado federal Osvaldo Coelho, a Escola Técnica Costa Pinto se encaixa perfeitamente no conceito de metamorfose vivido por Petrolina. Antigamente não havia nenhuma escola de nível médio voltada para especialização na região, o que impedia que os jovens ampliassem seus conhecimentos.

Hoje, centenas deles são lançados no mercado de trabalho com especialidade em todos os campos de atividades, principalmente na área agrícola. “A maioria dos técnicos agrícolas que trabalha para nós precisou sair daqui para estudar lá fora”, diz o empresário José Miguel de Assunção, que dirige 23 fazendas no polo Petrolina-Juazeiro, empregando mais de 50 jovens que deixam a Escola Técnica.

A empresária Tereza Coelho revela que tem preferido dar oportunidade de estágio na CTV a estudantes que ingressaram na Escola Técnica de Petrolina. “Eles já chegam com uma boa bagagem teórica, e aqui conseguem materializar seus sonhos”, afirma, acrescentando que tem sido rotina aceitar estagiários na fábrica de fiação. Com a ampliação, ela espera oferecer muito mais oportunidades de emprego para os que estão concluindo cursos de formação técnica. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina abril 2021

Confira os últimos posts



15/06


2021

PE é o pior estado para se manter um negócio, diz Banco Mundial

Do G1

O Banco Mundial divulgou, hoje, um relatório no qual informou que São Paulo, Minas Gerais e Roraima são os estados onde é mais fácil abrir e manter um negócio. De acordo com o estudo, Pernambuco, Espírito Santo e Amapá ocupam as últimas posições.

Esta é a primeira vez que a instituição relaciona "boas práticas" e "obstáculos regulatórios" em todos os 26 estados e o Distrito Federal. Até então, o relatório abrangia somente os dados de São Paulo e Rio de Janeiro.

Segundo o documento, chamado "Doing Business Subnacional Brasil 2021", cinco indicadores foram levados em consideração:

  • abertura de empresas: tempo, procedimentos e custos para iniciar formalmente as atividades de uma empresa;
  • obtenção de alvará de construção: tempo, procedimentos e custos para uma empresa obter o alvará de construção;
  • registro de propriedades: tempo, procedimentos e custos para que uma empresa possa adquirir uma propriedade comercial de outra e transferir o título de propriedade para o seu nome. Inclui também avaliação da qualidade do sistema de administração fundiária;
  • pagamento de impostos: impostos e contribuições obrigatórias que as empresas devem pagar ao longo do ano, além do tempo e processos envolvidos;
  • execução de contratos: tempo e custo necessários para resolver um litígio comercial recorrendo a um tribunal local de primeira instância.

Para fazer o relatório, o Banco Mundial utilizou dados até 1º de setembro de 2020. Foram analisadas somente as capitais de cada estado brasileiro.

Em nota, a instituição destaca que nenhum estado ocupa o primeiro lugar nos cinco indicadores analisados, o que mostra que "há espaço para que todos os estados aprendam uns com os outros".

No ranking geral que mede a facilidade de fazer negócios, medido pelo Banco Mundial no relatório "Doing Bussiness", o Brasil ocupa a 124ª colocação entre 190 países.

Ranking

Veja o ranking divulgado pelo Banco Mundial:

  1. São Paulo
  2. Minas Gerais
  3. Roraima
  4. Paraná
  5. Rio de Janeiro
  6. Tocantins
  7. Mato Grosso do Sul
  8. Sergipe
  9. Ceará
  10. Piauí
  11. Goiás
  12. Distrito Federal
  13. Rondônia
  14. Acre
  15. Maranhão
  16. Amazonas
  17. Paraíba
  18. Alagoas
  19. Mato Grosso
  20. Santa Catarina
  21. Rio Grande do Norte
  22. Rio Grande do Sul
  23. Pará
  24. Bahia
  25. Amapá
  26. Espírito Santo
  27. Pernambuco

Outros destaques

No relatório, o Banco Mundial também comparou a média nacional dos estados brasileiros com o restante do mundo. Os principais destaques são:

  • Em média, abrir uma empresa no país exige 15,4 dias e 11,1 procedimentos. O tempo é melhor que a média dos países da América Latina e Caribe (29,5 dias), mas pior que o observado nas economias de alta renda da OCDE (9,5), organização que o Brasil quer se tornar país-membro;
  • No Brasil, em média, a obtenção de alvarás de construção requer uma média de 22 procedimentos e 323 dias. O processo é mais complexo do que nos demais países da América Latina e dos países-membros da OCDE;
  • O processo de transferência de propriedades do Brasil é o mais burocrático do mundo, exigindo 15 procedimentos e 39 dias. Contudo, o processo é menos caro, em média, do que em outras economias do Brics (bloco que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), América Latina e Caribe e nos países da OCDE;
  • As empresas gastam, em média, entre 1.483 e 1.501 horas por ano no Brasil para preparar, declarar e pagar impostos. É o período mais longo entre 190 economias analisadas;
  • Resolver uma disputa comercial nas varas cíveis no Brasil leva em média 32 meses e custa 27,2% do valor da ação (estimado em R$ 66.965). Esse processo é mais demorado e mais oneroso do que a média dos países da OCDE.

O estudo foi encomendado pelo governo e financiado pela Confederação Nacional de Bens, Comércio e Turismo (CNC), da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca 2021

15/06


2021

Witzel confirma que irá à CPI da Covid amanhã

Ao saber que foi beneficiado por um habeas corpus que o libera da obrigação de comparecer à CPI da Covid-19, o ex-governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel mandou uma mensagem para o blog do Octavio Guedes garantindo sua presença amanhã na comissão.

A decisão foi do ministro Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), hoje. A convocação de Witzel havia sido aprovada em 26 de maio.

"Vou comparecer. Pode dizer". E concluiu: "Vou me oferecer para ser juiz auxiliar da CPI. Há muito e muitos a serem investigados".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru

15/06


2021

Marco Maciel será homenageado pelo TCE

Amanhã, o Pleno do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE) fará uma homenagem ao ex-governador de Pernambuco e ex-vice-presidente da República, Marco Maciel, que faleceu no último sábado, em Brasília.

A homenagem foi proposta pelo conselheiro Carlos Porto com a aprovação dos demais membros do Conselho do TCE. A reunião está marcada para começar às 09 horas, com transmissão ao vivo pelo canal do YouTube do TCE, o https://www.youtube.com/watch?v=T1jdNjcNt5o


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/06


2021

CDLs do Sertão se mobilizam para funcionamento do comércio

Devido ao enfrentamento de novo decreto que proíbe a abertura do comércio na Região do Pajeú e Moxotó, as CDLs das cidades de Tabira, Sertânia, Serra Talhada, Custódia, São José do Egito e Afogados da Ingazeira entregaram uma carta aberta ao Consórcio de Integração dos Municípios do Pajeú (CIMPAJEÚ), hoje.

Segundo o presidente da CDL Tabira, Jackson Amaral, o documento prevê uma ampla discussão para aplicar soluções que se adequem às necessidades da região em seus aspectos e particularidades. “Na maioria das vezes, são comércios familiares que não têm uma demanda de público significativa que justifique um fechamento. Além disso, precisamos implementar medidas que foquem no real problema, que é a aglomeração de pessoas. Elas, justamente por estarem ociosas, sem trabalhar, acabam se reunindo para ocupar o tempo”, explica.

Dentre as ações reivindicadas pelo grupo, estão:

  • Contenção de aglomerações em chácaras e eventos clandestinos;
  • Aumento da testagem de pessoas;
  • Acompanhamento aos que testaram positivo;
  • Leis e sanções aos descumprimentos dos protocolos de segurança;
  • Vacinação para o comércio.

Para o presidente da CDL Afogados da Ingazeira, a expectativa é de conseguir um comprometimento para a implementação de medidas mais assertivas no combate à pandemia e menos nocivas ao trabalhador. “O interesse é que o governador dite decretos que sejam menos taxativos e deixem uma maior liberdade para o gestor do município fazer as adequações, tanto de restrições como de liberações adaptadas àquela realidade local, que muitas vezes não reflete a realidade do estado e nem da macrorregião”, afirma.

Após a elaboração da carta e contato com o CIMPAJEÚ, tudo indica que haverá uma reunião no início da próxima semana com o poder público para discutir a situação do comércio e analisar soluções.  


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

CABO

15/06


2021

Missa de sétimo dia

A família do ex-senador Marco Antônio Maciel, que morreu sábado aos 80 anos, compartilha, através deste blog, o convite para a missa de sétimo dia, marcada para a próxima sexta-feira, às 18 horas, no Santuário Dom Bosco, em Brasília, com transmissão ao vivo pelo YouTube. O link será disponibilizado apenas no dia, também por aqui a todos que tenham interesse.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes Junho 2021

15/06


2021

Editorial analisa lentidão na vacinação no Brasil

No Frente a Frente de hoje, programa que ancoro pela Rede Nordeste de Rádio, o meu editorial foi sobre a lentidão no esquema de vacinação contra Covid-19 em todo o Brasil. Vale a pena conferir!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

15/06


2021

Projeto de transferência de renda é aprovado em Vitória

O programa Renda Vitória, de autoria do governo municipal, foi aprovado, hoje, na Câmara de Vereadores de Vitória de Santo Antão, por unanimidade. A intenção principal é prestar assistência social àqueles que se encontram em condição de pobreza ou de extrema pobreza, além de fomentar a economia local. Com a aprovação, a lei volta para prefeitura para ser sancionada pelo prefeito Paulo Roberto, quando será regulamentada.

Além de incrementar a movimentação financeira local, o prefeito pretende com o Renda Vitória, estimular a frequência escolar das crianças e adolescentes pertencentes a família que vier a ser beneficiada e efetivar a cidadania daqueles que se encontram em condição de pobreza e de extrema pobreza, principalmente por conta da pandemia que tanto tem maltratado as pessoas.

Para ser incluído como beneficiário do Programa Renda Vitória a pessoa física que precisa residir em Vitória de Santo Antão há, no mínimo, três anos; estar cadastrado na base de dados do Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal e não ser beneficiário do Programa Bolsa Família, auxílio emergencial ou qualquer outro Programa do Governo Federal, Estadual ou Municipal; ter declarado, junto ao Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, renda per capita de até R$ 60,00 (sessenta reais). Além disso, precisa comprovar matrícula escolar das crianças e/ou adolescentes integrantes da família; e possuir carteira de vacinação atualizada dos filhos e/ou dependentes menores dezessete anos.

O valor do benefício será de 110 reais por até seis meses. O pagamento será realizado por meio de cartão magnético ou com chip, o qual poderá ser utilizado em estabelecimentos comerciais de rede conveniada. Até que haja a implantação definitiva do sistema de pagamento do benefício por meio de cartão, poderá ser utilizado outro meio de pagamento.

“Garantimos na lei que apenas estabelecimentos comerciais de gêneros alimentícios de Vitória de Santo Antão possam ser cadastrados para que, assim, o dinheiro circule na nossa própria cidade, estimulando o comércio local com um aporte total de um milhão e trezentos e oitenta mil reais”, explicou o prefeito Paulo Roberto.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Anuncie Aqui - Blog do Magno

15/06


2021

Meira apresenta moções de apoio à CPI na Alepe

O Coronel Meira, presidente Estadual do PTB, entregou, hoje, ao presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, deputado Eriberto Medeiros (PP), dois documentos (do PTB Nacional e Estadual) em apoio à criação da Comissão Parlamentar de Inquérito no Estado.

A CPI, encabeçada pelo deputado estadual Coronel Alberto Feitosa (PSC), visa apurar e elucidar o enigma "de quem partiu a ordem do Governo de Pernambuco" para que o Batalhão de Choque fosse empregado junto a manifestação do último dia 29 de maio, no Recife, que deixou duas pessoas cegas e culminou na exoneração do secretário de Defesa Social e do comandante geral da PMPE.

"Precisamos resolver, de uma vez por todas, essa questão que vem mexendo com a população pernambucana, e, neste intuito, já coletamos 13 assinaturas das 17 necessárias para a instauração da CPI na Alepe", afirmou Feitosa.

"É uma pergunta simples que o povo de Pernambuco e o do Brasil querem saber. Já se passaram mais de quinze dias e até hoje o governador fica se esquivando e tentando empurrar a culpa para os militares. Queremos a resposta imediata! Quem deu a ordem governador Paulo Câmara?", Indagou Coronel Meira.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Ele e seu líder Roberto Jeferson só não apoiam a CPI da covid-19, que investiga as não ações de seu ídolo acéfalo!


Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

15/06


2021

Fernando Filho anuncia recursos para saúde do Araripe

Em visita ao Sertão do Araripe, hoje, o deputado Fernando Filho (DEM-PE) anunciou recursos para a saúde dos municípios de Santa Filomena e Trindade e visitou obras de pavimentação que são realizadas com recursos federais. Ao lado do prefeito de Santa Filomena, Gildevan Melo, o deputado afirmou que R$ 2,4 milhões devem ser liberados pelo Ministério da Saúde até o final de julho para o custeio de hospitais e postos de saúde. A cidade também será contemplada com R$ 1 milhão para pavimentação. 

“Depois do programa de pavimentação de 25 ruas em Araripina, as máquinas já estão trabalhando em Trindade. Falta Ouricuri e Santa Filomena, e eu quero voltar aqui para o ver o asfalto caindo nas ruas de Santa Filomena”, disse Fernando Filho.

Já em Trindade, o deputado e a prefeita Helbinha de Rodrigues vistoriaram as obras de pavimentação, que somam R$ 2 milhões em investimentos realizados pela Codevasf. Na ocasião, Fernando Filho também anunciou R$ 3,2 milhões para as ações de saúde do município.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/06


2021

Valor da conta de luz deve subir 20%

O diretor-geral da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), André Pepitone, afirmou, hoje, que o reajuste da bandeira vermelha 2 deve subir o preço da conta de luz em mais de 20%.

Pepitone participou de um debate sobre a crise hídrica na Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados. Disse que o valor cobrado pode chegar a R$ 7,57 a cada 100 kWh.

O valor da bandeira vermelha em junho de 2021 é de R$ 6,24 a cada 100 kWh. O aumento do preço ainda é discutido pela Aneel. Deve ser comunicado ainda em junho.

O aumento do preço, segundo o diretor, é causado pela crise hídrica que atinge o país. Com os reservatórios das hidrelétricas quase vazios, principalmente nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, o governo precisa acionar as usinas térmicas, que custam mais para a produção de energia.

Segundo Pepitone, o uso das usinas térmicas deve resultar em um custo de R$ 9 bilhões até novembro de 2021. O reajuste da bandeira vermelha faz parte de uma série de ações da Aneel para diminuir os efeitos da crise hídrica e evitar o racionamento energético.

No mesmo evento, Pepitone afirmou que pretende firmar uma parceria com o governo federal para deslocar para fora do horário de pico o consumo das indústrias. O objetivo é possibilitar que o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) tenha mais recursos para operar o SIN (Sistema Interligado Nacional) durante a crise hídrica.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/06


2021

Ex-candidato do Psol em Petrolina volta ao PT

Ex-candidato a prefeito de Petrolina, o médico Marcos Heridijanio, principal liderança do Psol no município, está deixando o partido e voltando ao seu antigo ninho, o PT. A saída ocorre em meio a uma divisão interna no PSOL, entre partidários de uma candidatura própria e defensores do apoio à candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Heridijanio disse que preferiu voltar à sigla em vez de se envolver em uma disputa interna.

“Sempre prezei pela liberdade para fazer desde já o que eu acho certo e melhor para o País. Vivemos dias conturbados e difíceis com a pandemia que assola o mundo ferozmente  e os desmando de um governo que se perdeu no nosso País. É preciso olhar com a visão voltada para os mais necessitados”, disse.

Quanto ao Psol, Herdijanio disse que passou dias felizes no partido e viu seu nome crescer, mesmo em meio a muitas perseguições, mas que conseguiu aprender excelentes estratégias dentro da sigla.

“Sou muito grato ao PSOL, que me acolheu com muita honra. Não estou saindo do partido para prejudicar a sigla, onde tem muita gente que eu admiro e respeito. O que eu posso destacar como verdade é que, quando eu fui difamado e ameaçado, recebi a solidariedade que eu esperava de amigos e correligionários dentro do partido. Isso não se paga. Foram dias felizes”, destacou. 

Heridijanio foi candidato pelo PT em em  2018 obtendo 6.437 votos para deputado federal. Ficou conhecido por suas postagens ácidas contra o Governo Bolsonaro e seus ministros. Em 2022, ele promete usar novas técnicas buscando sempre o consenso entre a verdade e o compromisso com o povo.

“Serei o mesmo Marcos que sempre lutou pelas causas justas. Óbvio, que as eleições para prefeito de Petrolina me deram mais clareza do meu objetivo a ser alcançado. Vou em frente com novas armas e mais maduro”, finalizou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores